Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Agosto 05, 2020

chamavioleta

A História da Criação 

Parte 3

Sobre Lemúria, Atlântida, Egito, As Entradas para Agharta e mais…

Por Ashtar

Através de Gabriel RL.

sementesdasestrelas.com 

Revisão de texto: Marilene P. Costa  e Solange Yabushita

Continuação da parte 2
 
 
 
 

Não caiam nas velhas armadilhas. A verdade exposta na ‘loucura do fim dos tempos’. A Terra é Plana?  Mensagem de Adama, de Telos. Mensagem de Serapis Bey

Saudações, Família!  


É bom estar aqui mais uma vez. Agora está apropriado para retomarmos nossas mensagens sobre tudo que tenho a oportunidade de trazer a vocês. Como disse anteriormente a bordo da *Jerusalém (a terceira nave mãe da triangulação) vocês me pediram para relembrá-los,  neste momento. Pediram que eu entregasse um pouco da sua história que está adormecida dentro de vocês. Eu sei que alguns podem não entender e acabam entrando em negação. Quanto a isso, estes que estão neste estado também são meus companheiros missionários e podem negar agora, mas o tempo confirmará tais verdades, pois elas estão enraizadas em todos, bastando, para alguns, um pouco mais de tempo para o desabrochar e o florescer das confirmações. Já aqueles que mais rapidamente compreenderam e seus corações vibraram (mesmo que linearmente não tenham compreendido), peço que tenham paciência e amorosidade com aqueles que, de algum modo, sentem mais dificuldade. O tempo mostrará. De qualquer forma, todos que chegaram até aqui e leem ou ouvem essa minha mensagem fazem parte dessa grande transformação que está acontecendo agora - tanto na superfície do planeta quanto nas zonas astrais e galácticas - e que continuará acontecendo até o salto dimensional definitivo.
 
Antes de irmos para os tópicos que já anunciei, quero falar com vocês brevemente sobre outros pontos importantes nos tempos atuais que, de certa maneira, são temas atemporais. 
 
Não caiam nas velhas armadilhas
 
É importante que observem o tempo em que estão agora. Sejam observadores, mais observadores! Há muita energia no ar, muita transformação, muita coisa acontecendo. O vírus que colocou o planeta em reflexão surgiu para mostrar algo a vocês. Vocês saberão mais sobre esse vírus, em breve. Saberão o que está por detrás dele. Saberão por que isso aconteceu, quais são os principais responsáveis e quem apoiou tudo isso. É importante que não julguem, mas estejam em observação. As coisas voltarão à normalidade, mas, digamos que será uma normalidade diferente, pois, como já falei anteriormente, nada mais será como antes; e é muito importante que tenham isso em mente. Vocês estão diante de uma grande oportunidade de reconhecerem sua força, de saberem o poder da sua voz, de saberem que juntos são imbatíveis e seus líderes saberão disso como nunca antes.  As suas vozes unidas serão ecoadas e aqueles no topo da liderança que não desejam, realmente, colaborar nesta fase de transição, não poderão fazer outra coisa senão ceder a sua força. É inevitável; eles cederão. E saibam que vocês têm o nosso apoio. 
 
Quanto ao vírus, quando vocês souberem mais a respeito (e traremos outras informações em breve), nós iremos inspirar e intuir  muitos dos seus profissionais médicos, enfermeiros e cientistas que estiverem mais abertos para nos sentirem e nos ouvirem. Muitos deles sofrerão ameaças, mas nós estaremos bem próximos para apoiá-los quando a verdade sobre o vírus começar a surgir. Não irá tardar, visto que está ficando insustentável esconder a realidade sobre essa situação, pois eles não conseguirão mais, e vocês não serão “batidos” pelo vírus. Este trouxe uma grande oportunidade de reflexão para todos e está cumprindo seu propósito que, talvez, muitos de vocês não compreendam agora, mas logo compreenderão. Eu só quero dizer que, como sempre afirmo, vocês não estão sozinhos, não estão abandonados, não estão esquecidos. Vocês precisam confiar em todos esses processos, precisam confiar em sua alma, no seu interior que diz que está tudo bem, que é para ficarem calmos, pois está tudo sob controle. Não há motivo para pânico. Mantenham a calma. Vocês ficarão bem, eu prometo, e jamais falharia em minha palavra, Família. 
 
Desejo enfatizar também a importância de não se acusarem, não se julgarem, não se condenarem. Uma das intenções daqueles que não desejam essa transição elevada é que vocês tenham medo uns dos outros, que vocês tenham preconceito de uns com os outros. Vejam... Observem o que quero dizer. Há uma informação que diz para usarem máscaras. A maioria usa, mas se houver um que não esteja usando, muitos enviam vibrações negativas como se ele fosse alguém perigoso, ruim ou um mau exemplo. Nós vemos pensamentos desse tipo passando na cabeça de muitos. Amados, aqueles que desejam colocar vocês uns contra os outros desejam que vocês se acusem e que sejam vistos como ameaça e perigo. Querem que se julguem e se condenem. Não percebem? Se vocês seguem o que está sendo orientado pelos seus órgãos de saúde e veem alguém que não segue, o ato de julgar e condenar aquele que não está seguindo também enfraquece seu sistema imunológico, compreendem? É isso que eles (as forças negativas) querem... Não deem esse poder a eles! Nós já falamos por vários meios, queridos, através das nossas muitas mensagens. Se você faz algo que julga correto e ataca quem não o faz, você caiu na armadilha das forças escuras. Se você não come carne e ataca quem come, você caiu na armadilha. Se você não consome bebida alcoólica e julga e ataca quem bebe, você caiu na armadilha. Se você usa uma máscara e ataca quem não usa, você caiu na armadilha. Se você não usa máscara e ataca quem usa, você caiu na armadilha. Se você não concorda com essa mensagem e ataca quem concorda e acredita, você caiu na armadilha. Ou se você acredita e ataca quem não acredita, também caiu. Queridos, prestem atenção! Vocês estão expandindo. Suas energias são muito valiosas. Cada gota da sua atenção, cada fração da sua energia é muito valiosa àqueles que não desejam a sua ascensão!
 
Saibam que é importante se cuidarem da forma que sentem que precisam. E não estou falando diretamente sobre o vírus da atualidade, mas sobre qualquer situação. É importante que se respeitem e que respeitem o outro, acima de tudo. Vocês podem não concordar com ele, não aceitar e não querer certas coisas por não aprová-las, mas prestem atenção na sua energia interior durante esses momentos. Vocês estão sempre sendo observados, pelos dois lados: tanto pelo lado das forças que desejam sua ascensão, quanto pelo lado dos que não desejam. Não esqueçam que vocês estão em um sistema de dualidade, é sempre muito importante frisar isso. Eu não estou aqui para condená-los, julgá-los ou qualquer coisa assim. Eu estou aqui como representante das Forças Galácticas que assistem a Terra em sua ascensão e a todos que nela estão inseridos. Estou aqui como seu Irmão Galáctico, seu apoiador. Aquele que torce para que reacessem tudo o que lhes é de direito. Sou aquele que, sim, como um irmão que está vendo o quadro de maneira mais alargada, posso mostrar alguns pontos que, talvez, não estejam percebendo e, em meio a tudo isso, também estou aprendendo e expandindo. Como sou grato por isso em todos os níveis, tempos e dimensões, meus queridos! Eu espero que essas minhas palavras possam ajudar em suas expansões. Saibam que, acima de tudo, independentemente de qualquer coisa, nada poderá impedir que alcancem o que vocês precisam alcançar. É o destino de vocês e nós estamos aqui para garantir que assim seja.
 
As verdades expostas na “loucura do fim dos tempos”
 
As rupturas das velhas camadas trarão mais Luz para Terra, como vocês têm visto. É inevitável que essas roturas tragam mais à tona o que precisa vir. A Luz mostrará tudo. Todas as verdades. Ninguém poderá fugir de si mesmo. As suas fontes de informações que dominam a comunicação por décadas estarão também precisando encarar os fatos que omitiram e mentiram para vocês por muito tempo, usando a credibilidade que deram a elas. Certamente, muitos de vocês ficarão desapontados, irritados e alguns podem ser capazes de tomar alguma atitude mais violenta. Mas, mantenham a calma, pois todos os crimes serão expostos e os responsáveis arcarão com as consequências - eu mesmo, Ashtar, estou encarregado disso com as minhas frotas. Permaneçam centrados em seus corações, permaneçam centrados!
 
Nesta “loucura do fim dos tempos”, momento em que a Terra sacode nos níveis físicos e astrais com as verdades vindo à tona e vocês tendo que encará-las verão também muitos em quem depositavam sua confiança caírem,  porque acreditavam ter poder suficiente para se manter no topo, e agora não mais. Ninguém ficará isento de ter que assumir a responsabilidade por qualquer dano causado a Terra e às consciências, nem mesmo em relação a vocês mesmos. Todos terão que arcar com as muitas vezes que negligenciaram a necessidade de olharem mais para si mesmos e de estarem mais em conexão com as suas almas. Não desejo que leiam ou ouçam isso com pesar ou tristeza, mas de cabeça erguida, pois se lhes digo isso é com um único fim: para que assumam de vez as responsabilidades por suas vidas. Vocês alcançaram um nível de consciência mais que suficiente para isso. Chega de fugir, negar e tentar não olhar para si mesmos e não perceber que vocês têm a responsabilidade agora de ajudar a Terra a elevar-se ainda mais. Se estão aí é porque são capazes. Vocês atenderam ao chamado dela, Gaia, porque vocês são capazes. Assumam as rédeas das suas vidas, olhem de frente para os seus problemas, suas dores internas e seus medos. Encarem-nos com honra e empoderados. Tenham a certeza absoluta que eu estarei em pé do seu lado e irei passar junto com vocês tudo que precisarem passar para suas limpezas finais. Não tenham a menor dúvida disso. 
 
Outro ponto dentro deste tópico é que, com o aumentar de todas essas frequências e de todos esses sacodes, as forças não confederadas que estão ainda tentando escapar das consequências dos seus atos, ao perceberem a aproximação do momento de salto quântico, estarão desesperadas para deixar, definitivamente, o planeta. Assim, não estranhem se começarem a ver naves caindo do céu. Isso poderá acontecer algumas vezes. Eles tentarão escapar de alguma forma e, em muitos casos, estarão negando a nos dar ouvidos quando dizemos que suas fugas não serão autorizadas. Quando eles ignoram nossos alertas e disparam contra nós, nossos sistemas de defesa são ampliados. Nisso, projetam de volta esses ataques, o que, inevitavelmente, os colocam em uma situação de perda total das suas capacidades de controle - tanto dos seus próprios corpos, sejam eles astrais ou físicos, como dos seus aparelhos (naves), vindo a solo. E, como sabem, as suas autoridades do planeta ainda afinadas e determinadas a esconder essas verdades tenderão a continuar omitindo que não estão sozinhos no Universo. Neva, por favor, anexe aqui a informação que pedi para que escrevesse no caso da nave abatida em Magé-RJ
 
Vocês, todos vocês, nestes tempos, meus queridos, são aqueles que auxiliarão tantos a se curarem, a se libertarem e a se elevarem. A recomeçarem suas jornadas mais empoderados, felizes e não mais sendo ludibriados de nenhuma forma. Em meio a todas essas agitações presentes, a Luz está surgindo ainda mais brilhante. Tudo está ficando cada vez mais claro  e a nossa presença ainda muito evidenciada. Essa é outra verdade.    
 
A Lemúria e suas raízes
 
Meus queridos, vamos falar sobre a Lemúria  onde, assim como na Atlântida, estão as suas raízes, pois é também parte da sua história e é parte da história dos pleiadianos na Terra, dos sirianos, aldebaranos, capelinos e tantas outras civilizações que chegaram até aqui e participaram ativamente de toda essa experiência. Hoje, meus queridos, vocês têm o Havaí como o pico da mais alta montanha da Lemúria, e a Ilha de Páscoa como um pouco da fisicalidade que sobrou da Lemúria, visível ainda aos seus olhos. 
 
Não é preciso dizer que tanto a Lemúria como a Atlântida já existiam muito antes das semeaduras, obviamente. Eram grandes continentes. Vocês têm muito do início do desenvolvimento da experiência Terra aí, na Lemúria. Havia humanos nativos ali, no princípio, até o início das chegadas das naves do exterior do planeta. Muitos Capelinos do Sistema Estelar de Capela pousaram com suas naves nesse lugar. Houve outros de diferentes sistemas que também vieram quando seus planetas explodiram por conta de algum conflito galáctico ou mesmo de experiências mal sucedidas, e precisavam de um novo planeta. Houve ainda aqueles que precisavam recomeçar suas histórias em outro sistema, pois estavam sendo exilados dos seus planetas de origem por comportamentos que não mais se adequavam àqueles ambientes em expansão. Vocês sabem disso. Como sempre tenho falado, está tudo dentro de vocês. 
 
A Lemúria também é conhecida por outros nomes como Omeyocan, por exemplo. Vocês sabem. Está submersa no Oceano Pacífico, mas retornará, assim como a Atlântida. No momento exato e apropriado, emergirão novamente com toda a sua herança. Os tantos lemurianos que existem fisicamente, ainda presentes na Terra, mais especificamente na cidade intraterrena de Telos, verão novamente seu continente sair das profundezas. Vocês sabem. Estes lemurianos iluminados estão no Monte Shasta vivendo há milhares de anos com seus corpos ascensionais, nessa cidade intraterrena. Meus queridos, há muitas entradas protegidas para Agharta. Vocês também sabem disso. A montanha Shasta é apenas uma das entradas. Os polos da Terra também são.  Em Manaus e em Mato Grosso há outros pontos. Em Foz do Iguaçu, nas suas cataratas, nas pirâmides do Egito, nas esfinges, em Machu Picchu, México, EUA, Índia e em vários outros pontos do planeta. São Portais de entrada para iluminados  lemurianos e atlantes que vivem ainda em seus corpos na Intraterra. 
 
Vamos voltar cinquenta (50) mil anos atrás, exatamente. A Lemúria estava muito desenvolvida tecnologicamente e extremamente avançada. Era o continente mais avançado do planeta. Grandes cientistas, artesãos, astrônomos, magos e profundos conhecedores das forças do Vril e da Energia Nuclear construíam grandes cidades tecnológicas muito desenvolvidas. Eles usavam suas tecnologias para estabelecer conexão com os multiplanos. Isso mesmo! Eles conseguiam se comunicar com as outras dimensões por meio de aparelhos quânticos, teletransporte, desmaterialização e rematerialização de corpos. Eram grandes cientistas. Havia, obviamente, vários grupos por todo o continente. Alguns deles com ideias e motivações diferentes, mas o que movia todos eles era o melhoramento da espécie humana e os ajustes no DNA. Aqui é onde entram os pleiadianos, os sirianos, os aldebaranos e capelinos que irei abreviar por ATDNA (Agentes Transformadores do DNA), especialmente os pleiadianos, como falei antes, com o seu trabalho de semeadura já bem avançado. Havia uma grande mescla, muito desenvolvimento e avanço no DNA. Muitos ali eram altos para os seus padrões atuais, com mais de cinco (5) metros de altura em algumas regiões. Alguns mais baixos nos seus três (3) e dois (2) metros de altura. Nessa época, havia uma variedade deles. Seus pesquisadores encontraram, recentemente, vários corpos congelados destes que cito. Muitas dessas informações foram ocultadas de vocês pela sua mídia, ainda controladora. Eles sabem disso. 
 
Eram seres muito belos, de grande força física e com acentuada inteligência. Aqueles que vieram essencialmente “de fora” em suas espaçonaves e ali fizeram morada tinham uma constituição física muito diferente comparada aos nativos. Relembrem-se: havia tanto os nativos da Terra quanto aqueles que vinham em suas espaçonaves e pousavam na fisicalidade mesclando-se aos humanos nativos. Havia os Pleiadianos que, da mesma forma, alguns deles vinham em suas espaçonaves, como outros já estavam no processo encarnatório do planeta, passando pelos sistemas normais de existência na Terra. Era uma grande mescla; uma grande variedade, ao contrário do que alguns  informaram. Não eram apenas as duas raças específicas. Isso aconteceu por um período. Depois houve uma mescla, uma variedade que foi dividida em dois específicos grupos. Falarei mais. 
 
Uma das missões desse projeto era criar no planeta uma nova espécie humana que evoluísse e expandisse em três planos diferentes: o físico, o psíquico e o espiritual onde, ao mesmo tempo, estava havendo grande transformação na fisicalidade, nos reinos minerais, vegetais e animais. Ou seja, o objetivo era ajustar o DNA humano para que esse fosse, também, se adaptando às mudanças naturais de um planeta em evolução. A Lemúria era o grande centro de comunicações interplanetárias. Era a base central das forças de fora da Terra e, obviamente, era muito cobiçada por forças não positivas que circundavam o planeta, da mesma forma que já o estavam fazendo em direção à Atlântida em seu desenvolvimento. A Lemúria e seus grandes sacerdotes, magos, cientistas, artesãos, astrônomos, construtores e seres com toda sorte de habilidades construíram muitas pirâmides, templos de rejuvenescimento, de cura e transmutação energética. Essa civilização se desenvolveu física e intelectualmente como nenhuma outra espécie até aquele momento. Ali havia um grupo puro de humanos, de maneira iluminada, semeados pelos ATDNA.
 
Assim como ocorreria na Atlântida, ali os processos começaram a ser distorcidos com as infiltrações e outros processos. Não preciso repetir o que aconteceu. Já falo sobre isso no capítulo sobre a Atlântida. (Entreguei as informações sobre a Atlântida a Neva (Gabriel RL) primeiro, mas depois pedi que ela as colocasse no texto em ordem cronológica, para uma melhor compreensão linear.) Essencialmente, a queda foi a mesma, pelos mesmos motivos. Houve uma divisão entre os  dois grupos: aqueles que desejavam estar conectados puramente com a espiritualidade elevada, com o desenvolvimento e a iluminação; e aqueles que estavam começando a focar apenas no mental, físico e no poder, começando a criar meios para dominar os grupos que consideravam física e intelectualmente inferiores. Alguma semelhança entre Atlântida e a Segunda Guerra no seu tempo mais recente? Sim! Como já falei, muitas velhas energias foram transferidas para o seu tempo, para a sua geração, a fim de serem curadas. Então, a decadência iniciou-se e a idade de Ouro da Lemúria começou a ser finalizada.
 
Não houve meteoros caindo na água como na Atlântida. Desta vez, ocorreram ajustes ainda mais intensos das placas tectônicas que desencadearam uma sequência de explosões vulcânicas, jogando o magma para cima. Uma intensa e enorme bolha de magma quente, realmente enorme, abaixo do continente explodiu levantando literalmente todo o continente às alturas.  As placas tectônicas subiram em triângulo e   empurraram o continente para cima, na ponta. Obviamente, isso não ocorreu em alguns minutos. Levou um certo tempo enquanto outras situações semelhantes ocorriam. O continente se partiu em pedaços. Alguns foram para o fundo do Pacífico e outros resistiram às explosões vulcânicas, mas os ajustes tectônicos e maremotos que varriam as costas adentraram por todo o continente.
 




 

Site Principal: http://achama.biz.ly/
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
BitChute Channel do Jordan Sather




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!



geoglobe1


 


 

Março 29, 2017

chamavioleta

 

Seres de Agharta, cruzando a fronteira entre dois mundos.

Tradução, edição e imagens:  
Thoth3126@protonmail.ch

Seres de Agharta, cruzando a fronteira entre dois mundos, o nosso e o reino subterrâneo de Agharta

 
 
 
 
Tudo bem, bem-vindos. Sou o seu anfitriăo, David Wilcock. E é muito emocionante trazer-lhe esta informação cósmica, tirando a capa do encobrimento do governo, dos conspiradores, e as mentiras que foram ditas por tanto tempo. Eu quero a verdade. Eu acho que você quer a verdade ou então você não estaria aqui. E a verdade pode exigir um pouco de flexibilidade no seu atual sistema de crenças …

