Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

AJUDANDO OS OUTROS

AJUDANDO OS OUTROS

Mensagem de Jeshua*

Canalizada por Pamela Kribbe

 

Tradução: Vera Corrêa

a 7 de dezembro de 2020




 
 
 
 
Queridos amigos,
 
Estou muito feliz por estarmos hoje novamente reunidos para celebrar a nova era. Ela já não é mais algo que se encontra lá longe, no futuro; é algo que está crescendo sob seus pés e florescendo aqui e agora. 
 
Uma nova consciência, um novo conhecimento está nascendo neste mundo. Isto tem a ver com a energia que está brotando no coração de muitas pessoas. E vocês são os pioneiros, os desbravadores; vocês são os primeiros a carregar a semente dentro de si e plantá-la na Terra.
 
Vocês são trabalhadores da Luz, aqueles que trazem, em suas almas, um desejo profundo de espalhar a luz da consciência, para que haja mais paz, alegria e tolerância na Terra; mais espaço para ser criativo e compartilhar uns com os outros; a liberdade de apreciar uns aos outros com franqueza e amor, sem aqueles padrões, valores e obrigações penosos que herdaram da sua cultura e que funcionam como uma prisão ao redor de vocês. O desejo de mudança vem de seus corações, e nós estamos removendo as grades das janelas dessa prisão.
 
Ainda assim, muitas vezes vocês se escondem; constroem uma jaula imaginária ao redor de si mesmos, onde aguardam ansiosamente e se perguntam se lhes é permitido estabelecer sua nova luz e irradiá-la neste mundo. 
 
Ainda existem energias velhas em ação, pois o surgimento da nova só poderá ocorrer quando a antiga se extinguir. Primeiro precisa haver uma espécie de morte; e é precisamente antes desse momento final – quando a estrutura tradicional desmorona e uma nova consciência desabrocha – que a antiga começa a resistir. 
 
E isto às vezes os atinge sob a forma de medo: “Posso fazer isto? Posso ser uma parte do novo? Existe um lugar neste mundo para o anjo que há em mim? Este anjo tem permissão para se expressar aqui? Será que ele pode ser útil e ajudar os outros? Será que ele pode celebrar a vida aqui e compartilhar com outros em alegria e felicidade?”
 
A missão de suas almas na Terra é ser o anjo que cada um de vocês é. Este é o motivo de terem vindo para cá. E não se enganem – vocês são pioneiros, vocês são desbravadores. Portanto, não pertencem às velhas estruturas do passado, que geralmente se baseiam no poder e autoridade de relações hierárquicas. 
 
Existem papéis bem definidos, especialmente em situações de trabalho, que se concentram em escolaridade, habilidade ou talentos específicos, mas seu anjo interior não será limitado por particularidades que podem ser avaliadas por diplomas ou graus, por exemplo. 
 
Seu anjo interior é uma energia pulsante que vem da própria fonte da vida, e não será limitado por pensamentos concebidos por seres humanos e ideias que não combinam com quem vocês realmente são. Vocês devem aprender a se familiarizar novamente com aquela parte livre e irrestrita das profundezas de seu ser.
 
Vocês acabaram ficando com medo dessa parte e, desde criança, foram levados a ter cuidado com ela. A criança possui um fluxo de vida bastante espontâneo e o aproveita; veja com que facilidade ela vive nessa espontaneidade de sentimentos, nessa flutuação de emoções. E também tem um desejo muito claro de fazer, ou de não fazer, certas coisas. 
 
A criança diz “sim” ou “não” com muita facilidade e sabe o que quer ou não quer. Ela não precisa ter todas aquelas reservas do tipo: “Posso fazer isto ou não?” A criança não tem as mesmas inibições poderosas que vocês têm. Vocês acumularam muitos pensamentos limitantes ao longo de suas vidas, mas também trazem na alma um desejo ardente de eliminá-los.
 
Para começar, essa “limpeza” é uma coisa que cada um faz para si mesmo assim como para os outros. Você se torna um exemplo para outras pessoas, quando vive na sua luz, na sua grandiosidade; quando ousa manifestar, sem restrições, a energia vibrante do anjo que existe em você. 
 
Se não tiver medo do que os outros vão achar, ou pensar ou esperar de você, você se torna um anjo de luz para eles. Não porque lhes ofereça ajuda concreta, mas simplesmente por ser a pessoa que você é: uma fonte de luz e beleza. O fato de você ser essa fonte inspira outras pessoas, porque lhes dá a sensação de leveza, beleza e alegria, e você não precisa se esforçar para conseguir esse efeito.
 
Ajudar os outros não é algo que você faz; é um estado de ser. Pense em todos os professores que vieram antes de você, que você conhece pela sua História – pessoas que foram chamadas de mestres ou santos. Eles viveram por si mesmos e não através de outros. 
 
Eles experimentaram em si a fonte de sua própria divindade – o anjo – e isto lhes trouxe um prazer e um êxtase que podem ser difíceis de expressar em palavras: eles vivenciaram a fonte do seu próprio ser ilimitado. Eles trouxeram o Céu para a Terra, porque não tiveram medo de si mesmos, mas irradiaram o que eram de forma ilimitada. 
 
Simplesmente sendo quem eles eram, eles foram um farol de luz para outras pessoas. As pessoas percebiam a luz que eles traziam, e queriam estar junto deles, porque esses professores eram felizes, despreocupados, tranquilos. E isto não lhes custava nenhum esforço, pois eles apenas se concentravam na fonte de luz no interior de si mesmos. A alegria e o prazer que vivenciavam criavam centelhas de inspiração nos outros.
 
Portanto, vocês não precisam trabalhar para isso. O único trabalho é encontrar essa luz dentro de si mesmos, aqui e agora, e aproveitá-la, ousar vivê-la, pois vocês agora são os professores deste novo tempo. E não hesitem em assumir este título, pois não é questão de ego ou arrogância. 
 
Simplesmente sintam, em sua alma, um desejo profundo de mudança, expondo estruturas antigas e rígidas para torná-las mais visíveis, de modo a possibilitar um fluxo de nova criatividade, liberdade e amor neste mundo. É isto que cada um de vocês veio trazer para cá.
 
E como fazer isso? 
 
Como se conectar com essa luz vibrante do anjo, do portador de luz que está em você? 
 
Não precisa tentar encontrá-la nem se esforçar para isto, porque essa luz já está aí – ela já flui em você. Ela dá vida a tudo o que você agora é – aos seus pensamentos, suas emoções, seu corpo. Sem essa luz, você não estaria presente aqui na Terra, portanto ela já existe. 
 
Ela está em todas as células do seu corpo, no seu coração, nos seus sentimentos. Entretanto, ela ficou encoberta – em alguns lugares mais do que em outros – por uma camada de escuridão ou, poderíamos dizer, simplesmente por uma camada de falta de conhecimento, de falta de conexão com quem você realmente é.
 
Quero falar dessa camada com mais detalhes… Essa camada é o véu de ignorância que você coloca sobre si mesmo quando não está conectado com seu eu essencial. Sinta essa camada dentro de si por um momento, sem julgá-la, mas à luz da sua consciência. Sinta a rigidez dessa camada, que pode até ser física, mas permita que ela esteja aí. 
 
Perceba se há um aperto em um dos seus centros de energia: no estômago, ou no peito, ou na garganta, ou onde quer que o sinta. Observe-o com a mente muito aberta, mas permita que esteja aí, porque isto não pode prejudicá-lo.
 
Você é um anjo, cheio de empatia, compaixão e amor por si mesmo. Imagine, por um momento, que você coloca a mão sobre esse ponto apertado do seu corpo energético. Basta uma suave carícia, um gesto que diga: “Você pode estar aí, tudo bem. Tenho compaixão por você e podemos resolver isso”. 
 
E então, com sua consciência, aprofunde-se nesse lugar escuro, nessa parte sua que não é capaz de ser quem você é. O medo vive aí, e talvez a dor, o arrependimento e a raiva também. Vá em direção a eles; vá para a parte mais escura de si, a parte que mais o oprime, a parte que constitui a sua prisão.
 
Nós estamos aí com você; nós, os seres do outro lado, que o ajudam. Cada um de vocês tem seus guias e é rodeado por energias que o amparam, portanto não tenha medo de olhar para essa escuridão dentro de si. 
 
Observe cuidadosamente os bloqueios, as defesas, que você poderá encontrar nessa escuridão. Veja se alguma coisa chama sua atenção ou se aproxima de você. E considere esta pergunta: “Por que não posso permitir que a minha luz brilhe, ou se irradie livremente no mundo? O que me impede?”
 
Um dos primeiros medos que você pode encontrar aí é: “Eu não posso; eu não sei como; duvido da minha capacidade; não sou capaz de fazer isto.” Veja se reconhece essa forma-pensamento em si mesmo. Quem foi que lhe disse isso? Talvez você veja a imagem de alguém em particular. Pode ser um dos seus pais, ou outra pessoa de quem você tenha adquirido essa dúvida a respeito de si mesmo, que diz: “Eu não deveria ser quem eu sou.” 
 
Permita que esse pensamento desapareça, e dê-se o tempo necessário para fazer isso. O que lhe deu essa sensação nesta vida? – “Eu não posso fazer isto. Eu tenho que me controlar. Não ouso fazer isto porque é muito assustador. As pessoas vão me rejeitar ou me condenar pelo que sou. É muito doloroso ser eu mesmo.” 
 
Suavemente invoque essas experiências que lhe deram essa sensação, e observe-as a partir da perspectiva da pessoa que você realmente é, do anjo em você. Simplesmente coloque seus braços ao redor dessa dor, ao redor dessa sua incerteza, e diga: “Agora você pode relaxar, porque eu entendo seu sentimento. Estou com você. Eu sou aquele que cuida de você. Eu lhe garanto que você pode restaurar a sua luz.”
 
Ofereça esse encorajamento a si mesmo. Envolva-se com a luz daquele que você é, do anjo em você. Este anjo não é afetado pela sua ansiedade. Ele a observa com amor e compaixão, e entende como ela surgiu, entretanto ele não se permite abater-se por essas emoções. 
 
Sinta o quanto você é maior do que seu medo. Sinta essa grandiosidade, apesar do medo que você vivencia. Inclusive, aceite que você sabe o que tem que fazer – e que o fará. Sinta isto em seus membros, braços e pernas: “Eu sei quem eu sou, e sei o que eu tenho que fazer.”
 
Vejamos agora um outro bloqueio possível – uma defesa, que é a raiva. 
 
O medo tem a ver com ser visível para o mundo exterior. Você teve tantas experiências negativas lá, que podem ter ocorrido nesta vida, mas também em outras vidas muito antes desta. E, num certo ponto, você pode ter decidido: “Não quero mais vivenciar este tipo de reação, então não mais permitirei que a minha luz brilhe.” 
 
Assim, agora está lhe faltando vontade para se permitir ser visto. “Estou zangado, então preciso fechar-me.” Há uma resistência que o impede de se permitir ser visível, aberto e vulnerável.
 
Assim como muitos outros, é possível que você traga mágoas da sua infância, de quando ainda era aberto e espontâneo, e passou por experiências negativas. 
 
Alguém pode ter lhe dirigido um comentário mordaz, alguém pode ter rejeitado a sua originalidade, alguém pode ter detido o seu fluxo criativo, e assim, de repente, você sentiu: “Eu não sou bem-vindo, não sou aceito por esta pessoa.” E então, você se fechou e trancou-se dentro de si mesmo, e assim ficou numa prisão.
 
Mas, no momento em que se fechou, você não poderia ter feito muito mais do que isto, porque provavelmente esta era a única coisa que você sabia fazer para sobreviver, para se proteger. Você precisava fechar a porta, porque sentia: “Não aguento mais a dor de ser rejeitado pelo que sou. Tenho que fechar maus sentimentos agora mesmo; não consigo suportar isto.” 
 
Respeite o fato de ter reagido dessa forma naquele momento. Esse mecanismo de defesa – o encerramento de si mesmo – é muito compreensível; é uma reação muito humana.
 
Mas agora, sinta como você tornou-se mais forte do que aquela dor. Agora você é capaz de oferecer a si mesmo a segurança e confiança que lhe faltavam quando foi rejeitado, porque se sente mais seguro internamente. Na sua essência, você não pertence a este mundo, então não precisa reagir aos acontecimentos à sua volta. 
 
A sua estadia aqui diz respeito a você e a se permitir ser quem você é. As pessoas que não conseguem aceitar isto desaparecerão da sua vida e serão substituídas por aquelas que têm a ver com você e querem compartilhar consigo.
 
Não tenha medo da rejeição. O medo da rejeição é um dos maiores bloqueios que você encontrará no seu caminho. E como essa rejeição dói, surgiu em você a relutância para se expor. Isto cria uma parte contraída, uma barreira em seu ser, da qual falei anteriormente. 
 
Permita que a luz vá até essa barreira, mas não tente removê-la. Simplesmente envolva essa barreira com carinho e compaixão, e diga: “Eu compreendo.” Converse com essa parte contraída de si mesmo. 
 
Você pode vê-la como uma criança zangada, por exemplo, e dizer-lhe que agora ela pode relaxar, porque você lhe dá a liberdade que ela precisa; que não se importa com o que os outros pensam de você, porque sabe o que é certo para si mesmo. 
 
“Eu Sou quem Eu Sou. E sou bem-vindo aqui. Eu carrego minha luz com orgulho e dignidade. Eu não machuco ninguém com minha luz. Eu simplesmente sou quem eu sou, especialmente neste momento de mudança e transição.”
 
Durante estes tempos de mudanças no campo da consciência no mundo, é possível que você sinta um forte anseio de sair novamente de si, de ir para fora com sua luz e ser útil a esta mudança de consciência. E é então que você encontra suas barreiras e defesas mais profundas: o medo e a relutância em apresentar-se como um anjo de luz. 
 
É uma questão de enxergar essas defesas em si mesmo e acolhê-las com amor, perdoando-se pelas medidas necessárias que você tomou na ocasião em que se fechou. Isto o ajudará a se aproximar novamente da essência de quem você é – o anjo vibrante.
 
Quanto mais você se tornar seu próprio amigo, mais feliz será, e mais indicações receberá do seu Eu Superior, seu Eu Angélico, sobre o que deve fazer, sobre o que lhe é mais agradável fazer e que o faz feliz. 
 
Não tenha medo de se desapegar das velhas estruturas – seja de um tipo particular de trabalho ou de determinado padrão de pensamento arraigado…. Há algo novo à sua espera. Não é um modo especificamente definido de fazer as coisas, porque você está entre os que estão criando novas formas de cooperação no mundo, novas formas de trabalhar juntos.
 
Vocês não se enquadram nas estruturas existentes, porque são os criadores de novas estruturas, mais flexíveis e mais sintonizadas com a consciência do coração. É por isto que estou pedindo a cada um de vocês que confie nessa fonte dentro de si, nessa luz pulsante. 
 
Esta é a hora certa para você, pois será auxiliado e amparado quando ousar confiar e se abrir novamente; quando se conectar totalmente com sua fonte interior.
 
Este é o momento certo. Hoje, mais do que nunca, existe uma necessidade de pessoas como você, que estão dispostas a compartilhar sua luz livre e abertamente; pessoas que têm coragem de NÃO viver de acordo com as expectativas habituais, e que estão dispostas a ser consideradas “diferentes”; pessoas que realmente ousem olhar diretamente para outra pessoa – com um olhar franco e aberto – e que apertem mãos com alegre acolhimento.
 
O momento está pronto para você agora e – o mais importante – foi seu próprio destino, sua própria intenção, que o trouxe aqui. Portanto, a fonte da sua maior alegria é ser capaz de viver na luz, de ser totalmente quem você é. Não hesite em fazer o que sente que deseja fazer. Este sentimento é o seu guia, pois o leva para onde você precisa estar.
 
Agradeço a todos vocês pela perseverança e coragem já demonstradas de encontrar seu caminho. Vocês não desistem; vocês não se contentam com menos do que a verdade. É por isto que são realmente os pioneiros e desbravadores do novo na Terra. E lhes agradeço por isto. 
 
Nós, que estamos aqui com vocês – eu e aqueles que estão comigo – representamos a energia Crística. Mas são vocês que lhe permitem nascer na Terra e que a vivenciam. E por isto, vocês têm nossa mais profunda consideração e respeito. Obrigado por terem vindo.
 
 
Pamela Kribbe.

© Pamela Kribbe

Direitos autorais © Jeshua.net É permitido copiar e redistribuir este artigo, desde que seja incluído o URL www.jeshua.net como fonte, e que seja distribuído gratuitamente.
Fonte: https://www.jeshua.net/channelings/mary-magdalene/sharing-the-new-earth-with-others/
 
*NR: Tudo indica que o nome Jesus não é verdadeiro. Parece que foram os fariseus que lhe deram esse nome com desdém uma vez que significa algo como "o rejeitado". A igreja de Roma adotou-o no ano 315. 
Segundo uma obra recebida via sinais de rádio tipo morse na década de 1980, o segundo livro da série de Phoenix Journal "AND THEY CALLED HIS NAME IMMANUEL --- I AM SANANDA" o seu verdadeiro nome parece que é "Essu Emanuel" (grafia em português).
 


Agradecimentos a:  
 




Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:



Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcansar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


 
 


Recomenda-se o discernimento.

 


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


 

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!



geoglobe1


 


 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.