Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Desenvolva a sua acuidade mental -- Sharon Taphorn

SABEDORIA DOS ANJOS 

com Sharon Taphorn

29 de Dezembro de 2014.

Tradução: Regina Drumond

À medida que você expande a sua consciência e começa a observar os seus pensamentos e como eles são poderosos, você, então, torna-se mais consciente daqueles que escolhe reter e mantém como a sua história. Eles são a própria energia que você projeta ao mundo e é o momento de se tornar mais consciente da assinatura de sua própria energia, de modo que possa começar a usar este conhecimento para criar uma maneira melhor para si mesmo.
Aproveite o tempo para meditar enquanto olha para uma vela violeta acesa, ou para um círculo violeta por 10 minutos e se concentre em liberar todos os pensamentos e sentimentos indesejáveis que  você estiver mantendo e quando senti-los deixando o seu corpo e sendo transformados pela chama, diga:
“Divino Espírito em mim, ajude-me a me concentrar em manter o meu estado de espírito saudável, positivo e otimista, ganhando clareza, paz e gratidão.”
Agora, foque a sua atenção na criação de um estado positivo de viver, de ser e de fazer. Diga afirmações positivas que o ajudem a se manter focado na tarefa e continue praticando, até que você alcance este estado ou atividade desejada e, em seguida, estabeleça o seu estado mais elevado e continue a ser bem sucedido.
E assim é.
Você é ternamente amado e apoiado, sempre

Os Anjos e Guias

Thank you, Mahalo, Merci, Gracias, Vielen Dank, Grazie,Спасибо,Obrigado,谢谢, Dank, 謝謝,Chokran,Děkuji,Kiitos

Direitos Autorais Universais©2014 por Sharon Taphorn

Todos os direitos reservados.

Por favor, compartilhe os artigos, contanto que o autor e as informações de contato sejam sempre incluídos, a mensagem esteja completa e os créditos dados a autora.

http://www. playingwiththeuniverse.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Develop your mental acuity As you expand your awareness and begin to notice your thoughts and how powerful they are, you are then become more consciously aware of the ones you choose to keep and hold as your story. They are the very energy you project to the world and it is time to become more aware of your own energy signature so that you can begin to use that knowledge to create a better way for yourself. Take the time to meditate while staring at a lit purple candle or a purple circle for 10 minutes and focus on releasing any unwanted thoughts and feelings you are holding on to and as you feel them leaving your body and being transformed by the flame, and say:"Divine Spirit within me, help me to focus on keeping my state of mind healthy, positive and optimistic, gaining clarity, peace, and gratitude." Now focus your attention on creating a positive state of living, being, and doing. Say positive affirmations that help you keep focused and on task and keep practising until you reach that desired state or activity and then set your higher again and keep on succeeding. And so it isYou are dearly loved and supported, always, the angels and guidesThank you, Mahalo, Merci, Gracias, Vielen Dank, Grazie, Спасибо, Obrigado, 谢谢, Dank, 謝謝, Chokran,DěkujiUniversal Copyright ©2014 by Sharon Taphorn All rights reserved.Please share articles as long as copyright and contact info are always included and the message is complete and credit is given to the author.www.playingwiththeuniverse.com♥♥♥


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

MENSAGENS DE JENNIFER HOFFMAN -- 29/12/2014

É O DIA DAS MÃES E EU ESTOU VISITANDO A MINHA FILHA NA CADEIA

MENSAGEM DE JENNIFER HOFFMAN

29 de Dezembro de 2014.

Tradução: Regina Drumond


É o 5º dia de nossa Contagem Regressiva pra 2015 e estou compartilhando artigos de 2014 que sinto serem relevantes para começar o ano novo com uma lousa limpa, livres do passado e preparados para avançar com segurança, confiança e um compromisso de viver com alegria. A mensagem de hoje trata de um tema difícil – o que fazer quando pessoas que vocês amam os rejeitam e fazem algumas escolhas de vida muito difíceis.

Escolhi este artigo, embora o tema seja triste, porque é algo que tivemos que tratar neste ano e teremos que tratar também no próximo ano. À medida que nos dirigimos para caminhos de vida mais capacitadores e gratificantes, podemos nos tornar mais conscientes das escolhas dos outros e podemos nos sentir culpados porque estamos nos divertindo e aproveitando a nossa vida e eles não. Todos escolhem o seu próprio caminho de vida de acordo com as necessidades de cura de sua alma, não importa o quanto consideremos ruins as suas escolhas.

Não podemos mudar as suas escolhas ou fazê-los ver a sabedoria de outras escolhas, a menos e até que eles estejam preparados para fazê-lo. Ao lerem este artigo, reconciliem-se com qualquer culpa que tenham de serem felizes ou de viverem a sua vida de uma maneira capacitadora, o que pode significar que vocês liberam todas as ligações com pessoas que não apóiam a sua vida e o seu estilo de vida, incluindo aqueles que estão mais próximos de vocês. Quando eles estiverem preparados, eles poderão acompanhá-los em sua alegria.

E para aqueles que são adotados, ou que adotaram crianças, há um carma muito original ligado às adoções, que está conectado com poderosos contratos de alma e débito cármico que também participam desta situação.

PERGUNTAS E RESPOSTAS: 

É O DIA DAS MAES E EU ESTOU VISITANDO A MINHA FILHA NA CADEIA


Esta mensagem é de Maio de 2014, e ela trata de um questão difícil: como permitir que outros vivam com as consequências ou resultados de suas escolhas. Mesmo quando isto envolve os nossos filhos. Felicidade, riqueza, alegria, diversão, tudo pode trazer uma enorme culpa quando as pessoas que amamos estão lutando. Mas não podemos curar o carma de ninguém, nem podemos alterar as suas escolhas de vida.

Querida Jennifer: O meu Dia das Mães foi passado visitando a minha filha na cadeia. A partir do momento em que eu a adotei no nascimento, eu a amei, cuidei e atendi as suas necessidades. A partir do momento em que ela foi colocada em meus braços, quando ela tinha quatro dias, eu a considerei como a minha filha e nunca senti que assim não fosse. Mas desde que ela começou a experimentar as drogas, aos 14 anos, e experimentei outros traumas físicos e abusos, devido as suas escolhas quanto ao estilo de vida, senti que a perdi. Parece que ela escolheu um caminho muito difícil e sei que ela é muito intuitiva, pois ela começou a ver auras e entidades, aos 16 anos. Sei que deveria deixá-la de lado e que este é o seu caminho, mas o meu coração está partido. Que tipo de carma compartilhamos e como posso curá-lo e o meu coração partido? Será que eu fiz algo de errado e poderia ter impedido que estas coisas lhe acontecessem?

Resposta de Jennifer: Por mais difícil que seja vermos nossos filhos sofrendo e passando por tais experiências de vida difíceis, temos que lembrar que embora compartilhemos ciclos cármicos e contratos de alma com eles, eles também têm o seu próprio carma para trabalhar e curar.

Embora você desse a sua filha a opção de um caminho, dando-lhe amor e carinho, ela tinha outros para escolher também, e ela não escolheu o seu caminho. Isto não quer dizer que ela não o escolha mais tarde na vida, mas, por enquanto, este é o caminho que ela está escolhendo percorrer. Você estará lápara ela, assim que ela tenha decidido que já sofreu o suficiente.

Crianças escolhem os seus pais por várias razões, principalmente porque elas precisam de opções para os diferentes caminhos que a sua vida pode tomar. Você deu a sua filha o amor, cuidados, apoio e orientação, presenteando-a com isto como uma opção para a sua vida. Estas dádivas que você lhe deu irão apoiá-la no caminho muito menos amoroso que ela escolheu hoje para a sua vida. E o que você lhe deu irá sustentá-la através do trauma e da dor que ela escolheu experienciar agora em sua vida. Enquanto ela passa pelo seu carma, ela sempre pode optar por seguir um caminho mais capacitador que ela aprendeu com você, mas somente depois que ela decidir curar o seu ciclo cármico.

Há outro aspecto para a sua situação e isto tem a ver com o carma especial que ocorre nas adoções. Há muitos contratos de alma e ciclos cármicos envolvidosentre todos nestas situações, o nascimento e os pais adotivos, e a criança. Eles podem ser extremamente desafiadores e geralmente representam o cumprimento de muitas vidas de trauma.

Você fez exatamente o que precisava fazer com a sua filha, por isto não sinta que poderia ter feito as coisas de forma diferente, ou que tenha feito algo errado. Você não fez. Você cumpriu o seu contrato de alma com ela. Você habilitou-a a escolher um caminho mais positivo e amoroso, mas ela não escolheu isto para si mesma. Ela pode retornar ao amor e carinho que você lhe deu, quando ela estiver preparada. Enquanto isto, não se culpe pelas escolhas dela, pois você não tem controle sobre elas. Tenha limites muito fortes com ela, não deixe que ela a culpe pelo que ela está fazendo com a sua vida, lembrando-lhe que a ama e quando ela estiver pronta para agir de uma maneira mais amorosa e poderosa, você estará lá para apoiá-la.

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
 
 

BYE, BYE 2014. OLÁ NOVO CICLO

MENSAGEM DE JENNIFER HOFFMAN

29 de Dezembro de 2014.

Tradução: Regina Drumond


Esta é a última mensagem de 2014. Passamos juntos por um ano bastante desafiador. Sei que não sou a única a querer saber como o tempo passou tão rápido e o que tem acontecido em minha vida nos últimos nove anos. Há grandes partes de tempo, desde 2003, que eu mal me lembro e me pergunto o que estava acontecendo no éter, onde fazemos uma grande quantidade de trabalho de energia. Sei que muitos se sentiram como se estivessem em animação suspensa durante este tempo, e que parte de nossa jornada individual e coletiva chegou ao fim.

Sobrevivemos e superamos uma ampla variedade de problemas e estamos agora à beira de um novo paradigma. Para onde iremos a partir daqui? Para onde quisermos ir. Em algum momento teremos que sair do vagão de cura e começarmos a colocar em ação o que aprendemos. Este é o ingrediente que falta e que fará a diferença em 2015. Assumam um risco e ajam, ou se sentem e esperem que o Universo lhes diga o que fazer, e esperem os resultados. Já passamos por tantas coisas para chegarmos até aqui; não vale a pena sair do carro e dar uma olhada? Este é o tema da mensagem desta semana.

Gostaria também de ter um momento para lhes agradecer pela sua presença, generosidade e apoio neste ano. Estou honrada por estar compartilhando esta jornada com vocês e estou ansiosa por mais partilhas e celebrações em 2015. Desejo-lhes uma Feliz Temporada de Festas e um ano novo próspero, abençoado e abundante.

BYE, BYE 2014. OLÁ NOVO CICLO

É o final de um ano bastante difícil e uma coisa pela qual eu sou grata, é por não ter tido quaisquer problemas graves de saúde, como tive em anos anteriores. Estou feliz de ver este fim de ano, porque em muitos níveis, é uma lufada de nova energia, com certas condições. É também o final de um ciclo em que estivemos desde 2006 e em que estivemos trabalhando arduamente durante os últimos nove anos. Agora podemos passar para outras coisas e começarmos a colocar em ação o que aprendemos. O que isto significa para vocês? Tudo o que quiserem, mas, em primeiro lugar, vamos falar sobre estas condições.

Assim, grande parte dos últimos nove anos foi passada limpando, curando, recalibrando a energia, trabalhando através dos problemas e estes tipos de atividades que se tornaram hábitos. Passamos tanto tempo curando e limpando, que ficamos presos nos ciclos de cura. Sim, foi um trabalho importante e necessário, e foi o trabalho que viemos fazer, mas isto está diminuindo, enquanto nos preparamos para novas aventuras. Será que concluímos realmente? Será que nos atrevemos a considerar outras opções, somente para sermos atraídos para outra jornada de cura? Quem fará o trabalho de cura se não estivermos disponíveis? Depois de limpar vidas de karma e destino, estamos preparados para a criação e a autodeterminação e afirmarmos que dominamos esta parte de nossa jornada?

Outra condição de entrada em nosso novo ciclo está em tomar medidas. Ouço, muitas vezes, de clientes: “Estou esperando que o Universo me diga o que fazer”, e sei que eles dizem isto porque eles querem fazer a coisa certa (e não fazer algo errado), assim eles ficam esperando por permissão e instruções. Mas eles estão também negando a sua mestria e a verdade divina, e não confiando em si mesmos. Qualquer ação começa com o menor passo e a fim de experienciarmos os novos paradigmas de uma forma agradável, devemos estar dispostos a agir através de nossa própria intenção e não esperarmos que alguém, ou algo, diga-nos que não há problema algum em deixarmos os nossos ciclos de cura e avançarmos.

Uma terceira condição é o auto-serviço. Isto significa que usamos o discernimento para avaliarmos o impacto de nosso próximo movimento em nós mesmos. Uma das razões por que é tão difícil de agir é olharmos para as necessidades de todos e, então, tentarmos encaixar as nossas necessidades em torno deles. Agora temos que colocar as nossas necessidades em primeiro lugar, apoiarmo-nos e os nossos sonhos e intenções, e deixarmos que todos escolham como eles irão nos responder. A pergunta mais poderosa que podemos fazer é: “Como é que isto serve a minha intenção para a minha vida agora?”, e deixem que a resposta nos guie em nossas escolhas. O discernimento não é uma forma de julgamento, decidindo se algo é bom ou ruim. É um processo de alinhamento e de ressonância, decidindo se algo se encaixa em nossa energia e em nosso paradigma da nova terra, para a nossa vida, ou não.

Será que este poderá ser um ano fantástico, cheio de alegrias e abundante? Sim, pode, da forma que outros anos não puderam, porque tivemos que gastar todo este tempo limpando e curando, processando a energia e fazendo todo o trabalho que fizemos neste ciclo, mas concluímos isto. Haverá mais cura a fazer, no futuro, de novas formas que sejam equilibradas e integradas ao nosso novo caminho, propósito, potencial e capacitação.

Tudo em nossas vidas, a partir deste ponto em diante, tem que estar alinhado com a nossa intenção, ressoar com a nossa energia, expandir o nosso potencial, servir-nos de maneiras alegres, ser parte de nosso propósito alegre e nos capacitar.

Não é pedir muito. Estivemos trabalhando tão arduamente para chegarmos a esta fase da ascensão, que é o momento para aproveitarmos os benefícios do nosso trabalho e dar uma pausa bem merecida. Isto não significa ficarmos sentados em um sofá, à espera que o Universo nos diga o que fazer, ou nos dê permissão. Significa agirmos, estarmos alinhados com a nossa intenção, ter o auto-serviço, a alegria, expandindo as etapas de ação, sabendo que o Universo apenas diz “sim”, e apóia tudo o que fazemos. Temos agora a luz verde. É o momento de deixar a encruzilhada e definir um rumo para um futuro cheio de alegrias.

http://enlighteninglife.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br



Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

OLHAR PARA TRÁS PARA MOVER PARA FRENTE – ANO 2005

Por Suzanne Lie PhD

Em 23 de dezembro de 2014





2005

UMA MENSAGEM DE GAIA


Queridos, sou eu, Gaia, retornando para me comunicar com as “Pessoas do meu Planeta”.
Hoje estou aqui para lembrá-los de que há uma parte de vocês que está em um casulo, olhando para uma realidade que não é mais muito real para vocês.

Enquanto vocês despertam para o CHAMADO desta realidade interior, o VOCÊ que está “dentro” do seu casulo está ativando seus sentidos internos e começando a perceber a vida além dos limites da terceira dimensão.

A realidade física, o Jogo 3D, já foi a única realidade que vocês conheciam, exceto pelo mundo que vocês viviam em sua imaginação.
Entretanto, a “ideia tola” de que sua imaginação era real foi apagada da maioria de suas mentes na época em que vocês eram adolescentes.

A imaginação é “apenas para crianças”, ensinaram para vocês.
Entretanto, agora os mundos que vocês “imaginavam” quando crianças estão sendo revelados para vocês a partir da segurança de seu casulo.

Com suas percepções expandidas tudo está virando de cabeça pra baixo.
Vocês estão descobrindo que aquilo que vocês sempre acreditaram ser estável, firme e “real” é meramente uma ILUSÃO e, sim, real é a sua imaginação!

Vocês estão começando a compreender que sua “imaginação” na verdade é o pensamento multidimensional.
Eu lhes peço agora que vocês “imaginem” uma realidade em que vocês são um comigo, Gaia, a consciência do Planeta Terra.
Eu lhes peço que se lembrem de que VOCÊS são Gaia e EU SOU VOCÊS.

Com a utilização de sua imaginação maravilhosa vocês podem customizar seu planeta por escolher os elementos que vocês desejam selecionar para as ilusões em seu holograma.
Vejam-se em um enorme armazém de realidades – Depósito de Realidade – onde vocês podem subir e descer nos corredores e escolher os elementos de realidade que vocês desejam projetar em seu holograma.

Cada corredor do Depósito de Realidade na verdade é uma grade da matriz em que sua realidade é projetada.
A realidade 3D corre pelo continuum espaço/tempo e é incorporada no sistema da matriz 3D.
De sua perspectiva 3D vocês não podem ver as grades da matriz, pois elas estão uma oitava acima do holograma atual.

Portanto, a grade 3D está na quarta dimensão, a grade 4D está na quinta dimensão e a grade 5D está na sexta dimensão.
A grade 6D é uma parte “embutida” de sua consciência.
Quando vocês conseguem conscientemente se lembrar de sua consciência hexadimensional, as “rodinhas de treino” do seu suporte externo não são mais necessárias.
Seu EU hexadimensional SABE que NADA é externo.

Entretanto, quando vocês acreditam que são “apenas” tridimensionais, vocês não conseguem ver as grades ou as muitas realidades possíveis que elas contêm.
Vocês ainda estão adormecidos.
Mesmo que vocês “acordem” por um momento, vocês ainda não conseguem acreditar que VOCÊS são os criadores de sua realidade.
Vocês estão tão sobrecarregados para sobreviver que não conseguem ver a floresta pelas árvores.

Cada uma e todas as “árvores” são obstáculos, alguma coisa ou alguém que barra seu caminho.
Vocês têm que se esforçar e lutar por toda recompensa que um ambiente externo rude FINALMENTE liberará para vocês.
Felizmente, do interior de seu casulo, vocês conseguem ver que o “eu” vivendo fora do casulo é o estágio de “lagarta” de seu verdadeiro EU borboleta.

Do interior do EU, que está dentro do seu casulo, vocês se lembram de quando nós, a consciência planetária, escolhemos criar o Jogo 3D.
Nós escolhemos o programa holográfico de luta e trabalho árduo, pois acreditávamos que ele produziria uma evolução mais rápida.

Todos nós acreditávamos que a polaridade de luz e escuridão seria um bom catalisador para o nosso desenvolvimento.
Nós pensávamos que a luta entre “bem” e “mal” criaria um grande “filme de realidade virtual”.
De fato, viver com as polaridades extremas cria um bom “filme” e, normalmente, não é muito divertido estar NESSE filme.

O mais desconfortável de tudo: nós descobrimos que o mal é contagioso e que, quando ele se infiltra em nós, nós fazemos mal e coisas horríveis para os outros e também para nós.
Então, porque nós programamos “causa e efeito” em nosso programa holográfico para que pudéssemos aprender mais rapidamente, nós nos tornamos receptores desse mal posteriormente, ou em outra vida.
Até eu, o planeta, fiquei presa no ciclo de “causa e efeito” do Jogo 3D.

Vocês entendem que eu sou o reflexo dos meus habitantes, principalmente dos meus humanos.
É verdade que muitas coisas horríveis são feitas em meu corpo, Terra, e que meu corpo também causa muita dor para os meus habitantes.
Eu sou o amplificador dos pensamentos e emoções da Consciência Coletiva das minhas pessoas.
Exceto que, enquanto vocês têm pensamentos e emoções, eu tenho o clima.

E também, as ilusões do Jogo 3D fizeram as pessoas acreditarem que elas são separadas de tudo e de todos.
Esta crença permite que elas façam muitas coisas cruéis, não somente umas às outras, mas também ao planeta delas.

Florestas inteiras que levaram centenas ou até milhares de anos para crescer foram destruídas para que uma ou duas gerações pudessem ter casas e lareiras para aquecer suas casas.
Então, as emoções extremas das minhas pessoas viraram tempestades intensas.

Nas áreas onde minhas árvores foram cortadas aconteceram grandes enchentes, enquanto que moradias posicionadas em áreas que eram instáveis ou no caminho do fluxo natural da água foram destruídas.
Eventualmente as terras exuberantes viraram desertos que foram assolados pelos ventos cruéis dos pensamentos negativos das minhas pessoas.

Minhas pessoas também poluíram as águas de seu planeta, matando o que já foi uma cadeia alimentar ativa da qual todos os meus habitantes se alimentarem.
As terras foram cultivadas em excesso e envenenadas com “fertilizantes” e pesticidas, o que tornou impossível a flora e fauna naturais sobreviverem.
Então o que já havia sido solo arável fértil ficou estéril e por fim ficou destruído porque não havia o crescimento natural para captar a chuva ou parar os ventos.

Numa tentativa de me equalizar, eu tive que reajustar minhas placas, criando terremotos destrutivos para os habitantes do solo.
Enquanto isso, os pensamentos e emoções conflitantes das minhas pessoas somente podiam ser expressos pelos meus tornados e furacões.
Meus elementais pentadimensionais, água – Ondinas, fogo – Salamandras, ar – Silfos, e terra – Gnomos, se esforçaram para corrigir o equilíbrio da natureza.
Entretanto, eles também eram afetados demais pelos pensamentos e sentimentos das pessoas.

Enquanto isso, as pessoas, praticamente inconscientes do grande poder que elas tinham sobre seu ambiente, se sentiam vítimas da Terra e procuravam combater a Natureza.
Felizmente as pessoas estão despertando e se conscientizando da grande Força da Natureza que elas carregam dentro delas.

Conforme mais e mais das minhas pessoas despertam para o fato de que elas são UM com o planeta, Eu, Gaia, também estou despertando para a minha capacidade de projetar minha consciência nos corações e mentes de minhas pessoas.

Entretanto, há aqueles de vocês que sempre abriram seus corações e mentes para mim, vida após vida.
Vocês, minhas pessoas amadas, têm sido meus Sacerdotes e Sacerdotisas, meus protetores e minha voz.
Desejo agradecer a cada um de vocês pelo seu grande serviço.
Nos milênios de domínio patriarcal, o Poder Feminino de amor e criatividade muito frequentemente tem perdido para as legiões de domínio e medo.

Mas agora meu Pai/Sol aceitou o presente do Retorno do Feminino do Centro Galáctico, minha querida irmã Plêiades, e tem projetado o Poder Feminino em mim, a Terra, e também na minha Lua.

Entendam, minhas pessoas, todos nós somos UM e TODOS nós estamos em transição.
Eu agora CHAMO vocês para que emirjam de seu casulo.
Estejam onde estiverem e sejam quem são, a hora de responder ao meu CHAMADO é AGORA!


Eu fiz uma meditação em que fui instruída a adicionar a este processo a parte abaixo.
Espero que vocês, meus leitores maravilhosos, se unam a mim nesta atividade postando suas respostas.
Então, enquanto nós “Olhamos Para Trás Para Movermos Para Frente”, nós podemos fazer em conjunto.
Vou começar por postar minhas respostas.

AS CINCO PERGUNTAS:
Como quem você se via em 2005? (como nós percebemos o nosso eu é QUEM nós somos)
O que você estava fazendo? (e como esse “fazer” impactou sua percepção do eu)
Onde você morava: (onde moramos nos influencia imensamente)
Quando você esteve mais consciente do EU naquele ano?
Por que você esteve mais consciente do EU naquele AGORA?

Se vocês desejarem postar suas respostas ajudará muito a nossa Consciência de Unidade.

Postagem de Sue
***
Esta postagem me afetou profundamente.
Talvez eu esteja “quebrando as regras” um pouco.
Mas quando li esta postagem, ao invés do meu voltar a 2005, eu me encontrei como uma criança pequena.
QUEM: eu como uma criança pequena, menos de 5 anos.
O QUE: Eu estava me escondendo na minha “gruta da árvore”, que eram uma árvore com galhos que alcançavam o chão. Eu podia me esconder ali para “fazer de conta”.
ONDE: No quintal dos fundos da casa de minha avó, uma área entre a rua e o quintal dos fundos oficial.
QUANDO: Em algum tempo do início dos anos 1950
POR QUÊ: Eu estava fazendo de conta que o mundo era do modo que vejo na minha “imaginação” ao invés do modo como era na minha vida diária.

(Se você desejar quebrar as regras e colocar a visão que vem à sua mente, eu comecei agora a tendência.)




Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Kris-Won, December 14, 2014

Comandante Sohin da Nave Alfa

Através de Kris-Won

Tradução: Debora Schuch 



Amados!

O tempo está passando e muitos de vocês estão se tornando impacientes, perguntando-se por que, se for verdade, é que os tempos estão acelerando, por que nunca chega o momento do primeiro contato?

É possível que racionalmente estejam certos em fazendo-se esta pergunta; mas na realidade estão apenas mostrando que têm pouca fé no bom trabalho do Criador de todas as coisas.

Há uma razão por trás de tudo o que acontece; assim como há sempre também uma razão por trás das coisas que ainda não se refletem no plano físico.

Por que ainda não aconteceu o primeiro contato entre nós? Não há uma, mas várias causas que explicam o porquê de ainda não termos contatado abertamente com a humanidade deste planeta.

A primeira, e talvez a principal, é que não podemos proceder com uma intervenção em grande escala porque isso iria contra uma regra universal que nos proíbe interferir de forma significativa na evolução de uma raça humana.

Estamos prontos a ajudar para que aconteça a transição em direção a uma nova ordem mundial, mas deve ser apenas isso, uma ajuda, não uma intervenção total.

Nós podemos ajudá-los a entender muitas coisas; mas são vocês que devem tomar a firme decisão de se transformarem e darem um passo firme e decidido na sua evolução como raça humana.

Quando uma criança vai para a escola, os pais não respondem às perguntas das provas de seu filho; deixam que seja ele quem o faça, caso contrário, a criança nunca aprenderia realmente as lições que precisa aprender sozinha. Eles podem ajudar com a tema de casa, mas é a criança que deve passar pelas provas que o "Professor" propõe.

Seguindo o exemplo dado acima, o que aconteceria se a criança brigasse no pátio da escola com outras crianças? Iriam os pais dela até a escola para punir as outras crianças, com as quais seu filho havia discutido? Mais certamente conversariam com seu filho, explicando que ele deve resolver seus problemas sem lutar com seus colegas; e se o problema continuasse sem solução, então talvez eles iriam conversar com os pais das outras crianças, ou talvez com o auxiliar da escola ou com o professor das aulas que seu filho frequenta.

O fato de que mais e mais de vocês estejam despertando para a realidade do que acontece, que tenham tirado a venda dos olhos e que agora vêem claramente que seu mundo não está sendo dirigido por pessoas que o cuidam, motivadas por promover o bem-estar de todos os povos, mas que estes são apenas interessado em seu próprio benefício, isso faz com que a mudança comece a ocorrer lentamente, sim, mas muito mais forte e eficaz do que se acaso esta mudança proviesse de civilizações alienígenas.

Essa é outra razão pela qual nós ainda não tenhamos intervindo, e os estejamos ajudando bastante a provocar a mudança através da motivação de suas psiques, ao invés de realizar ações agressivas diretas, as quais certamente iriam contra o respeito ao seu livre-arbítrio, que é um direito seu como uma raça humana neste quadrante da Galáxia.

Nós, seus irmãos galácticos, os amamos sem medidas. Vocês não estão acostumados a amar com esta intensidade. A maioria dos seres humanos em seu planeta ama egoisticamente, sempre esperando um benefício, algo em troca de seu amor. Nós amamos pelo mesmo bem-estar de vocês, e não esperamos em troca nem ao menos seus agradecimentos.

É esse mesmo amor que nos move a acompanhá-los nesta jornada rumo à realização de seu Ser, no sentido da compreensão de quem vocês realmente são, e do profundo entendimento de o que é que vocês vieram fazer neste corpo.

Quando compreenderem as razões para tudo isso, então estarão cientes de que esta mudança deve ser feita globalmente, todos com sentimento de equipe, não pensando apenas em salvarem-se a si mesmos, por exemplo, como se estivesse ocorrendo algum tipo de catástrofe planetária.

Saibam que nós os amamos com este Amor que liberta, que remove os obstáculos, que supera as desvantagens e que fornece soluções de forma pacífica e sem abuso de poder, inteligentemente e de maniera bem organizada.

Recebam todo o Amor de minha parte e de todos os Irmãos que os acompanham neste salto evolutivo, que vocês, de forma corajosa e determinada, estão prestes a protagonizar. Nós os acompanhamos nesta aventura, saibam que não estão sozinhos.

E quando este salto for feito, porque vocês assim o quiseram, receberão de nós uma ajuda inestimável para ascender rapidamente e converterem-se em uma das raças mais avançadas da Galáxia, graciosamente chamada por vocês de Via Láctea.

Paz e Amor para vocês; Luz e Harmonia também.



Kris-Won


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

ARCANJO GABRIEL, 28 DE DEZEMBRO DE 2014

MENSAGEM DIÁRIA DO ARCANJO GABRIEL

Canalizado por Shelley Young




Muitos devocês gostam de dar conselhos aos outros, significando ajudar a partir de seus corações amorosos e sensíveis.
E se nós lhes disséssemos que vocês realmente são especialistas apenas de sua própria expressão de vida e que todos os conselhos que vocês derem passarão pelo filtro do que seria certo para vocês?

A melhor forma de assistir o outro é encorajá-lo a se conectar com seu saber interior, aceitar sua completa capacidade e habilidade de tomar decisões baseadas no que seria melhor para ele e sua própria expressão de vida.
É um lindo presente mostrar sua completa fé na habilidade do outro de alcançar e se orientar por sua própria sabedoria interior inata.

Alguns de vocês temem que se empoderarem os outros, vocês não sejam mais necessários.
Queridos, podem ter certeza de que as pessoas sempre valorizam e buscam por encorajamento muito mais do que lhes é dito para fazer.

Arcanjo Gabriel



Arcanjo Gabriel através de Shelley Young
Facebook: Trinity Esoterics
Twitter: @trinityesoteric

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

CRIADOR – DEIXE-ME MOSTRAR

DEIXE-ME MOSTRAR

Por Jennifer Farley

28 de dezembro de 2014




No ano que está chegando é pedido para você aceitar a liberação e a cura com gosto!

Não há mais tempo para evitar e ignorar as coisas que precisam ser limpas, meu amor.

Conforme você passar pelos momentos desafiadores, o êxtase de viver sua existência humana tornar-se-á mais persistente, abrangente e, no final, será tudo o que você vai sentir!

Dê ao Universo a chance de lhe mostrar exatamente como será por começar hoje!

Criador



Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

O QUE ESTÁ POR VIR NO ANO DE 2015 -- GUIAS ANGÉLICOS

O QUE ESTÁ POR VIR NO ANO DE 2015

Mensagem dos Guias Angélicos

Por Taryn Crimi

Em 28 de dezembro de 2014




Hoje gostaríamos de focalizar sua atenção no ano de 2015.

Como muitos de vocês sabem, nós particularmente não gostamos de fazer “previsões” simplesmenteporque seu futuro não está estabelecido; e sim ele está constantemente mudando baseado nas decisões que vocês tomam no momento do agora.
Entretanto, a energia de “futuro” do coletivo humano é muito mais estável do que qualquer energia de “futuro” individual.
A razão é que ela é baseada em decisões das massas, ao invés de apenas nas escolhas de um indivíduo.
Não focaremos nos eventos ou ocorrências, mas sim na energia e experiências que provavelmente se manifestarão continuamente nas vidas de cada um de vocês durante o curso deste próximo ano, o ano de 2015 de seu calendário.


Como dissemos muitas vezes neste ano, 2014 seria um ano de confiança e fé.
Muitos de vocês agora experienciaram uma infinidade de circunstâncias neste ano que testaram sua capacidade de manter sua confiança e fé no resultado desejado ao invés de se perder se o caos se desenrolasse na frente de vocês.
Manter o seu foco independentemente do que acontece ao seu redor é um passo crucial e crítico para aprender como assumir o comando de suas próprias vidas.
Enquanto cada um de vocês recupera a capacidade de se tornar mestre criador no seu reino físico, sem dúvida cada um de vocês teve experiências em que foi capaz de permanecer focalizado e exitosamente manifestou o seu resultado desejado e também teve inúmeras experiências desafiadoras que testaram sua fé e convicção em sua capacidade de fazê-lo.
Isso é para ser esperado, pois cada um de vocês está aprendendo a estabilizar seus pensamentos e liberar seus medos.


O ano de 2015 apresenta a forte energia de progresso.
Muitos de vocês descobrirão que muito do que vocês estiveram trabalhando incansavelmente na criação irá se realizar neste ano.
Isto não é dizer que todo desejo será concedido; entretanto, nós diríamos que perto do final de 2015, muitos de vocês olharão para trás deste ano e verão uma tremenda quantidade de realizações.
Como frequentemente dizemos: toda energia contém um fluxo e refluxo inato nela.
Vocês tiveram tido anos de reflexão, integração e liberação e agora estão preparados e capacitados a novamente se impulsionar para frente.
Os anos em que a energia apoia movimento e progresso podem frequentemente ser sentidos como meio caóticos para alguns que não veem o verdadeiro potencial da utilização da energia para seu benefício.
Entretanto, se vocês conseguirem permanecer focalizados e souberem que tudo está se reunindo no timing divino, vocês com toda certeza ficarão surpresos com o que vocês serão capazes de realizar neste ano.
Alguns podem achar isso assustador, mas nossa esperança é que muitos de vocês vejam as bênçãos maravilhosas que inerentemente vêm com anos assim.


A lição mais importante para ser adquirida neste ano que está chegando é permanecer focalizado no resultado final que vocês desejam manifestar, pois este ano será cheio de muitos acontecimentos.
Isto será sentido tanto em nível individual como também em nível coletivo.
Quando o seu ano de 2015 se aproximar do final, muitos de vocês olharão para trás e se perguntarão como pôde acontecer tanta coisa em um curto ano, pois cada um será impulsionado para frente muito mais do que qualquer outro ano impulsionou antes.
O que uma vez só poderia ser realizado no período de uma década inteira será realizado nesse curto ano.


Nós esperamos que vocês olhem com entusiasmo e maravilha para este ano que está chegando.
Apesar de que nós os recordamos que mantenham um quadro muito claro do que vocês desejam realizar.
Este ano pode muito bem ser sentido como um redemoinha pela maioria de vocês, mas isso não tem que significar que ele não pode ser um redemoinho maravilhoso, empolgante e emocionante.
Então nós os encorajamos a usar a energia em seu benefício para se lançar para novos espaços que vocês nunca ousaram habitar antes.


Temos a esperança de que esta mensagem tenha servido de alguma forma e que nós lhes tenhamos servido de alguma forma.


Em amor e luz
Nós somos seus Guias Angélicos


Copyright©2012-14 por Taryn Crimi. Todos os direitos reservados
Você pode compartilhar e redistribuir este material contanto que seu conteúdo seja copiado integralmente e sem alteração, seja distribuído gratuitamente e esta nota de direitos e o link sejam incluídos: http://Angelic-Guides.com

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

ARCANJO GABRIEL, 27 DE NOVEMBRO DE 2014

MENSAGEM DIÁRIA DO ARCANJO GABRIEL

Canalizado por Shelley Young




Queridos, enquanto vocês fazem um inventário de sua vida e foque vocês gostariam de mudar ao avançar, algumas dessas mudanças parecem assustadoras ou difíceis?
Nós os encorajamos a pegar qualquer coisa que ainda acreditam que esteja brecada, estagnada, difícil de mudar ou que parece que vocês estão travados nela e a reavaliem.
É uma questão realmente difícil?
É a verdade ou um sistema de crença antigo?
É seu próprio medo ou foco negativo que está travando?


Se vocês tiverem uma questão que não importa o que vocês façam, simplesmente parece não mudar, apenas entreguem-na à Fonte com a intenção clara de avançar para o melhor resultado.
Permitam que seu eu superior, seus guias, seus auxiliadores assumam a liderança e vocês encontrarão a mudança empoderada que procuram.


Arcanjo Gabriel



Arcanjo Gabriel através de Shelley Young
Facebook: Trinity Esoterics
Twitter: @trinityesoteric

Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

CRIADOR – TEMPO CALMO

TEMPO CALMO

Por Jennifer Farley

27 de dezembro de 2014



Querido: você pode estar sentindo como se alguém pressionou a tecla pausa em seu processo de crescimento recente.

Quando esses momentos ocorrem, não crie coisas para se ocupar.

A produção de caos em nome do caos não realiza nada que vale a pena.

Ao invés disso, permita-se o tempo e espaço de respiração para apreciar o platô.

No ano à frente há trabalho grande e estimulante.

Descanse, trate bem seu corpo físico, nutra seu eu espiritual e familiarize-se com a prática de profunda gratidão.

Assim que o movimento à frente recomeçar, você ficará feliz com a força que você reuniu neste tempo calmo.


Criador



Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Atlântida – Um Habitante de Dois Planetas – 17 e 18

ATLÂNTIDA, A RAINHA das ONDAS dos OCEANOS

Posted by Thoth3126 on 29/12/2014

 



atlãntida-gravadanarocha“O propósito desta história é relatar o que conheci pela experiência, e não me cabe expor idéias teóricas. Se levares alguns pontos pequenos deixados sem explicação para o santuário interior de tua alma, e ali neles meditares , verás que se tornarão claros para ti, como a água que mitiga a tua sede. . . “Este é o espírito com que o autor (Philos, o Tibetano) propõe que seja lido este livro. E chama de história o relato que faz de sua experiência. Que é história?. . . Ao leitor a decisão.

“Nunca pronuncies estas palavras: “isto eu desconheço, portanto é falso“. Devemos estudar para conhecer; conhecer para compreender; compreender para julgar“. – Aforismo de Narada.

Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Fonte: http://www.sacred-texts.com

Capítulos anteriores:
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-2/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-3/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-4/
http://thoth3126.com.br/atlantida-um-habitante-de-dois-planetas-parte-5/

Livro: “Um Habitante de Dois Planetas”, de Philos, o Tibetano – Livro Primeiro.

CAPÍTULO XVII – “RAI NI INCAL” – AS CINZAS ÀS CINZAS RETORNAM



Num esquife em frente ao Ponto Sagrado, na face oriental da Pedra- Maxin no Incalithlon, jazia o que restara da forma terrena de Ernon, o rei de Suern (hoje a Índia). No triângulo estavam reunidas umas poucas testemunhas convidadas pelo Rai Gwauxln e sobre todos se irradiava a misteriosa luz que não requeria ser alimentada nem mantida por qualquer ser humano.

Bem acima estava o teto branco de estalactites, refletindo de suas muitas pontas a radiância das luzes que não podiam ser vistas do piso. “Fecha seus olhos, seu dever foi cumprido.” Ao lado da forma imóvel estava Mainin o Incaliz, com a mão no ombro do rei falecido. Depois que o grandioso órgão fez soar um lutuoso réquiem, Mainin fez a oração fúnebre, dizendo:

“Uma vez mais, uma nobre alma conheceu a terra. Como tratou ela esse que deu a vida para servir seus filhos? Em verdade, Suerna, cometeste uma ação que vos vestirá de juta e cinzas para sempre! Ernon, meu irmão, Filho da Solitude, nós te damos adeus com grande tristeza em nossa alma; tristeza não por ti, pois estás em repouso, mas por nós que ficamos para trás. Muitos anos se passarão antes que encarnes outra vez. Quanto ao pobre barro que é teu corpo, junto a ele diremos nossas palavras finais, pois ele já fez seu trabalho e o Navazzimin o aguarda. Ernon, nosso irmão, que a paz esteja sempre contigo.”



Novamente o órgão soou com solene tristeza e, quando os atendentes ergueram o catafalco por sobre o cubo do Maxin, o Incaliz levantou os braços para o céu e disse: “Para Incal foi esta alma e para a terra este barro.” O corpo, preso por faixas finas ao esquife, foi colocado em posição vertical, tremeu um pouco e caiu no Maxin. Não subiu nenhuma chama, nenhuma fumaça e nem sequer cinzas sobraram após o instantâneo desaparecimento do corpo e do esquife que o continha. O funeral estava terminado. Quando nós, cidadãos de Caiphul, nos preparamos para partir, vimos o que nenhum homem vivente daquele tempo havia visto no Incalithlon.

Atrás de nós, no auditório, estavam grupos de pessoas vestidas de hábito cinzento, encapuzadas como os monges da igreja de Roma. Havia muitas destas pessoas, reunidas em grupos de sete ou oito entre as estalagmites que suportavam o teto. Enquanto olhávamos, foram desaparecendo lentamente, até as oitenta testemunhas de Caiphul ali presentes passarem a parecer um exíguo número naquele vasto salão onde até pouco antes houvera centenas de Incaleni, os “Filhos da Solitude”, em forma astral, reunidos para o funeral de seu irmão. Sim, os Filhos tinham realmente vindo testemunhar a impressionante cerimônia onde a parte mortal de seu companheiro morto fora devolvida à guarda dos elementos da natureza.

“Mas homem algum conhece aquele sepulcro e nenhum deles jamais o viu, pois os anjos de Deus cavaram o solo e ali puseram o homem que morrera.”

CAPITULO XVIII – A GRANDE VIAGEM

O Rai Gwauxln me convocou a ir ao palácio Agacoe antes de retomar minha viagem de férias, embora tivesse confirmado antes do funeral de Ernon que minhas ações em Suern tinham sido aprovadas por ele. Obedeci quase que imediatamente, pois estávamos todos prontos para recomeçar a viagem. Gwauxln, na presença de seus ministros de estado, nomeou-me Suzerano da terra de Suern, o que me deixou enormemente surpreso, embora eu sentisse que poderia aceitar o cargo e prestar bons serviços na condução dos assuntos daquele país; mas o fato de eu ainda não ter me formado no Xioquithlon me fez hesitar, e respondi: “Zo Rai, estou feliz por conferires tão grande honra a este teu servidor. Não obstante, meu soberano, sentindo que ainda não adquiri todo o conhecimento que desejo, pois sou ainda um simples xioqene (estudante), peço tua permissão para recusar.”

O Rai Gwauxln sorriu e disse. “Pois bem. O governador que indicaste cumprirá tua função nos três anos que te faltam – os quatro anos, eu diria, já que não voltarás aos estudos neste período. Depois disso assumirás legalmente esses deveres. Tenho um objetivo ao te nomear, que está além da mera forma; acredito que o homem que tem um propósito direto em vista tem mais possibilidade de sucesso do que outro que não tem propósito. É uma boa motivação. Portanto eu te nomeio Suzerano dos Suernis e te libero para fazeres a viagem de recreação com teus amigos, assim que assinares este documento. Está muito bem escrito, embora tua mão trema um pouco devido ao nervosismo. Acalma-te!” Estas últimas palavras foram ditas enquanto eu assinava tremulamente o documento de nomeação.

Mais uma vez estávamos viajando. Anzimee, o “elfo”, persistia em me chamar “meu senhor Zailm” desde que ouvira a história de minha transformação em Suzerano. Nosso curso novamente nos levou para o leste, mas com um desvio para o sul, pois não pretendíamos visitar Suern desta vez, e sim nossas colônias americanas, obedecendo o itinerário original (no atual sentido oeste/leste) que tínhamos planejado para depois da momentosa visita a Suern.

Voamos por sobre Necropan (o norte da África) equatorial, depois o Oceano Índico e as atuais índias Ocidentais, que na época eram colônias suernis chamadas de Uz, para em seguida voarmos por sobre o vasto Pacífico, sempre na direção leste. “Umaur”, a costa oeste de Umaur!” – foi a exclamação que atraiu todos para as janelas, a fim de olharem para uma linha denteada e escura que surgira no horizonte oriental. Era a distante Cordilheira dos Andes, que aparecera quase ao nível do vailx, pois as montanhas então se elevavam duas milhas (em torno de 3.200 metros de altitude) acima do oceano. Abaixo, estava o imenso espelho azul do Pacífico, aparentemente sem ondas devido à distância.



Umaur, seria a terra dos Incas num distante futuro. Umaur, (hoje a América do Sul) onde depois de se passarem oito séculos encontrariam refúgio os que teriam a felicidade de escapar de Poseid antes que a “Rainha do Mundo” afundasse nas águas do Atlântico (n.t. No dilúvio em 10.986 a.C.). Oito séculos que viram os orgulhosos atlantes se tornarem corruptos a tal ponto que sua alma não mais refletia a sabedoria do Lado-Noite, pois, com o desaparecimento da moralidade, a chave para o segredo da natureza (poder feminino) tinha se perdido e com ela o domínio atlante sobre o ar e as profundezas do mar. Oh, pobre Atlântida!

Umaur estava à nossa frente e nós, ignorando a futura insensatez de nossos descendentes atlantes, ficamos olhando para a cosia de que nos aproximávamos rapidamente, fazendo comentários sobre as majestosas cordilheiras que observávamos pelos telescópios. *Ali vimos uma terra onde milhares de anos depois chegariam os conquistadores espanhóis liderados por Pizarro e encontrariam uma raça liderada pelos Incas, um nome preservado por muitos séculos desde o tempo em que seus remotos ancestrais haviam fugido da obliterada Poseid em Atlântida, e que se diziam “Filhos do Sol (de Incal)”.

* Nota – Quando tua ciência abordar a natureza por seu lado divino, como o fizeram os poseidanos; quando, ao invés de ascenderes até a força-chave de toda a Natureza, a energia ódica, pela síntese dos fenômenos ambientais, aprenderes a olhar a partir da Odicidade para o rio da Energia, então terás tudo que Poseid teve (pois és Poseid rediviva, oh América), inclusive seus vailx, naims e telescópios. Os telescópios atlantes não eram os grosseiros instrumentos que hoje possui tua ciência. Mesmo a mais remota estrela emitindo sua fraca luz das profundezas do espaço podia ser trazida para perto e, se houvesse um organismo diminuto como uma folha no “solo” de algum planeta em órbita daquela estrela, ficava visível aos nossos olhos. Não consegues acreditar? Ouve esta proposição: a luz não é apenas um reflexo ou refração de força de uma substância, mas um prolongamento de toda forma substancial, pois embora só exista uma Substância com muitas variações dinâmicas, essas variações são confundidas por ti como substâncias diferentes. Só existe UMA SUBSTÂNCIA! A Luz de Arcturus, por exemplo, é o prolongamento da substância daquela estrela. A eletricidade obtida por máquinas é, em comparação, uma força sem forma. É possível fazer com que uma reforce a outra e que o Sem Forma adquira a imagem do que é Forma. Entendes agora o princípio de nossos telescópios? Tua mente salta para a frente e te ouço perguntar: “Marte será habitado? E Júpiter? Saturno? Vênus?” Ah, meu amigo, não responderei sim nem não, pois quando a visão poseidana da natureza ressurgir na Terra, SABERÁS. Busca e encontrarás, mas busca corretamente. Caminha pela Via cruciforme.

Umaur (América do Sul) era a região das pedreiras e de muitas das ricas minas de Poseid. Havia também ali vastas plantações; a leste das montanhas havia bosques regulares de seringueiras, da genuína espécie Siphonia Elástica da tua botânica. Também existiam viçosas Cin-chonas e outras árvores nativas da América do Sul, mas originárias de Poseid-Atlântida. Antes de serem plantadas no estrangeiro pelos atlan-tes, esses tesouros vegetais nunca haviam crescido em outra parte a não ser em Poseid; as grandes selvas com peculiares árvores e arbustos sulamericanos são descendentes diretas das fazendas e bosques que estabelecemos em Umaur.


Naquele tempo o Rio Amazonas corria por dentro de diques e atravessava o continente, e as cerradas selvas do Brasil eram áreas drenadas e cultivadas, assim como o território adjacente ao Mississippi o é atualmente. Um dia, esse rio, o “Pai das águas” no Norte, correrá sem resistência e sem diques por essas terras. Assim será, porque tais coisas com certeza farão parte das mutações que ocorrerão nos próximos séculos, e também porque a história se repete.

Não imagineis que sereis herdeiros das glórias reencarnadas da Atlântida sem as suas sombras. Todas as coisas se movem em círculos, mas o círculo é como o que vemos na rosca dos parafusos, sempre subindo para um plano mais elevado a cada volta que dá. Devo dizer entretanto que o tempo em que essas coisas ocorrerão, e que nenhum homem pode negar, ainda está muito longe ( o livro foi publicado em 1.894), no horizonte do futuro; tão distante quanto está a recessão do Amazonas no horizonte do passado. Seguimos nossa rota, começando nas grandes hortas, plantações e casas de Umaur, que ficavam no Norte daquele continente, e nos dirigimos para os selvagens ermos do Sul, onde uma grande dificuldade me assolaria no futuro; e de lá para o norte, ao longo das costas orientais, deixando os afazeres de nossos milhões de colonos à imaginação do leitor.


Grand Canyon, com cerca de 300 quilômetros de extensão, com o rio colorado em azul.

Sucessivamente, chegamos ao Istmo do Panamá, que naquela época tinha quatrocentas (n.t. 643 quilômetros, muito mais largo do que nos dias atuais) milhas de largura; ao México (Incalia do Sul) e às imensas planícies do Mississippi. Estas últimas formavam as grandes pastagens de onde Poseid recebia a maior parte de seus suprimentos de carne e onde, quando o homem moderno as descobriu, encontrou enormes rebanhos de bovídeos descendentes de nosso gado, que ali vagavam livremente: búfalos, ursos, veados, alces e carneiros montanheses, todos representando a progenie de remotas eras.

Angustia-me vê-los sendo dizimados de forma tão insensata quanto agora – raças tão antigas deviam ser preservadas. Séculos mais tarde, chegaram a esse largo vale e ao distante istmo ao norte onde agora só restam vestígios (as ilhas Aleutas) hordas invasoras em canoas e outros tipos de embarcações. Esses invasores vieram da Ásia, que em grande parte era o lar de povos da raça amarela e semibárbaros, a não ser onde os Suernis haviam exercido uma influência civilizadora através de tribos que, num período bem posterior, ocupariam um lugar tão importante na história, com o nome de raças semíticas.

Mas os bárbaros que penetraram na Incalia, ocupando as planícies americanas e regiões dos lagos, esses no futuro desapareceriam da terra para sempre; mais tarde ainda, arqueólogos curiosos diriam ao analisarem certas escavações: “Aqui viveram os construtores de túmulos em forma de montes”. Mais adiante na direção norte, na atual “região dos grandes lagos”(Michigam), havia grandes minas de cobre que nos forneciam a maior parte desse material, além de certa quantidade de prata e outros metais. Era uma região fria, muito mais do que é hoje, já que se encontrava próxima dos limites das forças de retração da era glacial, uma época que terminou muito mais recentemente do que os geólogos imaginaram – e ainda acreditam. . .

A oeste se encontravam as chamadas “grandes planícies” dos primeiros tempos da América do Norte. Nos dias de Poseid tinham uma aparência muito diferente da de hoje. Não eram tão áridas nem tão esparsamente habitadas, embora fossem muito mais frias no inverno devido à proximidade das vastas geleiras ao norte. Os lagos de Nevada não eram, então, meros leitos ressequidos de bórax e soda, nem o Grande Lago Salgado de Utah era a massa comparativamente pequena de água salobra e amarga que é hoje. Todos os lagos eram grandes massas de água fresca e o “Grande Lago Salgado” era uma ilha interior de água doce onde flutuavam icebergs vindos das geleiras existentes em sua margem norte.

O Arizona, esse tesouro geológico, tinha o seu atual deserto coberto pelas águas do “Miti”, como chamávamos o grande mar interior daquela região. Havia vegetação abundante nas centenas de milhas quadradas não cobertas pela água. Uma população considerável de colonos da Atlântida vivia nas margens do Miti e numa cidade de bom tamanho. Caro Leitor, lembras a promessa que te fiz em páginas anteriores ‘ de que te brindaria com uma descrição primorosa, dizendo que provinha de outra pena que não a minha?

Cumpro-a agora, pois existe um geólogo me perseguindo por eu ter declarado que o Arizona já teve um lago ou mar interior tão vasto quanto o Miti, há apenas treze mil anos. Lembro que ele concluiu, pelas evidências da erosão e do desgaste das rochas naquela notável região, que embora o hoje deserto do Arizona tivesse realmente sido um lago , ou mar de pouca profundidade desde a era paleozóica, aquele lago era “mais antigo que o Plioceno, sendo provavelmente da época do cretáceo”.

Não, meu amigo. As estupendas gargantas e desfiladeiros não são meramente o produto da “erosão” pelo tempo, da água e do clima. Ao contrário, provieram de uma formação súbita, pelo rachar e rasgar de extratos numa escala semelhante, embora muito maior, à da explosão do vulcão em Pitach Rhok em Atlântida, descrita no primeiro capítulo deste relato. As maravilhas do Arizona e a formação do “Grande Canyon do Colorado” foram o resultado de uma terrível dança da crosta sólida do globo. Mesmo hoje os leitos de lava no retângulo entre os paralelos 32 e 34, latitude norte, e 107 graus longitude oeste de Greenwich, na região dos Montes Taylor e São Francisco, têm poucos paralelos na terra, em questão de tamanho. Nesse terrificante trabalho de destruição, depois que o mar Miti se escoou para o Ixal (Golfo da Califórnia), as chuvas e torrentes de treze mil invernos e os poderes pulverizantes e dessecantes de muitos verões tórridos alisaram, esculpiram e cinzelaram as superfícies rompidas e recortadas, dando-lhes formas ainda mais fantásticas, e reclamaram para si a autoria da obra, negando a participação de Plutão como principal artista. O geólogo parece ter aceito essa reivindicação e admitiu a existência do lago num tempo muito anterior, para justificar o tempo necessário para a execução da descomunal obra. Mas não foi assim, pois vi o lago faz apenas doze mil anos.

Mas vamos à dádiva literária prometida; ela foi extraída de um escrito bem moderno, mas que faz uma descrição tão fiel da aparência atual da região que desejo compartilhá-la com meu leitor. As palavras que se seguem são do Major J. W. Powell, do Exército dos Estados Unidos:

“As paredes do canyon têm grandes contrafortes nos quais há profundas cavidades; fendas rochosas coroam os penhascos e o rio corre lá embaixo. O Sol brilha com esplendor nas paredes avermelhadas e sombreia-se com tons verdes e cinzentos ao bater em rochas cobertas de líquens; o rio ocupa todo o canal de um paredão a outro e o canyon se abre como um lindo portal para a glória. Mas ao anoitecer, quando o Sol baixa e as sombras se põem no canyon, os matizes avermelhados e róseos, misturados com pinceladas de verde e cinza, lentamente mudam para o castanho em cima e se fazem sombras negras mais no fundo – e então o canyon parece o obscuro portal para uma região de trevas.

Deitados, olhamos diretamente para cima pela fenda do canyon e só vimos uma nesga azul de céu – um crescente de Armamento quase azul-marinho, com duas ou três constelações nos espiando. Não consegui adormecer logo, pois a excitação do dia não tinha amainado ainda. Vi uma estrela brilhante que parecia descansar na beira do penhasco. Parecia flutuar lentamente e se dirigir de seu ponto de repouso nas rochas para o canyon. De início, pareceu uma pedra preciosa engastada na beira do despenhadeiro, mas ao deslocar-se me fez imaginar que logo despencaria. Na realidade, ela dava a impressão de estar descendo numa curva suave, como se o céu no qual as estrelas se encontravam estivesse esticado por cima do canyon, preso nos dois lados do mesmo, curvando-se para baixo sob seu próprio peso.



A estrela parecia estar realmente no canyon, tão altas eram as escarpas. O Sol da manhã brilhou com esplendor em suas coloridas faces. Os ângulos salientes pareciam estar em fogo e os ângulos retraídos mergulhados na sombra -, as rochas, vermelhas e castanhas, brilhavam como um fogo vermelho, em contraste com seus engastes de trevas, embaixo. A luz lá de cima, que se fazia mais brilhante por causa das rochas de vivas cores, e as sombras lá embaixo, tornadas mais densas pelos tons obscuros intocados pelo Sol, aumentavam a profundidade aparente das portentosas gargantas, fazendo parecer muito longo o caminho para o mundo do Sol, lá no alto – o caminho mede, na realidade, uma milha!”

Nem as extensas águas do Miti, pontilhadas de elevados picos no passado, lindos como um sonho, eram mais impressionantes e gloriosas do que as esmagadoras gargantas que vieram tomar o seu lugar. Da cidade de Tolta, nas praias do Miti, nosso vailx subiu e voou para o norte, por sobre o lago UI (Grande Salgado), para alcançar sua praia noroeste, a centenas de milhas de distância.

Naquela praia tão distante erguiam-se três majestosos picos cobertos de neve, os Pitachi UI, que davam seu nome ao lago. No mais elevado desses picos havia existido talvez por cinco séculos uma edificação de pesadas lajes de granito. Tinha sido inicialmente erigida com o duplo propósito de culto a Incal e cálculos de astronomia, mas no meu tempo era um mosteiro. Não havia trilhas que levassem ao pico e o único meio de acesso era o vailx. Faz uns vinte anos, contados deste ano de 1886, um intrépido explorador americano descobriu a famosa região de Yellowstone, e no decorrer da mesma expedição chegou até Three Tetons, em Idaho.

*Essa tripla montanha era o conjunto dos Pitachi Ui dos atlantes. O Professor Hayden, depois de chegar à base desses majestosos gigantes, conseguiu após ingentes esforços chegar ao topo do pico mais alto, fazendo a primeira escalada dos tempos modernos. Em seu topo encontrou a estrutura de granito, já sem telhado, dentro da qual, segundo ele, “os restos de granito formavam uma camada muito espessa, indicando que não tinham sido perturbados por onze mil anos”.

Sua inferência foi a de que esse período de tempo tinha decorrido desde a construção daquelas paredes de granito. O professor estava certo, como bem o sei. Ele encontrou uma estrutura construída por mãos poseidanas cento e vinte séculos e meio antes, e foi pelo fato de o Professor Hayden ter sido um poseidano com um cargo no governo atlante, o de adido governamental de cientistas destacados para estudar os Pitachi Ui, que ele foi carmicamente atraído ao local de seu antigo trabalho. Creio que o conhecimento desse fato emprestou maior ênfase ao interesse que ele sentiu pelos Three Tetons.

* Os Three Tetons (Três Tetons) estão situados na parte noroeste do estado do Wyoming que, como território, não existia naquele tempo, tendo sido formado em 1868 com partes de Idaho, Dakota e Utah. Uma pequena parte do Parque de Yellowstone fica em Idaho. – Guia King dos Estados Unidos.

Nosso vailx desceu numa saliência de rocha diante do templo de Ui, ao cair da noite. Fazia muito frio, não só por causa da altitude, mas também porque estávamos bem ao norte. Quanto aos monges que viviam no sólido e bem construído edifício nunca passavam frio, pois eram adantes e tinham as forças do Lado-Noi-te à sua disposição. O principal motivo de nossa visita foi o desejo de prestar culto a Incal quando seu símbolo surgisse no céu, na manhã seguinte. Por toda a noite os brilhantes raios de luz de nossas lanternas de rubi emitiram o aviso de que uma nave real estava na região, para qualquer poseidano que por acaso nos visse.


Os atuais Três Tetons, situados no Grand Teton National Park, conhecidos como as montanhas Pitach Ui nos tempos de Atlântida

No dia seguinte, ao amanhecer, nossa nave decolou para o leste, para uma visita às minas de cobre localizadas na atual região do Lago Superior. Fomos conduzidos em troles elétricos pelos labirintos de galerias e túneis. Quando nos preparávamos para partir, o capataz oficial presenteou cada membro da comitiva com variados artigos de cobre temperado. Eu ganhei um instrumento parecido com o moderno canivete, que guardei comigo até o dia de minha morte, valorizando-o muito pela refinada têmpera que dava ao instrumento um corte afiado que raramente requeria cuidados e inclusive permitia que eu me barbeasse com ele.

Os poseidanos eram aficcionados da hoje perdida arte da tempera do *cobre. Em retribuição, dei ao capataz uma pepita de ouro em estado natural e ele me perguntou de onde provinha; ouvindo minha resposta, comentou: “Qualquer amostra da famosa mina de Pitach Rhok será muito apreciada por um velho mineiro como eu, especialmente sendo um presente do próprio descobridor da mina.” Dessa forma, a mina por mim encontrada quando eu ainda era um jovenzinho obscuro, havia retribuído com seu tesouro o trabalho das pás e picaretas que a tinham tornado famosa em todo o mundo civilizado de então.

Após confabularmos, decidimos não penetrar mais no Norte, pois todos nós já tínhamos visto as geleiras árticas pelo menos uma vez e alguns de nós várias vezes. Resolvemos permanecer em Incalia mais uma semana, passando onze dias visitando com mais vagar o imenso território onde, embora obviamente o ignorássemos, os anglo-saxões um dia fundariam a gloriosa União Americana, os Estados Unidos da América. Dizem que a história se repete e acredito que seja mesmo assim. É inegável que as raças seguem os passos de outras raças e, assim como a mais importante e populosa parte das colônias americanas de Poseid ficava a oeste da grande cordilheira hoje chamada por Montanhas Rochosas, a grandeza da América moderna será levada ao auge pelos estados do oeste e sudoeste da União Americana.

O homem prefere viver em locais aprazíveis, nas terras onde a Mãe Natureza é amigável e dá abundantes colheitas. Aprecia viver numa terra que dê muitos frutos – e onde encontraria coisa melhor que o Oeste e Sudoeste da Incalia de outrora? Ao longo da costa oceânica até as montanhas da Sierra Nevada havia uma província que não ficava atrás, em beleza, da região dos lagos ao longo das praias do Miti. Essa terra manteve seu encanto, mas a beleza da outra cedeu lugar às areias móveis, cactos e mesquitas onde vivem lagartos, cascavéis e cães selvagens. Não é mais a “União de lagos e união de terras” do longínquo passado.

Quando finalmente partimos da Incalia para retornarmos a Caiphul, a última parte da colônia que avistamos foi a costa do Maine, pois tomamos o rumo leste, dirigindo-nos mais tarde para o sul. Para variarmos um pouco, trocamos os domínios do ar pelo das profundezas do oceano onde o tubarão é rei. Como todos os vailx da mesma classe, o nosso tinha sido construído para funcionar no ar e no mar, e as placas do convés deslizante e outras partes móveis da fuselagem se fechavam hermeticamente por meio de parafusos especiais e vedações de borracha.

Mergulhar diretamente no oceano seria muito parecido com um pouso em terra firme. Estávamos a uma altitude de duas milhas, mais ou menos, e o piloto recebeu ordem de reduzir a corrente de repulsão, diminuindo dessa forma nosso poder de flutuação, levando-nos a penetrar na água dez milhas após o ponto em que iniciássemos a inclinação para a descida. Ele também foi instruído para descer a uma velocidade bastante alta naquela espécie de manobra, embora fosse lenta para um vailx; ou seja, ele teria de cobrir dez milhas em poucos minutos.

Quando impactamos a água a essa velocidade, o choque sofrido pela agulha metálica foi grande o bastante para fazer os passageiros perderem o equilíbrio e as mulheres presentes soltarem exclamações de susto. Logo que entramos na água a repulsão foi anulada e seu oposto, um grau de atração maior que o da água pelo centro terrestre da gravidade, foi acionado, permitindo-nos mergulhar a uma profundidade considerável, a despeito do ar contido na nave. As luzes exteriores às janelas foram acesas, nosso movimento ajustado ao novo elemento, e nos reunimos todos no salão perto das janelas, as luzes de dentro apagadas e as de fora acesas, e pudemos ver as curiosas tribos de Netuno que se aglomeravam em torno da iluminação que era estranha ao seu meio.

Ocupado nessa observação, ouvindo ao mesmo tempo as explicações entusiasmadas de um ictiólogo amador, ouvi uma voz familiar que reconheci como sendo a do meu pai Menax e me dirigi para o naim. Ele não podia me ver porque estava escuro no vailx, mas eu podia vê-lo no espelho, já que a casa dele estava iluminada – não só o via mas também o ambiente próximo a ele, da mesma forma que alguém do lado de fora de uma janela, à noite, vê as pessoas e coisas no interior, sem ser vista.


Vailx mergulha no oceano

“Meu filho” -disse o príncipe -“não deveria permitir que teu amor pelas novidades te fizesse agir com tanta imprudência, mergulhando no oceano daquela forma, mesmo a uma velocidade pequena de um ven (milha) por minuto. Temo que tenhas uma tendência estouvada em tua natureza, que um dia poderá causar uma infelicidade. Incal pune os temerários permitindo que Suas leis, quando violadas, apliquem sua própria penalidade. Toma cuidado, Zailm, age com prudência!” Quando as experiências submarinas se tornaram tediosas, o curso contrário, de aumento rápido mas gradual de repulsão, foi aplicado ao vailx – não foi um procedimento perigoso como o do mergulho – logo a nave saiu da água e subiu à altitude indicada pelo raz -mostrador de repulsão – altitude essa de algumas centenas de pés acima da superfície do mar.

Aberto o convés, senta-mo-nos para tomar Sol e apreciar a agradável brisa marinha que soprava na mesma direção sul seguida pela aeronave. Como desejávamos chegar a Caiphul no dia seguinte, fechamos o convés quando a tarde caiu e começou a fazer frio e, elevando-nos bem alto no céu para diminuir a resistência atmosférica, aumentamos a velocidade. Devo observar que nosso curso era menos longo do que seria se tomássemos a direção leste ou oeste, quando então percorreríamos uma longitude a cada quatro minutos. Tomando a direção norte ou sul, cortávamos as correntes terrestres, enquanto que na mesma proporção a velocidade diminuiria, se o vailx desviasse a rota do leste para oeste, para depois virar para o sul ou o norte, o que daria uma média de apenas algumas centenas de milhas por hora.

Calculamos que, tomando a rota direta, só chegaríamos a Caiphul dentro de dois dias; como nosso desejo era chegar na manhã seguinte, decidimo-nos pela rota em ângulo. Isto quer dizer que o vailx iria para sudeste na direção da costa de Necropan, de lá para sudoeste para Caiphul, e a velocidade maior dessa rota nos levaria ao destino a tempo de tomarmos o desjejum em casa.

“Bela Caiphul nenhuma é como tu; Rainha da Atlântida e Rainha do mar.”

Mais informações sobre ATLÂNTIDA em:
http://thoth3126.com.br/uma-vida-em-atlantida/
http://thoth3126.com.br/atlantida-restos-de-uma-imensa-cidade-encontrada-na-costa-de-cuba/
http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/
http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/
http://thoth3126.com.br/atlantida-triangulo-das-bermudas/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade-parte-2/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade-parte-3-final/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br




Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

O PARAÍSO NA TERRA -- Pamela Kribbe

Por Jeshua(1)

Através  de Pamela Kribbe

Tradução: Vera Corrêa


Queridos amigos, eu lhes dou as boas vindas aqui hoje, e os saúdo do fundo do meu coração. É um grande prazer estar com vocês. Admiro-os por sua coragem e perseverança.


Vocês vieram à Terra a fim de contribuir com alguma coisa neste momento de transição. Todos vocês carregam uma dádiva preciosa dentro de si – a dádiva que vocês mesmos são – e querem oferecê-la à Terra, porque a amam. Vocês já estiveram neste planeta muitas vezes e uma parte de cada um de vocês pertence a ele.


Vocês são portadores da luz e desejam trazer a luz para a realidade que foi imersa na escuridão, onde a escuridão representa o medo, a ignorância e o desejo de poder. Vocês mesmos se perderam nessa escuridão, por isto uma parte de sua missão é se familiarizarem com ela, para que possam encontrar a força interior para superá-la.


Vocês mergulharam na escuridão para descobrir como é a luz e experimentar a sensação de se redescobrir na Terra como um anjo de luz. A descoberta original ocorreu muito naturalmente, porque quando se está numa atmosfera de luz, amor e segurança, quase não existem fronteiras entre o ser individual e o todo. Mas o que vocês fizeram agora, o que sua missão foi e continua sendo, é contribuir para que esta luz – este sentido de unidade e completa segurança – seja trazida à Terra, para que possa encarnar nesta atmosfera terrena.


Ao fazer isto vocês poderão vacilar, pois às vezes duvidam que podem realmente estabelecer uma base desta energia na Terra. Existem dúvidas e medos, e por isto eu quero ajudá-los a se lembrarem quem vocês realmente são. Quero trazê-los de volta à atmosfera de luz e amor da qual se originaram e, para isto, peço a cada um de vocês que imagine que está lá agora; desta forma, ancoramos uma porção dessa atmosfera aqui e agora na Terra. Pode-se dizer que essa é a atmosfera do Paraíso, ou daquilo que você imagina como Paraíso.


Permita que surjam quaisquer imagens que satisfaçam sua ideia de Paraíso. Escondida no fundo do seu coração, está a saudade desse lugar, desse amor e dessa luz. Visualize algo concreto. Talvez você veja uma linda paisagem diante de si, onde tudo floresce e cresce em profusão. Veja-se caminhando através dela e encontre um lar para si mesmo. Crie uma paisagem, um lugar, onde se sinta confortável, onde esteja conectado com a natureza e todo o seu entorno. Venha descansar aí, e simplesmente fique nesse lugar e ouça os sons da natureza.


Veja a luz ao seu redor, as plantas e árvores que desabrocham. Sinta sua própria abundância, porque isto é você. Esse ambiente expressa aquilo que você realmente é. Inspire as energias curativas da natureza; traga-as para dentro de si. Sinta a magia do anjo que você é verdadeiramente nas profundezas do seu ser. Os poderes divinos da criação pertencem à sua natureza. Você é a fonte de todas as suas criações; você pode manifestar tudo o que deseja, e atrair tudo o que necessita. Se estiver nesse lugar, na sua parte do Paraíso, então será fácil e você verá que este modo de ser é natural para você. Sinta a paz desse lugar em todas as células do seu corpo. E perceba que, partindo desse lugar, você viajou muitas vezes para a Terra, bem como para outros reinos, talvez menos densos e materiais do que a Terra, ou talvez para outros planetas. O fato importante é que você fez muitas jornadas: você, a alma, aquela essência, aquela centelha divina que se encontra no âmago do seu ser.


Imagine, por um momento, que você é um sol e consiste de uma luz quente e confortadora que o preenche e, a partir do centro desse sol, você envia raios para todos os tipos de realidade. Um desses raios está encarnado na Terra agora, e esse é você. Você está aqui para procurar oportunidades e maneiras de estabelecer sua luz; formas de irradiar seu poder solar tanto quanto possível, de modo que ele possa brilhar na Terra. Entretanto, pode ser que você se perca de vez em quando, que se sinta preso num beco sem saída e fique impossibilitado de realmente vivenciar sua própria luz. Peço-lhe que abandone essa ideia – a ideia de que algo seja impossível, que você está preso, que você é impotente. Tente liberar essa sensação de retraimento por um instante.


Imagine que você realmente consegue sair desse beco sem saída e, usando aquele raio de sol que você é, volta para o centro do sol. Libere, por um momento, tudo na sua vida que você se esforça tanto para alcançar, que o desgasta tanto, e tudo o que preocupa sua mente. Deixe que tudo isso se vá e, usando o feixe de luz que você é, navegue com aquele raio para o centro daquele sol, no âmago do seu próprio ser. Veja-se de volta àquele lugar na natureza, no Paraíso, onde você sente que tudo é possível, onde você não está preso pelo tempo nem por limitações materiais. Então imagine que, nesse ponto, você encontra uma atividade criativa que realmente combine com você. Imagine que você vive e trabalha lá e tudo que precisa está à sua disposição. Você tem, inclusive, amigos que o apóiam e estimulam, e com os quais você está conectado de uma forma amorosa. Imagine que você vive nessa parte do Paraíso, numa comunidade à qual pertence, e veja o que você adoraria fazer lá.


Qual a tarefa criativa que viria facilmente á sua mente? Não se limite em sua imaginação. O que você gosta de fazer? Gosta de trabalhar na natureza? Gosta de fazer ou construir coisas? Gosta de cozinhar? Você cria algum tipo de arte? Faz alguma coisa com música ou dança? Ou ajuda outras pessoas de alguma forma? E, lembre-se, não existe nenhuma restrição – existe abundância. Sua contribuição é valorizada.


Procure aquilo para o qual você é naturalmente atraído, e então se imagine fazendo essa atividade. E observe em que ritmo - quanto e com que frequência – você gostaria de estar envolvido na prática dessa atividade. O que lhe parece bom? O que o deixa feliz e satisfeito? Procure aquele momento no qual você se sente completamente conectado com o mundo ao seu redor e no qual você sente profundamente: “Este sou eu; este é o meu modo de me expressar!”

Sinta a aceitação calorosa das pessoas à sua volta e como a natureza lhe agradece e o aprecia pela sua contribuição. Você vai adicionar algo ao todo, porque é uno com todos os outros e, ao mesmo tempo, faz uma contribuição única, exclusiva, para o todo. Sinta como isso acontece com facilidade, como você pode contar com as inúmeras encarnações nas quais acumulou experiência relacionadas a essa atividade, a esse talento. Essa atividade criativa acontece por si mesma, por vontade própria, naturalmente, porque você já sabe muito sobre ela.

Imagine, então, que você pega essa atividade criativa e leva-a do Paraíso para o raio de luz da sua atual encarnação e deixa a energia do seu eu-sol interior entrar lentamente no seu corpo – aqui e agora. Mantenha essa imagem em mente: a facilidade, o amor, o carinho com que essa incorporação ocorre. Confie que esses talentos se manifestarão facilmente e permita que eles entrem no seu coração físico, aqui e agora. Sinta novamente a magia daquele que você é. Permita que a luz flua através da sua coluna vertebral até o cóccix. Veja essa luz dourada fluindo lentamente para baixo pelo cóccix, pernas e pés e enraizando-se na Terra. E sinta como a Terra diz “sim” entusiasticamente para esse fluxo dourado que você é, porque a Terra quer ajudá-lo a se manifestar.


A partir desse fluxo de luz dourada, olhe para seu interior, para seus medos e dúvidas, para a parte de você que se sente impotente e incapaz de mudar suas circunstâncias externas. Imagine um beco sem saída onde uma parte de você sempre esbarra numa parede. Então imagine como a luz dourada do seu eu-sol – aquela luz cheia de amor e compaixão – flui para dentro desse beco de um modo completamente acolhedor e o convida a sair de lá, simplesmente liberando a luta. Existem oportunidades e possibilidades esperando por você. As coisas nem sempre são o que parecem ser, e às vezes, novas oportunidades vêm de uma fonte inesperada que você não consegue antecipar com sua mente racional.

Agora se envolva completamente nessa energia dourada. Saiba que a segurança e o amor dessa atmosfera de luz, provindos do lugar de onde você veio, também estão disponíveis agora, se assim você o permitir. Você só precisa dizer “sim” e confiar!

Muitas vezes você luta contra si mesmo. Existe em você um conhecimento, um desejo, uma saudade de estabelecer essa luz dourada na Terra e de se banhar nela. Entretanto, ao mesmo tempo, você vacila porque é pego em medos e dúvidas. Apelo à sua determinação e à sua fé para que possa continuar persistindo, pois você realizou uma longa jornada através de muitas vidas e muitos séculos. Você veio com uma linda flor na sua mão, uma flor que você quer plantar aqui na Terra. E saiba que você está sendo ajudado e apoiado por energias de fora da Terra – por energias espirituais.


Confie que, mesmo que isto aconteça lentamente, você está chegando cada vez mais perto da sua própria essência. E assim, está fazendo o que pretendia ao vir para cá, ou seja, trazendo o Paraíso para a Terra. Esta é a sua missão e este é o advento da Nova Era. A Nova Terra é você trazendo o Paraíso para a Terra. Cada um de vocês traz à Terra a sua parcela de luz e amor e a sensação de segurança associada ao Reino Celeste. Isto é o advento da Nova Era.


Eu saúdo todos vocês de coração e lhes envio energias de encorajamento e confiança. Vocês estão realizando algo grandioso e meu único desejo é tranquilizá-los e apoiá-los em seu caminho. 

Pamela Kribbe  
         
(1) NR: Também é conhecido por Issa (Islão), Esu, Emanuel, Sananda, etc. (Espiritualidade) e Yeshua ou Jesus.


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Avião da AirAsia desapareceu em voo na Ásia

AVIÃO AIRBUS A-320 DA AIRASIA DESAPARECEU  DURANTE  VOO

Posted by Thoth3126 on 28/12/2014



air-asia-airbus-320O diretor-executivo da AirAsia, Tony Fernandes, disse em uma entrevista que o sumiço do Airbus A320-200 é “inacreditável”.

A aeronave desapareceu quando fazia o trajeto entre a Indonésia e Cingapura neste domingo, com 162 pessoas a bordo.

“Meus únicos pensamentos estão com os passageiros e com a minha tripulação”, disse Fernandes no Twitter ao se dirigir a Surabaya, no leste da ilha de Java, local de origem da maior parte dos passageiros.



Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

‘Estamos devastados’, diz diretor da AirAsia sobre sumiço de avião. Tony Fernandes disse que o desaparecimento de aeronave é ‘inacreditável’. Avião sumiu após decolar; buscas foram suspensas por falta de visibilidade.

Dia 28/12/2014 21h27 – Atualizado em 28/12/2014 21h36

Fonte: http://g1.globo.com/

“Isto é um grande impacto para todos nós e estamos devastados”, declarou ele ao chegar a Surabaya. Fernandes agradeceu a todos “por seus pensamentos e orações” e disse que “é preciso ser forte” em momentos como este.

As operações de busca do avião da companhia malaia AirAsia serão retomadas na segunda-feira após sua interrupção por falta de visibilidade. “Concluímos as buscas às 17h30 (08h30 de Brasília) porque estava anoitecendo. O tempo não era muito bom e estava ficando muito nublado’, declarou o responsável do ministério indonésio de Transportes, Hadi Mustofa.


Um AIRBUS A-320 igual ao que desapareceu.

As forças aéreas indonésias passaram horas buscando o avião que transportava 155 passageiros, entre eles 16 crianças e um bebê, e sete membros da tripulação. Segundo a companhia aérea, no voo havia 156 indonésios, três sul-coreanos, um malaio, um cingapuriano, um britânico e um francês (o co-piloto).

O Airbus, com número de voo HZ8501, decolou do aeroporto internacional Juanda de Surabaya, no leste da ilha indonésia de Java, às 05h20, e seu pouso estava previsto em Cingapura às 08h30 (22h30 de Brasília).

Jacarta perdeu o contato com a aeronave às 07h55, disse o porta-voz do ministério indonésio de Transportes, J.A. Barata. A AirAsia indicou, por sua vez, que a aeronave estava ‘sob o controle do serviço de controle de tráfego aéreo da Indonésia‘ quando desapareceu.

Segundo um comunicado da direção da aviação civil de Cingapura, o contato foi perdido no espaço aéreo indonésio, ‘200 milhas náuticas (350 quilômetros) a sudeste da fronteira entre as regiões de informação de voo de Jacarta e Cingapura’. ‘O avião (…) pediu um desvio devido às condições meteorológicas’, disse a companhia malaia em sua página no Facebook.



Gérard Feldzer, ex-piloto e especialista aéreo contactado desde Paris, considera que esta manobra é particularmente complexa. “Quando não se está longe da altura máxima à qual o avião pode voar, a margem de manobra para sobrevoar uma tempestade é muito pequena”, afirmou. Apesar disso, em sua opinião o mau tempo não seria o único motivo para explicar o desaparecimento da aeronave.

Ano ruim para a aviação malaia
As atividades de busca se concentraram em uma zona situada entre a ilha de Belitung e a província de Kalimantan, na parte indonésia da ilha de Bornéu, a meio caminho da trajetória do voo.

Os Estados Unidos anunciaram sua disposição de ajudar ‘as autoridades da região que dirigem as operações de busca do avião desaparecido’. ‘Como já ocorreu no passado, os Estados Unidos estão dispostos a ajudar, de qualquer maneira possível’, disse um funcionário do departamento de Estado, acrescentando que não havia cidadão americano no aparelho.

O Bureau Nacional de Segurança dos Transportes (NTSB, em inglês) comunicou que poderá enviar investigadores se houver uma solicitação neste sentido. ‘Estamos acompanhando o desaparecimento do aparelho e monitorando a situação. Se formos solicitados, poderemos enviar investigadores (…) que trabalharão como assessores técnicos da agência que lidera as buscas’. 



Homem pede informações sobre parente que estava no voo QZ8501 no aeroporto de Juanda neste domingo (28) (Foto: Beawiharta/Reuters)

Na falta de notícias, o pânico foi se apoderando dos familiares dos passageiros no aeroporto de Changi, em Cingapura. Em Surabaya, centenas de indonésios se aproximaram do terminal em busca das últimas informações sobre seus entes queridos.

Uma mulher de 45 anos explicou à agência de notícias France Presse que seis de seus familiares estavam a bordo do avião. ‘Iam para Cingapura para passar as férias lá. Sempre voaram com a AirAsia sem nenhum problema. Estou muito chocada com a notícia, e inquieta ante a ideia de que o avião tenha se acidentado’, afirmou.

O Airbus desaparecido havia sido revisado em 16 de novembro, indicou a AirAsia, uma empresa que nunca teve um acidente fatal até o momento. O presidente indonésio, Joko Widodo, afirmou que sua nação reza pela segurança dos que estavam a bordo.

A Austrália e o construtor europeu Airbus se comprometeram a ajudar na investigação, assim como o gabinete de investigação e análise francês (BEA), já que a aeronave foi construída na França. A AirAsia tem mais de 120 Airbus A320 e é um dos maiores clientes do grupo aeronáutico europeu. Até 2026, há encomendas para mais 350 aparelhos.


Foto de janeiro de 2013 mostra um Airbus A320, mesmo modelo da aeronave que desapareceu neste domingo (28) na Indonésia (Foto: Enny Nuraheni/Reuters)

O ano de 2014 foi ruim para a aviação malaia, com a perda de dois aviões da companhia nacional Malaysia Airlines. Um Boeing 777-200 da Malaysia Airlines desapareceu no dia 8 de março pouco depois de sua decolagem em Kuala Lumpur com 239 pessoas a bordo.

Quatro meses depois, em 17 de julho, outro Boeing 777 da mesma empresa caiu com seus 298 ocupantes no território controlado pelos separatistas pró-russos no leste da Ucrânia. A Indonésia, arquipélago de 17.000 ilhas muito dependente do transporte aéreo, apresenta um dos piores balanços da Ásia em matéria de segurança aérea.

Permitida a reprodução desde que mantido o formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

O Manuscrito de Sobrevivência - Parte 431 -- 27.12.2014

Os Companheiros Constantes 

Através de Aisha North

Tradução: Candido Pedro Jorge

 


Agora, já atingiram grande parte do que vieram aqui fazer, todavia ainda terão um tempo antes de poderem ver toda a gama de suas realizações.

Na verdade, irão se encontrar chafurdando em frustrações em algum momento nos próximos tempos e, a razão para isso será o simples fato de que todos sabem a um nível superior de suas entidades, que o que veem as suasvoltas, de maneira nenhuma se assemelha a realidade na qual energeticamente já entraram.

Em outras palavras, o que veem não é o que são e, como tal, essa diferença entre esses dois estados, é aquela que, para muitos, será difícil de conviver nos próximos tempos.

Agora é quando os desafios surgirão, nascendo a partir da certeza de que já sabe que a sua missão neste planeta tem sido um sucesso, embora, ainda os frutos de seu trabalho pareçam estar invisíveis.

Por isso, pedimos que se preparem, permitindo que o núcleo interior de cada um, dê seu passo em a frente, da maneira que puder, enquanto mantém a conexão entre o seu eu humano e o seu verdadeiro e inviolado Eu e encontrarão, em todos os momentos, uma forma de navegar através do que, por vezes, parecerão ser, de fato, águas muito agitadas.

Como veem, os efeitos bem sucedidos de seus esforços enérgicos durante este último período de tempo e que, em breve farão sua aparição conhecida de todos, embora façam de uma maneira que possa ser descrita como algumas formas inesperadas ou em momentos aparentemente inoportunos.

Um período de flutuações, que trarão com ele algo poderá se parecer num nível superficial, como convulsões, em todas as conotações da palavra. Todavia, enquanto mantiverem essa conexão interior, literalmente sentirão, em seus próprios ossos, que não se trata de uma destruição e, sim, da instalação, de fato, de padrões muitos novos.

E, como tal, o que poderá ser facilmente mal interpretado, como um ato de demolição, por causa da demolição em si, simplesmente será uma reafirmação do que já foi posto em movimento.

Agora, as rodas estão verdadeiramente postas em movimento neste novo terreno já projetado, o lugar onde suas origens irão desempenhar um papel vital em suas vidas cotidianas de uma forma antes impossível.

Anteriormente, a humanidade estava contida num ambiente energético, projetado para reter muita informação, de tal forma que o atrito e frustrações criadas, impulsionassem a todos numa busca por uma verdade interior que parecia ser algo muito elevado, mas que acabou sendo uma rua de sentido único para a destruição.

Todavia, graças à gente como vocês, o número de pessoas que rejeitava isso, moveu-se em direção a este último, dando à totalidade da humanidade, a oportunidade de pensar novamente e, fazê-lo num espaço de beneficência energética, que permitisse que cada um tivesse a oportunidade de engatar seu vagão a este grupo jubilante de intrépidos exploradores que são e que já viraram as costas para o velho mundo.

E, pelo próprio ato de tomaram a decisão de fazê-lo, abriram sertões inexplorados, atravessando as linhas que delimitavam o conhecido do desconhecido, fazendo o que antes era, não só inacessível, mas também inimaginável, tornar-se um fato da vida.

Já atravessaram essa faixa alta, que escondia a terra prometida da vista de suas versões antigas e, como sabem, a jornada não foi sem desafios, nem sem sacrifícios.

Mas fizeram e, na medida em que se aventuraram cada vez mais alto e mais longe de suas origens humildes, literalmente abriram um caminho para aqueles indivíduos que ainda estiveram esperando todas suas vidas, voltarem da terra da falta e do medo.

E agora, o caminho à frente está bem claro e iluminado e, porisso, nas próximas semanas e meses, de repente, muitos se encontrarão sob o feitiço de um desejo muito forte de explorar, não tendo outra opção senão seguir esse impulso.

E, como uma verdadeira inundação de luz, deixarão de lado os velhos moinhos que os mantinham sob o peso e acorrentados ao velho mundo, partindo numa jornada que será um muito mais suave e menos assustadora do que a que vocês, os verdadeiros pioneiros, tiveram de empreender.

Mas, é por isso que, em primeiro lugar, vieram para cá. Para serem os pioneiros, os intrépidos, aqueles que sabiam que nada mais significaria do que seguir esse chamado interior de seus corações, o chamado que enviaria seus espíritos voando, acima e longe da vida que tinham vivido até aquele momento no tempo.

E, um por um, atenderam ao chamado, arrumaram suas malas e partiram, jogando fora de seus antigos pertences, na medida em que se davam conta de que, para onde estavam indo, não havia necessidade de levar a velha bagagem que, uma vez, pensaram ser tão essencial.

E assim, enquanto continuaram sempre em frente, fizeram isso cada vez mais livres do peso das lições de outrora, ao mesmo tempo em que começaram a ver que essas lições, de fato, eram essenciais para seus preparativos deste êxodo.

Logo, em seguida, chegou o momento de se afastarem delas, a fim de tornarem esta peregrinação viável. E, assim, aqui estão, na fronteira daquilo que poderia ser denominada de terra prometida, mas que numa descrição mais precisa, é a terra escolhida.

Onde estão agora, é onde optaram por migrar, onde o que os atraiu para este espaço e tempo, foi um chamado, uma vibração interior constante, um diapasão que os levou a dar cada passo e decisões que tomaram, não apenas nesta vida, mas em todas anteriores.

Apenas sabiam onde teriam que virar em cada encruzilhada que se apresentasse e, assim, passo a passo, ao dispensarem cada opção que não estivesse em sintonia de seu  verdadeiro norte, chegaram até aqui.

Mas agora que estão aqui, olham ao redor e dizem: "é isso?". E se derem uma olhada superficial em volta, não se culpem em pensar exatamente isso. Para o que olhar, verá tudo assustadoramente parecido com o que você acham que deixaram para trás.

Então, dizemos para olharem de novo e, desta vez, olharem com seus corações e pensamos que o que verão será uma paisagem muito diferente. Verão o potencial para, em seguida, verem o Amor e uma multidão de seres iluminados se aproximando, vinda de todos os lados.

Então, saberão em seus corações que estão aqui, que chegaram e que agora, é hora de arregaçarem as mangas e começar a trabalhar, lançando o acampamento e começarem a por as coisas em ordem. Agora, muita coisa será posta em movimento.

Ações e ideias, conexões e configurações e, quando começarem a se estabelecer neste ambiente energético muito novo, irão se sentir como se tudo fosse literalmente chutado para a vida, dentro e fora, em todas as formas imagináveis.

Agora, realmente, chegaram à terra de abundância, onde a vida irá brotar de uma maneira e numa velocidade diferente de tudo que já presenciaram, brotando e servindo não só para aumentar a velocidade de tudo em torno dela, novamente.

E assim, o que poderia ser parecido com um campo estéril e desprovido de vida, a promessa deste período de tempo exato, irá se mostrar aquilo que realmente é: uma tela em branco vibrando em antecipação, pronta para entrar em ação ao primeiro toque consciente de seus poderes recentemente surgidos.

Estão aqui para criar de tudo, mesmo que o quadro, suas ligações com a terra, já esteja em vigor, todo um restante precisa ser construído, a partir de todas as peças que carregaram em suas jornadas, esperando pela oportunidade certa para,novamente, virem a Luz.

Descartaram toda a velha bagagem, na longa viagem que os trouxe aqui, também liberaram o espaço necessário para que todo esse potencial até agora não reclamado, estivesse trancafiado.

E assim, como um ímã que atrai as limalhas de ferro, suas muitas peças foram atraídas, uma a uma, para esse potencial inexplorado, mesmo que esta bagagem adicional acrescentasse tanto peso para carregarem, não fosse um fardo para nenhum de vocês.

Longe disso, pois esta era a vontade de deixar ir o velho e permitir que o estabelecimento do novo a bordo, para a etapa que teriam aliviado a carga suficientemente, para todos chegarem onde vocês estão agora, pois não desejaram parar e que, por sua vez, voltaram-se para esperar pelos retardatários ou para pegar a bagagem restante de outros que permitiram a essa transição em massa acontecer.

E, dessa forma, são os verdadeiros criadores desta nova terra, não apenas repleta de promessas, mas que também flui sobre o potencial já manifestado.

Pois mesmo que achem ser quase impossível, sequer percebendo nada dessa realidade ainda recém-formada, saibam que ela já está AQUI e está aqui porque a criaram - em seus corações e em seus aspectos mais elevados, embora, no entanto, pouco ou nenhum vestígio pareça estar facultado às suas partes humanas terrenas.

Mais uma vez, isto será capaz de causar frustração em alguns de vocês. Por isso saibam que essa é simplesmente uma etapa em que precisam estar firmes, onde a melhor maneira de vencê-la, é tentar fechar os olhos para a forma de como o mundo exterior ainda aparece para vocês e fazerem o que for preciso, a fim de ajudar a si mesmos para verem tudo através de seus corações.

Sabemos que estas palavras por si só, são capazes de causar frustrações, embora, seja como for, estamos simplesmente fazendo o que viemos aqui fazer, ou seja, lembrar a todos que estão muito, muito maiores e muito mais realizados do que atualmente são capazes de discernir, além dos pequenos e ocasionais vislumbres desta grandeza que chegam em alguns de vocês em intervalos irregulares.

Então, novamente pedimos que mantenham o foco onde ele deve estar e, que não seja algo faça as vibrações de seus corações decaírem. Sabemos que todos sabem do que estamos falando, pois é realmente imperativo que não se permitam a chafurdar na velha lama.

Por enquanto, a melhor coisa que podem fazer para ajudar seus espíritos a ascender, é permitirem-se encontrar uma maneira de não lutar ao encontrar uma nova onda para surfa-la.

Tudo que precisam fazer, é relaxar no vazio aparentemente vazio que os rodeia por todos os lados, para terem todo o apoio que agora precisam, para apenas flutuarem livremente neste interminável mar energético.

Pois mesmo que pareça calmo, simplesmente está repleto de vida, embora, por agora, todos estejam obrigados a apenas ESTAR nesta bolha energética ainda por algum tempo, até que todos os fatores estejam novamente preparados para um novo surto de crescimento.

Lembrem-se de que esta é uma operação muito complexa e, mesmo que achem que estejam apenas balançando em torno de um remanso, na verdade, estão sendo preparados para todas as tarefas que os esperam um pouco mais, rio abaixo. Novamente repetimos que a paciência é agora realmente da maior importância.

Não adianta tentar forçar as coisas, pois isso servirá apenas para aumentar a frustração. Basta permitir que isso se desenrole no ritmo designado e saberem que nem mesmo, às vezes, sejam duramente pressionados para acharem a inanição aparente das coisas um pouco irritantes, saibam que estará em todos os momentos no meio de uma colmeia em atividade, mesmo que não possam perceber muito das muitas coisas que estão acontecendo literalmente na velocidade da Luz, em todos os aspectos.

Então, permitam-se simplesmente SER e, se necessário, ficarem também frustrados, embora sabendo que toda essa energia, aparentemente reprimida que estará beliscando seus calcanhares como um cão impaciente, seja apenas um sinal da chegada a um nível superior, sabendo que chegaram no lugar onde todo seus potenciais,  finalmente serão autorizados a dar um passo em frente.

Então saibam que tudo está bem e que está acontecendo no momento e na sequencia exata em que foi concebida. Basta confiar em sua própria voz interior, para que continuem a enviar o mesmo sinal tranquilizador, se permitirem-se a ouvi-las.

E em breve, este período de aparente inércia chegará a um fim e todos serão catapultados num verdadeiro banquete de atividade energética que irá lhes trazer não apenas exaltação, mas também uma sucessão de exemplos e oportunidades e dizerem que foi "bem feito", não apenas para si mesmos, mas para todo o coletivo. 

Em seguida, todos estarão praticando atos e obras que não podem ser descritos de qualquer outra forma que não sejam momentos de bem-aventurança. Então, começarão a fazer realmente tudo o que vieram aqui fazer e, que , quando seu coração,  finalmente começará a cantar a sério.

Aisha North 


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

EXERCÍCIO DE LIBERTAÇÃO DAS ENERGIAS ESTAGNADAS -- Luiz Gasparetto

Por Luiz Gasparetto



Escolha um lugar tranquilo, sem barulhos. Sente-se ou deite-se confortavelmente, respirando fundo e lentamente.

Feche os olhos e se pergunte: “Tem algum lugar a que estou presa? Um lugar em que fiquei – e ainda estou – envolvida com a energia?”

Veja que lugar aparece na sua mente. Agora solte-o. O que é de lá que fique lá.

Diga para si: “O mundo não tem força sobre mim. Sou dona de mim e não vou me influenciar por nada ou por ambiente algum. Eu ajo da maneira que eu quero”.

Agora pergunte-se a que fato do passado está presa. Veja as pessoas envolvidas. Esse é um acontecimento mal resolvido: se seu corpo o está trazendo à tona é porque não foi assimilado nem aceito. Quando não aceitamos um fato, ficamos presos a ele e às pessoas. Só que tudo isso já foi, né?

Ficar presa ao passado é criar um gancho que não a deixa ir pra frente. Assim acontece com as mágoas.

Quando você tem mágoa de uma pessoa, fica presa a ela numa ligação obsessiva e dolorosa.

Continue respirando fundo e pense agora que já pode libertar-se, que não precisa mais disso, que já é capaz de compreender e perdoar, a si e aos demais!

Lembre-se sempre que nós é quem atraímos as experiências de nossas vidas, através de nossos pensamentos e emoções, para que possamos aprender e evoluir a partir delas. Por isso, nunca somos vítimas de nada.

Aceite os fatos e diga a si mesma:

“Eu fui o que fui e o que deu para ser. Me absolvo de qualquer culpa. E as pessoas? Também fizeram o que acharam ser o certo, ou o que tiveram capacidade emocional de fazer, e por isso as absolvo. Aceito as complicações da vida sem me conflitar com elas. Procuro recebê-las com inteligência, não com teimosia, arrogância, brigas. Me desapego e deixo as mágoas para trás. Deixo o passado passar. Para me sentir limpa e leve. Porque só existe o agora!”.

Agora solte os ouvidos e pense:

“Eu permito que vá embora tudo o que ouvi. Cada um é livre para ter a sua opinião. E eu não dou valor àquilo que os outros falam. Ninguém é um obstáculo para mim. O do outro é direito do outro. O que me interessa é o que eu penso, falo, o que é meu. O importante é a serenidade”.

Entregue-se a essas palavras, que são como remédio: têm efeito poderoso. E sua energia agora se transforma, purifica, desmancha nós energéticos que você inconscientemente fez há anos.

Serenidade é acreditar que as coisas podem ser feitas pelo caminho da paz, sem guerra, sem luta, só na confiança e na fé de que a vida está sempre certa e sabe o que é melhor para nós. Usando nossa sabedoria interna.

Luiz Gasparetto 
 
 
Mais mensagens / vídeos do Luiz Gasparetto / Calunga


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Pensamento do Dia, 29 de Dezembro de 2014


 Sathya Sai Baba



Todos devem tratar tudo o que lhes acontece como presentes de Deus. 
 
Prazer e dor devem ser tratados de forma igual, como presentes Divinos. 
 
Há uma alegria única neste processo. 
 
Na vida diária, nós tendemos a tratar derrota, perda ou tristeza, como calamidades. 
 
Mas nada ocorre no mundo sem uma causa. 
 
A fome é a causa para se comer. 
 
Sede é a causa para beber. 
 
As dificuldades são a causa da tristeza. 
 
Se quiser desfrutar de felicidade duradoura, você deve descobrir a fonte de tal felicidade. 
 
Tal fonte é o amor (prema). 
 
Não há nada maior que o amor neste mundo. 
 
Tudo tem um preço. 
 
O preço a pagar pela felicidade duradoura é o amor divino. 
 
A principal riqueza para o homem é o amor. 
 
Todos devem procurar adquirir essa riqueza. 
 
Com essa riqueza qualquer um pode desfrutar a bem-aventurança duradoura.
Canal Youtube: Sai Love 



Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária