Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! A Chama Violeta da Transmutação, Purificação e Libertação da Humanidade.

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! A Chama Violeta da Transmutação, Purificação e Libertação da Humanidade.

Experienciando a Paz e a Calma

SABEDORIA DOS ANJOS 

com Sharon Taphorn

31 de Janeiro de 2015.

 Tradução: Regina Drumond

 
Um dos maiores presentes que você pode dar a si mesmo é experienciar a paz e a calma interior. Quando você encontra este espaço dentro de você, isto ajuda a mudar o seu mundo exterior e cria um estado de serenidade, de tranqüilidade e de paz, ajudando-o a acalmar a sua mente e abrandar o seu nervosismo. A meditação pode ajudá-lo e quando você alcança e experiencia esta quietude interior, isto começa a mudar como você percebe e experiencia o seu mundo. Encontrar a paz e a calma aumenta a sua confiança, dissolvendo os seus medos e lhe oferece paciência, confiança e aceitação. Acredite em si mesmo e em sua capacidade de encontrar esta paz interior, independentemente do que esteja acontecendo ao seu redor.

Passe algum tempo relaxando, conectando-se com a natureza e se concentrando em sua tranqüilidade interior. Imagine belos raios da Luz do Criador se movendo através do seu sistema nervoso, acalmando, purificando e relaxando cada célula do seu corpo. Permita que esta luz permeie todo o seu ser e, então, permita que ela flua através dos seus poros e crie um casulo de luz que lhe permita permanecer envolto em paz, calma e tranqüilidade, como se você estivesse flutuando suavemente no rio da vida, apreciando e experienciando a beleza que o cerca e relaxando cada parte do seu ser.

Afirmação: “Enquanto eu inspiro a Luz do Criador, encontro a Paz Interior e acalmo o meu sistema nervoso e a minha mente. Percebo que posso ver mais claramente e sinto um profundo amor por mim mesmo e por minha jornada.”
E assim é.

Você é ternamente amado e apoiado, sempre
Os Anjos e Guias

Thank you, Mahalo, Merci, Gracias, Vielen Dank, Grazie,Спасибо,Obrigado,谢谢, Dank, 謝謝,Chokran,Děkuji,Kiitos

Direitos Autorais Universais©2014 por Sharon Taphorn

Todos os direitos reservados.

Por favor, compartilhe os artigos, contanto que o autor e as informações de contato sejam sempre incluídos, a mensagem esteja completa e os créditos dados a autora.

http://www. playingwiththeuniverse.com/

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
 





Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

RESERVE UM TEMPO PARA SE DIVERTIR...

MENSAGEM DOS ANJOS 

com Ann Albers

31 de Janeiro de 2015.

Tradução: Regina Drumond 

 
No verão passado, eu compartilhei uma meia hora de brincadeiras com uma bela libélula dourada. Ficamos sorrindo e curtindo a interação. Absolutamente mágico! A diversão é uma necessidade na vida.
Sabemos que muitos de vocês trabalham arduamente, seja em um emprego, em casa, ou em seu eu interior. Embora, certamente, nós incentivemos estes trabalhos de amor, sabemos também que há um grande valor e equilíbrio a serem encontrados na energia da diversão.
Quando vocês se divertem, não se preocupam com o resultado. Não se preocupam com o que produzirão ou não. Vocês se preocupam apenas em fazer algo que lhes dê uma experiência alegre no momento. Para alguns, a diversão é muito tranqüila... ler um livro, um jogo particular de cartas, passar algum tempo em silêncio no pátio, bebendo uma xícara de chá. Para outros, a diversão é bem animada – dançar, caminhar, cantar ou rir com os amigos. Para alguns, a diversão é criativa – criar coisas, cozinhar, fazer artesanato, arte, ou escrever uma música. Para alguns, a diversão é solitária, e para outros, é social. Não importa que forma a sua diversão assuma. Importa simplesmente que vocês estejam se divertindo no momento e totalmente livres de uma necessidade de produzir.
Nesta semana, reservem um pequeno espaço de tempo para se perguntarem: Como posso acrescentar um pouco de diversão a minha vida? Estou disposto a fazer algo somente por uma questão de alegria e sem a necessidade de produzir um resultado?
Nós os incentivamos nisto, queridos. Quando vocês se divertem, vocês estão presentes. Vocês estão conectados com a vida, de alguma maneira. Vocês se sentem seguros. Vocês acolhem a vibração da alegria. Vocês estão livres para ver a vida de forma diferente e encontrarem novas soluções para os verdadeiros desafios de sua vida, porque quando vocês estão presentes, podemos receber nossas mensagens através de vocês com mais facilidade. Vocês relaxam. Seus corpos se descontraem. Sua saúde melhora. Vocês podem retornar ao trabalho, revigorados, renovados e com mais amor. Em um sentido, divertir-se é fazer esta prece: “Querido Deus, com a minha energia enraizada no momento e na alegria, eu sei, através do próprio projeto de sua criação, que Você irá me enviar ainda mais alegria. Obrigado.”
Deus os abençoe! Nós os amamos muito.
Os Anjos
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br



Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

NOVOS INÍCIOS -- Robert Theiss

NOVOS INÍCIOS

Mensagem de Robert Theiss

31 de Janeiro de 2015.
Tradução: Regina Drumond

 
 

Novos inícios podem vir de várias formas. Um novo emprego, um relacionamento íntimo mais gratificante (sim, eles existem), ou, talvez, uma nova situação na vida. Falando por mim, 2014 ofereceu uma nova oportunidade para me amar, como eu nunca me amara antes. Passei por uma mudança profunda de como me relacionar com as escolhas mais mundanas que eu faço a cada dia. As energias em meu corpo começaram a mudar de uma nova maneira. Meu amor pareceu desalojar inúmeras e velhas energias adormecidas de seu sono silencioso. Isto traz consigo uma nova liberdade, mas maiores responsabilidades para o meu próprio processo criativo. Esta afeição mais profunda pareceu aumentar a minha consciência de todos os aspectos não integrados de minha alma. Eu quase conseguia ouvir um coro de vozes cantando: “A sua afeição, o seu amor próprio também nos inclui.”

Talvez, mais do que qualquer outro ano ano, 2014 foi realmente intenso, enquanto cada um de nós continua a integrar as partes fragmentadas de nosso ser. Liberamos estas partes que não somos nós, quando entramos em um novo modo de ser. O amor próprio parece um termo quase mágico e inofensivo, até que vocês comecem a experienciar o seu pleno impacto em sua vida. Olhando para trás, eu nada teria mudado, mas agora eu nunca mais deixarei de lado este novo sentimento que eu criei apenas para mim. Miguel esteve nos guiando pacientemente de novo para este sagrado relacionamento com toda a vida. Ele começa a mudar a nossa própria vida e enquanto acolhemos estas mudanças, nosso próprio brilho começa a mudar toda a vida.

Qualquer novo início pode começar com a sua próxima respiração consciente. Um novo caso de amor na vida que vocês estão vivendo, pode ativar uma nova paixão, um novo grau de confiança e um novo corpo que é preenchido com mais luz, tudo em nome do amor.

“ A Arte da Vida Consciente é o Amor Próprio em Ação.”

Todas as minhas bênçãos,

Robert Theiss

“Como você se sente quando realmente se ama? Isto lhe traz alegria, dissolve o drama e libera as dúvidas? Isto lhe traz segurança, abre novas possibilidades e ajuda a equilibrar a sua saúde e o seu bem-estar? Você quer conhecer o segredo que cada mestre iluminado descobriu enquanto aqui na Terra? Qualquer pensamento que possa interferir com este sentimento não é e nunca foi a sua verdade. Isto é simples, se você permitir que assim seja.”

Arcanjo Miguel

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br



Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Robert Theiss



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

CORPO DE LUZ EM ONDA GAMA -- Arcturianos

CORPO DE LUZ EM ONDA GAMA

Os Arcturianos e a Federação Galáctica

Por Suzanne Lie PhD

Em 29 de janeiro de 2015





Viemos neste dia a vocês para lembrá-los de que NÓS somos UM.
O “Nós” abrange todos os nossos voluntários que entraram no jogo holográfico tri/tetradimensional da “Terra Tridimensional”.
Vocês podem ter em sua televisão alguns filmes em que os “Deuses Gregos” veem os meros humanos abaixo deles.
Eles têm o poder de influenciar esses mortais com seu simples pensamento.

Como é de seu conhecimento, o cenário acima está correto, mas NÃO está correto que vocês são “meros humanos”.
VOCÊS na verdade são os “Deuses” que estão iluminando seu caminho pelo labirinto confuso da Terra em transmutação.
Sim, Lady Gaia está transmutando mais todos os dias.
Entretanto, por favor, lembrem-se de que transformação e transmutação são termos muito diferentes.

Transformação significa que alguma coisa é adicionada ou retirada para criar mudança.
Entretanto, a frequência daquilo que é transformado continua a mesma.
Por outro lado, a transmutação NÃO envolve retirada ou adição, mas a transmutação aumenta a frequência da pessoa, lugar, situação ou objeto.

Muitos daqueles que estão no Jogo 3D estão presos porque eles querem adicionar, retirar ou alterar alguma coisa ou alguém.
Entretanto, essa maneira de pensar verdadeiramente os prende no Jogo porque seu pensamento tridimensional somente pode criar uma solução tridimensional.

Seu retorno ao corpo de luz começa com a volta aos pensamentos e emoções que ressoam ao AGORA pentadimensional do UM.
Assim que vocês escolhem liberar pensamentos que são baseados no tempo e emoções sobre o que “outro” alguém fez ou não fez para ou por vocês, vocês descobrem que VOCÊS são os criadores de sua vida.

Por exemplo, quando vocês estão focalizados no AGORA da SUA decisão de pensar, fazer, sentir e/ou responder, vocês estão no AGORA dessa escolha.
Então, quando vocês estão cansados, exaustos e/ou apenas incapazes de atender às suas escolhas de percepção e reações, vocês percebem esse fato e se dão amor incondicional.

A ascensão não se trata de ser perfeito, mas se trata de ser amoroso e clemente.
Perfeito é um termo tridimensional, que é o conceito oposto a ser defeituoso.
Ambos, perfeito e defeituoso, estão baseados no julgamento e também em opostos polarizados.

Como será viver numa realidade em que não existem extremos como perfeito e defeituoso?
Como parecerá viver num mundo em que não existe julgamento ou um conceito desses conceitos?

No início vocês podem não notar que o AGORA do UM os envolve, pois, mesmo que sua consciência possa estar imensamente expandida, a força do seu hábito 3D é difícil de ser freada.
Inclusive agora muitos de vocês estão realmente ressoando além da matriz 3D, mas somente estão cientes desse fato enquanto engajados em meditação ou algum empreendimento espiritual e/ou criativo.
Por que isso acontece?

Como vocês poderiam estar em um estado mais alto de consciência e não estar ciente dele?
Simples, vocês não estão sintonizando no seu EU.
Vocês estão olhando “para fora” de vocês e vendo a matriz.
Vocês estão fazendo isso porque vocês se esqueceram de que o portal “de saída” da matriz está “dentro” de VOCÊS.
Vocês, que são seu Corpo de Luz, estão no núcleo do seu corpo dentro da sua Kundalini, dentro de sua medula espinal.

Visto que sua Kundalini normalmente está latente no seu núcleo, vocês não percebem sua própria força de transmutação.
Consequentemente, vocês estão olhando para CIMA para o “céu” e para FORA para outra pessoa, lugar ou objeito.
Vocês têm sido treinados pelo Jogo 3D para acreditar que VOCÊS “não são bons o bastante”.
Disseram-lhes que vocês precisam melhorar e/ou curar o seu eu.

Nós dizemos à nossa querida equipe à distância: vocês NÃO precisam melhorar ou curar seu eu.
Vocês precisam se lembrar do seu EU Multidimensional.
Tal como uma árvore enorme tem folhas que morrem e caem dela, tal como uma roseira tem alguns botões que não desabrocham, há partes de sua vida que não atingem seu potencial.

Não é ruim ou vergonhoso se vocês não “atingem seu potencial 3D”, pois esse potencial provavelmente foi lhes dado por outra pessoa ou pela sociedade.
É por essa razão que tantos de vocês mudam totalmente suas vidas quando despertam para sua consciência superior.

Assim que seu sentido de eu expande do vaso terreno que vocês estão usando para o VOCÊ que reside dentro desse vaso, todas as doutrinações 3D de “bom o bastante” começam a diminuir.
Quando vocês são a força de vida dentro do corpo que estão usando, sua consciência se expande muito mais além da limitação física e entra no AGORA do UM.

Essa voz que vocês sempre ouvem com seu coração é VOCÊ.
Esse ser superior com quem vocês têm sonhado é VOCÊ.
Aquela meta que era inatingível em sua versão física de eu agora ressoa ao coração e à mente de seu EU dimensionalmente superior.

Assim que vocês chegam a esta conscientização, vocês não se preocupam mais com o que “eles” pensam.
Ao invés disso, vocês se preocupam com o que VOCÊS pensam, fazem, têm ou acreditam.
Vocês começam a perceber os outros como luzes de consciência dentro da matriz 3D da forma humana deles.

Além disso, sua forma humana não é melhor do que a forma de um animal ou vegetal.
Assim que vocês percebem que VOCÊS não são seus corpos, que VOCÊS simplesmente estão usando seus corpos para poder entrar no Jogo 3D, as outras pessoas no Jogo também são vistas como consciência usando uma forma.

Vocês se lembram de quando vocês apenas sabiam da sua forma 3D e não faziam ideia da consciência que estava usando a forma?
Sua perspectiva antiga era muito semelhante à crença antiga de que a Terra era o centro do Universo e o Sol girava ao redor dela.
Agora vocês olham para trás e pensam: “Como eles puderam acreditar que o Sol girava ao redor da Terra?”.

Vocês não precisarão responder essa pergunta, pois não há razão para complicar sua vida tentando educar ou mudar aqueles que ainda não estão preparados para saber.
Entretanto, mais e mais QUEREM saber.
Seu EU reconhecerá seu verdadeiro EU por causa do conjunto de percepções expandidas.
Por causa do seu conhecimento compartilhado, vocês SABERÃO que eles estão “usando” o vaso terreno deles.
Então vocês poderão compartilhar uns com os outros como vocês inicialmente expandiram suas percepções para o seu corpo astral tetradimensional.

Vocês também podem compartilhar como começaram a perceber seu eu como seu eu corpo de luz pentadimensional.
Essas percepções conscientes de seu corpo de luz pentadimensional inicialmente são experimentadas através de sua consciência em onda Gama.
Seu maior desafio será lembrar-se dessa experiência em sua vida diária.
Portanto, nós sugerimos altamente que vocês imediatamente documentem essa experiência.

E também, se vocês começarem essas meditações com um acompanhante que possa lhes fazer perguntas sobre sua experiência, isto os auxiliará a falar sobre o que está acontecendo, para falar sobre sua experiência para que vocês possam trazer ao seu cérebro consciente 3D para formular as palavras.

Desta maneira vocês começarão a aprender... a lembrar de como permitir a consciência em onda Gama interfacear com sua forma física de um modo em que vocês possam documentar, lembrar e compartilhar suas aventuras nas frequências mais altas do UM.
Cada vez que vocês tiverem uma experiência em onda Gama, vocês ficarão mais e mais confortáveis com os conceitos de que VOCÊ é seu corpo de luz e sua forma física é sua concha externa.

Consequentemente, vocês progrediram de acreditar que VOCÊS são as suas formas físicas para:
. acreditar que VOCÊS são a consciência tetradimensional que anima essa forma;
. saber que VOCÊS são a consciência multidimensional que anima essa forma;
. saber que VOCÊS são o corpo de luz pentadimensional e acima que aguarda a ativação no núcleo de sua espinha;
. experimentar a SENSAÇÃO de ser seu Corpo de Luz.

Quando vocês tiverem sua experiência de “ser o Corpo de Luz”, vocês precisarão assegurar que seu corpo físico terreno esteja em um local seguro.
Também é útil se vocês tiverem uma pessoa para assisti-los na ancoragem de seu Corpo de Luz fazendo perguntas sobre sua experiência e as documentando.
Vocês também podem gravar sua experiência.

Lembrem-se de que com suas primeiras aventuras no Corpo de Luz, seu desafio será permanecer nessa experiência.
Dúvida ou medo puxarão sua consciência para as ondas cerebrais mais baixas.
Por outro lado, amor incondicional e compaixão por toda vida os assistirão na permanência em um estado Gama de consciência.

Novamente, nós sugerimos muito que vocês peçam a alguém para ser sua força de ancoragem.
Esta pessoa também pode lhes fazer perguntas sobre sua experiência para que vocês possam ter uma recordação de como foi sentido e do que vocês experimentaram enquanto viajavam pelas realidades superiores.

Sim, tal como a consciência em onda Teta lhes permite viajar nos reinos da quarta dimensão superior e a consciência em onda Delta coloca suas percepções do eu “fora” da sua forma física, a consciência em onda Delta ativa seu Corpo de Luz, também conhecido como seu Merkaba.
Seu Merkaba é a sua “carruagem dos Deuses”.

No seu AGORA, os “Deuses” não estão longe ali no “Céu” ou em um “outro” reino.
TODOS vocês são os que receberam o título de “Deuses” em sua própria consciência em onda Gama.
Agora, essa informação tem sido suprimida pelas forças do poder sobre os outros.

Se os “subalternos” da humanidade viessem a conhecer seu verdadeiro poder interior, as forças do poder sobre outros entrariam “em falência”.
De fato, este “poder sobre outros grupos”, também conhecido como Cabal, Illuminati e muitos outros nomes que não iremos revelar neste AGORA, tem perdido a última batalha para ganhar o poder completo sobre Gaia.

Como vocês provavelmente estão cientes, eles têm uma operação muito longa durante todos os anos do Kali Yuga, que é o ciclo final da “noite mais escura antes do amanhecer”.
Este amanhecer AGORA está despertando.
Muitos ainda dormem profundamente nas ilusões de polaridade e domínio de uma força externa.

Portanto, nossos queridos que se voluntariaram a entrar em sua atual encarnação para assistir no despertar da humanidade e na cura de Gaia, nós lhes pedimos, por favor: “Saiam, saiam de onde vocês podem estar!”.
Vocês não precisam mais brincar de “esconde-esconde” com o seu próprio EU Superior.
É o AGORA para SER seu EU em sua vida diária.

Existirão dias em que vocês poderão sentir como se estivessem voando pela vida e outros dias em que vocês sentirão como se estivessem caminhando com dificuldade pela lama.
Obviamente vocês serão capazes de manter estados mais altos de consciência quando estiverem voandoe provavelmente cairão na consciência em onda Beta quando estiverem caminhando com dificuldade.
A montanha russa da vida na terceira dimensão está lentamente chegando ao fim de seu percurso.
Vocês ficavam alegres quando o percurso os levava para CIMA e ficavam assustados quando o percurso os enviava para BAIXO.
Mas o passeio na montanha russa está sendo retirado, como também o parque de diversões 3D inteiro.

Este “parque” foi invadido pela escuridão nos últimos dias de Atlântida e essa escuridão aumentou por criar incontáveis guerras em que os dois lados eram apoiados pelos mesmos escuros pelo único propósito de encher seus próprios bolsos.
Como esse comportamento aumentou durante os últimos dois mil anos, Gaia começou a tomar o maior “golpe” para a Sua saúde e bem-estar.

Quando o planeta ficou profundamente ferido pelas pessoas que o ocupavam, na verdade por um grupo relativamente pequeno dessas pessoas, sua Família Galáctica recebeu permissão das forças superiores para assistir o planeta e os humanos que aceitassem nosso amor incondicional e luz multidimensional.

Porque a humanidade está escolhendo aceitar sua luz e amor, nós não “infringimos a lei do plano do livre arbítrio de Gaia”.
No início, somente uns poucos humanos puderam ouvir que nós os estávamos chamando.
Portanto, muitos de nós decidimos implantar a essência de nossa expressão superior do EU na forma humana daqueles que aceitaram a missão de assistir Gaia.

Foi extremamente desafiador para os nossos voluntários que começaram este processo após o fim da Segunda Guerra Mundial.
Esses primeiros voluntários tinham que manter segredo sobre seu verdadeiro eu.
Muitos daqueles que não mantiveram o segredo foram prejudicados ou mortos.
Entretanto, com o passar do tempo 3D, aqueles que sobreviveram foram capazes de ajudar outros a despertar e comungar com suas próprias expressões superiores do EU.

AGORA vocês estão começando a abrir e entrar em seus próprios Corredores Arcturianos de ascensão.
Esses corredores podem ser penetrados e explorados através de sua própria consciência em onda Gama.
Por favor, lembrem-se de que é a força do amor incondicional e a compaixão por toda vida que lhes permitem recuperar e conservar sua consciência Gama.

Na próxima postagem nós oferecemos uma gravação da experiência de nossa canalizadora com a consciência em onda Gama.
Por favor, lembrem-se de que percepção É criação.
Portanto, enquanto cada um de vocês viajar pela quinta dimensão e acima, vocês experimentarão o que sua própria consciência puder melhor reconhecer e prestar atenção.

Portanto, cada um de vocês pode ter experiências muito diferentes porque cada um de vocês escolherá percepções diferentes.
Desta maneira vocês criarão inúmeras versões diferentes da Nova Terra pentadimensional.
Nós novamente os recordamos que:
VOCÊS SÃO OS CRIADORES DE SUA REALIDADE!

Quando vocês começarem sua viagem consciente nas dimensões superiores e através delas, cada um de vocês recolherá sua própria “peça do quebra-cabeça” da vida na quinta dimensão e além.
Quando vocês retornarem à sua realidade física, vocês contribuirão com suas “peças do quebra-cabeça” que vocês colecionaram em sua jornada interdimensional ao quebra-cabeça planetário de “Gaia em Ascensão”.

O mais importante: SEMPRE se lembrem de que VOCÊS já estão ascendidos nas expressões dimensionalmente superiores de seu próprio EU Multidimensional.
Vocês não assumiram um corpo para avançar em seu próprio crescimento espiritual.
Os dias de líderes espirituais “individuais” e santos cessaram com o fim da Era de Peixes.

Nós os agradecemos por recordar.
É esta recordação que é vital para que vocês possam permanecer longe das mandíbulas do seu ego 3D.
Amem incondicionalmente seu ego e coloquem seu EU Multidimensional no banco do motorista de sua Missão à Terra.

Agora nós postamos a jornada pentadimensional de Suzille.
Por favor, lembrem-se de que cada um de vocês perceberá aquilo que está em alinhamento com a sua própria “razão para encarnar”.
Então vocês podem adicionar essa “peça individual do quebra-cabeça” ao quebra-cabeça UNO da Ascensão Planetária.

Nós enviamos a TODOS vocês amor incondicional e gratidão incondicional.

Os Arcturianos, Pleiadianos e outros membros da Federação Galáctica da Luz.







Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Suzanne Lie



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

CRIADOR – OLHE ALÉM! -- via Jennifer

CRIADOR 

 OLHE ALÉM!

Por Jennifer Farley

30 de janeiro de 2015






Viver sua existência no plano terreno com reserva e mecanicamente não deixa espaço para a exploração.
Mova-se, coloque cor fora das linhas, examine os mistérios ao seu redor: a alegria está esperando!

Criador



Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com



Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Jennifer Farley



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

ARCANJO GABRIEL, 30 DE JANEIRO DE 2015

MENSAGEM DIÁRIA DO ARCANJO GABRIEL

Canalizado por Shelley Young

 




Se vocês verdadeiramente entendessem que vocês sempre podem voltar à essência mais pura do seu eu – voltar à sua inocência, seu modelo divino – vocês abandonariam a ilusão de ofensas insuperáveis e muito rapidamente entrariam no perdão e totalidade que, por sua vez, criaria uma cascata de cura em sua vida.

Se vocês foram feridos ou abusados, seu eu ferido pode ter se refugiado profundamente no seu interior no desejo de evitar mais ferimento, mas ele sempre está lá esperando voltar à luz assim que souber que é seguro.

Assim que vocês verdadeiramente aceitam a resiliência e a natureza indestrutível de sua essência e se comprometem a ser seu próprio guia amoroso ou progenitor e a criar um ambiente seguro e estimulante para si, vocês entenderão que a cura sempre está disponível para vocês por simplesmente se reintegrar na sua totalidade e abandonar a ilusão de ferimentos permanentes.


Arcanjo Gabriel



Arcanjo Gabriel através de Shelley Young
Facebook: Trinity Esoterics
Twitter: @trinityesoteric

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Cobra, 29.01.2015

Portal 2012

Conferência de Taiwan

Relatório de Atualização de Status do Sistema Solar

Por COBRA

Tradução: Candido Pedro Jorge

 


A conferência de Taiwan foi um enormesucesso, porque Taiwan é um dos principais centros das forças positivas doDragão e que pode se tornar uma comunidade muito forte de Trabalhadores eGuerreiros da Luz. A conferência teve lugar muito perto do local onde asfamílias Dragão de Taiwan esconderam seu ouro, depois de terem escapado daChina continental, após a Segunda Guerra Mundial.

Durante a conferência, demos importantespassos físicos e energéticos para o Reset e um novo sistema financeiro justo eequilibrado.

No mesmo fim de semana, TODAS bombasfísicas, strangelet e toplet do grupo chimera foram desativadas. Restandodesativar apenas as bombas strangelet e toplet plasmáticas. O Plano Plasmáticocontinua a ser a principal área de resistência do grupo chimera, que precisaser cuidado antes da ocorrência do Evento. Vamos lidar com a situação plasmáticaem detalhes, futuramente, num dos próximos posts do blog.

Como resultado da desativação das bombasfísicas, houve grande alívio entre as Forças da Luz e muitas informações deixaramde ser sigilosas, tornando-se seguro liberá-las. Este breve informe de DavidWilcock, apareceu apenas algumas horas após a desativação das bombas físicas efiquei surpreso pelo que revelou tão cedo, enquanto as operações ainda estavamem andamento: 


Existe uma frota de naves mãe daConfederação Galáctica posicionadas do lado externo do nosso sistema solar, querepresenta uma barreira, através da qual nenhum veículo espacial do grupo chimera poderá escapar. Quatro profanos estavam secretamente esperando que o chimeralhes proporcionassem uma rota de fuga deste Sistema Solar em direção a estrelade Barnard, pouco antes das prisões em massa, já que esta era a promessa que o chimera havia dado aos principais cabalistas.

Na verdade, o chimera ainda controlaalguns fragmentos da outrora poderosa frota física Draconiana e Reptiliana,espalhadas e escondidas em alguns asteroides menores, no principal cinturão de asteroidese no cinturão de Kuiper. Esta informação foi “top secret”, até agora, porque osreptilianos estavam ameaçando retaliação a um número relativamente pequeno dereféns humanos que ainda mantêm capturados nesses asteroides. Este fim desemana, as Forças da Luz do Comando Ashtar, Frota Pleiadiana, Frota Sirianae do Movimento de Resistência começaram uma operação de limpeza completa detodo o Sistema Solar.


Até recentemente, havia também fragmentosdas frotas Reptiliana/Draconiana, se escondendo em cinturões de asteroides da Estrelade Barnard e na estrela chamada Wolf 359. Todos esses fragmentos de frota jáforam completamente removidos.

Também é verdade que o chimera controlaum sistema de fortalezas subterrâneas, tendo Long Island como seu único grandeponto de acesso para a superfície. Estas fortalezas subterrâneas do chimera estãototalmente isoladas dos DUMBs (deep underground military bases - profundasbases militares subterrâneas). TODOS DUMBs já foram limpos, de forma que osMilitares Negativos e a cabala não tem acesso aos redutos Chimera, estandopresos na superfície.

Precisam entender que as pessoasenvolvidas no programa espacial secreto/civilização separatista não tinhamacesso aos locais chimera situados no interior do nosso Sistema Solar, nem esob a superfície do nosso planeta e não estavam, em sua maioria, mesmo cientes daexistência desses redutos.

Esta informação esteve secreta até agora,considerando que chimera ainda mantém reféns humanos nesses lugaressubterrâneos e dispersos em alguns locais do nosso sistema solar (EXCETO Lua eMarte), de forma que a libertação desses reféns deve ser realizada com a máximacautela.

Esses são os locais a partir de onde atecnologia de grade escalar plasmática é operada.

Mais informações se seguirão, quando for seguroliberá-las.


COBRA 

Fonte 1: Portal 2012 

SaLuSa - 30.01.2015

 Através de Mike Quinsey

Jesus - o maior Mestre de seu tempo - deixou claro que o Criador é Todo Amor e que nenhuma criatura viva ou Ser está fora Dele.



Nada mudará as previsões para a conclusão deste ciclo, exceto a mais alta autoridade. Uma vez feito, a muitos Trabalhadores da Luz serão dadas as tarefas para assegurar todos os procedimentos, de acordo com a necessidade de seus cumprimentos.

Portanto, continuem com suas vidas naturalmente, sabendo que um grande final está para acontecer com o fim da influência das trevas. Serão incapazes de exercer qualquer influência sobre os acontecimentos, na medida em que têm seu poder subtraído de seu meio. Também serão removidas da Terra, para garantir que os Trabalhadores da Luz possam ir em frente com suas missões.

Até agora, os tenebrosos têm consistentemente interferido com a evolução da humanidade e foram capazes de bloquear ou retardar seu progresso. Esta situação está mudando rapidamente e, em breve, estará sob nosso controle. Então,  serão capazes de ir em frente com as suas tarefas sem medo, avançando mais rapidamente que em qualquer ocasião anterior.

Queridos, ouvimos seus apelos e pedidos de ajuda e logo seremos capazes de ajudá-los de uma forma mais direta. Não temam, pois a qualquer momento, as energias mais baixas atrairão energias semelhantes, enquanto vocês estarão trabalhando com energias mais elevadas.

O significado das próximas mudanças são tais que, dificilmente podem ser colocado em palavras. Tudo será afetado em algum grau, onde grande parte das energias mais baixas será alterada ou removida com o passar do tempo. A Terra se renovará e, mais uma vez, vista como uma joia no firmamento. Enquanto tudo isso estiver acontecendo, vocês também serão renovados, enquanto se tornam Seres Galácticos de pleno direito.

Falamos do que está por vir, porque este conhecimento irá ajudá-los a entender e superar as várias fases dessas mudanças. Poderão ser dominados por pensamentos do que o futuro lhes reserva, todavia, saibam que teremos um contato mais direto com vocês. Dessa forma, não precisam se preocupar como o futuro, uma vez que tudo que poderiam desejar para lhes trazer paz, felicidade e prosperidade está assegurado.

Enquanto isso, continuem com o seus trabalhos para a Luz, sabendo que dispõem de muitos ajudantes invisíveis as suas voltas. E só quando perceberem que não estão sozinhos nessa missão é que entenderão porque muitas vezes as coisas parecem cair no lugar apropriado quando necessitam delas.

Foram cientificados desse acordo antes de virem para a Terra, todavia, depois de caírem nas vibrações mais baixas, se esqueceram de suas circunstâncias. No entanto, com o tempo, gradualmente aumentaram suas vibrações, de forma que merecem todos os elogios. É por isso que, neste momento, nós e outros podemos nos aproximar de você e esclarecê-los sobre o que vem pela frente.

A consciência cresceu e agora, podem aceitar a verdade de seu lugar nos Cosmos. O jogo que foi praticado na Terra, está prestes a mudar seu curso e elevá-los dos desafios da terceira dimensão. Eles serviram a seus propósitos e vocês já progrediram o suficiente para avançarem para a Luz.

Experimentaram o resultado da interpretação do homem, do significado e propósito da vida e que, por assim dizer, conduziram-nos pelo mau caminho. Fizeram com que seguissem falsos credos e acreditam num criador que é visto a imagem do homem. No entanto, Jesus - o maior Mestre de seu tempo - deixou claro que o Criador é Todo Amor e que nenhuma criatura viva ou Ser está fora Dele.

O objetivo de toda alma é crescer e progredir na Luz, até que mais uma vez se tornar Um com a Fonte. Na medida em que progridem através de suas diversas experiências de vida, avançam para a Luz. Tornar-se-ão uma Luz maior com imensos poderes de criação, embora muito disso seja caminho no futuro. No entanto, precisam saber do propósito da vida. Nada do que experimentam é por acaso, portanto, considerem cuidadosamente por que certos acontecimentos em suas vidas acontecem.

As pessoas normalmente gravitam para aquelas que possuem uma vibração semelhante, entretanto, para o cumprimento do carma poderão se envolver com todas as almas de diferentes níveis. Mesmo que seja a união de duas pessoas pelo casamento, ou seus filhos. Experiências cármicas podem ser organizadas antes da encarnação, de modo que entenderão que nada acontece por acaso.

Claro que existem muitas experiências menores e sem consequências reais, embora nunca se saiba, por exemplo, quando um encontro casual pode crescer para se tornar de primordial importância. Por causa de seus livres arbítrios, podem recusar uma oportunidade destinada a lhes trazer experiências necessárias, embora quando for realmente importante para a suas evoluções, tenham a certeza que irão acontecer novamente.

Algumas pessoas não acreditam em Deus ou que existe um propósito na vida, no entanto, ambos afetarão o resultado das experiências que escolheram. Não podem remover Deus de suas vidas, tudo foi planejado antes de seus nascimentos, independentemente do que possam acreditar.

Naturalmente, ao retornarem para as dimensões superiores tudo será revelado quando suas sua vidas forem revistas. Nenhuma oportunidade de aprendizado na vida é desperdiçada, independentemente de como possa aparecer. Na verdade, saberão saber exatamente por que certa alma escolheu certa experiência de uma maneira particular.

No entanto, quando duas ou mais pessoas se reúnem, cada uma terá conhecimento a respeito do papel que desempenharão. Às vezes, almas entrarão na vida de outras por um período muito curto, simplesmente para ajudar a criar uma situação, necessária para as experiências de outras. No entanto, ao tentar relacionar isso com bebês, pode ser simplesmente que a alma tenha decidido finalmente não encarnar. Essa opção é aberta a todos, embora muito poucos mudem de ideia, assim que os acordos são fechados.

Então, como podem ver, tudo não está em preto e branco e todas as almas têm uma palavra a dizer sobre o tipo de vida em que estarão entrando. Normalmente, uma vez que o propósito de uma vida seja decidido e visto como um avanço na sua evolução, é muito raro que uma alma decline dele. Possuem muitas almas desencarnadas que trabalham com vocês para garantir seus sucessos.

Eu sou SaLuSa, de Sirius, servindo as almas daqueles que corajosamente e sem medo assumiram uma vida na Terra, para estarem a serviço de outras. No entanto, todas as almas têm Guias e ninguém e nem mesmo as das trevas estão excluídas desse atendimento. Não sejam relutantes em pedir ajuda quando for necessário, embora o carma nem sempre permita o atendimento de suas solicitações, por isso, se suas orações parecerem sem resposta, haverá uma razão muito boa para isso.

Assim, os deixo com o meu Amor e Luz e os melhores desejos da Federação Galáctica.

Obrigado SaLuSa

Mike Quinsey  
Fonte 1: Tree of the Golden 

Os Pleiadianos - Abertura do Coração

Os Pleiadianos 

Abertura do Coração

A reflexão sobre este SÍMBOLO PLEIADIANO 

apoia asua transformação pessoal.

Através de Christine Day
Tradução: Vilma Capuano





Amados, nós os saudamos!



Assim como vocês mudaram-se para o Ano Novo, véus levantaram-se e seu planeta Terra começou uma rápida transformação.



Pela primeira vez na história do planeta Terra, há uma série de Ondas de Iluminação que fluem para o seu planeta carregando uma freqüência específica de Pura Luz, de Amor, projetada para acelerar o seu Despertar. Esta energia transformacional é projetada para realinhá-lo através do seu coração.



Esta energia funciona através do campo energético do coração e ancora através das células do seu coração, criando uma abertura dimensional para que você possa acessar novamente a porta de entrada para o seu Estado Natural de Ser.



Esta abertura dimensional do coração vai lhe dar a capacidade de acessar novamente as Alianças Sagradas que são uma parte do seu destino, um destino do seu coração, que traz a frequência da Luz para você voltar para Casa, cumprindo uma promessa Sagrada para você.



O desejo do seu coração



A reconexão com essas Alianças Sagradas faz parte do desejo do seu coração e pode ser comparada à abertura de uma flor ao sol. Você sabe como, naturalmente, uma flor abre para o sol, expandindo suas pétalas para o exterior, recebendo totalmente a luz. O sol, sendo a sua própria Luz Divina única de seu Eu Superior, está re-ancorando-se dentro das células do seu coração.



Isto é o que você deve fazer agora - não segurar. Apenas deixe ir e receba esta bênção natural que está sendo dada a você dentro das energias sagradas transportadas para você dentro dessas Ondas de Iluminação.



Esta frequência de iluminação lhe permitirá uma reconexão natural para a Verdade, clareza e conhecimento, trazendo-lhe uma compreensão e clareza do seu próprio destino agora em sua vida. É o momento de reivindicar o que é seu por direito!



Esta nova energia vital trazida dentro das Ondas Iluminação cria esta aceleração dentro de você para o seu Despertar. É importante que você comece conscientemente a abrir-se para este fluxo energético que está sendo criado por meio da ação dessas Ondas de Iluminação.



Seu processo sagrado



Você vai ser capaz de trabalhar conscientemente com esta energia de uma forma simples.



Mantenha as palmas das suas mãos sobre o seu coração. Traga a sua consciência na pressão, no calor da sua mão em seu espaço do coração. Agora respire a "força da vida", como um vento suave, e coloque sua respiração no Espaço que você está segurando e deixe ir.



Em seguida, traga no Espaço esse som sagrado, INDAH, e deixe ir.



Saiba que a sua frequência única deste som, INDAH, começará a alinhá-lo com a frequência da luz trazida dentro das Ondas de Iluminação. À cada vez que você usar esse som você vai ser alinhado mais profundamente nessa expansão da frequência de luz dentro das Ondas.



Este é o processo sagrado que é dado a você para este tempo. Saiba que apoiamos você, através da Escolha Consciente, neste trabalho interior de iluminação.



As emoções intensas



Há uma dinâmica acelerada, que será protagonizada no âmbito deste fluxo energético que irá criar um elemento de mudança, uma essência para desdobrar dentro do cenário dimensional em seu Plano da Terra. Esta energética irá resultar em uma ampliação do drama humano em um nível da 3ª.D.



Isto significa que haverá uma intensificação da emoção dentro de você, criada a partir da luz que está entrando em seu corpo. As emoções mais densas do corpo vão começar a vibrar e caminhar de dentro de você. Estas são as emoções que você não tinha sido capaz de processar ou lidar no passado, e que começarão a vir à tona.



Este processo faz parte de um projeto sagrado, para movê-lo num processo de olhar para dentro - de modo que você começa a entender as vulnerabilidades da sua humanidade, sustentando-se com amor e compaixão.



Agora é a hora de começar a honrar suas qualidades humanas únicas - todas elas, as partes vulneráveis do seu eu e todas as suas idiossincrasias.



Agora é o momento para que você mantenha a si mesmo com amor e compaixão por tudo o que você já passou nesta vida como um ser humano, aceitando todas as partes do seu self. Agora é a hora de mudar para um lugar de autoaceitação.



Este é o próximo passo, olhar para dentro. Este é um aspecto importante do seu processo de iluminação, mudar-se para um lugar de autoaceitação, autoamor.



A auto-aceitação



Lembre-se: como um ser humano você é "perfeitamente imperfeito". É importante você mover-se passo a passo, momento a momento, sustentando a si mesmo com aceitação apenas por um momento de cada vez.



Ao você mover-se em momentos de autoaceitação, cada célula do seu corpo se transforma, levando essa energia de auto amor para dentro. Cada momento que você mantenha, desta forma, todo o seu corpo pode transformar / autocurar.



É essencial com este nível de luz transformacional que vem em seu planeta, que você "deixe ir" de qualquer forma seu passado. Você pode utilizar estas ondas de energia apenas deixando ir e surfando as Ondas de Iluminação que estão vindo para o seu planeta. Permita-se ser levado sem esforço para as conexões de Fonte de Luz multidimensionais. Quando você fizer isso, você está como um ímã para realinhar-se ao seu fluxo Natural de Fonte de Luz.



Neste Ano Novo você começou a passar por uma transformação rápida através das células físicas de seu corpo e através do seu campo energético. Abraçar a sua mudança celular é essencial neste momento - trazendo sua consciência para as células do seu corpo e usando a respiração de "força da vida", como um vento, em suas células. Você move-se naturalmente em uma nova aceleração do seu Despertar.



Você precisa deixar ir a necessidade de compreender. Sua "necessidade de entender" o impede em seu processo de Despertar. Sua humana "necessidade de entender" é controlada pela mente do ego. Então, vamos entrar em "não saber" e apenas sustentar o seu Espaço do Coração, e estar com o que está bem na sua frente neste momento do tempo.



Respire e apenas Seja. Deixe ir e apenas Seja.



Mantenha esse momento precioso e sinta você, sinta o seu coração.



Ondas de Luz



Este é apenas o começo de seus tempos mágicos aqui no Plano terrestre. Saiba que você pode esperar que essas Ondas de Iluminação transformacional continuem ao longo de janeiro de 2015, movendo-o para o seu próximo passo, trazendo uma contínua frequência dimensional expandida de amor para você, para o seu Plano da Terra.



Sustente seu Coração e sinta a verdade do que dizemos dentro das células de seu coração. Você pode confiar em seu coração e no seu compromisso com si mesmo. Sua intenção para consigo mesmo precisa de um desapego continuado das ilusões, enquanto se move para confiar a cada momento que se abre para você. Nada mais importa, porque, na realidade, nada mais existe, neste momento no tempo.



Nós os Pleiadianos estamos com você. Trabalhamos em alinhamento com os Anjos, Seres de Luz, Mestres e Comunidade Galáctica. Estamos fazendo nossa parte, como parte de uma equipe universal que o apoia em sua transição.



Você não está sozinho. Cada um de vocês pode chegar com a sua consciência plena e chamar ajuda. Parte de seu destino agora é trabalhar passo a passo com Alianças Sagradas para que você possa seguir em frente com sucesso agora em sua missão no planeta Terra.



Aguardamos o seu chamado!



Bênçãos, Os Pleiadianos.


Christine Day


http://www.christinedayonline.com/

Fonte primária: Edgemagazine

Fonte secundária: De Coração a Coração

Tradução: Vilma Capuano

Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Historias de Maldek – Churmay de Venus – Parte III

CHURMAY, de VÊNUS 

 Parte III 

 Histórias do planeta MALDEK, 

da Terra e do Sistema Solar.

Posted by on 31/01/2015

atravesdeolhosalienígenas.



Traduzido do Livro “THROUGH ALIEN EYES – Através de Olhos Alienígenas”, páginas 71 a 99, escrito por Wesley H. Bateman, Telepata da Federação Galáctica.

“Nós somos o produto de milhões de anos de vidas. O que sabemos daqueles tempos determina quais emoções misturamos com nossos pensamentos e energiza os símbolos de nossos sonhos. Nossas experiências pessoais de vidas passadas fazem com que sejamos diferentes assim como os flocos de neve são diferentes uns dos outros. Devo então dizer isto: como você solicitou as visões de muitos seres, pode contar que ouvirá a mesma melodia quando eles cantarem sua canção, embora as letras de algumas nem sempre rimem com as que são entoadas por outras vozes do coro“. Sou Sangelbo de Temcain.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

CHURMAY, de VÊNUS – Parte III – Histórias do planeta Maldek, da Terra e do Sistema Solar. Traduzido do Livro “THROUGH ALIEN EYES – Através de Olhos Alienígenas“, páginas 71 a 99, escrito por Wesley H. Bateman, Telepata da Federação Galáctica.


Muitos meses depois, Yalput gravemente ferido chegou em casa nos braços de vários camaradas seus, que também estavam um tanto feridos. Yalput tinha vários cortes profundos e várias cabeças de flecha de sílex ainda cravadas em seu corpo. Meu pai saiu em busca de um médico. Voltou para casa com um velho sacerdote de Amon muito cansado, que ele encontrou cuidando de outros soldados feridos que haviam conseguido voltar a suas casas pelo delta.

Ele olhou para meu irmão e seus amigos gemendo e pediu uma taça de cerveja, que tomou, caindo em seguida no sono. Ninguém tentou acordar o velho sacerdote, pois tínhamos esperança de que ele tivesse um sonho no qual o deus Amon lhe diria o que fazer para salvar as vidas de Yalput e seus amigos.

Quando o sacerdote acordou, depois de algumas horas, ergueu-se e entoou algumas rezas, tomou uma jarra de cerveja como pagamento por seus serviços e nos deixou dizendo: “O destino desses jovens repousa agora nas mãos dos deuses.” Minha mãe atirou uma taça de barro nele. Ele não deu atenção pois a taça não o acertou, atingiu a porta de madeira e se espatifou.

Na tarde do dia seguinte, o cão começou a latir. Olhamos para fora pela porta e vimos dois homens, um alto e vestido como nobre, o outro bem mais baixo, muito magro e com a pele escura, vestindo apenas um saiote de couro. As cabeças do dois estavam raspadas à moda dos sacerdotes de Amon. O homem mais baixo acariciava com ternura o cão. Perguntamos aos estranhos o que queriam. Responderam: “Não há homens feridos aqui? Sabber, o sacerdote de Amon, não lhes disse que as vidas deles estavam nas mãos dos deuses?” Enquanto eles falavam, minha mãe começou a se armar com vários utensílios domésticos que podiam ser atirados. Meu pai a conteve com palavras de cautela.

O homem baixo nos pediu para ficar do lado de fora da casa e rezar para os deuses enquanto ele e seu companheiro alto e musculoso entravam na casa e fechavam a porta. Vinte minutos depois eles saíram. O homem baixo deu a minha mãe uma taça de barro que continha as cabeças de flecha que estavam no corpo de Yalput. Ela caiu de joelhos quando viu que a taça perfeita era a mesma que ela quebrara em vários pedaços quando a jogara no velho sacerdote.

Os dois estranhos pediram para ficar a sós no quintal e nos disseram para ir ficar à cabeceira de Yalput. Encontramos Yalput e seus camaradas despertos e conversando. Seus ferimentos, antes abertos, estavam fechados agora. Mais barulho fez com que olhássemos de novo o quintal. A área estava se enchendo de soldados e sacerdotes que estavam de quatro diante de nossos visitantes mágicos.



O homem mais baixo chamou minha mãe e lhe deu um cântaro com um ungüento cor-de-rosa, instruindo-a a passá-lo nas feridas daqueles que ele entregara a seus cuidados. Ouvi um soldado de joelhos chamar minha mãe que estava de pé: “Ajoelhe-se, mulher, diante de Zoser, Rei do Alto e do Baixo Egito, e de seu companheiro sagrado Imhotep, bem-amado do deus Amon.” Depois de um instante de choque e confusão, ela caiu de joelhos.

Imhotep: Alto iniciado sacerdote e Grão Vizir do Faraó Zoser, hoje um mestre Ascenso.

Quando o rei, seus soldados e sacerdotes partiram no lombo de camelos, permanecemos de joelhos com nossas cabeças abaixadas, aguardando que nosso pai nos dissesse quando fosse seguro nos erguermos. Quando ele nos disse para nos levantarmos, imediatamente caímos no chão outra vez, pois diante de nós, sentado sozinho na beirada de nosso poço de água e oferecendo a nosso cão sedento suas mãos em forma de taça cheias de água, estava o homem chamado Imhotep, o bem-amado do deus Amon.

Imhotep chamou meu pai pelo nome suavemente, então disse: “Hacar, venha a mim e traga consigo sua filha que você chamou Naya.” Quando começamos a rastejar lentamente até ele, ele disse mais alto: “Venham a mim andando.” Pediu a meu pai que se sentasse perto dele na beirada do poço e a mim que me sentasse a seus pés. Afagou minha cabeça e disse: “Então, esta é Naya, a bem-amada de Sobek, o deus-crocodilo.” Riu e disse: “Pensei que você fosse coberta de escamas verdes.” Riu novamente quando apalpei meus braços e olhei sob minha túnica para ver se lá havia escamas verdes.

Imhotep não ordenou a meu pai, antes perguntou-lhe com voz suave se ele poderia ir para o sul com ele para fazer ferramentas de metal para cortar pedras. Ele disse a meu pai que estava planejando construir uma mastaba (tumba retangular) de pedra que um dia guardaria e protegeria o corpo de seu amigo, o rei Zoser. Sem hesitar, meu pai concordou em partir imediatamente.

Imhotep se ergueu e disse: “Não, vá dentro de seis dias para o ponto no rio ao sul onde os barcos de coletores de impostos ficam atracados. Traga seus foles e Naya. Nós, que somos amados pelos deuses, devemos partilhar nossa grande sabedoria uns com os outros.” Imhotep então disse: “Creio que me deve uma caneca de cerveja.” Corri para a casa e voltei com uma caneca cheia da melhor cerveja de minha mãe. Então observamos Imhotep partindo rumo ao sul para se reunir a Sabber, o velho sacerdote de Amon. Imhotep deu a caneca de cerveja ao velho. Continuamos a observá-los até perdê-los de vista.

Em poucos dias, as feridas de Yalput sararam, sem deixar cicatrizes. Mesmo as cicatrizes que ele adquirira em suas brincadeiras infantis de guerra desapareceram. Minha mãe colocou a taça de barro, ainda com as cabeças de flechas, numa banquetinha de madeira no canto do maior cômodo de nossa casa e orava diante dela três vezes por dia pelo resto da vida. Na manhã do sexto dia depois daquele dia de milagres, meu pai e eu abraçamos todos de nossa casa e iniciamos nossa jornada para o sul. Meu pai carregava um grande fardo nas costas contendo seus foles e pedras de fazer fogo e eu carregava uma cesta de junco com queijo, pão, cebolas e cerveja. Pouco antes de nossa partida, minha mãe disse-nos entre as lágrimas: “Se encontrarem outros deuses, digam-lhes que nós, nessa casa, sempre fizemos de tudo para servi-los.”

Cerca de uma hora e meia depois, meu pai e eu chegamos ao local onde os coletores de impostos abicavam seus barcos. Lá encontramos, balançando-se suavemente ao ritmo das ondas do rio, um belo navio pintado de vermelho e preto. Uma prancha ia do navio até um pouco antes da margem, o que tornou necessário que caminhássemos dentro da água alguns metros para embarcar no vaso. Fomos recebidos e saudados por um homem vestido de fino linho branco. Ele perguntou a meu pai se ele era Hacar e se eu era Naya, amada de Sobek, o deus-crocodilo. Meu pai respondeu que sim. Na mesma hora o homem avisou outro que estava na proa do navio: “São eles. Com as bênçãos dos deuses, navegamos rumo ao sul.” O homem na proa gritou ordens, e tripulantes com varas empurraram o grande navio para longe da praia, dentro da correnteza na direção norte da mãe de todos os rios.

Quando nos afastamos da margem, foram estendidos remos e uma vela branca com a brilhante imagem verde e negra de Sobek foi desfraldada, imediatamente se enfunando com o vento que nos levaria a novas aventuras. Éramos os únicos passageiros, e passamos aquela noite ouvindo os cânticos e canções ritmados dos remadores. Naquela noite, aconteceu algo estranho. Um grande globo de luz se ergueu da água diante de nosso barco e desapareceu a alta velocidade no céu, deixando todos que o viram estupefatos.


As Pirâmides de Gizé, hoje sem as coberturas de Ônix branco

Fui despertada pelo som da tripulação do navio descendo a prancha para fazer suas necessidades, se banhar e tomar o desjejum. Seu nobre mestre estava na popa do navio agachado sobre um pequeno braseiro, fazendo o que vocês chamam de tortilhas. Ele nos convidou para nos reunirmos a ele depois de fazermos a necessária visita à praia.

Do alto da prancha, contemplei um panorama do qual nunca me esquecerei. Na colina plana diante de nós, iluminadas pelos primeiros raios do alvorecer, estavam o que a princípio pareciam ser mais três colinas com picos agudos. Duas dessas colinas agudas eram brancas, e a maior das três era vermelha. Um remador que estava na prancha nos esperando descer, para que pudesse ir a bordo, viu o olhar de assombro em meu rosto e apontou para os objetos, proclamando com autoridade:

“Essas são as grandes rens (pirâmides) construídas há muito tempo pelos deuses.” Meu pai disse que ouvira falar dessas “montanhas dos deuses” e que ele me contara e aos outros de minha família sobre elas várias vezes. Recordei-me de que quando ele nos contou sobre essas coisas, eu imaginara que fossem muito distantes de nossa casa, num lugar onde somente os deuses tinham permissão de ir. Na época pensei: terei permissão de ver essas coisas sagradas por ser a bem-amada de Sobek?.

À medida que o Sol se erguia cada vez mais no céu, consegui perceber que a maior das rens não era totalmente vermelha, possuindo milhares de símbolos vermelhos pintados que cobriam seus lados. [Nota: esses símbolos não estavam originalmente na Grande Pirâmide, e sim antes do desaparecimento das duas Atlans (Atlântida). Fui informado que foram pintados na estrutura durante uma das chamadas Eras Douradas ocorridas antes da fundação daquele antigo reino, o de Atlântida. – W.B.]

No meio da tarde do dia seguinte, nosso navio novamente embicou. Vários outros barcos (não tão grandes como o nosso) estavam atracados, e as tripulações desses vasos descarregavam cargas que eram arrumadas por outros trabalhadores nas costas de mais de uma centena de camelos. Meu pai e eu relutantemente montamos num camelo; era a primeira vez para nós dois. Seguramos firme nos arreios e um no outro enquanto um homem caminhava na frente conduzindo o animal. Depois de entrarmos numa fila única de camelos, ouvimos o soar de tambores, e nossa caravana começou sua jornada para o oeste. Por cima do ombro, dei uma última olhada no belo navio que nos trouxera a este lugar.



Viajamos até o cair da noite e fomos convidados a nos sentarmos junto a uma das muitas fogueiras do acampamento e comer uma ceia de peixe assado com abóbora cozida e cebolas. Alguns dos homens que estavam ao pé da fogueira sabiam que meu pai era fabricante de espadas e o trataram com grande respeito. Vi seus olhos se encherem de orgulho quando anunciou, batendo no peito, que o conhecimento de metais não era sua única dádiva dos deuses, que para ele sua maior dádiva estava aqui entre o grupo na forma de sua filha Naya, amada de Sobek, o deus-crocodilo. Sua declaração foi seguida por sussurros e um número considerável de “oohs” e “aahs”.

Como tinha a palavra, por assim dizer, meu pai contou ao grupo do globo de luz que víramos se erguendo do Nilo na primeira noite de nossa jornada. Todo reagiram, como haviam feito a suas declarações anteriores, mas ficaram sentados como que aturdidos. Um homem se arriscou a dizer: “Apenas os deuses e Imhontep sabem o que era isso.” Papai então contou toda a visita de Imhotep a nossa casa e o convite que nos fizera para vir trabalhar para ele fabricando ferramentas de metal, o grupo escutou em silêncio enquanto meu pai repetia inúmeras vezes a história.

Um dos homens pediu a meu pai permissão para contar uma história sobre Imhotep que ele ouvira há pouco tempo. Seu pedido fez meu pai sentir-se muito importante, e fiquei feliz por ele. Meu pai concedeu sua permissão enquanto uma mulher colocava um fardo de peles de carneiro para nós dois nos sentarmos como convidados de honra, podendo, assim, ser vistos com mais facilidade pelos que estavam sentados mais afastados do centro do grupo.

O homem então começou sua impressionante história. “Ouvi dizer que quando Imhotep nasceu, era como qualquer outra criança, mas ainda muito jovem, os deuses vieram à Terra e o levaram embora. Muitos anos se passaram e, no terceiro ano do reinado do Rei Zoser, Imhotep voltou da morada dos deuses. Seu pai e sua mãe se lembraram dele e se rejubilaram ao vê-lo novamente. Ele lhes disse que os deuses tinham lhe concedido muito conhecimento e o haviam enviado de volta para casa com uma mensagem para o rei. Enquanto Imhotep estava com os deuses, sua pele escureceu muito, e se alguém ousasse olhar para sua nuca, veria os símbolos (tatuagens) em azul escuro que alguns pensavam dar-lhe poderes divinos.


Parte das ruínas do complexo de Saqqara, construído por IMHOTEP

Quando Imhotep compareceu diante de Zoser, o rei estava de muito mau humor, pois dentes infeccionados o afligiam, já tendo perdido vários deles, sendo quase impossível comer. Se não fosse pela aparência estranha de Imhotep, o rei certamente mandaria bater nele ou até mesmo matá-lo por ousar insistir em uma audiência real. Imhotep pediu para ser deixado a sós com o rei. Quando a corte voltou, encontrou o governante de muito bom humor seus dentes estragados não o estavam incomodando mais, e em uma semana nasceu-lhe outra dentição completa.” O narrador disse então que nada mais tinha a nos contar.

Todos sabiam que, daquela hora em diante, o rei Zoser e Imhotep quase nunca se separavam.Imhotep disse a Zoser que ele não podia fazer e não faria sua magia sob o comando do rei. A princípio, isso perturbou o rei, mas ele depois aceitou as condições de Imhotep que apequenavam seu ego de rei, conferindo-lhe os títulos de Primeiro da Casa Real e Grão-Vizir. Ao alvorecer, montamos outra vez em nossos camelos e, enquanto prosseguíamos, comemos pedaços de bolo de tâmaras. Antes do meio-dia chegamos a uma área nivelada do solo chamada naquela época o “local do trabalho divino,” hoje chamada Saqqara. Ao chegarmos, o lugar estava ocupado por cerca de 2.500 pessoas, e centenas mais chegaram diariamente por pelo menos uma semana.

Nossa caravana foi recebida por um jovem escriba de nascimento nobre cujo escravo chamava nossos nomes repetidas vezes. Quando nos identificamos, o escriba cruzou os braços sobre o peito e curvou-se como se faz diante de um sacerdote ou nobre. Retribuímos sua saudação. Fomos levados à única construção de pedra que existia na área, situada atrás de várias colunas. As ruínas de várias outras construções a circundavam, O escriba nos disse que essas estruturas haviam sido construídas no passado muito remoto pelos deuses. Disse-nos também que ali era o lar de Imhotep e nos pediu para esperar. O interior estava vazio, exceto por Sabber, o velho sacerdote de Amon, que dormia profundamente roncando alto.

Algum tempo depois, o escriba voltou com dois homens que identificou como Subto e Brugrey. Esses homens providenciariam nossa alimentação e abrigo e ajudariam meu pai com seu trabalho. O escriba deu a cada um de nós um rolo de papiro, que devíamos mostrar a qualquer um dos vários encarregados para obter sua cooperação ou auxílio. Não sabíamos ler os hieróglifos nos rolos, mas o que quer que dissessem fazia com que os que sabiam lê-los atendessem com bastante rapidez nosso pedidos.


Ao fundo a Pirâmide Escalonada em Saqqara, e o átrio de HEB-SED em primeiro plano.

Meus pai pôs nossos ajudantes a trabalhar a construção de uma casinha de tijolos de barro para nós. Bastou agitar um de nossos rolos para que os tijolos, postes e o telhado de folhas de coqueiro fossem armados em menos de uma hora no local por nós escolhido. Com esses materiais de construção chegaram mais trabalhadores. Ao cair da noite, sentamo-nos junto ao fogo aceso em nosso novo lar totalmente terminado. No dia seguinte, tapetes, cestas e utensílios de cozinha começaram a se acumular diante de nossa porta. Aproveitando o ensejo. Subto e Brugrey também mandaram construir um abrigo para eles. Logo se reuniram a eles suas mulheres e vários filhos. As mulheres de suas casas cozinhavam nossa comida e lavavam nossas roupas finas de linho, que encontráramos na soleira de nossa porta. Quando meu pai vestia suas belas roupas (o que era raro), era sinal de que não iria trabalhar naquele dia.

Meu pai achou de qualidade inferior os detalhes e a feitura de muitas das jóias usadas pelos escribas e nobres. Ele tinha certeza de que conseguiria fabricar peças bem melhores. Preenchia todo seu tempo livre desenhando e fazendo figuras de barro das quais esperava algum dia fazer moldes. Quando nossa casa ficou cheia de suas criações, ele foi forçado a colocá-las em um poço revestido de argamassa coberto por pranchas de madeira localizado atrás de nossa casa (uma antiga versão egípcia do armário embutido). Menciono esse fato porque uma de minhas esperanças é novamente visitar a Terra quando a Barreira de Freqüência desaparecer e recuperar esses tesouros, que sei ainda existirem no lugar em que meu pai naquela vida originalmente os guardou, há milhares de anos.

Passaram-se vários meses e a construção da mastaba (tumba) do rei foi afinal iniciada. Meu pai trabalhava em sua forja desde o alvorecer até tarde da noite, produzindo talhadeiras e serras. Numa tarde chuvosa, quando eu estava sentada conversando com Tunertha, mulher de Subto, sob o telhado que se estendia em frente à nossa casa, o velho Sabber, sacerdote de Amon, veio cambaleando pelo caminho. Usando gestos e palavras ininteligíveis, consegui passar seu recado — que Imhotep queria que meu pai e eu fôssemos a sua casa para uma importante reunião. Pintados no chão da casa de Imhotep estavam os projetos de um ataúde de metal capaz de comportar um corpo humano. Ele queria que meu pai fabricasse doze deles.

A seguir, pediu que eu e minhas servas tecêssemos doze barcos de papiro com tampa que comportassem os ataúdes e que pudessem ser vedados com piche para tomá-los à prova d’água. Descobrimos depois que esses barcos para ataúdes levariam Nilo abaixo doze ancestrais mumificados do rei até deuses que os aguardavam, que os levariam para um além-vida num grande globo de luz. A história dos “barcos dos mortos” de Imhotep foi transmitida de geração a geração. As pessoas de épocas posteriores colocavam seus mortos, seus doentes graves e seus filhos famintos (em tempos de fome) em barcos de junco, na esperança de que os deuses os tirassem do rio, levando-os para um lugar onde pudessem viver novamente. Está escrito que Moisés, amado do El da Terra, foi colocado no Nilo dessa forma para salvá-lo de ser morto por ordem de um rei.

Cada ataúde e barco de junco que meu pai entregava na casa de Imhotep já tinha desaparecido quando o seguinte era entregue. Embora Imhotep não pedisse mais ataúdes de metal, sua demanda de barcos de junco de vários tamanhos continuou. A área ao redor de sua casa ficou coberta de pilhas deles, um em cima do outro. Nas proas meu pai colocava figuras de metal de animais tais como o íbis, o gato, o morcego e o touro. Dentro da casa havia um número considerável de sacerdotes de Amon sempre às voltas com a mumificação desses mesmos tipos de criaturas, que eram por fim lançadas à deriva no Nilo sempre na primeira noite de lua cheia.

Nos três anos em que nos ocupamos dos projetos especiais de Imhotep, a construção da mastaba do rei ZOSER e do átrio de Heb-Sed foi concluída, e o rei corria pelo átrio realizando os rituais destinados a renovar sua força física e confirmar seu direito divino de dominar o Alto e Baixo Egito até a data do próximo jubileu de Heb-sed. Nessa mesma época, minha mãe, quatro de minhas irmãs mais novas e nosso velhíssimo cão vieram morar conosco. Minha mãe também trouxe sua taça sagrada cheia de cabeças de flechas e mais tarde tomou-se líder de um grande grupo de adoradores da taça. Nosso cão desapareceu durante vários dias e, quando o vi de novo, estava na companhia de Imhotep e do velho sacerdote Sabber. Mal se podia reconhecer o velho cão; corria de lá para cá e brincava como um filhote e nunca mais voltou para nossa casa.


Parte do átrio de Heb-Sed em Saqqara, construído por Imhotep.

O tempo se passou e a casa de meus pais ganhou mais cinco crianças. Casei-me com um vidreiro de minha idade trazido a mim certa manhã e apresentado por Imhotep. Depois de dizer que achava que deveríamos nos casar, Imhotep deixou o rapaz de pé em frente de nossa casa, descansando numa perna e depois na outra. Seu nome era Keerey e meu pai imediatamente passou a chamá-lo de Filho. Os dois mais tarde colaboraram na produção de jóias de vidro e metal.

Nos anos que se seguiram, Imhotep ampliou a mastaba do Rei Zoser até transformá-la numa pirâmide de degraus com seis níveis. Três dias depois de a última pedra de revestimento de calcário ser colocada na pirâmide, o rei morreu. Perguntei por que o rei foi enterrado na pirâmide em vez de lançado no rio como seus doze ancestrais. O velho sacerdote Sabber me disse que os deuses viriam mais tarde buscar o corpo do rei. Depois do enterro de Zoser, Imhotep e Sabber desapareceram para nunca mais serem vistos.

Tive três filhos — dois meninos e uma menina. Exceto por Yalput, toda nossa família veio do delta do rio Nilo para morar conosco. Ganhávamos a vida vendendo jóias de vidro e metal aos turistas que vinham ver a pirâmide. Acima de nossa porta havia uma placa de madeira com a imagem de um crocodilo e hieróglifos que diziam: “Neste local moram o pai e o marido de Naya, amada de Sobek, o deus-crocodilo.”

Vivi até os 68 anos e meu corpo foi mumificado. Em razão de meu status “sagrado,” meu corpo foi colocado numa câmara inferior da pirâmide do Rei Zoser, pois os que sobreviveram a mim tinham esperança de que os deuses o levassem juntamente com o corpo do rei para o céu. Os corpos de meu pai e de minha mãe também foram mumificados e enterrados entre os modelos de formas de barro de meu pai no poço atrás de sua morada.

Continua…

Mais informações sobre a destruição do planeta Maldek no Link:

http://thoth3126.com.br/category/maldek/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencio ne as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

14Share on Facebook (Opens in new window)14
4Click to share on Twitter (Opens in new window)4
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Atlântida – Um Habitante de Dois Planetas – 23 (A)

Atlântida, 

a rainha das ondas dos oceanos. 

Posted by on 31/01/2015

 

atlãntida-gravadanarocha



“O propósito desta história é relatar o que conheci pela experiência, e não me cabe expor idéias teóricas. Se levares alguns pontos pequenos deixados sem explicação para o santuário interior de tua alma, e ali neles meditares , verás que se tornarão claros para ti, como a água que mitiga a tua sede. . . “Este é o espírito com que o autor (Philos, o Tibetano) propõe que seja lido este livro. E chama de história o relato que faz de sua experiência. Que é história?. . . Ao leitor a decisão.

——————————————————————-

“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medodo futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe MEDO de MUDAR e da própria MUDANÇA.” Arcanjo Miguel

—————————————————————————-

Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Livro: “Um Habitante de Dois Planetas”, de Philos, o Tibetano, Livro Primeiro, Capítulo XXII – TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO, Parte A

Fonte: http://www.sacred-texts.com

Capítulos iniciais:
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-2/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-3/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-4/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-5/

CAPITULO XXIII – TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO, Parte A

Estados mentais de sentimento, emoção e intuição são as únicas coisas reais que existem. Jesus, embora Filho de Deus, e João e Paulo, foram Filhos da Solitude; Hegel, Berkeley, Sterling, Evans; todos os verdadeiros teosofistas e cristãos estão se tornando Filhos da Solitude (Mestres de si mesmos, da Arte do autodomínio), e entram em harmonia com aqueles inimitáveis estudantes da natureza (do feminino Sagrado) quando afirmam:


“Só o Espírito é real; o resto é ilusão”.

Se um homem se pensa doente, torna-se doente; se, por outro lado, mantém-se alegre nas mais adversas circunstâncias, não acha que o mundo está quase todo tomado pelas sombras – e isso sempre foi e é verdade. Tudo está em seu interior, pois o homem pode transformar o mundo num lugar de grande amargura para si mesmo, o mesmo mundo que é uma alegre canção para outros.

Vailx sobrevoam Caiphul

Por várias e dolorosas semanas vaguei sem rumo, com o peso da dor vergando minha alma; com uma sensação de entorpecido desespero que teria enlouquecido um temperamento menos equilibrado. Teria Lolix se sentido assim, ainda que por pouco tempo? Eu sentia que ela tinha se sentido pior, se é que tal coisa era possível e, nesse caso, que Deus tivesse piedade da bela e doce jovem que tanto sofrera por minha causa! Pensei em suicídio, fui tentado a fugir pela porta dos fundos da vida; em muitas ocasiões acariciei o fio da faca que o superintendente de minas me havia dado em Incalia – quanto tempo atrás? Quatro anos. Quatro anos?

Quatro séculos, diziam meus sentimentos e emoções. Eu ficava a tarde inteira parado ao lado do Maxin quando me via sozinho no templo. Ou eu só sonhava que o fazia? Sim, era um sonho que me vinha durante o sono torturado, pois ninguém podia entrar no Incalithlon (exceto o Incaliz) a não ser nos dias de culto ou quando haviam cerimônias especiais, ocasiões em que o templo ficava superlotado. Anzimee penetrava no meu deserto, às vezes, mas suas palavras, carícias e tentativas de me fazer sair da letargia eram inúteis. Todos os seus esforços eram como raios de luz incidindo nas águas escuras e sem lustro de certas poças às vezes encontradas na floresta.

Deixado a sós com meu remorso, pois as tentativas inúteis de meus amigos pareciam produzir mais mal do que bem e por isso eles tinham desistido, tomei meu vailx particular e, para cortar qualquer comunicação com o mundo, tirei o naim que nele havia. Sem avisar a pessoa alguma sobre minhas intenções, levantei voo durante a noite. Andei a esmo pelos domínios do ar, subindo tão alto em certas ocasiões que me parecia estar em quase total escuridão, lá de onde podia ver o Anel Neftiano e onde nem mesmo os geradores de ar e os aparelhos de aquecimento conseguiam manter o ar suficientemente denso e quente para tornar suportável minha miserável vida.

Ou então, sempre sozinho e igualmente buscando o escuro, fazia meu vailx mergulhar nas profundezas do mar onde peixes fosforescentes teriam confundido minha nave com um irmão maior, se eu tivesse me dado ao trabalho de acender as luzes. Mas minha alma estava em trevas, e de que valia iluminar o vailx se tendo olhos para ver eu não vira?

Tão aguda e amarga era a horrível angústia de minha alma que finalmente o barro de meu corpo perdeu seu poder sobre mim e eu me elevei acima do tempo e da terra, permanecendo naquele estado por um período aparentemente interminável. Nenhuma luz parecia existir na terrível escuridão, nem qualquer calor; só as trevas da morte, o frio da tumba.

Ninguém cruzando o meu caminho, nenhum som além de gemidos abafados e sem sentido. Mas afinal línguas de fogo passaram diante de meus olhos e depois se foram, deixando as trevas mais espessas do que antes. Silvos horríveis, como de serpentes gigantescas, assaltaram meus ouvidos e uma dor cruciante pareceu dissolver minha própria alma. Finalmente meus nervos não conseguiram mais reagir àquela torturante agonia e perdi toda sensação. A paralisia tomou conta de mim e exclamei: “É isto a morte?” Mas só o eco me respondeu. Os silvos tinham cessado e tudo estava silencioso.

Finalmente fui tomado de um profundo medo daquela solidão, escura e fria, mas na qual, em algum lugar, eu podia distinguir uma pequenina luz, que parecia tornar a intensa escuridão ainda mais sufocante. Gritei alto, mas só ecos responderam. Gritei e gritei, tomado do mais intenso terror. Não ouvi o menor som de resposta naquele vasto negrume, a não ser o de minha própria voz, refletida. A descoberta de que minha prisão era limitada surgiu depois que percebi que se passava um longo tempo entre meu grito e o seu retorno. Com isso senti que podia ir embora; levantei-me e saí daquele lugar como se tivesse asas, e voei mais rápido que o pensamento.

Encontrei altas escarpas nas trevas e de vez em quando vislumbrava um pico à luz mortiça de uma cratera em chamas, mas não encontrei criatura alguma. Eu estava num universo de solitude. Sozinho, ah, tão sozinho! O horrendo desespero que então me engolfou me fez gritar de dor, uma dor mais que mortal. Meus olhos estavam secos e a alma esmagada. O desespero foi tão insuportável que desejei muito perecer. Vão desejo! Foi então que lembrei que possuía um corpo terreno e que encontrá-lo, apenas vê-lo, seria um alívio. Voei como um raio até ele, para encontrá-lo frio e sem vida, a não ser por um pequenino ponto de luz magnética no plexo do coração e outro na medula oblongata.

Mas ao seu lado, ó Incal! Encontrei Lolix chorando, rogando ao nosso Deus que. . . me revivesse. Ela parecia não notar minha presença, buscava-me naquele frio corpo de barro. Eu soube então que havia sido lembrado de meu Eu (o corpo) físico por causa das súplicas da alma daquela mulher. Aquela súplica, aquela angústia, não pude mais suportar. Fui para o lado dela, toquei-a e ela me viu. Olhou longamente para mim, depois para o meu corpo. “Zailm, és tu? Meu amor, meu amor! Oh, abraça-me antes que eu caia!” Ela se jogou contra meu peito e naquele instante meu corpo desapareceu junto com todas as outras coisas, menos o arenoso deserto onde tínhamos nos encontrado. . .

Em seguida, diante de nosso olhar cheio de temeroso espanto surgiu um bebê, tão pequeno que parecia ter acabado de nascer. Contudo foi capaz de chegar até nós e podia chorar, e seu choro feriu nossos ouvidos como gritos de mortal agonia! Estava pingando sangue e seus olhos eram os de uma criança morta. Com um grito de angústia Lolix falou:

“Ó Incal, meu Deus, meu Deus! Já não sofri que chegue, para que meu bebê morto, assassinado, venha destruir minha alma! Zailm! Zailm! E nossa filhinha, a criança que matei antes de nascer, por tua causa!”

Meu coração pareceu parar e fiquei imobilizado, olhando para a criança que estendia as mãos cobertas com o sangue de seu nascimento frustrado e levantou os olhos vítreos para mim! Abaixei-me e tomei-a nos braços, abraçando-a, tentando aquecer seu pobre e gelado corpinho; e chorei, sim, finalmente derramei grandes lágrimas verdadeiras, porque eram derramadas por outrem. Com a voz embargada pela angústia eu disse:

“Lolix, teu pecado recai em minha cabeça, porque pecaste por minha causa. Que Incal tenha misericórdia de mim!”

Naquele instante uma gloriosa radiância iluminou a cena e o futuro Portador da Cruz surgiu ao nosso lado, vendo-nos abraçados, eu, Lolix e nossa criança. Aquele que eu tinha visto perto da fonte enluarada, anos antes, ali estava. Em Seu peito brilhava uma Cruz de Fogo, um fogo que ondulava com viva Luz. Ele falou:


“Vejo que clamaste pelo Mais Elevado, pedindo misericórdia. Porque mostraste piedade pela criança, também a receberás. Viestes a Mim e Eu te darei. . . descanso. Contudo, esse repouso que te dou não estará contigo até o dia em que a Grande Paz penetre em teu coração. Portanto, num dia distante, farás a triste colheita da desgraça e pagarás todo o teu débito. Quando novamente tu voltares, e ela contigo, e de novo estiverdes prontos para partir para o Navazzimin, então vós estareis para sempre livres da terra. Tendo recebido, portanto dareis. Aquele que leva outro a pecar, fez com que os passos desse outro e os seus próprios se desviem de Meu caminho. É necessário que o pecador me entregue seu coração e volte ao campo da dor, não num corpo de carne mas de espírito. Deverá encontrar suas vítimas e trabalhar com elas para que voltem do ponto em que as tenha colocado. Dessa forma, ele volta a colocar nas próprias costas o ferdo que as fez colocar ali. Então carregará o ferdo para elas até que, seguindo seus conselhos, suas almas tenham voltado para Mim. E eu tomarei esse seu fardo, essa sombra, e ela cessará, pois Eu Sou o Sol da Verdade. Pode a sombra existir à luz do Sol? Pode a sombra pousar sobre o Sol? Da mesma forma não há como pousar pecados sobre Mim nem me fezer carregar seu peso. A pequena alma levarei Comigo; tu a ofendeste e ela será uma pedra pendurada em teu pescoço, lançando-te no mar da dor terrena; entretanto escaparás, pois teu nome ainda está no Livro da Vida. Descansa agora! E tu, Minha filha, descanse também!”

Vi-me de volta ao meu corpo, incapaz de recordar o que se passara, mas muito fatigado. Adormeci. A natureza veio socorrer minha alma cansada e por vários dias tive febre que depois passou para o coma, do qual finalmente saí, fraco mas curado, embora continuasse a sonhar acordado. Sonhei que estava no Incalithlon de Caiphul. “Oh, a agonia! Oh, o terrível preço do pecado!” Mas finalmente voltei a Caiphul depois das muitas semanas em que estive perdido para meu parvo; três meses, na verdade. Voltei para o meu lar. Quando cheguei ao palácio encontrei funcionários, senhoras e atendentes da corte, de quem tinha sido amigo e como tal fora por eles tratado.

Mas agora todos me olhavam com o rosto sem expressão e não me cumprimentavam. Seria minha vida conhecida por todos? Não. Não era esse o motivo da indiferença das pessoas. Eu não estava sendo esperado, tinham me considerado morto. Durante os cem dias de minha ausência, Menax e Anzimee tinham concluído que eu morrera, que talvez tivesse me suicidado. Seria melhor para mim se essa conclusão fosse a verdadeira em sua primeira parte. Mas eu estava de volta, resolvido a ser franco e aberto em meu relacionamento com as pessoas que mais amava na terra. Eu confessaria minhas faltas e imploraria seu perdão. Mais uma vez era muito tarde!

Menax, há muito sofrendo de um mal do coração, julgando-me morto por não ter voltado para Anzimee, não tinha suportado o choque que essa crença lhe causara. Disseram-me que tinha ido para o Navazzimin (morrido) fazia poucas semanas. Temi perguntar por Anzimee e ouvir alguma terrível notícia. Em minha desgraça, vaguei pela cidade e logo me encontrei diante do grande templo. Uma pequena porta estava aberta e como não vi ninguém por ali, entrei, sem me importar com o fato de que só os Incali tinham permissão para entrar. Esperava encontrar um pouco de alívio no sagrado local.

Parecia não haver ninguém lá dentro e continuei andando até chegar ao Ponto “Vital. Ali, esquecido de mim mesmo, olhei com reverência para a Luz Perene. Depois passei para o outro lado do cubo de quartzo e ali estava Lolix, parada e fria! Meu cérebro se agitou. Fui até ela e a encontrei tal como estava quando olhara pela última vez para seu querido corpo – era de pedra, só pedra! Quantos anos tinham se passado? Uma vida inteira cabe num dia, séculos se passam em poucas semanas. Lolix, Lolix, minha acusadora!

Coloquei a mão em sua gélida forma e estremeci com o frio; curvei-me, olhei para os olhos que não podiam me ver e beijei os frios lábios que não podiam me retribuir. “Contudo ela não falou, embora ele beijasse o silencioso rosto no costumeiro lugar”. Em sua mão estava um rolo de pergaminho vermelho! Tentei removê-lo e ler o que continha, se é que ali havia alguma coisa escrita. Havia, sim, e dizia o seguinte: “Sendo esta estátua o registro de um desprezível crime, eu, Gwauxln, Rai de Poseid, proíbo sua remoção até segunda ordem. Que ela aqui permaneça, como silenciosa testemunha, diante do criminoso.”

Com um estremecimento, recoloquei o pergaminho na pétrea mão e quase desmaiei ao ouvir o ruído seco que ele fez ao raspar na pedra. Seria eu o criminoso? Não, não aquele, mas senti como se o fosse. Decidi voltar ao palácio Agacoe e pedir permissão ao Rai para retirar a estátua daquela que ele sabia que eu amara, mas não tivera a coragem de confessá-lo ao mundo. Sim, as circunstâncias a tinham tornado mais preciosa para Zailm do que a própria Anzimee.

O cubo Maxin com o livro e sobre este a chama eterna no interior do templo do Incalithlon

Quando me virei para sair dali e dirigir-me a Agacoe, espantei-me ao me ver diante do Rai Gwauxln, a me olhar pesarosamente. Espantei-me apenas, pois nada mais poderia aterrorizar-me. Antes que eu falasse, ele disse: “Sim, tens meu consentimento para removê-la”. Não me surpreendeu que ele lesse meu pensamento, embora me desse conta do fato. O que senti foi uma grande gratidão. Eu era forte e imediatamente me dispus a executar meu intento. Olhei longamente uma última vez para os olhos azuis, para o rosto dela, que quase pareceu sorrir quando dei um beijo soluçante em seus lábios.

Então levantei-a do chão de granito. O pé que aparecia sob a barra de sua saia de pedra quebrou-se no tornozelo, logo acima das tiras da elegante sandália, quando ergui o corpo esguio que tinha se tornado tão pesado. Ergui-a mais e mais alto, até o topo do cubo do Maxin, e deixei que caísse na direção da Luz Perene. “Beija-a e deixa-a; teu amor é barro.” Ao tocar a Luz-Maxin ela desapareceu instantaneamente, sem perturbar a luz mais do que a fuga das trevas quando o Sol da manhã ilumina os vales. Calma se manteve a Luz Perene, imutável como sempre. Ao virar as costas, vi o pequeno pé quebrado, onde brilhavam as safiras e diamantes que enfeitavam a sandália – um presente meu!

Consegui pegar aquele resto dela sem quebrá-lo ainda mais e, em vez de também entregá-lo ao Maxin, enrolei-o em meu manto, grato por ter aquela lembrança. Não consegui reunir coragem suficiente para perguntar por Anzimee. Temia seu possível e merecido desdém. Eu a procuraria, descobriria se ela ainda estava viva ou se morrera como Menax. Se fosse este o caso, eu usaria a primeira oportunidade- o dia seguinte me favoreceria porque seria o início de um Incalon ou dia de culto geral – e voltaria ao templo onde banharia meu ser físico na imutável chama da Luz Perene.

Anzimee não morrera, nem fora informada de minha volta. Eu a encontrei e vi a sombra da dor em seus belos olhos cinzentos que se arregalaram de espanto ao me verem. Então, com um grande soluço, ela caiu nos meus braços, perdendo a consciência. Pobre menina! Continuei abraçando-a, mantendo-a apertada contra meu coração e, enquanto beijava seus pálidos lábios, seus olhos enegrecidos por olheiras, suas faces abatidas, minhas lágrimas caíram em seu rosto como chuva, as primeiras lágrimas que meus olhos febris derramavam por força da grande agonia de minha alma.

Finalmente ela voltou a si, mas só para cair doente, e sua enfermidade durou tão longo tempo que seu espírito puro quase abandonou a casca terrena. Só depois de várias semanas ela começou a melhorar. Quando já estava melhor, tendo voltado a agir com sua habitual discrição, mas já capaz de suportar o meu relato apesar de fraca, sentei-me no Xanatithlon, no mesmo lugar onde Menax e eu tínhamos sentado havia tanto tempo. Puxei a esguia forma de Anzimee para o meu colo e, com meu braço à sua volta, contei-lhe a triste história de Lolix e da minha miserável fuga para escapar às tristes lembranças – inutilmente! Ninguém pode fugir de si mesmo. Fiz uma completa confissão e pedi o seu perdão.

Por algum tempo ela nada disse, mas seu braço rodeou meu pescoço e ficamos estreitamente abraçados. Finalmente ela falou: “Zailm, eu te perdôo, do fundo do coração! És apenas um mortal. Pecaste; não peques mais. Não me surpreende que tenhas amado aquela querida criatura.” Diante dessas palavras, peguei a lembrança de Lolix, que eu trouxera comigo apesar do peso, e entreguei-a a Anzimee sem nada dizer. “Este é o pezinho dela? Ó Lolix! Eu também te amava! Zailm, quero guardar isto em memória de minha amiga.” Respondi: “Anzimee, minha esposa, pois serás minha mulher, tu me perdoaste, como teu tio, nosso Rai, me perdoou.

Mas faltam alguns meses para que eu possa te desposar para sempre. Irei para Umaur (América do Sul), para uma parte desabitada, pois em Aixa com certeza há minerais e nos seus arenosos ermos encontrarei ouro. Não que eu precise de ouro, pois tenho milhões, tenho três milhões de teki e muitas outras riquezas; mas tudo que a terra ofereça será bom que Poseid tenha. Vou porque temo ficar em Caiphul e não conseguir sair do teu lado. Em Umaur poderei te ver, te ouvir, te amar, pois desta vez não removerei o naim, de modo que será como se eu estivesse aqui. Portanto beija-me, querida, pois após nossa carinhosa despedida partirei. Que Incal esteja contigo e Sua Paz te infunda!”

De Caiphul até a região da costa de Umaur mais próxima do local onde eu pretendia ir, eram duas mil milhas (3.618 quilômetros). A distância passou despercebida porque meus pensamentos estiveram com Anzimee até que chegássemos na parte onde os mapas de hoje colocam o grande deserto nitroso do Atacama (norte do Chile). Era um deserto já naquele tempo.

O deserto do Atacama está localizado na região norte do Chile até a fronteira com o Peru. Com cerca de 1000 km de extensão, é considerado deserto mais alto e mais árido do mundo, pois chove muito pouco na região, em consequência das correntes marítimas do Pacífico não conseguirem passar para o deserto, por causa de sua altitude.

Examinando o subsolo próximo à base dos Andes, vimos que era suficientemente rico em ouro para justificar a instalação do gerador elétrico a água, o que eu e meus homens fizemos. O gerador era um instrumento contendo várias centenas de jardas quadradas de superfície metálica em placas, arranjadas em camadas dispostas como as guelras dos peixes, sendo o conjunto protegido por uma caixa de metal bem vedada.

Uma corrente de ar entrava por um lado da caixa e tinha de atravessar cada polegada de ambos os lados das placas antes de tocar o outro lado. Como cada placa era mantida muito fria pelas forças de Navaz, o resultado era a rápida deposição de umidade da atmosfera. No caso o gerador era do tipo portátil e o fluxo de água condensada era de aproximadamente um litro por minuto, o bastante para permitir uma boa atividade de mineração, considerando-se a maneira econômica com que nossas máquinas usavam água.

Eu tinha trazido um cavalo de Poseid e, depois que as atividades de mineração foram organizadas e os homens começaram a trabalhar, mandei selar o animal e levando comigo uma maleta com localizadores de minerais – instrumentos leves operados por algo parecido com uma bateria (e portanto não pela energia do Lado-Noite) para determinar a localização de depósitos de minérios pelo princípio do eletrômetro – saí para fazer a prospecção de minerais valiosos.

Levei comigo um pequeno naim para manter a comunicação com o resto do mundo. Logo deixei o aparelho numa saliência protegida, com a intenção de pegá-lo de volta quando retornasse, pois não tinha ainda percorrido cinco milhas quando descobri que o instrumento estava inutilizado devido à perda de seu vibrador.

Não sei onde poderia ter perdido essa peça essencial mas resolvi não voltar para procurá-la. Essa perda, embora me aborrecesse, representou um alívio para minha montaria, reduzindo o peso em várias libras, o que não era pouca coisa, considerando que eu estava levando também um rifle - diferente em princípio de qualquer arma moderna atual, pois sua energia propulsiva era a eletricidade e não a pólvora – meus instrumentos de mineração, pacotes de nozes e tâmaras, uma bússola polar, o aparelho fotográfico de bolso e um pequeno gerador, além dos apetrechos de dormir e o peso de meu próprio corpo.

Percorri uma boa distância até a noite e ao entardecer do dia seguinte me encontrava a mais de cem milhas do acampamento. Quando o Sol começou a se pôr, eu estava cavalgando pelo leito de uma profunda ravina. A pouca distância dali vi o que me pareceu ser a entrada de uma pequena caverna que me serviria muito bem para passar a noite abrigado. Meu cavalo era bem treinado e ficaria por perto do lugar onde eu o deixasse, pronto para obedecer meu assobio quando eu o chamasse.

Desmontei e entrei na caverna. Parecia um longo túnel; sem inspecioná-lo, voltei até minha montaria e retirei a sela e a comida. O cavalo se alimentaria com o abundante capim que por ali crescia. Também coloquei meus instrumentos embaixo da sela e, pegando meu rifle elétrico, estava a ponto de voltar à caverna para investigá-la quando meu cavalo reclamou por água.

Como a ravina era um riacho seco, providenciei água para ele e para mim. A ravina era formada por um leito de rocha lisa como cimento, com numerosas depressões do tamanho de baldes. Ao lado de uma delas coloquei o gerador e logo a cavidade estava cheia de água fria e refrescante. deixei o sedento animal beber, e eu mesmo matei a sede tomando o precioso líquido diretamente da saída do gerador. Como me pareceu gostoso! Deixei o gerador com a água ainda correndo ao lado da depressão, sem imaginar o quanto precisaria dele muito breve, sem poder usá-lo.

Verifiquei que o piso da caverna era da mesma pedra da ravina. Eu sabia que não era do tipo de rocha que contém minérios, mas fiquei curioso e resolvi ir até o fim do túnel. Trazia no bolso uma pequena lanterna que acendi para iluminar o caminho, que foi ficando escuro com a distância. Andei cerca de meia milha pelo túnel que ia se alargando e então parei, tomado de surpresa. Em toda aquela região não tinha visto um só sinal de presença humana, recente ou antiga, até aquele momento. Diante de mim, apenas parcialmente visível, estava uma casa de que eu via parte de duas paredes de basalto. Com a surpresa deixei a lanterna cair; esta se quebrou e a luz se extinguiu, mas não estava totalmente escuro, pois um pouco da luz do dia se filtrava de algum lugar.

Fiquei por um bom tempo naquela obscura caverna, contemplando a casa arruinada. De onde tinham vindo seus construtores e em qual era já esquecida? Para onde tinham ido? Seria aquela uma construção solitária, ou haveria outras escondidas pelas areias da planície próxima? Minhas conjeturas foram variadas e curiosas, pois nos anais de Poseid, que cobriam dezenas de séculos com registros muito concisos, não havia qualquer menção a povos civilizados ou selvagens que tivessem habitado aquela “Terra de Ninguém”.

Continua na parte B…

Mais informações sobre ATLÂNTIDA em:
http://thoth3126.com.br/uma-vida-em-atlantida/
http://thoth3126.com.br/atlantida-restos-de-uma-imensa-cidade-encontrada-na-costa-de-cuba/
http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/
http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/
http://thoth3126.com.br/atlantida-triangulo-das-bermudas/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade-parte-2/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade-parte-3-final/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

14Share on Facebook (Opens in new window)14
2Click to share on Twitter (Opens in new window)2
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Pensamento do Dia, 31 de Janeiro de 2015



  Sathya Sai Baba





Se você ficar no mesmo nível do mar e olhar para ele, parecerá um vasto lençol de água. 
 
Por outro lado, se você olhar para o mesmo mar de uma elevação, ele parecerá um lago. 
 
Da mesma forma, uma vez que os rishis (sábios) estavam em um nível mais elevado no conhecimento espiritual e longe do mundo, eles podiam reconhecer este vasto mundo como uma entidade muito pequena e insignificante. 
 
Quando em um nível inferior, pensa-se que o mundo é grande, importante e diverso. 
 
A diversidade e as diferenças serão vistas mais claramente. 
 
Mas quando se evolui para um estado mais elevado, tudo vai parecer suave, pequeno e uniforme. 
 
Quando temos uma visão estreita, nosso país, nosso povo, nossas línguas parecerão tão cheios de problemas e diferenças. 
 
Se puder ir a um lugar alto e olhar para o mundo, ele aparecerá de forma unificada e todas as pessoas e línguas parecerão uma só.



Canal Youtube: Sai Love 


Este é um bom momento para explorar -- Os Anjos via Sharon

SABEDORIA DOS ANJOS 

com Sharon Taphorn

30 de Janeiro de 2015.

Tradução: Regina Drumond 

 

Há outras possibilidades e caminhos a assumir em sua jornada. Agora é um ótimo momento para explorar e mudar qualquer coisa com que não esteja feliz. Independentemente de onde você esteja atualmente, há opções disponíveis para você, que não podem ter sido consideradas ainda. Este é um bom momento para pedir a ajuda dos seus anjos, pois estamos sempre prontos para apoiá-lo e guiar o seu caminho. Não fazemos a jornada por você; nós o ajudamos a ver a grande cena, bem como a iluminar o caminho. Você é sempre amado e apoiado em tudo o que faz.

Seja honesto com você, olhe em seu coração e siga a sua verdade. Consulte alguém que possa ajudá-lo se não tiver certeza exatamente de como começar. Você é parte de um grupo surpreendente de seres, tanto físicos, quanto não físicos, cujo foco se trata inteiramente de apoiá-lo e amá-lo. Agora é o momento de usar os seus recursos que estão disponíveis a você.

Afirmação: “Eu sou sempre seguro e apoiado. Eu recebo amor, orientação e apoio constante, sempre, e em todos os sentidos. Escolho o melhor caminho para mim com sabedoria.”

E assim é.

Você é ternamente amado e apoiado, sempre
Os Anjos e Guias

Thank you, Mahalo, Merci, Gracias, Vielen Dank, Grazie,Спасибо,Obrigado,谢谢, Dank, 謝謝,Chokran,Děkuji,Kiitos

Direitos Autorais Universais©2014 por Sharon Taphorn

Todos os direitos reservados.

Por favor, compartilhe os artigos, contanto que o autor e as informações de contato sejam sempre incluídos, a mensagem esteja completa e os créditos dados a autora.

http://www. playingwiththeuniverse.com/

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br



Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

A Noite Escura da Alma - Gaia via Pepper


A Noite Escura da Alma
GAIA
Através de Pepper Lewis 

Sedona Journal of Emergence 

Tradução: Regina Drumond




Eu continuo profundamente inspirada e em reverência das muitas e diversas jornadas da vida que são compartilhadas comigo quase que diariamente. Eu sou também afortunada por ter a oportunidade de ter encontrado muitos de vocês pessoalmente enquanto viajo ao redor do mundo, apresentando as palavras e a sabedoria de Gaia em reuniões grandes e pequenas. As palavras de Gaia são muito freqüentemente cálidas e expansivas, mas elas também podem ser muito firmes e diretas, especialmente se ela percebe um obstáculo removível entre nós e a experiência além deste obstáculo. Onde existir a possibilidade de ruptura, aqueles que conhecem bem Gaia, lhes dirão: “Melhor estar alerta e pronto!”

Eu me senti impulsionada a compartilhar este artigo com vocês porque ele fala a um aspecto mais tranqüilo e íntimo de sua consciência do que estamos muito freqüentemente desejando compartilhar com outros, pelo menos publicamente.
Sim, todos nós sabemos, entretanto, pelo menos na teoria, que os nossos pensamentos criam a nossa experiência. E sabemos que pensamentos positivos são vitais para as vidas saudáveis e produtivas. Mas o que fazemos quando nos esquecemos de como fazer e ser isto?

Em quase todo seminário e em muitas das minhas sessões particulares, uma pessoa tímida e auto-consciente me levará calmamente para um lado e me confidenciará que eles sentem que se esqueceram de como ser espiritualizados. Mortificados por até emitirem as palavras em voz alta, eles se relatam como se sentem diferentes de seus amigos “espiritualizados” que parecem estar se expandindo quase que multidimensionalmente – o fórum que só recentemente recebeu sua única expressão da própria personalidade parece agora opressivo e exclusivista.

A minha própria resposta é que eu reconheço tudo muito bem o que eles foram tão corajosos ao relatar, tendo experiências similares em meu passado. As palavras de Gaia quanto ao assunto são gentis, ressoantes e inspiradoras. Elas falam a este espaço silencioso dentro de nós que se desespera e está embaraçado por se desesperar. Com isto em mente, recebam, por favor, as seguintes palavras como um ponto de referência – um que pode ou não já ser a sua experiência, mas que pelo menos lhes oferecerá a sabedoria e a compaixão de ser uma presença estimulante na vida do outro. Nós somos seres poderosos e versáteis, capazes de criar quase qualquer coisa que possamos sonhar ou conceber, mas somos também suscetíveis aos momentos frágeis, temerosos e profundos. O artigo seguinte é para um destes dias tempestuosos. Eu espero que vocês o recebam com a mesma gratidão que eu.


“Eu experienciei o que eu gosto de chamar de um momento e um ano de despertar pessoal há um ano atrás. Muitas das mudanças positivas que eu tenho feito em minha vida são diretamente atribuídas a esta experiência. Mas agora, quase um ano mais tarde, a minha vida está em um estado de confusão e desordem. Eu não estou me alimentando ou dormindo bem, me sinto emocionalmente instável e espiritualmente desequilibrada. Eu tenho tido pequenos ataques de ansiedade e surtos temporários de depressão. Na superfície nada mudou realmente, e eu não posso ajudar além de imaginar por que as coisas não estão tão boas ou melhores como elas eram. O que aconteceu? O que mudou? Recentemente alguém me falou sobre algo chamado de “a noite escura da alma”. Você poderia descrever esta condição e me dizer se é isto o que eu estou experienciando? Se for, há uma cura? Com o decorrer dos anos eu tenho visto que diferença as suas palavras têm feito a leitores inumeráveis. Eu rogo que o mesmo seja verdade para mim”.

É importante começar a se lembrar e a reconhecer que o despertar espiritual, como outros eventos convenientes (e não planejados), não são momentos momentâneos de êxtase, seguidos por existências delirantes de glória. O despertar espiritual são momentos extraordinários que transcendem o comum e então continuam a se revelar dentro e através das existências da experiência. Tais momentos, entretanto tanto quanto durem, são mudanças na consciência de um estado de consciência ao próximo. Enquanto estes sejam de importância imensurável para o crescimento de sua alma e estejam indelevelmente gravados em sua memória celular, eles são também momentos singulares, tanto quanto se referem os céus. Eles não podem se comparar à totalidade da jornada progressiva de sua alma, que é pelo menos, tão vasta quanto a medida deste universo. Somente quando todas estas experiências estiverem sensibilizadas juntas, poderá a beleza e o brilho da pérola de cada indivíduo, começar a refletir corretamente a sua totalidade. A expansão de sua consciência é orgânica e contínua. Ela não requer, e de fato transcende, todos os momentos temporários de êxtase.

Acredite nisto ou não (e contrário a opinião contemporânea), as realizações habituais da alma e sua personalidade em suas atividades diárias são mais do que adequadas. Deus não julga ou mesmo avalia quantas de suas atividades são espirituais versus mundanas, mas a humanidade sim. Tão ridículo como isto possa parecer, enquanto vocês estão procurando o seu propósito de vida, vocês o estão vivendo sob qualquer condição. Não poderia ser de outro modo, quando Tudo O Que É é sempre intencional e nunca inconsistente. Gostemos disto ou não, devemos também reconhecer que vocês são um ser humano em treinamento primeiro, e na prática, um místico, sábio ou espiritualista, em segundo. Assim, a sua experiência deve, para a maior parte, refletir esta lei. O fato que o seu ser atualmente vive em um veículo de luz mais densa, chamada de corpo humano, faz com que esta lei tenha precedente sobre as outras. O princípio da lei universal leva a enfatizar momentos como estes, porque daria uma reviravolta rapidamente de outra maneira.

Assim sendo dito, é difícil não ser agitado pelas experiências que parecem não menos do que brilhantes. Durante tais momentos, a alma se rejubila e a personalidade esquece os problemas e conflitos que estiveram tentando dominar.

Estas celebrações são lembretes de que há sempre uma realidade maior e menor que existem lado a lado e como uma. A alma não se define por estas experiências, mas elas a guiam apesar disto. Por causa do contraste, notem que a alma não vê como vasta uma diferença nestas experiências como a personalidade. Este é um reflexo da dependência da personalidade da terceira dimensão nos opostos, tais como bem e mal, luz e escuridão. A personalidade humana avalia, julga e compara os opostos a sua própria experiência, usando-as como um padrão se necessário, considerando que as experiências da alma se opõem somente como uma variação dentro de um contexto maior.

A NOITE ESCURA

A noite escura se revela como um processo intensamente humano no qual o eu, que tem até este momento pensado em si mesmo como espiritual e assim, invencível pelas abstrações de uma vida mediana, é forçado a dar um segundo ou terceiro olhar. Algumas vezes a alma (como personalidade), deve até se voltar em oposição a onde ela acreditava estar indo, a fim de recuperar as qualidades necessárias que ela negligenciou ou deixou. A sua alma está interessada em unificar o todo e não deixará por menos. Todos estão sujeitos ao desfecho que é a noite escura, e até a vida mais cuidadosa, habilidosa e culta é sem exceção. Os bem informados espiritualmente, aqueles que se sentaram aos pés do seu mestre por uma existência ou duas, parecem responder a esta lei natural com uma severidade particular, atacando outros ou impondo a ferida nos outros enquanto o drama se desencadeia inevitavelmente. Embora difícil e precária, a noite escura é uma jornada que vale experimentar, tanto quanto ao que se refere a alma. Pode-se disputar a jornada do início enquanto o caminho é amplo, mas quando ele eventualmente se estreita, somente o verdadeiro buscador suportará o que é pedido.

A verdadeira coisa que trouxe ao êxtase assim desejado pela personalidade se oferece agora de modo diverso, o presente é o mesmo, mas não é recebido como tal. O despertar espiritual é o resultado da própria escolha para se desenvolver como o Eu. Ele é mais uma oportunidade de experienciar a realidade, do que uma ilusão de se perceber como real. Imaginem uma imagem em um espelho saindo deste espelho pela primeira vez e voltando-se para se recordar no reflexo. Vocês podem ver como poderia ser profunda a experiência para o Eu, e ao mesmo tempo devastador para o pequeno eu? O eu menor, despreparado para a experiência, percebe somente a falsidade e a insignificância que ele acredita ter vivido, mais do que a maravilhosa oportunidade que é apresentada. A distância entre o eu e o Eu define a noite escura e quanto tempo ela durará. Agora ele se lança no “lugar” da alma, ou do coração purificado, vê o seu caminho através da obscuridade da sua condição humana até que seja capaz de ver na escuridão, e eventualmente atravessá-la. Neste estado, o eu sente cada limitação como finita e final, perdendo assim o seu poder de fazer ou ser qualquer coisa criativa ou original. Tão cruel quanto esta transição possa parecer, virá um momento em que a alma e a personalidade surgirão como uma, e saberão claramente, uma vez e para sempre, onde está a mão de Deus, assim como o que A move.

O AFASTAMENTO DO ESPÍRITO

Nesta nova era, quando a iluminação como avatar e a arte de receber transmissões do Espírito são todas trivialidades, a noite escura freqüentemente se manifesta na mudança desta mesma associação. Os professores espirituais mestres, como idéias objetivas de consciência evoluída, se tornaram pontos centrais de auxílio. Quando estes são afastados pelas leis superiores do Espírito, eles deixam para trás um resíduo perfumado que é todo também substituído rapidamente por uma parede impenetrável de obscuridade. O que poderia ser a substituição por tal amor íntimo e mútuo do e para o Espírito? Logo surge o pensamento de que somente o que é indigno de ser amado poderia ser assim facilmente descartado. E aí começa a angústia.

Para os sensitivos e intuitivamente organizados, esta perda espiritual é mais difícil de suportar; a ausência é mais amarga porque o processo era muito doce. Este afastamento é freqüentemente tanto pessoal quanto impessoal. Por exemplo, se o canal (Pepper Lewis) cuja caneta oferece agora as palavras de Gaia, fosse cair em uma noite escura, silenciaria muito provavelmente também a caneta. Muito mais do que imaginados caíram no desespero descrito neste lugar, apegando-se ao ego com resultados infelizes para o seu suprimento de palavras condicionadas e exortadas. Com o contato espiritual quase eliminado, o eu é deixado para se recuperar como se fosse da morte. Na privação, o eu retorna ao seu lugar de inocência e de simplicidade, algumas vezes até se lamentando em um modo pueril, sem ser mais desamparado.

Aí o eu deve começar de nova forma, pois até aqueles que acreditam que nada têm, ainda tem tudo na eternidade, e esta é a verdadeira coisa que eles devem começar a redescobrir. Deuses e professores que exaltam o eu ou a alma não são Deus o suficiente, que é porque um sentido mais verdadeiro da divindade se segue freqüentemente a estas experiências de tristeza e de privação.

EXALTANDO OS SUBORDINADOS

Aqueles que se acreditam mais inocentes e puros em seus pensamentos e ações sofrem uma noite diferente. Estes indivíduos, auto-exilados em tortura perpétua, são quase impulsionados a ver uma exibição constante de menos indivíduos merecedores recompensados por cada menor ação. Parece-lhes que eles, que são tão merecedores do amor e ventura de Deus, permaneçam em último lugar, esquecidos, caídos e ignorados. Emudecidos por tal volta nas circunstâncias, e apesar de suas auto-correções tentadas, eles começam a pensar e expressar pensamentos doentios em relação à generosidade e recursos dos outros. Dominados pela sua própria má sorte, maus presságios e infortúnios prolongados, continuam a ser a sua experiência quase que diária. Quanto melhores ações eles realizam, mais parece que eles caem na escuridão da qual eles parecem não poder sair. Neste ponto, muitos começarão a acreditar que Deus certamente favorece a escuridão e aqueles que pensam para e deles mesmos primeiro. Quando os eventos se transformam de ruins para piores, o seu conflito se torna ou para ser como os outros são e para receber como eles, ou viver no ostracismo e solitários em um mundo que não mais os recebem. No processo da noite escura, a alma se purifica através da experiência e de suas próprias imperfeições. A alma, acompanhada pela personalidade, revê cada pecado real ou imaginário.

Cada partícula e átomo são ampliados a uma enorme proporção, de modo que nenhum detalhe possa ser negligenciado. Com tal distorção, o eu não pode ajudar além de ver a sua desgraça e sua criatura. Enquanto a distância entre o eu e a alma aumenta, assim também a distância entre a luz e a escuridão, tornando os confortos da vida pouco mais do que abstrações e delírios; ambos são fardos pesadamente carregados sobre os ombros, agora frágeis e incertos.

A NOITE PERPÉTUA

Faz parte da natureza humana se lamentar sobre o inevitável, olhar para trás os erros, mais do que à frente para o desconhecido, e pensar que a boa vontade deveria ser permanente e a doença temporária. Há uma verdade maior, entretanto, que todas as coisas são temporais e temporárias. Isto sendo dito, o seu ser, isto que é a presença de sua alma, é eterno. Isto que é temporário é um aspecto do que é permanente, mas isto que é permanente não é um aspecto do que é eterno. É esta verdade (também uma lei universal), que o eu-personalidade/Eu-Alma se esquece durante a sua descida na noite escura. A permanência é revelada nisto que dura eternamente ou por um longo tempo. Isto se aplica a tudo que é imutável ou não esperado a sofrer uma mudança significativa. A permanência se relaciona a tudo o que é físico. Isto pode se aplicar a Stonehenge, assim como ao seu corpo físico. Acredita-se que Stonehenge resistiu por muitos milhares de anos, e pode-se imaginar ele resistindo por muito mais. Parece quase como se ele pudesse ser um acessório permanente, mas como foi intencionalmente criado, um dia ele será consumido quando o seu propósito não mais existir. O mesmo é verdadeiro quanto ao seu corpo físico. Ele parece sólido e permanente porque é intencional em seu ser. Um dia, quando o seu propósito maior for outro do que é hoje, vocês poderiam escolher em se entregar ou refazê-lo em outra forma. Com o tempo, a permanência e o propósito são seus.

A eternidade é uma qualidade não física. Ela é infinita e, portanto, não é afetada pela passagem do tempo. A sua alma é feita desta qualidade eterna. É o que torna a sua alma destinada a descobrira sua própria divindade. Um dos caminhos pelo qual a sua alma segue a sua jornada destinada é através da experiência da encarnação humana. O que é permanente e o que é eterno tem um relacionamento muito exclusivo. Ambos obedecem as mesmas leis: uma por sua manifestação física e a outra por seu contraste. O eu e o Eu (não o inferior e o superior), obedecem as mesmas leis, e enquanto os dois se complementam, freqüentemente é o seu contraste que desafia mais os humanos.

Este contraste pouco compreendido é um fator contribuinte na separação que é muito freqüentemente descrita no processo da noite escura. A alma, reconhecendo-se como eterna, acolhe a noite escura como uma oportunidade de rever as suas experiências mais inseguras. A alma busca intensificar a sua jornada e vê a noite escura como pouco mais do que um pré-alvorecer. A própria personalidade, acreditando que o seu propósito está associado com uma existência, teme vacilar ou até protelar. A personalidade vê a noite escura como um exame fracassado, aquele que tentou e falhou; ela aguarda somente o castigo merecido por seu pecado, que não é nada além da natureza humana.

A REINTEGRAÇÃO DA LUZ

A noite escura dura somente tanto quanto houver um pecado percebido. Se alguém puder ver em um despertar espiritual não mais do que uma progressão de momentos eternos, então uma noite escura não durará mais do que a própria noite. Um despertar espiritual é motivo para celebração, mas não é uma recompensa que é dada em um dia (ou um ano) e então levado de volta ao seguinte. Ainda assim, é apropriado se adaptar a jantar suntuosamente em uma noite e compartilhar de uma simples refeição na seguinte. O dia muda para a noite tão certamente como a noite se transforma em dia, e o mesmo poderia não ser mais verdadeiro de suas experiências.

Confusão, desordem e ansiedade reinam quando a separação é mais presente. Se vocês estão separados da respiração que vocês atraem, então vocês intensifiquem a inspiração e exalem a expiração. Se a sua consciência não estiver em seu bem-estar físico, então a insistência do seu corpo pela nutrição não ficarão satisfeitos. E se vocês temerem que lhes falta a coragem de persistir e de superar os obstáculos, o seu corpo não descansará e não se entregará à paz que o sono traz. A estabilidade emocional é o resultado da confiança que se sente pelo momento seguinte e pela experiência seguinte. A depressão é a reivindicação insistente, mas não bem sucedida do eu que sozinho está no controle. Sem a cooperação e o reconhecimento dos dois hemisférios do cérebro, o equilíbrio permanecerá em uma distância inatingível. O equilíbrio espiritual será restaurado quando as crenças rígidas se dissolverem em novas possibilidades.

A noite escura da alma é um fenômeno associado com o despertar espiritual e não deveria ser temido. Uma noite escura não segue ou precede necessariamente a um despertar espiritual, mas também é uma experiência da expansão da alma.

Entretanto tomem cuidado com aqueles que prometem um caminho que viaja distante de seu próprio centro e a este de outro. Estas experiências muito freqüentemente resultam em um diferente tipo de dor e sofrimento. Sejam pacientes enquanto se movem através destas experiências, e envolvam-se com aqueles que lhes concederão a mesma compreensão. Prossigam lenta e gentilmente, conquanto o seu caminho poderá permanecer obscuro durante este ciclo. Compadeçam-se se deverem, mas não insistam.

GAIA

através de Pepper Lewis Sedona Journal of Emergence


Tradução: Regina Drumond reginamadrumond@yahoo.com.br

Fonte: http://www.novasenergias.net/gaia/pepperlewis/mai2007.html


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Indígenas das Américas Admitem Sua Origem NÃO TERRESTRE

Indígenas das Americas admitem sua origem não terrestre

Posted by on 30/01/2015

ARCANJO ARIEL, 26 de JANEIRO de 2015

MENSAGEM DO ARCANJO ARIEL 

26 DE JANEIRO - 1º DE FEVEREIRO DE 2015

Por Gulcin Onel 

(Mavinin Sesi)







Vocês estão prosseguindo em seu caminho dia a dia todos os dias.

Às vezes algumas coisas se formam fora de vocês, e apesar de parecer que vocês simplesmente estão seguindo o que É, deixem-se ir para a verdade dentro de vocês.

Não existe outro mundo criado além daquele que vocês querem, que previamente vocês semearam as sementes no exterior, suas escolhas.

A ordem que é Divina está acompanhando perfeitamente.

Acrescentem leveza aos seus passos e também alegria e diversão.

Assim vocês serão capazes de superar tudo que vem a vocês e o que vocês percebem como problemas com facilidade e continuem em seu caminho.

Convidem as energias da natureza, as fadas, deixem que elas os envolvam com alegria.

Deixem que elas lhes ofereçam aquilo que vocês precisam para viver o êxtase do momento no meio da velocidade.

Aceitem o que lhes é oferecido com amor: uma palavra, um presente, um toque.
Vocês estão cientes de seu desenvolvimento, de como suas habilidades físicas e emocionais estão se abrindo.

Durante todo tempo observem ao seu redor, as pessoas com quem vocês estão envolvidos, os lugares em que vocês estão travados, as emoções que os param ou que os apoiam, aqueles que são luzes em seu caminho.

Soltem os laços que não lhes servem mais e avancem.

Renovem, limpem e permitam que a coragem dentro de vocês se erga.


Amor e Luz
Arcanjo Ariel



Tradução do turco para inglês:  Arzu Altınay

Tradução para o português: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

ARCANJO GABRIEL, 29 DE JANEIRO DE 2015

MENSAGEM DIÁRIA DO ARCANJO GABRIEL

Canalizado por Shelley Young

 



Muitos de vocês ainda estão confusos sobre a diferença entre amor-próprio e egoísmo.
Amor-próprio significa você se tratar com o mesmo amor, honra, cuidado e respeito com que você trata os outros.
Ver-se como sendo igualmente merecedor e permitir esse tempo e estímulo para você, sabendo que isso o permitirá ser o seu você melhor que, por sua vez, beneficiará os outros.
O egoísmo não se preocupa com ninguém mais.
O amor-próprio provém de um espaço da consciência de unidade e conexão ao ilimitado da Fonte.
O egoísmo acredita que não há o suficiente para todos e atua de uma posição de desconexão, medo e carência.
O amor-próprio é acolher o fluxo divino do universo, permitindo o amor fluir para você e através de você.
O egoísmo é muito unilateral.


Queridos, não se enganem.
Passar para o amor-próprio, passar a se ver como sendo tão vitalmente importante e merecedor como todos os outros seres no universo, é o alicerce firme sobre o qual todas as outras coisas serão construídas.
É aceitar seu valor, permitindo sua cura e que sua divindade brilhe, que é o que apoiará seu serviço maiore a expressão de vida mais gratificante.


Arcanjo Gabriel



Arcanjo Gabriel através de Shelley Young
Facebook: Trinity Esoterics
Twitter: @trinityesoteric

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

CRIADOR – SEGURAR SUA QUEDA

CRIADOR 

SEGURAR SUA QUEDA

Por Jennifer Farley

29 de janeiro de 2015







Entregue-se e permita-se ir além do medo e entrar no desconhecido da nova experiência.
 
O Universo estará e sempre tem estado aí para estabilizar seu tropeço e segurar sua queda.

Criador




Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com
 
Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Saul através de John Smallman, 28.01.2015

O poder de suas intenções amorosas é tremendo

Saul (Paulo) através de John Smallman

 Tradução: Candido Pedro Jorge



A humanidade está pronta para o momento do despertar! 

Ao ler relatos da mídia de notícias de conflitos, guerras, crime e corrupção em todo o mundo pode não parecer que seja uma avaliação válida, todavia lhes garanto que é. 

Sim, existe muita coisa acontecendo que é desamor causando sofrimento no mundo de hoje, entretanto, em sua maior parte é o resultado de uma enorme clareira e liberação das velhas energias do medo que têm mantido e apoiado a ilusão e a supressão daqueles que iriam controla-los através dele.

As energias do desamor, de medo em sua maior parte, que têm sido predominante na Terra por eras, estão se dissolvendo, na medida em que cada vez mais se voltam para o Amor em seus relacionamentos e adotam a intenção de serem amorosos em todas as situações. 

O poder de suas intenções amorosas é enorme, onde aqueles que manteriam as velhas formas através do temor e força, agora estão desesperadamente tentando elevar o nível de medo em todo o mundo, porque precisam urgentemente dessas energias, na tentativa de fortalecer os fundamentos de sua base de poder para evitar seu colapso. 

Isso eles não podem mais fazer. O Tsunami do Amor não pode ser parado. É totalmente irresistível e está varrendo as energias do medo que os mantiveram escravos dos tenebrosos.

Estão cientes da descoberta maciça de mentiras, enganos e corrupção, que governos e corporações internacionais estão envolvidos, na medida em que jornalistas investigativos e denunciantes, com determinação e coragem publicaram grandes quantidades de provas que foram ocultadas, a fim de permitir àqueles em posições de poder mundano realizar suas agendas destrutivas. 

Despertar seus temores tem sido uma das formas que usaram para justificar o seu sigilo injustificável, alegando que estavam em seus melhores interesses, que lhes permitissem fazer as coisas em segredo para mantê-los seguros. Agora se tornou claro o quanto enganaram e traíram suas confianças neles ao longo das eras.

Alguns de seus políticos, enquanto prometendo uma transparência promissora durante suas campanhas eleitorais ao longo das últimas décadas falharam totalmente no cumprimento de suas promessas. Alguns realmente tinham boas intenções, todavia, o poder e a influência selvagem da máquina política apresentaram-lhes barreiras intransponíveis nessa frente e, assim, voltaram suas atenções para outras metas. 

E, assim, as tentativas cada vez mais estridentes da mídia corporativa, sob controle governamental e empresarial, de instilar o medo do terrorismo em todo o mundo estão falhando abissalmente. A humanidade nunca mais irá se submeter ao medo.

O Amor é o poder, o campo de energia de um potencial infinito em que a criação repousa na consciência de alerta constante. Esse potencial é a ideia criativa que Deus revelou no momento da criação e está eternamente presente em toda a Realidade, disponível em todos os momentos para seus filhos desenvolverem e expandir.

O medo é a ausência de Amor, a ausência desse potencial criativo. É uma ilusão que, embora quando se acredita, leva à depressão, impotência e desesperança. 

Não se envolvam com ele, porque possuem uma escolha e, quando escolhem o medo em vez de Realidade e Amor, dão força e energia para a ilusão, justamente o que não desejam fazer. 

Não existe ninguém entre vocês que aprecie o medo, ninguém! Entretanto, quando estão com medo de que não possam evita-lo projetam-no para fora, compartilhando e estendendo-o. 

Em vez disso, recusem-no e abracem o Amor. Podem fazer isso e contam com assistência ilimitada daqueles nos reinos espirituais para garantir seus sucessos.

O medo também é um estado de espírito, um aspecto desagradável e pessoal de poder de drenagem da ilusão. O Amor é a Realidade. Abracem o Amor e, o medo se dissolverá, porque qualquer coisa que não esteja em alinhamento e harmonia Amor é irreal e não pode, portanto, resistir contra Ele e tudo que for ilusão deixa de existir. 

Um número crescente de vocês está percebendo isso todos os dias, se recusando a serem intimidados em suas submissões por mais tempo. Os dias de escuridão, medo e respeito incondicional acabaram, porque a humanidade escolheu despertar do pesadelo em que esteve descansando por eras.

Os pressupostos sobre os quais a maioria de suas leis se baseiam estão sendo profundamente questionados, sendo provado, em quase todos os casos, serem falsos. 

Uma nova era verdadeiramente amanheceu e, inicialmente, parece ser bastante inquietante. Isso não é surpreendente, uma vez que se tornaram muito condicionados a obedecerem as regras e regulamentos que, quando removidos, sentem-se, por um momento, bastante instáveis. 

Algo como experimentar uma sensação momentânea de tontura, ao se levantarem muito rapidamente, após uma soneca ou depois de sua meditação, mas que clareia rapidamente, na medida em que retornam ao estado de alerta, plenamente conscientes.

Então, vou lembrá-los mais uma vez: o Amor é... Não existe mais nada. Qualquer coisa que não esteja em alinhamento com o Amor é absolutamente irreal e apenas aparentemente real. Quando fecham seus corações, permitem que ilusões preencham esse espaço vazio, do qual escolheram excluir o Amor. 

Abram seus corações, chamem o Amor para abraçá-los e fluir através deles por toda a vida senciente,  experimentando a paz e contentamento que esse estado aberto revela.

O Amor é eterno e infinitamente pacífico. Quando vivem no Amor, o estado natural, não existe medo, ansiedade, conflitos, nem competitividade prejudicial, apenas a cooperação gloriosa e harmoniosa. 

Preocupações e problemas se dissolvem, porque não há lugar para eles,  na medida em que estão completamente cheios de Amor,  nada mais é procurado ou necessário. 

Necessidades, em todos os sentidos, são tipos, são ferramentas de medo, que agora estão sendo quebradas irreparavelmente. Em seu lugar, encontra-se a abundância, esperando por suas aceitações, para que possa, por suas permissões, dissipar as necessidades de toda a humanidade.

Tudo está em seu lugar para o despertar e a libertação da ilusão. Quando tomarem aquele tempo diário, sozinhos, em meditação, oração ou contemplação, certifiquem-se de se lembrar de que nunca estarão sozinhos, que estarão sempre na companhia de seus guias e mentores espirituais que vigiam constantemente, oferecendo-lhes o Amor que tantas vezes procuraram fora de si mesmos, com uma notável falta de sucesso. 

O amor é a natureza de vocês, nunca estão ou estiveram separados dela, apenas temporariamente inconscientes. Abram suas consciências e permitam que o Amor os abrace calorosamente e com entusiasmo, assim como Ele deseja.

Com muito amor, Saul.


Canal: John Smallman 

Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

A PRECE SILENCIOSA SOBREVIVE -- Tobias via Geoffrey

 Tobias

Através de Geoffrey Hoppe

Tradução: Léa Amaral

 
Geoffrey Hoppe, canalizador de Adamus (Saint Germain) e Tobias


Linda e eu temosestado no modo de hibernação nas últimas semanas. Nós gostamos da temporadatranquila de festas, das luzes e das decorações de Natal e da tempestade quepassou através do Colorado no outro dia, cobrindo tudo com um manto de puraneve branca de Natal.

Nesta época de inverno profundo, eu tive a oportunidade de refletir sobre as atividades e mudanças de 2014.

No outro dia, de repente eu pensei sobre A Prece Silenciosa, originalmente canalizada por Tobias, por volta de 2002. Eu sorri quando me recordei de como A Prece Silenciosa veio a ser. Eu estava tentando sair correndo pela porta para um compromisso, quando de repente Tobias surgiu. Eu tentei esconder a minha ligeira irritação, quando ele disse que queria que eu escrevesse algo para ele, mas eu cedi e me sentei à minha mesa com papel e caneta, pronto para tomar o ditado.

Uma vez que as palavras de Tobias começaram a chegar, eu rapidamente me esqueci do meu compromisso e eu me perdi na beleza da Prece. Li A Prece Silenciosa no Shoud seguinte e ela rapidamente se tornou viral quando as pessoas a transcreviam e a traduziam. Desde então ela tem aparecido em todo o mundo, incluindo muitos sites da Nova Era, indígenos, cristãos e alternativos, inúmeros livros e blogs, YouTube, Facebook..., a lista continua.  Falando extraoficialmente, eu acho que é a mensagem do Círculo Carmesim mais amplamente distribuída, de qualquer coisa canalizada por Tobias ou Adamus ao longo dos anos. Ela tem uma simplicidade e clareza que vai além das barreiras religiosas e espirituais.

Eu não tinha pensado na Prece Silenciosa há muito tempo, mas no outro dia, de repente, ela me veio à memória. É, literalmente, pousou em meus pensamentos enquanto eu estava no meu trator, limpando 40 centímetros de neve da entrada da minha garagem, em uma temperatura de subcongelamento. "De onde ISSO surgiu?" Pensei comigo mesmo. Um momento eu estava focado no trator e na neve, e no momento seguinte eu estava totalmente cercado na essência da Prece Silenciosa. Hummm.

Mais tarde naquela noite eu peguei A Prece Silenciosa no site do Círculo Carmesim. Fazia anos que eu não a lia. Agora, sentado aqui neste momento tranquilo do final do ano, na mágica da temporada das festas, com um copo de vinho na mão e um fogo na lareira, eu li lentamente A Prece Silenciosa. Então eu a li de novo e de novo. Eu percebi que, por mais longe que o Círculo Carmesim chegou nos últimos 15 anos, A Prece Silenciosa é um clássico atemporal. Ela estava ainda mais significativa do que foi em 2002.

Eu senti o amor e compaixão de Tobias quando eu li suas belas palavras. (Poucos dias depois, tive um encontro com Tobias, apenas o meu segundo contato com ele, desde que ele partiu em 2009. Mas esta é outra discussão). A Prece Silenciosa é sobre Permitir, um dos temas prioritários de Adamus, com os Shaumbra, este ano. É sobre ser Atemporal, outro dos temas quentes do Adamus. A Prece Silenciosa trata-se de Kasama, descrito por Adamus como "o destino da alma; realização atemporal da alma que o futuro, incluindo a sua iluminação, já está aqui". Surpreendente..., é exatamente sobre isso que se trata A Prece Silenciosa. E já aqui! Somos seres eternos que vivem na ilusão do tempo linear e da realidade física. Acreditamos que temos que trabalhar duro para conseguir as coisas na nossa vida, incluindo a iluminação espiritual. Acreditamos que temos de "fazer acontecer" em vez de compreender que todos os potenciais já existem e só precisamos "permitir" o que queremos experimentar em nossas vidas. Acreditamos que partes de nossas vidas são vazias ou, pelo menos, menos do que cheia, quando, na realidade, tudo já está aí. Só precisa ser "permitido".

Ao ler esta Prece Silenciosa novamente fiquei chocado ao perceber quão apropriada ela é, agora mais do que nunca, e como eu tinha uma compreensão muito mais profunda agora, mais do que 12 anos atrás. Não foi à toa que A Prece Silenciosa, de repente pousou em meus pensamentos no outro dia. Ou melhor dizendo: A Prece Silenciosa esteve sempre lá, à espera de ser permitida em seus significados mais profundos. Estou honrado de compartilhá-la com vocês de novo, à medida que avançamos para o Ano Novo e para a realização de nossa iluminação:


Em meu coração, eu aceito meu Ser Perfeito. Eu aceito que a alegria que eu quis já está na minha vida. Eu aceito que o amor pelo qual eu rezei já está dentro de mim. Eu aceito que a paz que pedi para já faz parte da minha realidade. Eu aceito que a abundância que procurei já preenche minha vida.

Em minha verdade, eu aceito meu Ser Perfeito. Eu assumo responsabilidade pelas minhas próprias criações, E todas as coisas que estão dentro da minha vida. Eu reconheço o poder do Espírito que está dentro de mim, E sei que todas as coisas são como deveriam ser.

Em minha sabedoria, eu aceito meu Ser Perfeito. Minhas lições foram cuidadosamente escolhidas por mim mesmo, E agora eu caminho por elas na experiência completa. Meu caminho me leva em uma jornada sagrada com propósito divino. Minhas experiências se tornam parte de Tudo O Que É.

Em meu conhecimento, eu aceito meu Ser Perfeito. Neste momento, eu me sento em minha cadeira de ouro E sei que Sou um anjo de luz. Eu olho sobre a bandeja dourada - o dom do Espírito - E sei que todos os meus desejos já foram realizados.

Em meu amor por mim mesmo, eu aceito meu Ser Perfeito. Eu não faço julgamentos ou coloco fardos sobre mim mesmo. Eu aceito que tudo em meu passado foi dado com amor. Eu aceito que tudo neste momento vem do amor. Eu aceito que tudo no meu futuro resultará em maior amor.

Em meu Ser, eu aceito minha perfeição.

E assim é. 



Canal / Autor: Geoffrey Hoppe 
Tradução: Léa Amaral - lea_mga2007@yahoo.com.br

Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária

Pág. 1/18