Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Julho 17, 2023

chamavioleta

O PODER DA ALMA

Mensagem de Mãe Maria
Canal: Pamela Kribbe

Tradução: De Coração a Coração

a 16 de julho de 2023

 

 

 
Saudações queridos amigos.
Eu Sou Maria.
 
De nossa parte, estamos plenamente conscientes de como, às vezes, a realidade da Terra pode parecer pesada e densa para vocês. Mas saiba que estamos consigo e chegamos o mais próximo possível de você para apoiá-lo. Sinta nossa energia nesta sala. Sinta que há uma certa leveza que quer chegar até você, então permita.
 
Eu venho com o mesmo número de crianças ao meu lado quantas pessoas aqui presentes. Estas são as crianças que representam a sua energia. Em cada um de vocês vive uma criança; é a sua essência mais original; ela contém algo de sua inspiração mais profunda. Vejo-as ao meu redor, sorrindo, dançando, alegres.
 
Os filhos de Pamela e Gerrit também estão aqui e juntos formamos um círculo. Observe a criança que pertence a você e permita que ela se aproxime de você e se sente ao seu lado ou no seu colo. Permita que esteja com você e sinta como algo vive nesta criança que não é tocada pelo peso da realidade terrena.
 
A criança tem algo que é original, despreocupado e ilimitado. Sinta o riso borbulhante daquela criança e dê-lhe as boas-vindas. A vida é para ser celebrada, para ser vivida com alegria. Você tem permissão para experimentar alegria em sua vida, e isso geralmente envolve as coisas mais simples.
 
Diga “sim” a si mesmo como você é agora, com os problemas que você enfrenta, os sintomas físicos, talvez, e o estresse e a preocupação. Apenas diga “sim” para si mesmo. Você está completamente bem do jeito que você é.
 
Olhe nos olhos da criança em você e veja a beleza dela, a natureza intocada, a esperança, a vitalidade. A criança em você não desiste, ela quer viver.
 
Frequentemente, são seus próprios pensamentos que o aprisionam e interrompem o movimento da vida dentro de você. Sempre que você se sente preso, não são realmente os sentimentos que estão presos, mas os pensamentos que chegaram a certas conclusões e interpretações que o fazem decidir: “Estou preso”
 
A vida é um fluxo de energia fluindo, e há algo em você que também quer fluir. Isso não quer dizer que a vida sempre pareça boa e agradável, mas que sempre há uma corrente presente em sua alma que flui junto com os altos e baixos, a escuridão e a luz. Sempre que você resiste a essa corrente, você fica preso e cria uma situação que parece estática. No entanto, mesmo assim, a vida nunca está realmente parada.
 
O que acontece quando você é pego em resistência, quando diz a si mesmo que as coisas não vão dar certo, quando faz um julgamento muito severo sobre sua situação?
 
Na pior das hipóteses, acontece que você se sentirá péssimo consigo mesmo e se convencerá a se sentir desanimado. Você então se encontra em um campo de energia que é o início da depressão; você se sente vazio e sombrio, obscuro e confuso. Isso é o que acontece quando você reprime a energia e ela não consegue fluir; torna-se uma zona crepuscular nebulosa.
 
Observe a si mesmo quando isso acontecer com você e veja se esse é um padrão que você reconhece. Com algumas pessoas, isso acontece com mais frequência do que com outras.
 
Quando houver momentos em sua vida em que você se sentir desanimado e pensar: “Estou muito sobrecarregado, não posso mais fazer isso”, vá lá com sua atenção e respire profundamente e expire completamente.
 
Sinta que há tanto dentro de você que quer se mover, que quer viver, que quer experimentar alegria e confiar nesse fluxo. Observe quando você está tirando certas conclusões e em que ponto você fica preso. Sinta a diferença entre o que quer estar vivo em você e aquela sensação de opressão.
 
Por trás desse julgamento está a dor, então torne essa dor palpável. Sinta a tristeza por trás disso, o medo. Permita que esse sentimento venha à tona: “Estou com medo; Eu me sinto tão sozinho.” Ouse enfrentar esses sentimentos, porque fazer isso é a sua salvação.
 
No momento em que você permite que esses sentimentos se revelem é quando você se conecta novamente com a vida, com o que fluiria em você. Quando essas emoções são sentidas em seu corpo, é quando você pode trazer conforto com sua luz interior – então experimente.
 
Imagine que você traz luz à dor que sente em relação à sua vida. Crie um círculo de luz em torno dessas supostas falhas: os sentimentos de incerteza, solidão e medo. Imagine que você olha para eles com compaixão e diz “sim” a todos: “Esta dor me pertence e eu a aceito como parte de mim”.
 
Que alívio é permitir que a dor esteja lá! Quando você observa a dor, a resistência, sem julgamento, as coisas podem começar a fluir novamente. É quando você está em oposição à sua negatividade que surgem os problemas e você permanece preso lá por mais tempo do que o necessário. Desista da resistência.
 
Tudo o que existe tem uma razão de existir, tem uma origem que é válida. Abrace aquelas partes de você que você acha mais difíceis, que têm as emoções mais pesadas. Imagine que você faz isso com uma energia viva e permita que essa energia veja a criança em você que ainda é alegre, vibrante e aberta à vida no mais profundo de seu ser.
 
Essa criança em você é um símbolo da vida: sua força, sua vitalidade, e nunca pode ser quebrada, é indestrutível. É o próprio Deus que flui através de você.
 
Permita que essa energia o limpe de preocupações e do que o oprime. Sinta-a como uma fonte em cascata ao seu redor. Você tem permissão para ser quem você é. Reserve um momento para olhar para trás nos últimos meses. Sinta como você tem sido corajoso, como você olhou diretamente para certas coisas. Por favor, veja o que você realizou. Há sempre algo que você aprendeu ou alcançou.
 
Se você não vê isso, significa que você não está olhando honestamente. Veja uma coisa concreta, algo que você administrou bem, algo com o qual está satisfeito, e permita que apareça por si mesma. Encontre aquele algo do qual você sente algum orgulho.
 
Encontre algo com o qual você se sinta bem e dê a si mesmo esse reconhecimento. Cite as qualidades que você demonstrou. Foi coragem, foi perseverança? Foi honestidade, sinceridade, confiança? Reconheça essa qualidade dentro de você.
 
Eu digo, ouse, e isso provavelmente soa um tanto exagerado, porque em um nível você não quer nada melhor do que pensar positivamente. Mas também existe um nível em que você se apega ao negativo porque é quase uma espécie de vício. A negatividade às vezes pode ser uma espécie de esconderijo, porque permite que você não precise fazer nada.
 
Se você sempre diz a si mesmo: “Eu não posso fazer isso”, então o que você está dizendo, na verdade, é: “Eu não preciso mais viver a vida, eu posso me retirar para aquele pequeno lugar que assegurei para mim e não preciso ser ou fazer mais nada.” Pode, portanto, ser uma espécie de escravidão, uma desculpa para julgamentos negativos.
 
Considere por um momento qual é a recompensa quando você olha para si mesmo de forma tão crítica. Por que você faz isso? Existe alguma coisa nele, mesmo que seja uma coisinha que de alguma forma faz você se sentir seguro, lhe dá um certo tipo de segurança, mesmo que seja apenas de uma forma ligeiramente distorcida?
 
Às vezes, pode parecer seguro se tornar pequeno e ficar na rotina, mas esse é realmente o seu medo do que pode acontecer se você participar totalmente da vida.
 
Ao participar da vida, queremos dizer que você realmente se abre para as experiências que surgem em seu caminho, ousando explorar novos territórios, entrando no desconhecido e sentindo autenticamente – e isso é grandeza!
 
Não tem nada a ver com o quão bem você atua no mundo, ou o que você realiza, mas com o que você se permite sentir plenamente, e mergulhar nesse sentimento. É grandeza entrar na profundidade de tudo o que a vida tem a oferecer em termos de sentimentos e emoções.
 
Entrar abertamente nessa grandeza é o verdadeiro significado da vida, embora às vezes pareça demais para você. Veja o que você faz a si mesmo quando se fecha e se cerca de certos julgamentos em sua cabeça sobre o que pode e o que não pode acontecer para você e quais estradas estão fechadas para você.
 
Na verdade, é uma pseudo morte em que você entra quando não quer mais se envolver na vida e não estar mais aqui. Mas isso não pode ser; vai contra a própria vida. A morte realmente não existe; não existe uma paralisação absoluta, uma inexistência, um não-ser. Tudo o que é, é – existe.
 
E por isso a vida está sempre em movimento e em evolução, continua seu caminho e ganha novas experiências. Peço que se abra para esse fluxo. É um fluxo de amor, um fluxo de alegria que quer estar com você.
 
Pegue a criança pela mão e confie nela. Precisamente em sua inocência, abertura e vulnerabilidade, é a parte mais sábia de você, porque sempre escolhe a vida, repetidamente. A criança está cheia de vida! Permita-se ser novamente entusiasmado por esta criança interior. Abra-se para a vida.
 
Mãe Maria
 
 
 

 
Transcrito por achama.biz.ly com agradecimentos a: 
 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub