Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Quem é Shara Lynn? - O OUTRO LADO ~ Cap. 2 e 3, A. da Matriz ~ Arcturianos, Suzanne Lie.



ATRAVÉS DA MATRIZ

OS ARCTURIANOS

e Suzanne Lie

Tradução: Regina Drumond a 15 de Junho de 2018

 
 
 
 
Capítulo 1. 
 
2º CAPÍTULO

 

Quem é Shara Lynn?

 


Quando finalmente encontrei tempo, na verdade foi a coragem, para abrir o livro, que era uma forma de um diário, e comecei a lê-lo, percebi que ele foi escrito por alguém conhecido como Shara Lynn. Eu não tinha ideia de que iria desenvolver um relacionamento tão profundo e próximo com alguém que eu tivesse conhecido em um diário.


Eu percebo que estou evitando documentar minha experiência. Talvez seja porque você, significando que você leia a minha história, irá me achar um pouco louca. Eu continuo querendo fazer deste diário que eu encontrei, uma ficção, mas então eu continuo ouvindo a voz distante da minha avó dizendo: "Um diário é uma verdade que alguém pode não estar pronto para conhecer."


Se estou falando com minha avó “do outro lado”, acho que posso acreditar que a Shara Lynn no Diário, que também está “do outro lado”, também pode ser real. Eu também percebi que, para documentar e compartilhar minha história, tenho que acreditar que é real, porque a estou experimentando assim.


Eu também sinto que preciso lhe dizer, caro leitor, que eu NUNCA pensara no “outro lado” antes da morte da minha avó. Eu era uma estudante universitária e seguia as regras da "sociedade regular". Lá estou eu de novo, falando como eu costumava chamar, de "uma coisa esquisita". Eu sinto que quero avisá-lo de que o que estou escrevendo parece mais uma ficção científica, mas para mim é um fato científico.


OK, OK, irei agora apresentar o “O Diário”, como eu o chamo, compartilhando com você, significando qualquer “você” que o encontre e o leia. No entanto, devo ser honesta comigo mesma. Portanto, irei lhe dizer, caro leitor, exatamente o que aconteceu comigo.


Eu pude sentir uma mudança em mim quase tão logo abri o Diário, mas ja´falei o suficiente sobre mim, e agora irei contar-lhe sobre o que li no Diário. Não sei quem o escreveu, mas o narrador da história é uma jovem chamada Shara Lynn. Começarei com o que foi escrito na primeira página:


Caros leitores possíveis:


Eu, Shara Lynn, estou prestes a lhes contar uma história que devo contar. Não sei por que devo contar, mas essa história me assombrou noite e dia, até que eu a escrevi.


Uma vez que eu tenha documentado o que está acontecendo comigo e o que está ocorrendo no “outro mundo” ao qual fui apresentada, posso finalmente encontrar a paz para ir trabalhar, ter uma conversa normal com um amigo, e / ou dormir um pouco.


Foi a minha incapacidade de dormir que me levou, ou forçou-me, a anotar essas experiências mais incomuns que tenho tido. Peço que você não me julgue tão duramente quanto eu me julguei ao passar por essa experiência.


No entanto, agora devo admitir que experimentar, sonhar e lembrar o que parece ser algum tipo de “realidade paralela” mudou minha vida para sempre. Sim, tem sido uma mudança para o bem porque agora me entendo mais do que nunca quando eu era “apenas um ser humano normal”.


Portanto, eu, Shara Lynn, prometo documentar todas as minhas experiências neste Diário. Eu não sei o que irá acontecer, ou o que está acontecendo comigo agora. Tudo o que sei é que, de alguma forma, eu me encontrei em “O Fluxo do Grande Intermediário”. De fato, mesmo agora, estou falando de “O tempo que flui do Grande Intermediário”.


Por alguma razão, da qual não tenho certeza, eu, Shara Lynn, fui escolhida, de alguma forma, e por alguma fonte desconhecida, para ser a Emissária. A Emissária é aquela que pode conscientemente “intermediar” aquilo que está se fechando e aquilo que está quase se abrindo. Esta área é chamada de “O Tempo de Fluxo do Grande Intermediário”


Lamento se estou falando de maneira confusa, mas ainda não cheguei a um acordo com o que está ocorrendo em nosso mundo. Eu sou apenas uma adolescente, nem mesmo uma jovem, então, não entendo por que fui escolhida para documentar esse evento. Acho que fui escolhida porque fui a primeira a perceber essa grande mudança.


Ou seja, eu fui a única que conseguiu percebê-lo claramente. Shalone, nossa líder e velha mulher da Medicina, conhece há muito tempo “O tempo que flui do grande intermediário”. Ela esperou, meditou e serviu a todos nós, para nos ajudar a nos preparar para esse evento.


Shalone conseguiu sentir o "tempo que flui" do Grande Intermediário, mas seus olhos agora estão escuros, sua audição prejudicada, e ela tem que dormir muitas horas, pois ela tem mais de 100 anos de idade. Portanto, ela me escolheu para ser seus olhos e ouvidos, pois ela sabe que eu estou entre os poucos em nosso mundo que podem perceber o tempo fluindo do Grande Intermediário.


De fato, a maioria das pessoas não sabe sobre esse "tempo que flui" e nunca experimentou o Grande Intermediário. O que quero dizer com “Nosso Mundo?” Parece que ontem mesmo eu acreditava que havia apenas um mundo, e nossa pequena comunidade era o ponto focal de toda a realidade.


Mas agora que eu vi a grande cena, percebo o quanto eu era inocente e ingênua  antes de ter meu primeiro vislumbre de “O Grande Intermediário”. Tentei contar a várias pessoas sobre o que eu experienciei, mas apenas Shalone escutou-me. Na verdade, parecia que eu amedrontava os outros quando tentei contar-lhes a minha experiência.


Shalone me disse que a mudança é uma das coisas mais assustadoras para muitos adultos. Foi por essa razão que eu, uma jovem adolescente que mal é uma mulher, fui escolhida para ser a Emissária entre a realidade que sempre conhecemos e o fluxo do Grande Intermediário.


Ninguém, nem mesmo Shalone, sabe o que está do outro lado do Grande Intermediário. Alguns acreditam que não há nada do outro lado, e alguns acreditam que um novo tipo de realidade está nos esperando do outro lado do Grande Intermediário.


No entanto, apenas Shalone e eu sabemos sobre o "tempo que flui". Não sabemos muito sobre esse  fluxo de tempo, mas sabemos que existe porque o experimentamos. Shalone me disse para escrever um diário, e para não dizer ao nosso povo, ainda, que eu vi o outrolado do Grande Intermediário, especialmente, não contar a ninguém sobre o "fluxo do tempo".


Shalone me disse que, se alguém estiver pronto para saber dessas informações, elas virão até a mim. Essa diretriz me fez sentir mais segura porque, na verdade, eu não poderia contar a ninguém, pois não tenho nenhuma maneira em que possa descrevê-la. Além disso, eu acho, mas não tenho certeza, de que eu realmente vi “O Outro Lado” do Fluxo do Tempo, e talvez eu tenha sonhado com isso, ou até mesmo imaginado isso.


Shalone, em sua grande sabedoria, disse-me que a única maneira de perceber o Grande Intermediário e o Outro Lado é através do tempo que flui de nossos próprios sonhos e imaginações. Ela me disse que quando sonhamos e imaginamos, expandimos a faixa de frequência de nossas percepções.


Eu não entendi o que ela quis dizer com essa frase, mas aprendi a ouvir o que ela diz. Então, eventualmente, eu entendo isso. Além disso, Shalone fica bastante chateada quando faço perguntas.


Ela sempre me diz: “Não sei por quanto tempo terei essa forma. Portanto, você não pode se tornar dependente de mim para ajudá-la. Eu posso lhe ensinar como olhar e ouvir com um Coração Aberto e Visão Superior. Depois de ter feito isso, vou deixar este mundo e ir para casa.


Sempre que Shalone menciona a palavra "Lar", uma luz aparece em seu rosto. Eu tentei perguntar a ela sobre essa luz, mas ela diz: "Você deve encontrar essa resposta por si mesma, pois eu logo estarei partindo."



3º Capítulo

 

O OUTRO LADO



Eu aprendi a não chorar quando Shalone diz que ela está indo para o LAR, pois isso a deixa muito chateada. "Você está chorando por mim ou por si mesma?" Ela pergunta com uma voz irritada. "Você deve ser forte e ouvir tudo o que tenho para lhe dizer."


Portanto, não choro nem faço muitas perguntas. Mesmo que eu não consiga ouvir sua voz suave e lhe peça que repita o que ela me disse, ela diz: “Você deve ouvir com seu Coração e ver com seu Terceiro Olho. Essa é a única maneira de você me ouvir quando eu estiver do "Outro Lado".


Claro, ela se recusa a me dizer o que é o "Outro Lado". Em vez disso, ela me diz com uma voz um pouco irritada: “Você deve seguir o tempo que flui do Intermediário, se você desejar encontrar o Outro Lado. Além disso, você deve descobrir como fazer isso por si mesma, pois é assim que você irá me ouvir quando eu sair deste "mundo".


Eu finalmente sei que é melhor não lhe perguntar o que ela quer dizer com “este mundo” e “Outro Lado”, mas é por isso que eu não acredito mais que toda a realidade é apenas o nosso pequeno lugar. Mais uma vez, não posso compartilhar essa informação com ninguém, ou eles ficariam com muito medo e raiva.


Muitas vezes, eu me pergunto por que tantas pessoas em nosso mundo ficam tão assustadas com o desconhecido. Shalone me disse uma vez que o desconhecido, ou qualquer pessoa que queira falar sobre o desconhecido, assusta a maioria das pessoas. Eu definitivamente achei essa afirmação verdadeira. Portanto, o problema é que, uma vez que conheçamos uma verdade, nossa vida se torna muito solitária.


É claro que nem sempre é solitário agora, pois ainda posso conversar com Shalone, mas não muito, assim como com os pássaros, animais, árvores, nuvens e especialmente com os lagos tranquilos. Mais uma vez, Shalone me avisou para NUNCA contar a ninguém que eu posso me comunicar com a Natureza dessa maneira. Mais uma vez, outra razão pela qual eu ficarei terrivelmente solitária quando ela for embora.


"Não, não", diz Shalone depois de ler minha mente. Ela faz muito isso, ler a minha mente, quero dizer. Shalone diz repetidas vezes, enquanto eu continuo esquecendo dessa verdade, que a chave para entrar no Grande Intermediário é saber que você NUNCA está sozinho.




"Só porque alguém é invisível aos seus olhos físicos, não significa que essa pessoa não exista", Shalone me lembra novamente. Eu entendo essa afirmação, pois eu sempre fui capaz de falar com os Espíritos da Natureza, o que a maioria das pessoas nunca consegue perceber. De fato, quando eu ando na floresta, muitas vezes, ouço os espíritos da natureza me chamando. Mas então eles se escondem de mim.


"Por que você me chama se você vai se esconder de mim?" Eu pergunto de uma maneira frustrada. Eu sei que não estou frustrada com os Espíritos da Natureza, mas muitas vezes fico frustrada comigo mesma.


"Agora, agora, querida", diz Shalone, pois ela pode instantaneamente sentir a minha frustração. “A frustração é a raiva de baixo nível e ela diminuirá suas percepções. Você sabe que se você perder sua capacidade de falar com todos os Espíritos da Natureza, você ficará MUITO solitária ”.


Eu tenho que admitir que ela está correta. Os Espíritos da Natureza e Shalone foram meus melhores amigos durante toda a minha vida.


“Quando eu for embora”, Shalone me lembra, “você falará comigo da mesma maneira que fala com os Espíritos da Natureza. De fato, você encontrará a minha essência fluindo ao redor e através dos Espíritos da Natureza, pois quando eu partir, eu também permanecerei, pois irei navegar "no tempo que flui do Intermediário". Entenda, querida, "partir" é um conceito tridimensional.


Acho que é melhor eu falar sobre a terceira dimensão agora. Algumas pessoas pensam que a terceira dimensão é o mundo físico, mas também é muito, muito mais do que isso. A “terceira dimensão” é uma realidade na qual escolhemos ver aquilo que sempre conhecemos, e ignoramos o que é novo.


Por exemplo, aqueles que só ressoam na terceira dimensão não podem ver ou ouvir Shalone, e definitivamente não podem perceber, ou até mesmo estar cientes de “O Grande Intermediário”. Além disso, sem a consciência do “Grande Intermediário, “não há possibilidade de que eles percebam “O outro lado ”.


"O Outro Lado" é aquilo que se encontra no "Grande Intermediário". Mais e mais crianças estão nascendo com a capacidade de perceber "O Grande Intermediário" e "O Outro Lado". De fato, eu posso ver quando eles “deixam o tempo” para visitar “O Outro Lado”. Eu digo “deixam o tempo”, porque “O Outro Lado” não tem tempo.


Eu sei disso, de fato, porque atravessei “O Intermediário” e entrei no “Outro Lado”. Quando estou lá, parece que eu tenho uma vida longa, longa. No entanto, quando volto ao meu mundo, acho que é como se nunca tivesse saído.


"Como pode ser isso?" Eu perguntei a Shalone muitas vezes. Mas ela nunca responde a essa pergunta. Ela apenas sorri e diz: "Maravilhosa amada, o que você aprendeu lá?"


"O que eu aprendi lá?" Eu devo perguntar a mim mesma. “Bem”, digo a mim mesma, “acho que tudo o que aprendi é que ainda não estou pronta para ficar lá. E então, assim que volto, esqueço tudo o que experimentei. Por que não consigo me lembrar? ”, pergunto a Shalone.


Mais uma vez, ela sorri e diz: “Você ainda não está pronta, querida. Quando estiver pronta, você se lembrará ”.


Eu não gostaria de ser rude com ela, mas que tipo de resposta é essa? Para o que eu não estou pronta? E se eu não estou pronta, então, por que eu vou lá? Tento não fazer mais a Shalone essa pergunta, pois ela sempre a ignora, como se não me ouvisse.


No entanto, eu posso dizer pelo brilho nos olhos dela que ela me ouviu e optou por não me responder. Portanto, estou tentando encobrir minha frustração com respeito e paciência. Claro, Shalone pode ler minha frustração e, com paciência e gentileza, olha bem em meus olhos para dizer: "Do que você tem medo?"


Quero ficar com raiva e dizer que não tenho medo de nada, mas como nunca falaria com Shalone daquela maneira, sua pergunta vibra em meu coração e flerta com minha mente. "Por que não estou pronta?" Pergunto às árvores, ao céu, à água, aos pássaros, à grama e aos raios de luz que me seguem através da floresta.


Então, se eu estiver muito quieta e NÃO fizer outra pergunta, começo a ouvir com o coração e entender com minha mente que estou apenas começando algo novo. Portanto, preciso ser paciente comigo mesma. Logo depois disso, Shalone vem a mim para me dar um abraço longo e silencioso.


Ela então se vira e me deixa em meu próprio silêncio desconfortável. "Mas por que esse silêncio é desconfortável?" Eu tento me perguntar. É então que o meu Eu Interior me dá um “abraço interior” e me lembra de que as perguntas são uma ilusão do meu mundo tridimensional.


É quando eu me lembro que é só quando paro de fazer perguntas que me lembro que as respostas estão sempre dentro de mim. Quando eu sou capaz de ser paciente e permitir que as respostas cheguem, eu gradualmente me torno consciente de “O Grande Intermediário” flutuando em minha consciência.


Então, “O Grande Intermediário” me lembra que na verdade é uma frequência da realidade que entra em mim como um sonho. No entanto, estou totalmente desperta e posso ver simultaneamente o meu mundo físico ao meu redor. Então, vejo uma possível entrada para outro mundo, mas só posso decidir se, e quando, escolherei nele entrar.


Até agora, não entrei. Às vezes eu fico muito próxima do “limiar entre os mundos”, mas depois um amigo me liga, eu me lembro de algo muito importante que devo fazer, ou eu caio fora da experiência, como se alguém “caísse” de uma árvore.


No entanto, não há queda ou aterrissagem no solo. Em vez disso, essa realidade possível, que é como uma flor quase pronta para florescer, simplesmente desaparece. Então, tudo o que vejo é meu mundo cotidiano e meu corpo cotidiano.


“Por que, por que eu mesma paro? Do que tenho medo? Quase todas as vezes, Shalone aparece de repente diante de mim, me dá um abraço e diz algo do tipo: “Boa tentativa. Da próxima vez você poderá ficar mais tempo.”


Ela então sai antes que eu tenha a chance de fazer qualquer pergunta, mesmo sabendo que ela não iria respondê-la. "Aquilo que você procura é encontrado no interior", é a resposta que ela tem para todas as minhas perguntas. Um dia irei entender o que ela quer dizer com isso.


Eu também sei que é nesse dia que ela desaparecerá da minha vida.

 
Suzanne Lie.
 

Continua.

 
 
Agradecimentos a: 

  • Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br 
pela tradução de:
  • https://rayviolet.blogspot.com/2018/03/through-matrix-ii-iii-arcturians.html

Arquivos:  



 
Por favor, respeitem todos os créditos

Recomenda-se o discernimento.





Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.





Atualização diária.

 
geoglobe1
 

Pensamento do dia, 15 de junho de 2018 ~ Sathya Sai Baba



 Manifestações do Amor Divino!

Pensamento do dia.

Por Sathya Sai Baba

14 de junho de 2018

 
 
O amor a Deus dissipará a ignorância e a presunção de cada indivíduo, assim como o sol dissipa a névoa da manhã. 

Baba.
 
 
 Image result for sathya sai baba
 
 

Não é suficiente ter nascido um ser humano com todas as faculdades funcionando bem - física, mental e emocional. 

Você deve levá-las à perfeição usando o intelecto exigente, assim como um escultor faz após retirar a pedra de sua forma bruta. 

Todos devem estar conscientes de sua afinidade com Deus, da Divindade latente em si e de sua imensa potencialidade. 

Você pode perceber isso pelo exercício de seu discernimento e desapego (viveka e vairagya). Somente um ser humano entre toda a criação animal é capaz disso. 

O caminho nobre para essa consciência é mostrado pelo Guru; nem um único dos cem mil 'gurus' que reivindicam seu status têm direito a isso. 

Pois, a palavra Gu-ru significa aquele que não tem trevas em si! Quando você for sincero, o próprio Senhor o guiará. 

Não se desespere; caminhe bravamente. Tente preencher cada momento com pensamentos de Deus, de uma forma ou de outra. 


(Discurso Divino, 22 de maio de 1965)


Sathya Sai Baba.

 
 
Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião é desnecessária à esperitualidede.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle das religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
 
 

 

Por favor, respeitem todos os créditos
 
 
 

 

Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.
 
Recomenda-se discernimento e evitar o julgamento.
 
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.
Recomenda-se o discernimento.
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
geoglobe1
 
geoglobe1
 
 
 
 
 

ENCONTRANDO O DIÁRIO - LIBERANDO A MATRIZ ~ Arcturianos, Suzanne Lie.


 

LIBERANDO A MATRIZ, UMA NOVA NOVELA

OS ARCTURIANOS

Através de Suzanne Lie

Tradução: Regina Drumond a 14 de Junho de 2018

 
 
 
Intridução.
 
1º CAPÍTULO

ENCONTRANDO O DIÁRIO


Quando retornei da Europa,  fui ao local de repouso da vovó com um enorme buquê de suas flores favoritas. No entanto, enquanto eu chegava cada vez mais perto de seu “lugar de descanso”, eu sabia que não seria capaz de encarar seu túmulo, então me virei para o outro lado, longe do cemitério e longe do que restava do corpo da minha avó.

Então, depois de alguns meses morando na casa da vovó, eu finalmente estava pronta para ir ao seu local de descanso final. Fiquei muito tentada a me afastar novamente, mas depois me lembrei da visão dela em um corpo de ouro, o que me dava grande conforto. Além disso, queria agradecer-lhe por todo o dinheiro que ela me deixara.

Eu ainda me pergunto como uma mulher mais velha que nunca parecia ter um emprego poderia ter tanto dinheiro. Meus pais tinham sido muito comedidos com o dinheiro que me deram e disseram que era porque meu internato era muito caro. Mas, mais tarde, soube que minha avó pagou por toda a minha educação, incluindo o internato.

Quando eu estava no colégio, descobri que vovó estava pagando pela minha educação. Eu tentei muitas vezes perguntar a vovó como ela podia se dar ao luxo de me dar todo esse dinheiro, mas ela sempre dizia: “Não se preocupe, querida. Tudo está sendo cuidado. ”

Eu nunca descobri o que ela quis dizer com “tudo está sendo cuidado”, mas anos depois ela ainda foi capaz de deixar uma boa quantia depois que ela faleceu. Foi esse dinheiro que me permitiu ir para a Europa e ainda não ter que trabalhar por um bom tempo.

Felizmente, eu era inteligente o suficiente para conseguir um bom gerente para administrar o dinheiro deixado, ou eu poderia ter investido meu dinheiro como meus pais sempre fizeram. Estou agora matriculada na pós-graduação, a qual não começará por alguns meses.

Eu tomei essa decisão, então eu teria que ir para a pós-graduação, mas eu teria mais tempo livre, o que incluía concentrar minha atenção em cuidar da "minha" casa, no grande quintal e explorar o " sótão trancado” que a avó nunca me deixara entrar.

Na verdade, ela até se recusou a falar sobre o sótão, o que lhe deu uma sensação tão grande de mistério que me fez nele querer entrar ainda mais. Então, outro dia eu estava vasculhando algumas caixas na despensa e encontrei uma chave que dizia: "Sótão" sobre ela.

Você pensaria que eu iria instantaneamente correr e entrar no sótão, mas agora que eu poderia entrar, eu estava com medo. Vovó não era uma mulher tímida, então quando ela nunca permitiu que eu entrasse no sótão, meu eu infantil inventou todos os tipos de histórias sobre que  coisas misteriosas estavam acontecendo no sótão.

Como adulta, eu sabia que essas histórias não podiam ser verdade, mas o medo que minhas histórias criavam ainda permanecia dentro de mim. Então, novamente, eu encontrei muitas razões pelas quais eu estava "muito ocupada" para explorar o sótão e coloquei a chave em um "lugar seguro", o que inconscientemente me fez esquecer.

Assim que percebi que estava deixando meu medo tirar o melhor de mim, comecei minha busca para "encontrar a chave". Claro, procurei na casa durante meses e não consegui encontrá-la. Então, finalmente, um dia, eu estava com pressa de ir a um encontro e não consegui encontrar o colar que eu queria usar.

Na minha pressa, virei a caixa de jóias de cabeça para baixo para jogar tudo na minha cômoda. E, então, para minha surpresa, a chave caiu da minha caixa de jóias. Eu imediatamente reconheci a chave e corri para a porta do sótão. Mas quando cheguei à porta, fiz uma pausa.

Por que eu estava com tanto medo de entrar naquele sótão? Fazia muitos meses que eu vivia muito feliz nesta casa. "Não havia razão para meus sentimentos", eu disse a mim mesma inúmeras vezes. Durante dois dias, tentei me convencer a abrir a porta do corredor e subir a escada até o sótão.

Então, eu tive outro sonho com a vovó em seu Corpo Dourado. Tudo o que ela disse foi: "Não tenha medo meu amor." Ela poderia ter a intenção de dizer algo diferente da chave, mas assim que eu acordei coloquei um jeans e uma camiseta, peguei a chave no fundo da minha  caixa de jóias, e me dirigi para a porta do sótão.

Subi os degraus íngremes até a porta do sótão e lá fiquei por muito tempo, e, finalmente tive coragem de colocar a chave na fechadura. Eu estava quase esperando que a chave não se encaixasse, mas ela se encaixou perfeitamente. Na verdade, também era como se a chave se transformasse.

Eu tentei não refletir sobre essa sensação estranha, já que eu já tinha mais adrenalina do que precisava. A porta se abriu tão facilmente quanto a chave girou. "Isso é estranho", eu disse a mim mesma. Poderia até se pensar que uma chave tão antiga não funcionaria tão facilmente em uma porta tão antiga.

Eu não percebi que a janela alta em direção ao topo da casa era para o sótão, mas lá estava, com o Sol brilhando em uma pilha particular de papéis velhos. Como tudo o que aconteceu até agora era surrealista, decidi olhar para aquela pilha de papéis, primeiro.

Eu cuidadosamente movi os papéis soltos e encontrei um manuscrito encadernado logo abaixo deles. Era como se aqueles papéis tivessem sido colocados ali para esconder ou proteger o manuscrito encadernado, que eu cuidadosamente peguei. Quando abri o manuscrito na primeira página, encontrei uma introdução, que irei compartilhar palavra por palavra. Foi escrito por uma pessoa chamada Shara Lynn.

Na verdade, o manuscrito era um diário e foi escrito por alguém chamado Shara Lynn. Tenho certeza de que minha avó recebeu este diário, que acabou se tornando mais como um livro, em uma das muitas livrarias antigas que ela adorava ir. Era este o livro que ela sempre parecia estar procurando?

Lembro-me de ir com ela a muitas livrarias antigas e da alegria de vasculhar as pilhas de livros antigos em busca do misterioso livro que vovó sempre procurava. Eu me pergunto se o livro que acabei de encontrar é o que ela sempre procurava?

Eu acho que nunca vou saber a resposta para isso. No entanto, se eu lesse o livro, eu poderia obter algumas pistas sobre o que minha avó estava fazendo. Foi então que comecei a chorar silenciosamente. Até então, eu tinha empurrado minha tristeza para um lugar seguro até que eu estivesse pronta para visitá-la.

Mas, enquanto eu pensava na lembrança de olhar através de velhas livrarias com a vovó, procurando por algo que ela nunca compartilhou comigo, de repente eu estava cheia de grande tristeza por perdê-la. Então, quando me lembrei de todos os momentos maravilhosos que passei com minha amada avó, comecei a soluçar incontrolavelmente.

Finalmente, com minhas lágrimas, consegui abrir cuidadosamente o livro antigo para descobrir o que havia dentro. Para minha surpresa, o livro foi na verdade escrito por uma pessoa chamada Shara Lynn, e era seu diário pessoal.

Quem era essa Shara Lynn e como minha avó conseguiu seu diário? "Bem", eu disse a mim mesma: "Você não irá descobrir até levar o livro para o andar de baixo e começar a lê-lo."

Graças a Deus, o "eu prático" assumiu antes do "eu pesaroso" e "o eu mais solitário do que eu pensava que alguém poderia ser" assumiu. No entanto, antes de entrar mais em meus próprios problemas, quero compartilhar o primeiro capítulo com você.

"Espere! Quem é esta? Eu pensei. Por alguma razão, o nome Shara Lynn ficava correndo em minha mente. "Quem é esta Shara Lynn, e por que ela continua vindo à minha mente?" Eu gritei para ninguém.



Mais uma vez, senti uma emanação. NÃO, tenho certeza de que era a essência da voz doce da minha avó dizendo: “Leia o livro, querida. Eu o deixei aqui para você. Agora eu estava realmente assustada ao ouvir minha avó responder aos meus pensamentos. No entanto, percebi que ela estava respondendo a todos os meus pensamentos desde que ela havia falecido. (Eu não suporto dizer a palavra "morreu".)

Acho que a razão pela qual abri o livro e comecei a lê-lo foi me distrair da minha tristeza. Eu sempre amei um bom mistério, e isso era, de fato, um mistério. Portanto, peguei o livro com firmeza em minhas mãos, saí do sótão, desci as longas escadas e tranquei a porta novamente.

Por que eu senti a necessidade de trancar a porta, e por que eu "escondi" a chave do sótão na minha caixa de jóias novamente? Agora sou capaz de perceber que eu estava, de fato, seguindo alguma forma de “orientação superior”, mas eu nem tinha conhecimento desse termo naquela época.

Mesmo com a chave de volta na minha caixa de jóias e o manuscrito, ou era um livro, recuperado e esperando ao lado da minha cama, nem sequer o abri durante alguns dias que me lembre.

Por que eu estava tão assustada com este manuscrito? Mas talvez não fosse qualquer “manuscrito”? E se tivesse algo que eu não quisesse saber?"PARE", eu disse a mim mesma. "O que poderia ser tão “assustador” sobre o que provavelmente seria o diário da avó.

Eu estava prestes a descobrir.

 
Suzanne Lie.
 

Continua.


 
Agradecimentos a: 


  • Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br 
pela tradução de:




Recomenda-se o discernimento.





Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.






Atualização diária.