Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Mudanças climáticas: Permafrost começou a descongelar.

O Permafrost(*) não é mais permanente, esta derretendo: 850 bilhões de toneladas de carbono armazenado no solo congelado do Ártico poderia ser liberado na atmosfera.

Posted by Thoth3126 on 19/01/2015




Tanto quanto 44 bilhões de toneladas de nitrogênio e 850 bilhões de toneladas de carbono armazenados no solo congelado do permafrost, na região do Ártico, poderia ser liberado para o meio ambiente na medida que a região começar a derreter durante o próximo século como resultado de um planeta mais quente, de acordo com um novo estudo conduzido pelo Serviço Geológico dos EUA-USGS.


Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Essa história é baseada em materiais fornecidos pelo United States Geological Survey-USGS (Serviço Geológico dos EUA).

Mudanças climáticas: Permafrost começou a descongelar

Fontes: http://www.sciencedaily.com/ e http://www.wired.co.uk/

Este nitrogênio e carbono são susceptíveis de causar impacto em ecossistemas, na atmosfera, e nos recursos hídricos, incluindo rios e lagos. Para um melhor entendimento, esta é aproximadamente, a mesma quantidade de carbono armazenado na atmosfera hoje.


(*) O permafrost é o tipo de solo encontrado na região do Ártico. A etimologia de permafrost vem de perma, de permanent (inglês para permanente), e frost (inglês para congelado), palavra referenciada pela primeira vez em 1943, por S. W. Muller.

É constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados. Esta camada é recoberta por uma camada de gelo e neve que, se no inverno chega a atingir 300 metros de profundidade em alguns locais, ao se derreter no verão, reduz-se para de 0,5 a 2 metros, tornando a superfície do solo pantanosa, uma vez que as águas não são absorvidas pelo solo congelado.

Recomenda-se cuidado ao erigir edificações ou pavimentação neste tipo de solo, uma vez que, se a camada de permafrost for rompida, a edificação ou a pista pavimentada pode afundar no terreno.

Uma grande reserva de metano, gás estufa 30 vezes mais potente que o dióxido de carbono está se abrindo. Foi feita uma descoberta através da perfuração da camada de gelo que era tido como impermeável. Pesquisadores da Universidade do Alasca descobriram que se a liberação do gás metano(CH4) para a atmosfera não for interrompida, poderá haver mudanças climáticas ainda mais drásticas do que as já estudadas.

A liberação de carbono e nitrogênio no permafrost poderia agravar o fenômeno do aquecimento planetário e vai impactar os sistemas de água em terra e no mar de acordo com cientistas da USGS e seus colaboradores nacionais e internacionais. A inédita descoberta de nitrogênio é útil para os cientistas que estão fazendo previsões climáticas com os modelos climáticos de computador, enquanto a estimativa de carbono é consistente e dá mais credibilidade a outros estudos científicos com estimativas de carbono semelhantes.


Um novo estudo descobriu que até 44 bilhões de toneladas de nitrogênio e 850 bilhões de toneladas de carbono armazenados no Ártico permafrost, ou solo congelado, poderia ser liberado para o meio ambiente como a região começa a derreter durante o próximo século como resultado de um aquecimento do planeta. (Crédito: iStockphoto / George Burba)

“Este estudo quantifica o impacto em dois ciclos químicos da Terra mais importantes, carbono e nitrogênio, a partir de descongelamento do permafrost sob cenários de aquecimento futuros do clima”, disse a diretora do USGS Marcia McNutt.

“Enquanto o permafrost das latitudes polares pode parecer tão distante e desconectado das atividades diárias da maioria de todos nós, o seu potencial para alterar a habitabilidade do planeta, quando desestabilizado é muito real.”

Para produzir as estimativas, os cientistas estudaram como o permafrost afetava os solos, conhecidos como Gelisols, e seu descongelamento sob diferentes cenários climáticos. Eles descobriram que todos os Gelisols não são iguais: alguns têm Gelisols com materiais do solo, que são muito turfosos, com muita matéria orgânica em decomposição, que queima com facilidade quando secos – estes irão transmitir nitrogênio recém-descongelado para o ecossistema e a atmosfera.


Esta figura mostra a extensão média de permafrost no Ártico, estimados para (a) os anos entre 1990-2000 e (b) dos anos 2090-2100. Em (c), a estimativa de perda de permafrost em 2100 é sobreposta sobre as estimativas para o ano de 2000. (Crédito: A. David McGuire, USGS)

Outros Gelisols tem materiais que são muito ricos em nutrientes – estes irão transmitir uma grande quantidade de nitrogênio para o ecossistema. Todos os tipos contribuirão com emissão de dióxido de carbono e provavelmente com algum metano para a atmosfera, como resultado da decomposição uma vez que o permafrost se descongelar – e SÃO estes gases que contribuem para o aumento do aquecimento global. Aquilo que esteve congelado durante milhares de anos entrará em nossos ecossistemas atuais e na atmosfera como um novo colaborador para o aumento da temperatura.

“A comunidade científica que esta pesquisando este fenômeno tem colocado em disponibilidade esses dados internacionais para o próximo Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima. Conforme o descongelamento do permafrost receber mais atenção, estaremos compartilhando nossos dados e os nossos conhecimentos para orientar esses modelos, já que retratam como a terra, a atmosfera e os oceanos interagem“, disse a principal cientista em estudo do solo do USGS, Jennifer Harden, .


A vasta extensão de permafrost na Sibéria e no Alasca começou a descongelar, pela primeira vez desde que se formou 11 mil anos atrás, região marcada em azul escuro no mapa. É causada pela recente aumento de 3° C da temperatura local ao longo dos últimos 40 anos – mais de quatro vezes a média global. Turfeiras congeladas cobrem uma área de um milhão de quilômetros quadrados (ou quase um quarto da superfície terrestre do planeta), a uma profundidade de 25 metros. Aquelas na Sibéria são as maiores do mundo.

Jornal de referência :

Jennifer W. Harden, Charles D. Koven, Chien-Lu Ping, Gustaf Hugelius, A. David McGuire, Phillip Cam, Torre Jorgenson, Peter Kuhry, Gary J. Michaelson, Jonathan A. O’Donnell, Edward Schuur AG, Charles Tarnocai , Kristopher Johnson, Guido Grosse. Campo informação ligações permafrost e carbono para vulnerabilidades físicas de descongelamento. Geophysical Research Letters , 2012, 39 (15) DOI: 10.1029/2012GL051958

———————————————————————————————–

Um grupo de climatologistas alertou que um aumento da temperatura global de 1,5 º C em relação aos níveis pré-industriais (do século XIX) pode desencadear a liberação de gases de efeito estufa congelados no subsolo. Os solos permanentemente congelados da Sibéria contem mais de um trilhão de toneladas de dióxido de carbono e metano, armazenadas durante a última idade do gelo. Se um pequeno aumento da temperatura fizer com que o solo comece a derreter, os gases de efeito estufa então liberados poderiam acelerar drasticamente o processo de aquecimento planetário.

Um estudo publicado em Science analisando estalactites e estalagmites em cavernas ao longo da “fronteira do permafrost” – a zona no círculo polar ártico (próximo ao polo norte) onde o solo começa a ser permanentemente congelado durante todo o ano. Estalactites e estalagmites só podem crescer na presença de água em estado líquido, assim que o estudo do seu tamanho dá pistas sobre a evolução das condições do permafrost no passado – voltando até cerca de 500.000 anos atrás.


O Permafrost na Sibéria, no extremo norte da Rússia começou a descongelar e o gelo esta recuando para latitudes mais ao norte.

Eles mostram que a cerca de 400 mil anos atrás, um aquecimento de 1,5 º C -que esta mais ou menos em linha com as previsões mais otimistas sobre os efeitos das mudanças climáticas até 2100, e os mais pessimistas, por volta de 2030 – provocou um recuo dramático na área coberta pelo permafrost, as terras congeladas.

“As estalactites e estalagmites destas cavernas são uma maneira de olhar para trás no tempo para ver como períodos quentes semelhantes ao nosso clima moderno afeta e o quão longe se estende pelo permafrost da Sibéria“, disse Anton Vaks da Universidade de Oxford, que liderou o estudo.


Estalagtites

“Na medida em que o permafrost cobre 24 por cento da superfície terrestre do hemisfério norte, o descongelamento significativo pode afetar grandes áreas e causar a liberação (de bilhões de toneladas) de carbono. Isso tem enormes implicações para os ecossistemas da região e aspectos do ambiente humano em todo o planeta.”

A principal consequência do descongelamento dessa região, e a liberação dos gases nela existentes é o aumento do nível dos oceanos, afetando todas as grandes cidades costeiras.

Saiba mais aqui:

http://thoth3126.com.br/category/mudanca-nos-polos-e-campo-eletromagnetico-do-planeta/
http://thoth3126.com.br/buraco-sinkhole-gigante-surge-na-russia/
http://thoth3126.com.br/sons-misteriosos-sendo-ouvidos-em-todo-o-planeta/
http://thoth3126.com.br/poderosa-emissao-de-onda-de-energia-do-nucleo-da-terra-foi-gravado/
http://thoth3126.com.br/sons-estranhos-nos-ceus-da-terra-explicados-por-cientista/
http://thoth3126.com.br/poderosa-energia-emitida-pelo-centro-da-galaxia-foi-registrada/
http://thoth3126.com.br/o-cinturao-de-fotons-acelera-as-mudancas/
http://thoth3126.com.br/o-futuro-dos-eua-por-ned-dougherty/
http://thoth3126.com.br/sinkholes-surgem-por-todo-o-planeta/
http://thoth3126.com.br/sinkholes-mais-dois-buracos-surgem-na-siberia/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

160Share on Facebook (Opens in new window)160
9Click to share on Twitter (Opens in new window)9
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.