 
… Porque quanto mais entramos no debate sobre essas coisas, mais descobrimos que tudo o que pensamos que sabemos não é mais de que um mero conto de fadas, e o mundo real é muito mais interessante, de longe mais complexo e muito mais maravilhoso do que jamais poderíamos imaginar.
E assim, Corey, foi da última vez que estivemos falando sobre a história do programa espacial secreto. E nos tempos modernos, você disse que começou com grupos ocultistas alemães nazistas.
Nazi-Base-on-Mars
CG: Correto.
DW : Você disse que havia duas grandes civilizações muito inteligentes com as quais os nazistas alemães entraram em contato e que os ajudaram a aperfeiçoar sua embarcação em formato de sino que utilizava uma tecnologia anti-gravidade.
CG: Certo. Eles já estavam bem encaminhados por conta própria. E essas duas outras civilizações ajudaram-nos a desenvolvê-la para um ponto aperfeiçoado.
DW : E você disse que uma dessas civilizações é chamada, ou é conhecida no programa espacial secreto, de reptilianos, os Dracos.
CG: Sim.
DW: E os outros são chamados os seres de Agharta, da Terra Interior. E eles, você disse, residem em cidades nos subterrâneos dos Himalaias.
CG: Correto.
DW: Quando esses seres de Agharta viveram acima do solo?
CG: Isso não é totalmente conhecido. Foi há dezenas e dezenas de milhares de anos atrás. Eles estão no subsolo há muitas dezenas de milhares de anos.
DW: Algo aconteceu com a superfície que eles sentiram que tinham que fugir, como uma súbita mudança nos pólos magnéticos ou algo assim?
hitler-nazismo-reptilianos-dracos
Os nazistas alemães se associaram a uma raça extraterrestre reptiliana cuja origem é o sistema estelar/solar de THUBAN, na Constelação de DRACO (DRAGÃO). Possuem estatura média de cerca de 4,25 metros de altura.
CG: Alguma coisa … foi um grande cataclismo planetário que os fez ir para a clandestinidade. E ciclicamente no tempo, a Terra passou por vários cataclismos, como arqueólogos e geólogos modernos têm demonstrado.
DW: Começa a se parecer muito como os deuses gregos, onde os deuses gregos supostamente tinham cabelos loiros e/ou olhos azuis e realmente não pareciam ser pessoas muito agradáveis. Eles estavam lutando uns com os outros. O raio de Zeus, essas representações de armas na “mitologia”, citam uma frase, soam como uma tecnologia desenvolvida de algum tipo. Você acha que pode haver uma conexão entre os deuses gregos e os seres de Agharta?
CG: Absolutamente. Eles se apresentaram ao serviço das populações superficiais como se fossem deuses até alcançarmos um certo nível de evolução. E depois desse ponto, eles começaram a se representar como alienígenas ou extraterrestres. E eu acho que depois que nos tornamos sofisticados tecnologicamente até um ponto em que não acreditávamos que tudo o que aconteceu era mágico, quando entendemos e desenvolvemos tecnologia, eles tiveram que mudar sua narrativa de ser deuses para uma nova abordagem, a de serem extraterrestres.
DW: Você disse que sua civilização subterrânea era uma civilização muito avançada.
CG: Bem, uma rede de cidades subterrâneas.
DW: Ah, há uma rede de cidades.
CG: Certo.
DW: Eles têm seu próprio sistema de transporte entre suas cidades?
CG: Eu não estive lá. Eu não sei. Mas eles chamam-lhe a Rede Agartha.
DW: Como seriam essas cidades se fôssemos ver uma? Você já viu alguma imagem ou vídeos delas?
CG: Eu nunca vi imagens ou qualquer outra informação além da que eles são extremamente avançados e auto-suficientes.
DW: Eles tiverem espaçonaves o tempo todo desde quando eles foram viver nos subterrâneos para que pudessem voar ao redor?
CG: Sim. E eles têm uma frota de espaçonaves que eles chamam de “A Frota de Prata”.
DW: Vamos ficar um pouco mais nos reptilianos de Draco por um minuto. Eu não posso ajudar, mas acho que você está dizendo que as Smart Glass Pads de onde voce tem suas informações lhe disse que eles chegaram aqui 375.000 anos atrás.
CG: Aproximadamente.
anunnaki-wings-logo
DW: Existe uma conexão entre os reptilianos Dracos e o que os sumérios chamavam de Annunaki?
CG: Algumas pesquisas mostram que eles estavam em contato e fazendo experiências com seres humanos há muito, muito tempo atrás, indo muito para trás. Isso é separado dos ETs de tipo humano que são membros da super federação que tem esses 22 programas genéticos diferentes em curso aqui na Terra. Então, isso poderia ser o que o autor Zecharia Sitchin estava falando sobre como sendo os Annunaki. Foi-me explicado muito detalhadamente que Annunaki era apenas um termo sumério (o povo do céu) que para o que nós hoje significamos como ETs, “aqueles que vêm do céu”, e que se refere a mais de um grupo de seres. Mas parece bastante óbvio que eles estão se referindo a algum tipo de seres reptilianos nesses textos.
DW: Bem, quando você realmente olha para as esculturas sumérias, não só você vê essas pessoas que são pelo menos duas vezes mais altas do que os seres humanos ao seu redor, você também percebe seres Blue Avians (homens pássaros). Há entalhes sumérios de corpos de aparência humana com uma cabeça de pássaro, o que é muito interessante. Então isso iria apoiar o que você está dizendo. Annunaki é mais do que um tipo de ET.
CG: Certo.
DW: Você está ciente de haver outros tipos de raça Avians lá fora além dos Blue Avians?
CG: Sim, existem vários tipos diferentes. Alguns deles são bastante hostil.
DW: Sério?
CG: Muito hostil, sim. Mas eles são mais da 4 Dimensão, quatro densidade no tipo de nível tecnológico. Eles são tecnologicamente baseados. Eles não são densidade mais elevada, o que nós chamaríamos seres Etéricos ou espiritualmente mais evoluídos.
DW: Quando você vê um filme assustador como “Eyes Wide Shut” ou outras representações de reunião de grupos de cabala onde eles usam essas máscaras, parece que muitas dessas máscaras são máscaras Avian, o que significa que a pessoa é agora um ser humano, mas eles têm uma cabeça parecida com uma ave. Você acha que essas máscaras Avian de alguma forma podem estar relacionadas com Avians ter nos visitado no nosso passado?
CG: Antigos egípcios descreveram seres extraterrestres Avians como os deuses Thoth e Hórus. E há uma conversa de talvez, eu penso na Lei do Um, que um grupo de seis densidades veio para baixo e lhes ensinou certas informações, e assim que eles se foram, o grupo distorceu e criou um culto que se tornou negativo. E então eles se tornaram associados à negatividade.
DW: Isso é absolutamente certo. Quão correto você acha que Sitchin esta? Você acha que os reptilianos de Draco hibridizou sua genética com a nossa própria para criar o Adão ou o trabalhador primitivo do Adamu sumério?
CG: Eu não tenho certeza se eles foram o grupo que fizeram isso. Eu sei que existe – e isso é perturbador para muitas pessoas pensarem, mas temos algumas raças diferentes, a sua genética é misturada com a nossa. E há uma pequena quantidade de DNA reptiliano que esta implantada no DNA humano.
DW: Os Dracos, para sua compreensão, sempre esteve aqui o tempo todo? Eles não foram a lugar algum?
CG: Houve batalhas no planeta pelo controle sobre a Terra ao longo de algum tempo. Tem havido momentos em que os Dracos foram expulsos mas deixaram remanescentes aqui. Tem havido momentos em que os Dracos voltaram e levaram outras pessoas, outros ETs, grupos distantes. Houve uma história muito selvagem ao longo de centenas de milhares de anos pelo controle deste planeta.
povo-serpente-ereshkigalDW: Sim, você vê nos registros sumérios os Lamia, que são as pessoas da serpente, você tem os Nagas Hindu. Há um templo de serpente onde é dedicado aos deuses serpente. Então você tem as pirâmides escalonadas na América Central onde você tem estas cabeças de reptilianos Dracos na parte inferior da pirâmide. Todo mundo acha que isso é apenas uma cabeça de serpente. Você acha que estes são exemplos de onde os Dracos tenham conseguido um ponto de apoio na Terra?
CG: Pode ser. Existem outros seres. Há um tipo de de ser réptil raptor que algumas pessoas confundem com os Reptilianos, só que são mais semelhantes a pássaros na forma como eles se movem. E muitos deles têm plumas de penas nas costas. Eles são uma espécie de mistura entre Reptilianos e seres pássaros Avians.
DW: Você acha que praticamente quase qualquer coisa que pudéssemos imaginar em termos de um ser humanoide existe em algum lugar?
CG: Muito próximo disto.
DW: Então agora vamos trazer isso de volta. E você está abrindo outros assuntos. E eu não vou abandoná-los, mas quero ficar no tópico. Porque há tantas maneiras diferentes que podemos abordar quando começamos a falar sobre tudo isso. Os reptilianos Draco podem ter essa conexão com os Anunnaki, a conexão Suméria. Você disse que eles foram expulsos. Eles voltaram. Estas são seres extraterrestres negativos e desagradáveis, certo?
CG: Sim, e muito.
DW: As lendas de como quando as pessoas estão supostamente sendo sacrificadas nestas pirâmides escalonadas – esses reptilianos queriam que esse tipo de tributo pago a eles, como sacrifício humano? É uma das suas demandas?
CG: Sim.
DW: Então estes são seres muito desagradáveis. Por que alguém iria querer trabalhar com eles?
CG: Bem, eles são bastante desagradáveis e negativos.
DW: As sociedades ocultistas alemãs.
CG: E mais tarde, outras sociedades secretas ocidentais.
DW: OK, então por que alguém na Alemanha, ou em qualquer outro lugar, iria querer trabalhar com um grupo que parece ser negativo que é claramente mais poderoso do que eles mesmos? O que eles poderiam ganhar de algo aparentemente, com uma aliança tão estúpida?
CG: Bem, interesse pela sua tecnologia e também uma aliança com o grupo Draco, uma vez que os alemães nazistas começaram a sair para o espaço exterior, eles começaram a correr para outros grupos. E há outros grupos que não são tão amigáveis também. Então eles decidiram aliar-se com, eu acho, o garoto difícil (os Dracos) no playground.
DW: Qual foi o papel dos seres de Agharta no desenvolvimento inicial de como essa transição a partir dos nazistas apenas para desenvolverem a nave com formato de sino para realmente começar a construir uma civilização separatista?
CG: Os alemães realmente tomaram mais dos seres de Agharta.
DW: Realmente?
CG: Sim.
DW: OK.
CG: Eles, os alemães se pareciam mais com eles, altos, o cabelo loiro, os olhos azuis. Eles meio que foram junto com a então raça dominante.
DW: Os seres de Agharta têm a mesma altura que nós?
CG: Sim, talvez sejam um pouco mais altos, mas muito dentro da mesma faixa de altura.
DW: E qual seria seu tipo de indumentária?
CG: Usariam uniformes. Os alemães mais tarde usariam os mesmos uniformes e voariam em seus discos voadores e fingiriam ser Extraterrestres humanoides também (como no contato com ADAMSKI).
vril-sociedade-nazismo
O disco voador visto por Adamski era de fato uma espaçonave nazista
DW: Sério?
CG: Sim e fazer contato com diversas pessoas nos anos 50 e dizer que eram uma raça humanoide de ETs. Estamos aqui para o benefício do planeta Terra e fazer contato.
DW: Você sabe se os alemães fizeram primeiro contato com os seres de Agharta ou com os reptilianos de Draco ? Ou foi com ambos na mesma janela de tempo?
CG: Eu acredito que foi com os reptilianos Dracos primeiro. Mas poderiam ter começado como uma ligação lenta com os seres de Agharta quando eles estavam fazendo um monte de suas escavações no Oriente à procura de escritos antigos que tinham informações que falavam sobre espaçonaves Vimanas e esse tipo de coisa.
DW: Será que os seres de Agharta receberam os alemães em suas cidades subterrâneas e mostrarem-lhes toda sua incrível tecnologia, suas coisas incríveis?
CG: Foi mais para o final da guerra que os seres de Agharta convidaram alguns dos alemães para chegarem à rede de cidades (reino) de Agartha. Eles mostraram-lhes as ruínas antigas existentes debaixo do gelo da Antártida.
DW: Que ruínas antigas?
CG: Existem algumas ruínas antigas debaixo do gelo da Antártida.
DW: Para aqueles que não estão familiarizados com isso, a maioria das pessoas pensaria que a Antártida sempre foi uma geleira. Então, como você poderia construir sob uma geleira?
CG: Não, há um monte de ruínas antigas na Antártica que estão completamente soterradas pelas imensas geleiras. Há um monte de cidades subterrâneas e redes de túneis por baixo dos blocos de gelo. E há também muito que é preservado por– há muita atividade térmica que as pessoas não percebem, como vulcanismo. Está no gelo, mas parece quase como os tubos ocos de lava, áreas enormes do gelo abobadado. E embaixo, há cidades subterrâneas.
DW: E a temperatura da atividade vulcânica mantém quente o suficiente para que você possa viver confortavelmente lá embaixo?
CG: Certo.
DW: Bem, isso é como os esquimos construindo um iglu, certo? Está muito frio lá fora. Eu fiz isso em Boy Scouts. Você constrói um forte de blocos de neve. É chamado de lean-to. Você cava em um banco de neve no lado de uma árvore, sua respiração imediatamente começa a derreter a neve. Ele se transforma em gelo, e mesmo que você está cercado por gelo, você fica muito quente e confortável lá dentro.
CG: Sim, a energia térmica armazenada no chão aparece e fica retida.
DW: Então, só para esclarecer, você está dizendo que algum tipo de deslocamento da crosta da Terra ou movimento físico real do eixo de rotação da Terra ocorreu de modo que o que nós pensamos agora como a Antártica em um tempo era uma terra habitável e sem a cobertura de gelo?
CG: Era semelhante a Austrália, isso é mais do que provável.
DW: Sério? E você está nos dizendo que havia algum assentamento naquela terra antes de um último evento cataclísmico acontecesse?
CG: Certo, havia uma civilização antiga lá.
DW: Essa é a inundação de Atlântida, a catástrofe de cerca de 13.000 anos atrás (o dilúvio de Noé em 10.986 a.C.), até onde você sabe?
bases-nazista lua-marte
CG: Isso é muito mais antigo.
DW: É muito mais velho do que isso.
CG: Certo.
DW: Sério? Você sabe qual era o momento?
CG: Não. Eu sei que as pessoas primeiro pensaram que esta foi a casa original dos seres de Agharta. Mas a informação que eu li era que era muito mais antigo para ter sido sua região inicial.
DW: Uau.
CG: Então eu não sei. Tem sido um longo tempo desde que eu li isso. Então eu não sei as diferenças de idade que tornaram impossível para eles a Antártica ter sido a sua casa original. Mas eles estavam obviamente cientes de sua existência.
DW: Bem, estou ouvindo o sangramento de algumas vacas sagradas sendo abatidas aqui.
CG: Sim.
DW: Esta raça dos construtores antigos? É esse tipo de tempo, com milhões de anos de idade?
CG: Não.
DW: Oh, então algo intermediário.
CG: Certo.
DW: O que os alemães viram? Primeiro de tudo, alguém tinha estado na Antártida antes disso? Foi esta a primeira vez nos tempos modernos com os humanos modernos? Eu acho que alguns – houve James Cook, certo, que foi lá ou algo assim?
CG: Sim, acho que houve algumas expedições lá. Mas esta cidade principal, havia três cidades ocupadas sob o gelo. Duas foram–
DW: Ocupadas?
CG: Certo.
DW: Na Antártica.
CG: Na Antártica.
DW: Quando os alemães chegaram lá, elas já estavam ocupadas?
CG: Bem, uma estava um pouco em desordem. Mas era perfeito para seus submarinos U-Boats vir acima sob o gelo e emergir em uma área dentro de uma imensa caverna.
DW: O U-boat é um submarino?
CG: Sim um submarino. E foi perfeito para eles construir a partir daí. Mas havia outras duas cidades mais adentro que já estavam ocupadas por outros grupos (extraterrestres). Eu não sei quem eram esses outros grupos. Mas eles acabaram se aliando com os nazistas alemães.
DW: Sério? Então os seres de Agharta lhes disseram para onde navegar? Os seres de Agharta já tinham identificado isso?
CG: Certo.
DW: Por que os seres de Agharta precisariam que os alemães desenvolvessem algo quando eles tinham esta vasta rede de com todas as suas cidades subterrâneas?



Publicado por Thoth3126 a 28/03/2017
 
Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.
 

 



 
Agradecimentos a: http://wp.me/p2Fgqo-ciT






Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.




Atualização diária.

esoterismo
Please do not change this code for a perfect fonctionality of your counter
esoterismo

Novembro 28, 2015

chamavioleta

AGHARTA

Visita ao Reino da Terra Interior 

1

Livro “The Smoky God” ou Uma Viagem ao Mundo Interior do reino de AGHARTA






Temo que essa história aparentemente incrível, que eu vou relatar será considerada como o resultado de um intelecto distorcido e superexcitado, pelo glamour de desvendar um mistério maravilhoso, mais do que um registro verdadeiro das experiências incomparáveis ??relatadas por Olaf Jansen, cuja eloquente loucura então apelou para a minha imaginação em que todo pensamento e crítica analítica foram efetivamente dissipados pela beleza da sua História …

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

“Ele é o Deus que se senta no centro, sobre o umbigo da terra, e ele é o intérprete da religião para toda a humanidade.” – Platão.

“The Smoky God, or A Voyage Journey to the Inner Earth“, é um “romance” publicado em 1908 por Willis George Emerson, que o apresenta como um relato verdadeiro de um marinheiro norueguês chamado Olaf Jansen, e explica como o saveiro dele navegou através de uma entrada no polo norte para o interior da Terra onde ele entrou em contato com uma outra civilização.

Fonte: http://www.ourhollowearth.com/SGContents.htm

PRIMEIRA PARTE: Prefácio do Autor Willis G. Emerson

… Marco Polo, sem dúvida, se vira inquieto em seu túmulo sobre a estranha história que eu sou chamado a contar; uma história tão estranha como a de um conto de Munchausen. Também é incongruente que eu, um descrente, devo ser o único a editar a história de Olaf Jansen, cujo nome é agora pela primeira vez dado ao conhecimento ao mundo, ainda que doravante se deva classificar como um dos homens mais notáveis ??da terra.

Confesso livremente que as suas declarações não admitem uma análise racional, mas tem a ver com o mistério profundo a respeito do Polo Norte congelado que durante séculos tem reivindicado a atenção de cientistas e leigos.


Capa do livro, The Smoky God, or a Voyage to the Inner World, de Willis George Emerson

Por mais que a narrativa esteja em desacordo com os manuscritos cosmográficos do passado e atual, essas declarações simples podem ser invocadas como um registro das coisas que Olaf Jansen afirma ter vivido e visto com os seus próprios olhos.

Cem vezes eu tenho me perguntado se é possível que a geografia do mundo esteja incompleta, e que a narrativa surpreendente de Olaf Jansen seja baseada em fatos comprováveis. O leitor pode ser capaz de responder a estas perguntas para sua própria satisfação, no entanto longe o cronista desta narrativa pode estar de ter chegado a uma convicção firme. No entanto, às vezes, até eu estou conjecturando para saber se eu fui levado para longe de uma verdade abstrata pelo ignes fatui (fogo fátuo) de uma superstição inteligente, ou se os fatos até então aceitos são, afinal, fundados na falsidade.

Pode ser que o verdadeiro lar de Apolo não estivesse em Delphi (Oráculo de Delphus, Grécia), mas em que o centro da terra mais antiga do que fala Platão, onde ele diz que:

“A verdadeira casa de Apolo está entre os hiperbóreos, em uma terra de vida perpétua, onde a mitologia nos diz que duas pombas voando dos dois lados opostos do mundo reuniram-se nesta região, onde fica a casa do Apollo. Na verdade, de acordo com Hecataeus, Leto, a mãe de Apolo, nasceu em uma ilha no Oceano Ártico muito além do vento norte.”

Não é minha intenção tentar uma discussão sobre a teogonia das divindades gregas nem a cosmogonia do mundo. Meu dever é simplesmente o de iluminar o mundo a respeito de uma parte até então desconhecida do universo, como foi visto e descrito pelo antigo nórdico, Olaf Jansen.

O interesse na pesquisa do gelado Norte é internacional. Onze nações estão envolvidas ou têm contribuído para o trabalho perigoso de tentar resolver um mistério restante da Terra cosmológica. Existe um ditado, tão antigo como as montanhas, de que “a verdade (sempre) é mais estranha do que a ficção”, e de uma forma mais surpreendente este axioma foi trazido para dentro de minha casa nos últimos dias.


Duas imagens diferentes da Terra e do polo norte apresentando a mesma anomalia (destaque) no “topo do planeta”, uma provável abertura para um mundo interior.

Eram apenas duas horas da manhã, quando eu acordei excitado de um sono repousante pelo toque vigoroso de sino da minha porta. O perturbador noturno prematuro provou ser um mensageiro trazendo uma nota, rabiscada quase ao ponto da ilegibilidade, a partir de um nórdico antigo com o nome de Olaf Jansen. Depois de muita decifração, li a escrita, que simplesmente dizia: “.. Estou doente e à beira da morte, venha me ver”. A chamada era imperativa, e eu não perdi mais tempo em fazer-me pronto para cumprir com o chamado.

Talvez eu possa também explicar aqui que Olaf Jansen, um homem que muito recentemente comemorou seu nonagésimo quinto aniversário, nos últimos seis anos esteve vivendo sozinho em um bangalô despretensioso e fora da região central de Glendale, a uma curta distância da zona empresarial de Los Angeles, estado da Califórnia, nos EUA.

Foi há menos de dois anos, enquanto eu fazia uma caminhada certa tarde, que eu fui atraído pela casa de Olaf Jansen, um ambiente acolhedor, pelo seu proprietário e ocupante, a quem mais tarde vim a saber como um crente no antigo culto de Odin e Thor, as divindades míticas dos povos nórdicos.

Havia uma suavidade em seu rosto, e uma expressão gentil nos olhos cinzentos sutilmente alertas deste homem que viveu mais de noventa anos; e, além disso, um sentimento de solidão que apelava pela minha simpatia. Ligeiramente curvado, e com as mãos cruzadas atrás de si, ele andava para trás e para frente com passos lentos e medidos, no dia em que nos conhecemos. Mal saberia dizer qual foi o motivo especial que me impeliu a fazer uma pausa na minha caminhada e conversar com ele. Ele parecia satisfeito quando eu elogiei a atratividade existente no seu bangalô, e nas videiras e flores bem cuidadas em agrupamentos em profusão sobre sua janelas, telhado e amplo terreno.

Logo descobri que o meu novo amigo não era uma pessoa comum, mas um profundo estudioso a um grau notável; um homem que, nos últimos anos de sua longa vida, havia cavado profundamente em livros e que se tornou muito forte no poder do silêncio meditativo.


Foto de satélite também mostrando a existência de um “buraco” no polo norte.

Eu o encorajei a falar, e logo deduzi que ele residia apenas seis ou sete anos no sul da Califórnia, mas havia passado uma dúzia de anos antes em um dos países do Oriente Médio. Antes disso, ele tinha sido um pescador na costa da Noruega, no gelado e inóspito Mar do Norte na região das Ilhas Lofoden, de onde ele tinha feito viagens ainda mais ao norte, ao Spitzbergen e até Franz Josef Land.

Quando eu comecei a encaminhar a minha retirada, ele parecia relutante em deixar-me ir embora de seu bangalô, e me pediu para vir novamente. Embora na época eu não pensasse em nada, eu me lembro agora que ele fez uma observação peculiar enquanto eu estendia minha mão em despedida. “Você vai voltar?” ele perguntou.

“Sim, você vai voltar algum dia eu tenho certeza que você vai voltar; e então eu vou mostrar-lhe a minha biblioteca e dizer-lhe muitas coisas com as quais você nunca sonhou, coisas tão maravilhosas que pode ser que você não vai acreditar em mim.”

Eu, rindo, assegurei-lhe que eu não iria apenas voltar, mas estaria pronto para acreditar que ele poderia optar por me contar sobre suas viagens e aventuras.

Nos dias que se seguiram eu me tornei bem familiarizado com Olaf Jansen, e, pouco a pouco, ele me contou a sua história, tão maravilhosa, que seus desafios muito ousados desafiam a razão e a crença. O velho Norseman (Homem do Norte) sempre se expressou com tanta seriedade e sinceridade que fiquei encantado com suas estranhas narrações.

Depois vieram os mensageiros me chamar àquela noite, e rápido eu me dirigi ao bangalô onde residia Olaf Jansen. Ele estava muito impaciente com a longa espera pela minha chegada, embora depois de ser convocado eu tinha vindo imediatamente ter à sua cabeceira.



“Devo me apressar”, ele exclamou, enquanto ele ainda segurava minha mão em saudação. “Eu tenho muito para lhe dizer e que você não sabe, e eu não vou confiar em mais ninguém além de você. Eu percebi isso totalmente,” ele continuou apressadamente, “que não devo sobreviver à esta noite. Chegou o momento para eu me juntar a meus pais, no bom sono (da morte)”

Ajustei os travesseiros para torná-lo mais confortável, e assegurei-lhe de que eu estava feliz por ser capaz de servi-lo de qualquer maneira possível, pois eu estava começando a perceber a gravidade de sua condição.

O adiantado da hora, a quietude do ambiente, a sensação estranha de estar a sós com o moribundo, junto com sua história estranha, tudo combinado para fazer o meu coração bater mais rápido e forte, com uma sensação de que eu não tenho, mesmo hoje, como nomear. Na verdade, houve muitas vezes que varei a noite sentado no velho sofá de Olaf Jansen, e houve muitas vezes desde então, quando uma sensação e não uma convicção tomou posse da minha alma, e eu parecia não apenas acreditar, mas realmente ver, as terras estranhas, as pessoas estranhas e o estranho mundo de que ele me disse existir, de ter conhecido e de ouvir o coro de orquestra poderosa de mil vozes luxuriosas.

Por mais de duas horas, ele parecia dotado de força quase sobre-humana, falando rapidamente, e ao que tudo indica, de forma racional. Finalmente, ele me deu em minhas mãos alguns dados, desenhos e mapas, material bruto.”Estes papeis”, disse ele, concluindo:

“Deixo em suas mãos. Se eu puder ter a sua promessa de revelar esta história para o mundo, eu morrerei feliz, porque eu desejo que as pessoas possam conhecer a verdade, e então, todo o mistério sobre a congelada terra do Norte (Northland) será explicado. Não há nenhuma chance de seu sofrimento ser igual ao destino que eu sofri. Eles não vão colocar você em ferros, nem vão interná-lo em uma casa de loucos, porque você não está contando a sua própria história, mas a minha, e eu, graças aos deuses, Odin e Thor, já estarei em minha sepultura, e assim fora do alcance dos descrentes que sempre perseguem os que falam da verdade“.

Sem um pensamento dos resultados de longo alcance e a promessa dela decorrentes, ou prevendo as muitas noites sem dormir que a obrigação, desde então, me trouxe, eu dei a minha mão e com ela a promessa de cumprir fielmente o seu desejo antes dele morrer.



À medida que o sol se levantou sobre os picos de San Jacinto, no extremo leste, o espírito de Olaf Jansen, o navegador, o homem do norte distante e gelado, o explorador e adorador de Odin e Thor, o homem cujas experiências e viagens, como relacionadas, são, sem paralelo na história conhecida do mundo, faleceu, e eu fui deixado sozinho com os mortos (os que vivem, mas não tem consciência).

E agora, depois de ter pago os últimos ritos fúnebres para com esse homem estranho das Ilhas Lofoden, e o ainda mais longínquo “norte”, o explorador corajoso de regiões geladas, que, em seus anos de declínio (depois de ter ultrapassado os quatro pontos cardeais navegando) tinha procurado um asilo de paz repousante na ensolarada Califórnia, eu me comprometi a tornar pública a sua extraordinária história.

Mas, antes de tudo, deixem-me fazer uma ou duas reflexões: Uma geração sucede outra geração, e as tradições do passado nebuloso são transmitidas de pai para filho, mas por algum motivo, o estranho interesse na desconhecida terra do gelo não se abate com a passagem dos anos, ou nas mentes dos ignorantes ou do tutelado.

Com cada nova geração um impulso inquieto agita os corações dos homens para capturar a cidadela velada e escondida do Ártico, o círculo do silêncio, a terra das geleiras, os resíduos das águas frias e ventos que são estranhamente quentes. Crescente interesse se manifesta sobre os icebergs montanhosos, e as especulações maravilhosas são o espetáculo de respeito ao centro da terra da gravidade, o berço das marés, onde as baleias têm seus berçários, onde a agulha magnética enlouquece, onde a Aurora Boreal ilumina e colore pintando a noite com cores iridescentes, e onde os espíritos bravos e corajosos de todas as gerações se atrevem a aventurar e explorar, desafiando os perigos da “terra mais distante do Norte.”

Uma das mais hábeis obras escritas dos últimos (já quase 130) anos é “Paradise Found—the Cradle of the Human Race at the North Pole (1885)” – Paraiso Encontrado, o berço da raça humana no Pólo Norte -, de William F. Warren. Em seu volume cuidadosamente preparado, o Sr. Warren quase colocou o dedo sobre a verdade, mas a perdeu aparentemente por apenas um fio de cabelo, se a revelação do velho homem do norte (Olaf Jansen) for verdade. O Dr. Orville Leech, um cientista, em um artigo recente, diz:

“As possibilidades de existir terra dentro da terra chamaram primeiro a minha atenção quando eu peguei um geodo nas margens dos Grandes Lagos O Geodo é uma pedra esférica e, aparentemente, sólida, mas quando quebrada é oca e revestido com cristais. A Terra é apenas uma grande forma de um geodo, e a mesma lei que criou o geodo em sua forma oca, sem dúvida, formou a Terra, do mesmo modo e formato”.

Ao apresentar o tema desta história quase inacreditável, como ditada por Olaf Jansen, e complementada por manuscritos, mapas e desenhos crus que me foram confiados por ele no momento de sua morte, uma introdução apropriada é encontrada na seguinte citação:



“No princípio criou Deus os céus e a terra, e a terra era sem forma e vazia”. e também: “Deus criou o homem à sua própria imagem e semelhança.” Portanto, mesmo em coisas materiais, o homem deve ser semelhante a Deus, porque ele é à semelhança do Pai. Um homem constrói uma casa para si e sua família. Os alpendres ou varandas estão todos de fora, e são secundários. O prédio mais central é realmente construído para as conveniências de dentro da casa.

Olaf Jansen faz o anúncio surpreendente através de mim, um instrumento humilde, que de igual modo, Deus criou a Terra para o “interior” – ou seja, por suas terras, mares, rios, montanhas, florestas e vales, e para as suas outras conveniências internas, enquanto a superfície externa da Terra é apenas a varanda, o alpendre, onde as coisas crescem, por comparação, mas são pouco povoadas, como o líquen no lado da montanha, agarrando-se com determinação para a sua existência nua.

Pegue uma casca de ovo, e a partir de cada extremidade faça sair uma ponta de lápis. Extraia o seu conteúdo, e então você terá uma representação perfeita da terra de Olaf Jansen. A distância a partir da superfície interior para a superfície exterior, de acordo com ele, é de cerca de 300 milhas. O centro de gravidade não está no centro da terra, mas no centro do reservatório ou crosta; portanto, se a espessura da crosta ou concha da Terra é de 300 milhas, o centro de gravidade estaria 150 milhas abaixo da superfície.

Em seu livros diários de bordo, os navegantes e exploradores do gelado ártico nos falam da imersão da agulha como as velas de embarcações em regiões do norte mais distante conhecido. Na realidade, eles estão em curva; na borda do reservatório, onde a gravidade é geometricamente aumentada, e enquanto a corrente elétrica aparentemente corre para cima e para fora, no espaço e para a ideia fantasma do Pólo Norte, mas esta mesma corrente elétrica cai de novo e continua o seu curso para o sul ao longo da superfície interior da crosta terrestre.

No apêndice de seu trabalho, o capitão Sabine dá conta de experimentos para determinar a aceleração do pêndulo em diferentes latitudes. Este parece ter resultado do trabalho conjunto de Peary e Sabine. Ele diz: “A descoberta acidental que um pêndulo ao ser removido de Paris para a vizinhança do equador aumentou seu tempo de vibração, deu o primeiro passo para o nosso conhecimento atual de que o eixo polar da Terra é menor do que o equatorial, que a força da gravidade na superfície da Terra aumenta progressivamente de intensidade a partir do equador para os pólos” (n.t. por este motivo, as principais bases de lançamentos de grandes foguetes ficam próximas do Equador, onde a força da gravidade é menor).

De acordo com Olaf Jansen, no início deste nosso velho mundo, ele foi criado exclusivamente para SER HABITADO “dentro” do planeta, onde estão localizados os quatro grandes rios mencionados na Bíblia – o rio Eufrates, o Pison, o Giom e o Tigre. Estes mesmos nomes de rios, quando aplicados aos grandes cursos de água na superfície “externa” da terra, na sua superfície, são puramente reflexo da tradição de uma antiguidade para além da memória do homem atual.

No topo de uma alta montanha, perto da principal fonte destes quatro rios, Olaf Jansen, o Norseman, afirma ter descoberto o há muito perdido “Jardim do Éden”, o verdadeiro umbigo da terra, e de ter passado mais de dois anos estudando e reconhecendo esta maravilhosa civilização “dentro” da terra, exuberante com plantas enormes e estupendas e cheio de animais gigantes; uma terra onde as pessoas vivem para ter séculos de idade, segundo a ordem de Matusalém e outros personagens bíblicos; uma região onde um quarto da superfície “interior” é de água e três quartos de terra; onde existem grandes oceanos e muitos rios e lagos; onde as cidades são superlativas na sua construção e magnificência; onde os meios de transporte são muito mais avançados do que o nosso (n.t. isso ainda no começo do século XX, em 1908, quando o livro “The Smoky God” foi publicado por Willis George Emerson), assim como nós, com as nossas realizações nos vangloriamos de sermos mais avançados do que os habitantes da “África negra”


De novo a entrada no polo norte para o reino da Terra Interior, para Agharta, se revela.

A distância em frente ao espaço a partir da superfície interior para a superfície interna é de cerca de 600 milhas a menos do que o diâmetro reconhecido da terra. No centro idêntico deste vasto vácuo esta a sede da obtenção de energia elétrica – uma bola gigantesca de fogo de cor vermelho escuro (Surya, o sol central no interior da Terra) – não surpreendentemente brilhante, mas cercado por uma nuvem luminosa branca, suave, dando luz e calor uniforme, e mantido em seu lugar no centro deste espaço interno a lei imutável da gravidade. Esta nuvem elétrica é conhecida pelo povo do “interior da Terra” como a morada de “The Smoky God” (O deus nebuloso). Eles acreditam que aquilo seja o trono de “O Altíssimo”.

Olaf Jansen me lembrou de como, nos velhos tempos de faculdade, estávamos todos familiarizados com as demonstrações laboratoriais de movimento centrífugo, que mostravam claramente que, se a Terra fosse um corpo sólido (e não oco como ela realmente é), a rapidez de sua revolução em cima de seu eixo iria rasgá-la em mil fragmentos.

O velho homem nórdico também sustentou que a partir dos pontos mais distantes da terra ao norte, nas ilhas de Spitzbergen e Franz Josef Land, bandos de gansos podem ser vistos anualmente voando ainda mais para longe ao norte, assim como mostram o registro de marinheiros e exploradores em seus diários de bordo. Nenhum cientista foi ainda audacioso o suficiente para tentar explicar, até mesmo para sua própria satisfação, em direção a que local de terra estas aves são guiadas por seu instinto sutil. No entanto, Olaf Jansen nos deu uma explicação mais razoável.

A presença do mar aberto no Northland (Terras do norte) também é explicada. Olaf Jansen afirma que a abertura do pólo norte, entrada ou buraco, por assim dizer, é de cerca de 1.400 milhas de diâmetro. Em conexão com isso, vamos ler o que escreve o Explorador Nansen, na página 288 do seu livro:

“Eu nunca tive uma vela tão enfunada pelo vento esplêndido rumando para o norte, de forma constante ao norte, com um bom vento, tão rápido quanto vapor e vela podem levar-nos, milha após milha pelo mar aberto, sempre olhando, através destas regiões desconhecidas, sempre mais e mais limpa de cobertura de gelo, quase se poderia perguntar: Quanto tempo isso vai durar? O olho sempre se volta para o norte, como alguém atravessando uma ponte olha sempre á frente. Ele está olhando para o futuro. Mas há sempre o mesmo céu escuro à frente, o que significa mar aberto”.

Mais uma vez, a Norwood Review of England, em sua edição de 10 de maio de 1884, diz: “Não admitimos que há gelo até o Pólo Norte – uma vez dentro da grande barreira de gelo, um novo MUNDO surge sobre o explorador do extremo norte, o clima é leve como o da Inglaterra, e, depois, ameno como das Ilhas Gregas”.

Alguns dos rios no “interior”, como afirma Olaf Jansen, são maiores do que os nossos rios Mississippi e Amazonas combinados num ponto de volume de água transportada; na verdade, sua grandeza é ocasionada pela sua largura e profundidade ao invés de seu comprimento, e é na foz desses rios poderosos, à medida que fluem para o norte e para o sul ao longo da superfície interior da terra, que os icebergs gigantescos são encontrados, alguns deles de quinze e 20 milhas de largura e 40-100 milhas de comprimento.

Não é estranho que nunca houve um iceberg encontrado tanto no Oceano Ártico ou da Antártica que não seja composto por água doce? Os cientistas modernos afirmam que o congelamento elimina o sal, mas Olaf Jansen afirma de forma diferente.

Os antigos Hindus, escritos japoneses e chineses, assim como os hieróglifos das raças extintas do continente norte-americano, todos falam do costume de adoração ao Sol, e é possível, à luz surpreendente de revelações de Olaf Jansen, que o povo do mundo interior, atraídos por vislumbres do sol que brilhou sobre a superfície interna da Terra, a partir da abertura dos pólos norte ou do sul, ficaram insatisfeitos com o “The Smoky God,” o grande pilar ou a nuvem mãe da energia elétrica, e , cansado de sua atmosfera continuamente suave e agradável, seguiram a luz mais brilhante do sol externo, e foram finalmente levados para além do cinturão de gelo e espalhados sobre a superfície “externa” da terra, através da Ásia, Europa, América do Norte e, mais tarde, África, Austrália e América do Sul(1).

1 A seguinte citação é significativa; “Conclui-se que o homem saindo de uma região-matriz ainda indeterminada, mas que uma série de considerações indicam ter sido no Norte, tem se espalhado e irradiado em várias direções; que suas migrações têm sido constantemente de Norte para o Sul.” – M. ??le Marquis G. de Saporta, na Popular Science Mensal, Outubro, 1883, página 753.



É um fato notável que, quando nos aproximamos do equador, a estatura da raça humana cresce menos. Mas os patagônios da América do Sul são, provavelmente, os únicos aborígenes do centro da terra que sairam através da abertura geralmente designada como o Pólo Sul, e eles são chamados de a raça gigante.

Olaf Jansen afirma que, no início, o mundo foi criado pelo Grande Arquiteto do Universo, para que o homem pudesse habitar em sua superfície “interior”, que tem sido, desde então a habitação dos “escolhidos”, apenas uma civilização mais evoluída do que a nossa de superfície.

Os que foram expulsos do “Jardim do Éden”, a nossa civilização, trouxe sua história tradicional sobre a terra interior junto com eles.

A história das pessoas que vivem no “interior” contém uma narrativa que sugere a história de Noé e da arca com os quais estamos familiarizados. Ele navegou para longe, como fez Colombo, a partir de uma certa porta, para uma terra estranha que ele tinha ouvido falar de longe para o norte, levando consigo todos os animais dos campos e aves do céu, mas nunca se ouviu falar dele mais tarde.

Sobre os limites do norte do Alasca, e ainda com mais frequência na costa da Sibéria, são encontrados-depósitos de ossos contendo presas de marfim em quantidades tão grandes a ponto de sugerir que são lugares com restos de animais da antiguidade. De acordo com relatos de Olaf Jansen, eles vieram da grande vida animal prolífica que abunda nos campos e florestas e nas margens dos numerosos rios do mundo interior (Agharta) existente dentro da Terra. Os materiais ficaram presos nas correntes oceânicas, ou foram liberados do gelo pelas banquisas, e se acumularam como madeira flutuante na costa da Sibéria. Isso vem acontecendo há muito tempo, e, portanto, surgem estes depósitos de ossos misteriosos. Sobre este assunto William F. Warren, em seu livro já citado, páginas 297 e 298, diz:

“As rochas do Ártico falam de uma Atlântida perdida mais maravilhosa do que Platão. As camadas de marfim fóssil da Sibéria excedem tudo do tipo encontrado no mundo. Desde os dias de Plínio, pelo menos, eles têm sido constantemente explorados, e ainda são a principal fonte do abastecimento de marfim. Os restos de mamutes são tão abundantes que, como diz Gratacap, “as ilhas do norte da Sibéria parecem ser construídas de aglomerado de ossos”.

Outro escritor científico, falando das ilhas da Nova Sibéria, norte da foz do rio Lena, usa esta linguagem:. “Grandes quantidades de marfim são escavados fora da terra a cada ano. De fato, algumas das ilhas se acredita serem nada mais do que uma acumulação de madeira à deriva e de corpos de mamutes e outros animais antediluvianos congelados juntos. “A partir disso, pode-se inferir que, durante os anos que se passaram desde a conquista russa da Sibéria, presas úteis de mais de vinte mil mamutes foram coletadas”.


O eletro magnetismo do planeta flui pelos dois polos da Terra.

Mas agora vamos para a história de Olaf Jansen sobre a existência de uma civilização no interior da Terra, cuja entrada fica no Polo Norte. Vou contá-la em detalhes, tal como estabelecido por ele mesmo em manuscrito, e tecida no relato, assim como ele fez algumas citações de obras recentes sobre a exploração do Ártico, mostrando o cuidado com o velho Norseman em comparação com suas próprias experiências daquelas de outros exploradores do norte congelado. Assim escreveu o discípulo de Odin e Thor, a sua própria história …


Saiba mais sobre AGHARTA em:
  1. http://thoth3126.com.br/agharta-o-mundo-intra-terreno-em-nosso-planeta/
  2. http://thoth3126.com.br/brasilia-jk-akhenaton-eo-egito/
  3. http://thoth3126.com.br/geometria-sagrada-a-flor-da-vida-e-a-linguagem-da-luz/
  4. http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
  5. http://thoth3126.com.br/a-conexao-terramaldekmarte-em-gize-cydonia-e-teotihuacanmirador/
  6. http://thoth3126.com.br/vietnam-gigantesca-caverna-descoberta/
  7. http://thoth3126.com.br/grand-canyon-misterios-de-uma-imensa-caverna-revelados/
  8. http://thoth3126.com.br/pedra-da-gavea-uma-esfinge-no-brasil/
  9. http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
  10. http://thoth3126.com.br/aghartatelos-uma-cidade-subterranea-sob-o-monte-shasta/
  11. http://thoth3126.com.br/aghartha-o-reino-da-terra-interior/
  12. http://thoth3126.com.br/agharta-e-o-almirante-richard-e-byrd/
  13. http://thoth3126.com.br/o-reino-de-agharta-visto-pela-federacao-galactica/
  14. http://thoth3126.com.br/monte-shasta-outra-visita-a-terra-interior-parte-3-final/


Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.


www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

5Share on Facebook (Opens in new window)5
3Click to share on Twitter (Opens in new window)3
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 31/05/2015 
URL: http://wp.me/p2Fgqo-7D1


Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Willis G. Emerson


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA







Novembro 13, 2015

chamavioleta


Bimini Road (Atlântida?), 

mistérios não resolvidos.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com 

Fonte: Atlantis Encyclopedia by Frank Joseph



Fontes: http://unmyst3.blogspot.com/2009/01/bimini-road.html e 

http://theunexplainedmysteries.com/Bimini-Road.html e 

http://www.bibliotecapleyades.net/esp_bermuda_5f.htm


Bimini Road (Atlântida) Mistérios não resolvidos do Mundo


Bimini é uma ilha nas Bahamas, 55 quilômetros a leste de Miami, Flórida, com cerca de 7 milhas de comprimento e 1 / 3 de milha de largura no seu ponto mais largo.

Seus habitantes modernos são descendentes de escravos do Oeste Africano importado pela Espanha e Grã-Bretanha no início e em meados do século 16. Eles substituíram os caribenhos residentes, que chegaram apenas algumas gerações antes e depois que o Mar do Caribe foi nomeado com esse nome.

Nativos canibais belicosos do continente da América Central, os Caribes se banqueteavam com os primeiros habitantes da ilha conhecidos, os Lucayans, um ramo da lingüística dos índios Arawak …

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Fonte: Atlantis Encyclopedia by Frank Joseph


Fontes: http://unmyst3.blogspot.com/2009/01/bimini-road.html e

http://theunexplainedmysteries.com/Bimini-Road.html e

http://www.bibliotecapleyades.net/esp_bermuda_5f.htm


… Antes de seu extermínio (ou consumo?), os Lucayans foram descritos por exploradores espanhóis como artesãos capazes (sobreviventes Lucayans celtas e martelo de pedras atestam suas refinadas habilidades), com pele visivelmente mais leve e cabelos ruivos, alguns apresentando até mesmo olhos azuis ocasionalmente.

Essas características atípicas podem ter sido os traços genéticos de contatos com visitantes da Europa da era pré-colombiana, ou ainda evidência racial para um pedigree genético do continente de ATLÂNTIDA, tendo em vista as seguintes informações.



A origem e o significado do nome “Bimini” são desconhecidas. No entanto, o nome aparece no idioma egípcio antigo como Baminini, o que significa, “Homenagem (Ini) para a Alma (bah) de Min.” Min era o protetor divino dos egípcios dos viajantes de longa duração à distantes locais, um deus particularmente apropriado para ser adorado na Bimini distante, se de fato a ilha tivesse sido visitada por viajantes egípcios do Vale do Nilo (n.t. Mas na realidade, ocorreu o contrário, já que a civilização egípcia foi fundada pelos atlantes, ainda antes do dilúvio).

Provas materiais para uma visita egípcia ou, pelo menos, uma presença egípcia no Atlântico ocidental surgiu durante o final dos anos 1930, quando James Lockwood, Jr., um arqueólogo americano no Haiti, viu uma estátua de pedra do antigo deus egípcio dos mortos, Anúbis, que haviam sido descobertos em uma ilha ao largo da costa. Os Lucayans conheciam Bimini como “Guanahani,” outra conexão curiosa com o Mundo Antigo, pois o nome pode ser traduzido como “a Ilha (hani) dos Homens (Guana)” na língua dos guanches. Estes foram os habitantes nativos das ilhas Canárias, ao largo da costa noroeste da África do Norte, até sua morte absoluta nas mãos dos espanhóis nos séculos 15 e 16.


A “estrada” de Bimini (Bimini Road) submersa, feita como um calçamento com grandes (para nosso tamanho) pedras.

Embora nenhum edifício monumental fosse encontrado em Bimini, em Arawak, Guanahani significava “o lugar cercado por muros”, em Arawak, hani também era sinônimo de “coroa” ou “grinalda”. Este nome mais antigo conhecido para a ilha pode ter se referido a uma formação de grandes pedras em um leito submerso sob 20 metros de água a menos de 2 milhas ao largo do ponto mais setentrional (norte) de Bimini.

É um conjunto composto por até agora não numerados, mas certamente não menos do que 5.000 grandes blocos de pedra no leito do oceano, principalmente blocos de corte quadrado correndo em linha reta por cerca de 1.900 pés (em torno de 640 metros), antes de girar de volta sobre si mesmo para criar uma formação em J (ao contrário como um anzol). Para os primeiros observadores, se assemelhava a uma estrada pavimentada com as pedras que atravessa o fundo do leito mar. Mas o consenso geral dos pesquisadores desde então vem tentado identificar a estrutura como um muro ciclópico, como os encontrados nos Andes no Peru, especificamente em Cuzco e Sacsayhuaman.

Infelizmente, a estrutura continua sendo conhecida pela sua denominação primeira e enganosa. Em 1933, o vidente norte americano Edgar Cayce, durante os seus estados de transe, disse que os registros da antiga ATLÂNTIDA ainda existiam”, onde uma parte dos templos poderia ser descoberto, sob o lodo e água de eras passadas do mar perto do que é conhecido como Bimini.”

A pequena ilha não seria Atlantis em si mesma, ele explicou, mas o seu posto avançado à oeste, conhecido de muitos milhares de anos atrás, como Alta, estendendo-se (politicamente) para o leste-litoral da Flórida, e parte de uma administração Atlante mais ampla conhecido em seu tempo como Poseidia (Poseidonis), compreendendo as Pequenas Antilhas.



Em 1940, o “Profeta Adormecido” previu que “Poseidia estaria entre as primeiras porções da ATLÂNTIDA a subir novamente. Esperamos que isso tenha acontecido entre 1968 e 1969” disse ele. E não tão distante no tempo “a assim chamada” estrada de Bimini”foi, de fato,” descoberta “em 1968 pelo arqueólogo dissidente Mason Valentine, ao procurar por Atlântida ao redor da ilha, na esperança de estar confirmando a profecia/visão de Edgar Cayce. Desde então, o sitio arqueológico submarino tem sido submetido a uma investigação contínua por pesquisadores convencidos de que é uma ruína da Atlântida e críticos contrários com a certeza de que o local nada mais é do que uma formação natural de rocha na praia.

Este último comentário, apesar de ser uma matriz padrão de credenciais acadêmicas, em mais de 30 anos não conseguiu mostrar um outro arranjo natural semelhante de pedras ciclópicas perto de uma praia, em nenhum outro local do planeta, só em Bimini é que tal coisa foi encontrada para desespero dos “eruditos estudiosos”. Exemplos supostamente similares de Loggerhead Key, Dry Tortugas, ou perto de Sri Lanka, citado como provas de sua origem totalmente natural, é tão diferente dos blocos retangulares organizados e lineares encontradas em Bimini que tais comparações são inúteis.


As imensas pedras submersas de Bimini Road não parecem ser formações “naturais” de rochas.

Além disso, perfurações no núcleo da estrada de Bimini (Bimini Road), começando em meados da década de 1980, extraiu micrite das rochas, o que não ocorre com pedras e rochas naturais de praia.

Algumas das suas pedras contêm conglomerados de aragonita e calcita, que são padrões também ausentes de pedras de praia. O geólogo Eugene A. Shinn da Florida, um duro crítico das teorias em nome de artificialidade da estrutura de Bimini, datou as pedras pelo método rádio-carbono, determinando que teriam idades entre 2.000 a 4.000 anos antes do presente.

O mais antigo final deste parâmetro de tempo coincide com a Idade do Bronze Médio, justamente quando as instalações portuárias que se assemelham ao local de Bimini foram sendo construídas no Oriente Próximo, e Atlantis estava chegando ao apogeu de sua grandeza material, de acordo com pesquisadores que argumentam que a cidade afundada de Platão floresceu entre 3.000-1.200 a.C .


As imensas e simétricas pedras submersas de Bimini Road não parecem ser formações “naturais” de rochas.

Sérias investigações do local em Bahama começou no final dos anos 1960 sob a direção do pesquisador Valentine e seu colega científico, Dimitri Rebikoff, continuando na década de 1970 e início dos anos 80 através do trabalho do Dr. David Zink, cujo livro “Stones of Atlantis” (Pedras de Atlântida) foi o primeiro livro completo publicado pela primeira vez sobre o assunto.

Durante os anos 1990 e nos primeiros anos do século 21, numerosas expedições submarinas de Bimini conduzido por William Donato, presidente da Organização Atlantis (Buena Park, California), têm contribuído significativamente para uma apreciação geral sobre a identidade real da estrutura de pedras em Bimini.

As ruínas submarinas parecem ser a fundação de uma muralha contínua que originalmente formaram uma muralha oval alongada (o “Muro Circundante dos Lucayans”?) para abrigar navios de navegação oceânica. Um porto marítimo no extremo norte de Bimini faz abundante sentido, porque a sua localização tem dois pré-requisitos de fundamental importância para viagens transoceânicas:

Em primeiro lugar, a ilha fica diretamente no caminho de uma corrente do Atlântico que viaja como um transportador de correia subaquática de águas quentes equatoriais rumo ao gelado Atlântico norte (direto para a Europa, a Corrente do Golfo-Gulf Stream), paralelo as costas da Nova Inglaterra, depois, para leste na direção dos Açores, nas Ilhas Britânicas, e Europa Ocidental;

Segundo, Bimini é o último local de abastecimento de água doce antes de uma viagem transatlântica se iniciar pela América do Norte. A descoberta em Bimini de provas adicionais pré-históricas do antigo site, ressalta a identidade de que as ruínas são restos de edifícios feitos pelo homem.


Localização de Bimini, nas Bahamas, próximo à costa da Flórida-USA e dentro da área que abrange o Triângulo das Bermudas.

Um mapa de Bimini Road foi desenhado após levantamentos aéreos e submarinos realizados pela expedição Poseidia 75, patrocinada pela A.R.E.( Edgar Cayce’s A.R.E. Association for Research and Enlightenment) A estrada esta ampliada em cerca de duas vezes o seu tamanho real em relação à ilha de Bimini.

Sua forma se parece mais ou menos com uma letra J, com cerca de três quartos de uma milha de comprimento e composto por enormes blocos de pedra, muitas vezes de até 15 pés quadrados. Neste mapa, o X marcando a descoberta de um artefato de pedra se refere a um fragmento do que parecia ser língua e ranhura de alvenaria descoberto na expedição Poseidia 75 por um dos seus membros – Dr. David Zink.

Estas descobertas incluem o achado de efígies colossais em forma de peixe e outros animais e figuras geométricas, juntamente com blocos adicionais também encontradas em 19 pés (6 metros) de profundidade, cerca de 3 quilômetros a nordeste da estrada, assemelhando-se às colunas quadradas de Tiahuanaco, no alto dos Andes da Bolívia.

Mas o que os mergulhadores veem em Bimini hoje estão as ruínas de uma construção muito antiga. Recentemente, nos primeiros anos do século 20, a superfície da estrada era visível na maré baixa, quando sua localização foi ainda designada como “um perigo à navegação”.


Acima: Um mapa de Bimini Road foi desenhado após levantamentos aéreos e submarinos realizados pela expedição Poseidia 75

Nativos mais velhos que ainda viviam na década de 1990 testemunharam pessoalmente ondas lavando os topos das pedras em várias ocasiões quando eram jovens, embora a maioria dos habitantes da ilha evitassem o site com um medo supersticioso.

No início de 1920, uma empresa de salvamento da Florida desmontou parte da estrutura de pedra para baixo até seu curso inferior. Os blocos foram removidos para Miami, onde foram usadas como preenchimento para um novo cais da cidade. O vidente Edgar Cayce pode na verdade ter descrito a “Estrada de Bimini” ( Bimini Road) tão cedo quanto 1932. Ele disse em uma leitura de 05 de maio de 1932:

“Não encontramos (na Poseidia) uma cidade totalmente murada, mas uma parte da construção da mesma forma que as águas dos rios se tornaram como as piscinas sobre as quais tanto sacrifícios são feitos assim como esportes são praticados, e as necessidades para a purificação (a limpeza) do corpo, as casas e tudo o mais, eram feitas, e as águas, eram mantidas em constante movimento para que se purificassem em seu curso; pois a água em movimento sobre as pedras purifica-se em 20 pés (6,80 metros) de espaço.”

A base da Estrada de Bimini esta há 20 pés (6,80 metros) de profundidade. Não existem rios hoje na ilha, mas eles fizeram parte do seu passado geológico. Edgar Cayce parece ter retratado a estrada, não como parte de um porto, mas de um local de ritual e atividades recreativas.


Existem diversos segmentos de rochas descobertos em Bimini que não parecem ser formações naturais do leito do oceano, mas sim colunatas de templos quebradas e de outros tipos de edificações.

As investigações em curso em Bimini com tecnologia de busca cada vez mais sofisticados podem provar que “o Lugar com Paredes Circundantes” era de fato a Alta de Edgar Cayce, onde os navios de milhares de anos atrás, sobrecarregados com minério de cobre extraído na América do Norte, reabasteciam suas provisões de água doce para a última etapa de suas viagens de retorno à Atlântida.

Fonte: http://unmyst3.blogspot.com/2009/01/bimini-road.html


Mais informações sobre ATLÂNTIDA em:
  1. http://thoth3126.com.br/uma-vida-em-atlantida/
  2. http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
  3. http://thoth3126.com.br/atlantida-restos-de-uma-imensa-cidade-encontrada-na-costa-de-cuba/
  4. http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
  5. http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/
  6. http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/


Permitida a reprodução desde mantenha a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

102Share on Facebook (Opens in new window)102
6Click to share on Twitter (Opens in new window)6
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 22/05/2015

URL: http://wp.me/p2Fgqo-iH


Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Frank+Joseph

Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA







Novembro 10, 2015

chamavioleta

Nibiru (Annunakis) 

 Parte II, final

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Publicado anteriormente a  04/05/2015




Conselho de Nibiru- Parte II

 Nós somos os Nibiruanos


Aprenda sobre a vida na Terra, os nibiruanos, a nossa história galáctica, as estrelas sementes, walk-ins, como se recodificar o seu DNA e muito mais…

A Missão Relembrada

Os Nibiruanos revelam o seu trabalho para se prepararem para após 2012. Descubra os eventos galácticos que nesses dias de final dos tempos estão sendo relançados na Terra entre agora e até o final deste ciclo. – Jelaila Star.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Primeira parte em: http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-i/

Fonte: http://www.nibiruancouncil.com/

ANU fala sobre O GRANDE PLANO DIVINO:

Mais uma vez nós temos um multifacetado e complexo plano. Ele inclui a finalização do Divino Plano Avyoniano e o Divino Plano dos Sirianos Etéricos. Os Sirianos Etéricos são os Humanos de Lyra que foram movidos para Sírius B e, eventualmente, tiveram a Terra concedida como seu lar pelos Criadores. A finalização do Divino Plano Avyoniano permitiria aos Sirianos Etéricos completarem o deles. Antes que eu prossiga, é necessário nos aprofundarmos um pouco mais sobre cada raça.

Os Felinos: Os Felinos são aqueles que muitos de vocês chamam de seres-leão. Eles são de um universo que já se completou. Chegaram em nossa galáxia quando ela estava sendo construída. Foram convidados pelos Construtores e pela Hierarquia Espiritual Universal para serem os mestres geneticistas do nosso universo. Eles residem em uma estrela na constelação do Cão Maior conhecida como Sírius A e não devem ser confundidos com os Humanos que colonizaram Sírius B. Eles viviam em Sírius A muito tempo antes dos Humanos de Lyra chegarem.


Representação de Nibiru, no Disco com uma estrela e o gigante Annunaki/Nephilim ANU, o Senhor de Nibiru, em estela encontrada na antiga Suméria, hoje Iraque.

Eu gostaria de introduzir aqui uma pequena história do Sistema Estelar de Sírius.Há três estrelas no Sistema Estelar de Sírius: Sírius A, Sírius B, e Sírius C. Sírius B foi a primeira estrela e, quando implodiu, criou Sírius A e C. Quando os primeiros humanos chegaram em Sírius B, vindos de sua residência temporária nas colônias humanas do Sistema Veganiano da constelação de Lyra, receberam muita ajuda dos Felinos. Sírius C é atualmente usado para armazenar materiais e suprimentos.

Tiamat (a Terra, hoje com polaridade feminina e positiva) também foi criado da implosão de Sírius B, assim como Nibiru(Hoje com polaridade negativa e masculina). Quando se decidiu criar uma Força Estelar, este gigantesco pedaço de rocha que flutuava no espaço perto das Plêiades foi localizado por meus antepassados e foi transformado em uma Força Estelar/planeta. (n.t.- Aqui temos como compreender a nossa forte conexão com esse sistema estelar de SÍRIUS, pois o nosso planeta Terra (Gaia-feminino) e Nibiru (Masculino) teriam se originado após uma grande modificação nesse sistema, com matéria oriunda de Sírius, ejetada há cerca de 4,5 bilhões de anos).


Constelação do Cão Maior, onde esta situado o grupo estelar de SÍRIUS A, B e C, a estrela maior e mais brilhante na foto.

Assim vocês poderiam dizer que Nibiru é MEIO Síriano e Pleiadiano. Os Felinos são os mestres geneticistas de nosso universo, como eram também deles mesmos. Eles criaram todas as formas de vida nos planetas e estrelas em nosso universo. Isto inclui vegetação, animais, e os veículos (corpos) físicos que as almas usam para sua encarnação. Eles são seres altos, com cabelos vermelho-dourado e, normalmente, olhos castanhos ou verde-dourado. Os Felinos são seres poderosos, altamente evoluídos, amorosos, gentis e de natureza benevolente.

Quando nos ferimos em batalha, vamos até eles para nos curar, pois eles são os doutores do universo. Eles nunca tomam partido em qualquer guerra, pois já completaram as lições de integração das polaridades e Amor Incondicional. Eles também cuidam das almas que sofreram severos danos emocionais nas encarnações e que são enviadas aos Felinos para serem tratadas depois da morte. Os Felinos vivem na 6ª dimensão para executar o trabalho deles, embora sejam seres de dimensões mais elevadas. A 6ª dimensão é a dimensão da criação, onde a energia torna-se física. Os Felinos trabalham muito unidos com as Hierarquias Espirituais dos diferentes planetas e galáxias em nosso universo.

Quando é decidido que uma alma-grupo precisa de um planeta e um veículo físico para encarnação, são os Felinos que são nomeados para a tarefa de preparar o planeta e criar os corpos. Houve tempos em que eles também criavam planetas. Os Felinos são fortemente envolvidos com a história de vocês. As esfinges encontradas ao redor do mundo são uma lembrança da existência e do envolvimento deles. Você alguma vez se perguntou por que o leão é o rei da selva, embora ele não seja o maior? Os Felinos deixaram os leões e todos os gatos para serem os transmissores de informação para Sírius A.

Os leões em particular, foram transformados em reis da selva para que eles não fossem dizimados e pudessem, então, continuar sendo transmissores de informação ao longo dos muitos milhares de anos que a Terra e os seres humanos precisariam para completar o Plano Divino deles.

Os Gatos são o vínculo de informação entre a 3a. e a 6a. dimensão. Muitos de vocês sabem que freqüentemente os reis e rainhas tinham um gato de algum tipo como companheiro constante. Antigamente os Faraós do Egito eram guiados pelos Felinos através dos seus gatos. Se você vê alguém que tem o que vocês chamam de “olhos de gato”, isto provavelmente é porque eles são parcialmente de origem Felina.


O sistema estelar triplo de Sírius A, B e C (Digitária como é conhecida pela tribo dos Dogons na África)

Os Carians: Os Carians são um grupo de seres altos com características de pássaros. Eles vieram do mesmo universo dos Felinos – viveram em Sírius A junto com os Felinos. O propósito dos Carians é atuar como uma raça protetora para a evolução dos veículos físicos em um determinado planeta ou estrela. Foram os Carians que protegeram a evolução dos humanos Lyrianos primitivos dos Répteis que desejavam destruí-los.

Os Carians também são responsáveis pela criação do sistema de malha energética de sustentação, portões estelares e portais. Eles são os engenheiros magnéticos enquanto os Felinos são os engenheiros genéticos. Os Carians também deixaram uma marca registrada do envolvimento deles conosco na forma da Fênix e da Águia, como também do Corvo e do Falcão. Estes pássaros eram (e ainda são) sagrados para muitos povos.

Os Carians trabalham de mãos dadas com os Felinos. Eles provêem proteção para planetas e estrelas que ainda estão desenvolvendo uma raça guardiã de seres, como os Humanos. A tarefa deles está completa quando os guardiães daquele reino evoluem a ponto de eles mesmos protegerem o planeta. Os Carians assumiram a responsabilidade de proteger as colônias Humanas em nossa galáxia, antes de Nibiru ser criado. Os Carians não usam armas militares para proteção. Em vez disso, eles usam energia para criar bloqueios nos portais de entrada e saída de um planeta, portões estelares e dimensões.

Os Répteis: Os Répteis são conhecidos por muitos como os Reptilianos. Eles foram criados muito tempo antes dos Humanos, no planeta de Aln, na constelação de Órion. Os Répteis foram criados primeiro e isto os tornou tecnologicamente superiores. Eles já tinham realizado viagens espaciais quando nós, os Humanos, ainda emergíamos dos oceanos em Vega. Os Répteis, também conhecidos como as Serpentes, os Dragões, e os Lagartos (afetuosamente chamado por alguns, de Lizzies), possuem vários tipos, cores e tamanhos.

Eles normalmente são verdes, marrons, bronze, negros ou uma combinação de qualquer uma destas cores. Seus olhos são verdes ou vermelhos. A pele é escamosa ou lisa e fria ao toque. Eles possuem as sensações dos cinco sentidos, mas não todas as emoções. A morada base dos Répteis é a constelação de Órion e seu vizinho Sigma Draconis da Constelação do Dragão, onde o povo Dragão vive.


Constelação de Órion, as três estrelas centrais são conhecidas no Brasil como as Três Marias, mas são Mintaka, Alnilan e Alnitak, cujo alinhamento é idêntico ao das três grandes pirâmides do Egito.

Os Répteis colonizaram muitos planetas e sistemas estelares em nossa galáxia Via Láctea. A eles foi conferido o “mito da criação” que declarava que eles eram os “donos da galáxia” e tinham o direito de colonizar qualquer planeta ou estrela que desejassem. E se houvesse uma raça não-réptil presente, eles poderiam e deveriam destruí-la. Agora você pode imaginar como as outras raças se sentiam!

Este “mito da criação” causou a morte e destruição de muitos planetas e povos em ambos os lados. Mas, deixem-me relembrá-los: os Répteis foram criados por ordem dos Construtores para representar o masculino, ou lado escuro, e os Humanos foram criados para representar o feminino, ou lado luminoso, neste Jogo de integração de polaridades.

Integração das Polaridades: Assim, por favor, não os julgue, porque eles estão apenas desempenhando seus papéis.Os Répteis colonizaram a Terra mais de uma vez. Eles a colonizaram inicialmente quando ela ainda era Tiamat, e então novamente, depois que Tiamat rachou ao meio e se tornou conhecido como Terra. Mas, a segunda vez não foi uma colonização propriamente dita. Foi, na verdade, a reorganização dos remanescentes dos Répteis que tinham ido para o subterrâneo durante e depois da destruição de Tiamat.

As cobras e lagartos dos seus dias atuais são os descendentes dos Répteis. Os dragões também existiam aqui, e seus mitos de dragões voadores não são mitos de forma alguma. Eles eram reais! Quer voce acredite ou não (n.t. existiam Dragões durante o médio período de Atlântida). Os Répteis são mais avançados tecnologicamente – (masculino, escuro), do que espiritualmente – (feminino, luz). Isto é o que eles estão aprendendo a equilibrar, da mesma maneira que nós os Humanos estamos aprendendo a equilibrar o outro modo.

Os Humanos: A raça humana evoluiu a partir de Vega, sistema estelar da constelação de Lyra, no planeta Avyon. Como eu mencionei antes, os Humanos foram criados à imagem dos Felinos. A eles foi dado um “mito da criação” diferente do mito dado aos Répteis.O mito de criação Humano especifica que os Humanos também podem colonizar qualquer planeta ou estrela que eles escolherem, mas, se eles encontrarem outra raça no planeta, eles têm que negociar um tratado de paz e se esforçar para viver em harmonia com a raça vizinha.

Répteis e Humanos mantêm uma característica pura do DNA para futura semeadura. Estas são as Casas Reais: a Casa Real dos Répteis é a Casa de Aln e a Casa Real dos Humanos é a Casa de Avyon, mencionada anteriormente. Agora que vocês viram um pouco mais profundamente as quatro raças principais, eu continuarei minha história. Deixe-me começar do ponto em que os Fundadores estavam prontos para que os Felinos criassem a espécie humana. Tenham em mente que os Felinos já tinham criado os Répteis e que estes já tinham alcançado a fase das viagens espaciais a esta altura.

Os Felinos começaram semeando Avyon para a nova raça de Humanos. Os Humanos começaram nos oceanos e paulatinamente moveram-se para a terra. Darwin estava correto quando declarou que o homem começou nos oceanos. Na fase de primata aquático, os Felinos tiraram a maioria dos primatas do oceano e os aprimoraram para a fase de um humano bípede. Os primatas aquáticos restantes, baleias e golfinhos, permaneceram no oceano para manter a biosfera de Avyon. A manutenção da biosfera é crítica para qualquer planeta sustentar vida.

Uma vez que os humanos em Avyon tinham evoluído ao ponto de realizarem viagens espaciais, eles colonizaram outro planeta na constelação de Lyra. Eles nomearam o planeta com o nome Avalon. A nova colônia foi estabelecida como uma sociedade feminino-polarizada, em harmonia com o sistema social de Avyon. Logo os Répteis chegaram trazendo com eles sua tecnologia superior e a sua forma masculino-polarizada de sociedade. Isto foi bom porque eles criaram a primeira oportunidade para integração de polaridades. Infelizmente, sem experiência e conhecimento espiritual suficiente, divergências e conflitos aconteceram.



O Yin-Yang o princípio Universal da Dualidade, opostos que se atraem e se completam e assim CRIAM.

Permitam-me explicar-lhes:

Os Répteis se sentiram ameaçados quando perceberam que os Humanos estavam saindo de Avyon. O que aconteceria se os Humanos assumissem o comando da galáxia inteira? Onde eles, os Répteis, viveriam? Na mente deles este esforço pioneiro tinha que ser bloqueado. No princípio não havia uma confrontação direta entre os Répteis e os Humanos. Esta não era a maneira Réptil usual de agir.

Ao invés disso, os Répteis fizeram a coisa que mais sabiam fazer: começaram a se infiltrar na colônia e semear a discórdia entre as pessoas, enquanto, ao mesmo tempo, cortejavam a amizade e a confiança dos Humanos, oferecendo lhes a sua tecnologia. Isto criou uma divisão entre aqueles que queriam evoluir espiritualmente e aqueles que queriam evoluir tecnologicamente. (Algo semelhante esta acontecendo em nosso planeta Terra hoje, nos dias atuais)

A discórdia continuou a crescer, até chegar ao nível da guerra civil, momento em que os Répteis saltaram para o lado dos colonos masculinamente propensos, e o resultado foi a quase destruição da colônia e do planeta. Se vocês olharem em seus livros de história, encontrarão evidências da influência e táticas reptilianas nas guerras e disputas em seu planeta – primeiro, semeando grãos de discórdia e depois, tomando partido que conduz à destruição.

Depois da quase destruição da colônia de Avalon, os Construtores decidiram mover os Humanos para Sírius B, para continuar trabalhando na integração das polaridades masculino/feminino, mas desta vez sem a interferência dos Répteis. Este plano teve um sucesso parcial.

O que aconteceu foi uma maior divisão entre os, agora, Humanos Sirianos (o nome deles foi mudado de Humanos Lyrianos para Humanos Sirianos). Um grupo humano não-fisico, os Sirianos Etéricos evoluídos, dedicou-se à busca do conhecimento espiritual e cura, acentuando a polaridade feminina e o modo de vida Lyriano. O líder deste grupo não foi outro, senão Amelius (um aspecto de Jesus/Sananda).

O restante dos Humanos Sirianos escolheu permanecer em um estado físico, masculino polarizados – os Sirianos Físicos. Uma vez mais os Construtores e as Hierarquias Espirituais sentiram a necessidade de mover ambos os grupos de Humanos para novos locais para que pudessem continuar trabalhando na integração das polaridades. Desta vez, os planetas escolhidos foram Aln na Constelação de Órion, e Tiamat/Terra.

Considerando que os Sirianos Físicos estavam masculino-polarizados, eles foram enviados para Aln, a casa dos Répteis, para estabelecer uma nova colônia, praticamente no quintal Reptiliano. Este grupo se tornou os Humanos de Órion.

Esperava-se que esta mudança os permitisse entender melhor a si mesmos e à polaridade masculina deles, estando no mesmo planeta com os Répteis. Mas isto não deixou os Répteis muito felizes, e não demorou muito para as batalhas começarem, e a colônia de Aeonian quase foi destruída. Os colonos Humanos foram transformados em escravos pelos Répteis. Finalmente a colônia Alniana foi reconstruída e o drama da integração das polaridades continuou, mas agora havia um novo jogador no jogo: A Liga Negra.



A LIGA NEGRA: A Liga Negra começou como um pequeno grupo de Humanos de Órion que formaram uma Liga de oposição ao abuso de poder dos Répteis que os haviam escravizado. Mais tarde um grupo da Liga Negra escaparia de Órion e viajaria para Tiamat/Terra, em busca de um novo começo (n.t. estes seres entraram em contato com os nazistas alemães em 1938 e lhes transferiram parte de sua tecnologia.

Ver mais em:
http://thoth3126.com.br/operacao-highjump-conexao-ufo-dos-nazistas-na-antartica/
http://thoth3126.com.br/sociedades-secretas/
http://thoth3126.com.br/nazismo-os-arquivos-secretos-da-waffen-ss/.

Os Sirianos Etéricos de Sírius B, liderados por Amelius, declararam Tiamat, Terra como seu novo lar. Os Sirianos Etéricos precisariam conseqüentemente tornarem-se fisicalizados novamente, para cumprir as responsabilidades para com uma raça guardiã do planeta. Assim, os Felinos semearam o planeta para suprir esta necessidade.

Quando os Sirianos Etéricos chegaram, eles encontraram a nova raça guardiã do planeta na fase aquática. O Sirianos Etéricos assumiram o papel de guardiães para esta nova raça e amorosamente protegeram seus futuros veículos físicos, atendendo as necessidades espirituais e físicas deles. A vida transcorria conforme planejada, até que um grupo de Sirianos Etéricos começou a “passar o tempo” em corpos de animais no planeta. Depois de um tempo, isto se tornou uma real preocupação para os Sirianos Etéricos restantes. Eles estavam bem cientes que “o pensamento se torna realidade”, e se seus irmãos e irmãs continuassem a passar muito tempo nesses corpos, eles esqueceriam que eram etéricos e ficariam grudados ao corpo daqueles seres.

A espécie Humana na Terra experimentou esta mesma situação. Os seres humanos esqueceram que são almas em corpos físicos. Em vez disso, acreditaram e a maioria ainda acredita que são corpos físicos com almas. Foi isto que ocorreu com os Sirianos Etéricos. Devido à Lei Cósmica do Livre-Arbítrio, os restantes dos Sirianos Etéricos não podiam impedir, interferir nesta escolha de seus irmãos e irmãs.

Assim, um plano foi feito para corrigir a situação. Uma porção dos Sirianos Etéricos se tornaria os Sirianos Crísticos e criaria o Ofício do Cristo. Ele seria ligado à Hierarquia Espiritual Planetária e supervisionaria a operação de resgate de seus irmãos e irmãs que estavam em corpos animais (Sirianos Terrestres). Este plano, como a maioria dos planos galácticos, levaria muitos milhões de anos para se completar.



Agora, de volta aos Répteis: Os Répteis ouviram certos rumores galácticos de que um novo planeta estava pronto para sustentar Vida. Como eles acreditavam que era seu direito, partiram para Tiamat/Terra para colonizá-lo. Quando eles chegaram, encontraram a civilização de primatas humanos evoluindo sob a guarda dos Sirianos Etéricos. Os Construtores permitiram aos Répteis colonizarem Tiamat/Terra porque eles sentiam que esta nova tentativa de integração das polaridades provavelmente seria bem-sucedida. Os Sirianos Etéricos começaram a enviar energia positiva para aos Répteis, na esperança de amansá-los e ajudá-los a se libertar das lendas referentes à criação deles. Se isto acontecesse, os Répteis poderiam trabalhar e viver em harmonia com a raça dos primatas.

Durante algum tempo isto aconteceu. Logo após a chegada dos Répteis, Amelius pediu para que Devin deixasse a casa dele em Avyon Lyra e viesse para Tiamat/Terra contribuir com o DNA para aprimorar os primatas para o nível humano. A Linhagem Real Amelius era a única descendência humana pura no universo. Assim, teve que ser mantida separada para assegurar sua pureza para futuros aperfeiçoamentos do DNA. Este aprimoramento tornou, os agora Humanos, mais parecidos com os Répteis. Embora eles ainda não fossem tão tecnologicamente avançados, eles eram mais evoluídos espiritualmente, e maturidade espiritual por parte de pelo menos uma raça é uma necessidade para que a integração das polaridades possa ocorrer.

A Linhagem de Amelius: A Casa Real de Avyon: Amelius foi a primeira alma a encarnar no corpo do primeiro veículo físico humano em Avyon. Amelius estabeleceu uma linhagem em Avyon, da mesma forma que seus descendentes, Devin e depois Abraão, estabeleceram linhagens no planeta Avyon Pleiadiano e na Terra. Amelius sustentou o acordo inicial que fez entre sua sobre-alma Sananda e os outros oito Construtores. Ele manteve uma linhagem e DNA puros para o protótipo humano criado à imagem dos Felinos:alto, cabelos louros prateados, olhos azuis, e pele branca.

Depois que Devin e sua família completaram suas tarefas em Tiamat/Terra, eles foram para as Plêiades para lá estabelecer a Linhagem de Amelius. Escolheram um planeta para colonização e o nomearam Avyon, que é a 7ª irmã perdida das Plêiades depois do seu planeta de origem na constelação de Lyra. Assim como os descendentes de Abraão determinaram que a terra de Canaã seria o novo lar deles, Devin havia determinado as Plêiades como sua nova morada.

Devin e a sua família ampliada, mais uma vez sustentaram a promessa de manter uma pura descendência genética, e assim eles casaram entre si. Eles também polarizaram para o lado feminino. Depois de muitas gerações eles ficaram estagnados, tendo reprimido o lado masculino deles. Esta estagnação foi pré-planejada pelos Construtores e Criadores de Jogos, quando eles iniciaram o desenvolvimento do Jogo para o universo.

Para dar um primeiro salto na estagnação espiritual deles, os Avyonianos passariam para o próximo passo no Jogo Universal da Integração das Polaridades: a destruição de Avyon pelos Répteis masculino-polarizados. Esta destruição criaria um bloqueio emocional tão grande no psiquismo dos Avyonianos, através dos Répteis, que isto levaria milhões e milhões de anos para ser integrado. Isto garantiria a prorrogação do jogo de integração das polaridades por um longo tempo. Este bloqueio Avyoniano seria transferido para a Terra através da Casa Real de Avyon, em Nibiru. A dissolução deste gigantesco bloqueio através da integração mudaria a Terra para o 5º nível dimensional nos anos finais do Jogo.

Mais sobre isto em uma futura publicação. (livro 2)

Após a destruição de Avyon, a Linhagem de Amelius foi transferida para Nibiru. Isto foi feito levando uma filha da Casa de Avyon para outro planeta Pleiadiano, para se casar exatamente antes da destruição de Avyon. A criança nascida daquela união foi Niestda, o futuro primeiro governador-comandante de Nibiru. Dezessete gerações mais tarde eu, Anu, me tornei o governador-comandante de Nibiru. Eu transferi a Linhagem de Amelius para a Terra através de uma criança minha. A Linhagem de Amelius também foi transferida para a Terra através do próprio Amelius, encarnando como Adapa (o Adão). Entretanto esta não era uma descendência pura, pois Adão levava os genes de todas as quatro raças raízes universais.

As duas Linhagens de Amelius fundiram-se na Real Linhagem Sacerdotal da Suméria. Isto aconteceu através do envolvimento (acasalamento) de meus membros familiares com a Linhagem de Adão através de Seth, o terceiro filho de Adão. Terah, o pai de Abrahão, nasceu desta linhagem real de Reis-Sacerdotes. A Casa Real de Judah e David foi um prolongamento desta mesma linhagem, através do bisneto de Abrahão, Judah, um dos doze filhos de Jacó. De fato, toda a humanidade viva hoje no planeta é descendente de uma ou de ambas as Linhagens de Amelius.



Constelação do Dragão (Draco) e sua principal estrela, Thuban (mencionada na Bíblia várias vezes como Tubal), origem de uma raça reptiliana que esta na Terra.

Agora, de volta para a Terra: Os Humanos e os Répteis viveram em relativa harmonia por algum tempo. As Serpentes Reptilianas se assentaram de um lado dos Humanos e os Dragões Reptilianos povoaram de outro. Os Humanos possuíam a arte da agricultura e cultivo animal. Eles começaram a produzir uma quantidade excessiva de alimentos, que deram aos seus vizinhos Répteis. Isto até que contribuiu para que as relações se tornassem mais harmoniosas entre as duas raças. Não demorou muito e logo os boatos galácticos e universais começaram a espalhar a novidade. Os Construtores, a Hierarquia Espiritual planetária e os Sirianos Etéricos, estavam próximos aos humanos e répteis, com satisfação. Parecia que a integração das polaridades estava perto de acontecer.

Mas, essas esperanças foram por água abaixo quando um grupo de membros Reptilianos do Conselho de ÓRION em Tiamat para investigar. Eles tinham ouvido as notícias sobre esta maneira harmoniosa de viver e não estavam satisfeitos, pois isso era uma clara transgressão da lenda da criação deles – o mito da criação reptiliana, que dizia que “onde houvesse um planeta habitável era direito deles colonizarem e destruírem qualquer raça que ali existisse”. Os Humanos deveriam ter sido destruídos. Eles falaram insistentemente com o governante da família dos Répteis, mas não conseguiram mudar a mente deles. Assim, decidiram fazer a “coisa habitual” reptiliana: Começaram a disseminar sementes de desconfiança entre os Répteis. Começaram a falar para eles que os Humanos estavam secretamente planejando destruí-los para ficar com Tiamat para si. Isto exigiu do Conselho de Órion cerca de 10.000 anos até a concretização do plano.

O povo da Liga Negra de Órion, que tinha chegado em Tiamat/Terra logo após os Répteis, não teve interesse em apoiar. Eles incitaram os Humanos. A Liga Negra não confiava nos Répteis e ficaria feliz em vê-los destruídos. Rapidamente as duas raças chegaram a um ponto de crise. Os Répteis concordaram em destruir os Humanos através de uma guerra bacteriológica. Os Humanos buscaram a ajuda de seus parentes, os Avyonianos Pleiadianos, junto com os Etéricos Sirianos e outros. Um plano foi feito. Os Humanos deixariam Tiamat/Terra e mudariam para a nave espacial Pégasus, para continuar sua evolução.


Um draconiano

Os Sirianos Etéricos que não se tornaram Sirianos Terrestres (em corpos animais) passariam por mutação, tornando-se mamíferos aquáticos (baleias e golfinhos) e voltariam ao planeta para manter a biosfera, até que seus irmãos e irmãs, os Sirianos Terrestres, pudessem mais uma vez construir uma nova raça de veículos humanos para os Sirianos Etéricos usarem para cumprir seus deveres de guardiões da Terra. Nibiru seria enviado para destruir as colônias Reptilianas, implodindo os geradores de fusão localizados no meio da fortaleza Humana (Tiamat).

Os geradores de fusão mantinham os campos de força magnéticos e elétricos de Tiamat. Uma vez os geradores de fusão fossem destruídos, Tiamat ficaria sem vida e 98% das civilizações dos Répteis seriam destruídas. Os “mutantes” que eram parte Sirianos Etéricos e parte animal também seriam destruídos, libertando assim as almas dos Sirianos Etéricos que os habitavam. Mas eles, como os Répteis, não seriam totalmente destruídos. Uma pequena porção deles sobreviveria, passando a viver nos subterrâneos.

É dito que velhos hábitos dificilmente morrem, e este foi o caso dos Sirianos Etéricos – eles voltariam à nova Terra e continuariam no ciclo encarnacional dos animais. A destruição de Tiamat foi minha primeira missão como o novo governador /comandante de Nibiru. Fui guiado pelo Conselho Nibiruano da Federação Galáctica nesta missão.

Sobre seres reptilianos vivendo em subterrâneos na Terra ver mais em:
http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-interior-da-terra-os-arquivos-lacerta-parte-i/
http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-interior-da-terra-os-arquivos-lacerta-parte-ii-2/
http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-interior-da-terra-os-arquivos-lacerta-parte-3/
http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-interior-da-terra-os-arquivos-lacerta-parte-4-final/
http://thoth3126.com.br/os-zulus-e-os-reptilianos-credo-mutwa/
http://thoth3126.com.br/reptilianos-mais-informacoes/
http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
http://thoth3126.com.br/dulce-book-conexao-draconiana-reptiliana-capitulo-13/
http://thoth3126.com.br/reptilianos-do-sistema-estelar-de-draco/

Eu gostaria de chamar a atenção novamente e falar um pouco sobre a FEDERAÇÃO GALÁCTICA em uma próxima mensagem…



Acima, a Pirâmide de Quéops no Egito esta perfeitamente alinhada com as estrelas e constelações até aqui mencionadas nessa canalização, seria apenas COINCIDÊNCIA?? As três pirâmides em Gizé estão ainda alinhadas com o cinturão de ÓRION, as estrelas, Mintaka, Alnilan e Alnitak, CONHECIDAS NO BRASIL COMO AS TRÊS MARIAS.

MUITO Mais sobre NIBIRU e os Annunaki:
  1. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  2. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki/
  3. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-atestado/
  4. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-primeira-tabuleta-parte-1/
  5. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-primeira-tabuleta-parte-2-final/
  6. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-segunda-tabuleta/
  7. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-terceira-tabuleta/
  8. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-quarta-tabuleta/
  9. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-quinta-tabuleta/
  10. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-sexta-tabuleta/
  11. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-setima-tabuleta/
  12. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-oitava-tabuleta/

    Permitida a reprodução desde que mantido na formatação original e mencione as fontes.

    www.thoth3126.com.br

    Compartilhe:

    94Share on Facebook (Opens in new window)94
    8Click to share on Twitter (Opens in new window)8
    Click to share on Reddit (Opens in new window)
    Click to email this to a friend (Opens in new window)

    Posted by Thoth3126 on 04/05/2015

    URL: http://wp.me/p2Fgqo-DV




Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Jelaila Starr

Atualização diária

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?

achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government

Novembro 03, 2015

chamavioleta

Triângulo das Bermudas e seus mistérios (ecos de Atlântida?)

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

O Triângulo das Bermudas e os seus Mistérios. Definido geralmente como uma área triangular cujos vértices se assentam sobre a costa da Flórida-EUA, Puerto Rico e Ilhas Bermudas, respectivamente.


Fonte: http://www.electronicfog.com/

Publicado anteriormente a 15/05/2015





O Triângulo das Bermudas e os seus Mistérios


Definido geralmente como uma área triangular cujos vértices se assentam sobre a costa da Flórida-EUA, Puerto Rico e Ilhas Bermudas, respectivamente.

O Triângulo das Bermudas é um dos mitos modernos mais populares e é tido como um dos mais insondáveis mistérios do nosso planeta ou, pelo menos, assim nos querem fazer crer, havendo também quem o ligue e aos seus fenômenos com o mito da Atlântida, o continente perdido.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

O Triângulo das Bermudas e os seus Mistérios. Definido geralmente como uma área triangular cujos vértices se assentam sobre a costa da Flórida-EUA, Puerto Rico e Ilhas Bermudas, respectivamente.

Fonte: http://www.electronicfog.com/

Diz-se que, neste triângulo, ocorreram fenômenos inexplicáveis, entre os quais o desaparecimento de vários navios e aviões após terem relatado “anomalias no horizonte e no céu e avaria nos seus instrumentos de navegação”.

A região do Triângulo demarcada no mapa, entre Fort Lauderdale, Porto Rico e Bermuda, (Bimini fica dentro dessa área) onde ocorreu a maior incidência de desaparecimentos de pessoas, barcos, navios e aviões com seus tripulantes e cargas.



O início do mistério: desaparecimento de vários navios e de uma esquadrilha de 5 aviões bombardeiros Avenger, o famoso Vôo 19

Foi em 1950 que num artigo da autoria de E.V.W. Jones, o Mundo tinha pela primeira vez conhecimento de que estranhos fenómenos ocorriam naquela zona do Oceano.

Dois anos depois, George Sand, num artigo para a revista Fate, usa pela primeira vez a expressão “Triângulo das Bermudas” para relatar o estranho desaparecimento de vários navios e de uma esquadrilha de 5 aviões bombardeiros Avenger, o Vôo 19, semelhantes ao da foto do lado. Estes aviões teriam desaparecido após uma última comunicação do líder da esquadrilha via rádio com a sua base em terra: “Estamos entrando em águas brancas. Nada parece normal. Não sabemos onde estamos. A água está verde. Não! Branca.” Destes homens nunca mais se voltou a ser encontrado o menor vestígio.

Explicações sobrenaturais

O Triângulo das Bermudas (também conhecido como Triângulo do Diabo) é uma área que varia de tamanho, aproximadamente de 1,1 milhão de km² até 3,95 milhões de km². Essa variação ocorre em virtude de fatores climáticos, geográficos e geofísicos da região, que influem decisivamente no cálculo de sua área, situada no Oceano Atlântico, acima de Cuba, entre as ilhas Bermudas, Porto Rico e Fort Lauderdale (Flórida-EUA). A região notabilizou-se como palco de diversos desaparecimentos de aviões, barcos de passeio e navios, alguns com a tripulação completa também desaparecendo, para os quais se popularizaram explicações extrafísicas e/ou sobrenaturais.

Uma das possíveis explicações para estes fenômenos de desaparecimento são os distúrbios no campo eletromagnético da Terra que esta região sofreria. Um dos casos de desaparecimentos mais famosos é o chamado voo 19 da USAF. Muito embora existam diversos eventos anteriores, os primeiros relatos mais sistemáticos começam a ocorrer entre 1945 e 1950 (n.T. – coincide com o começo das pesquisas do Projeto Philadelphia, da Marinha dos EUA). Alguns traçam o mistério até Colombo. Mesmo assim, os incidentes vão de 200 a não mais de 1000 nos últimos 500 anos. Howard Rosenberg afirma que em 1973 a Guarda Costeira dos EUA respondeu a mais de 8.000 pedidos de ajuda na área e que mais de 50 navios e 20 aviões se perderam na zona, durante o último século.

Muitas teorias foram dadas para explicar o extraordinário mistério dos aviões e navios desaparecidos. Extraterrestres, resíduos de cristais da Atlântida, humanos com armas antigravidade ou outras tecnologias esquisitas, vórtices da quarta dimensão, estão entre os favoritos dos escritores de fantasias. Campos magnéticos estranhos, flatulências oceânicas (gás metano do fundo do oceano) são os favoritos dos mais técnicos. O clima no local (tempestades, furacões, tsunamis, terremotos, ondas, correntes marítimas), e outras causas naturais e humanas são as favoritas entre os investigadores céticos.

História e evolução

Desde a era das Grandes Navegações, nos séculos XV e XVI, as naus que viajavam da Europa para as Américas passavam continuamente por esta área para aproveitar os ventos da Corrente do Golfo. Depois, com o desenvolvimento das máquinas a vapor e dos barcos com motores de combustão interna, grande parte do tráfego do Atlântico Norte já não passava mais por esta área.





A Corrente do Golfo, uma área com clima instável (conhecida por seus furacões), também passa pelo triângulo ao sair do Mar do Caribe em direção ao norte. A combinação de um intenso tráfego marítimo e o clima instável pode ter feito com que alguns barcos entrassem em tempestades e se perdessem sem deixar pistas, principalmente antes do desenvolvimento das telecomunicações, do radar e dos satélites no final do século XX.

A primeira obra documentada sobre os desaparecimentos nesta área foi lançada em 1950, por E. V. W. Jones, jornalista da Associated Press, que escreveu algumas matérias sobre o sistemático desaparecimentos de barcos no triângulo. Jones disse que os desaparecimentos de barcos, aviões e pequenos botes eram “misteriosos”. E deu a esta área o nome de “Triângulo do Diabo”. Em 1952, George X. Sand afirmou em um artigo da Revista do Destino que nesta área aconteciam “estranhos desaparecimentos marinhos”.

Em 1964, o escritor sensacionalista Vincent Gaddis criou o termo “Triângulo das Bermudas” em um artigo da revista Argosy. Um ano depois publicou o livro Invisible Horizons: True Mysteries of the Sea (“Horizontes Invisíveis: os Verdadeiros Mistérios do Mar”), onde incluía um capítulo chamado “O Mortal Triângulo das Bermudas”. Geralmente, Gaddis é considerado o “inventor” do nome Triângulo das Bermudas.

Mas foram dez anos depois, em 1974, que o mistério tornou-se um mito, através de Charles Berlitz e seu livro “O Triângulo das Bermudas”, onde ele pegou alguns textos de Gaddis e recompilou alguns casos de desaparecimentos. Foi depois da publicação desse livro que os eventos foram conhecidos através da imprensa de uma forma mais abrangente. Após acharem a cabeça de um homem no mar todos afirmaram que havia coisas sobrenaturais. Recentemente um canal de TV americano, especializado em ficção científica, produziu uma mini-série com o nome de The Bermuda Triangle: Startling new secrets…(2005).

Possíveis explicações “naturais”

Note que algumas não são ”cientificamente” aceitas.

- Anomalias no campo eletromagnético do planeta Terra; restos de cristais ainda ativos geradores de energia em Atlântida, o continente perdido, que teria afundado naquela região, que ainda poderiam estar ativos; a teoria conspiratória forjada para desenvolver reações no mundo da Guerra Fria EUAxURSS; Alienígenas extraterrestres; monstros marinhos; redemoinhos gigantes no oceano, etc.

Alguns escritores têm usado alguns conceitos sobrenaturais para explicar os eventos no triângulo. Uma explicação é de uma suposta tecnologia do continente perdido de Atlântida. Às vezes conecta-se esta história à formação rochosa submersa conhecida como Bimini Road (“Estrada de Bimini”), perto da ilha de Bimini, nas Bahamas, que está inserida dentro da área do triângulo em alguns casos. Seguidores do médium psíquico Edgar Cayce (o Profeta Adormecido) tiveram a previsão de que a evidência de Atlântida seria encontrada em 1968, referindo-se à descoberta de Bimini Road. Alguns descrevem a formação como uma estrada, uma parede, ou outra estrutura, apesar dos geólogos considerarem isso como sendo de origem natural.





Nesta região o fenômeno UFO também é muito testemunhado, inclusive com grandes espaçonaves entrando, navegando sob as águas do oceano e alçando voo desde o fundo do mar.

Outros escritores atribuíram os eventos aos OVNIs. Esta ideia foi usada por Steven Spielberg em seu filme de ficção científica Contatos Imediatos de Terceiro Grau, que mostra os tripulantes do voo 19 como alienígenas abduzidos. Charles Berlitz, neto de um ilustre poliglota e autor de vários livros de fenômenos anormais, tem deixado em linha com sua extraordinária explicação, e atribuiu os desaparecimentos no triângulo como uma anomalia ou forças inexplicáveis.

Também tem sido pensado que o triângulo é um buraco de minhoca (Wormhole-uma anomalia eletromagnética que criaria um buraco em nosso espaço/tempo)

Variações e defeitos nas bússolas

Os problemas com bússolas são um dos mais citados em vários incidentes no triângulo. Enquanto alguns têm teorizado que anomalias magnéticas locais incomuns podem existir nesta área, tais anomalias não têm sido reveladas como existentes. Também deve ser lembrado que as bússolas têm variações magnéticas naturais em relação aos pólos magnéticos. Por exemplo, nos Estados Unidos os únicos lugares onde o pólo norte magnético e o pólo geográfico são exatamente os mesmos estão em uma linha passando do estado do Wisconsin até o Golfo do México. Navegadores têm sabido disso por séculos. Mas o público pode não estar informado, e as pessoas pensam que lá existe alguma coisa misteriosa sobre a “mudança” na bússola sobre uma área tão larga quanto o triângulo, o que naturalmente pode acontecer.

Listagem de eventos

- 1840 – Rosalie – embarcação francesa encontrada meses após o seu desaparecimento, na área do Triângulo das Bermudas, navegando com as velas recolhidas, a carga intacta, porém sem vestígios de sua tripulação.

- 1872 – Mary Celeste – Apesar do navio ter sido abandonado na costa de Portugal, ele teria antes supostamente batido em um recife perto da costa de Bermuda.

- 1880 – Atlanta – Fragata britânica, desapareceu em Janeiro, com 290 pessoas a bordo.

- 1902 – Freya – embarcação alemã, ficou um dia desaparecida. Saiu de Manzanillo, em Cuba no dia 3 de outubro. Foi encontrada no dia seguinte, no mesmo local de onde havia saído, porém sem nenhuma pessoa a bordo: todos os tripulantes desapareceram.

- 1909 – The Spray – pequeno iate do aventureiro canadense Joshua Slocum, que desapareceu nesta área.

- 1917 – SS Timandra – embarcação que iria para Buenos Aires que tinha partido de Norfolk (Virgínia) com uma carga de carvão, e uma tripulação de 21 passageiros. Não emitiu nenhum sinal de rádio.

- 1918 – Cyclops – embarcação carregada com 19.000 toneladas de aprovisionamentos para a Marinha Norte-americana, com 309 pessoas a bordo. Desapareceu com tripulantes e carga a 4 de março em mar calmo, sem emitir aviso, mesmo dispondo de rádio. Ele partiu do Rio de Janeiro em 16 de fevereiro e, após uma rápida parada em Barbados, entre 3 e 4 de março, nunca mais foi visto. Todos as 306 pessoas, entre passageiros e tripulação, desapareceram sem deixar rastro.





O USS Cyclops ancorado no rio Hudson em 3 de outubro de 1911 Imagem cedida pelo New York Navy Yard/Navy Historical Center

- 1921 – Carroll. A. Deering – cargueiro que afundou no cabo Hatteras, cerca de 1000 km a oeste das ilhas Bermudas.

- 1925 – Raifuku Maru – embarcação que afundou em uma tempestade a cerca de 1000 km ao norte das ilhas Bermudas.

- 1925 – Cotopaxi – embarcação desaparecida próximo a Cuba.

- 1926 – SS Suduffco – embarcação que afundou em um furacão no triângulo.

- 1931 – Stavenger – cargueiro desaparecido com 43 homens a bordo.

- 1932 – John and Mary – embarcação desaparecida em Abril. Foi encontrada posteriormente à deriva, a cerca de 80 quilômetros das ilhas Bermudas.

- 1938 – Anglo-Australian – embarcação desaparecida em Março, com uma tripulação de 39 homens. Pediu socorro quando estava próxima ao Arquipélago dos Açores.

- 1940 – Gloria Colite – embarcação desaparecida em Fevereiro. Foi encontrada com tudo intacto, mas sem a tripulação.

- 1942 – Surcouf – submarino francês que foi atacado pelo cargueiro norte-americano Thompson Lykes perto do Canal do Panamá, cerca de 1800 km do triângulo

- 1944 – Rubicon – cargueiro cubano desaparecido em 22 de outubro. Foi encontrado mais tarde pela Guarda Costeira Norte-americana próximo à costa da Flórida.

- 1945 – Super Constellation – aeronave da Marinha Norte-americana desaparecida em 30 de Outubro, com 42 pessoas a bordo.

- 1945 – Voo 19 ou Missão 19 (“Flight 19″) – esquadrilha de cinco aviões TBF Avenger, desaparecida em 5 de Dezembro.

- 1945 – Martin Mariner – hidroavião enviado na busca do Vôo 19, também desapareceu em 5 de dezembro, após 20 minutos de vôo, com 13 tripulantes a bordo.

- 1947 – C-54 – aeronave do Exército dos Estados Unidos, jamais foi encontrado.

- 1948 – DC-3 – aeronave comercial, desaparecida em 28 de dezembro, com 32 passageiros.





Um Douglas DC-3, o mesmo modelo do avião que desapareceu sobre o Triângulo das Bermudas em 1948

- 1948 – Tudor IV Star Tiger – aeronave que desapareceu com 31 passageiros.

- 1948 – SS Samkey – embarcação que afundou a 4200 km a nordeste do triângulo e a 200 km a nordeste dos Açores.

- 1949 – Tudor IV Star Ariel – aeronave que desapareceu no triângulo.

- 1950 – Sandra – cargueiro transportando inseticida, desapareceu em Junho e jamais foi encontrado.

- 1950 – GLOBEMASTER – Avião desaparecido em março. Era um avião comercial dos Estados Unidos.

- 1952 – YORK – Avião de transporte britânico. Desaparecido em 2 de fevereiro. Tinha 33 passageiros a bordo fora a tripulação. Sumiu ao norte do Triângulo das Bermudas.

- 1954 – Lockheed Constelation – aeronave militar com 42 passageiros a bordo que desapareceu no triângulo.

- 1955 – CONNEMARA IV – Desapareceu em setembro e apareceu 640km distante das bermudas, também sem tripulação.

- 1956 – MARTIN P-5M – Hidroavião desaparecido em 9 de novembro. Fazia a patrulha da costa dos Estados Unidos. Sumiu com 10 tripulantes a bordo nas proximidades do Triângulo das Bermudas.

- 1957 – CHASE YC-122 – Desaparecido em 11 de janeiro. Era um avião cargueiro com 4 passageiros a bordo.

- 1962 – Um avião KB-50 desapareceu em 8 de janeiro. Tratava-se de um avião tanque das Forças Aéreas dos Estados Unidos. Desapareceu quando cruzava o Triângulo.

- 1963 – MARINE SULPHUR QUEEN – Cargueiro que desapareceu em fevereiro sem emitir nenhum pedido de socorro.

- 1963 – SNO’BOY – Desaparecido em 1º de Julho. Era um pesqueiro com 20 homens a bordo. Nunca foi encontrado.

- 1963 – 2 STRATOTANKERS KC-135 desapareceram em 28 de agosto. Eram 2 aviões de quatro motores cada, novos, a serviço das forças aéreas americanas. Iam em missão secreta para uma base no Atlântico, mas nunca chegaram no local.





Um avião KC-135 Stratotanker, avião de reabastecimento igual aos que desapareceram no Triângulo das Bermudas

- 1963 – CARGOMASTER C-132 – Desaparecido em 22 de setembro perto das ilhas Açores.

- 1965 – FLYNG BOXCAR C-119 – Desaparecido em 5 de junho. Era um avião comercial com 10 passageiros a bordo.

- 1967 – WITCHCRAFT – Desaparecido em 24 de dezembro. Considerado um dos casos mais extraordinários do Triângulo. Tratava-se de uma embarcação que realizava cruzeiros marítimos. Estava amarrado a uma bóia em frente ao porto de Miami, Flórida, a cerca de 1600 metros do solo. Simplesmente desapareceu com sua equipe e um passageiro a bordo para nunca mais ser visto assim como as pessoas.

- 1970 – Milton Latrides – cargueiro francês que partiu de Nova Orleans em direção à Cidade do Cabo. Levava uma carga de azeite vegetal e refrigerante. Afundou no triângulo em Abril.

- 1973 – ANITA – Desaparecido em março. Era um cargueiro de 20.000 toneladas que estava circulando próximo ao Triângulo com 32 tripulantes a bordo.

- 1976 – Grand Zenith – petroleiro, afundou com pessoas e bens a bordo. Deixou uma grande mancha de petróleo que, pouco depois, também desapareceu.

- 1976 – SS Sylvia L. Ossa – embarcação que afundou em um furacão a oeste das ilhas Bermudas.

- 1978 – SS Hawarden Bridge – embarcação que foi encontrada abandonada no triângulo.

- 1980 – SS Poet – embarcação que afundou em um furacão no triângulo. Transportava grãos para o Egito.

- 1995 – Jamanic K – cargueiro que afundou no triângulo, depois de sair de Cap-Haïtien.

- 1997 – Iate – É encontrado um iate alemão abandonado.

- 1999 – Genesis – cargueiro que afundou depois de sair do porto de São Vicente; sua carga incluía 465 toneladas de tanques de água, tábuas, concreto e tijolos; informou de problemas com uma bomba um pouco antes de perder o contato. Foi realizada uma busca sem sucesso em uma área de 85.000 km² (33.000 milhas quadradas).Outros eventos:

Um Cessna 172 é “caçado” por uma nuvem, que o persegue o que resulta em funcionamento defeituoso de seus instrumentos, com conseqüente perda de posição e morte do piloto, como informaram os passageiros sobreviventes da queda do avião.

Um 727 da National Airlines fica sem radar durante dez minutos, tempo em que o piloto informa estar voando através de um leve nevoeiro. Na hora de aterrissar, descobre-se que todos os relógios a bordo e o cronômetro do avião perderam exatamente dez minutos, apesar de uma verificação da hora cerca de trinta minutos antes da aterrissagem.

Casos de desaparecimentos mais recentes:
Avião DC-3 N407D, sumiu em 21 de setembro de 1978
Aeronave Fighting Tiger 524, sumiu em 22 de fevereiro de 1978
Avião Beechcraft N9027Q, desaparecido em 11 de fevereiro de 1980
Avião Ercoupe N3808H, sumiu em 28 de junho de 1980
Um Beech Bonanza, sumiu em 5 de janeiro de 1981
Avião Piper Cherokee N3527E, desaparecido em 26 de março de 1986
Avião Grumman Cougar Jet, último contato realizado em 31 de outubro de 1991
Um barco a motor Jamanic K, desaparecido quando ia de Cape Haitian para Miami, em 20 de março de 1995
Um barco a motor Genesis, que sumiu no caminho de Port of Spain, em Trinidad, para St. Vincent, em 21 de abril de 1999
Avião Cessna 210, desapareceu do radar quando ia de Freeport a Nassau, em 14 de junho de 1999.

O incrível Caso Gernon

Um avião monomotor Beechcraft Bonanza voa para dentro de uma monstruosa nuvem cúmulos nimbus ao largo de Andros, perde o contato pelo rádio e logo recupera-o, quatro minutos depois, mas descobre que agora está sobre Miami, com mais vinte e cinco galões de gasolina do que deveria ter-quase exatamente a quantidade de gasolina que seria gasta pelo aparelho numa viagem Andros-Miami. Foi em 4 de dezembro de 1970, Bruce Gernon e seu pai decolaram a bordo de um monomotor Beechcraft Bonanza modelo A 36 do aeroporto da cidade de Andros, Bahamas e voavam para Bimini, uma ilha das Bermudas, mais próxima do continente.



O céu estava claro quando viram uma nuvem estranha com extremidades quase que perfeitamente arredondadas pairando sobre o mar. E conforme voavam em direção a ela, a nuvem começou a se espalhar. A 3.505 metros de altura, notou que ela havia formado um túnel, e a única possibilidade de fuga parecia ser passar por esse túnel. E quando estavam lá dentro, viram linhas nas paredes que giravam no sentido anti-horário, os instrumentos de navegação ficaram descontrolados e a bússola também passou a girar no sentido anti-horário.



Como a nuvem lenticular surgiu a partir do ponto de vista do Gernon enquanto voava sobre Andros Island. Courtesy of Bruce Gernon .

Gernon disse que havia “percebido a ocorrência de algo muito estranho. Em vez do céu azul e limpo que esperávamos no final do túnel, tudo parecia branco-acinzentado.

Além disso, a visibilidade parecia ser de 3 quilômetros, mas não havia absolutamente nada para ver. Não havia oceano, horizonte ou mesmo céu, somente um nevoeiro cinza”, disse ele.

Quando Gernon conseguiu entrar em contato com o controle de tráfego aéreo de Miami para obter uma identificação de radar e saber sua posição, o controlador disse não haver aviões aparecendo no radar entre as regiões de Miami, Bimini e Andros. Após mais alguns instantes, Gernon ouviu o controlador dizer que um avião havia acabado de aparecer diretamente sobre Miami.



Gernon não achou que poderia já estar sobre Miami Beach, já que o tempo normal de viagem é de 75 minutos usando velocidade máxima de seu avião, 300 km/h, para chegar até lá e só tinham se passado uns poucos minutos desde o início do incidente e da decolagem.

Nesse mesmo momento, a névoa cinza começou a se desfazer, os instrumentos começaram a operar normalmente e logo viram Miami Beach abaixo deles. E foi essa passagem de tempo confirmada por seus relógios e pelos instrumentos do avião.

Depois de pousarem em Palm Beach, Gernon conferiu novamente seus instrumentos e constatou que havia gasto menos de 45 minutos numa viagem que levaria quase uma hora e meia e que havia consumido 12 galões a menos de combustível do que seriam necessários para aquele trajeto.



O ” nevoeiro eletrônico” se dissipa e Miami Beach vem à vista. Courtesy of Bruce Gernon

Detalhe interessante é que o pequeno monomotor de Gernon não tinha potência de motor nem resistência estrutural para se deslocar a uma velocidade de mais de 3.000km/h (quase 3 vezes a velocidade do som e mais rápido que a velocidade de cruzeiro de um Concorde). Bruce Gernon talves seja o único sobrevivente do Triângulo das Bermudas.

Explicações científicas para tal fato??? Mais de 40 anos depois do acontecido, continuamos sem elas. O que há são especulações das mais variadas. O fato aconteceu?

Veja o vídeo: Bermuda Triangle, The Bruce Gernon Story, Time Travel ?



Sim…os registros do momento da decolagem de Gernon feitos pelo aeroporto de Andros, até o momento em que surgiu nos céus de Miami comprovam esse vôo impossível.

Mais informações sobre esse caso ver em: http://www.bermuda-triangle.org/html/bruce_gernon.html

Mais informações sobre Atlântida em:
  1. http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
  2. http://thoth3126.com.br/uma-vida-em-atlantida/
  3. http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
  4. http://thoth3126.com.br/atlantida-triangulo-das-bermudas/
  5. http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
  6. http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/
  7. http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/
  8. http://thoth3126.com.br/monte-shasta-outra-visita-a-terra-interior/
  9. http://thoth3126.com.br/aghartha-o-reino-da-terra-interior/
  10. http://thoth3126.com.br/grand-canyon-misterios-de-uma-imensa-caverna-revelados/


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.


www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

233Share on Facebook (Opens in new window)233
12Click to share on Twitter (Opens in new window)12
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)


Posted by Thoth3126 on 15/05/2015


URL: http://wp.me/p2Fgqo-2GE



Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Triângulo das Bermudas

Atualização diária

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

   
Israel ou Cazária!?

achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government

Outubro 30, 2015

chamavioleta

Atlântida e os deuses da Antiguidade 

 final.

por Manly P. Hall 

“In The Secret Teachings of All Ages”, 1928. 

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Publicado anterirmente a 13/05/2015

Os deuses da Antiguidade e a Atlântida 

 Parte 3, final.


A descrição da civilização de Atlântida fornecida por Platão, no livro “Timeo e Crítias”, pode ser assim resumida:

No princípio dos tempos, os “deuses” dividiram a Terra entre si de acordo com suas respectivas dignidades, poderes e inclinações

Cada um se tornou divindade principal em seu território onde foram erguidos templos, símbolo da grandeza daqueles “deuses”; templos dirigidos por cleros de sacerdotes onde eram realizados rituais, entre os quais, os sacrifícios…

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Primeira e segunda partes em:
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade-parte-2/

Atlantis and the Gods of Antiquity por Manly P. Hall – “In The Secret Teachings of All Ages”, 1928

Fonte: http://www.sacred-texts.com/eso/sta/sta 07.htm[

ATLÂNTIDA foi o tema de um artigo curto, mas importante que apareceu no Annual Report of the Board of Regents of The Smithsonian Institution [Relatório Anual do Conselho dos Regentes do Instituto Smithsonian] para o exercício findo agora no distante 30 de junho de 1915.

“A História da Atlântida”, escreveu Inácio Donnelly, “é a chave da mitologia grega (e de todos os povos antigos). Não pode haver nenhuma dúvida de que esses deuses da Grécia eram seres humanos. A tendência para anexar atributos divinos para os importantes, antigos e históricos governantes terrestres esta profundamente implantada na consciência da natureza humana.


Uma concepção artística de como seria Poseidonis, a capital de Atlântida.

Um Nome recorrente ─ Uma antiga lembrança:

Autores antigos, gregos e depois romanos designavam as tribos do noroeste da África como atalantes, atarantes. Outros autores clássicos, os chamavam como os atlantioi. As tribos berberes da África setentrional conservavam suas próprias lendas sobre um reino guerreiro de Attala, localizado ao largo da costa africana, com ricas minas de ouro, prata e estanho, e que enviavam para a África não apenas esses metais, mas também muitos exércitos conquistadores. Attala está agora submersa no oceano mas, segundo uma profecia, reaparecerá um dia. Os bascos, habitantes do sudoeste da França e norte da Espanha, acreditam-se descendentes de Atlântida, a que chamam Atlaintika. Marinheiros fenícios e cartagineses eram notoriamente familiarizados com uma próspera ilha ocidental por eles chamada Antilla.

Parte 3, final:

Adonis era originalmente uma divindade andrógina que representava a energia solar que no inverno era destruída pelo princípio do mal, o frio – o javali. Depois de três dias (meses) no túmulo, Adonis subia (com o fim do inverno) triunfante no dia 25 de março (solstício de primavera para o hemisfério norte), em meio à aclamação de seus sacerdotes e seguidores, “Ele ressuscitou!” Adonis nascia de uma árvore de mirra. A mirra, o símbolo da morte por causa de sua ligação com o processo de embalsamento do corpo, era um dos presentes trazidos pelos três Reis Magos à manjedoura de Jesus Cristo.

Nos Mistérios de Adonis o neófito passava pela morte simbólica do deus e, era “levantado” pelos sacerdotes, entrava em estado abençoado de redenção possível graças aos sofrimentos de Adonis. Quase todos os autores acreditam que Adonis teria sido originalmente um deus da vegetação diretamente relacionado com o crescimento e amadurecimento de flores e frutas. Em apoio a este ponto de vista descrevem os “jardins de Adonis”, que eram pequenos cestos de terra em que as sementes eram plantadas e alimentadas por um período de oito dias. Quando essas plantas prematuramente morriam por falta de terra suficiente, elas eram considerados emblemas do deus Adonis assassinado e geralmente eram lançadas no mar, com imagens do deus.



Na Frígia (hoje parte da Turquia) existia uma escola notável de filosofia religiosa que se centrava em torno da vida e do destino prematuro de outro deus salvador, conhecido como Atys, ou Átis, por muitos considerado sinônimo de Adonis. Esta divindade (Também) nasceu à meia-noite no dia 24 de dezembro. De sua morte há dois registros. Em um deles ele foi ferido até a morte como Adonis, no outro ele castrou a si mesmo sob um pinheiro e ali morreu. Seu corpo foi levado para uma caverna pela Grande Mãe (Cibele), onde permaneceu através dos tempos sem se decompor.

Para os ritos de Atys o mundo moderno está em dívida com o simbolismo atual da árvore de Natal. Atys concedeu a sua imortalidade para a árvore sob a qual ele morreu, e Cibele levou a árvore com ela quando ela removeu o corpo. Atys permaneceu três dias no sepulcro, ascendeu à vida em uma data correspondente a manhã da Páscoa católica e judaica, e por esta ressurreição venceu a morte para si e para todos os que foram iniciados nos seus mistérios.

“Nos Mistérios dos frígios”, diz Julius Firmicus “, que são chamados de os Mistérios da Mãe dos deuses, a cada ano um pinheiro é cortado e no interior da árvore a imagem de um jovem é amarrada dentro da árvore! Nos Mistérios de ÍSIS o tronco de um pinheiro é cortado: o meio do tronco é bem cavado, o ídolo de Osíris feito a partir dessas peças ocas é enterrado. Nos Mistérios de Prosérpina num corte de árvore é montado a efígie da Virgem, e quando a árvore é conduzida pelas ruas da cidade é lamentada 40 noites, mas na quadragésima noite ela é queimada! ” (Veja Sod, os Mistérios de Adoni .)

Os Mistérios de Atys incluía uma refeição sacramental, durante o qual o neófito comia alimentos de um tambor e bebia água de um címbalo. Depois de ser batizado com o sangue de um touro, o novo iniciado era então alimentado exclusivamente com leite para simbolizar que ele ainda era um bebê filosófico, recentemente renascido, agora fora da esfera da materialidade mundana. (Ver Frazer The Golden Bough .) Existe uma possível conexão entre esta dieta láctea prescrita pelo rito de Átys e a alusão de São Paulo sobre comida para bebês espirituais? Salústio dá uma chave para a interpretação esotérica dos rituais de Átys.


Poseidon, o Senhor dos Mares.

Cibele, a Grande Mãe, significa os poderes vivificantes do universo, e Atys esse aspecto da inteligência espiritual que está suspenso entre as esferas divinas e animais. A Mãe dos deuses, amando Atys, deu-lhe um chapéu estrelado, significando os poderes celestiais e a conexão com Deus, mas Atys (a humanidade), se apaixonando por uma ninfa (ser simbólico das propensões animais inferiores no ser humano), perdeu sua divindade e perdeu seus poderes criativos. É assim evidente que Atys representa a consciência humana e que seus mistérios estão preocupados com a recuperação dos poderes representados pelo chapéu estrelado. (Veja Salústio sobre os Deuses e do Mundo .)

Os ritos de Sabazius eram muito semelhantes aos de Baco e acredita-se que as duas divindades são idênticas. Baco nasceu em Sabazius ou Sabaoth, e estes nomes são freqüentemente atribuídos a ele. Os Mistérios Sabáticos eram realizados durante a noite, e o ritual incluía o desenho de uma cobra viva através do peito do candidato. Clemente de Alexandria escreve: “O símbolo dos Mistérios Sabáticos para os iniciados é “a divindade” (a serpente, o símbolo do CONHECIMENTO, que pode envenenar e matar o neófito) deslizando sobre o peito.

“Uma serpente de ouro era o símbolo dos ritos Sabáticos porque esta divindade representava a renovação anual do mundo pela energia solar. Os judeus emprestaram (n.t. quase tudo na cultura hebraica É EMPRESTADO de culturas muito mais antigas) o nome Sabaoth destes mistérios e adotaram-no como uma das denominações de seu Deus supremo. Durante o tempo os Mistérios Sabáticos foram celebradas em Roma, o culto ganhou muitos adeptos e mais tarde influenciou o simbolismo do catolicismo romano quando Constantino criou a Igreja católica em 315 aD.

Os Mistérios Cabiricos da Samotrácia (uma Ilha grega no norte do Mar Egeu) eram famosos entre os antigos, ficando ao lado dos Mistérios de Elêusis na estima do público. Heródoto declara que os samotrácios receberam suas doutrinas, especialmente as que dizem respeito a Mercúrio (Thoth, Hermes), dos pelasgos. Pouco se sabe sobre os rituais Cabiricos, pois estavam envoltos em profundo segredo. Alguns consideram os deuses Cabiri como em número de sete e se referem a eles como “os sete Espíritos de fogo diante do trono de Saturno (Cronos).” Outros acreditam que os Cabiri fossem os sete peregrinos sagrados, mais tarde chamados de planetas.


O Caduceu com as duas serpentes, símbolo de sabedoria na antiguidade.

Enquanto um grande número de divindades (Cabiri) estão associadas com os Mistérios da Samotrácia, o centro dramático dos rituais se situa em torno de quatro irmãos. Os três primeiros – Aschieros, Achiochersus e Achiochersa – atacam e assassinam o quarto – Cashmala (ou Cadmillus). Dionysidorus, no entanto, identifica Aschieros com Deméter, Achiochersus com Plutão, Achiochersa com Perséfone, e Cashmala com Hermes. Alexander Wilder observa que, no ritual da Samotrácia “Cadmillus é feito para incluir o deus serpente (deus da sabedoria, do conhecimento) Tebano (de Tebas, hoje Luxor, Egito), Cadmus, o Thoth do Egito, o Hermes dos gregos, e o Emeph ou Esculápio dos alexandrinos e fenícios.”

Aqui, novamente, esta mais uma repetição da história de Osíris, Baco, Adonis, Balder, e Hiram Abiff. O culto de Átis e Cibele também estava envolvido nos mistérios da Samotrácia. Nos rituais dos Cabiri pode ser traçado uma forma de adoração à arvore do pinheiro, pois esta árvore, sagrada para Atys, foi desbastada pela primeira vez na forma de uma cruz para, em seguida, ser cortada em honra do deus assassinado, cujo corpo foi descoberto embaixo da árvore.

“Se você deseja inspecionar as orgias dos Corybantes”, escreve Clemente de Alexandria: “Então, saiba que, depois de ter matado o seu terceiro irmão, se cobria a cabeça do corpo morto com um pano roxo, coroavam-no e levavam-no na ponta de uma lança, e o enterravam sob a base do Monte Olympus. Esses mistérios são, em suma, assassinatos e funerais. [Este Pai da IGREJA de Roma, antes de (Concílio de) Nicéia em seus esforços para difamar os ritos pagãos aparentemente ignora o fato de que, como o mártir Cabiri, Jesus Cristo foi abominavelmente traído, torturado e finalmente assassinado!]

Os Mistérios do Cabiri eram divididos em três graus, o primeiro dos quais celebravam a morte de Cashmala, nas mãos de seus três irmãos, o segundo, a descoberta de seu corpo mutilado, as partes que tinham sido encontradas e se reuniram depois de muita trabalho; e o terceiro – acompanhado por grande alegria e felicidade – sua ressurreição e a consequente salvação do mundo. O templo dos Cabiri na Samotrácia continha uma série de divindades curiosas, muitos deles criaturas disformes que representam os poderes elementais da Natureza, possivelmente, os Titans báquicos.

As crianças eram iniciadas no culto aos Cabiri com a mesma dignidade que os adultos, e os criminosos que chegavam ao santuário estavam a salvo de perseguição. Os ritos da Samotrácia estavam particularmente preocupados com a navegação, os Dioscuri – os irmãos Castor e Pólux, ou os deuses da navegação – estando estes deuses entre aqueles propiciados pelos membros desta seita. A expedição dos Argonautas, ouvindo o conselho de Orfeu, parou na ilha de Samotrácia com o objetivo de ter seus membros iniciados nos ritos Cabiricos.

Heródoto relata que quando Cambises entrou no templo do Cabiri ele foi incapaz de conter sua alegria ao ver diante de si a figura de um homem de pé e, de frente para o homem, a figura de uma mulher. Teria Cambises sido familiarizado com os princípios da astronomia divina, ele teria percebido que ele estava então na presença da chave para o equilíbrio universal. “Eu pergunto”, diz Voltaire,” quem eram esses Hierofantes, estes sacerdote sagrados, que celebravam seus antigos Mistérios da Samotrácia, e de onde vieram e os seus deuses Cabiri?'” (Ver Mackey Encyclopædia da Maçonaria .)

Clemente de Alexandria fala dos Mistérios dos Cabiri como “o mistério sagrado de um irmão morto por seus irmãos”, e da “morte Cabiri” como sendo um dos símbolos secretos da antiguidade. Assim, a “alegoria” (todos os ritos sagrados das antigas religiões são ALEGORIAS de conhecimento e sabedoria profundas da Criação Universal) do verdadeiro EU (Atma-Alma) assassinado pelo não-eu (o EGO humano temporário) é perpetuada através do misticismo religioso de todos os povos. A morte filosófica e a ressurreição filosófica são os Menores e os Grandes Mistérios, respectivamente.

Um aspecto curioso do mito da morte do deus é o do Enforcado. O exemplo mais importante dessa concepção peculiar é encontrada nos rituais nórdicos onde Odin se enforca por nove noites nos ramos da árvore do mundo e sobre a mesma ocasião também perfura seu lado direito com uma lança sagrada. Como o resultado deste grande sacrifício, Odin, enquanto suspenso sobre as profundezas do Nifl-heim, descobre, pela meditação, as runas ou o alfabeto rúnico pelo qual, mais tarde, vai registrar as façanhas e a história de seu povo (nórdico, os Vikings) que assim foram preservadas.

Devido a esta experiência notável, Odin às vezes é mostrado sentada em uma árvore da forca e ele se tornou o patrono de todos os que morreram enforcados. Esotericamente, o Enforcado é o espírito humano que está suspenso do céu por um único segmento. A Sabedoria, e não a morte, é a recompensa para este sacrifício voluntário, durante o qual a alma humana, suspensa sobre o mundo material da ilusão, meditando sobre sua irrealidade, buscando a redenção, desenvolve conhecimento, adquire sabedoria, usa o discernimento e assim é recompensada pela conquista da auto-realização.

A partir de uma análise de todos esses rituais antigos e secretos, torna-se evidente que o mistério do deus morrendo era universal entre as faculdades iluminadas e veneradas da doutrina (secreta) sagrada. Este mistério foi perpetuado no cristianismo na crucificação e morte do Deus-homem-Jesus, o Cristo. É importante que o segredo desta tragédia mundial e do Mártir Universal deva ser redescoberto se o Cristianismo (ou melhor dizendo, o catolicismo romano) quizer alcançar as alturas alcançadas pelos “pagãos” nos dias de sua supremacia filosófica.

O mito do deus moribundo é a chave para a redenção e a regeneração universal e individual de cada alma encarnada no planeta, e aqueles que não compreendem a verdadeira natureza desta suprema alegoria não têm o privilégio de ter algum conhecimento, discernimento e considerar-se sábio ou verdadeiramente um ser realizado espiritualmente.


Ecos da Atlântida são encontrados nas cerâmicas de povos europeus muito antigos, como em Jaen, na Espanha.

A Herança da civilização Atlante:

É possível que religião, filosofia e conhecimentos científicos dos sacerdotes de todas as civilizações ao longo do Mundo Antigo sejam uma herança da civilização Atlante que se aniquilou levando para o fundo do mar, quase sem deixar vestígios, uma grandiosa página da história da espécie humana. Os Atlantes adoravam o sol, devoção que foi perpetuada entre pagãos e mais tarde católicos. A cruz e a serpente eram, e ainda são emblemas sagrados que, entre os atlantes, representavam a sabedoria divina.

Mitologias de muitas nações falam de deuses que “vieram do mar e dos céus”. Entre nativos americanos, especialmente na América Central e América do Norte, os shamans falam de homens adornados com plumas (Gracianos do planeta Gracyea) e conchas que saem das águas oceânicas para instruir o povo sobre artes e os ofícios. Entre os caldeus [Mesopotâmia], existe Oannes, criatura meio homem, meio anfíbio, que sai do mar para instituir entre os selvagens os princípios da civilização: escrita, leitura, cultivo do solo, cultivo de ervas curativas, a ciência da astronomia, as formas de governo e os mistérios sagrados da religião. Também o “deus-Salvador” maia, Quetzalcoatl, (a Serpente Emplumada, cuja origem esta no planeta Gracyea) saiu do mar e, depois de instruir e civilizar o povo, subiu ao céu e voou, de volta às suas origens à bordo de um barco mágico conduzido por serpentes para escapar da ira do deus Tezcatlipoca.

Muitos estudiosos acreditam que esses “iniciadores”, “deuses-mestres”, semi-deuses que povoam as Eras Míticas, foram sacerdotes, homens de ciência ou apenas homens acostumados com tecnologia, artefatos e instituições da civilização que sobreviveram ao aniquilamento da Atlântida. Em todo o mundo, esses Mestres são lembrados como seres gloriosos, que usavam jóias, muito ouro, de sabedoria assombrosa e que tinham como símbolos do sagrado as recorrentes presenças da serpente (Sabedoria, conhecimento, discernimento) e da emblemática cruz (sacrifício).

Nos lugares onde viveram, esses Mestres sacerdotes da sabedoria antiga promoveram a construção de grandes edifícios e templos que remetem à descrição do Grande Santuário da Cidade das Portas Douradas em Atlântida. Essa poderia ser a origem das pirâmides do Egito, México e América Central e outras, pouco faladas, como as pirâmides Chinesas e na Bósnia; o mesmo se aplica aos mounds, as colinas artificiais da Normandia e da Bretanha e numerosas edificações piramidais espalhadas por todo o globo.


Stonehenge, uma herança da Atlântida?

Construções ciclópicas de templos e locais sagrados tais como Sacsayhuaman (Peru), Baalbek (Líbano), Stonehenge (Inglaterra), Teotihuacan (México), Miradol (El Mirador- Guatemala).

Possivelmente, o cataclismo que destruiu Atlântida aconteceu em meio a já um processo de colonização, de expansão territorial dos Atlantes pela Europa, África (Egito) e demais continentes.

Os Atlantes promoveram a primeira grande guerra do mundo (DESCRITA NO RAMAYANA, contra a antiga ÍNDIA, então conhecida como BHARATA); todas as outras guerras subseqüentes foram travadas como esforço infrutífero de justificar aquela primeira e consertar, compensar prejuízos sofridos. Antes da submersão da Atlântida, uma minoria de Iluminados, percebendo que sua terra estava definitivamente amaldiçoada, desviada do Caminho da Luz, após receberem orientação superior, cincoenta anos antes do afundamento final do continente, eles começaram a migrar para lugares distantes levando consigo a “Doutrina Secreta” de todos os saberes e os registros do mundo antigo e pré dilúvio, sendo o principal local de sua migração o delta do Rio Nilo, eles são os criadores da civilização do Antigo Egito.

A ocultista e pioneira da disseminação da Doutrina Secreta no Ocidente, H. P. Blavatsky, orientada pelos Mestres da Sabedoria Antiga (El Morya Khan e Kuthumi Lal Singh) escreveu sobre as causas esotéricas da destruição da civilização Atlante correspondente à Quarta Raça Raiz Humana, sendo a atual, a Quinta Raça Raiz:

“Sob a influência do mal [corrupção generalizada, até mesmo com sacrifícios humanos] a raça Atlante tornou-se uma nação de magos negros. A primeira conseqüência foi a guerra. Essencialmente, essa situação foi desfigurada em alegorias como a saga de Caim, os Gigantes semidivinos, Noé, sua retidão de caráter e sua missão de preservar as sementes da Humanidade em uma Arca”.

No final da existência da Atlântida, assim como será AGORA NO FINAL DESTE CICLO, a Natureza [a Grande Deusa] acabou com a guerra, prostituição, sacrifícios humanos, e a corrupção generalizada afundando a Atlântida em meio ao caos das erupções vulcânicas, imensos terremotos e maremotos com gigantescos tsunamis. A lembrança dessa tragédia atlante (humana) aparece em todos os livros sagrados antigos e contemporâneos como alegorias e ritos de mistérios, nos Dilúvios, de Gilgamesh, Utnapishtim, e no Antigo Testamento judaico-católico.

A herança Atlante, não é somente um tesouro de maravilhas: artes, tecnologia, ciências, filosofia, conhecimento, religião; também tem igualmente a sua cota de ódio, conflitos, intolerância, competição, discórdia, perversão, luxúria, egoísmo, tanto o positivo assim como o negativo também constituem um legado desses ancestrais (O MESMO MUNDO QUE ESTAMOS VIVENDO HOJE E QUE VAI TERMINAR DA MESMA FORMA, com a diferença de que será, desta vez, um EVENTO GLOBAL!!).

“Deus é a Verdade e a Luz é Sua sombra“. Platão

——————————————————————————

{nota: Nos registros de um antiquíssimo Templo budista em LHASA, no TIBET, há para ser visto uma antiga inscrição caldeia inscrita cerca de 2.000 anos a.C. (ou mais antiga ainda…) onde se pode ler:

“Quando a estrela Baal caiu sobre o lugar onde agora é só mar e céu, as sete cidades com suas portas de ouro e seus templos transparentes tremeram e balançaram como as folhas de uma árvore na tempestade. E eis que um dilúvio de fogo e fumaça surgiu a partir dos palácios, a agonia e os gritos da multidão preencheram o ar. Eles procuraram refúgio em seus templos e cidadelas e o sábio Mu, o hierático sacerdote de Ra-Mu, se levantou e lhes disse:

“Será que eu não previ tudo isso”?

E as mulheres e os homens em suas roupas brilhantes e pedras preciosas se lamentavam:

“Mu, salve-nos.”

E Mu respondeu:

“Vocês morrerão junto com os seus escravos e suas riquezas materiais e de suas cinzas surgirão novas nações. E se eles também se esquecerem que são superiores, não por causa do que eles usam ou possuem, mas do ( bem e a Luz) que eles colocarem para fora de si mesmos, a mesma sorte vai cair sobre eles!”


Muito em breve a história do final de Atlântida se repetirá, mas desta vez os eventos serão a nível GLOBAL.

As chamas e o fumo sufocaram as palavras de Mu. A terra das sete cidades e seus habitantes foram despedaçados e engolidos para as profundezas do oceano revolto em poucos dias”.}

Parte 3 de 3, final.

Mais informações sobre ATLÂNTIDA em:
  1. http://thoth3126.com.br/uma-vida-em-atlantida/
  2. http://thoth3126.com.br/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade/
  3. http://thoth3126.com.br/atlantida-restos-de-uma-imensa-cidade-encontrada-na-costa-de-cuba/
  4. http://thoth3126.com.br/a-historia-secreta-do-planeta-terra/
  5. http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/
  6. http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/
  7. http://thoth3126.com.br/atlantida-triangulo-das-bermudas/


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

66Share on Facebook (Opens in new window)66
5Click to share on Twitter (Opens in new window)5
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 13/05/2015

URL: http://wp.me/p2Fgqo-5an

Publicados:
http://rayviolet2.blogspot.com/2014/11/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade.html
http://rayviolet2.blogspot.com/2014/11/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade_9.html
http://rayviolet2.blogspot.com/2015/05/atlantida-e-os-deuses-da-antiguidade_13.html




Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Manly P. Hall

Atualização diária

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

   
Israel ou Cazária!?

achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government

Outubro 28, 2015

chamavioleta

Agharta e Area 51, um visitante na Terra Interior.

Por Greg Gavin.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com
abovetopsecret.com/onelight.com

 26/04/2015



Agharta e ÁREA 51, um visitante na Terra Interior.

Estes sistemas de túneis, que são transversais ao terreno ao seu redor, foram construídos por uma espécie de seres, uma civilização que existiu aqui na Terra bem antes do que nós, há um tempo muito, muito distante em nossa história.

Eu primeiro fui designado para servir militarmente na ÁREA 51, no estado de Nevada, desde 28 de Janeiro de 1971 até meados de 1982. Nesse período de serviço visitei o interior oco da Terra seis vezes, a até cerca de 800 quilômetros de profundidade.

“Portanto, não os temais; porque não haverá nada encoberto que não seja revelado, nem oculto que não seja descoberto”. Mateus, 10:26.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

abovetopsecret.com/onelight.com

Eu não vi isso ser postado, então aqui está o “Viajante à Terra (Oca) Interior“.



Estava postado em www.onelight.com (esse Link original saiu do ar logo após essa postagem).

A seguir está um relato incrível em primeira mão de um ex Coronel da Força Aérea dos EUA sobre o interior de nosso Planeta (e também sobre uma civilização existente no interior da Terra)

Esta informação foi recolhida, reunida e escrita com a permissão do Coronel a partir de uma gravação de conversas telefônicas feitas em 10 de janeiro de 2002 (Greg Gavin /www.Onelight.com)

- O meu nome é Willian (Billie) Faye Woodard, eu sou um Coronel (aposentado) da Força Aérea dos Estados Unidos. Minha Chegada à ÁREA 51 e a Doutrinação:

Eu primeiro fui designado para servir militarmente na ÁREA 51, no estado de Nevada, em 28 de Janeiro de 1971 até meados de 1982. Nesse período de serviço visitei o interior oco da Terra seis vezes, a até cerca de 800 quilômetros de profundidade. Após a minha chegada à ÁREA 51 fui doutrinado na existência de vários túneis sob a ÁREA 51, e logo depois eu conheci vários dos Operadores de Transporte Subterrâneo que têm uma estatura de 13 a 14 pés de altura (em torno de 4,20 metros de altura).

Estes sistemas de túneis, que são transversais ao mundo ao seu redor, são construídos por uma espécie de seres, uma civilização que existiu aqui bem antes que nós, há um tempo muito, muito distante. Imediatamente à minha chegada à ÁREA 51, eu fiquei consciente dos túneis e de todo o funcionamento da instalação subterrânea em si mesma. Disseram-me que os primeiros 15 níveis da instalação da ÁREA 51 havia sido feito pelos homens, pela nossa civilização e que os níveis mais profundos, os níveis 16 a 27 já estavam lá quando o homem atual chegou. Ninguém do nosso governo construíram-nos. Nós estávamos apenas reaproveitando-os.

O meu pai tinha sido um militar estacionado em ROSWELL. Como parte da minha indução para o serviço militar, pediu que eu também fosse estacionado junto com ele no Pentágono, quando para lá foi transferido. Lá eles me disseram “Nós temos um novo posto de serviço para você, que será nas instalações da ÁREA 51, em Nevada”, comumente referida também como Instalação S-4 (S-4 FACILITIES). Quando eu fui transferido para o Pentágono eu era um segundo tenente. Quando vim para o Pentágono eles me promoveram imediatamente para primeiro-tenente.

Sobre Roswell veja mais nos Links:
http://thoth3126.com.br/roswell-o-dia-depois-da-queda-de-um-ufo/
http://thoth3126.com.br/roswell-o-dia-depois-da-qaeda-de-um-ufo-de-final/

Após apenas 3 semanas de lá permanecer me entregaram a minha classificação e comissão completa ao posto de coronel, dizendo “você tem que ser um coronel completo para ser comissionado nesta unidade especifica da ÁREA 51. Havia 150 mil pessoas nesta instalação subterrânea naqueles dias e aproximadamente 85% eram de militares e o restante 15% de civis. Após a minha chegada, fui levado de transporte para os subterrâneos e nunca mais vi a luz do dia pelos próximos 11,5 anos em que lá permaneci trabalhando.


Concepção artística da Terra oca, do reino de Agharta.

Os Túneis e o sistema de transporte via Shuttles:
O paredes dos túneis são muito suaves. Se você fizesse um tubo oco através de uma bola de argila poderia se ter uma ideia de quão suave eram as paredes. Elas têm o que é comparado a um revestimento de mármore, que são feitos de uma substância metálica, impenetrável; a superfície das paredes não pode ser penetrada até mesmo por uma broca de diamante e nem um laser conseguira penetrar na sua superfície. Lembro que havia um momento em que nos habituamos a ver os movimentos das tropas militares do ponto A ao ponto B na superfície da Terra, continuamente. Isso não foi há muito tempo. Agora, raramente você vê isso.

Agora eles usam os imensos túneis subterrâneos para moverem todas estas tropas a longas distâncias. Os túneis são largos o suficiente para se conduzir grandes veículos. Partindo da ÁREA 51, sai um ônibus que vai para o Oceano Pacífico – 350 milhas distante (564 Km) daqui de Nevada para o oeste, de Monterey – onde há uma pirâmide, um outro ônibus vai para a instalação no interior das Montanhas Cheyenne (Colorado). O comprimento de uma máquina de transporte subterrânea (Shuttles) grande é aproximadamente de 1/4 de milha (cerca de 400 metros). Os habitantes dos subterrâneos fazem uso dessas máquinas – um transporte enorme para mover grandes números de pessoas / seres / qualquer coisa, muito rapidamente.

O menor tamanho dos veículos de transporte é de entre 50-60 metros de comprimento, este era o tipo em que eu viajava dentro. A velocidade dessa espécie de ônibus é mais rápido que a velocidade do som (1.225 Km/hora), eles podem viajar da ÁREA 51 para o interior principal da Terra muito rapidamente em termos de tempo na superfície da Terra. Em poucos minutos você estará lá.

O material usado para fazer os ônibus é a mesma substância que compõem a cobertura da nave espacial (UFO alienígena do tipo Greys do sistema solar de ZETA RETICULUM) que caiu e foi recuperada no acidente em ROSWELL em 1947. Os ônibus operam com energia eletromagnética usando a linha de Grade (Linhas Ley) de energia da Terra (o campo eletromagnético) o que os faz flutuarem sobre a superfície de rolagem sem haver atrito no veículo de transporte (maglev).



Os operadores altos a que já me referi anteriormente, que são de uma estatura de 13-14 pés (entre 3,90 a 4,20 metros) de altura, se parecem conosco em sua aparência, mas são muito mais evoluídos, e se comunicam através de telepatia. Os homens têm barba, a pele das mulheres dessa raça é impecável, de fato elas têm uma tez clara, alva, perfeita. Sua expressão como seres humanos é um exemplo para nós – como eles progrediram de onde estavam e para onde nós seres humanos estamos indo. Há sete civilizações que residem no interior da Terra – que são regidos pelos princípios da harmonia. Eles entendem e falam todas as línguas da superfície da terra. Sua compreensão do conhecimento médico do corpo humano é fenomenal.

Minha história pessoal:

Na idade de 12 anos, enquanto passeava por um campo de milho com um outro amigo, foi que eu tive uma experiência do tipo paranormal. Nessa oportunidade eu fui levado embora em um veículo do tipo UFO e transportado para o interior da Terra. Lá eu vivi por 6 meses entre os moradores da Terra Interior. Vocês podem imaginar o assombro dos meus pais, especialmente de meu Pai que estava no Serviço Militar, naquela época, quando eu desapareci misteriosamente, para voltar em seguida, após se passarem 6 meses. Foi devido a esta experiência que eu acredito e tenho a certeza que o meu Pai estava envolvido (em projetos secretos) e que fiquei sob sua guarda no Pentágono o que me conduziu mais tarde para servir na ÁREA 51.

Eu não sou filho biológico dele, mas sou sim uma criança adotada como o foi a minha irmã. Minha irmã foi morta por integrantes daquilo que é referido como o “Governo Secreto e Oculto“ que existe dentro e paralelamente ao (des)governo formal dos EUA.

Saiba mais: http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/

Eu era capaz de combater sua negatividade com a minha mente, que é muito forte, e sobreviver a seus ataques. Foi através do meu Guia da Terra Interior, Zora, um cientista do mundo interior, que tem uma idade muito avançada, que eu soube que era natural daquele mundo, da Terra Interior, junto com minha irmã, que ela e eu éramos originalmente do interior da Terra, que os nossos pais biológicos verdadeiros vivem no interior da Terra.

Quando o nosso Pai adotivo nos levou como crianças adotadas para a superfície, nós não falávamos nenhuma língua conhecida de qualquer cultura da civilização da superfície da Terra. Eu tenho um tipo de sangue desconhecido. Eu nunca tive uma doença de qualquer espécie. O meu sangue tem sido submetido a exames médicos periódicos e destrói toda e qualquer infecção viral (ou vírus) a que for submetido em laboratório, quando combinado com outras amostras de sangue em um ambiente de laboratório.


Uma foto excepcional tirada pelo satélite da NASA, ESSA 7, em 23 de Novembro de 1968. Quase não há cobertura de nuvens, os campos de gelo na superfície podem ser observados e o BURACO no POLO NORTE pode ser visto CLARAMENTE !

Vórtices de Energia (VRIL) da Terra Interior:

Os moradores da Terra Oca têm a capacidade de dividir o fundo do oceano e criar um vórtice de energia, como o que ocorre eventualmente na região chamada de o Triângulo das Bermudas. Há sete níveis diferentes de energia nesses vórtices, e muitos equipamentos e muitos seres são trazidos via esse tipo de teletransporte e colocados correspondentemente a esses níveis diferentes. Os vórtices agem como portas de entrada ou de saída para o interior oco da Terra.

Há mais de uma área semelhante ao Triângulo das Bermudas, próximo à Florida, a no Lago Erie, outro na costa do México, um ao largo do Japão, assim como outros locais geográficos da Terra. Estes portais são chamados de “Zonas de Silêncio”. Esses portais permitem que as criaturas do interior da Terra possam vir para fora e vice versa, assim como eventualmente outros seres como o Sasquatch (o lendário Pé Grande), etc … Todos os planetas são ocos assim como também é o Sol, que é realmente um planeta. Há civilizações no Sol que possuem colônias em regiões subterrâneas da Terra.

Buscando a Entrada:
Para localizar uma entrada para o interior da Terra, onde quer que você esteja no subsolo, tudo o que você precisa é da sua bússola. A bússola vai girar violentamente como se estivesse em pé no Pólo Norte, na entrada do túnel para o interior da Terra. Quando saí do Serviço Militar, eu não tinha mais um meio de ir para lá novamente, de retornar para a Terra Oca. Era necessário que eu encontrasse outro caminho. Então eu e mais alguns candidatos interessados a ir até lá, alugamos um avião que nos levou até a borda muito próxima do Pólo Norte.

O Povo do Interior da Terra:
O povo da Terra Interior foi muito livre para me mostrar tudo ao redor, muito articulados em me demonstrar o que exatamente está acontecendo – eles não retiveram nenhuma informação, nada ocultaram. Eles sempre pedem permissão ao trabalhar com a natureza, eles pedem permissão as plantas antes de consumi-las ou cortá-las, derrubá-las, eles pedem a Mãe Terra, antes de construir sobre ela.



Eles fazem suas construções de acordo com a configuração energética da terra que melhor atender às suas necessidades do ambiente, uma prática semelhante à dos índios peles vermelhas norte americanos, portanto, que procuram preservar um estado harmonioso em todos os momentos com o ambiente em que vivem. Eles tem um enorme respeito pela NOSSA MÃE TERRA; querem interagir e serem unos com a natureza em todos os momentos, pois eles são espiritualmente mais avançados do que nós, os habitantes da superfície e têm muito respeito pela Mãe Terra.

A atmosfera é cristalina, como regra, há menos nuvens às vezes, mas nada como as nuvens de chuva da superfície. A temperatura é uma constante em torno de 73° F (primaveris 23,3° Celsius). As pessoas na Terra Interior se comunicam diretamente pela telepatia com os animais, e os animais se comunicam diretamente com o povo da Terra Interior.

Não há necessidade de entesouramento, de se acumular ou reter qualquer tipo de bem material pelo medo de sua falta, pois tudo é livre, sem necessidade de se produzir algo (sinteticamente falando) em abundância, pois tudo é amplo e irrestrito. Um processo de troca é muito mais comum que a utilização de dinheiro.

Esta é basicamente uma cultura utópica sem uma depressiva liderança que conduza à violência e disputa. Sem partidos políticos e também (e muito melhor) sem os políticos que procuram fazer a guerra e ganhar o domínio e mais poder de uns sobre os outros. Não há nenhum indivíduo mais rico nem mais pobre do que os demais.

Há aeronaves/espaçonaves (n.t. termo que na superfície seria usado como discos voadores-UFOs, mas que são apenas Merkabahs, um veículo de Luz), no qual uma parte deles mesmo, UMA PARTE DA CONSCIÊNCIA DO PILOTO (ou sua consciência total), uma parte de sua personalidade e consciência humana interage para a criação da aeronave através do processo de pensamento (um sistema de propulsão SIMBIÓTICO com a mente do condutor), devido às suas mentes muito poderosas. Isso torna o sistema das aeronaves perfeito no projeto, na execução e na condução da mesma quando em movimento, pois a conexão com a mente do piloto é contínua e instantânea. Sobre comandos SIMBIÓTICOS espaçonave-piloto ver mais em:
http://thoth3126.com.br/apolo-xx-missao-secreta-nave-mae-gigantesca-e-cidade-alienigena-na-lua/
http://thoth3126.com.br/roswell-entrevista-com-o-coronel-philip-j-corso/
http://thoth3126.com.br/area-51-entrevista-de-david-adair-parte-2/
http://thoth3126.com.br/roswell-o-dia-depois-da-qaeda-de-um-ufo-de-final/

Apenas algumas pessoas da superfície têm essas habilidades semelhantes para criar, e são raros esses indivíduos, devido à repressão dessas habilidades em nossa “civilização normal“, na infância pelos pais, pela religião, a educação, política e os medos da família (dos pais ignorantes que temem e rejeitam às vezes os dons dos seus próprios filhos).

As pessoas da Terra Interior são autorizados a entrar no espaço de sua própria imaginação, se quiserem, e nesse estado mental eles criam. A doença não entrará em seus corpos jamais – pois isso não é permitido.

Na medida em que a nossa humanidade da superfície ir penetrando na sua PRÓXIMA fase evolutiva da 4ª dimensão (desde 21 de Dezembro de 2012 final do 13º Baktun do calendário MAIA e fim da contagem, da sensação da passagem do tempo como o conhecemos, aceitamos e criamos na superfície), o povo do interior da Terra começara a vir para a superfície abertamente e vai trabalhar mais profundamente conosco (com aqueles) que estiverem evoluindo dentro da moribunda “civilização” da superfície.

As pessoas na superfície do planeta estão atualmente tão envolvidas com o ilusório, o mundo material transitório e passageiro, os sentidos do seu pequeno “eu”, da personalidade humana EGOÍSTA E TRANSITÓRIA (Tu ÉS PÓ e ao PÓ voltarás) que nós ainda sequer conseguimos viver juntos em harmonia em nossa dita avançada atual “civilização” da superfície planetária…

Pessoas desse mundo moribundo da superfície que procuram alcançar os habitantes do interior da Terra através da meditação, da sua própria evolução pessoal, esses irão contatá-los (muitos já assim o estão fazendo) e até mesmo visitá-los, não necessariamente levando seus corpos físicos. Crianças que estão nascendo agora estão se tornando mais capazes de usar a energia da totalidade de seu cérebro, o que é uma prática comum na Terra Interior.

Uma das primeiras coisas que eles nos mostraram na Terra Interior foi a sua capacidade de viagens interplanetárias e viagens no tempo. A base da viagem no tempo é semelhante a teoria de dobra do espaço, que vem através do poder da meditação e pela aceitação de se ser um ser ilimitado. Se você treinar e desenvolver a sua mente em um nível superconsciente em que você é um ser ilimitado todas essas coisas lhe serão possíveis.


O Monte SHASTA, na Califórnia, com duas enormes cloud spaceship pairando sobre o seu cume.

Na superfície, as capacidades de experimentar este poder infinito são mais facilmente despertadas em certos portais/locais sagrados como o do Monte Shasta (em Sacramento, Califórnia), que serve como um portal do tempo/espaço diretamente para o interior da Terra. Uma vez se estando nos arredores do Monte Shasta você é atraído para o “estado harmonioso”. Em minhas experiências no Monte Shasta percebi os residentes na cidade subterrânea de TELOS, abaixo e próxima ao local, que estão na sua civilização subterrânea naquela área, projetando uma aura de grande harmonia em um ambiente encantador NA SUPERFÍCIE.

A ÁREA 51:
De tudo o que vi na ÁREA 51, 95% permanece oculto do público em geral. Conhecer a ÁREA 51 é como ir para um outro mundo paralelo ao mundo normal, onde existe muito medo de que os outros países e outras partes estão conseguindo obter informações “sobre” o local. Os seus pensamentos são de que “se admitirmos que a Terra é oca, com uma central de inteligência nele, isso vai causar discórdia e medo”. Este processo do medo é gerado pelas empresas privadas que buscam controlar e fazer avançar suas próprias necessidades e agendas pessoais através da tecnologia desenvolvida na ÁREA 51, invariavelmente comprometida com a guerra e o domínio.


Acima: Um mapa esboço demostrando as principais Bases Subterrâneas e o sistema de TÚNEIS (os traços contínuos) QUE AS CONECTAM ENTRE SI, em todo o meio oeste dos EUA se estendendo até a costa do Pacífico, na Califórnia e ao México. Existe uma rede de túneis subterrâneos que percorrem todo o caminho sob a Europa, sob a América do Sul (dentro dos Andes existem várias câmaras secretas…) – e sob vários locais de outros continentes. E há uma mistura desta grande rede de túneis em todo o mundo, dos quais muitos governos dos principais países as conhecem e as usam.

Deixei a Força Aérea, devido ao seu modo dominador por aqueles que buscavam e agiam como loucos por mais controle, que estavam estagnando minha capacidade para pensar e agir de forma criativa. Em aceitar as suas ordens para não falar sobre tais informações, eles tomam como certo que você irá automaticamente obedecer-lhes. Por causa do meu desejo de saída do serviço e minha ideia de compartilhar as informações e informar ao público em geral sobre a Terra Interior e sobre a ÁREA 51 todos os meus benefícios e direitos, como o uso do comissário, serviços odontológicos e médicos, foram completamente cancelados em represália.

Eu estive no serviço militar durante 13 anos e meio, do serviço básico até chegar ao Pentágono e, em seguida, para ser enviado com a patente de coronel para a ÁREA 51. A engenharia genética que está ocorrendo nos laboratórios secretos subterrâneos da ÁREA 51 é feita com a nossa geração mais jovem. Os “filhos perdidos das caixas de leite” cujas fotos eram comumente vistas expostas nas embalagens de leite nos supermercados no passado, foram seqüestrados, raptados em seus locais de origem e levados para a ÁREA 51 (onde sofreram experimentação genética e biológicas dos mais variados tipos).

No Nível 16 da ÁREA 51 é o nível de engenharia genética, onde aqueles do “governo secreto” estão usando os nossos filhos da superfície para a experimentação genética em longevidade e desenvolvimento dos poderes da mente e outras experiências não tão benéficas.


O “governo secreto”que controla e “realmente governa” os EUA estão usando os nossos filhos da superfície que foram sequestrados para a experimentação genética em experiências sobre longevidade e desenvolvimento dos poderes da mente e outra experiências não tão benéficas como a hibridização com outras raças alienígenas.

Os “filhos perdidos das caixas de leite”, as crianças desaparecidas nos EUA:

A principal força por trás disso é o que é denominado como o “governo secreto e oculto“ (Saiba mais: http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/ e demais partes) dentro do (des)governo formal dos EUA. Há civis do Governo Secreto, que estão no controle em diversas áreas da ÁREA 51.

Existe uma rede de túneis subterrâneos que percorrem todo o caminho sob a Europa, sob a América do Sul (dentro dos Andes existem várias câmaras secretas…) – e sob vários locais de outros continentes. E há uma mistura desta grande rede de túneis em todo o mundo, dos quais muitos governos dos principais países as usam. Agora basta e que Deus os abençoe e que ELE esteja sempre com vocês.

http://www.abovetopsecret.com/forum/thread264771/pg1

http://www.thenewearth.org/InnerEarth.html

Saiba mais em:
  1. http://thoth3126.com.br/agharta-o-mundo-intra-terreno-em-nosso-planeta/
  2. http://thoth3126.com.br/brasilia-jk-akhenaton-eo-egito/
  3. http://thoth3126.com.br/geometria-sagrada-a-flor-da-vida-e-a-linguagem-da-luz/
  4. http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
  5. http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
  6. http://thoth3126.com.br/a-conexao-terramaldekmarte-em-gize-cydonia-e-teotihuacanmirador/
  7. http://thoth3126.com.br/vietnam-gigantesca-caverna-descoberta/
  8. http://thoth3126.com.br/grand-canyon-misterios-de-uma-imensa-caverna-revelados/
  9. http://thoth3126.com.br/pedra-da-gavea-uma-esfinge-no-brasil/


Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

575Share on Facebook (Opens in new window)575
11Click to share on Twitter (Opens in new window)11
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 26/04/2015



URL: http://wp.me/p2Fgqo-xA

-- *** --

Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um.

Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Greg Gavin

Atualização diária

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?

achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government

Outubro 23, 2015

chamavioleta

Vimanas, UFOs

 descoberta uma peça muito antiga.

By Terrence Aym

Uma peça manufaturada de Alumínio com a idade de 20 mil Anos, um trem de pouso de um “Vimana” (uma antiga espaçonave) da antiga ÍNDIA – Bharata – foi descoberto. 

http://beforeitsnews.com/


Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com


Publicado anteriormente a  23/04/2015




Uma peça manufaturada de Alumínio com a idade de 20 mil Anos, um trem de pouso de um “Vimana” (uma antiga espaçonave) da antiga ÍNDIA – Bharata – foi descoberto.

Alguns estudiosos estão convencidos de que uma antiga e avançada civilização existiu onde a moderna e atual nação da Índia existe hoje. Eles reclamam que as cidades-estado pré-históricas (pré-dilúvio) tinham tecnologias muito avançada, incluindo armas de alta energia, aviões a jato, espaçonaves e até mesmo a bomba atômica.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Uma peça manufaturada de Alumínio com a idade de 20 mil Anos, um trem de pouso de um “Vimana” (uma antiga espaçonave) da antiga ÍNDIA – Bharata – foi descoberto.

http://beforeitsnews.com/

By Terrence Aym (Reporter) Contributor profile

Agora, um artefato deslumbrante e fabricado tecnologicamente em passado remoto foi identificado por alguns pesquisadores como uma parte de um conjunto do trem de pouso de aeronaves, datado com cerca de 20 mil anos de idade, e feito de um metal que não foi descoberto pela nossa civilização atual até o início dos anos de 1800.



Por muitos anos, alguns pesquisadores da antiga Índia e da Ásia têm tentado convencer os céticos ocidentais de que os chamados textos religiosas do Rig Veda também são narração de FATOS da história realmente descritiva e autêntica. Dando credibilidade às suas reivindicações existem vários artefatos manufaturados encontrados ao longo dos últimos anos e descrições detalhadas da engenharia de aeronaves vimanas e da sua construção.

A incrível descoberta na década de 1990 dos restos de uma antiga cidade no norte da Índia, cujo local ainda era altamente radioativo enviou alguns arqueólogos correndo para o local da descoberta.

E então, um artefato muito estranho, o Wedge of Aiud (Cunha de Aiud), descoberta em 1973, foi visto com um novo olhar: uma antiguíssima peça de metal usinado feita de uma liga de alumínio (metal não encontrado na natureza). Originalmente se pensava que tivesse cerca de 400 anos, mas novos e mais modernos testes têm determinado que sua idade é de 18.000 a.C., a partir do Pleistoceno, cerca de 20.000 anos antes da descoberta do alumínio nos atuais tempos modernos.

Mais estranho ainda, alguns especialistas acreditam que o artefato pode ser parte de um trem de pouso de algum tipo de espaçonave… Possivelmente de um dos antigos Vimanas indianos, as máquinas voadoras descritas nos textos sagrados do RigVeda .



As super cidades-estados pré-dilúvio perdidas.

As provas que vem se acumulando durante os últimos séculos acrescenta credibilidade à ideia de que super cidades-estado cresceram na região em algum momento no final da última Idade do Gelo. A melhor evidência para a localização de algumas dessas cidades – que poderiam ter gerado a civilização pelo mundo se encontra no norte da Índia e sul do Paquistão, e num trecho desolado do deserto de Gobi, na Mongólia, ao noroeste da China.

Essas culturas tão avançados se diz terem possuído uma tecnologia muito elevada, igual e superior em alguns aspectos à do século 21.Textos antigos se referem a edifícios imponentes, vários tipos de aeronaves, um elevado nível de ciência e engenharia, e até mesmo uma arma que os físicos de hoje acreditam que foi usado pela primeira vez nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial: a bomba atômica.

Pode ser que essas culturas avançadas se eliminaram umas às outras por se envolver em uma guerra nuclear limitada. Evidências colhidas ao longo das últimas décadas apontam nessa direção. Talvez, depois de uma série de ataques devastadores, a rede remanescente dessas antigas e avançadas culturas desabou, sucumbindo às devastações da depressão econômica, deslocamentos da população (ao abandonar as cidades radioativas) e doença.

Ilustração de um vimana por David H. Childress

As máquinas (Vimanas) antigas que voavam

De acordo com os reverenciados textos indianos dos Vedas, escritos em sânscrito, os Vimanas e ram máquinas voadoras. A palavra vimana é usada ainda hoje na linguagem moderna indiana para se referir a aeronave. Enquanto a maioria dos vimanas eram usados para o transporte através da atmosfera, alguns foram descritos como sendo usados para viajar no espaço exterior, enquanto outros eram uma forma limitada de submarino.

Assim como aeronaves modernas, os vimanas tiveram várias configurações e tamanhos, dependendo do que eles foram projetados para realizar. Alguns tinham dois motores, como a agnihotra-vimana , outros, como a gaja-vimana , tinham mais. Ao todo, podem ter sido tantos tipos como uma dúzia de tipos diferentes de vimanas todos projetados para diferentes fins. A maioria deles voavam.

Se assim for, os vestígios de uma ou mais dessas culturas pode ter servido para alimentar a lenda da grande cidade de Atlântida que aparece nos diálogos de Platão, Timeu e Crítias escritos por volta de 360 a.C. Após o colapso dessas cidades-estado, o restante da Humanidade caiu na barbárie e conhecimento da tecnologia fantástica se transformou em mito. Este ponto de vista é suportado pelo fato de que algumas das primeiras pinturas nas cavernas revelam um maior nível de sofisticação do que aquelas que foram criadas centenas de anos mais tardiamente. A raça humana regrediu e as glórias das super-cidades estado foi ocultada pelas brumas rodopiantes do tempo.


Um Ataque atômico … Há 20.000 anos

Vestígios de uma antiga guerra atômica entre avançadas e poderosas cidades-estado ainda permanecem no norte da Índia, Paquistão e em partes do grande Deserto de Gobi, na Mongólia. Os cientistas sabem há muitos anos sobre a extensão de areia vitrificada que cobre uma região do Deserto de Gobi. A areia fundida, de cor esverdeada, só pode ser criada através da exposição a um calor intenso. Geólogos acreditam que a areia se tornou vitrificada pela exposição à ação vulcânica; astrônomos afirmam que um grande meteoro poderia ter feito isso; e os físicos perguntam se o vidro não foi causado por uma explosão atômica.

Esses três incidentes são as únicas coisas que poderiam ser responsáveis pela existência da região de areia vitrificada, que se situa nos trechos solitários da terra árida. Mas as origens vulcânicas estão fora, pois que não existem vulcões na região. E também não existe evidência de uma cratera meteórica ou resíduo que seria encontrado se uma rocha do espaço batesse no deserto e deixasse cicatrizes no terreno e queimasse a areia ao ponto de fusão em vidro.


Vestígios de uma antiga guerra atômica entre avançadas e poderosas cidades-estado ainda permanecem no norte da Índia, Paquistão e em partes do grande Deserto de Gobi, na Mongólia.

O processo de eliminação deixa apenas uma explosão atômica para explicar a estranha condição da areia, uma região vitrificada onde nada nasce e cresce. Suportando a teoria atômica existe o fato de que uma parte da área do terreno tem um maior nível de radiação de fundo fora da área afetada semelhante. É quase como se algo que existisse na região deserta e foi vaporizado por uma explosão como as explosões que destruíram Hiroshima e Nagasaki.

Outra descoberta que confirma a existência de uma avançada civilização de cidades-estado tecnologicamente avançada cerca de 20.000 anos atrás, foi a descoberta impressionante dos restos de uma antiga cidade, Mohenjo-Daro, no estado noroeste do Rajastão, na Índia. O local foi encontrado quando começou a construção para o desenvolvimento de novas habitações.


O local foi encontrado quando começou a construção para o desenvolvimento de novas habitações.

O que surpreendeu os arqueólogos foram os restos carbonizados de edifícios parcialmente derretidos e os esqueletos radioativos que foram cobertos por uma espessa camada de cinzas – confirmado mais tarde como tudo sendo radioativo. As cinzas cobriam uma área quadrada de três milhas. Outra pesquisa mostra que existiam várias cidades-estado principais e que pelo menos duas ou mais estavam em guerra uns contra os outros. Enquanto muita atenção tem sido focada nas pesquisas arqueológicas das cidade-estado do norte da Índia, pouco tem sido gasto investigando os restos da antiga explosão atômica no Deserto de Gobi.


Sitio arqueológico de Mohenjo-Daro, onde foram encontrados altos níveis de radioatividade e esquelestos radioativos.

A antiga região é considerada por alguns professores universitários locais como sendo uma precursora da civilização mais moderna chamada de Matsya, outro antigo estado da civilização védica. A cultura Matsya acredita-se estar associada a um estado anterior chamado de Jaipur. Outro texto indiano, o Mahabharata , considerado por alguns estudiosos para apresentar mais do que fato de mito, contêm passagens que descrevem em detalhe o ataque atômico sobre a cidade que a equipe de construção acidentalmente descobriu:

“Um projétil único carregado com todo o poder no Universo … Uma coluna incandescente de fumaça e chamas tão brilhantes quanto 10.000 sóis, subiram em todo o seu esplendor … Ela era uma arma desconhecida, um trovão de ferro, um gigantesco mensageiro da morte, que reduziu às cinzas uma raça inteira. “Os corpos estavam tão queimados a ponto de ser irreconhecíveis. Seus cabelos e unhas caíram, a cerâmica quebrou sem causa aparente, e os pássaros ficaram brancos . “Depois de algumas horas, todos os alimentos estavam infectados. Para escapar deste fogo, os soldados se jogavam no rio.”



Esqueletos com radiotividade de pessoas mortas em explosão atômica na antiga Índia.

Essa antiga conflagração atômica descrita no livro sagrado do Mahabharata foi tão terrível e mortal como o ataque sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki em agosto de 1945. Apesar do texto sugerir o ataque de uma arma nuclear por um míssil, antigos escritos indianos também descrever em detalhes surpreendentes, as máquinas voadoras chamadas vimanas . Os textos descrevem as características de vôo, a construção, o grupo motopropulsor (um híbrido jato foguete movido por motores de plasma de mercúrio), e especificações de engenharia dos Vimanas. A misteriosa Cunha de Aiud pode ter vindo de um vimana .



O Enigma do trem de pouso de alumínio de um “Vimana” com 20 mil anos: ‘A Cunha de Aiud’

Perto das pitorescas margens do rio Mures localizado a pouco mais de uma milha a leste da pequena cidade de Aiud, na Roménia, um artefato bizarro foi descoberto apelidado de Cunha de Aiud. O Pesquisador Boczor Iosif investigou a respeito encontrou a informação de que a cunha foi descoberta debaixo de 35 pés de areia. Dois ossos de mastodonte alegadamente também se encontravam perto da cunha.

Um relatório de Lars Fischinger declara que ele e um colega, o Dr. Niederkorn, analisaram a cunha no Instituto de Pesquisa e Design. Eles determinaram que o artefato era de uma liga metálica composta de 12 metais diferentes.

O relatório lista que o alumínio era o metal com a maior composição com cerca de 89% do objeto, o resto dos metais eles listaram como sendo: 6,2% de cobre, 2,84% de silício, zinco 1,81%, 0,41% de chumbo, estanho 0,33%, 0,2% de zircônio, cádmio 0,11%, 0,0024% níquel, 0, 0023% de cobalto, bismuto 0,0003% , de prata 0,0002% e vestígios de Galium. ”



Florian Gheorghita, segurando a Cunha de Aiud

Os resultados do teste confundiram os dois pesquisadores pois que o metal alumínio não foi descoberto até o início dos anos de 1800. O Dr. Fischinger observa que a produção comercial de alumínio requer a fundição do minério em temperaturas de até 1.000 graus Fahrenheit.

Inicialmente, o objeto foi pensado para ter apenas cerca de 400 anos. Isso mudou drasticamente quando ele foi analisado cuidadosamente na quantidade de oxidação que cobre a cunha. Eles reajustaram a idade da peça em milhares de anos a mais para o passado.

É agora estimado que a Cunha de Aiud pode datar de 18.000 a.C. e essa data coincide com a idade dos vimanas descritos nos Rig Vedas da antiga ÍNDIA. Após os resultados do teste das analises, a cunha foi enviado para o Museu de História na Transilvânia, Romênia, onde hoje se situa em uma prateleira, sem perturbações, por mais de duas décadas.

Finalmente, em 1995, outro pesquisador romeno, Florian Gheorghita, se deparou com o artefato no porão do museu. A cunha foi testada novamente. Desta vez, em dois laboratórios diferentes: o Instituto Arqueológico de Cluj-Napoca e um laboratório independente na Suíça. Os testes confirmaram os resultados a que chegaram Fischinger e Niederkorn.



Esboço por Florian Gheorghita do artefato em questão

Gheorghita escreveu na publicação Ancient Skies que pediu a um engenheiro aeronáutico para estudar o artefato. O engenheiro observou a configuração e o buraco perfurado na cunha e afirmou que um padrão de escoriações e arranhões no metal o levou a acreditar que a peça era parte de um trem de pouso de uma aeronave. Um esboço foi feito para ilustrar a configuração.

Uma vez que as antigas cidades-estado tinham um sistema de transporte avançado - talvez até mesmo com veículos espaciais – era fácil navegar pelo mundo apenas como as “aeronaves modernas” fazem hoje.

A evidência de engenharia metalúrgica apoia a teoria de que a misterioso Cunha de Aiud é um pedaço de um trem de pouso, que caiu de um vimana antigo há cerca de 20 mil anos atrás na atual Romênia e ficou soterrado por milênios sob os bancos de areia do rio Mures, que o engoliu. Talvez um dia a terra venha a revelar mais de seus antigos segredos, espero que seja um vimana inteiro – e intacto.



Esboço por Florian Gheorghita do próprio artefato

UPDATE: Um leitor do Beforeitsnews, John Cooper, chamou minha atenção para uma foto que ele postou em sua página no Facebook ( clique aqui para ver em tamanho real a foto ).

Esta é uma construção modular para um conjunto do trem de pouso. Observe as semelhanças entre os footpads do trem de pouso em sua foto e a semelhança dos esquemas de engenharia feito por Florian Gheorghita da Cunha de Aiud.


Esta é uma construção modular atual para um conjunto do trem de pouso.

Muitos agradecimentos a John Cooper por fazer esta foto disponível para os leitores do nosso site. – Terrence Aym.

Mais informação sobre VIMANAS: http://thoth3126.com.br/vimanas-ufos-da-antiga-india-baratha/

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

632Share on Facebook (Opens in new window)632
11Click to share on Twitter (Opens in new window)11
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 23/04/2015


URL: http://wp.me/p2Fgqo-1gq

-- *** --

Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um.

Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Terrence Aym

Atualização diária

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?

achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government

Outubro 18, 2015

chamavioleta

Dentro do Monte Shasta, em Sacramento, Califórnia, EUA, em uma visita ao reino da Terra Interior, à cidade de Telos, no reino de Agharta.

Tradução, edição e imagens: 

 Thoth3126@gmail.com 

 Publicado anteriormente a19/10/2014



Nosso movimento orbitando ao redor da superfície do planeta Terra parecia estar diminuindo e então fomos para baixo. Eu era capaz de discernir cada vez mais detalhes e movimento na superfície planetária durante a descida. Nós finalmente paramos completamente e então as imagens se apagaram da minha vista.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Uma mulher descreve a sua mística visita ao interior da terra sob a montanha do Monte Shasta, em Sacramento, na Califórnia, EUA.

http://onelight.com/telos/vishasta.html

TERCEIRA PARTE – FINAL

Dentro do Monte Shasta,em Sacramento, Califórnia, EUA, em uma visita ao reino da Terra Interior, à cidade de Telos, no reino de Agharta.

Eu percebi uma queda em meu nível de energia em função da vasta gama de emoções que eu tinha acabado de experimentar, mas senti que essa não havia sido a primeira vez que eu tinha estado neste tipo especial de arena emocional. Muito do que eu tinha visto e experimentado me fez sentir uma conexão familiar para com o que eu havia visto. Era quase uma daquelas experiências de “Déja vu”, de sensações de familiaridade com o que eu havia visto, mas sem sentido aparente de perda, culpa ou de arrependimento.

Foi neste momento que tentei falar e fazer milhões de perguntas para Mikel sobre o que havia se passado. Eu me sentia como o repórter inexperiente no meu primeiro grande trabalho e comecei quebrando a cabeça para encontrar as palavras para fazer as perguntas certas (inteligentes?) para Mikel. Eu não precisava ter me preocupado tanto, pois antes que eu pudesse limpar minha garganta suficientemente e abrir minha boca para fazer perguntas, Mikel passou a explicar alguns dos motivos para os quais esta viagem no tempo com a máquina tivesse acontecido.



A essência da explicação de Mikel para a viagem era de que, para que os trabalhadores da Luz no futuro (n.t. Cerca de 50 anos à frente desde o momento em que os fatos narrados por M aconteceram, nos anos de 1960, portanto O NOSSO PRESENTE) pudessem ter uma compreensão mais clara quando determinados eventos começassem a acontecer no futuro (isto é, OS DIAS DE HOJE), seria muito útil a impressão de experiências de fatos vividos no passado para ser reforçado e despertado na psique dos mesmos. Ele começou a dizer que aqueles que são trabalhadores da Luz e que estariam trabalhando para os desígnios da Luz naquele momento (os dias de HOJE), encontrariam um reforço e motivação benéficos para o próprio despertar no seu processo de recordação de quem são e para que estão vivos, ganhando compreensão e soluções para os eventos que enfrentarão no futuro (nosso presente).

Mikel explicou ainda que o processo de revisitação que eu tinha experienciado não seria necessariamente o mesmo processo usado para trazer de volta a memória para todos, (referente a eventos que estavam sendo preparados para que cumpríssemos com a missão), para todos os que estiveram envolvidos ou que se envolveriam. Ele explicou ainda que alguns daqueles destinados a trabalhar para a Luz durante as próximas mudanças planetárias ainda não haviam chegado (nascido) no Planeta Terra (a história se passou na década dos anos de 1960).

Ele falou de livros que foram escritos e experiências que seriam compartilhadas e teorias de expansão da consciência (teorias que mais tarde provariam ser factuais) não só na tentativa de despertar a memória, mas para facilitar aos cidadãos do Planeta Terra sentir com padrões de pensamento que lhes permitiriam aceitar mais facilmente o que estava para surgir à sua frente. Ele disse que muitos filmes seriam produzidos em um esforço para sugerir ou implantar na consciência de massa não só a possibilidade, mas a probabilidade futura de encontros com aqueles que poderiam parecer ser “diferentes” da humanidade da superfície.

Enquanto ele falava, eu voltei para trás relembrando ter visto o que eu achava que era o planeta Saturno no início da viagem. Eu me perguntava por que a viagem no tempo começou daquele modo, lá fora, e quais eram as implicações. Ele então me levou de volta para a idade que tinha entre 5 e 6 anos, quando eu estava vivendo com uma tia e um tio em uma fazenda em Iowa. Os nossos quartos estavam todos no andar de cima e, durante os meses de verão a minha tia colocaria minha cama contra uma janela para que eu pudesse pegar um pouco da brisa que havia. Lembro-me de que ali, noite após noite, olhando para o céu e me perguntando o que eu estava fazendo aqui embaixo na Terra e quando “Eles” viriam para me levar para casa. Eu mesmo, às vezes, ouvia uma suave voz que me dizia que isso aconteceria em breve.



Mikel ficou calado e tranquilo enquanto eu caminhava pela estrada rebuscando minhas memórias e quando eu tinha terminado, ele pegou a minha mão e me disse que ainda não era hora de eu voltar para casa – mas que era hora de eu começar a me lembrar do trabalho que estava por vir. Naquele momento eu percebi que havia muito mais em minha conexão com Mikel e o Monte Shasta do que eu jamais havia imaginado. Não tinha noção de que tipo essa conexão poderia ser, mas sabia que estava lá enraizada profundamente em meu interior. Eu mantive meus flashes de memória em minhas encarnações passadas que estiveram correlacionados com os eventos que foram mostrados para mim na medida em que orbitamos o planeta e me vi emergindo incontáveis vezes da escuridão do espaço para a radiação emitida pela Mãe, o Planeta Terra, numa sucessão interminável de vidas…

Eu era uma visitante ou, talvez, uma imigrante a quem tinha sido dada uma folga, eu era uma trabalhadora da Luz residindo e trabalhando neste planeta, nesta dimensão. Talvez isso explicasse a sensação que sempre tive de pertencer a outro lugar, que eu não pertencia à Terra. Eu queria falar mais sobre esses meus sentimentos e de uma centena de perguntas que ficavam pulando na minha cabeça em tal velocidade que elas estavam colidindo umas com as outras, mas Mikel pegou meu braço e me dirigiu em direção à porta pela qual entramos. Seguimos para fora do tubo e voltamos para o que eu vou chamar de o salão do tubo. Olhei para o relógio e descobri que tinha estado no tubo um pouco menos de uma hora.

Meus joelhos se sentiram fracos e eu experimentei uma leve tontura quando saímos do tubo. Mikel explicou que o mal estar passaria e me instruiu a fazer algumas respirações profundas e lentas. Ele colocou sua mão direita na minha barriga (que mais tarde descobri é o local do Chakra do Plexo Solar- o Manipura, o das emoções) e a mão esquerda na parte de trás do meu pescoço. Ele, então me curvou para à frente pela cintura e me disse para inspirar enquanto eu lentamente voltava à posição ereta.

Ele me fez repetir o exercício várias vezes. Quando ele tirou as mãos, Eu não estava mais sentindo as tonturas. Ele disse que sabia que a tontura tinha sido desconfortável para mim em minhas visitas, mas me garantiu que eu não iria mais experimentá-las. Ele me avisou que eu poderia agora experimentar alguns ligeiras reações físicas quando voltasse para o mundo exterior – ele estava certo – pois assim foi..

Saímos do salão do tubo e lá estava um dos veículos pequenos de dois lugares que nós havíamos usado antes, aguardando por nós. Mikel me indicou um assento e nós começamos a buscar o nosso caminho. Ele nos levou através de uma miríade de túneis que quase me deixou tonta novamente. Viramos a partir de uma passagem para outra, e às vezes eu me perguntava se estávamos andando em círculos. Tenho certeza de que não, nós apenas fizemos muitas voltas e um túnel se parecia muito com outro, exceto pela largura e altura e alguns eram úmido e frio ao mesmo tempo enquanto outros apresentavam ar muito quente.



Ele finalmente parou o pequeno veículo para descansar e eu estava feliz por isso porque o meu estômago estava ficando um pouco enjoado. Nós descemos do veículo e nos dirigimos para uma pequena abertura que eu assumi levar a outra passagem. Mikel se afastou para me permitir entrar antes dele. Entrei em uma pequena área, uma passagem que parecia ser um pequeno beco sem saída. Mikel veio ao meu lado e tocou uma área na parede distante e outra entrada apareceu. No meio dessa nova passagem eu engoli em seco e parei sobre os meus calcanhares.

Por um momento eu senti como se nós tivéssemos surgido a partir das entranhas da montanha e entrado num belo vale verde dentro da montanha que estava à nossa frente. Mas como eu fiquei ali, olhando (eu tenho certeza que minha boca estava entreaberta) eu percebi que havia edifícios e pessoas e muito movimento e agitação e percebi áreas que pareciam ser cultivadas. Não havia nenhum sinal dos sempre presentes pinheiros existentes no mundo exterior da montanha, mas em seu lugar havia enormes árvores de sombra e que me pareceram ser de árvores frutíferas e eu podia ver todas elas balançando suavemente ao ritmo de uma ligeira brisa que estava se movendo mansamente através do vale. Havia luz e calor do sol em toda parte e eu podia ouvir pássaros cantando.

Minha família, amigos e eu tínhamos feito um monte de exploração na montanha ao longo dos últimos meses, mas nunca tínhamos encontrado qualquer local sequer parecido com este em qualquer lado da montanha. Virei-me para Mikel e percebi que ele estava sorrindo para mim. Eu já tinha visto o rosto de Mikel expor o que eu considerava ser um sorriso, ao longo do tempo que o conhecia, mas Eu nunca tinha visto ele sorrir assim abertamente. Ele abriu os braços para mim e disse: “Eu esperei muito tempo, minha irmã, para recebê-la de volta.” Eu não tinha ideia do que ele estava falando, mas com o seu abraço me senti maravilhosa.

Nós nos sentamos no topo do vale para o que me pareceu serem horas falando sobre “as coisas“. Ele me disse que ainda não era a hora de eu me juntar a eles. Havia ainda muita coisa para as quais eu ainda não tinha sido exposta no mundo exterior e muitas outras coisas para aprender sobre as funções do mundo exterior e as áreas em que poderiam ser de ajuda quando as grandes mudanças profetizadas para o mundo da superfície do Planeta Terra se tornassem realidade (EM ABRIL de 2018). Ele ressaltou que eu iria, com o tempo, ser capaz de discernir QUEM faria este caminho comigo (de prestar serviço no momento da transição que se aproxima rapidamente).

Que antes da virada do século – milênio (o ano 2000), aqueles que estavam a serviço no planeta trabalhando pela Luz se uniriam em espírito energeticamente, antes e durante as “alterações planetárias” para ajudar aos cidadãos do Planeta Terra durante os períodos de reajuste (n.t. Voce que esta lendo este texto É um de nós ??? Olhe para dentro de si mesmo e encontrarás a resposta.)

Ele indicou que a ajuda viria dos cidadãos do mundo interior (Agharta) tão próximos à nós. Eu olhei para o vale e me perguntei quantos pessoas moravam lá e que poderiam vir a nos ajudar quando o chamado for feito. Mikel, sentindo minha pergunta, disse: “Ah, irmã, mas o que você vê aqui é apenas um de nossos locais de agrupamento. Existem muitos locais (cidades) como este no mundo interior, muito conhecimento e acima de tudo, um grande amor, dedicação e preocupação para com quem vive no mundo exterior. Na superfície do planeta, o amor é uma mercadoria muito difícil de ser encontrada, mas aqui ele É a nossa luz orientadora.

O amor é a força da vida do nosso ser. “Pelo que pude reunir, enquanto escutava Mikel continuar a falar, em nosso planeta, e talvez até mesmo no nosso sistema solar, se passou por processos de involução e evolução inúmeras vezes. O nosso Planeta Terra tem sido visitado e revisitado, colonizado e re-colonizado. Deixado sozinho e nutrido. Amaldiçoado e amado. Cruzamentos inter-raciais ocorreram. Os “ajudantes” vindo de muito longe andaram lado a lado com a gente em admiração total de que nós conseguimos sempre sobreviver a tudo. Os cidadãos do Planeta Terra tem, em várias ocasiões, enfrentado tamanhos e raros desafios (como o próximo que se avizinha rapidamente) que a atenção pessoal de grande (seres) magnitude foi necessária para preservar a própria integridade do planeta, da Terra em si mesma.



John, a maioria das coisas que Mikel me disse naquela distante tarde no interior do Monte Shasta foram dirigidos para o meu crescimento pessoal. Infelizmente, a minha memória não é boa o suficiente para citá-lo palavra por palavra, mas eu vou oferecer alguns de seus pensamentos para você, em minhas próprias palavras. Tenho certeza que todos nós percebemos que estamos trabalhando simultaneamente em vários níveis de existência em direção ao progresso da nossa alma, do nosso SER REAL, do nosso ser físico e para a preservação da escola da Terra para aqueles que seguem seu caminho de despertar.

Nós estamos trabalhando em direção rumo ao nosso crescimento espiritual e das massas, individual e coletivamente no sentido de preservar nossa espécie, para proteger e preservar a nossa residência física (o Planeta Terra), para ir além do mundo da forma e da dualidade, criados neste Plano e feitos para nos reunirmos novamente com o Ser Uno e a Fonte Criadora de tudo que existe. Sabemos que há apenas um poder no Universo, aquele que emana da Fonte Criadora Universal (qualquer que seja o nome que você escolha para o (a) identificar).

Existem vários graus de energia dentro desse poder, que são identificados como negativo (trevas, negro, preto ou para o mal, o feio, falso e ilusório) para o positivo (luz, branco ou o bem, o bom, belo e verdadeiro). Mas que sempre é a mesma energia e somente a intenção (e atitude) é que faz a diferença entre haver luz e trevas. Nós escolhemos a partir de uma vida para outra que parte da linha de energia que melhor irá continuar a nossa própria evolução de nossa alma rumo ao crescimento espiritual e daqueles com quem escolhemos trabalhar neste plano em conjunto. Assim passamos pelo rito da reencarnação, vida após vida deixamos o ventre de proteção e entramos na vida humana, em uma arena que é um desafio, para dizer o mínimo. Nós raramente trazemos claro a memória junto conosco em um nível consciente e por isso estamos sempre por nossa conta, onde o nosso desenvolvimento esta em causa.

Muitas distrações existem que nos afastam de nosso crescimento espiritual e que são apresentadas pelos nossos professores e as distrações se tornam mais atraentes na medida em que a tecnologia e a sociedade progride. Estamos assistindo filmes e vídeos através dos quais podemos viver vicariamente e experimentar as emoções que não encontramos em nossas vidas pessoais. Buscamos a satisfação imediata de todos os prazeres tanto quanto nós buscamos por reportagens instantâneas.



Buscamos a fuga do nosso processo evolutivo através do uso e abuso de drogas legais e ilegais e não através da busca pelo conhecimento e o crescimento espiritual. A tendência para a auto adoração e a auto indulgência tornou-se um fim egoísta em que a maioria dos nossos desejos giram em torno dos prazeres físicos e o acúmulo de bens materiais e de muita (e superficial) atividade. Cortinas de fumaça de todos os tipos são jogadas para cima para ocupar as nossas mentes (na busca de cada vez mais PÃO e CIRCO). A lista vai longe, longe, mas tenho certeza que você entende o que estou dizendo (n.t. Isto foi dito a mais de 50 anos atrás, quando ainda não havia distrações como a Internet, Facebook, a TV – com novelas, Big Brother, esporte, shows e mais um monte de lixo – ainda era incipiente, etc…)

Mikel me disse para visualizar o Universo como um imenso quebra-cabeças com apenas as suas fronteiras, os seus limites existindo (mas em expansão). Há uma grande caixa colocada ao lado do quebra-cabeças com todas as peças necessárias nela. Cada peça representa uma alma. Para mim (para cada um de nós) é necessário descobrir qual a peça que me representa (nos) e onde esta peça se encaixa no esquema geral do quebra-cabeças. Somente quando todos as peças foram corretamente colocadas no quebra-cabeças a paz virá para o Universo. Se eu tentar colocar ou forçar a minha própria alma ou a alma de alguém para a posição errada, um desequilíbrio ocorre naturalmente.

Esse desequilíbrio provoca uma reação, como as ondulações provocadas por uma pedra jogada na água, que não só me afeta, mas viaja em uma forma não-final e, direta ou indiretamente afeta a tudo e a todos por todo o quebra-cabeça (por todo o Universo). A busca por nossa identidade ou lugar no esquema geral das coisas, deve começar no início de nossa própria alma se quisermos encontrar o nosso próprio nicho no quebra-cabeça. Seria muito benéfico para cada individuo encarnado se aprofundar no estudo do que somos, por que estamos aqui e quais as lições que escolhemos viver (n.t. Ninguém esta vivo no planeta neste momento final sem um propósito).

Mas, a menos que possamos ver ou visualizar toda a imagem, a menos que possamos traçar o nosso progresso (ou a falta dele), desde o início, não só encontraremos (e criaremos) dificuldade em encontrar o nosso nicho no quebra-cabeça, mas teremos alterado a forma da nossa peça que então não irá se encaixar no seu local específico do quebra-cabeça de maneira adequada, o que também vai se refletir nas peças que cercam o seu espaço no contexto geral. Pelo contrário, isso vai causar mais discórdia e desequilíbrio crescentes.

Em outro nível, estamos nos aproximando do momento da apresentação e introdução da nossa própria alma a outros daqueles com que compartilhamos com a vida existente no Planeta Terra. (Você deve se lembrar disso pois isso me foi proporcionado a mais de 30 anos atrás, quando Eu tive a minha apresentação a algumas dessas outras almas por George Van Tassel no Aeroporto Giant Rock como meus “irmãos do espaço”.) Mais uma vez, aqueles que não estão envolvidos ou abertos para com o seu próprio crescimento vão vomitar e criar imensas barreiras contra a união com os novos grupos de alma que estão chegando.

Estes “outros grupos de alma” ou os nossos “irmãos do espaço” sempre estiveram muito próximos de nós e do planeta como nossos Guardiões. Os anjos e os nossos Mestres Ascensos são eles. Trata-se simplesmente de uma outra camada do véu de ilusão que está sendo levantado e com esse véu sendo retirado, aqueles que não querem concordar de modo algum com qualquer mudança no planeta vão introduzir o medo pelos novos grupos de alma que chegam. Cabe a cada indivíduo procurar administrar e transcender o seu medo para determinar se ele é válido ou não. Estes são alguns dos pensamentos que Mikel deu para mim. Eu não sei se você tem algum interesse em outras coisas do que ele me disse. Se você quizer saber mais, me avise e eu vou dar-lhe mais informações do que ele me falou.

Eu sabia que já estava ficando tarde e que eu precisava voltar para o vale no exterior da montanha. Mikel, sentindo o meu desejo de voltar para a minha família, pegou minha mão para levar-me de volta para o túnel. Quando viramos, dei mais uma olhada acenando para o vale. Havia uma parte de mim que desejava permanecer nessa vale e para florescer novamente em um ambiente de amor. Mas os meus filhos chamavam por mim e eu sabia que não era a minha hora de estar com aqueles que viviam abaixo do Monte Shasta.



Quando saí mais uma vez da Montanha vi a noite descendo sobre nós. Eu dei adeus a Mikel e parti no caminhão para encontrar a Mãe Maria e seu grupo mais abaixo na montanha. John, eu sei que este é um curto relato, mas me lembrar de todas estas coisas mexeu comigo bastante e eu estou encerrando esta seção, por enquanto. Espero ter explicado as coisas bem o suficiente para que a história pudesse ser compreendida. Enquanto a informação esta muito clara em minha mente, mas às vezes é difícil para mim passar estas recordações para o papel.

A incrível “História de M” foi dada a John Winston juntamente com a permissão para disponibilizá-la a todos os visitantes do site Onelight.com e agora também aos visitantes do blog Thoth3126.com.br

Partes 1 e 2 em:
http://thoth3126.com.br/monte-shasta-outra-visita-a-terra-interior/
http://thoth3126.com.br/monte-shasta-outra-visita-a-terra-interior-parte-2/


Saiba muito mais em:
http://thoth3126.com.br/agharta-o-mundo-intra-terreno-em-nosso-planeta/
http://thoth3126.com.br/brasilia-jk-akhenaton-eo-egito/
http://thoth3126.com.br/aghartha-o-reino-da-terra-interior/
http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
http://thoth3126.com.br/aghartha-e-area-51-um-visitante-na-terra-interior/
http://thoth3126.com.br/a-conexao-terramaldekmarte-em-gize-cydonia-e-teotihuacanmirador/
http://thoth3126.com.br/vietnam-gigantesca-caverna-descoberta/
http://thoth3126.com.br/grand-canyon-misterios-de-uma-imensa-caverna-revelados/
http://thoth3126.com.br/pedra-da-gavea-uma-esfinge-no-brasil/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

Posted by Thoth3126 on 19/10/2014

www.thoth3126.com.br

Monte Shasta – outra visita à Terra Interior:
  1. http://rayviolet2.blogspot.com/2015/10/monte-shasta-outra-visita-terra.html 
  2. http://rayviolet2.blogspot.com/2015/10/monte-shasta-outra-visita-terra_15.html
  3. http://rayviolet2.blogspot.com/2015/10/monte-shasta-outra-visita-terra_18.html



Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária
 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media *   North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands  * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government  
** by Steve Beckow: 9/11 Truth, Abundance Program, Accountability, Disclosure, end times, Extraterrestrials, financial crash, Golden Age, Illuminati, Mayan Predictions, NESARA, New Paradigm, Spiritual Hierarchy, Spiritual Teachers, UFO Cover-up, Wisdom Economy   
ES: LLAMA VIOLETA

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub