Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Criatividade: dom ou prática?

Criatividade: dom ou prática?

Escrito por Sumaia Santana 

da Equipe Eu Sem Fronteiras.

22 de agosto de 2020. 

 
 
Folha de papel com desenhos coloridos.
 
 



Muitas pessoas são apontadas como naturalmente criativas, passando a ideia de que a criatividade é uma característica adquirida exclusivamente no nascimento. Se uma pessoa nunca fez um curso de desenho e sabe desenhar de forma realista, por exemplo, dizem que ela tem um dom para a arte.
 
Podemos comparar o conceito de criatividade com a imagem que criamos sobre o povo do Brasil. O “jeitinho brasileiro”, traduzido como a capacidade de inventar soluções originais para problemas do cotidiano, seria desenvolvido a partir do contexto no qual uma pessoa vive.

 
Será que a criatividade surge no nascimento? Ou será que ela se desenvolve a partir do contexto no qual estamos inseridos? Para entender de onde vem a criatividade, como usá-la e o que podemos obter a partir dela, confira cada um dos tópicos a seguir!

O que é criatividade?

 

Pessoa segurando pincel em frente a alguns baldes de tinta
Russn_fckr/Unsplash
 

De acordo com o dicionário, criatividade é a “qualidade da pessoa criativa, de quem tem capacidade, inteligência e talento para criar, inventar ou fazer inovações na área em que atua; originalidade”. A partir da criatividade somos capazes de expressar o que pensamos e o que sentimos, encontrar soluções para problemas inesperados, desenvolver projetos no ambiente de trabalho, criar histórias para divertir outras pessoas e olhar para nós mesmos de jeitos diferentes.
Em um sentido menos individualizado, a criatividade é a capacidade de criação. No entanto, para filósofos gregos, indianos e chineses, nenhuma pessoa seria capaz de criar algo, apenas de reproduzir, descobrir ou imitar aquilo que já existe. O sentido de “criar” surgiu na tradição judaico-cristã, segundo o historiador Daniel Boorstin, com a ideia de que Deus criou o mundo. Nesse sentido, somente Ele teria essa capacidade.
Com o Renascimento, movimento histórico que levou ao Humanismo (as pessoas são o centro de tudo, não Deus), o conceito de criatividade passou por mudanças. A partir daquele momento, reconheceu-se que as pessoas têm capacidade de criar objetos, pinturas, esculturas e as mais variadas produções.
Essa mudança de pensamento permanece até os dias de hoje, sendo “criatividade” uma característica que pode ser atribuída a alguém. Mas ainda há discussões sobre a origem dessa habilidade. Ela nasce com o indivíduo ou é adquirida ao longo da vida? Ela é um dom ou uma prática?

Criatividade: dom ou prática?

 

Livros em uma estante
Nick Fewings/Unsplash
 

 
Você diria que uma pessoa nasce sabendo falar? Provavelmente não, porque nós temos consciência de que tudo o que fazemos nos foi ensinado, desde andar até se comunicar. Por que com a criatividade seria diferente? Uma criança pode ser capaz de criar histórias e inventar situações a partir dos estímulos que recebe de familiares e professores(as), mas não nasce com essas habilidades.

A criatividade é uma resposta subjetiva de cada um de nós para superar desafios com os quais nos deparamos, e isso só pode ser desenvolvido a partir da experiência. Quanto mais você se colocar em situações que não apresentam uma solução simples ou que exijam que você traga uma nova perspectiva, maior será a sua capacidade para pensar rapidamente e de forma original. A criatividade não é um dom, mas uma prática que pode ser adquirida a partir de exercícios e estímulos.
Segundo o professor de design gráfico Brad Hokanson, da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, o desafio na resolução de um problema é responsável diretamente pelo aprimoramento de nossa criatividade. O fato de termos a sensação de que um problema é impossível de ser solucionado nos impede de tomar qualquer atitude, bloqueando a nossa mente na busca por uma inovação. Como superar esse bloqueio?

Estimule sua criatividade

A única forma de se tornar uma pessoa criativa é estimulando a sua criatividade. Só assim você será capaz de resolver problemas com agilidade, de persistir quando as dificuldades aparecerem e de inovar, seja na sua vida ou no seu trabalho. Saiba como estimular sua criatividade!

1) Desafie-se constantemente

 

Mulher em um jardim de olhos fechados
Allef Vinicius/Unsplash
 

Quando você estiver diante de uma situação complicada, tente resolvê-la antes de pedir ajuda. Faça mapas mentais avaliando as possibilidades, arrisque tomar até aquelas atitudes que você jamais tomaria. O importante é que você se esforce para resolver o problema, tendo consciência de que você é capaz de fazer isso. Caso não consiga chegar a um resultado, respire fundo, relaxe e tente de novo mais tarde!

2) Interaja com pessoas diferentes

 

Pessoas sentadas na rua conversando
Kate Kalvach/Unsplash
 

Ao interagir com pessoas diferentes, com quem não estamos acostumados a conversar, entraremos em contato com novas perspectivas sobre o mundo. Cada pessoa tem uma forma de ver a realidade, e conhecê-las é a melhor forma de ampliar nosso repertório para os momentos em que precisaremos criar algo. Compartilhe suas ideias com elas e veja o que pensam sobre cada uma!

3) Busque referências novas

 

óculos aberto em uma agenda com anotações
Dan Dimmock/Unsplash
 

Se você precisa produzir algo inovador, é preciso conhecer tudo aquilo que já foi feito. Conhecer os clássicos e entrar em contato com o que já foi produzido pode te ajudar a trazer algum frescor para a novidade que você irá desenvolver. Não tenha medo de buscar fontes de inspiração! Se você criar algo novo a partir delas, sua criatividade só tem a ganhar!

4) Mantenha o foco


Pessoa foleando um livro
Lilly Rum/Unsplash
 

Manter o foco é essencial na hora de desenvolver uma ideia ou de resolver um problema. Dessa forma você conseguirá analisar diferentes hipóteses por inteiro, sem precisar retomá-las a todo momento, como acontece quando inúmeras distrações te cercam. Fique longe do celular por um tempo e se concentre em tomar uma atitude! Não tenha medo de errar, porque até os erros sempre terão algo a ensinar.

5) Saiba ouvir críticas

 

Duas pessoas sentadas em um muro de frente para o outro
Kate Kalvach/Unsplash
 

Sabe quando você produziu algo do qual se orgulha e então uma pessoa critica algum aspecto disso? Por mais desanimadora que essa situação seja, ela deve ser entendida como uma oportunidade de inovar e de ir além do que foi produzido anteriormente. Ouça as críticas e entenda que elas fazem parte do seu crescimento pessoal. Crie a partir do que você precisa mudar e se surpreenda com o resultado!

Use sua criatividade

 

Mulher desenhando em um caderno
Daria Tumanova/Unsplash
 

Depois de estimular sua criatividade, você vai perceber, com o tempo, que se tornará uma pessoa mais criativa. Esse processo vai levar toda a sua vida, porque sempre há mais para aprender, mas os resultados serão sempre satisfatórios.
Uma vez que a sua criatividade estiver se desenvolvendo, você será capaz de resolver desafios com mais agilidade, de planejar presentes inovadores, de traçar roteiros de viagem diferentes dos convencionais, de experimentar novos sabores na culinária e de conhecer pessoas que são muito diferentes de você.
Use sua criatividade para ser uma pessoa mais comunicativa, mais inovadora e que, quando não sabe o que fazer, busca uma solução rapidamente. Lembre-se de que nenhum problema é grande demais para você e de que cada desafio te permite ser ainda melhor do que era antes deles.

Eu Sem Fronteiras.


 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!