Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Desfile “fashion” satânico em igreja de Londres (sinais dos tempos) ~ Jeffrey Roberts



UM DESFILE DE MODA SATÂNICO ACONTECEU DENTRO DE UMA IGREJA NA FASHION WEEK DE LONDRES

 

Jeffrey Roberts 

Fonte: http://www.collective-evolution.com/

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

 



A “designer” turca Dilara Findikoglu apresentou sua coleção Primavera / Verão 2018 na London Fashion Week e não foi nada menos do que uma missa negra satânica. Na verdade, o evento ocorreu no altar da igreja de Santo André em Londres e incorporou o simbolismo pesado oculto e satânico. Em suma, o evento resumiu tudo sobre o “mundo da moda”. Enquanto Dilara Findikoglu é chamada de “rebelde do mundo Fashion”, ela está perfeitamente em linha com a “filosofia” da indústria fashion. Ela não está se rebelando, ela está fazendo exatamente o tipo de coisa que “eles (os controladores do sistema) querem” que ela faça.



“Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim”; – João 14:30
 

Hoje, a palavra “Illuminati” é tão generalizada e associada à “conspiração” que se tornou satírica por direito próprio. No entanto, mesmo como um assunto de ridículo, a prevalência de símbolos ocultos nas mídias de massa é cada vez mais recorrente e inegável. 


É tudo sobre “jogar direto na sua face”, sem rodeios, pra ver como fica, com sigil (selo) satânico, chifres, pilares maçônicos, piso xadrez, olhos de Hórus, pentagramas, vermelho e preto, as cores de satã – você os nomeia.

Pegue esta vitrine na London Fashion Week, por exemplo. Hospedado na igreja de St. Andrew em Londres, o desfile de “vanguarda” ao ocultismo carregado de simbologia satânica foi a criação da designer turca Dilara Findikoglu.

Como você poderá ver a seguir, a exibição de figurino e vestuário de Findikoglu foi nada menos que uma ode para todas as coisas que abundam o simbolismo maçônico, ocultista e satânico, ou seja ILLUMINATI! 


O (A) modelo desfilando é a artista Drag Queen Violet Chachki, nome artístico de Jason Dardo, uma rainha do mundo drag queen americana, dançarina burlesca, artista, personalidade de TV e modelo mais conhecido por ganhar a sétima temporada da RuPaul’s Drag Race

É tudo sobre “jogar direto na sua face” pra ver como fica, com sigils satânicos, chifres, pilares maçônicos, piso xadrez, olhos de Horus, pentagramas – você os nomeia. Naturalmente, as respostas ficaram selvagens entre as comunidades dos teóricos da conspiração e movimentos anti NWO-Illuminati.

Os decodificadores do simbolismo do ocultismo bem conhecidos como no Vigilant Citizen também tinham muito a dizer sobre tudo isso chamado de fashion/moda inofensiva.


“O pano de fundo é basicamente uma bagunça, uma mistura de imagens de símbolos de inspiração maçônica. De cada lado estão os pilares gêmeos maçônicos. Entre os pilares está a letra G (Geômetra, o arquiteto do universo) dentro de um pentagrama invertido.

Por baixo, é o olho que tudo vê dentro de um hexagrama. Modelos desfilando com chifres na cabeça. Há também o quadrado maçônico e o compasso e esquadro. Para completar, a pista de desfile era num padrão de xadrez (branco e preto, a dualidade). A seguir está uma pintura maçônica clássica para comparação”.

Eles continuam a explicar como o desfile de moda foi uma recriação do que é conhecido no ocultismo como Missa Negra:

“Historicamente, uma Missa Negra é um ritual caracterizado pela inversão da Missa Latina Tradicional celebrada pela Igreja Católica Romana e a profanação de objetos cristãos para fins de rituais satânicos. O fato de que os modelos desfilam dentro de uma Igreja, usando chifres do diabo recorda o conceito de Missa Negra”. 

Arte-final maçônica e simbolismo.
 

 

A “designer” Findikoglu responde à repercussão

Em resposta à reação pública sobre suas brilhantes referências ocultas e satânicas, Findikoglu disse a Dazed Digital que seu show não tinha “nenhum significado religioso, Illuminati, [ou] de alguma sociedade secreta”. Ela explicou:


“Muitas marcas (de moda) usam símbolos semelhantes ao que eu faço, mas acho que todo os penteados e maquiagem teatral fizeram com que as pessoas pensassem que era um ritual satânico. Na verdade, todas as pessoas da igreja gostaram muito do show e acharam que foi muito bonito”. 


Este vampiro “desfilando” moda tem um sigil na testa. Em seu manto parece ter um anjo caído. Lúcifer É um anjo caído.

Eles vieram pessoalmente e me agradeceram no final do show. O show que eu fiz não tem motivos religiosos, Illuminati, significados de sociedades secretas … Todos os símbolos que usei foram para fins positivos. Sou criativa e não estou tentando ofender ninguém. Eu entendo que as pessoas podem ser sensíveis, mas acho que todos esses erros de e-mail e ataques que recebo dos cristãos mostram quem realmente está errado – se existe algo certo ou errado.

As pessoas estão tão prontas para odiar-se e encontrar uma vítima para lançar negatividade pesada. Mas a religião não deve dizer que devemos espalhar o amor? Eu acho que toda essa ideia de religião é tão corrompida e este é um exemplo muito bom disso. 


Um pingente que contém o Sigil (Selo) dos seguidores de Lúcifer (também conhecido como Selo de Satanás). Tradução da inscrição em latim: “Nosso deus satanás-Lúcifer. Um nome exaltado”

Quando a Diocese de Londres foi questionada sobre o show controverso sendo hospedado dentro da igreja, um porta-voz disse a Dazed que “eles não estavam cientes do conteúdo ou design antes do show” e que “não reflete a fé cristã da Igreja . Nós estaremos olhando para o nosso processo de reserva de espaço para garantir que isso não aconteça novamente”.

O que nós podemos aprender sobre tudo isso?

É claro que existem duas formas polarizadas de olhar a exibição de “moda fashion” de Findikoglu, e para todos os símbolos ocultos apresentados, para esse assunto. Então, consideremos os dois lados.

Consideremos que todas essas alusões (já não tão) ocultas na cultura pop sejam apenas e tão somente “coincidências”. Consideremos que, “por acaso”, as pessoas encarregadas desses projetos artísticos escolheram o olho, a pirâmide, os azulejos quadrados, os pilares, o compasso, a régua, o crânio, e os ossos, os chifres, o vermelho e preto (as cores de satã) e todos os demais símbolos ocultos por simples “fascínio”. Consideremos que não há nada demais por detrás do uso desses símbolos do que nossas próprias projeções sobre-analíticas de medo, separação e ignorância.

Por outro lado, vamos considerar que não é verdade que exista algo inocente por trás do uso destes símbolos ocultos. Consideremos que um grupo de pessoas que esta no poder está influenciando e comunicando uma mensagem através dos muitos fóruns da chamada “cultura pop” e o mundinho fashion de hoje, e que somos os objetos reativos de uma agenda sombria. Para onde isso nos leva?

Isso nos leva ao ponto de reflexão que é mais importante nesta discussão.

Existe alguma influência do punk rock e algumas caveiras.

Embora saibamos que a consciência é um componente necessário da mudança, e vemos o poder desta ocorrendo agora com o desenrolar das descobertas dos anéis pedófilos da elite, do abuso sexual em Hollywood, massificação do uso de drogas cada vez mais potentes, há outro elemento que muitas vezes é ignorado no campo desses tópicos. Independentemente do lado da história em que nos posicionamos, ambos os lados atuam do mesmo modo – uma distração sobre o que realmente importa.

E o que realmente importa é que o consciente individual e coletivo retome seu poder ao invés de o entregar ao exterior – aos manipuladores, às sociedades secretas, as empresas de comunicação de massa, à Hollywood, aos políticos, aos artistas, aos esportistas, às grandes empresas corporativas – e começar a reconhecer que a mudança real começa desde o nosso INTERIOR.

É quando deixamos de olhar e de DAR IMPORTÂNCIA para o exterior e focamos nossa atenção para dentro DE NÓS MESMOS, que começamos a ver e perceber a verdade. E a verdade é que nós temos o poder e devemos nos transformar primeiro e acima de tudo desde o nosso INTERIOR. Só temos que usar o poder para sair da mente (controlada pelo sistema, como o mundo “fashion”) e entrar em nosso próprio coração.

É uma escolha simples e poderosa, uma que devemos fazer avançar todos os dias e nesta posição continuarmos firmes (Orai e Vigiai…. diaria e constantemente). A partir daí, e só então, vamos realmente criar a onda de mudanças que o nosso mundo precisa e o mundo “fashion” e coisas que tais ficam para os NÉSCIOS..
 

“É já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristospor onde sabemos que é já a última hora1 João 2:18


 

Recomenda-se o discernimento.





Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.






Atualização diária.