Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

ADAMUS – SÉRIE DA PAIXÃO – SHOULD 5


OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM

Série Paixão 2020 – SHOUD 5

Adamus Saint Germain,

canalizado por Geoffrey Hoppe.

Apresentado ao Círculo Carmesim
a 4 de janeiro de 2020

www.crimsoncircle.com

Tradução de Inês Fernandes.

 
 
.
 
 



 
 
Ah! Obrigado pelos aplausos. [Risadas]
 
Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain.
 
Nunca imaginei que estaria aqui com vocês em 2020.
 
Eu não sabia se iríamos realmente conseguir, mas aqui estamos nós. Quero dizer, aqui estamos nós!
 
Não gosto de usar essa palavra excessivamente utilizada, mas vou usar: incrível!
 
É incrível que vocês estejam aqui. Vocês não estão mortos. Vocês não vão voltar para uma outra existência. [Adamus ri.]
 
É incrível que vocês, de fato, estejam aqui, curtindo um dos primeiros dias de 2020. Verdadeiramente incrível.
 
 
Observações
 
Mas, antes de falarmos mais sobre isso, tenho algumas observações a fazer, se conseguir achá-las. [Ele pega um pedaço de papel no bolso.] São verdadeiras. Aqui diz: “Direto da mesa de Adamus Saint Germain, Presidente do Clube dos Mestres Ascensos, algumas observações.” [Risadas]
 
Para os que participaram da aula de Keahak no sábado, notamos que alguns deixaram o cérebro na Casa de Keahak. [Risadas] E, se estão no Keahak, sabem exatamente do que estou falando. Se vocês perderam o cérebro lá, provavelmente não vão sequer atinar para o que estou dizendo. Mas, se realmente perderam o cérebro, por favor, falem com o Dr. Doug ou a querida Linda de Eesa, que eles o devolverão, se quiserem mesmo ele de volta. [Mais risadas]
 
Próxima coisa da lista, para vocês se programarem. Por favor, vejam que o Clube dos Mestres Ascensos realizará sua primeira Open House.
 
LINDA: Ooh!! [A plateia faz “ooh!”.] Uou!
 
ADAMUS: Será na quarta-feira, dia 1º de abril. Primeira Open House, e tem uma nota aqui, que não sei exatamente o que significa: B-Y-O-B. [Algumas risadas] Deve ser uma coisa dos humanos? B-Y-O-B…
 
LINDA: Não é no Dia da Mentira?
 
ADAMUS: … Bring Your Own Bitch (Traga Sua Própria Vagabunda? [Linda se exalta e a plateia faz “ohh!”.]) Oh, Bring Your Own Bottle (Traga Sua Própria Garrafa). Kuthumi é que disse. Kuthumi disse isso. [Risadas]
 
LINDA: Não é pegadinha de Primeiro de Abril, é?
 
ADAMUS: Bring Your Own Being (Traga Seu Próprio Ser). É, é. [A plateia faz “oh!”.]
 
Em geral, não realizamos Open Houses, porque, bem, é preciso conquistar seu caminho até o Clube dos Mestres Ascensos. Mas fui eu mesmo que propus a ideia. Quero começar a dar aos Shaumbra o verdadeiro gostinho de como é a vida após a morte. [Adamus ri.] Quero dar a vocês o verdadeiro gostinho de… Sim, eu conduzirei tours pessoais do meu escritório, como Presidente – autoindicado – do Clube dos Mestres Ascensos. E eu gostaria que vocês se encontrassem com outros Mestres Ascensos. Vocês estão familiarizados com alguns nomes, é claro, como Buda e alguns outros. Mas muitos vocês sequer reconheceriam. E eles estarão caracterizados com a forma humana da última existência deles. Estarão como eles eram na última existência. Vocês verão como eram desprezíveis. [Risadas] Não, é sério. Digo, realmente eram. O sofrimento… e passar por todas as aflições e agonias do caminho para a Realização e, como aconteceu com a maioria, desaparecer do planeta logo em seguida…
 
Teremos alguns seminários especiais: A Brutalidade do Despertar [algumas risadas] e Como se Distrair Totalmente na Estrada para a Realização. E alguns outros seminários divertidos que serão conduzidos pelos Mestres Ascensos: Por que É Tão Difícil Permanecer no Planeta Após a Realização e Por que Talvez Queiram Reconsiderar Algumas de Suas Escolhas. [Mais risadas]
 
Não estou brincando. É na primeira quarta-feira de abril, no Clube dos Mestres Ascensos. Não é preciso se inscrever ou fazer reserva. Basta conceber onde diabos fica o Clube dos Mestres Ascensos. [Algumas risadas] E, se vocês estão chegando à mestria, não deve ser uma tarefa difícil. Basta… o quê? Permitir-se estar lá, que, então, vocês estarão.
 
E Cauldre acha que estou brincando. E é na quarta-feira, Primeiro de Abril? Claro que sim. [Mais risadas]
 
LINDA: Pfff!
 
ADAMUS: Mas nós vamos fazer isso? Claro que sim. Nós vamos até… Cauldre e Linda nem sabem ainda… mas vamos gravar. Faremos, eu acho, uma gravação e também será realizado aqui no estúdio. [Risadas, e Linda faz uma careta.] Open House no Clube dos Mestres Ascensos. E será de graça para todos que tiverem passado pelo despertar. Os demais pagarão no mínimo mil dólares.
 
Próxima coisa da lista…
 
LINDA: Então, será transmitido do Havaí? [Geoffrey e Linda estarão no Havaí nessa data.]
 
ADAMUS: Não quero saber de onde será. Só sei que será no Clube dos Mestres Ascensos. Você não consegue ir lá estando no Havaí? [Alguém ri muito alto.] As perguntas que os humanos fazem! Minha nossa! [Mais risadas]
 
Certo, próxima coisa da lista de observações. A todos que fizeram uma lista de resoluções de Ano Novo, peço que, por favor, livrem-se dela até realizarmos Aspectologia, no final deste mês. Agora, eu não entendo essas coisas com os humanos. Todo ano, fazem a mesma coisa. O Ano Novo chega, eles anotam as resoluções e, uma semana depois, descartam todas elas. Perdem a validade, mas vão tentar novamente no ano seguinte.
 
Eu sugiro que todos vocês… Essas resoluções de Ano Novo criam aspectos terríveis que ficam em volta. Aí, eles retornam no ano seguinte: “Eu sou seu aspecto gordo.” [Risadas] “Lembra que você me ignorou? Lembra que você comeu feito um porco uma semana depois de fazer a resolução (de emagrecer)? Mas eu, seu aspecto gordo, ainda estou aqui. Voltei para outro ano de resoluções.”
 
Livrem-se delas.
 
Se alguém fez alguma resolução… é sério? Primeiro, chega de resoluções! Chega de metas! Na realidade, eu encorajo vocês a fazerem justamente o oposto: façam o que diabos vocês quiserem fazer este ano. [A plateia vibra e aplaude.] É. É assim que um Mestre faz. O Mestre não fica fazendo resoluções que acabam sendo descartadas depois e que criam alguns aspectos terríveis. Por que vocês acham que estamos fazendo Aspectologia em janeiro? Temos que correr atrás desses aspectos. Temos que lançar uma rede em volta deles e sufocá-los.
 
Este não é um ano para… Não importa o que vocês achem que precisam melhorar, esqueçam isso.
 
Não parem de fumar. Não façam dieta. Não comecem a se exercitar.
 
Não façam nada disso, porque isso só cria aspectos bem ruins. Vejam, se forem pensar muito nisso… “Ah, tenho que seguir um programa para parar de fumar ou parar de comer muito…” Ou o que for. Se forem fazer isso, é porque não querem realmente fazer isso! Digo, não querem realmente seguir uma dieta. Vocês estão meio que punindo a si mesmos: “Ah, tenho que seguir essa dieta. Tenho que parar de fumar.” Por quê?
 
Vivam como Mestres. Vivam como vocês querem viver, não como vocês acham que devem viver. Então, por favor, livrem-se dessas resoluções. Na verdade, mesmo antes de encerrarmos nossa sessão de hoje, liberem todas essas resoluções. Sejam vocês mesmos. Essa é a maior coisa que podem fazer. Não quero saber quanto pesam ou não pesam, se fumam, não fumam. Isso realmente não importa nem um pouco pra mim, ou para os outros Mestres Ascensos ou pra vocês mesmos.
 
Vamos respirar fundo com isso e simplesmente liberar todas essas resoluções.
 
Certo. E a última coisa da lista, ah, é bem importante. Rude Awakening (Rude Despertar), o filme, parece que será lançado este ano. Vou assegurar que seja. Em 20 de junho, em Amsterdã. Estarei lá e estarei vestido para a ocasião. Não quero ver ninguém desleixado ou parecendo mendigo na rua. Vistam-se para a ocasião. É o nosso momento de tapete carmesim. Não de tapete vermelho, mas de tapete carmesim.
 
Apoiem o filme, seja comprando uma entrada, seja fazendo uma doação, seja se tornando um investidor. Apoiem o filme. É o nosso filme. É o filme de todos nós. Trata de vocês. É a jornada de vocês. E já posso ir dizendo que esse filme, Rude Despertar, vai durar por décadas. Décadas. É real. É autêntico. Trata do que é entrar no despertar e, então, ser dilacerado pela rudeza de tudo isso, e sair do outro lado cheirando como rosas brancas. Vocês ainda não sabem o que é isso, sabem? [Algumas risadas]
 
Apoiem. É nosso. Não está acontecendo por acaso. Não foram só algumas pessoas na Holanda que fizeram o filme. É a energia coletiva de todos os Shaumbra. É um filme de verdadeira consciência, então, deem suporte. Assegurem que ele aconteça, seja dando suporte energeticamente, financeiramente ou de outra forma qualquer.
 
Este filme tem que sair e tem que sair este ano. E, completando, a equipe do Rude Despertar não me pediu pra mencionar isso. Eles estão chorando agora, enquanto me ouvem dizer isto aqui. Estou chorando pra todo canto. Não, é importante. É a história de vocês. Vocês vieram pra cá pra viver a história, ser a história e depois contar a história.
 
Assim, vamos respirar bem fundo com isso.
 
Este é o Ano
 
2020! Conseguimos. Conseguimos. Eu sempre soube que conseguiríamos. Eu só não sabia de que maneira iríamos conseguir; ou seja, como iria acontecer.
 
Este é o ano. Digo, antes de tudo, é o ano sobre o qual escrevi no livro A Era das Máquinas. Foi onde cheguei quando fui ao futuro e me encontrei no meio deste grupo de piratas que… [Alguém faz “aargh!” e Adamus ri.] Um grupo de piratas durões. [Algumas risadas] Aarghhh!! [A plateia repete: “Aargh!”] E eu me perguntava que diabos estava acontecendo.
 
Eu achava que talvez eu tivesse tomado um remédio ruim ou outra coisa. [Mais risadas] E foi assim: “Esse é o grupo de pioneiros espirituais? É disso que se trata?” E, então, eu percebi. Não, vocês eram reais, e estavam mesmo fazendo isso e tinham vindo pra esta que seria sua última existência até a Realização.
 
E, então, a história continua a partir daí. Como vocês permanecerão no corpo, diferente dos outros Mestres Ascensos. A verdadeira razão para a Open House em abril é que, de fato, eles querem homenagear vocês. Vocês serão impelidos para lá com comida e bebida de graça, e para conversar com os Mestres Ascensos, mas eles querem é homenagear vocês e também encorajá-los a permanecer no planeta.
 
Permanecer no planeta requer que vocês realmente tenham um entendimento do que é energia. Esqueçam a física. Vejam, os professores de ciência não fazem ideia no momento. Se fizessem, o mundo seria um lugar diferente. Esqueçam a física convencional e sintam o que é a verdadeira energia, o que é a verdadeira consciência, e elas não são a mesma coisa. Não são a mesma coisa. São coisas muito, muito diferentes. Mas a consciência traz energia à vida. Então, vocês realmente vivem dentro de sua criação e realmente vivenciam como o humano deve vivenciar, vivenciar verdadeiramente a vida e, no final, seu Eu.
 
Em 2020, descubram a verdadeira razão para estarem aqui.
 
Nós começamos realmente este caminho lá atrás nos Templos de Tien, mas meio que concretizamos isso nos tempos de Yeshua, dizendo: “É isso. É o que vamos fazer.” E não se trata do ano, mas a numerologia é interessante. É um ano de enorme equilíbrio. “Esse será o ano em que nós vamos chegar lá.”
 
E, mais do que qualquer outra coisa, o ano, o tempo que vocês escolheram para a Realização realmente não tem nada a ver com o tempo da tecnologia no planeta. Já falei muito sobre ela. Vou falar mais no ProGnost. Quem for contra eu ficar falando tudo isso sobre tecnologia, não escute. Mas este é o momento mais crítico no planeta. Crítico não no sentido de ruim, mas crítico, no sentido de pontos de partida no planeta, pontos de mudanças e de transformações.
 
Eu costumava dizer que mesmo uma mudança moderada na humanidade talvez ocorresse a cada mil anos ou algo em torno disso. Mas agora as mudanças estão acontecendo muito rapidamente. E, como falamos num ProGnost recentemente, toda uma nova espécie de humanos vai se desenvolver e será no tempo de vocês. A maioria de vocês veio depois da Segunda Guerra Mundial, que foi um período de grande mudança de potencial. Vocês vieram 20, 30 anos depois dela – alguns um pouquinho antes –, mas sabendo que a tecnologia iria mudar o mundo.
 
Olhem isso na vida de muitos de vocês. Alguns de fato não tinham sequer TV, e os mais jovens escutando isso ficam: “Hein?!” [Algumas risadas] Vejam, as pessoas escreviam cartas com caneta e papel, ou máquina de escrever. E agora usam e-mail, e tem toda a inteligência artificial e o que ela faz.
 
Falei sobre isso tudo lá atrás no Salto Quântico, em 2007, em Taos, Novo México, meio que abrindo essa coisa ao dizer: “Neste momento, enquanto estamos aqui em Taos, neste encontro adorável, muita coisa está acontecendo nos bastidores e tudo isso vai mudar o mundo.” E a tecnologia, eu adoro. Eu adoro. Ela vai mudar a duração da vida humana e do corpo humano. Vai mudar… vai fazer…
 
Vejam, cerca de um bilhão de pessoas no planeta vivem na pobreza. Eles são o bilhão da base do planeta, e ela vai mudar isso. Vai levar abundância a esse bilhão da base. Agora, alguns de vocês vão dizer: “Tá, mas a tecnologia não vai criar um abismo ainda maior entre os que têm e os que não têm?” Sim, vai. Muitos vão ter muito mais. Mas o fato é que ela vai erradicar a pobreza de modo que não haverá humanos no planeta, talvez dentro dos próximos 20 anos, vivendo na pobreza. Esse é o impacto da tecnologia. Sim, e muitos terão muito de tudo, mas os outros não estarão na pobreza.
 
Pobreza é quando vocês não têm o suficiente para uma boa refeição diária ou não têm água limpa. Não têm acesso à Internet. Este é um dos critérios para pobreza hoje em dia, não ter Internet. Ela vai eliminar isso, então, todo humano terão comida para ser saudável, terá água limpa, terá acesso a remédios, terá acesso a muitas tecnologias. E tudo isso está próximo. Está tudo aqui.
 
Às vezes, meu desejo era que vocês pudessem dar uma saidinha do corpo e vir comigo um instante, olhar pra baixo e dizer: “Eu vim pra este planeta neste período, exatamente quando os computadores estavam começando e olha agora, só algumas décadas depois, e olha pra onde estamos indo, nas próximas décadas!”
 
Mas há um único componente fundamental em tudo isso – consciência. A consciência precisa estar no planeta. Não estou falando de orações. Orações não trazem isso. Vocês sabem disso, mas, eh, talvez vocês não saibam disso. Vejam, eu quero parar cada grupo de orações no planeta. Cauldre está… Vou ter que afastá-lo daqui a pouco. Tome um café, Cauldre. Nós “batizamos” ele. [Algumas risadas]
 
Não são as orações. É a pura consciência. É isso. Isso vai manter tudo em equilíbrio, de modo que a tecnologia combinada com consciência e compaixão e também perspectiva vão tornar toda essa evolução tecnológica… poderia mudar a humanidade.
 
A Nova Terra e a Velha Terra ainda não vão se juntar. Tirem isso da cabeça agora; não vai acontecer. Mas pode proporcionar um lugar muito diferente para a Nova Terra e pode proporcionar um lugar melhor para a Velha Terra ou a Terra tradicional.
 
Então, 2020 é o ano em que muitos de vocês vão alcançar a Realização. Sim, eu sei o número exato. Não vou dizer, mas eu sei. Eu também sei que muitos de vocês não vão necessariamente escolher fazer isso este ano, mas vocês vão se permitir chegar um pouquinho mais perto, cada vez mais.
 
Existem muitas razões e, às vezes, sou um tanto severo com vocês, só um tiquinho, um tantinho severo com vocês quando pergunto: “Então, por que vocês estão se segurando? Pelos seus filhos? Pra que eles se formem na faculdade? É essa a razão pra não permitirem sua Realização?” Mas, para alguns, é a realidade.
 
Alguns vão se segurar por qualquer que seja o motivo. Talvez tenham medo do que vai acontecer, e provavelmente é um bom motivo. [Adamus ri.] Porque vai ser muito diferente do tipo de vida que vocês levam. Mas muitos passarão por isso este ano.
 
Eu diria que este é um ano em que vocês vão decolar na Realização. Quero dizer que vão realmente subir feito foguete. E botar pra quebrar quando fizerem isso. Que bela camiseta! Sempre falo de camisetas. Eu deveria abrir um negócio. Mas… Vejam: “Vou decolar na Realização este ano.” Que bela camiseta! [Alguém diz: “Detonar.”] Detonar. É.
 
Então, é um ano fenomenal. E é o ano que eu vi de antemão há muito tempo. Não significa que não haverá desafios. De jeito nenhum. Coisas ainda vão acontecer. Coisas estão acontecendo agora mesmo. Alguns de vocês chegaram aqui hoje, estejam assistindo online ou aqui em pessoa, assim: “Nossa, Adamus, você está dizendo isso, mas eu tive duas semanas bem ruins – ou um mês bem ruim. Eu passei o inferno.” Claro. Claro. Vai virar uma ótima história depois.
 
Sabedoria dos Shaumbra – Primeira Pergunta
 
Assim, vou usar isso para dar continuidade, dizendo: “Linda, com o microfone, por favor.”
 
LINDA: Tudo bem.
 
ADAMUS: Então, o que vocês vivenciaram nas últimas semanas? O que vocês sentiram e vivenciaram? E a razão para eu perguntar é que muitos olharão isto depois e vão dizer: “Ah, tá, não é só comigo. Não estou maluco. Eu pensava… ou melhor, me disseram que eu estava bem perto da Realização e que iria passar por toda essa merda.” Talvez não seja uma merda. Talvez seja outra coisa. Então, Linda com o microfone. O que vocês sentiram ou vivenciaram nas últimas semanas?”
 
VANESSA: Perda.
 
ADAMUS: Perda?
 
VANESSA: Perda.
 
ADAMUS: Ótimo.
 
VANESSA: É.
 
ADAMUS: Digo, não… sim, na verdade é ótimo. Qual foi a perda? O que você perdeu?
 
VANESSA: Bem, eu tinha uma amiga que acabou de fazer a transição, então, é uma perda. Mas…
 
ADAMUS: Você acha que ela está morta?
 
VANESSA: Como é?
 
ADAMUS: Você acha que ela está morta?
 
VANESSA: Sim.
 
ADAMUS: Não.
 
VANESSA: [rindo] Bem, não, eu…
 
ADAMUS: Ela está sentada aí do lado rindo…
 
VANESSA: Então, é…
 
ADAMUS: Ela não está morta.
 
VANESSA: Não.
 
ADAMUS: É.
 
VANESSA: Então, é…
 
ADAMUS: Espera. Tenho que parar agora mesmo.
 
VANESSA: Tá.
 
ADAMUS: Eu considero a morte não uma perda, mas um ganho. Não, realmente considero. Quando a pessoa morre, muitas vezes, ela carrega muita coisa da existência dela e leva isso para a sabedoria. É um ganho. É um efeito líquido positivo de quando se morre. Então, vamos… Temos que mudar a dinâmica da morte neste planeta. Digo, é tão…
 
VANESSA: Bem, não há uma tristeza.
 
ADAMUS: Certo. Só uma perda.
 
VANESSA: Só uma perda.
 
ADAMUS: Não estou implicando com você. Estou só ressaltando uma das coisas que… Algum trabalho temos que fazer neste planeta. É.
 
VANESSA: E, então, teve isso. Mas também houve essa grande…
 
ADAMUS: Perde-se peso quando se morre. [Risadas]
 
VANESSA: Dá pra reparar. [Ela ri.] Dá pra reparar.
 
ADAMUS: E não é preciso mais pagar contas. [Eles riem.] É – puf! – e elas desaparecem.
 
VANESSA: Não. Definitivamente, alivia a pressão. [Ela ri.]
 
ADAMUS: Nem impostos. É. É.
 
VANESSA: Então, também…
 
ADAMUS: E todo mundo diz coisas legais de você, é. [Mais risadas] Chamavam você de filho da puta quando estava vivo e, de repente… “Ah, ele era uma das pessoas mais bacanas que eu conheci. Gentil com todo mundo.” Mas uma semana antes estavam dizendo: “Que filho da puta.” [Algumas risadas] É. “Queria que ele morresse. Aah! Ele morreu!” Desculpe, não quero minimizar sua perda.
 
VANESSA: Não, não. Tudo bem. Houve também…
 
ADAMUS: Qual foi mesmo a sua perda?
 
VANESSA: Só uma amiga.
 
ADAMUS: Certo.
 
VANESSA: É. Mas também, a perda…
 
ADAMUS: Mas estou perguntando o que você realmente perdeu.
 
VANESSA: Bem, eu acho que perdi muitos padrões diferentes.
 
ADAMUS: Com a sua amiga?
 
VANESSA: Não. Dentro de mim mesma.
 
ADAMUS: É isso que estou dizendo. Estamos chegando lá. Perder partes de si.
 
VANESSA: É.
 
ADAMUS: Como você se sentiu?
 
VANESSA: Muito bem.
 
ADAMUS: Ah, ótimo, ótimo. Não foi ruim?
 
VANESSA: Não foi ruim.
 
ADAMUS: Você não está… tipo, de luto.
 
VANESSA: Não, não.
 
ADAMUS: Certo.
 
VANESSA: De jeito nenhum. Se algo foi ruim é que eu senti que eu não tinha mais que ser de uma determinada maneira.
 
ADAMUS: Sei. Ótimo. Você tomou alguma resolução de Ano Novo?
 
VANESSA: Não.
 
ADAMUS: Ótimo. [Eles riem.] Estranho.
 
VANESSA: Não. Não. E é uma grande alegria entrar neste novo ano. Parece que eu estava esperando por ele há muitas e muitas existências.
 
ADAMUS: Ah, você estava. Você estava. É, todos nós estávamos.
 
VANESSA: E então há uma grande alegria nisso tudo. É.
 
ADAMUS: Ótimo. Então, perda. Uma perda feliz. Tudo bem.
 
VANESSA: Sim, na verdade.
 
ADAMUS: É. Tudo bem.
 
VANESSA: Então, obrigada.
 
 
ADAMUS: Próximo. O que vocês estão sentindo e vivenciando? Aqui estou falando de todas essas coisas no caminho para a Realização. Enfim, estamos aqui e o que vocês estão sentindo?
 
FRIEDA: Obrigada. [Ela e Linda riem.]
 
ADAMUS: É.
 
LINDA: É, eu ouvi isso!
 
FRIEDA: Sim! [Elas continuam rindo.]
 
ADAMUS: Você sabe por que recebeu o microfone, não sabe?
 
FRIEDA: Sim, eu sei!
 
LINDA: Eu vi você estalando os dedos! [Eles riem.]
 
ADAMUS: Porque você estava assim: “Não me dê o microfone. Não me dê o microfone.”
 
FRIEDA: Sim, eu sei! Eu sei! [Ela ri.] Hum, pergunte novamente.
 
ADAMUS: O que você vivenciou nas últimas semanas? O que você anda sentindo? Veja, não em questões práticas, mas é como… eh, nem mesmo emocionais… mas como está a sua vida?
 
FRIEDA: Com altos e baixos.
 
ADAMUS: Sei.
 
FRIEDA: E os altos nunca foram tão altos nem tão voltados para a Realização, digamos, e eu realmente não sei o que é isso.
 
ADAMUS: Tá. Você acredita?
 
FRIEDA: Não é uma questão de acreditar.
 
ADAMUS: Mas você acredita. Digo, você acredita que isso tudo vai acontecer?
 
FRIEDA: Honestamente, não o tempo todo.
 
ADAMUS: Não o tempo todo. Sei.
 
FRIEDA: Não.
 
ADAMUS: Quantos por cento do tempo, você acha?
 
FRIEDA: Está aumentando, e eu acho que 20% do tempo.
 
ADAMUS: Que você acredita?
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: Tá, ah.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: E alguns diriam: “Nossa, isso significa que 80% do tempo você não acredita?”
 
FRIEDA: Sim, é muita coisa. [Ela ri.]
 
ADAMUS: É muita coisa! [Eles riem.] Mas eu quero que todo humano daqui para frente que esteja escutando isto, eu quero que todo humano ouça isso, porque aqui está você, realmente às vésperas de sua Realização.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: E aqui está você simplesmente dizendo que está com muitos altos e alguns baixos, mas só acredita realmente 20% nisso e eu nem diria 20%. Eu diria talvez 10, de que isso realmente vai acontecer. E o pessoal está assistindo… cadê a maldita câmera? Aquela câmera, ou aquela ali. Eles estão assistindo, os que estão vindo depois de você, e é assim: “Não seria suficiente pra mim. Só 10%? Estou apostando minha vida – estou sacudindo e lançando os dados –, e essa Realização tem 10% de chance de acontecer.” Na verdade, isso é muito bom. Digo, parece ruim, mas na verdade é muito bom, porque eles estão pensando, estão na mente, nesta altura.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: E vou mostrar pra você mais tarde por que 10% de fato não importa, realmente. Contanto que haja um por cento ou meio por cento.
 
FRIEDA: É uma porta que está aberta, mesmo que seja só um pouquinho. E é… sim, é inevitável. É assim mesmo.
 
ADAMUS: Exatamente.
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: Mesmo que você lutasse contra agora… mesmo que dissesse: “Isso é um lixo. Adamus está falando um monte de bobagem. Não vai ter Open House no Clube dos Mestres Ascensos. Eu sei. É Primeiro de Abril.” [Algumas risadas] Mesmo assim, a coisa ainda vai acontecer. Então, é. Mas o fascinante é que, com apenas… você diz 20%; eu digo 10%… você acreditando… isso é que é incrível, vai acontecer.
 
FRIEDA: É. Está sem tranca. É a única coisa que eu posso… a porta está destrancada… ela… é, não. Basta empurrar que ela abre. Simples assim.
 
ADAMUS: Ou nem existe uma porta.
 
FRIEDA: Não, ah, certo. [Algumas risadas]
 
ADAMUS: Veja, perspectiva é… Perspectiva é tudo.
 
FRIEDA: Talvez minha parte humana goste de fazer uma entrada dramática.
 
ADAMUS: É, você pode fazer uma entrada dramática, é claro. [Ela ri.] Mas uma das coisas maravilhosas da Realização é que vocês, de repente, têm a capacidade de mudar de perspectiva. Não mentalmente, mas energeticamente.
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: De modo que… não importa o que vocês desejem… vocês mudam de perspectiva para o que vocês desejam e, apesar da consciência de massa, da gravidade e dos velhos hábitos e padrões, passa a haver uma perspectiva ampla agora em vez de limitada. Então, sim, você pode dizer que quer atravessar uma porta, mas também não existe porta, também pode haver uma grande cerca de arame farpado. Mas não importa, porque seu corpo vai conseguir atravessar. É o E. Realização – uma de suas belezas é que a perspectiva muda. Não é mais preciso se manter pequeno, estreito e focado, dizendo: “Ah, eu tenho que atravessar a porta.” É assim: “Dane-se a porta. Eu vou passar pelo lado.” É só uma porta. Não existem paredes do lado. Mas a porta é uma grande metáfora.
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: É.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: É. Mas também a porta fica aberta e você vai passar por ela.
 
FRIEDA: Não, eu entendo o que você está dizendo, que é só uma imagem.
 
ADAMUS: É só uma imagem.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: É.
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: É divertido, mas é só uma imagem.
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: Ótimo. Então, você tem altos e baixos, 20%, talvez?
 
FRIEDA: É, e talvez algo que está me vindo à mente é… o que me vem é… eu não diria nem que está ficando evidente… mas estou começando a entender, bem – por falta de um termo melhor – o conceito de perceber que se está realizado. Ele sempre existiu.
 
ADAMUS: Exatamente.
 
FRIEDA: E é só… E eu não consigo nem imaginar isso fora do meu…
 
ADAMUS: Se sempre existiu, como você não via? Não só você, mas estou falando… Se sempre existiu, como…?
 
FRIEDA: Eu vejo fragmentos.
 
ADAMUS: Claro, mas por que não a coisa grande por inteiro? Por que fragmentos? Por que pequenos lanches ao longo do caminho e nunca uma refeição completa?
 
FRIEDA: É, por que a coisa é tão limitada?
 
ADAMUS: É, sim.
 
FRIEDA: Isso é uma pergunta?
 
ADAMUS: Ha-ham. É. [Algumas risadas] É. Não dá pra ver o ponto de interrogação no final da frase? [Ela ri.]
 
FRIEDA: É. A única coisa que consigo pensar, e que eu sei e que eu sinto, e que também explica os altos e baixos, eu acho… ou melhor, não “eu acho”, eu sei… é que sou eu que… a única coisa que está no caminho sou eu.
 
ADAMUS: É.
 
FRIEDA: É…
 
ADAMUS: Sim e não. Tudo bem, sim, mas por que você iria querer ficar no seu caminho?
 
FRIEDA: Ah, minha nossa! Se essa…
 
ADAMUS: Obrigado.
 
FRIEDA: … porta se abre… [Ela ri.] É muita coisa. Primeiro, é muita coisa. E eu estava pensando sobre isso quando você começou a falar… Estou perdendo a cabeça aqui. [Ela ri.]
 
ADAMUS: Está tudo bem. Está tudo bem.
 
FRIEDA: [rindo] Não consigo mais achar as palavras! Dá um branco.
 
ADAMUS: Linda recolhe os cérebros e as mentes.
 
FRIEDA: Bem, me devolva!
 
ADAMUS: No final da sessão, você pega de volta. [Ela continua rindo.] Depois do Keahak da semana passada, tinha cérebro pra todo lado. [Algumas risadas] E a equipe de limpeza que chegou na Casa de Keahak depois e encontrou os cérebros… “O que devemos fazer com isso?” Disseram. É. [Ela ri.] Onde estávamos?
 
FRIEDA: Falando que estou perdendo a cabeça. [Risadas] E sobre os fragmentos e o que estávamos falando.
 
ADAMUS: Então, a pergunta era: por que apenas fragmentos em vez de ter a coisa toda? Você sabe que sempre foi assim. Você sabe que sabe que é assim. Por que não desfruta da comida toda?
 
FRIEDA: Eu acho que é de propósito. É o meu jeito, não que eu esteja me punindo nem me deixando… ou me limitando… é que, energeticamente, é muita…
 
ADAMUS: Alguém já lhe disse que você pensa demais?
 
FRIEDA: Sim. Ah…
 
ADAMUS: Sim, sim.
 
FRIEDA: … eu mesma, na maioria das vezes.
 
ADAMUS: Tá, tudo bem. [Adamus ri.] Respire fundo. É muito simples. Há uma tendência a pensar demais nas coisas. É muito simples. Você diz: “Bem, por que só fragmentos?” E: “O que eu estava fazendo de errado? Eu estava seguindo meu caminho.” Não. É que não acabaram as experiências ainda. É isso. Ponto final.
 
FRIEDA: Sei, são os ajustes.
 
ADAMUS: Sim, mas o que quero dizer é que não é uma coisa ruim. O humano ainda não encerrou as experiências dele ainda.
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: Então, você se dá pequenos pedaços ao longo do caminho, dizendo: “Tudo bem, olha só, a iluminação vai chegar, mas só vamos ter um gostinho.” E o humano fica: “Está bem, mas eu tenho que chegar lá e quero ter mais algumas experiências.” E é isso. Você não fez nada de ruim. Você pode dizer que está fazendo do seu jeito, mas a razão é: “Vamos ter um pouquinho mais de experiência antes de seguirmos em frente.” É isso. Você quer mais experiências?
 
FRIEDA: Um pouquinho, sim.
 
ADAMUS: Quanto mais?
 
FRIEDA: É pra eu dar uma porcentagem?
 
ADAMUS: Sim! Sim! [Ela ri.] Eu adoro porcentagens. Quanto, veja bem, numa escala…? Vamos usar escalas. Numa escada de um a dez – dez sendo muitas experiências e um sendo quase nenhuma – quantas experiências mais você quer?
 
FRIEDA: Estou no dois.
 
ADAMUS: “Sete” foi o que você disse? [Algumas risadas]
 
FRIEDA: Não, dois. [Ela ri.]
 
ADAMUS: Você está no dois. O que isso significa? Você quer mais um mês de experiências? [Ela pensa.] E vocês sabem que essa é minha parte favorita de trabalhar com os Shaumbra. [Adamus ri.] Quantas experiências mais você quer?
 
FRIEDA: É meio viciante e é… [Ela pensa.]
 
ADAMUS: Espere um segundo. Eu quero que todos vocês, novatos, que estão assistindo a isto nos próximos anos, eu realmente quero que escutem. É fascinante. É viciante. É!
 
FRIEDA: Sim.
 
ADAMUS: Sim. Isto [apontando para Frieda] é a Mestra falando, mas sem deixar ela perceber ainda que ela é Mestra, embora ela seja, mas ela fica: “Ah, sou viciada em ter experiências.” Então, quando você vai terminar com isso, vai encerrar as velhas experiências humanas e seguir em frente?
 
FRIEDA: Acho que tudo se resume a uma decisão.
 
ADAMUS: Certo. [Ela ri.] Gostei. Você está pronta?
 
FRIEDA: Ah, minha nossa. Estou tremendo como se eu fosse… [Ela ri e depois suspira.]
 
ADAMUS: Você quer tomar uma decisão ou quer esperar?
 
FRIEDA: Eu criei isso? [Adamus ri.] Que ótimo! [Ela ri.]
 
ADAMUS: E, veja, perceba que você escolheu um lugar ao lado de uma parede.
 
LINDA: Exatamente.
 
FRIEDA: [rindo] Escolhi!
 
ADAMUS: É.
 
LINDA: Exatamente.
 
ADAMUS: Não dá pra fugir. Não tem porta.
 
FRIEDA: [ainda rindo] Não, não posso nem… as cadeiras estão todas no caminho!
 
ADAMUS: É. E elas estão bloqueando deste lado. Se tentar por ali, o Larry vai te segurar, e… [Ela ainda está rindo.] É. Não é um ótimo arranjo? Então, você quer tomar uma decisão agora ou quer esperar?
 
FRIEDA: Bem, vocês todos estão me vendo. Eu fico: “Virem pro outro lado!” [Ela ri.]
 
ADAMUS: Não, a gente fecha os olhos.
 
LINDA: Ééé!
 
ADAMUS: Está certo, todo mundo fechando os olhos.
 
ADAMUS: Continuem filmando. Todo mundo fechando… [Adamus ri.] Não, você pode esperar, se quiser. Está tudo bem.
 
FRIEDA: Eu quero.
 
ADAMUS: Oh, droga! [Eles riem.] Eu sei que você quer. Eu sei que você quer. E é porque, se tomar uma decisão agora, as coisas podem mudar na sua vida. Mas, veja, acontece, e todo mundo aqui se identifica com isso. “Ah, vou esperar. Amanhã. Talvez minha cabeça tenha mais clareza amanhã.” Não. De jeito nenhum. “Talvez amanhã e tenha um pouquinho mais de iluminação.” Não. Por que não simplesmente tomar…? Porque você sabe o que você vai fazer amanhã. Você vai esquecer que tivemos esta conversa.
 
FRIEDA: Não, não vou. [Algumas risadas]
 
ADAMUS: Posso tornar isso possível. Você não vai se lembrar de nada. [Risadas]
 
FRIEDA: Você está bagunçando minha cabeça!
 
ADAMUS: Você não vai se lembrar de nada! [Ela ri.] Então, por que não quer fazer isso agora mesmo? Os que estão assistindo a isto, lá adiante no tempo, estão assim: “Faça! Faça! Faça isso hoje! Tome uma decisão! Faça!”
 
FRIEDA: Bem, mesmo em mim eu consigo sentir esse “faça, faça!”.
 
ADAMUS: Os que estão aqui estão: “Que merda! Que bom que não é comigo!” [Algumas risadas]
 
FRIEDA: É.
 
ADAMUS: Primeiro, qual é a decisão? Por que está fazendo isso?
 
FRIEDA: Bem, não vem da minha cabeça. Isso é certo.
 
 
 
Continue lendo no elo abaixo.

https://rayviolet2.blogspot.com/2020/01/adamus-serie-da-paixao-should-5.html


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.