Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Fevereiro 06, 2023

chamavioleta

TRABALHANDO COM OS NOSSOS ALINHAMENTOS ENERGÉTICOS

Por Kenneth Schmitt

2023/02/03, traduzido a 5 de fevereiro de 2023

 

No nível astral inferior, este planeta tem sido controlado por um império que engloba quase toda a humanidade. É um império baseado no controlo através do medo e da gestão monetária. Controla todas as forças armadas do mundo, toda a máfia do submundo, traficantes de armas, tráfico de seres humanos, sistemas bancários e monetários, todas as empresas multinacionais, assim como todos os governos e políticos. Qual é a finalidade do império? Porque é que precisa de controlar toda a gente? É um agente da escuridão e uma expressão da dualidade. Converte a força vital dos seres humanos em aspectos do comércio através de truques e dissimulações. Estas actividades comerciais fornecem a base da vida para os governantes psicopatas do império, que terminaram a sua ligação ao seu fluxo natural de força de vida consciente. O império é parasita para expressar energias profundamente negativas que não têm origem ou apoio da consciência criadora. O império extrai da humanidade a sua força de vida consciente, a fim de expressar energias autodestrutivas que diminuem toda a vida em toda a parte.

 

Tornámo-nos tão entrincheirados no programa do império, que vendemos a nossa essência através da nossa atenção e alinhamento com o medo, que criámos para nós próprios conforme as instruções dos nossos controladores. O medo tem a sua origem na crença na nossa mortalidade. Este é um conceito artificial que só existe na nossa psique através da nossa realização como real. Se não acreditássemos na nossa mortalidade, ela não existiria. O que é a mortalidade, se não uma crença? A nossa consciência e consciência presente são a base de tudo o que experimentamos. 

 

A menos que acreditemos na sua realidade, o império não nos pode afectar. Se estamos para além do medo, não estamos a expressar vibrações no espectro da dualidade. Podemos libertar-nos com as nossas vibrações. Qualquer escravidão que sintamos ou aceitemos é puramente voluntária da nossa parte. Ao queixarmo-nos ou lutar contra a negatividade, damos-lhe a nossa força vital através do nosso alinhamento com a sua gama de polaridade e vibrações. Empenhamo-nos com ela. Se nos afastarmos da dualidade através da nossa atenção para as energias que aumentam a vida da nossa consciência de coração, podemos usar as nossas capacidades mentais e emocionais para entrar numa dimensão mais elevada que seja cumpridora em todos os sentidos. 

 

Profundamente estabelecidas na nossa consciência, as nossas crenças limitantes podem dissolver-se quando mudamos a nossa perspectiva e não acreditamos na dualidade como real para nós, prestando atenção ao que realmente amamos e queremos experimentar. Ao abrirmo-nos à nossa consciência do coração e ao alinharmo-nos com ela na nossa imaginação e emoções, entramos no domínio da situação humana. Podemos mais facilmente abrir-nos aos nossos centros de energia do chacra superior, realizando as nossas maiores capacidades de telepatia e muito mais.

 

Kenneth Schmitt

 

https://www.consciousexpansion.org/

 

 

 

Transcrito por achama.biz.ly com agradecimentos a: 

 

Arquivos:

 

 

Lembrete: 

O discernimento é recomendado

Base: http://achama.biz.ly/

https://aluzroxa.blogspot.com/

EN: http://violetflame.biz.ly

https://purpelligh.blogspot.com/

ex-twit é: https://gab.com/active_me

e-mail: site@achama.biz.ly

Setembro 22, 2015

chamavioleta

Os bancos na América Latina parecem ter encontrado a fórmula dos sonhos no mundo dos negócios: ganhar cada vez mais dinheiro, mesmo em tempos de vacas magras.

 


No Brasil, o lucro conjunto dos quatro maiores bancos cresceu 46% no primeiro semestre deste ano ante o mesmo período de 2014, apesar de o país enfrentar uma recessão e o maior escândalo de corrupção da sua história (até o momento) envolvendo a Petrobras e o governo federal.


Edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

No continente dos governantes populistas e da esquerda, os bancos latino-americanos, controlados pela “elite”, continuam lucrando muito, apesar da crise

Gerardo Lissardy, da BBC Mundo – 19 setembro 2015 – http://www.bbc.com

No México, os lucros do setor bancário aumentaram quase 14% entre janeiro e junho deste ano na comparação com a primeira metade de 2014 – ou seja, cinco vezes mais que a taxa de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) local. Algo parecido ocorre em outras nações latino-americanas com economias em desaceleração.


Bancos de países como Colômbia, Equador, Paraguai e Uruguai registraram mais ganhos nos primeiros seis ou sete meses de 2015 do que em períodos iguais do ano passado. A tendência se estende a países que passam por estagnação econômica desde 2014 e onde os políticos de governos adotam bandeiras de esquerda.

Bancos da Argentina e da Venezuela ocuparam os 10 primeiros lugares de um ranking regional de retorno sobre capital, divulgado pela publicação especializada The Banker em novembro.

Ainda que em geral a bonança tenha começado há tempo para a banca latino-americana, quando a economia regional avançava a pleno vapor, os resultados atuais chamam a atenção de especialistas.

“O lucro, devo dizer, é um pouco “surpreendente”, reconhece Claudio Loser, ex-diretor para a América Latina do Fundo Monetário Internacional (FMI), em conversa com a BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC. Então como explicar isso? E quanto mais essa festa bancária pode durar?
Negócio redondo

A despeito das características de cada sistema financeiro, que variam por tamanho e regulação, os latino-americanos têm pontos em comum, apontam analistas. Um deles é que costumam cobrar juros altos pelo crédito ao consumo (no Brasil, por exemplo, a taxa anual para cartões de crédito acaba de atingir 350,79%).


Continente com maioria dos países administrado por governos de esquerda com políticos populistas que enriquecem os bancos….

“Você pode observar taxas de lucros muito altas (dos bancos latino-americanos) porque eles tiveram acesso a fundos muito baratos e emprestaram a taxas altas” diz Loser, diretor da consultoria Centennial Latin America, em Washington.

Os créditos ao consumo chegaram a crescer cerca de 20% por ano na região durante a última década, devido à expansão histórica da classe média, que atingiu 181 milhões de pessoas ou 34% da população total. A quantidade de latino-americanos adultos com conta bancária passou de 39% do total de 2011 a 51% no ano passado, de acordo com o Banco Mundial.

Arturo Sánchez, analista de crédito da Standard & Poor’s (S&P) no México, avalia que as taxas de juros sobre o crédito na região refletem o risco assumido pelos bancos, que até agora, no entanto, evitar lidar com a alta inadimplência.

“Os resultados líquidos se mantivem graças à capacidade dos bancos na América Latina de, em geral, manter níveis manejáveis de carteiras vencidas e perdas de crédito”, apontou Sánchez. Ele acrescenta que isso permitiu aos bancos evitar aumentos nas provisões, dinheiro destinado a absorver eventuais perdas por exposição ao crédito, o que deixa margens significativas para os lucros. Trata-se, portanto, de um ciclo que parece se fechar de maneira quase perfeita para os bancos da região.


Mais juros, mais dinheiro

Ao mesmo tempo há circunstâncias específicas em alguns países que impulsionam o negócio financeiro. Na Argentina e na Venezuela, por exemplo, o alto retorno dos bancos sobre o capital é atribuído aos elevados índices de inflação, que empurram os juros para cima.

O Brasil tem uma das taxas de juros real (descontada a taxa de inflação dos juros nominais) mais altas do mundo, que superou 9% na semana passada, quando a S&P retirou o país da categoria de grau de investimento.

E se juros altos pressionam o custo de captação do dinheiro para todos, os bancos tendem a driblar o problema ao repassar esse custo aos clientes. As quatro maiores instituições bancárias brasileiras (Bradesco, Santander, Itaú e Banco do Brasil) registraram lucros equivalentes a US$ 8,7 bilhões somente no primeiro semestre.

“Os bancos no Brasil são muito líquidos, estão ancorados em títulos públicos do governo e a taxa de juros subiu muito: isso também dá lucros de tesouraria”, afirma João Augusto Frota Salles, analista da consultoria Lopes Filho, no Rio de Janeiro.



E agora?

Especialistas afirmam, contudo, que o panorama está mudando para a banca latino-americana. A agência S&P, por exemplo, rebaixou a nota dos principais bancos do Brasil na semana passada, um dia após retirar do país o selo de bom pagador.

Em busca de recursos fiscais, o Brasil busca agora subir os impostos aos lucros bancários, o que, na avaliação da agência de análise de risco Fitch, pode desacelerar o crédito e, segundo políticos de oposição, impor mais custos ao consumidor final.

Também se nota em outros países essa mudança de ventos que chegou com o enfraquecimento da economia e do consumo. Os lucros bancários se desaceleraram no primeiro semestre no Chile e na Costa Rica, caindo 13% e 19%, respectivamente, na comparação com o mesmo período de 2014.

Especialistas descartam que existam problemas graves no horizonte da região, que, em geral, elevou a supervisão bancária e diminuiu riscos após crises no passado.


O Bradesco inaugurou a temporada de balanços do segundo trimestre deste ano. O lucro líquido contábil do banco chegou a R$ 4,473 bilhões, após atingir R$ 4,244 bilhões nos três meses anteriores – um aumento de 5,4%. Já na comparação com o mesmo período do ano passado, o lucro mostrou crescimento de 18,4%.

Apontam, porém, que a rentabilidade dos bancos latino-americanos poderá cair à medida que as economias forem perdendo vigor e aumentando suas carteiras vencidas e créditos de difícil recuperação.

“Não esperamos que isso irá ocorrer em níveis alarmantes e nem que colocará em xeque os sistemas financeiros da América Latina”, disse Sánchez, “mas acreditamos, sim, que irão começar a se deteriorar um pouco de forma gradual.”

Mais informações em:
  1. http://thoth3126.com.br/petrobras-investigacao-nos-eua-ameaca-arranhar-imagem-da-empresa-no-exterior/
  2. http://thoth3126.com.br/petrobras-processo-de-limpeza-do-pais-avanca-muito-rapido/
  3. http://thoth3126.com.br/petrobras-comparado-ao-mensalao-e-pequena-causa/
  4. http://thoth3126.com.br/petrobras-graca-foster-esta-saindo-da-presidencia/
  5. http://thoth3126.com.br/a-hipotese-de-culpa-para-o-impeachment/
  6. http://thoth3126.com.br/petrobras-mais-us-16-bilhoes-em-multa-em-tribunal-nos-eua/
  7. http://thoth3126.com.br/dilma-rousseff-o-movimento-que-quer-derrubar-seu-governo/
  8. http://thoth3126.com.br/corrupcao-na-petrobras-usada-para-pagar-dizimo-a-igreja-evangelica/
  9. http://thoth3126.com.br/janot-nunca-vi-um-esquema-de-corrupcao-tao-grande-como-o-da-petrobras/
  10. http://thoth3126.com.br/fundador-do-pt-jurista-helio-bicudo-pede-impeachment-de-dilma/
  11. http://thoth3126.com.br/governo-gerador-de-crises-agora-cria-uma-com-os-militares/
  12. http://thoth3126.com.br/os-estragos-do-populismo/
  13. http://thoth3126.com.br/brasil-por-que-o-pais-entrou-no-vermelho/


Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.


www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

4Share on Facebook (Opens in new window)4
Click to share on Twitter (Opens in new window)
Click to share on Google+ (Opens in new window)
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 22/09/2015

Agradecimentos a http://wp.me/p2Fgqo-9jo

NR: Em todos os países mais ou menos controlados pela cabala das trevas, os bancos estão acima da Lei (Nacional) e só obedecem à lei da cabala (corrupção). A cabala criou o sistema financeiro de fiados, muito lucratido, e assim controla a maioria dos bancos emissores e, através destes, a economia mundial. Quando um banco desobedece à lei da cabala é forçado à banca-rota. A cabala usa a máfia cazariana (sionismo) como tropas de choque. Se virmos bem somos todos escravos do sistema de econômico, tipo Babilônia, imposto à humanidade pela liderabça cabalística. No século dezanove os líderes supremos da Rússia e Alemanha oposeram-se à criação do sistema de fiados e foram severamente punidos. A Rússia com a implantação do comunismo, uma criação da cabala e a Alemanha com a primeira grande guerra, também uma crição da cabala, para dar o mandato da palestina à Inglaterra, a qual já estava sob total contol da cabala, em preparação para criar o estado da nova cazária com o nome de cobertura de Israel.



Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Gerardo Lissardy


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.
Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA







Agosto 22, 2015

chamavioleta

A Verdade sobre os Grandes Bancos Ocidentais…




Posted by Thoth3126 on 28/02/2015


GRANDES BANCOS OCIDENTAIS lavam bilhões de dólares do comércio ilícito de cocaína e outras drogas proibidas.

“A história de quem faz o dinheiro da cocaína colombiana é uma metáfora para o encargo/culpa desproporcional colocado em todos os sentidos nos países “produtores” como a Colômbia, como resultado da proibição de consumo de drogas”, disse um dos autores do estudo, Alejandro Gaviria, no lançamento de sua edição em Inglês na semana passada. “A sociedade civil colombiana não colhe quase nenhuma vantagem econômica do comércio das drogas, enquanto que os enormes lucros são feitos por redes de distribuição criminais nos países (ditos de primeiro mundo) consumidores, e reciclados pelos(GRANDES) BANCOS ocidentais (Europa-EUA) …

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

The GuardianEnquanto a produção da cocaína causa estragos NOS países da América Central e do Sul, os consumidores dos EUA e da Europa estão ajudando as “economias ( E OS GRANDES BANCOS) dos países desenvolvidos” a LUCRAR MUITO com as rogas, afirma esse estudo.

http://www.guardian.co.uk/

Ed Vulliamy – guardian.co.uk


Os lucros enormes feitos com a produção e o tráfico de drogas são esmagadoramente recolhidos nos países ricos, os “grandes centros consumidores” – principalmente na Europa e nos EUA { n.t. mas também em países mais ao leste, como na China, em Honk Kong e no Japão}, – ao invés de nas nações como Colômbia e o México, países produtores devastados pela guerra entre traficantes, revelou uma nova pesquisa. 

E os seus autores afirmam que os reguladores (governos) do sistema financeiro no ocidente relutam em ir atrás dos (grandes, mas muito grandes mesmo) bancos ocidentais em busca da enorme quantidade de dinheiro da droga que é lavado (legalizado) por meio dos seus sistemas.

(n.t. Caso contrário, se for investigado seriamente, o resultado vai apontar uma enorme conspiração dos serviços secretos dos EUA, através da CIA e da Grã-Bretanha, através do MI-6, que controlam o tráfico internacional de drogas no planeta).  

Soldados do exército colombiano incendeiam um laboratório de processamento de cocaína perto da cidade de Cucuta, no norte da Colômbia, como parte do combate do país na guerra contra as drogas. Foto: AFP / Getty Images

A análise mais abrangente e detalhada até o momento de como funciona a “economia das drogas” em qualquer país – neste caso, a Colômbia (um grande produtor) – mostra que apenas 2,6% do valor de venda de rua total da cocaína produzida permanecem dentro do país, enquanto que impressionantes 97,4% dos lucros de consumo das drogas são colhidos por organizações criminosas, e lavadas/legalizadas pelos GRANDES BANCOS, em países do primeiro mundo (leia-se grandes bancos da Europa e EUA).

“A história de quem faz o dinheiro da cocaína colombiana é uma metáfora para o encargo/culpa desproporcional colocado em todos os sentidos nos países “produtores” como a Colômbia, como resultado da proibição de consumo de drogas“, disse um dos autores do estudo, Alejandro Gaviria, no lançamento de sua edição em Inglês na semana passada. “A sociedade civil colombiana não colhe quase nenhuma vantagem econômica do comércio das drogas, enquanto que os enormes lucros são feitos por redes de distribuição criminais nos países (ditos de primeiro mundo) consumidores, e reciclados pelos (GRANDESbancos que operam sem respeitar nada parecido com as restrições e/ou leis a que o próprio sistema bancário da Colômbia está sujeito”. 

cia-drogas



O co-autor do estudo, Daniel Mejía, acrescentou: “Todo o sistema legal e de repressão operado por autoridades dos países consumidores é baseado em torno de se ir atrás apenas do cara pequeno, o elo mais fraco da cadeia, e nunca no negócio grande ou no sistema financeiro onde o dinheiro é legalizado”.

O trabalho, desenvolvido por dois economistas da Universidade dos Andes, em Bogotá, é parte de uma iniciativa do governo colombiano para reformar a política de combate mundial às drogas e se concentrar na ação dos GRANDES BANCOS na lavagem de dinheiro, os grandes bancos na América do Norte e Europa, bem como a prevenção social do uso e disseminação da droga levando e consideração de opções para a descriminalização de algumas ou de todas as drogas.

Os economistas consultaram/pesquisaram toda uma gama de aspectos econômicos, sociais e políticos das guerras das drogas que devastaram a Colômbia. O conflito agora se mudou, com consequências mortais, para o México e teme-se, se estenderá em breve à América Central. Mas a conclusão mais chocante diz respeito ao que os autores chamam de “a microeconomia da produção de cocaína” em seu país, a Colômbia. Gaviria e Mejía estimam que o valor de mercado mais baixo possível das drogas na rua (em torno US$ 100,00 por grama, cerca de £$ 65,00) de “cocaína pura/líquida, após a interdição” produzida na Colômbia durante o ano estudado (2008) equivale a US$ 300 bilhões (!!!!!). 


Mas do qual apenas a soma de US$ 7,8 bilhões permaneceram no país colombiano. “É uma proporção minúscula do PIB”, disse Mejía, “que pode ter um impacto desastroso sobre a sociedade e a vida política, mas não sobre a economia colombiana. O grande valor em economia para a cocaína colombiana esta fora da Colômbia.”  Mejía disse ao Observer : “A maneira que eu tento colocar é esta: a proibição é uma transferência dos custos do problema da droga a partir do consumo para os países produtores.”

“Se países como a Colômbia se beneficiassem economicamente com o tráfico de drogas, haveria um certo sentido em tudo isso”, disse Gaviria. “Em vez disso, nós pagamos o preço mais alto para alguém obter UM ENORME LUCRO, até recentemente era a Colômbia, e agora é também o México”.

“Eu coloco a questão para os americanos assim: suponham que todo o consumo de cocaína nos EUA desaparecesse e se mudasse para o Canadá. Será que os americanos ficariam felizes em ver as taxas de homicídio subirem como um foguete em Seattle (faz fronteira com o Canadá), a fim de evitar que a cocaína e o dinheiro fossem para o Canadá. Posto dessa forma, eles começariam a entender um pouco o custo atual para a Colômbia e o México”.

Os mecanismos de lavagem de dinheiro da droga foram destaque no Observer no ano passado depois de um acordo raro feito em Miami entre as autoridades federais dos Estados Unidos e o WACHOVIA BANK, que admitiu a transferência de US$ 110 milhões do dinheiro das drogas para os EUA, mas são as mesmas autoridades que falharam ao não acompanhar as remessas no total ASSOMBROSO de US$ 376 bilhões trazidos para o WACHOVIA BANK através de pequenas casas de câmbio no México durante quatro anos. (o WACHOVIA BANK já teve comprado o seu controle pelo Wells Fargo, que tem cooperado com a investigação.)


{n.t.”Durante todo o período de 01 de maio de 2004 a 31 de Maio de 2007, o WACHOVIA BANK, dos EUA, processou transferências de pelo menos US$ 373.6 BILHÕES em CDCs, e mais US$ 4,7 bilhões em dinheiro em espécie” – um total de mais de US $ 378.3 BILHÕES, uma soma que supera os orçamentos debatidas por Estado dos EUA e autoridades locais do Reino Unido para fornecer serviços em geral aos seus cidadãos.}

Mas ninguém foi preso, e o banco agora está limpo. “No geral, há grande relutância em ir atrás do dinheiro”, disse Mejía. “Eles (os agentes dos governos) não têm como alvo atingir as partes da engrenagem onde há um grande valor acrescentado na Europa e na América o dinheiro está disperso -. Uma vez que atinge o país consome vai para o sistema, em cada cidade e estado Eles preferem ir. depois que a economia insignificante, os pequenos e os cultivos de coca na Colômbia, apesar de a economia é pequena. “

Os Bancos da Colômbia, entretanto, disse Mejía, “estão sujeitos a um rigoroso controle, para impedir a lavagem de dinheiro dos enormes lucros que poderiam retornar ao nosso país, mas que para se receber apenas $ 2.000 envolve uma enorme quantidade de papéis solicitados pelos nossos banco -. E muito disso é supervisionado pelos PRÓPRIOS norte americanos.”

“Na Colômbia”, disse Gaviria, “se fazem perguntas nos bancos que nunca seriam feitas nos EUA. Se o fizessem, seria contra as leis de sigilo bancário. Os EUA tem leis muito fortes sobre o sigilo bancário, mas na Colômbia não – embora a proporção de dinheiro lavado seja ao contrário à níveis absurdos. É uma espécie de hipocrisia, né?”(n.t. é absolutamente intencional, os recursos devem ficar nos países desenvolvidos”) 

Um soldado guarnece a incineração de drogas que está sendo feita em Tijuana, México. Fotografia: Guillermo Arias/AP

O Dr Mejia disse: “É uma extensão do modo de operar em sua própria “casa” (os EUA). Vá atrás das classes mais baixas, o elo fraco da cadeia – o pequeno, para novamente apenas mostrar resultados, transferindo o custo da guerra às drogas para os (países) mais pobres.. , mas não ao sistema financeiro (e os grandes bancos) e dos grandes negócios que movimentam tudo isso junto”. 

Com a Grã-Bretanha após ter ultrapassado os EUA e Espanha como o maior consumidor mundial de cocaína per capita, a investigação do WACHOVIA BANK mostrou que boa parte do dinheiro da droga também é lavado através da City de LONDRES (o centro financeiro da Europa), onde o principal denunciante/testemunha do  caso WACHOVIA BANK, Martin Woods, denúncia QUE foi feita baseado na própria política de anti-lavagem de dinheiro interna do banco. E ele foi injustamente DEMITIDO após soar o alarme.


Gaviria disse: Sabemos que as autoridades do Reino Unido e dos EUA sabem muito mais do que demonstram ao agirem. De acordo com as autoridades, eles percebem coisas sobre certas pessoas que sabem que estão movendo enormes somas de dinheiro para o tráfico de drogas – mas a DEA [Drugs Enforcement Administration dos EUA] atua somente em uma pequena fração do que eles sabem”.

“É um tabu ir atrás dos grandes bancos”, acrescentou Mejía. “É um suicídio político neste clima econômico, porque as quantidades de dinheiro recicladas são enormemente tão altas.” 

Políticas Anti-Drogas na Colômbia: sucessos, fracassos e desvios errados, editado por Alejandro Gaviria e Mejía Daniel, Ediciones UNIANDES, 2011.

Saiba como a CIA é a maior traficante de drogas do mundo em:

http://thoth3126.com.br/c-i-a-maior-traficante-de-drogas-do-planeta/

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br




Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=bancos
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Ed Vulliamy


Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Junho 05, 2015

chamavioleta


BRADESCO PODE DESEMBOLSAR ATÉ R$ 10 BILHÕES PELO HSBC NO BRASIL




Nas outras propostas, o Santander Brasil, que quer acelerar a sua expansão no Brasil para ter maior escala, ficou próximo do valor ofertado pelo Bradesco, entre R$ 9 bilhões e R$ 10 bilhões; o Itaú Unibanco, por sua vez, teria ofertado R$ 8 bilhões, no piso do mercado; para o Bradesco, além de ter uma oportunidade de se aproximar mais do Itaú Unibanco em termos de ativos, a compra teria especial importância em termos das sinergias que pode trazer ao banco.

Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Bradesco pode pagar até RS$ 10 bilhões pelo HSBC do Brasil

Dia 3 de Junho de 2015

http://veja.abril.com.br e http://www.brasil247.com/

SÃO PAULO – Na última semana, foram entregues algumas propostas de grandes bancos para adquirirem o HSBC Brasil. Segundo informações do jornal Valor Econômico, os bancos interessados em comprar o HSBC Brasil entregaram as suas propostas indicativas de preço apurando que pelo menos o Bradesco (BBDC4) e o Santander Brasil (SANB11) fizeram ofertas pela subsidiária.

Já o jornal americano Wall Street Journal destacou em matéria desta tarde que, além de Bradesco e Santander, o Itaú Unibanco (ITUB4) também entregou proposta, segundo quatro fontes próximas ao assunto ouvidas pelo jornal. O WSJ ressalta que o processo de venda está no estágio inicial e mais rodadas devem acontecer na próxima semana. O processo de venda é assessorado pelo Goldman Sachs, que convidou pelo menos cerca de dez interessados para analisar o banco. A expectativa é de que a venda seja finalizada até agosto.



Mas, de acordo com informações da Agência Broadcast, o Bradesco saiu na frente para comprar as operações brasileiras do banco brasileiras do HSBC.

Segundo fontes ouvidas pelo serviço em tempo real da Agência Estado, o banco está disposto a pagar até R$ 10 bilhões para adquirir o HSBC no Brasil. Já o Santander Brasil, que quer acelerar a sua expansão no Brasil para ter maior escala, ficou próximo do valor ofertado pelo Bradesco, entre R$ 9 bilhões e R$ 10 bilhões. O Itaú Unibanco, por sua vez, teria ofertado R$ 8 bilhões, no piso do mercado. Segundo as fontes, as ofertas foram enviadas ao banco a duas semanas atrás.

Na semana que vem, de acordo com informações do Broadcast citando um executivo do mercado, começam as apresentações com os três bancos que foram para a reta final da disputa. Apesar do grande interesse dos estrangeiros de entrarem no Brasil, principalmente, os chineses, nenhum passou para essa etapa. E quem vencê-la vai para a final para negociar o HSBC Brasil com exclusividade, quando ocorre o processo de due diligence (investigação e auditoria das informações).


A sede do HSBC em Londres. De acordo com uma investigação do Senado dos EUA, o banco não agiu com controles sobre a lavagem de capitais das drogas. Fotografia: Facundo Arrizabalaga / EPA

A compra do HSBC representaria uma última oportunidade para o Santander crescer no Brasil via aquisição. Já no caso do Bradesco, além de ter uma oportunidade de se aproximar mais do Itaú Unibanco em termos de ativos, a compra teria especial importância em termos das sinergias que pode trazer ao banco.

O Santander Brasil (SANB11) falou em meados do mês que vai fazer uma oferta de compra da unidade do HSBC no país e teria condições de absorver uma operação desse porte, conforme destacado pelo presidente-executivo do banco espanhol no país, Jesus Zabalza. “Um banco com patrimônio de cerca de 4 bilhões de dólares para um nível de capital como o nosso é assumível”, disse Zabalza a jornalistas.

No final de maio, o diretor de relações com investidores do Itaú Marcelo Kopel, confirmou que a instituição também estava interessada em comprar o banco. “Estamos olhando não só essa operação, mas inúmeras no País e lá fora. Ao nosso ver, participamos do processo competitivo, mas pode acontecer que outros bancos sejam mais agressivos”, disse, durante uma reunião com analistas e investidores na Apimec-MG.

Conforme destacou o Deutsche Bank em relatório, enquanto a unidade do HSBC Brasil é relativamente pequena, com apenas 2% de participação no mercado de ativos, a avaliação é de que a aquisição poderia adicionar valor para outro banco que pretende aumentar a sua presença no Brasil, tais como Santander, BTG Pactual (BBTG11), Citibank e talvez Inbursa. Vale ressaltar que este último banco, do bilionário Carlos Slim, comprou em 2014 a subsidiária do sul-africano Standard Bank no Brasil.



O analista do Deutsche Tito Labarta destaca ainda que o HSBC é um dos dez maiores players no Brasil, sendo o sétimo maior banco em atuação no País com 2,2% de participação no mercado de ativos e 1,9% dos empréstimos e com 853 sucursais, correspondendo a 3,7% do sistema. O banco possui ainda R$ 57 bilhões em depósitos para uma cota de mercado de 2,9%. A carteira de crédito do banco é composta principalmente por empréstimos comerciais (70%), enquanto empréstimos a pessoas físicas correspondem a 22% e 8% são hipotecas. Labarta estima um valuation potencial dos ativos do banco de R$ 10 bilhões a 14 bilhões (US$ 3,5 bilhões a US$ 4,6 bilhões).

No programa de corte de custos, o HSBC pode anunciar ainda milhares de cortes de empregos em um evento na semana que vem, como parte da estratégia de retomada do maior banco da Europa pelo presidente-executivo Stuart Gulliver, disse a Sky News na segunda-feira.

O plano pode também levar Gulliver a vender as operações no Brasil e na Turquia e reduzir o banco de investimento do HSBC. De 10 mil a 20 mil empregos serão cortados, disse a Sky News, citando fontes não identificadas. O número ainda não tinha sido finalizado e Gulliver revelará o plano em uma apresentação a investidores em 9 de junho, disse a emissora.



Mais informações sobre “grandes bancos”, drogas e corrupção:
  1. http://thoth3126.com.br/o-trafico-de-opio-em-hong-kong-illuminatis/ 
  2. http://thoth3126.com.br/h-s-b-c-opio-e-drogas-a-origem-do-banco-ingles/
  3. http://thoth3126.com.br/a-verdade-sobre-os-grandes-bancos-ocidentais/
  4. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-entrevista-com-banqueiro-suico/
  5. http://thoth3126.com.br/a-situacao-global-uma-atualizacao/
  6. http://thoth3126.com.br/category/reptilianos/
  7. http://thoth3126.com.br/hsbc-bancolavanderia-do-dinheiro-das-drogas/
  8. http://thoth3126.com.br/hsbc-novamente-cometendo-ilegalidades-agora-na-suica/
  9. http://thoth3126.com.br/hsbc-promotoria-suica-investiga-o-banco/
  10. http://thoth3126.com.br/banqueiros-gangsters-muito-grandes-para-serem-presos/


Permitida a reprodução desde que respeite a formatação e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br


Compartilhe:

4Share on Facebook (Opens in new window)4
1Click to share on Twitter (Opens in new window)1
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted under Brasil,Economia, Finanças . Política.


Posted by Thoth3126 on 05/06/2015


Agradecimentos a URL: http://wp.me/p2Fgqo-8z8



Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=veja.abril


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.
Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA







Maio 24, 2015

chamavioleta

EUA multa cinco grandes bancos em US$ 5,7 bilhões por manipulação em taxas de câmbio







Citigroup, JPMorgan Chase, Barclays, Royal Bank of Scotland e UBS conspiraram para manipular mercado cambial e taxas de referência diária, como a britânica Libor.

Segundo o Departamento de Justiça, entre dezembro de 2007 e janeiro de 2013, os operadores encarregados dos mercados de câmbio do euro e do dólar do Citigroup, do JPMorgan Chase, do Barclays e do RBS formaram um grupo, autodenominado “O Cartel”, para manipular o mercado de câmbio conhecido como Forex, no qual todo dia se movimentam mais de 5 bilhões de dólares.

Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Os grandes bancos Citigroup, JPMorgan Chase, Barclays, Royal Bank of Scotland e UBS conspiraram para manipular mercado cambial e taxas de referência diária, como a britânica Libor.


Cinco grandes bancos internacionais terão que pagar ao todo 5,7 bilhões de dólares em multas por terem manipulado o mercado internacional de câmbio e taxas referenciais de juros, anunciou nesta quarta-feira (20/05) a procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch.

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, os bancos americanos Citigroup e JPMorgan Chase e os britânicos Barclays e Royal Bank of Scotland (RBS) admitiram as acusações de conspiração para manipular os mercados de dólar e euro em proveito próprio. Já o suíço UBS admitiu ter participado na manipulação de taxas referenciais diárias, incluindo a Libor, de Londres.


Procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, anuncia as penalidades impostas aos bancos infratores.

Os quatro primeiros bancos concordaram em pagar ao todo 2,5 bilhões de dólares em sanções ao Departamento de Justiça por manipulação das taxas cambiais entre dezembro de 2007 e janeiro de 2013. O Federal Reserve (Fed), banco central americano, cobrou deles mais 1,6 bilhão de dólares em multas. O Barclays terá ainda que pagar 1,3 bilhão de dólares adicionais aos reguladores americanos e britânicos por seu papel no esquema.

As multas de cada banco

Assim, o Barclays pagará a maior multa, de 2,4 bilhões de dólares, por não ter participado, em novembro passado, de um acordo junto a reguladores americanos, britânicos e suíços para encerrar as investigações. O Citigroup pagará 925 milhões de dólares ao Departamento de Justiça, além de 342 milhões de dólares ao Fed. 

A multa do JPMorgan Chase é de 550 milhões, baseada no seu envolvimento de julho de 2010 a janeiro de 2013. Além disso, o Fed receberá mais 342 milhões de dólares.

