Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Dezembro 04, 2020

chamavioleta

FDA e o CDC agora admitem que testes de Covid-19 apresentam falhas

Por Franz Walker

Fonte: Natural News.

Tradução, edição e imagens: 
Thoth3126@protonmail.ch

2 de dezembro de 2020,

 
 
 
 
 
 
 
 
Depois de reunir evidências, o FDA e o CDC agora admitem que os testes de coronavírus apresentam falhas: Nos últimos meses, agências governamentais, como os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a Food and Drug Administration (FDA), ambos dos EUA, têm contado com os resultados dos testes do coronavírus Wuhan (COVID-19) para rastrear a disseminação da pandemia. Mas, nos últimos meses, ambas as agências começaram a admitir que os métodos de teste que estão usando podem não ser tão precisos quanto gostariam que fossem. 
 
 
 
FDA e o CDC agora admitem que testes de covid apresentam falhas
 
 
 
FDA reconhece aumento de falsos positivos à medida que casos reais de infecção diminuem, apesar de toda a “gritaria” da mídia mainstream [pre$$titutes] sobre uma segunda, terceira, quarta …. onda …
 
Em 3 de novembro, o FDA divulgou novas diretrizes para o teste rápido de antígenos para COVID-19 que reconheceu uma alta probabilidade de resultados incorretos . As diretrizes afirmam que os profissionais de saúde “devem esperar que alguns resultados [falso-positivos] ocorram”. Isso ocorreria mesmo quando testes “muito precisos” fossem usados ​​para rastrear grandes populações com “uma baixa prevalência de infecção”.
 
 
O FDA declarou que a precisão dos testes rápidos depende quase totalmente da quantidade de COVID-19 na população que está sendo testada, declarando: “À medida que a prevalência da doença diminui, a porcentagem de resultados de teste que são falsos positivos aumenta”.
 
Como exemplo, o FDA declarou que um teste com 98 por cento de especificidade de triagem com precisão “pouco mais de 80% em uma população com prevalência de 10%”. Isso significaria que 20 em 100 resultados positivos seriam falsos positivos.
 
A agência acrescentou que em uma população com prevalência de apenas 1%, apenas 30% das pessoas com teste positivo para a doença o teriam em seus corpos. “Os profissionais de saúde devem levar em consideração a prevalência local ao interpretar os resultados dos testes diagnósticos”, enfatizou o FDA.
 
A taxa de prevalência de COVID-19 tem sido bastante baixa em vários estados . Foi registrado entre zero e 1,79 por cento em Idaho e 6,4 por cento na Pensilvânia. Enquanto isso, o CDC estimou sua prevalência na área metropolitana de Nova Orleans em cerca de 7 por cento .
 
O FDA também detalha uma série de razões adicionais para imprecisões de testes rápidos. Isso incluiu contaminação cruzada e complicações no processamento de amostras em lotes. (Relacionado: o teste do coronavírus pode ser manipulado para fazer as vacinas parecerem mais eficazes .)
 
CDC concorda com FDA, também questiona testes de PCR
 
 
O CDC seguiu as recomendações do FDA. Afirmou que os testes de antígeno “ não são 100% precisos ”, admitindo que podem ocorrer resultados falsos positivos e falsos negativos.
 
“Os resultados do teste de anticorpos não devem ser usados ​​para determinar se alguém pode voltar ao trabalho”, afirmou o CDC, acrescentando que isso também se aplica a escolas, dormitórios e até mesmo estabelecimentos correcionais.
 
“Pessoas que recebem resultados positivos em um teste de anticorpos, mas não apresentam sintomas de COVID-19 e não estiveram perto de alguém que possa ter COVID-19, não têm probabilidade de ter uma infecção atual”, explicou a agência, afirmando que essas pessoas podem “continuar com as suas atividades normais”.
 
O CDC já havia emitido diretrizes semelhantes em agosto. No mesmo mês, um estudo publicado no Journal of Clinical Microbiology descobriu que testes rápidos com uma especificidade de 98 por cento usados ​​nas escolas americanas podem resultar em mais de 800.000 resultados falso-positivos todas as semanas .
 
As preocupações do CDC sobre a precisão do teste de coronavírus vão além do teste rápido de antígeno. Em novembro, ele destacou um estudo que mostrou que a triagem para um único teste de reação em cadeia da polimerase (PCR) detectou apenas cerca de 53 por cento de todos os casos positivos de COVID-19 em alunos que voltaram para casa da faculdade.
 
 
O protocolo principal para o teste de PCR para COVID-19 foi questionado depois que um estudo que alegou que os swabs nasais de PCR tinham uma sensibilidade de 63 por cento não conseguiu fornecer um relatório revisado por pares. No final de novembro, um grupo internacional de cientistas pediu a retratação do artigo, chamando-o de “gravemente falho no que diz respeito ao seu desenho biomolecular e metodológico”.
 
Em todo o mundo, governos e juízes já questionaram a eficácia e validade dos testes de PCR para a Covid-19. Portugal recentemente considerou o método não confiável em um julgamento de alta corte do pais. Enquanto isso, outras contestações legais estão pendentes na Alemanha, Itália, Suíça e África do Sul.
 
Siga Pandemic.news para saber mais sobre as últimas atualizações sobre a pandemia do Covid-19
 
As fontes incluem:
 
Voce sabia que Milhões de kits de teste PCR de “COVID-19” já haviam sido vendidos AINDA em 2017 e 2018 !!!
 
 
A nova doença COVID-19 apareceu na China no final de 2019. É por isso que foi chamada de COVID-19, que é um acrônimo para Corona Virus Disease 2019. Os dados da World Integrated Trade Solution, no entanto, mostram algo extremamente surpreendente:
 
 
 
AINDA em 2017 e 2018 – dois anos antes do surgimento do novo coronavírus COVID-19 – centenas de milhões de kits de teste PCR para COVID-19 foram distribuídos em todo o mundo, dois anos antes da “pandemia” acontecer !!.
 
 
 
Deixemos isto de lado, por um momento: literalmente centenas de milhões de kits de teste COVID-19 foram exportados e importados, vendidos para países em todo o mundo, durante 2017 e 2018. Centenas de milhões! 
 
 
‘Rápido! Esconde tudo !!’
 
 
Esses dados desconcertantes foram descobertos por alguém em 5 de setembro de 2020, que os postou nas redes sociais. Tornou-se viral em todo o mundo. No dia seguinte, em 6 de setembro, o WITS [World Integrated Trade Solution] mudou repentinamente o rótulo original ‘COVID-19’ para o termo vago ‘Kits de teste médico’. No entanto, a princípio eles se esqueceram de excluir um detalhe: a parte inferior da página da Web ainda exibia o código do produto para esses ‘Kits de teste médico’: 300215 que significa ‘Kits de teste COVID-19’.
 
 
 
Algumas semanas depois, o código HS também foi alterado pelo WITS apenas para ‘Kit de teste médico’. Seu encobrimento veio tarde demais: esta informação crítica foi descoberta e está sendo revelada por milhões em todo o mundo. Você pode baixar um PDF que mostra os dados originais deste site. Os dados originais também podem ser vistos no arquivo da web ( avise-nos , se tiver sido retirado da internet, pois a censura criminal está aumentando).
 
 
Um fato incontestável: Dois anos antes do surto de COVID-19 acontecer, nações ao redor do mundo começaram a vender e exportar centenas de milhões de kits de teste de diagnóstico para um vírus do “futuro”… o COVID-19. 
 
É claro que os “‘Fact Checkers’ (Leia: ‘policia do pensamento’) veio com uma desculpa: ‘A etiqueta COVID-19 só foi adicionado em 2020’. No entanto, não há prova para esta afirmação e não faz sentido porque o próprio código do produto significa ‘COVID-19 Test Kit’. 
 
Essa desculpa também não muda o fato de que, dois anos antes da pandemia, de repente todas as nações do mundo começaram a distribuir centenas de milhões de kits de testes médicos que são usados ​​especificamente para COVID-19. 
 
 
DISTRIBUIÇÃO EM MASSA DOS KITS DE TESTES
 
 
Por que o mundo inteiro explodiu na distribuição em massa de centenas de milhões de kits de teste COVID-19, pouco antes da pandemia mundial “acontecer”?
 
A Patente para método de teste PCR COVID-19 foi concedida já em 2015
 
Em 2015, um homem chamado Richard A. Rothschild registrou uma patente para um ‘Sistema e Método para Testes para COVID-19’. (2D) Pode não ter tido o rótulo COVID-19 em 13 de outubro de 2015, mas o tem agora. O interessante sobre essa ‘invenção de kit para detecção de vírus’ é que o inventor não é uma pessoa com formação em medicina, mas é um advogado. 
 
 
Por que um advogado iria desenvolver e patentear um método para testar vírus e chamá-lo de COVID-19 ainda em 2015?
 
Encontramos a resposta examinando esta e outra invenção de R. Rothschild. (2E) Ambos são métodos para coletar dados biométricos de pessoas (por meio da filmagem de seu rosto, corpo, movimentos ou usando um oxímetro de pulso para coletar informações sobre o funcionamento do corpo). 
 
Essas informações altamente pessoais e sensíveis são então enviadas para a nuvem, onde são conectadas à IA (Inteligência Artificial). Esses ‘cérebros de computador’ então decidem se as autoridades precisam agir.
 
Basicamente, essas não são invenções médicas, mas métodos para coletar informações sensíveis e altamente pessoais de todas as pessoas, que são compartilhadas com redes de computadores, que podem ser facilmente acessadas pelos grandes conglomerados da Big Tech e Big Pharma. Isso abre a possibilidade de um novo mundo de vigilância e controle…. e sabe-se lá mais o que.
 

Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões. 
 
 




Sítio (site) Principal: http://achama.biz.ly/
e-mail: site@achama.biz.ly
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!


 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub