Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Insider alega que PC Chinês paga US$ 2 bilhões em propinas paInsider alega que PC Chinês paga US$ 2 bilhões em propinas para Vaticano ficar calado.ra Vaticano ficar calado.

Insider alega que PC Chinês paga US$ 2 bilhões em propinas para Vaticano ficar calado.

https://www.breitbart.com/.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch.

Denúncia alega que comunistas chineses pagam ao Vaticano US$ 2 bilhões em propinas para igreja de Roma ficar calada sobre as atrocidades dos comunistas na China.

 
 
.
 
 
 
 

ROMA – O dissidente chinês exilado Guo Wengui alegou neste fim de semana que o Partido Comunista Chinês (PCC) “aloca US$ 2 bilhões por ano” para pagar ao Vaticano pelo seu silêncio sobre as atrocidades dos comunistas chineses. Em uma entrevista de 20 de junho no The War Room, Guo disse que o PCCh atribui enormes quantias a cada ano para conquistar a fidelidade de países estrangeiros, incluindo o Vaticano, a Itália e a Austrália. Entre eles, o Vaticano recebe até cerca de $ 2 bilhões de dólares do Partido Comunista Chinês A CADA ANO, disse ele.
 
 
“O Partido Comunista Chinês aloca cerca de $ 2 bilhões de dólares por ano” para ganhar influência sobre a formulação de políticas internas do Vaticano e para pagar seu silêncio sobre a repressão do PCC à liberdade religiosa e desrespeito aos direitos humanos, disse o polêmico bilionário denunciante.
Guo afirmou anteriormente que a China esboçou uma estratégia completa de dominação mundial conhecida pelas iniciais “BGY”, que significa Blue (controle da Internet), Gold (compra de influência com dinheiro) e Amarelo (sedução – corrupção – de pessoas-chave com sexo).
Desde 2014, o PCCh formulou políticas internas para investir uma certa porcentagem do comércio com países estrangeiros no programa BGY para erodir o sistema capitalista, disse Guo no sábado, e a cota atual de BGY para os Estados Unidos é de 5%.
Segundo dados do Departamento de Comércio dos EUA, o volume total de comércio entre a China e os EUA em 2018 foi de US$ 7,37 trilhões. Se calculado de acordo com 5%, o valor usado para o BGY nos Estados Unidos seria de cerca de US$ 36,8 bilhões, disse Guo. Guo também ofereceu um cálculo semelhante para a Austrália.
“O volume de comércio entre o PCCh e a Austrália é de cerca de US$ 200 bilhões”, disse ele. “Anteriormente, 1% era usado para o BGY, mas subiu para 5%. Ou seja, US$ 10 bilhões foram usados ​​para o BGY corromper australianos”.  De acordo com Guo, essas enormes quantidades de fundos da BGY são empregadas para uma variedade de usos, incluindo subornar funcionários locais, controlar mensagens da mídia em países chave e controlar recursos locais.
Um relatório de 2019 divulgado pelo Centro Internacional de Política Cibernética do Australian Strategic Policy Institute revelou que centenas de contas do Twitter vinculadas ao esforço apoiado pelo Estado para denegrir protestos pró-democracia em Hong Kong haviam sido usadas anteriormente como alvo de críticos do governo chinês, principalmente Guo Wengui.
As contas faziam parte de uma campanha coordenada de informações, operando por mais de dois anos, visando Guo e o editor preso Gui Minhai.
“Esses esforços iniciais são uma tentativa de moldar o sentimento e a narrativa internacional em torno desses críticos proeminentes do governo comunista chinês e de forma a influenciar a percepção da diáspora chinesa desses indivíduos”, disse Jake Wallis, um dos autores principais do relatório.
Por seu turno, o Vaticano mantém uma ofensiva de charme com o PCC chinês há vários anos e, em setembro de 2018, assinou um importante acordo secreto com Pequim a respeito da nomeação de bispos católicos na China. De acordo com o veterano jornalista do Vaticano John L. Allen Jr., o Vaticano não poupou esforços em sua tentativa de atrair Pequim para relações diplomáticas plenas, uma das principais prioridades do papado de Francisco.
O Vaticano [o papa Francisco] é “cobiçoso de um relacionamento com a China, e muitas vezes esta disposto a reprimir objeções e denunciar muito os abusos comunistas” a fim de avançar em direção a esse objetivo, escreveu Allen no mês passado.
Em suma, “o Vaticano está avançando a todo vapor em seu namoro com [o comunismo de] Pequim, com o prêmio final remanescente de relações diplomáticas completas, uma posição local e legal segura para a igreja e parcerias no cenário global”, escreveu Allen. A abertura do Vaticano em 2018 para Pequim foi adocicada pelo  lançamento em maio de 2020 de uma nova edição chinesa da revista editada pelos jesuítas La Civiltà Cattolica , que goza de um status semi-oficial do Vaticano, observou Allen.
La Civiltà Cattolica disse que a nova edição é “como um gesto de amizade, dado o papel cada vez mais importante que a língua chinesa desempenha no mundo contemporâneo no contexto global”A avaliação de Allen da corte do Vaticano pela China se enquadra com o que outros observadores do Vaticano também estão observando.
Francisco sonha em ser o papa que estabelecerá relações diplomáticas plenas com Pequim e, para alcançar esse objetivo, está disposto a fazer “concessões”, declarou o analista do Vaticano Alban Mikozy na televisão francesa em dezembro passado. “O Papa Francisco é um homem prudente e calculista”, disse Mikozy . “Ele busca um sonho: ser o pontífice soberano que restaurará as relações entre a China e o Vaticano.”
“Para fazer isso, ele está pronto para fazer algumas concessões: não diga nada sobre Hong Kong, não fique muito aborrecido quando o líder chinês falar em reescrever a Bíblia”, acrescentou, referindo-se aos anúncios que o PCCh pretende fazer. retraduzir a Bíblia e outros textos sagrados para torná-los conformes à ideologia comunista.
Por causa desse desejo abrangente, disse Mikozy, o papa está disposto a fechar os olhos para as violações do PCC à liberdade religiosa e outras questões de direitos humanos. Em novembro passado, por exemplo, durante uma conferência de imprensa durante o vôo de volta da Ásia, o papa reiterou seu desejo de visitar a China, enquanto  evitava responder às perguntas sobre os protestos pró-democracia de Hong Kong.
“Eu gostaria de ir a Pequim”, disse Francisco. “Eu amo a China.”
Segundo Mikozy, o silêncio do papa sobre Hong Kong sugere que ele fará um grande esforço para não ofender o PCCh.
O papa prestou elogios à China, insistindo que o governo comunista da China protege a liberdade religiosa e que “as igrejas estão cheias”Enquanto isso, o chanceler da Pontifícia Academia de Ciências Sociais, o bispo  argentino Marcelo Sanchez Sorondo, sustentou  a China comunista como o melhor modelo para viver hoje o ensino social católico..
 
 
 
Fonte: 


 

Sítio Principal: http://achama.biz.ly/
 
 
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!



geoglobe1


 


 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.