O UBS, maior banco da Suíça, terá que pagar 203 milhões de dólares ao Departamento de Justiça e mais 342 milhões de dólares ao Federal Reserve. O RBS pagará 395 milhões de dólares de multa, além de uma penalidade de 274 milhões de dólares ao Fed. 

Uma sexta instituição, o Bank of America, terá que pagar 205 milhões de dólares em multas ao Federal Reserve por “práticas arriscadas e insalubres”.


Caso histórico

Segundo o Departamento de Justiça, entre dezembro de 2007 e janeiro de 2013, os operadores encarregados dos mercados de câmbio do euro e do dólar do Citigroup, do JPMorgan Chase, do Barclays e do RBS formaram um grupo, autodenominado “O Cartel”, para manipular o mercado de câmbio conhecido como Forex, no qual todo dia se movimentam mais de 5 bilhões de dólares.

“Quase todos os dias, durante cinco anos, eles usaram uma sala de chat privada para manipular esse tipo de câmbio, utilizando uma linguagem cifrada”, destacou Lynch.

Ela disse que os acordos são históricos. “Eles servem para lembrar que este Departamento de Justiça pretende processar com rigor todos aqueles que tentam virar o sistema econômico em seu favor, que subvertem nossos mercados e enriquecem às custas dos consumidores americanos”, disse.

MSB/ap/dpa/rtr/afp/efe


Mais informações sobre “grandes bancos”, drogas e corrupção:
  1. http://thoth3126.com.br/o-trafico-de-opio-em-hong-kong-illuminatis/ 
  2. http://thoth3126.com.br/hsbc-bancolavanderia-do-dinheiro-das-drogas/
  3. http://thoth3126.com.br/a-verdade-sobre-os-grandes-bancos-ocidentais/
  4. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-entrevista-com-banqueiro-suico/
  5. http://thoth3126.com.br/a-situacao-global-uma-atualizacao/
  6. http://thoth3126.com.br/category/reptilianos/
  7. http://thoth3126.com.br/h-s-b-c-opio-e-drogas-a-origem-do-banco-ingles/
  8. http://thoth3126.com.br/barclays-eua-uk-multam-banco-em-us-453-milhoes-por-fraude/
  9. http://thoth3126.com.br/manipulacoes-do-mercado-financeiro-e-ouro/
  10. http://thoth3126.com.br/banqueiros-gangsters-muito-grandes-para-serem-presos/


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

7Share on Facebook (Opens in new window)7
1Click to share on Twitter (Opens in new window)1
Click to share on Reddit (Opens in new window)
Click to email this to a friend (Opens in new window)

Posted by Thoth3126 on 24/05/2015

URL: http://wp.me/p2Fgqo-8wT




Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=bancos

Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 

Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 




Janeiro 27, 2015

chamavioleta

Os gregos acabam com a escravidão da dívida, um rei mau morre, ataque russos, bancos centrais em pânico e a elite perde tempo em Davos, enquanto o mundo queima.

Por Benjamin Fulford

 Tradução: Candido Pedro Jorge


A revolução mundial contra o domínio da cabala e a escravidão por dívida de estilo babilônico continua a se desdobrar, deixando a Europa e Oriente Médio em tumulto. Na semana passada, os gregos fizeram a jogada mais ousada, quando fecharam o governo escravo da cabala e elegeram um governo que promete acabar com a escravidão por dívida. Os russos não ficaram muito atrás, quando colocaram as luvas e iniciaram uma campanha militar em grande escala contra o exército mercenário da cabala, no leste da Ucrânia. Além disso, o governo escravo da cabala, no Iêmen, país que se encontra próximo aos campos de petróleo da Arábia Saudita, foi derrubado na semana passada, ao mesmo tempo em que o rei saudita Abdullah morria.

O sistema bancário europeu também está em crise grave, com o Banco Central Europeu sendo forçado a emitir mais de um bilhão de euros, aparentemente para impulsionar a economia, embora, na realidade, seja para evitar o colapso total do sistema bancário europeu.

Estes incidentes são partes correlacionadas de uma única campanha para libertar o planeta de uma conspiração satânica que ainda está tentando iniciar uma 3ª Guerra Mundial, a fim de escravizar humanidade de forma permanente.

Também na semana passada, representantes do grupo que tenta substituir o dólar controlado pela cabala pelo SDR/DEG (Direitos Especiais de Giro) contataram a Sociedade do Dragão Branco para tentar justificar os seus planos. A essência de sua mensagem era de que, a fim de reduzir as distorções na economia mundial causada pelo dólar norte-americano, precisavam para substituí-la gradualmente com a SDR/DEG. Basicamente, era uma ladainha totalmente disfarçada em pomposa linguagem financeira.

Foram informados numa linguagem clara que as demandas para realizar um jubileu, uma redistribuição de ativos (apenas uma única vez) e uma campanha maciça (de vários bilhões de dólares) para acabar com a pobreza e deter a destruição ambiental eram exigências inegociáveis. Se não conseguirem fazer isso, foram informados de que era uma certeza matemática que seu atual sistema entraria em colapso numa falha catastrófica, levando a um cenário de banho de sangue do tipo da Revolução Francesa.

A mesma elite, reunida em Davos, na Suíça, na semana passada, parecia estar admitindo a derrota, pelo menos de acordo com os títulos de seus painéis de discussão, tais como:

"Lideranças em crise; desigualdade, polarização, paralisia: “A liderança pública está falhando?” e, "Estão os modelos de crescimento existentes falhando em conseguir empregos e não redirigir a desigualdade de ingressos?”


No caso de não terem ainda percebido, a resposta para ambas as perguntas é "sim".

Vamos dar uma olhada mais de perto na situação grega para compreender o tipo de políticas levadas a cabo pelas pessoas agora no comando do mundo financeiro ocidental. Os gregos foram colocados sob os cuidados do FMI em 2010. Como um escritor econômico deixe-me dizer-lhe que tenho visto várias e várias vezes ao longo dos anos a mesma coisa acontecer quando os países caem sob o domínio do FMI. Todos eles disseram a mesma coisa: "Espremer bem o dinheiro que possa arrancar de seu povo, tome todos os seus recursos e entregue à máfia dos bancos internacionais". Isso é o que o governo escravo grego, que saiu fez. O resultado foi que o PIB grego caiu 25%, a renda caiu 30% e a dívida subiu de 126% do PIB em 2010 para 175% hoje. Para finalizar, um monte de suas ilhas já não são gregas.


Os gregos finalmente tiveram o suficiente e elegeram um governo que promete renegar a dívida. Ainda pretendem utilizar o Euro, todavia se fizerem isso, terão que continuar sob as ordens dos alemães. Fariam melhor em notar que os russos ofereceram enviar o gás que enviam para a Europa, através da Grécia, (pagando aos gregos as taxas de transbordo) e comprando produtos gregos. Se os gregos emitirem sua própria moeda, é verdade que a maioria de sua elite já não será capaz de comprar carros Mercedes Benz, todavia, o fluxo de entrada de turistas que se seguiria e a saída das exportações gregas tornariam a classe media grega muito mais rica.

É apenas uma questão de tempo antes que os espanhóis e italianos descubram a mesma coisa. O projeto Euro só funcionará se os países mediterrânicos entregarem o controle completo aos burocratas não eleitos, em Bruxelas e seus senhores da cabala. O resultado disso seria o fascismo na Europa.

Agora vamos olhar para o que os russos estão fazendo. Após o corte das últimas semanas do gás para o governo nazista ucraniano, perpetuamente velhaco, os russos finalmente tiraram as luvas de pelica e foram numa ofensiva total contra o exército de mercenários estrangeiros no Leste da Ucrânia. Os russos estão lutando por sua terra natal, os mercenários por dinheiro. É uma suposição muito fácil de saber quem vai ganhar.

Os novos aliados da Rússia, os Turcos, em conjunto com os iranianos, os iraquianos e o Pentágono, entretanto, continuam a sua ofensiva contra os regimes satanistas, árabe e israelense. 

A morte, na semana passada do rei Abdullah, um dos líderes mais depreciáveis deste planeta, marcou um ponto de virada.


Seu irmão, o senil Salman, assumiu seu cargo, todavia esse regime, líder mundial do financiamento do terrorismo, está fadado ao colapso.

Aqui, a propósito, poderão ver o presidente Obama se curvar e beijar o anel de Abdullah e George Bush Jr. aparentemente beijando-o com a língua.



Lembrando que ambos os sauditas e os Bushes estavam profundamente envolvidos na traição do 11/09 contra os Estados Unidos, enquanto os EUA continua a repetir suas mentiras sobre esse incidente.

A queda dos preços do petróleo e os exércitos que se aproximam, são ambos precursores da desgraça para esse regime satânico.

A queda do regime fantoche da cabala e da cabala saudita no Iêmen, na semana passada, também marcou um ponto de inflexão. Os iemenitas têm considerado por muito tempo seus vizinhos sauditas, como pastores de camelos sem sofisticação e rudes, que simplesmente tiveram a sorte de encontrar petróleo. O quadro está prestes a mudar.

As inteligências, britânica e francesa agora estão informando que ou regime zionazi israelense de Netanyahu, o regime nazi-sionista, está perdendo grande parte da renda do petróleo do Oriente Médio que roubou do Iraque, devido às perdas militares do exército criado pelos israelenses de ISIS/Arábia. Por essa razão, de acordo com um agente francês, "O ministro da Defesa francês esteve em Riyadh, em 4 de janeiro de 2015 e confirmou que a Líbia será invadida, no prazo de 3 meses com a finalidade de garantir petróleo para Israel".

Lembrando que, tanto a França como Israel são dirigidos em segredo pela família Rothschild. Portanto, o que realmente está acontecendo é um esforço para evitar a falência dos Rothschilds mediante o roubo de petróleo do Oriente Médio e de gás da Ucrânia. Mensagem para a família Rothschild: Está matematicamente condenada à falência e uma onda de crimes internacionais não irá salvá-la. Além disso, fique fora da Líbia.

Falando sobre falência, algumas das vítimas bancárias da recente queda nos preços do petróleo estão começando a aparecer. De acordo com fontes do MI5, a "Standard and Chartered está à procura de um novo chefe, como resultado do mau desempenho das commodities e do petróleo, a exposição do JP Morgan para produzir petróleo de grau não valido com investimento e divida de gás de 99,9 bilhões de dólares, a do Wells Fargo, 98 bilhões e a do Bank of America é de 58,7 bilhões de dólares. "Isso é apenas a ponta do iceberg. O enorme mergulho do Euro também, com certeza, matematicamente condenou muitos bancos.

Podem ter certeza de que planos estão sendo preparados, neste exato momento, para aproveitar as contas bancárias das pessoas comuns, a fim de salvar os banqueiros e os bancos.

A conclusão é que o modelo econômico europeu/americano, baseado na escravidão por dívida e usando exércitos de secretos para roubar recursos não está mais funcionando. Brincar com o sistema usando esses truques como taxas de juros negativas e dinheiro impresso não irão funcionar.

O que é necessário é uma versão ocidental do modelo hibrido de planejamento central/capitalista que os japoneses costumavam ter (até que os americanos forçaram a desmantelá-lo) e que os chineses imitaram com grande sucesso. O sistema precisa ser reiniciado.

Benjamin Fulford 


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub