Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

EU NÃO ACREDITO MAIS EM NADA


EU NÃO ACREDITO MAIS EM NADA

Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

1 de fevereiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Áudio 5! (Transcrição)



Durante muito tempo… anos… durante toda nossa vida, de certa forma, aprendemos a ser condicionais. Aprendemos a reagir aos estímulos, emocionalmente e, portanto, todos os nossos comportamentos e escolhas tiveram suas origens em nossos pensamentos sobre todas as coisas. É muito interessante como passamos a sentir, a partir do que pensamos. E nos tornamos tão intolerantes!

Tanto foi assim que até hoje, um dos mais comuns discursos para se tentar mudar uma situação é a tentativa de se mudar o pensamento sobre a situação. E, a respeito disso, a nossa mente tem sido massacrada, sendo que todo esse comportamento de eliminar a mente, ao invés de resignificá-la é também um pensamento sobre todos os outros pensamentos. É pensamento sobre pensamento. Sendo que a origem de todos os seus pensamentos foi uma só.

Tenho trazido, aos poucos, insistentemente, o exercício de perceber a origem dos pensamentos, a estrutura de energia que sustentou todos eles e a concepção de que não se muda realidade nenhuma sem transformar, internamente, a energia que sustenta tudo.

Sendo, então, toda vivência, uma manifestação do que produzimos, sutilmente em nós, estamos sendo chamados para a consciência do que, finalmente, temos produzido até agora. Manifestar é algo natural. Manifestamos o que vibramos.

Mas esse “somos chamados” não é um convite brando! É um movimento de um cenário maior que, tendo consciência dele ou não, tudo que mantinha nossa velha forma de ser, de agir, de pensar sobre tudo não se sustenta mais em velhos padrões.

A partir disso, se a estrutura se rompe, tudo sustentado por ela, tende a se romper. É disso que estou falando: de todas as velhas e sólidas estruturas que estão se rompendo e levando com elas tudo que se relacionava a elas.

Estamos sendo desmoronados internamente e presenciando nossas histórias se desmoronarem, nossos sistemas, cidades, culturas, enfim… poderíamos nos dedicar a infinitos encontros para reconhecermos todas as formas de desmoronamentos de tudo sustentado por velhos padrões.

Só que isso tudo só está acontecendo porque está sustentado por uma nobre frequência amorosa que rompe toda frequência do medo e desamor. “Rompe” é uma forma clara de dizer que o que está acontecendo é uma frequência de energia integrando a outra. Isso tudo é integração. O que está passando a ser.

Quando se tem consciência disso, um fluxo acontece e novos alinhamentos se fortalecem. Quando não se tem consciência, há uma intensa tentativa de se manter tudo que era conhecido e seguro, porém num gigantesco esforço, por não haver mais o que possa garantir, sustentar, assegurar a permanência do que não se alinha ao que chega.

Na tentativa de controlar todas as situações, deixamos de reconhecer o propósito em tudo que tem acontecido. Tudo tem um propósito. Em tudo tem uma nova construção.

Para quem ainda não se conectou com o Despertar da Terra, essa seria a hora de reagir, claro que numa concepção limitada de ser. E uma das expressões que mais tenho ouvido é: “Eu não acredito mais em nada!”

Ontem mesmo, uma seguidora do Instagram @ramina.despertar me enviou uma mensagem que dizia: “Ramina, me ajuda. Eu me sinto sem desejos, me sinto vazia e não acredito mais em nada.”

Sozinha, essa frase não traria muito sentido, mas quando se insere o seu próprio sentido, a sua percepção da vida, a sua consciência do todo, muda tudo. Quando o sentido é a velha concepção de vazio, é a desconexão de todo movimento de transformação, quando o sentido é o “não reconhecimento do Amor presente”, o que sustenta essa frase é um profundo sentimento originado das frequências do medo.

É quase que uma briga com tudo que você está dizendo que não acredita mais. Porque é uma decepção com tudo que você esperava que fosse a solução para você. Que fizesse tudo ficar bem, sabe! Mas um “bem” definido pela sua mente polarizada. Complementar.

Veja: aprendemos que todo vazio em nós poderia ser preenchido com tudo que buscamos. Fomos fazendo escolhas e nos sentimos completados e, por tanto, preenchidos, temporariamente.

Quando a conexão é com o agora, com o comprometimento com uma nova forma de preenchimento, vamos nos descamando dessas “crostas” de sentimentos acumulados, vindos dessas conquistas temporárias, por isso, sentimos esse vazio… mas um vazio de tudo que não era nosso e que está saindo de nós. Um novo vazio! Importante! Uma oportunidade para um novo tipo de conexão.

Quando você deixa de acreditar, isso precisa ser um sinal de uma nova conexão. Porque realmente, esse novo tempo de expandir a consciência, exige uma plena integração ao Agora, uma profunda integração a todos os aspectos de você, uma intensa integração a uma nova concepção de Unidade que permite você se enxergar em tudo e enxergar tudo em você também, sabe?!

Esse processo, realmente, te faz não acreditar em mais nada, mas por reconhecer que tudo externo a você era o que fortalecia todas as suas crenças e era também sustentado pelas crenças. Um ciclo frágil! E o processo de confiar na sua existência, de confiar num propósito Divino, de confiar no que você produz, internamente… isso te liberta, totalmente, da necessidade de ter que acreditar em qualquer coisa para fazer escolhas.

Acreditar te conecta com um futuro possível e esperado. Acreditar é uma conexão com suas referências, com seu conhecimento, com o que já foi garantido no passado. Agora, confiar te conecta ao presente, te conecta com possibilidades. Sai do controle! É uma entrega! Confiar é uma entrega!

Estamos vivendo um grandioso processo de aprendermos a viver a partir da nossa essência para a manifestação em fluxo amoroso. Isso é diferente de toda a nossa história vivida a partir da nossa mente isolada para a manifestação controlada por crenças.

Um forte exercício de soltar, ao mesmo tempo, se reconhecer.

Hoje, num abraço amoroso, se você começou a perceber que não consegue acreditar em mais nada, observa se isso te deixa paralisado por perder essas velhas referências ou se você não acredita, porque já se sente livre das velhas crenças e dos padrões de ilusão e já consegue confiar na Unidade da nossa existência! Tenha consciência disso em você.

Nós realmente não precisamos acreditar em mais nada. A nossa natureza precisa estar conectada com toda natureza, com toda natureza de tudo, com o que é natural, essencial. Então, percebermos tudo em essência. Aí sim, podemos confiar! No nosso potencial, nos propósitos e na providência Divina!

Sempre, o que sustenta os nossos pensamentos é o que sustenta a nossa realidade!

Eu Sou Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.