Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Será que vale a pena tirar o glúten da sua alimentação?

Será que vale a pena tirar o glúten da sua alimentação?

Por Anah Locoselli.

8 de agosto de 2020.. 

 
 
Mulher com as duas mãos em frente ao seu corpo e a uma bandeja com pão..
 
 
 

 
Com certeza você já reparou a sua volta a oferta crescente de produtos sem glúten, assim como deve ter amigos ou parentes que optam por uma dieta livre desse composto.
 

Atualmente observa-se um número crescente de pessoas intolerantes ao glúten, além dos celíacos.

 
Os portadores da doença celíaca têm um grau de intolerância elevado de tal forma, que o mínimo contato com glúten pode colocar sua vida em risco, desencadeando diarreia, fechamento de glote, cólicas e diversos outros sintomas.

Os intolerantes podem apresentar anemia, enxaqueca, artrite, infertilidade, depressão, fadiga e vários outros desconfortos, porém não precisam de um controle tão rígido, não necessitando investigar se existem traços de glúten em tudo que consomem.

Trigo em campo, focado na imagem.
Pixabay/Martin Ludlam
 

Já parou para se perguntar por que isso está acontecendo?
Diante do crescimento da intolerância ao glúten, vários estudos passaram a ser realizados em busca de um fator que justificasse esses dados.
No livro “Barriga de trigo”, o cardiologista William Davis acredita que o desenvolvimento dessa intolerância está ligado à mudança genética que o próprio trigo sofreu ao longo dos anos.
Davis aponta diversos problemas que o consumo de glúten pode acarretar, mesmo para quem não é intolerante:
  • Dependência (tal qual substâncias viciantes)
  • Obesidade
  • Acnes e espinhas
  • Doenças cardiovasculares
  • Lipogênese
  • Envelhecimento precoce
  • Diabetes
  • Resultado metabólico de natureza acídica
 
 
Contudo, mesmo diante dos estudos apresentados, pode parecer desafiador optar de forma espontânea pela redução do consumo de glúten.

Deixar o pãozinho de lado, a pizza de domingo, assim como as pastas da mamma, é algo que não passa pela cabeça.
Porém, indo além dos estudos, existe um convite para você experimentar e provar como se sente ao reduzir o consumo de glúten no seu dia a dia, avaliando e percebendo como seu corpo se comporta, para então fazer uma escolha consciente, baseada na sua experiência.
Vou dizer que faz dez anos que optei por deixar o glúten fora das minhas refeições. Meu nível de vitalidade, imunidade e bem-estar cresceu de forma exponencial, mas essa é a minha percepção.
Diante de minha escolha, ao longo desses anos, desenvolvi diversas receitas que trazem satisfação e prazer.
Uma delas é o pão de amêndoas. Anota a receita, pega o avental, e vamos para a cozinha!

Pão de amêndoas

Serve: 6 pães

Ingredientes

  • 1 xícara de chá de farinha de amêndoa
  • 1/2 xícara de chá de aveia em flocos médios
  • 3/4 de xícara de chá de polvilho doce
  • 1/4 de xícara de chá de azeite
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 sachê de fermento biológico para pão
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • Mix de sementes a gosto

Modo de preparo

  1. Em um bowl pequeno, misture o fermento com o açúcar.
  2. Adicione 1/2 xícara de chá de água morna e misture. Reserve.
  3. Em um bowl grande, coloque a aveia, a farinha de amêndoa, o polvilho doce e o sal. Misture.
  4. Adicione o azeite, 1/2 xícara de chá de água e o fermento dissolvido em água.
  5. Misture, integrando todos os ingredientes.
  6. Unte 6 aros de modelar alimentos, de 8 cm de diâmetro, com azeite e farinha de mandioca.
  7. Distribua os aros sobre uma assadeira untada.
  8. Distribua a massa, preenchendo os seis aros por igual.
  9. Polvilhe a superfície dos pães com o mix de sementes.
  10. Deixe descansar por 15 minutos.
  11. Leve ao forno preaquecido a 180°C por cerca de 45 minutos.
  12. Retire do forno e distribua os pães sobre uma grade.
  13. Espere esfriar antes de cortar (o pão continua seu processo de cozimento, depois que sai do forno).

Pão redondo com lascas de amêndoas.
Pexels/hermaion
 

Dicas

  • A água a ser misturada no fermento deve estar morna, com uma temperatura agradável para mergulhar o dedo, de forma que não desestabilize o fermento.
  • O pão pode ser armazenado em recipiente fechado por até 5 dias na geladeira, ou dois dias em temperatura ambiente.
  • Você pode enriquecer o seu pão, acrescentado algumas sementes à massa.
  • Você pode optar por assar o seu pão em uma forma de bolo inglês, no lugar dos aros.
Bom apetite!
Anah Locoseli
Anah Locoselli
Email: anah@alimentacaointegrativa.com.br
Telefone: (11) 97691 - 8135
Facebook: Anah Locoselli
Instagram: @anah_locoselli
Site: anahlocoselli.com.br/
Linkedin: Anah Locoselli
Youtube: Anah Locoselli



Arquivos:  

Sítio Principal: http://achama.biz.ly/
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!



geoglobe1


 


 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.