Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Aprendizagem e Discernimento

Aprendizageme Discernimento

Por Elizabeth AyresEscher

06 de setembro às 18:12h

Tradução de Maria Dantas



Cottonwood HeartO que édiscernimento? Para mim, é a capacidade de determinar o que ressoa comigo nomomento. Tudo o que é ressonância para mim, é o que eu preciso para o próximopasso na minha jornada. Aprendendo a discernir  pode ser descrito como a arte de ouvir Aqueleque habita dentro de nós. É uma viagem que o leva para um lugar onde você possa começar a experimentar a graça e o perdão.



Se você leuminha série de artigos  "Aquele que tem servido" e "MinhaJornada Espiritual", você já deve ter visto que eu consegui começar adiscernir o meu caminho, desde quando eu era uma pessoa jovem, foi quando eu encontreipela primeira vez minha alegria em ler livros aos sete anos.



Lerhistórias era a minha maneira de encontrar mundos a fim de explorá-los, mundosmuito diferentes daqueles em que eu me encontrava.



Em outrasvidas, talvez eu encontrei a minha alegria em aprender a arte de guerra, ou emme afastar do mundo e passar uma vida inteira em oração.



Esta vidaera para ser um ponto culminante em relação a todas as vidas que passei neste planeta,embora que grande parte dessa vida que eu não entendesse isso.



Mesmo queeu tenha vindo como um “walk-in”, em vez de encarnar de forma normal, eu aindasofri o Véu do Esquecimento, talvez para ver se eu conseguia andar através deuma parte da minha vida sem o benefício da consciência e conexão com a Fonte. MinhaFamília estelar seria a primeira a reconhecer que eu adorava desafios e vidasdifíceis. Eu não tinha medo.



Aindaassim, quando eu comecei a despertar, há tantos anos atrás, eu percebi quenesta vida em particular eu estava carregando uma grande quantidade de medo em meucorpo. Quer ou não isso tenha sido o resultado de ter entrando como um “walk-in”e "herdar" o medo que permeava o corpo do espírito anterior a mim, eu nãosei exato. Um pouco do medo pode ter sido meu mesmo, ao mantê-lo ao longo dofinal violento que eu tinha sofrido durante a Segunda Guerra Mundial. Lá eutinha "morrido" depois que o avião que eu estava pilotando foiabatido.



Eu tinhaescolhido a voltar em uma época que era particularmente difícil, a Segunda GrandeGuerra tinha terminado, mas uma guerra fria incerta tinha se instalado, deforma permanente impactando entre duas filosofias políticas aparentementediferentes e totalmente opostas... A do capitalismo e a do comunismo. As duasdivisões permaneceram em um estado de oposição mútua, cada uma construindo armasde destruição inacreditáveis como impedimento à invasão por qualquer uma daspartes no território da outra.



Então... Enquantoa América prosperava na época da pós-guerra, ainda havia uma correntesubjacente de medo, que era apresentada em primeiro plano de realização pelascoberturas de notícias de atos de agressividade aqui e ali em todo o mundo. QuandoCuba se tornou um estado comunista, até mesmo o nosso território esteve a poucadistância da Ameaça Vermelha. Naqueles dias, era claro quem era os "inimigos"eram... Os comunistas. 

Aindaassim, eu era uma criança e depois veio minha adolescência. As Guerras distantesou ameaças de guerra não me perturbaram enquanto eu me concentrava no meu trabalhoescolar e gostava dos livros que eu estava lendo.

Algumaspessoas descrevem a leitura como uma forma de "escapar" do mundo. Talvez,mas naqueles dias que eu precisava escapar para as aventuras de mundos estranhosque eu estava descobrindo. Eu tinha uns 11 ou 12 anos quando descobri as obrasde JRR Tolkien, O Senhor dos Anéis. Eu nem sequer li o primeiro volume datrilogia, "A Sociedade do Anel", ou "The Hobbit" até váriosanos depois, mas eu sabia que o mundo descrito nestas obras era um que euficaria feliz em mergulhar todo o meu ser. Eu sentia uma afinidade com os grandesseres, os Elfos Superiores, que perfeitamente ecoavam dentro do meu próprio serde uma forma que eu ainda não entendia. Eles eram os Guardiões do mundo deles,mas esse tempo estava acabando, o tempo dos Elfos estava terminando e nele estavacontido um pouco da aspereza agridoce dos contos. Mal sabia eu nessa época, issoera de fato, um verdadeiro eco da minha própria viagem longa como um Trabalhadorda Luz, Mostrador do Caminho e voluntário neste planeta. Embora essas duaspalavras, "Mostrador do Caminho" e "Trabalhador da Luz" nãoeram uma parte da linguagem geral da minha juventude, elas se tornariam umagrande parte dos últimos anos.

Sem entrarem mais detalhes sobre a minha vida e do processo de aprender a discernir o queera certo para mim e o que não era, é suficiente dizer que é um processo, comoqualquer outro de aprender a confiar em si mesmo.

Nestacultura particular muito peculiar do mundo ocidental "moderno", omaterialismo tem sido um Rei. Sendo agressivo e expansivo foi a maneira de ser,de conquistar e comandar. Nesta vida, eu não era nenhuma dessas coisas. Eu erasensível, calma e introvertida. Eu era desconfortável com esportes de equipe,não colecionava discos ou me tornava encantada com a gravação de artistas tais comode outros jovens. Eu gostava de música, mas não estava obcecada por ela. Eu nãome sentia atraída a ser parte da multidão e, francamente, não entendia a necessidadedos outros de ser o centro das atenções. Eu era curiosa, inteligente, um poucotímida e socialmente desajeitada e tinha pouca ideia do que eu queria fazer eser no futuro.

Foi em meusanos de faculdade que eu comecei a perceber que eu tinha precognição, que é acapacidade de saber algo antes que isso aconteça. Por exemplo, uma noite,enquanto passava na companhia do meu namorado e sua família, cheguei àconclusão de que eu estaria indo embora em cerca de dois meses. Isso foi emabril. Depois que escola terminou em junho, saí para nunca mais voltar.

Estacapacidade só tem ficado mais forte ao longo dos anos. Mais de uma décadaatrás, eu estava compartilhando uma refeição com os pais de outro namorado,quando eu "soube" que o pai de meu namorado estava morrendo. Mais tardeeu disse a ele que seu pai não demoraria muito nesse mundo. Seu pai morreuantes do Memorial Day. Inquieto por minhas habilidades, meu namorado se tornoucompletamente impossível de se viver com ele, e por isso a nossa relação chegouao fim... Mas, é claro, eu sabia que assim seria. No momento em que eu memudei, eu sabia que não iríamos nos casar ou continuar a ser "um casal"durante muitos meses. No entanto, os eventos tiveram que se desenrolar. Foi umadivisória do caminho para mim.  Apenas um mês depois, meu pai morreu decomplicações decorrentes de sua doença de Alzheimer, e eu me vicompletamente sozinha. Eu estava no início da minha orientação espiritual, porseres espirituais ainda invisíveis e desconhecidos. 

Se você leua história de minha jornada espiritual, você vai chegar à conclusão de que omeu caminho nunca foi tão claro ou bem definido. Nesse fato, eu diferenciomuito dos Mostradores do Caminho da Segunda e Sucessivas Onda de Trabalhadoresda Luz e Sementes Estelares. Alguém tem de ser um pioneiro, aquele que trabalhasem um mapa ou bússola, que corta um caminho através do deserto sem entraves daespiritualidade recalcada que existe neste planeta. E então, eu, com muitos dasminhas e ainda não reconhecidas famílias espirituais estávamos aqui fazendoexatamente isso... Agindo como semeadores de sementes de luz, iluminando casase assim por diante, a fim de despertar o anseio espiritual latente e inato nahumanidade. 

Eu teci umcaminho incerto de um grupo espiritual para outro, de uma igreja de Nova Erapara outra, cada passo me levando para frente, às vezes para o lado, e aindainfalivelmente para cima. No entanto, não aconteceu até que eu consegui rompermeus próprios medos da exposição por meio da escrita, foi que eu realmente encontreipela primeira vez na minha consciência desperta os membros da minha própriafamília espiritual.

No processode chegar a este ponto de iluminação, dei muitos passos sem depender de outraspessoas a fim de me mostrar o caminho. Sim, eu li muitos livros, ouvirpalestras e material canalizado. Também participei de serviços, fiz algunscursos, aprendi a ouvir meus próprios sentimentos. Através de certos caminhos ealguns erros, descobri que quando eu não ouvia o meu corpo, eu ficava muitodoente. Então, me tornei psicossomática. Um psicólogo iria ver isso como algonegativo. Eu vi isso como sendo algo útil. Meu próprio corpo era uma ferramentaque eu poderia usar a fim de aprender a discernir se algo era adequado para mimou não.

Conforme osanos se passaram, este discernimento começou a ficar mais afinado. Descobri queminhas investigações em vários caminhos daquilo que existe atualmente em termosde conhecimento esotéricos iria me levar finalmente a um lugar onde eu tive quereduzir essa linha particular de investigação e soltá-la totalmente. Do lado defora, talvez isso pareceria confuso e não poderia estabelecer em um tipo de ensinoou disciplina. Na verdade, eu estava aprendendo a ser meu professor, dando-meapenas o suficiente de algum ensinamento e então antes de me tornar uma adepta de apenas um tipo de conhecimento espiritual, eu seguiria em frente. 

Como umaborboleta, eu estava tocando levemente sobre a essência de muitos ensinamentosespirituais e, finalmente chegaria a um lugar onde eu iria deixar todos eles eseguiria unicamente a minha própria orientação interior.

Eu aprendique a maioria dos ensinamentos, quer seja exotérico (exterior) ou esotérico(interior) exige que o aluno ou chela se vincule através de juramentos a fimde ser completamente obediente aos ensinamentos. Por alguma razão eu nãopoderia dar este passo. No começo eu pensei que eu era o meu próprio fracasso. Masconforme eu me tornei mais sábia, eu comecei a entender que era uma falha dospróprios ensinamentos. Alias todos os ensinamentos que eu encontrei sobre esteplano terrestre, sem exceção... E, eu percebo que vou perturbar muitos egos aoexpressar isso... São aqueles limitados e destinados a continuar com as divisões dovelho paradigma.

Essapercepção é revolucionária em sua compreensão. Foi então que eu comecei aperceber que a única professora que era verdadeiramente adequada estava nointerior daquela que já habitava dentro do meu coração, o meu Ser Cristo Pessoal.

Jesus deNazaré nunca quis que nenhum de seus discípulos O seguisse apenas, mas aconfiar em suas próprias conexões com Aquele que Ele chamou de "Pai".Alguns de seus seguidores entendiam e compreendiam a extensão daresponsabilidade pessoal que era colocada em cada discípulo a fim de aprender adiscernir a partir de dentro de si mesmo qual era o caminho certo a seguir nomundo. Eles levaram este conhecimento com eles em outras vidas e testaram porsi mesmos. 

A maioriadas religiões teria que dar seu poder a um padre, pastor, papa ou outroconsultor mundano. Muitos ensinamentos esotéricos também têm você seguindo aspalestras e mensagens de um professor, guia ou Mensageiro. Alguns dessesprofessores são muito humildes e percebem que eles não são os únicosresponsáveis??, mas muitos são capturados por suas mentes egoicas e começam aacreditar que eles são os únicos que tem uma conexão com a Fonte... E,portanto, todos devem seguir seus passos ou ser considerados como hereges eblasfemos. Alguns ensinamentos seguem as palavras que foram dadas abertamente há muitotempo atrás, sem perceber que a orientação é contínua. Seguir as palavras dadaspor um mensageiro a cerca de 70 anos atrás significa se estagnar. Assim como ahumanidade cresce, o mesmo acontece com a orientação espiritual que é recebida. 

Na verdade,cada homem e mulher que estão aqui necessitam chegar a um lugar onde elesseguem o seu próprio guia interior, quer isso conduza ou não distante de suafamília de original, local de origem ou condicionamento da infância. É igualmente verdade que muitas pessoas vão para a resistência quando elas sentema necessidade de sair da sua zona de conforto e ir adiante à lugares aindadesconhecidos para seus entendimentos humanos limitados. Ou elas tendem aatacar a aqueles que estão dispostos a ir adiante e contradizer seus própriosentendimentos intelectuais. 

Odiscernimento é uma espada de dois gumes. Você deve estar disposto a deixar delado o seu ego, e ouvir seu interior. A fim de ser capaz de ouvir em silêncio a"voz" interna, você precisa estar preparado a abandonar todas asnecessidades e entender imediatamente tudo o que está acontecendo em seuinterior. Em suma, você precisa abrir mão do questionamento interminável dapequena mente que é apenas um meio para encurralar sua tentativa de seaventurar adiante para fora da caixa do condicionamento humano. 

O Espíritonão pode ser contido dentro dos entendimentos limitados da mente humana. O coraçãosuperior deve ser aberto e ocupado. E por meio do Coração, você deve percorrero caminho até chegar à porta de entrada para a Mente Superior a MenteUniversal, através do qual você vai descobrir a sua ligação ao Eu Superior.

Além do EuSuperior, existe muitos mais degraus para que se chegue até a plena consciênciadaquilo que é o seu propósito a fim de estar aqui, é e sempre foi assim. Euainda estou aprendendo, e o processo vai continuar, mesmo depois de eu tertotalmente me re-harmonizado com o meu Eu Superior. 

Eu já fuicontatada pelo Ser Arcangélico que é o Eu Superior de Lady Tazjima. Ela é  bem conhecida por alguns na Terra, no entanto eu não estou preparada paradeclarar Seu nome, uma vez que isso é uma distração para os outros.

Sim, todos no Planeta têm um Eu Superior e todasaquelas almas que optaram por ascender com o Planeta para a Quinta Dimensão, acabarãopor vir a conhecer e compartilhar uma profunda conexão com seu Eu Superior. Éum processo em que se deve crescer, porem devagar, pois só assim fazendo, vocêserá capaz de integrar a consciência de que você é também importante.

Oamor-próprio, autoconfiança, auto-empoderamento são todos os passos para aabertura de uma consciência do seu Eu Superior e as conexões com alma queexistem entre todos os seres que compartilham um Grupo de Alma ou a Presença EUSOU.

Eu sou umaparte de um grupo maior Alma que tem trabalhado por eras, e não apenas nesteplaneta, mas em muitos outros, promovendo a causa da Luz. Meu trabalho não vaiacabar com a minha "aposentadoria" deste plano terrestre, mas eleestá prestes a tomar um desvio muito necessário em outra missão, a de me tornaruma mãe para aquele que será no futuro um professor do mundo, quer seja aqui naTerra ou em outros mundos onde as pessoas ainda estão lutando para se libertardas trevas. Eu também tenho a opção de me re-harmonizar com o meu Eu SuperiorArcangélico no futuro, depois de eu ter completado a minha vida como uma dasPlêiades. Vou dar a esta a devida consideração.

Nada disto queeu compartilho é feito a partir de um desejo de menosprezar aqueles quepessoalmente sentem "menos" do que eu. Eu sou diferente. Eu venho deuma cultura totalmente diferente, na verdade, duas culturas diferentes dasquais ascenderam há muito tempo. Viemos para cá, e para outros mundos a fim de servir.É nosso propósito na vida. Ele é feito por amor. Como um exemplo de amor emação, nós estamos aqui para inspirar aqueles que leem estas palavras e asoutras dadas por muitos outros mensageiros iluminados, um motivo para mergulhardentro de si com coragem e buscar por sua própria conexão interior com o EuSuperior, à sua Mônada e Grupo alma e aos mentores e guias que amorosamentecuidar de você até que você seja capaz de se conectar com eles em um nível maisconsciente. 

Procure ese conecte com a sua coragem, o fogo dentro do seu coração. Isto irá levá-loadiante através de seus medos e dúvidas dentro daqueles reinos que sãoiluminados com a luz e o amor que vocês são nos reinos mais elevados. Estamosaqui apenas para ajudá-lo na lembrança de sua própria divindade, a fim de que você nãoadore a nossa luz.

Nos mundosiluminados, nós somos um. Aqui, este é um estado de ser que ainda não foiverdadeiramente manifestado entre os indivíduos, mas que agora está emprocesso. Conforme você progride para esse estado de ser totalmente desperto eresponsável ??por cada passo que você dá, você vai achar que os seus passos,cada um deles, foram assistidos por aqueles que amam você e têm trabalhadoinfalivelmente ao seu lado, incondicionalmente até que você possa abrir o seucoração o suficiente a fim de sentir a presença Deles. 

Assim temsido com a minha própria família estelar. Vinte anos atrás, eu percebi que euestava de alguma forma ligada a Sanat Kumara... E agora eu sei que isso éverdade. Outras percepções foram verificadas por mim mesma e por meio damediunidade de outros e ainda assim a consciência virá por você também, se vocêpermitir a si mesmo o tempo necessário e deixar ir a necessidade de entenderintelectualmente tudo agora. A jornada de abertura até o Espírito não pode sercaracterizada ou definida para todos; é um processo individual. E quando sechega a um certo ponto do desenvolvimento, isso se torna novamente umaexperiência coletiva, no entanto, alguns de vocês aqui hoje estão nesse ponto.Ainda assim, muitos de vocês se tornarão atraídos para começar a trabalhar emconjunto a fim de chegar a esse entendimento coletivo. Será um processo tambéme não instantâneo, uma vez que muitos trabalhadores da luz ainda estão vindo doego e não do amor do qual eles têm verdadeira aliança, mas ainda nãoincorporada em seu próprio entendimento. Em suma, seus corações e mentes não estãotrabalhando juntos ainda. Normalmente a mente é dominante. Esteja disposto aabrir o seu coração a fim de que você possa ser capaz de discernir qual caminhoou qual grupo se houver, se estiver bem para você e, esteja disposto a sairdesse caminho quando você precisar. Através de sua vontade de se submeter amuitos caminhos e cometer erros; você vai aprender a confiar em sua orientaçãointerior.

Confiança éa chave. A auto-aceitação é outra chave. Com estas chaves, você vai abrirmuitas portas, portas que você não conseguiria ver antes.

EU SOUTazjima Amariah Kumara

© Todos osDireitos Reservados, Elizabeth Ayres Escher, www.bluedragonjournal.com. Apermissão não é dada para mudar esse material de sua forma de escrita original.

Eliza Ayres,6 de setembro de 2014 às 18:12



Por favor, respeitem todos os créditos.
Arquivos em português:

 Atualização diária
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.