Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Junho 10, 2023

chamavioleta

Transformar e elevar as nossas vidas

Por Kenneth Schmitt

Traduzido a 9 de junho de 2023

 

 

Para mudarmos algo nas nossas vidas, precisamos de mudar o nosso foco de atenção da forma como percebemos que as coisas são, para a forma como as podemos imaginar e sentir. Quando imaginamos que estamos a experimentar o que queremos, o nosso cenário imaginado já existe no campo quântico, assim que lhe prestamos atenção e lhe damos realidade para a nossa experiência. É assim que a consciência funciona. Com os nossos processos mentais e emocionais, criamos as nossas experiências ao percebermos a realidade dos seus níveis vibratórios energéticos. Ao mesmo tempo, limitamo-nos pelo nosso confinamento imaginário da consciência. 
 
Através da nossa formação social e experiências pessoais, criámos e aceitámos crenças limitadoras profundamente estabelecidas sobre nós próprios. Elas confinam a consciência da nossa realidade. Se tivermos consciência do nosso Ser inato, sabemos que somos eternos na nossa essência consciente. Esta percepção deve vir da nossa orientação interior mais profunda, da nossa ligação com a consciência universal. Quando estamos abertos e receptivos ao nosso conhecimento intuitivo, ele está sempre disponível para nós imediatamente, estimulando-nos a sentirmo-nos gratos, alegres e compassivos. A sua orientação é sempre benéfica para a nossa vida e para todos. 
 
Nesta altura da nossa história, estamos a passar por uma mudança dimensional da dualidade para um mundo para além da polaridade, onde tudo é criador e potenciador de vida. Este é o reino vibratório para o qual estamos a ser convidados a participar. A dualidade está a desaparecer de uma porção do corpo etérico da humanidade. Se é isto que queremos, a nossa experiência em breve consistirá em liberdade, abundância e bondade. Se quisermos permanecer no reino da dualidade, essa também é uma escolha que podemos fazer. Há caminhos divergentes disponíveis para nós.
 
A forma como nos sentimos em relação a nós próprios determina a nossa assinatura vibratória. Enquanto acreditarmos na mortalidade, nós criamo-la. Sem a nossa crença, ela não poderia existir. A partir dessa crença, não poderíamos saber isso, mas temos outro processo de orientação interior para o qual podemos abrir nossa consciência. Tomar consciência da nossa intuição requer o alinhamento com as suas vibrações energéticas de melhoria da vida. Quando nos imaginamos gratos em cada momento por cada experiência, independentemente da forma como a consciência do nosso ego a possa julgar, continuamos a criar experiências que amamos. 
 
Enquanto prestarmos atenção à negatividade, não podemos prestar atenção ao amor e à alegria. Temos liberdade de escolha sobre isso, seja por defeito ou por intenção. Não compreendendo como funciona a nossa consciência, temos estado a criar as nossas vidas reagindo às circunstâncias. Se quisermos transcender as nossas limitações, temos de nos tornar muito conscientes da nossa orientação intuitiva e estar dispostos a compreendê-la e a segui-la. A nossa consciência dela vem do nosso alinhamento energético em ressonância com as suas visões e sentimentos que melhoram a vida.
 
Kenneth Schmitt
 
 
 

 
Transcrito por  http://achama.biz.ly  com agradecimentos a: 

 

Março 19, 2023

chamavioleta

Remover o medo das nossas vidas

Por Kenneth Schmitt

Traduzido a 18 de março de 2023

 

 

No nosso Eu alargado, não conhecemos o medo. Trata-se de uma vibração desconhecida. Não conhecemos a dúvida, depressão ou sofrimento ou qualquer outro estado negativo de ser. A fim de conhecer estas vibrações, criámos um reino realista de limitações da consciência, e convencemo-nos de que somos empiricamente mortais. A realização da mortalidade é a base da crença humana na auto-limitação. Parte desta crença na mortalidade é a crença de que somos os nossos corpos empíricos. Estas crenças não nos permitem realizar a nossa essência para além do tempo/espaço. 
 
Vivendo connosco, sempre existiram mestres espirituais e xamãs, que estão conscientes em reinos para além do mundo físico. A nossa consciência de ego não está especialmente interessada nesses reinos. Ela está entranhada no mundo material da dualidade. Temos sido capazes de nos expor aos resultados de pensamentos e sentimentos negativos, e agora sabemos mais do que sabíamos antes da nossa encarnação. Ao transcender a consciência do ego, podemos abrir a nossa consciência à nossa verdadeira essência de ser. Podemos realizar-nos na nossa presença eterna de consciência infinita, capazes de nos expressarmos energicamente como qualquer pessoa que desejemos ser em qualquer dimensão. Podemos abrir a nossa consciência à consciência de todos os seres conscientes. Na nossa essência, somos empáticos, telepáticos e muito mais. A nossa consciência é infinita, e erguemo-nos como fractais da consciência universal, capazes de criar qualidades de experiências em todos os reinos.
 
Esta consciência permite-nos viver aqui entre os nossos irmãos e irmãs de toda a humanidade, criando e valorizando tudo o que amamos e cada experiência em alinhamento com o nosso coração. Sabemos agora como é a energia negativa, e podemos regressar à nossa Auto-Realização expandida, enchendo a nossa consciência de gratidão, amor infinito, compaixão e alegria. Desta forma, transformamos as nossas vidas com a nossa Auto-Realização ilimitada, que agora inclui conhecer o medo. Podemos libertar o medo, alinhando a nossa atenção com a inspiração do nosso coração em cada momento. 
 
Conhecendo a consciência do nosso coração e alinhando intuitivamente com ela, podemos mudar a experiência da nossa realidade. Temos um conhecimento interior que é natural para nós e que nos liga à consciência universal. É infinito e onisciente de tudo o que todos sempre souberam. Está para além da polaridade e é inteiramente enriquecedor na forma como descrevemos como amor incondicional, e é muito mais profundo do que qualquer descrição que possamos fornecer. Quando podemos perceber a sua realidade, está sempre presente para nós, tornando inacreditáveis todas as nossas crenças limitantes.
 
Kenneth Schmitt
 
 
 

 
Transcrito por  http://achama.biz.ly  com agradecimentos a: 
  

Janeiro 29, 2023

chamavioleta

A Magia que Produz a Liberdade Suprema
Por Kenneth Schmitt
deixaracaixa.blogspot.com/2023/01/a-magia-que
rayviolet2.blogspot.com/2023/01/a-magia-que-p
Posto aqui por achama.biz.ly/
+ @ gab.com/active_me

Todos somos capazes de injectar magia nas nossas vidas. Esta é a nossa oportunidade de deixar de ser pesos leves, em comparação com as nossas capacidades reais. Já não temos de nos fazer de doentes, pobres ou escravos, seja a que nível for. As nossas condições são inteiramente a nossa própria criação vibratória. Somos os nossos próprios guardas prisionais. Independentemente de como chegámos à nossa experiência de vida actual, as nossas vidas a partir de agora podem ser completamente diferentes. As nossas experiências são criadas em consciência universal pelos nossos próprios padrões de pensamento e estado emocional de ser. Podemos mudar o nosso foco de atenção para o espectro vibratório da nossa consciência do coração. O coração salta para o nosso apoio sempre que precisamos de mais oxigénio, independentemente daquilo para que o utilizamos. Isto é amor incondicional na liberdade pessoal e é o nível de vibração com que podemos ressoar em cada momento....+ deixaracaixa.blogspot.com/2023/01/a-magia-que

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub