Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Novos documento Majestic-12 corroboram aterrissagem de UFO em Aztec, EUA (2) ~ Michel Salla

II

Novo documento do GRUPO secreto MAJESTIC-12 corroboram aterrissagem de UFO em Aztec, EUA (2).

Novo documento Majestic-12 vazado por militares insiders corrobora o histórico livro e best seller Behind the Flying Saucers  sobre queda de UFO em Aztec, Novo México, nos EUA.

Escrito por Dr. Michel Salla, Ph.D. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

 
aztec-ufo-majestic12-salla



O recém-lançado documento de informação Majestic-12 contém muitas informações sobre o início das relações diplomáticas entre o governo dos EUA e visitantes extraterrestres de aparência humana (humanoides) que começaram após o famoso incidente do resgate de um UFO em Aztec de 1948. O primeiro a escrever sobre o caso foi o autor Frank Scully, um jornalista altamente respeitado, que escreveu um livro em 1950 com base no que ele soube contado por duas fontes, um suposto cientista e um comerciante da cidade.
 


Para a Parte Um  Clique aqui
 A primeira parte desta série discutiu o conteúdo do documento explicando como um alienígena adulto sobrevivente do desembarque em Aztec, Novo México, iniciou o processo diplomático com governo e militares dos EUA e deixou três infantes extraterrestres trazidos ao nosso mundo para permanecer e crescerem nos EUA como um gesto de boa vontade.
Aztec-UFO-SITE-EUA
As informações reveladas no documento vazado podem ser comparadas com o que é conhecido publicamente sobre o evento UFO em Aztec, Novo México. Se um alto grau de consistência for encontrado na comparação, ajudará a comprovar que as informações do novo documento são baseadas em informações factuais, são reais, documento que fazia parte de um briefing classificado como Ultra Top Secret em 1989 preparado pela Agência de Inteligência de Defesa (D.I.A.) para o Gabinete do Presidente dos EUA.
O primeiro a escrever sobre o caso Aztec  foi o autor Frank Scully, um jornalista altamente respeitado, que escreveu um livro em 1950 a respeito do caso, com base no que duas fontes locais haviam lhe contado, um suposto cientista Dr. Gee (um pseudônimo usado por um radialista local e proprietário de loja de peças para televisão, que se revelou depois ser Leo A. GeBauer) e Newton Silas (um conhecido prospector de petróleo). O livro de Scully,  Behind the Flying Saucers, rapidamente se tornou um best-seller nacional com a sua história do “primeiro desembarque” extraterrestre de um disco (UFO) voador em 25 de março de 1948:
“[Dr. Gee] foi o homem que nos contou toda a história do primeiro disco voador que aterrissou nos Estados Unidos … Dois telescópios flagraram esta nave não identificada quando ela entrou em nossa atmosfera. Eles assistiram a sua posição e estimaram onde a espaçonave iria pousar. Dentro de poucas horas depois de ocorrer a aterrissagem, vários oficiais da Força Aérea chegaram ao campo de vôo em Durango, Colorado, e saíram em sua busca pelo objeto voador não identificado. Quando o encontraram, estava aterrissado em um território muito rochoso e em um alto planalto, a leste de Aztec, no Novo México. (Behind the Flying Saucers, pp. 138-39)”
Note-se que Scully estava falando sobre um “desembarque controlado”, não um acidente de disco voador, como relatado para o incidente com UFO de Roswell, que recebeu cobertura mundial da mídia (até jornalistas do Japão foram a Roswell investigar) após o primeiro comunicado de imprensa da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos em 8 de julho de 1947, logo desmentido no dia seguinte (manchetes do jornal local abaixo). 
roswell2
O novo documento de informação Majestic-12 vazado recentemente (provavelmente por insiders militares aposentados) refere-se de forma semelhante a um “desembarque controlado” na vizinhança de Aztec que ocorreu em 25 de março de 1948:
“O desembarque controlado ocorreu em um pequeno desfiladeiro do deserto sobre a região de pastagem em um rancho de um fazendeiro local … há cerca de 12,2 milhas a nordeste de Aztec,  New Mexico. A nave estava determinado como tendo cerca de 99,983 pés (cerca de 30,40 metros) de diâmetro. (“Assessment of the Situation“, p. C-1-of-10)”
Em relação ao diâmetro do disco voador, Scully deu a seguinte informação:
As dimensões gerais da espaçonave foram constatadas como sendo com menos de 100 pés de diâmetro. Para ser exato, mediu 99,99 pés de largura. [ Behind the Flying Saucers ,p. 138-39]
Notavelmente, a medida precisa de Scully do diâmetro da embarcação, do disco voador que aterrissou corresponde exatamente ao relatório do documento de informações de 1989 recentemente librado sobre o tamanho e a natureza do pouso. Scully revelou detalhes importantes sobre a equipe científica enviada para investigar o disco voador:
O Dr. Gee e sete cientistas magnéticos de seu grupo foram chamados para examinar essa espaçonave estranha. Quando chegaram no local, decidiram que a melhor coisa a fazer era não tocá-lo ou tentar entrar nele. Eles estudaram a nave à distância segura durante dois dias, bombardeando-o com contadores Geiger, raios cósmicos e outros dispositivos com proteção. [Behind the Discos Voadores, p. 138-39]
Scully foi informado de que oito cientistas participaram da análise preliminar da embarcação extraterrestre. De acordo com o novo documento do Majestic-12, a equipe de recuperação envolveu quatro membros científicos da recém-criada diretoria do grupo Majestic-12 (MJ-12) e seis outros cientistas se reuniram no local de aterragem no Hart’s Canyon perto da cidade de Aztec:
Para acompanhar completamente o curso da recuperação e investigação da espaçonave em Aztec, NM, é importante neste momento detalhar os nomes e os antecedentes acadêmicos dos membros da equipe IPU / MAJICOPS antes de retornar a uma cronologia dos eventos no Harts Canyon. Apenas quatro dessas pessoas estavam na diretoria dos MAJICOPs. Eram o Dr. Lloyd Berkner, Dr. Detlev Bronk, Dr. Vannevar Bush e Dr. Jerome Hunsaker …. Os seguintes foram selecionados pela diretoria do MAJESTIC-12 para acompanhar a equipe de recuperação IPU / MAJICOPS para os locais de desembarque de Hart Canyon:
aztec-roswell-novo-mexico
  • Dr. Carl A. Helland, Diretor e cientista sénior do Laboratório de Geofísica e Ciências Magnéticas da Escola de Minas do Colorado;
  • Dr. John von Neumann … Seu trabalho no disco asteca acabou levando ao idioma binário usado hoje em todos os computadores eletrônicos modernos;
  • Dr. Robert J. Oppenheimer … Atuando para seu amigo, Dr. Bush, que ainda não chegou às astecas, selecionou a maioria dos membros da equipe de recuperação e organizou com a Marinha dos EUA para armazenamento em suas instalações em Los Alamos até que locais permanentes pudessem estar preparado;
  • Dr. Johann von Roesler, químico especialista em nitrogênio … Originalmente incluído como consultor sobre a possível necessidade de obter entrada forçada no disco por uso de potentes explosivos, ele finalmente trabalhou com o Dr. Detlev Bronk na investigação do nitrogênio liquido refrigerado Sistema criogênico de suspensão da vida usado no disco pelos extraterrestres membros da tripulação [sic];
  • Dr. Merle A. Tuve … Melhor pioneiro na propagação de rádio-salvamento na atmosfera superior. Mais tarde, faz parte da equipe da Bell Laboratories, que desenvolveu os princípios da física da luz laser derivada do estudo dos sistemas encontrados a bordo da espaçonave em Aztec.
  • Dr. Horace van Valkenberg , foi Diretor da Escola de Metalurgia da Universidade do Colorado.(Assessment of the Situation, pp. C-3&4-of-10)
De acordo com o documento Majestic-12, havia dez cientistas envolvidos na recuperação em Aztec. No entanto, o Dr. Vannevar Bush chegou mais tarde do que os outros na cena. Scully foi informado de que havia oito cientistas no local, que é muito próximo do número dos indivíduos inicialmente presente (nove) ao local. Se outro membro científico da Direcção MJ-12 tivesse acompanhado Bush e também chegou tarde, isso corresponderia precisamente aos oito cientistas que trabalhavam no início da investigação do UFO que aterrissou na região, de acordo com o que Scully tinha contado em seu livro. Scully passou a descrever como a equipe de recuperação conseguiu entrar na espaçonave:
Aparentemente, não havia nenhuma porta para acessar o que, sem dúvida, era a cabine do UFO. A superfície externa não mostrava nenhuma marcação de qualquer tipo, exceto por uma porca quebrada, que no primeiro exame pareceu ser de vidro … Finalmente, pegamos uma grande estaca e abrimos um buraco através desse defeito na espaçonave. [Behind the Discos Voadores, p. 139]
Esta descrição de como a equipe de recuperação mandada à Aztec obteve acesso ao interior da nave corresponde ao que o documento MAJESTIC-12 recentemente vazado diz:
Descobriu-se que a abertura original foi forçada no canto inferior de uma espécie de grande janela retangular ou uma espécie de vigia que tinha sido quebrada. Essas vigias não eram visíveis do lado de fora, mas estavam localizadas por todo o caminho ao redor do compartimento em enormes retângulos curvos e separados por apenas uma armadura estrutural fina entre elas. A exceção era  o buraco forçado pelo qual a equipe ganhou entrada à espaçonave. [Assessment of the Situation, p. C-6-of 10]
Imagem do que seriam os restos do UFO resgatado em ROSWELL, em Julho de 1947.
Imagem do que seriam os restos do UFO resgatado em ROSWELL, em Julho de 1947.
O documento MAJESTIC-12 também se refere ao uso de “uma varinha longa e fina usada para sondar o que parecia ser alavancas ou botões dentro da espaçonave”, o que corresponde à descrição de Scully de uma “estaca grande” usada através da vigia. Em seguida, chegamos ao número de ocupantes no incidente Azteca do disco voador. Scully foi informado pelo Dr. Gee:
[Nós] olhamos para o interior da espaçonave. Lá pudemos contar dezesseis corpos, que variavam em altura de cerca de 36 a 42 polegadas (0,90 a 1,05 metros)…. Examinamos os corpos muito de perto e com muito cuidado. Eles eram normais sob todos os pontos de vista e não tinham aparência de ser o que chamamos os anões em nosso planeta. Eles eram perfeitamente normais em seu desenvolvimento. O único problema era que sua pele parecia ter sido carbonizada, apresentando com uma cor chocolate muito escura. [Behind the Discos Voadores, p. 139]
Agora podemos comparar a narrativa de Scully sobre os 16 extraterrestres mortos com o que os documentos MAJESTIC-12 dizem:
Dentro da cabine superior … a equipe encontrou os corpos de dois (2) humanóides pequenos de cerca de quatro pés de (cerca de 1,20 metros) altura amarrados em assentos como aqueles no cockpit de um caça à jato … Esses extraterrestres estavam mortos. [Assessment of the Situation, página C-6 de 10]
O documento vazado declara que os extraterrestres morreram por causa de um problema atmosférico causado por um impacto da espaçonave com um penhasco próximo. O relatório descreveu então a descoberta de 14 tubos criogênicos no nível inferior da nave, 12 dos quais continham corpos de aparência humana – quatro dos quais posteriormente foram ressuscitados com sucesso: