Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

O Retorno de Inanna: X – O mundo das aparencias ~ V.S. Ferguson

Parte II 

 Capítulo X do livro 

“O Retorno de Inanna (Nibiru). 

Os deuses ancestrais e a evolução do planeta Terra“, 

de V.S. Ferguson




“Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento?” – Provérbios 1:22

O Retorno de Inanna: “Eu, Inanna, retorno para contar como faz cerca de 500 mil anos, a minha família de Nibiru tomou posse da Terra e alterou o genoma humano com o fim de produzir uma raça de trabalhadores criada para extrair ouro destinado à esgotada atmosfera de Nibiru, nosso planeta e lar original.

Como somos tecnologicamente muito superiores, esta raça de trabalhadores — a espécie humana — nos adorava como a deuses. Aproveitamo-nos deles (de voces) para liberar guerras em meio de nossas disputas familiares intermináveis até que, de um modo estúpido, desatamos sobre a Terra a terrível arma Gandiva (artefatos nucleares), que enviou uma onda de radiação destrutiva por toda a galáxia”.

Edição e imagens: Thoth3126@protonmail.com

Parte II – Capítulo X do livro “O Retorno de Inanna (Nibiru). Os deuses ancestrais e a evolução do planeta Terra“, de V.S. Ferguson

“Isto chamou a atenção dos membros da Federação Intergaláctica. E então, por causa de nossas próprias ações irresponsáveis em seu planeta, vimo-nos restringidos pela BARREIRA DE FREQUÊNCIA, imposta pela FEDERAÇÃO, uma prisão de freqüência que congelou a nossa evolução”.

Retornem comigo à antiga Suméria, a Babilônia, ao vale do rio Indus e ao Egito. Dentro de meus Templos do Amor, dou a conhecer segredos antigos da união sexual cósmica nibiruana e de meus matrimônios sagrados. Através de meus olhos contemplem a Torre de Babel, o Grande Dilúvio, os Túneis das Serpentes e os cristais em espiral na pirâmide de Gizé.



Viajem comigo pelo tempo até a Atlântida, a Cachemira e o Pacífico Noroeste dos Estados Unidos à medida que encarno em meu Eu multidimensional para pôr a funcionar os códigos genéticos que estão latentes dentro de sua espécie e para libertar a Terra do controle por freqüências que exerce meu primo, o tirano deus Marduk (Baal, LÚCIFER, Bel)“.

Partes iniciais:
http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru-inanna-fala/
http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru/
http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-ninhursag-03/

SEGUNDA PARTE: Capítulo X – O MUNDO DAS APARÊNCIAS

Melinar introduziu sua consciência no grupo de seres que estava reunido no ovoide de Inanna: Atilar, Chandhroma, Olnwynn, Graciela, Merwin e, é obvio, Inanna. Quando Melinar começou a falar, as formas geométricas chamativas, ou seja, os brilhantes, começaram a trocar rapidamente.


“Nenhum aspecto do Primeiro Criador está realmente separado do resto. A porta de saída do mundo das aparências pode assumir qualquer forma. Cada expressão de vida leva consigo o potencial da liberdade e cada um de vocês se vestiu das cores e temperamentos que estavam disponíveis no tempo em que viveram. Devido ao poder dos cinco sentidos no mundo ilusório, perderam-se em meio da dualidade destas expressões e se deixaram levar pelas polaridades contínuas inevitáveis. Mas, como vêem, essas realidades se desvaneceram, mas permanecem como dados armazenados. Existem por separado mas, não obstante, estão conectados eternamente a todos. Nada morre; nada se perde. Em uma dimensão de realidade, nenhum de nós jamais abandonou a mente do Primeiro Criador”.

Graciela estava sentada no bosque de cedros em sua cabana nos Montes Olympus, com seus formosos cães e pensava quão tristes tinham sido quase todas suas vidas. Toda essa luta por aprender e chegar a ser algo, para logo deixar-se levar por algum impulso EMOCIONAL insensato e estúpido. Para que era tudo isso? Se só pudesse retornar e curar aos outros.

Se o pai de Merwin tivesse sido amável, se Chandhroma apenas tivesse ouvido a Inanna para não beber o veneno, se Atilar tivesse deixado de contemplar os olhos da jovem sacerdotisa ou controlasse seus instintos, se Olnwynn não tivesse sido tão dependente do vinho. Se só… ! Essa era a história atual da espécie humana. O egoísmo, as guerras e a destruição se viam o suficientemente sinistras nos livros de história, mas quando voce as vive na própria carne a dor é íntima e penetrante e muito educativa.



Graciela começava a ajustar-se a toda essa descarga de informação. As histórias de seus outros eus lhe fascinavam e a deixavam exausta. Deu-se conta de que suas experiências de morte não foram fáceis; talvez a morte não seja para ser fácil. Possivelmente é a única maneira de nos convencer de que podemos sair de nosso corpo. De algum modo ela começava a desapegar-se um pouco de todos os dados, das dez mil coisas e começava a ver todas as vistas como partes de uma adivinhação que se movia em ciclos.

Havia vários padrões que se repetiam. Ela se sentia como se fosse um detetive particular a ponto de resolver um grande mistério. Mas resolveria alguma vez o mistério? Tinham-no criado para que alguma vez fosse resolvido? Graciela se deitou sobre o terreno duro do bosque e respirou profundamente. O aroma do cedro encheu seu ser e fechou seus olhos.

Donzela do Céu e Pluma de Fogo

A Donzela do Céu jazia sobre o piso de seu tipi. O curandeiro a tinha posto no chão com o fim de “amarrar a dor”. Ela sabia que isso era uma tolice; sabia que morreria. O que sabiam os homens quanto a dar a luz? Seu bebê deu a volta em seu ventre e se obstruiu. À medida que perdia mais sangue a dor se fazia mais intensa. Onde estava Pequena Nuvem, sua amiga e parteira?

Desejava Pequena Nuvem tanto a Pluma de Fogo para deixar que sua amiga, a Donzela do Céu, morresse no parto? Ela pensou em seu marido Pluma de Fogo. Sempre se tinham amado; tinham estado juntos toda a vida; desde meninos tinham sido inseparáveis. E, é obvio, Pequena Nuvem os tinha seguido a todas as partes. A Donzela do Céu compreendia como sua amiga amava a seu marido, mas nunca se alterou porque nunca duvidou do amor que lhe professava Pluma de Fogo. Ele pertencia à Donzela do Céu e a ninguém mais.



Muito antes de que o homem branco chegasse a suas terras, os membros da tribo de Donzela do Céu viviam pacificamente em suas formosas colinas. Respeitavam a Terra e a todos os espíritos. Trabalhavam para obter a harmonia com o vento e as estrelas e sabiam como chegar a ser um com todos os espíritos animais. Quando era uma menina a iniciaram no conhecimento dos céus noturnos. Ela passava muitas horas em silêncio sob as estrelas e trazia as essências do céu para a tribo e suas terras. A sabedoria de Donzela do Céu era venerada.

Os membros da sua tribo acreditavam que eles tinham vindo das estrelas e que algum dia para elas retornariam. Sabia-se que o grupo de sete (as Plêiades) estrelas às que chamavam As Irmãs era seu lugar de origem. Durante as noites escuras, ela olhava a esse grupo e lhe falava com uma Dama Azul que freqüentemente lhe aparecia. Esta dama lhe dava conhecimentos e sabedoria. Animava-a a que se respeitasse a si mesmo. A Donzela do Céu chegou a amar a esta Dama Azul e a acreditar que algum dia a tribo retornaria para casa, de volta às estrelas.

Pluma de Fogo era um jovem bonito e forte que adorava a Donzela do Céu. Tinham passado muitas horas juntos caminhando pelo bosque ou montando a cavalo pelas colinas e planícies com o vento em suas almas. A vida era muito agradável quando estavam juntos. De sua união já havia um menino. Por que estava causando tantas dificuldades este segundo parto? A dor voltou muito aguda e tinha perdido muito sangue. A Donzela lutava contra as ataduras de couro enquanto o suor corria por seu rosto. Se pudesse escapar.

Olhou uma abertura que havia na parte superior de seu tipi e pôde ver um pedacinho de céu azul. Por que a tinham deixado sozinha? Uma aguda dor partiu seu corpo e não sentiu mais nada. Elevou-se por cima de seu corpo e, quando olhou para baixo, viu sangue por toda parte. Pequena Nuvem entrou no tipi, gritou e achou a sua amiga morta. Tirou o bebê do corpo de Donzela que ainda estava quente, cortou o cordão umbilical e lhe deu uma palmada no traseiro. Uma garotinha começou a chorar. Estava coberta de sangue, mas estava viva.



Pluma de Fogo e outros entraram. A Donzela do Céu sentiu a dor e o impacto de seu marido ao ver seu corpo inerte. Ela sabia que ele não ia chorar; ele não podia, não era seu costume. Mas algo dentro dele se quebrou e ele nunca mais voltou a ser o mesmo. Porque para aqueles que estão destinados a estarem juntos, quando o companheirismo termina, toda a vida termina. Pluma de Fogo não quis cuidar do bebê.

Pequena Nuvem não sabia que seu ciúmes tinham evitado que se apresentasse com mais prontidão ao parto. Por que não retornou a tempo como o tinha prometido? Começou a limpar o sangue do corpo da menina. Ela sabia que Pluma de Fogo nunca seria para ela; ele já pertencia aos mortos viventes, já não servia a ninguém. Decidiu encarregar-se do bebê e criá-lo. Pelo menos podia dizer que tinha sua filha. O bebê pôde ver com facilidade o corpo etéreo de Donzela do Céu, embora ninguém mais o visse. “Mami, por que vais embora?”

Os pensamentos de mãe e filha eram como um. Ainda flutuando por cima, a Donzela lhe falou com sua menina: “Garotinha, meu amor, voce deve ser valente. Sabe que te amo. Consola a seu pai se puder e fica com Pequena Nuvem. Ela jurou te cuidar e você será a única coisa que ela terá dele. Sinto não poder estar contigo para te ensinar os caminhos do céu. Adeus, minha filhinha, meu amor sempre está contigo”. Anos depois, uma menina índia esfarrapada e magra seguia o passo de seu pai. O homem, já avançado em anos e entorpecido de pena, não lhe prestava atenção. A menina se vestiu com roupa de moço com a esperança de agradar a seu pai, mas ele não se dava conta. Para ele, ela nem sequer existia.



Graciela começou a chorar. Oh, Meu deus, essa pobre menina! A vida era feita de texturas infinitas de experiência. Quem se não um ser de poder infinito e ilimitado se atreveria a colocar-se em um mundo tão precário como este. Graciela pensou que nunca tinha querido ter filhos. Havia-se dito a si mesma que temia tratar a seus filhos como seus pais a tinham tratado. Mas no mais profundo de seu ser também havia um temor escondido à ação de dar a luz. Por que estava a vida da Donzela do Céu gravada nos impulsos de Graciela?

Pluma de Fogo lembrava Miguel, que foi seu noivo na escola. Conheceram-se quando ela só tinha doze anos, mas os dois imediatamente souberam que eram um para o outro. Miguel tinha pensado em casar-se com Graciela, mas à medida que passavam os anos, ela temia terminar como sua mãe e se afastou dele. Ela falava de partir, de ir para Nova Iorque ou Paris. Ele se casou com outra, uma amiga que para a Graciela era como Pequena Nuvem.

Graciela imaginou que caminhava por um labirinto sem fim no qual tropeçava com partes dela mesma e das quais nem sequer sabia que existiam. De algum modo todas as partes estavam conectadas e todas as conexões poderiam responder suas perguntas e encher o vazio que sempre tinha sentido dentro dela. Em sua mente viu as formosas formas geométricas que já lhe eram tão familiares. As cores eram vivas e as formas resplandecentes se moveram em sucessão rápida quando Melinar começou a falar.


“Todos os sistemas filosóficos e religiosos que estão disponíveis em forma escrita são reflexos da verdade em diferentes momentos que foram necessários para satisfazer as necessidades desse tempo. Não é necessário que ligue sua consciência a nenhum destes sistemas e as formas de expressão religiosa que existem ainda são úteis a muitos, mas muitas outras formas se perderam do período pré-histórico posto que não se escreveu nada sobre elas. A verdade é a verdade em qualquer momento presente de existência, sem importar a forma em que se manifeste. A forma está sujeita às necessidades e capacidade de recepção da raça de seres que exista e é estabelecida pelo nível de sua evolução. Essas formas de pensamento que construímos a nosso redor para nos proteger são freqüentemente as mesmas formas que convidam a nossa destruição. O Primeiro Criador sempre está em movimento e sempre troca”.



As formas geométricas brilhantes de Melinar se moviam mais rapidamente do que os olhos humanos de Graciela podiam captar, mas entendeu que havia uma armadilha inevitável na necessidade humana de reter a mudança. Tudo o que se coloca em pedra indevidamente se deteriora. Aquilo ao que tratamos de nos apegar, se perde. Ninguém pode deter um rio.

Graciela ficou de pé e foi deitar-se junto a seus cães. Sentiu-se cômoda em meio das grossas e escura pelagens e se imaginou que estava bem protegida nos braços de Inanna. A bela deusa azul abraçou à pequena Graciela, que ficou dormindo. Era bom estar em casa.

Saiba mais em:
  1. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-genesis-e-adao-e-eva/
  2. http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/
  3. http://thoth3126.com.br/cidades-annunaki-encontradas-na-africa/
  4. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  5. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-i/
  6. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-ii/
  7. http://thoth3126.com.br/cientistas-encontram-genes-extraterrestre-em-dna-humano/
  8. http://thoth3126.com.br/emmanuel-origens-da-humanidade-racas-de-ets-arcanjos/
  9. http://thoth3126.com.br/naves-gigantes-se-aproximam-da-terra/
  10. http://thoth3126.com.br/maldek-e-nibiru-mais-dois-planetas-de-nosso-sistema-solar/
  11. http://thoth3126.com.br/baalbek-antiga-plataforma-de-pouso-para-espaconaves-extraterrestres/
  12. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  13. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru-inanna-fala/
  14. http://thoth3126.com.br/o-retorno-de-inanna-nibiru/
  15. http://thoth3126.com.br/insider-da-dhs-fala-de-crise-de-magnitude-sem-precedentes-sendo-preparada-nos-eua/


Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione autor e fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

Share on Facebook (Opens in new window)
Click to share on Twitter (Opens in new window)
Click to share on Google+ (Opens in new window)
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 08/09/2015 


Agradecimentos a http://wp.me/p2Fgqo-99o



Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.
Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA