Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Setembro 09, 2023

chamavioleta

Estás a adorar a Fonte ou a Satanás?

Por Steven

Tradução a 9 de setembro de 2023

 

 

Provavelmente, se você não está ciente de que foi enganado para adorar Satanás, então ainda está a ser enganado! Acredita que você e todos os outros são deuses e deusas? Isso deixa-te desconfortável? Tem consciência de que foi criado à imagem da fonte? Com os mesmos poderes e capacidades?
 
Ou acredita que Deus sacrificou seu filho por você? Acredita que ele vai punir aqueles que não seguem suas regras e honram seu sacrifício? Acredita que ele se senta nos céus esperando para te julgar e todos os outros? Acredita que Deus irá favorecê-lo se você fizer a sua obra? Ora em nome de Jesus? Se o fizer, então não está a adorar a Fonte [da vida, Deus], está a adorar a Satanás!
 
A Fonte é o amor incondicional, nada mais! A fonte não julga, não tem IRA. A Fonte nunca te pediria que sacrificasses steu filho, mudasses de sexo, trocasses de esposa, bebesses sangue, comesses carne de crianças ou Jesus (HeyZeus)! A Fonte não quer ser adorada, na verdade, toda a ideia de adoração é ignorante. Satanás quer ser adorado.
 
A Fonte quer que acorde. Quer que percebas a tua verdade! A verdade de quem és. Você é uma gota do oceano divino, uma onda do mar divino! Você não é um pecador humilde que precisa de salvação! Não! Você é um filho da Fonte fazendo o seu caminho de volta à Fonte!
 
Você conhece a verdadeira história de Cristo? Sabe por que eles editaram radicalmente seus ensinamentos? Sabe por que eles mudaram seu nome para Hey Zeus [Jesus]? Yeshua ben Joseph tem uma vibração alta, Zeus tem uma vibração baixa. Porque eles adoram Satanás e querem que você o adore também. Acredita que a Bíblia é a palavra não editada de Deus? Acredita que Deus pediu a Abraão para sacrificar seu filho Isaque? Se assim for, você foi enganado.
 
Cresci na típica Igreja Metodista, frequentando aos domingos com os meus pais. Eles me colocaram na Escola Bíblica de férias e, quando eu era adolescente, concordei com a narrativa deles de que eu era um pecador que precisava ser salvo e graduei sua iniciação de convocação. Lembro-me de que tive uma dor no estômago durante toda a cerimônia, pois tudo isso fazia pouco sentido e meu eu superior não gostava disso. Li A Bíblia e ouvi pregadores que às vezes ensinavam uma lição decente, mas muitas vezes vomitavam muitas bobagens sobre o inferno, a condenação, a ira e o medo. Nada disso fazia sentido e entrava em conflito com o amor incondicional. Especialmente a parte em que havia apenas um caminho para o céu e era o caminho deles, que era admitir meu humilde status de pecador e honrar o Deus que sacrificou seu filho por mim, realmente? Então eu precisava fingir beber seu sangue e comer sua carne em uma cerimônia ritual todos os domingos, realmente? Tenho de admitir que são uns bastardos espertos. Eu realmente acho difícil acreditar que eles poderiam conseguir isso em uma escala tão grande, mas os bastardos inteligentes fizeram isso.
 
Isso nem sequer me deu a luz sobre o que estava acontecendo até que aprendi muitas outras coisas. Primeiro tive de aprender como este grupo de adoradores de Satanás tinha sequestrado o nosso sistema financeiro. Os bastardos espertos de alguma forma nos fizeram concordar em deixá-los imprimir uma moeda fiduciária sem valor infinito e emprestá-la a nós para que pudéssemos passar nossas vidas na escravidão. Tomaram o controlo da América, a terra dos livres, em 1871, quando se infiltraram suficientemente no nosso governo para lhes permitir aprovar este acto inconstitucional da Inglaterra. Então, em 1913, eles se encontraram na Ilha Jekyll e criaram o federal reserve em violação da nossa Constituição. Eles também nos transformaram em uma corporação que impactou drasticamente nosso sistema judicial. Caímos no direito marítimo e as massas nem sequer sabiam disso! Os bastardos espertos!
 
Eu estava começando a ter um vislumbre de quanto controle esses adoradores de Satanás tinham. Aprendi mais peças deste grande quebra-cabeça quando soube quão corrupto era o nosso sistema médico. Eu tinha vinte e um anos quando consegui meu primeiro emprego como professor de matemática certificado. Durante esse primeiro ano, o meu director ameaçou-nos numa reunião da faculdade. Ela disse que íamos tomar a vacina contra a gripe, ela estava a pagar por isso, disse ela. Se nós, por alguma razão estranha, não o apanhássemos, e tivéssemos gripe, então ela estava a pagar-nos, disse ela. Bem, eu entendi, e o resto do pessoal também. Fiquei com gripe dias depois de tomar a vacina. Eu estava tão doente que não consegui sair da cama por 3 dias. Nunca tinha estado doente assim antes. Esta ameaça contra nós saiu pela culatra porque todo o nosso pessoal estava doente e não havia subs suficientes! Comecei a fazer algumas pesquisas. Nunca mais tomei outra dose ou medicação desde este dia, há 35 anos.
 
Na minha pesquisa, descobri que Rockerfeller tinha criado todas as escolas de Medicina e também era dono das empresas farmacêuticas. O currículo foi diagnosticar e prescrever, tudo pela sua estretura. Os mesmos bastardos espertos tinham assumido o controlo total do nosso sistema médico. Ele tinha os livros escolares chamando-o de filantropo, um humanitário honrado, enquanto ele estava traficando nossos filhos, sacrificando-os em rituais ao seu Deus. Bastardo doente
 
O mesmo grupo de adoradores de Satanás, conhecido como os 300, agora tinha ganho o controle total do nosso sistema bancário, sistema político, sistema judicial, sistema médico, bem como o sistema educacional.
 
Eles sempre tiveram o controle do sistema religioso. Foi invenção deles. Eles estabeleceram o Vaticano como sua sede. Então, quando você conseguir peças suficientes do quebra-cabeça, pode ver que fomos enganados e manipulados durante toda a nossa vida, enganados em grande escala.
 
E agora? O que fazemos em relação a isso? Bem, fomos programados para acreditar que Deus está no controle, qual Deus? Satanás ou Fonte? Bem, nós, o coletivo, temos uma escolha. A Fonte nos deu livre arbítrio. Podemos continuar fazendo o que sempre fizemos e dar nosso poder aos controladores das trevas, esperar que um Salvador nos salve, ou podemos ouvir a centelha divina dentro de nós que está nos guiando para acordar, perceber a verdade, dizer NÃO à agenda das trevas! Estamos a criar este sonho, temos de decidir! O que será?
 
Steven
 
 
 

 
Transcrito por  http://achama.biz.ly  com agradecimentos a: 
 

 

Agosto 18, 2023

chamavioleta

ABRAÇANDO A TOTALIDADE

A missão benevolente da Federação Galáctica

Por Aurora Ray 

Tradução De Coração a Coração

a 18 de agosto de 2023

 
 
 
Há muito tempo, seres maiores do que nós, a quem chamávamos de deuses, teceram o intrincado tecido da criação em nosso planeta. Eles eram incrivelmente sábios, infundindo inteligência em todos os seres vivos, até mesmo nas menores moléculas em nossas mãos. Tudo deveria estar conectado, como uma sinfonia harmoniosa, onde cada parte desempenhava seu papel para o bem maior.
 
Mas hoje, nós, como humanos, caímos em uma crença equivocada de separação. Nós nos vemos como indivíduos desconectados da vasta teia de energia, ansiosa para colaborar conosco. Essa crença obscurece nossa visão, impedindo-nos de abraçar a verdadeira totalidade da existência.
 
Porém, com boas intenções, a Federação Galáctica busca revelar os mistérios de seus antigos experimentos na Terra. Em tempos de caos e opressão, eles enviaram grupos benevolentes de seu lar distante para diferentes partes do nosso planeta. Suas ações foram sutis, mas poderosas, compartilhando fragmentos de sua energia cósmica com pequenos grupos de consciência em um esforço para nos lembrar da interconexão que há muito esquecemos.
 
Foi um ato de esperança, pois eles sabiam da iminente calamidade e opressão que nosso planeta enfrentava. Seus gestos gentis serviram como faróis, guiando-nos para uma compreensão mais profunda e um reencontro com o cosmos.
 
Agora, ao despertarmos para nossa interconexão, devemos ir além da separação. As energias que nos dão vida nos chamam para participar da grande sinfonia da criação. É hora de ouvir o chamado cósmico, abraçando a unidade e a colaboração.
 
O caminho à frente pode ser desafiador à medida que nos aventuramos em reinos desconhecidos e exploramos as profundezas de nossas almas. Juntos, vamos reescrever a história da existência, revelando verdades cósmicas que ficaram escondidas por muito tempo. Nossa jornada não é sobre isolamento; é uma peregrinação rumo à unidade e à autodescoberta. A Federação Galáctica está aí para nos guiar nesta busca pela iluminação.
 
Nestes tempos confusos na Terra, não há dúvida de que as coisas estão difíceis. Mas dentro dessa confusão, há uma chance para nós. Cada um de nós foi chamado para fazer algo importante. Muitos receberam esse chamado, mas apenas alguns são corajosos o suficiente para entrar no desconhecido e defender o que acreditam, mesmo que outros não os apoiem.
 
A Federação Galáctica vê o que estamos fazendo e tem orgulho de nós. Eles respeitam nossa escolha de explorar coisas novas e compreender partes de nós mesmos que não sabíamos antes. Eles gostam que estejamos dispostos a experimentar novas possibilidades e tornar nossas vidas melhores. É hora de cada um de nós brilhar à sua maneira, espalhando energia positiva para os outros enquanto deixamos a luz entrar em nós mesmos e na Terra.
 
A Federação Galáctica também sabe se divertir. Eles usam a brincadeira para nos ajudar a ver o que pode estar nos impedindo. Eles querem que deixemos de lado as dúvidas e os medos e sigamos em frente sem os pesos do passado.
 
Nesta dança cósmica, nós somos os protagonistas. Estamos no controle de nossas vidas. À medida que aprendemos sobre nós mesmos, também aprendemos como nos encaixamos no quadro maior do universo.
 
O universo nos apoia e existem forças amigas torcendo por nós. Cada um de nós tem um papel especial a desempenhar, um propósito que nos conecta com o mundo maior. À medida que exploramos a nós mesmos, nos tornamos fontes de luz para os outros. Compartilhamos esperança, sabedoria e amor. Os desafios virão, mas eles nos tornam mais fortes e conectados com tudo ao nosso redor.
 
Ao avançarmos nesta jornada desconhecida, lembremo-nos de que não estamos sozinhos. O universo nos apoia e fazemos parte de uma dança cósmica maior. Vamos abraçar esta conexão cósmica e embarcar em uma viagem que nos leva a um futuro mais brilhante e com união.
 
Vamos aceitar este convite cósmico com o coração feliz, sabendo que não estamos sozinhos. A Federação Galáctica está conosco, guiando-nos pelo desconhecido. Com alegria e determinação, avançamos para um futuro cheio de possibilidades. Nossa luz coletiva brilhará, dissipando a escuridão de nosso mundo. Juntos, nos levantamos e mudamos, fazendo a diferença no mundo agora.
 
Então, vamos liberar os grilhões da separação e entrar no ritmo do cosmos. Não somos meros espectadores, mas participantes ativos nesta dança cósmica da vida. Ao alinharmos nossas frequências com o grande projeto do universo, abriremos um caminho mais brilhante para nós mesmos e para toda a criação.
 
A jornada para a unidade começa agora.
 
Nós os amamos muito.
Estamos aqui com vocês.
Somos sua família de Luz.
Nós somos a Federação Galáctica.
 
A’HO
 
Aurora Ray
Embaixadora da Federação Galáctica
 
 
Direitos autorais 2023 Aurora Ray – 
Por favor respeite todos os créditos ao compartilhar

Nota minha: 
Temos ADN dos pleiadianos por eles terem colonizado este planeta na antiguidade remota, algo parecido como os brasileiros têm dos portugueses.

Dezembro 20, 2022

chamavioleta

Tempos de mudança
Por Teri Wade
deixaracaixa.blogspot.com/2022/12/tempos-de-m
rayviolet2.blogspot.com/2022/12/tempos-de-mud

Os Pleiadianos que tiveram a grande ambição de terraformar a Terra no tempo da Atlântida e Luméria (Lemúria) e têm a maior parte do património genético da raça humana, estarão mais uma vez no colectivo do nosso futuro próximo.

Isto será feito em primeiro lugar através da nossa consciência e das ondas de energia. Depois, sem dúvida, mostrar-se-ão publicamente à população da Terra em devido tempo. Tem havido um movimento de libertação em direcção ao Direito Universal, mas devido à directiva principal, à política de não-interferência e de livre arbítrio, têm limitado o progresso.

Porém, devido à energia extremamente negativa aqui na Terra, a rede Draconiana está a ser removida devido ao perigo extremo que criaram para a raça humana e à Terra. As forças malévolas serão recolhidas, esta é uma operação multidimensional.

A desumanidade é tanta que caiu nas mãos destes seres malévolos não humanos fora do mundo e dos seus homólogos humanos. Os seus modos enganosos serão levados ao conhecimento da humanidad e jamais serão tolerados. Isto está a acontecer neste preciso momento....+ deixaracaixa.blogspot.com/2022/12/tempos-de-m

Janeiro 10, 2021

chamavioleta

2021 marca o Retorno dos Deuses e Mestres Ascensos

Por Assulus Sentinela

9 de janeiro de 2021.

 
 


 

Os Mestres Ascensos são quem nós seremos em um futuro próximo. São seres que passaram por muitas Missões ao longo das Eras, em diversos Sistemas Estelares, e essas Missões lhes outorgaram iniciações e consagrações específicas de Lojas como a Grande Loja Azul de Sírius para que eles pudessem se locomover livremente por inúmeras dimensões da Criação, e serem detentores de conhecimentos evolutivos específicos, realmente como em cores-raios diversos. Os Mestres Ascensos podem manipular várias dimensões, incluindo a entrada e saída do plano físico aos seus bel-prazeres, mas claro, isso só pode acontecer enquanto o planeta onde vivem esteja quanticamente apropriado para tal habilidade. E é aí que entra o problema inerente na Terra. Fato é que as forças negativas ao criarem a Matrix, pensaram muito bem em como não permitir a manifestação física de um Mestre Ascenso, um Deus, ou uma Deusa Estelar.

As forças do Quimera conseguirem descobrir quase toda a estrutura quântica das dimensões que permeiam mais diretamente a fisicalidade. Ao longo das Eras e das Guerras Galáctica, eles roubaram muitas tecnologias quânticas um tanto quanto delicadas dos Pleiadianos, Sirianos, e dos Lyrianos, por exemplo. Então, as forças do Quimera / Império Interestelar de Órion, estudaram essas tecnologias e as incrementaram ao ponto de serem capazes de criar o que a Gnose antiga denomina como o “Stereoma”.

O Stereoma é a antítese do Pleroma, que a Gnose denota como toda a região de uma Galáxia onde o Sol Central Local ilumina, e tudo evoluí para a Luz. O Stereoma, por sua vez, é uma região Eletromagnética Nula, uma bolha de flutuações quânticas e anomalias primárias e muito plasma denso, onde nem mesmo as naves da Federação podem voar com facilidade. Todos os aparelhos e ou habilidades de seres evoluídos que mexem com a estrutura quântica do respectivo planeta-refém, são drasticamente limitados, podendo os seres da Luz até caírem em terríveis armadilhas, ficarem presos no Stereoma / Matrix, e serem levados para as prisões subterrâneas do Quimera, se tentarem abusar dessas habilidades. O Stereoma iguala à todos como mera matéria física, e nos separa da Alta Magia.

É interessante notar que o núcleo do Quimera veio de uma civilização de Luz, possivelmente da Galáxia de Andrômeda, que de tanto flertar com a parte mais complexa da quântica, os buracos-negros, destruíram o seu contato com a Fonte. Desde então os corpos energéticos dos quimeras são imbuídos de uma quântica reversa, entrópica, que suga toda a Vida-Luz em sua volta, como mini-buracos negros. E eles tentam nos transformar em seres tão entrópicos quanto eles, nos colocando implantes etéricos de mini-buracos negros, e os relacionando à uma má ordenação do tecido quântico do planeta … Por isso, como eles também são aranhas tecnológicas siderais, o Stereoma cairia metaforicamente como a sua ‘teia’ quântica, uma armadilha sideral para qualquer frota ou visitantes do espaço que estejam mal informados sobre os perigos do Stereoma, e uma forma de suprimir as ações físicas de um Mestre Ascenso, o rastreando e o atacando brutalmente, quando ele conseguir se manifestar.

Tudo o que está, principalmente na dimensão física de um planeta sob o Stereoma, tende à seguir a lei da entropia, onde tudo e todos se vampirizam e se matam o tempo todo. Mas sem a programação do medo da morte e outras programações das religiões, todas as tecnologias quânticas e os implantes perderiam a aderência nos planos mais sutis do consciente coletivo, e fatalmente os quimeras procurariam outro povo no espaço profundo involuído o bastante para ser vampirizado. Ou ainda melhor, este Despertar daquela população poderia simplesmente arrancar todas as defesas do Quimera, e então as Frotas e Agrupamentos de vanguarda da Federação, poderiam capturar todos eles. E o que tudo indica é que após 7 milhões de anos causando caos e destruição nestas bandas do Cosmos, a Terra servirá como o palco da Derrota Final do Império Orion-Quimérico. E nós seremos alguns dos poucos que verão isto, não só no mesmo planeta onde ocorrerá o Show, mas com o agravante de estarmos na fisicalidade nestes tempos!

Recentemente, o Guerreiro da Luz – COBRA, recebeu uma Intel que informou que à partir do dia 21 de dezembro de 2020, mais uma densa camada da Matrix foi removida, e este feito aparentemente permitiu aos Mestres Ascensos verem o verdadeiro núcleo da Matrix / Stereoma, nos aproximando drasticamente do Evento / O Retorno do Pleroma. Agora eles conseguem de fato dominar o sinistro segredo atômico das qualidades de armas quânticas mais poderosas do Quimera e seus implantes, e destruí-las às suas maneiras, e no tempo mais apropriado.

Vocês podem imaginar como seria um planeta onde os Mestres Ascensos, Deusas e Deuses, pudessem andar livremente na fisicalidade?! A primeira imagem que nos vem à mente é o Reino paradisíaco da Atlântida, Oh, como era paradisíaco, extasiante e multidimensional aquele Reino. Então, que tal focarmos completamente à partir de 2021, em ajudar os Mestres Ascensos, que estão voltando à fisicalidade, à fundarem uma Nova Atlântida?!

Basta espalharmos a Mensagem com Amor, agora todos estão muito mais abertos!

A Luz Venceu!

Assulus Sentinela

 
 




Sítio (site) Principal: http://achama.biz.ly/
e-mail: site@achama.biz.ly
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!


 

Novembro 08, 2020

chamavioleta

Os mitos gregos

Por Eu Sem Fronteiras

8 de novembro de 2020. 

 
 
 
 
Você já deve ter falado sobre mitologia grega, não é mesmo? Em algum momento, seja numa conversa, num livro, num filme ou numa reportagem por aí, os nomes dos deuses gregos, uma metáfora envolvendo personagens da mitologia grega ou variações disso já devem ter cruzado o seu caminho.
 
Diferentemente das religiões organizadas que temos hoje, como o cristianismo, o judaísmo e o islamismo, a mitologia grega não tinha um livro sagrado que apresentasse seus deuses e seus ensinamentos, até porque estamos falando de histórias que surgiram no século V a.C., quando ainda nem havia meios de registrar por escrito as lendas que eram populares à época.
 
Como não eram registradas, os mitos, isto é, as lendas que apresentavam as figuras cultuadas e as histórias que moldavam o imaginário do povo da Grécia, sobreviveram ao longo dos anos passando de geração para geração, por meio de pinturas e de cerâmicas, além de ruínas de estátuas e de templos dedicados aos deuses e às figuras da mitologia grega.
 
Como eram histórias comumente orais e adaptadas pelos grandes poetas da época, como Homero e Hesíodo, os mitos não são histórias definitivas e tinham variações, dependendo do local da Grécia onde fossem contados. Por exemplo: Ares, o deus violento e viril da guerra, era muito admirado na cidade-estado de Esparta, conhecida por seus guerreiros ferozes, enquanto que era praticamente ignorado no restante do território grego, onde a irmã de Ares, Atena, era considerada deusa da guerra e da sabedoria, já que os gregos aplicavam bastante táticas e estratégias de combate em seus conflitos.
 
É difícil mensurar a influência da mitologia grega na cultura do mundo moderno, mas ela é bem extensa, já que nomes como Minotauro, Medusa, Hércules e Pandora provavelmente dizem algo para você, mesmo que de maneira abstrata. Confira abaixo algumas das principais criaturas dos mitos gregos e, em seguida, alguns dos mais famosos mitos gregos.
 
Os principais personagens dos mitos gregos (dodecateão)
 
• Deuses
 
Figuras imortais e superiores aos homens mortais. Apesar de serem criaturas superiores, apresentam características, sentimentos e personalidade humanas, que ficam expressas na maneira como manifestam suas emoções, que incluem desejo sexual, inveja, ambição, ciúme, violência e por aí vai. Os deuses, segundo a mitologia grega, moravam num palácio no topo do Monte Olimpo.
 
Adrian Balea / Pixabay
 
 
Confira uma pequena lista com os doze deuses do Olimpo e suas atribuições: Zeus (deus dos céus e dos trovões, líder dos deuses), Hera (deusa da maternidade, do casamento e das mulheres), Poseidon (deus dos mares, dos terremotos e das tempestades), Atena (deusa da guerra e da sabedoria), Ares (deus da guerra e da virilidade), Deméter (deusa da agricultura e das estações), Apolo (deus do sol, das artes e da justiça), Ártemis (deusa da vida selvagem e da caça), Hefesto (deus do fogo e do metal), Afrodite (deusa do amor, da sexualidade e da beleza), Hermes (mensageiro dos deuses, deus das viagens e da comunicação) e Dionísio (deus das festas e dos vinhos).
 
• Heróis
 
Nomes pelos quais são conhecidos os semideuses mortais, que eram filhos dos deuses imortais com humanas mortais. São bastante conhecidos por demonstrações de força e astúcia. Alguns dos mais conhecidos são Perseu (filho de Zeus, conhecido por matar a Medusa), Teseu (conhecido por matar o Minotauro), Hércules (também chamado de Herácles – famoso por ter que realizar doze trabalhos), Aquiles (mais famoso guerreiro da mitologia grega, protagonista da Guerra de Troia), Édipo (decifrou o enigma da esfinge) e Cadmo (derrotou o dragão que atemorizava a cidade de Tebas).
 
• Musas
 
Criaturas semidivinas que inspiravam os humanos em relação às artes e ao conhecimento. Eram nove as musas, todas filhas de Zeus e de Mnemósine: Clio (musa da História), Polímnia (musa da comunicação), Urânica (musa da astronomia), Erato (musa da poesia romântica), Euterpe (musa da música), Calíope (musa da poesia épica), Melpomene (musa da poesia trágica), Terpsícore (musa do canto e da dança) e Talia (musa da comédia e do humor).
 
• Criaturas míticas
 
Algumas criaturas míticas, normalmente com características físicas humanas, são frequentemente apresentadas nos mitos gregos. Alguns exemplos são o Minotauro (criatura com corpo de homem e cabeça de touro), Sereia (criaturas do mar que têm corpo metade em formato humano, metade em formato de peixe; elas atraem marinheiros com um canto bonito e os matam afogados), Centauro (seres com torso humano e patas de cavalo; são protetores da floresta), Medusa (famosa mulher com poderes de feiticeira e cobras no lugar dos cabelos.
 
Stefano Ferrario / Pixabay
 
Essas criaturas, deuses e heróis são protagonistas de boa parte dos mitos mais famosos da mitologia grega:
 
• A caixa de Pandora
 
Uma das mais famosas histórias da mitologia grega é o mito da criação da primeira mulher mortal. Segundo a lenda, Pandora foi concebida, a mando de Zeus, por Hefesto. Ela foi enviada à Terra pelo deus dos deuses como um presente para os homens, mas levou consigo uma caixa e a advertência de que jamais deveria abrir essa caixa. Um detalhe era que, até então, o mundo era regido pela paz e não havia guerras e conflitos. Pandora não sabia, mas carregava dentro de sua caixa todos os males possíveis, como guerras, pestes e fome, além de inveja, ciúme e outros sentimentos. Um dia a curiosidade de Pandora falou mais alto e ela abriu a caixa, deixando escapar tudo o que havia lá dentro, causando a deterioração do mundo dos humanos.
 
• O mito de Prometeu
 
Prometeu era um titã, um dos deuses menores, que não fazia parte dos deuses do Olimpo. Segundo a lenda, ele roubou o fogo dos deuses, moldou criaturas em barro e colocou nelas o fogo dos deuses, dando origem aos seres humanos. Quando Zeus descobriu o que Prometeu fez, impôs a ele um castigo terrível: todos os dias, uma águia devoraria o fígado dele, enquanto ele viveria acorrentado em uma pedra. Todas as noites, o fígado dele se reconstituiria, então a águia o atacaria no dia seguinte novamente, o que se repetiria até o fim dos tempos.
 
• Perséfone e as estações do ano
 
Perséfone, conhecida como deusa das ervas, das flores e dos frutos, era filha de Deméter e de Zeus. A relação de Perséfone com sua mãe era muito boa, elas eram muito próximas. Um dia, Hades, o deus do submundo, viu Perséfone e se apaixonou por ela. Obcecado pela deusa, ele a raptou e a levou ao submundo. Deméter ficou desesperada quando descobriu que sua filha havia desaparecido e investigou todos os lugares possíveis para encontrá-la. Quando a encontrou sob o comando de Hades, ela estabeleceu um acordo com o deus do submundo: Perséfone passaria ¾ do ano com a sua mãe e ¼ do ano com Hades, o que deu origem às estações do ano: primavera e verão quando Perséfone e Deméter estavam felizes e juntas, outono quando a mãe já se preparava para a partida da filha e inverno quando ela estava longe, no submundo, com Hades.
 
• O mito da Medusa
 
Medusa era uma sacerdotisa do templo de Atena. Poseidon, que se sentiu atraído pela beleza monumental dela, violou-a, o que quebrou a castidade do templo. Atena, em vez de acertar contas com Poseidon, puniu a vítima, transformando-a num monstro com serpentes no lugar dos cabelos, o que a condenou à solidão. Quem olhava para os olhos de Medusa era transformado em pedra, por isso ninguém poderia chegar perto dela. Desafiado num torneio, o herói semideus Perseu se atreveu a matar Medusa, guiando-se pelo reflexo de seu escudo para que não precisasse olhar nos olhos petrificantes dela.
 
Nightowl / Pixabay
 
• O mito de Narciso
 
Narciso era filho de uma ninfa, entidade que era guardiã da natureza, e era considerado o mais belo dos rapazes do mundo. Narciso recusou todas as pretendentes que apareceram em sua vida, mesmo aquelas que homem nenhum recusaria. Após algum tempo, descobriu-se que ele havia visto sua imagem refletida em um rio e se apaixonou por si mesmo. Desesperado por não poder consumar o seu amor, ele esmurrou seu próprio peito até morrer, virando flor no final.
 
• Os doze trabalhos de Hércules
 
Hércules era filho de Zeus com uma mortal, o que causou ciúme doentio em Hera, esposa de Zeus. Desde o nascimento do menino, Hera tentou enlouquecê-lo e atrapalhar sua vida. Quando já era casado, Hércules teve um acesso de loucura e matou sua própria esposa e seus filhos. Para se redimir dessas mortes, Hércules procurou o Oráculo de Delfos, mais famoso templo de consulta aos deuses, que exigiram que ele realizasse doze trabalhos para receber o perdão: lidar com um leão, uma hidra, um javali, uma corça, aves gigantescas, um touro, éguas e cavalos, bois, entre outros desafios, como tomar o cinto de ouro da rainha das amazonas, o que era extremamente perigoso.
 
Conclusão
 
Os mitos gregos são inúmeros e existem muitos outros que provavelmente não sobreviveram ao tempo e sobre os quais nunca saberemos. Se você se interessa por mitologia grega, procure os livros clássicos, como “A Ilíada” e “A Odisseia”, de Homero, entre outros guias e compilados de mitos gregos.




Sítio (site) Principal: http://achama.biz.ly/
e-mail: site@achama.biz.ly
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!


 

Setembro 27, 2020

chamavioleta

Deuses Indianos e seus significados.

Por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

25 de setembro de 2020. 

 

 
 
 
 
O hinduísmo é uma das principais religiões praticadas no Oriente, mais especificamente na Índia, e a quantidade de deuses, costumes e tradições dos hindus fascinam pessoas pelo mundo todo. Nesse artigo, vamos falar um pouco sobre os principais deuses do hinduísmo e as suas características. Veja abaixo:
 
Brahma
 
 
É o deus da criação e faz parte da principal trindade de deuses do hinduísmo, chamada Trimúrti. Os outros deuses dessa trindade são Vishnu e Shiva. Brahma representa o equilíbrio e mente universal. Normalmente ele é representado na forma de homem velho, com quatro braços e quatro rostos, sentado sobre uma flor de lótus.
 
 
Krishna
 
 
O nome Krishna significa “o todo atraente” e é o deus do amor. Ele representa a verdade absoluta, e possui seis principais características que são infinitas nele: beleza, força, sabedoria, riqueza, fama e renúncia. Além disso, ele tem o conhecimento de tudo o que já aconteceu, o que acontece e ainda vai acontecer e possui também uma misericórdia infinita.
 
 
Vishnu
 
 
Um dos três deuses da trindade Trimúrti, Vishnu é o deus protetor. Tem infinitas qualidades, mas as suas seis principais são: omnisciência, soberania, energia, força, vigor e esplendor. Em suas representações, ele possui quatro braços. Cada um representando um estágio da vida: a busca do conhecimento, vida familiar, retiro na floresta e renunciação.
 
 
Shiva Nataraja
 
 
Uma das representações de Shiva é como Nataraja, que significa “o rei da dança”. Sua dança destrói tudo no universo que precisa dar espaço para Brahma iniciar seu processo de criação. Essa dança é a dança da bem-aventurança, de onde o universo foi criado.
 
 
Ganesha
 
 
Um dos deuses mais cultuados do hinduísmo, Ganesha é o deus que remove obstáculos e por isso está ligado ao sucesso. Representado com uma cabeça de elefante, também é cultuado como deus da educação, conhecimento, sabedoria e riqueza.
 
 
Saraswati
 
 
É a deusa da sabedoria, das artes e da música. É uma das três deusas da trindade de deusas do hinduísmo. As outras duas são Lakshmi e Shakti. Saraswati protege e é cultuada por artesãos, pintores, músicos, atores, escritores e por todos os artistas. É representada na imagem de uma bela mulher tocando uma sitar.
 
 
Lakshmi
 
 
Outra das deusas da trindade feminina dos deuses do hinduísmo, Lakshmi é a deusa da riqueza material e espiritual, da beleza e do amor. Os seus devotos buscam, através de seu culto, atingir a prosperidade material e espiritual em vida.
 
 
Hanuman
 
 
É um deus superpoderoso que representa a devoção pura, sem interferência do ego. Hanuman também representa a mente humana, que viaja na velocidade do pensamento e se expande para diversas direções.
 
 
Durga
 
 
O nome Durga significa “barreira que não pode ser derrubada” ou também “aquela que elimina sofrimentos”. Essa é uma deusa guerreira que ajuda os seus devotos a combater demônios e revelar mistérios. Tem com ela o poder do desejo, da ação e da sabedoria.
 
 
Rama
 
 
É o deus que representa a excelência. É um exemplo de fraternidade, é um hábil administrador e um guerreiro exemplar. Por isso, é um deus que serve de exemplo de conduta, ética e integridade para os seus seguidores.
 
Eu Sem Fronteiras 
 

 


 
Sítio (site) Principal: http://achama.biz.ly/
e-mail: site@achama.biz.ly
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!


 

Agosto 27, 2020

chamavioleta

Os deuses Anunnaki e Nephilim.

http://www.halexandria.org/.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch 

 
 
.
 
 
 

Nephilim é frequentemente traduzido como “gigantes”, uma interpretação legítima e apropriada, mas que pode ser apenas parcialmente precisa. Uma definição melhor pode ser “aqueles que desceram”[dos “céus”], “aqueles que desceram” ou “aqueles que foram abatidos”. Os Anunnaki dos antigos textos sumérios são similarmente definidos como “aqueles que vieram do céu para a terra”. Zecharia Sitchin [1], Laurence Gardner [2] e Willian Bramley [3] identificaram os Nephilim como os Anunnaki, mais especificamente, como os seus soldados rasos.

 
 
 
Em Gênesis 6: 1-4 se declara que:
 
“E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas,

Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama”. –  Gênesis 6:1-4

Nephilim é frequentemente traduzido como “gigantes”, uma interpretação legítima e apropriada, mas que pode ser apenas parcialmente precisa. Uma definição melhor pode ser “aqueles que desceram”[dos “céus”], “aqueles que desceram” ou “aqueles que foram abatidos”. Os Anunnaki dos antigos textos sumérios são similarmente definidos como “aqueles que vieram do céu para a terra”. Zecharia Sitchin [1], Laurence Gardner [2] e Willian Bramley [3] identificaram os Nephilim como os Anunnaki, mais especificamente, como os seus soldados rasos.
Na Bíblia, no Velho Testamento também existem várias referências a um povo de gigantes chamados por ANAQUIN, um nome muito semelhante a Anunnaki:


“E antes o nome de Hebrom era Quiriate-Arba, porque Arba foi o maior homem entre os ANAQUINS. E a terra repousou da guerra”. –  Josué 14:15
“Os emins dantes habitaram nela; um povo grande e numeroso, e alto como os gigantes. Também estes foram considerados gigantes como os ANAQUINS; e os moabitas os chamavam emins”. –  Deuteronômio 2:10,11
Praticamente todos os estudiosos históricos e teológicos de mente aberta concordam que o livro de Gênesis do Antigo Testamento foi extraído dos registros sumérios mais antigos, apenas por causa da semelhança em suas  religiões comparativas . O épico Enuma Elish , a Epopéia da Criação Suméria e o Gênesis têm uma enorme variedade de elementos comuns. As histórias de um grande dilúvio e , entre outras histórias, também são comuns aos relatos sumérios e bíblicos. Uma conclusão inevitável é que os Anunnaki [Anaquins] eram tão reais quanto Noé, Moisés ou Abraão. 
Laurence Gardner [2] escreveu:
“Cada item de atestado escrito e pictórico confirma que os antigos sumérios eram absolutamente sinceros sobre a existência dos Anunnaki, e aqueles indivíduos como Enki, Enlil, Nin-khursag e Inanna cumpriram funções terrenas com a comunidade designada como deveres. Eles eram patrocinadores e fundadores; eles eram professores e juízes; eles eram tecnólogos e fazedores de reis. Eles eram venerados conjunta e separadamente como arcontes e mestres, mas certamente não havia ídolos de adoração religiosa como os deuses ritualísticos de culturas subsequentes se tornaram. Na verdade, a palavra que acabou sendo traduzida como ‘adoração’ foi avod , que significava simplesmente ‘trabalhar’. A presença dos Anunnaki pode confundir os historiadores, sua linguagem pode confundir os lingüistas e suas técnicas avançadas podem confundir os cientistas, mas descartá-los é tolice. Os próprios sumérios nos disseram exatamente quem eram os Anunnaki, e nem a história nem a ciência podem provar o contrário”.  
Os registros sumérios registraram em grande detalhe as histórias dos Anunnaki e, entre elas, de alguns personagens centrais, Enki, Enlil, Ninki, Inanna, Utu, Ningishzida, Marduk e muitos outros. A principal dessas histórias era o conflito contínuo entre Enki e Enlil , os filhos do deus supremo da época, Anu. Muito da história humana antiga e do Gênesis bíblico podem ser explicados como as diferenças militantes entre esses dois meio-irmãos e como eles afetaram a vida de todos os seres sencientes na Terra.
Mas os Anunnaki eram mais do que apenas um par de meio-irmãos briguentos. Eles eram o conselho de deuses e deusas , que se reuniam periodicamente para considerar suas ações futuras em relação uns aos outros e, provavelmente, como um item menor e indefinido em sua agenda, o destino da humanidade [que eles criaram]. Os Anunnaki, dependendo do contexto, eram os Nephilim , os deuses que o pai de Abraão, Terah, (de acordo com o livro de Josué) teria servido, eram os anjos caídos [Fallen Angels – The Watchers, os Vigilantes], os indivíduos menores da raça da qual Anu, Enki, Enlil, Inanna e os outros notáveis ​​surgiram, e “juízes” sobre a questão da vida e da morte.    Eles eram de fato os “bene ha-elohim”, que se traduz como “os filhos dos deuses”, ou igualmente provável, “os filhos das deusas”. Por exemplo, do Salmo 82:
“Deus [El] está na congregação dos poderosos; julga no meio dos deuses [Elohim] . Até quando julgareis injustamente, e aceitareis as pessoas dos ímpios? (Selá.) Fazei justiça ao pobre e ao órfão; justificai o aflito e o necessitado. Livrai o pobre e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios. Eles não conhecem, nem entendem; andam em trevas; todos os fundamentos da Terra vacilam. Eu disse: Vós sois deuses {Elohim], e todos vós filhos do Altíssimo [El]. Todavia morrereis como homens, e caireis como qualquer dos príncipes. Levanta-te, ó Deus, julga a terra, pois tu possuis todas as nações”. –  Salmos 82:1-8
Os Anunnaki também foram comparados com os “Vigilantes” (que também são mencionados nos livros de Daniel e Jubileus), ou seja, conforme esta escrito no livro de Daniel:
“Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu”, – Daniel 4:13
De acordo com Zecharia Sitchin [1] e sua tradução e interpretação dos antigos textos sumérios, os Anunnaki eram seres extraterrestres (também conhecidos como “anjos”?), Que eram uma raça com um tempo de vida extremamente longo, podendo viver até mais de 500.000 anos. Laurence Gardner [2] reduz isso [erroneamente] para a ordem de 50.000 anos, e observa especificamente que os Anunnaki não eram imortais. Ele ressaltou que não existem registros existentes que se relacionem com suas mortes naturais, mas as mortes violentas de Apsu, Tiamat, Mummu e Dumu-zi são fornecidas com alguns detalhes. (Sitchin e Gardner também discordam sobre a data do Grande Dilúvio; Sitchin assumindo um período em torno de 11.000 aC, [foi em 10.986 aC] enquanto Gardner assume que foi cerca de 4.000 aC)
O livro de Sitchin, O 12º Planeta, da série Cronicas da Terrapublicado em 1976 foi o primeiro volume moderno a começar a descrever os Anunnaki e os Nephilim e sua chegada à Terra, supostamente, em cerca de 485.000 anos atrás, e o planeta e sistema solar de onde eles vieram – um planeta chamado Nibiru, que orbita a estrela/sol Sírius, na Constelação do Cão Maior. Sitchin acredita que Nibiru está em uma órbita ao redor do nosso Sol, mas em uma órbita fortemente elíptica que requer 3.600 anos terrestres para fazer uma órbita completa [entre os dois sistemas solares, o nosso e Sírius].  Pensa-se que o periélio de Nibiru (ponto de abordagem mais próximo do Sol) está dentro do cinturão de asteróides principal entre Marte e Júpiter [antiga localização do planeta Maldek], a uma distância do Sol de aproximadamente 2,75 UA (uma UA sendo a distância média do Sol à Terra). (os Anais da Terra inclui uma descrição detalhada de como Nibiru criou o cinturão de asteróides destruindo um planeta, Tiamat, na mesma atual órbita do Cinturão de Asteroides, e que criou a Terra na sequência, a Terra sendo um remanescente do planeta maior que foi destruído.)

 
Soldado dos EUA diz que matou à tiros gigante (Nephilim?) com cerca de 4,5 metros no Afeganistão.
FONTE
Nibiru não é conhecido pela “astronomia moderna” principalmente devido à natureza elíptica extrema de sua órbita e ao fato de seu afélio (ponto mais distante do Sol na órbita do planeta) ser outro sistema solar, a estrela/sol de Sírius. Além disso, Nibiru pode estar [e realmente esta] agora muito longe no espaço profundo e improvável de ser detectado. (Ou perto, por exemplo, Planeta X ).  {Sua última passagem pelo interior de nosso sistema solar, sem causar NENHUMA CATÁSTROFE pode ter coincidido com o fenômeno da Estrela de Belém durante o nascimento de Jesus Cristo, fenômeno astronômico que foi visto desde a Pérsia até a Palestina, durante um certo tempo, antes disso sua anterior passagem teria sido em torno de 3.760 a.C., coincidindo com a DATA DE INÍCIO do calendário HEBREU …}
Embora Sitchin e Gardner possam discordar do período da extensão da longa vida dos Anunnaki, é claro que esses deuses e deusas, acidentes descobertos ou “Anunnaki-cida”, vivem muito tempo, pois nenhum dos grandes personagens [como Enlil, Enki, Inanna, et caterva] tem sua morte narrada desde que chegaram na Terra a cerca de 500 mil anos atrás. Também foi teorizado que, por causa de sua longa vida, eles não se movem exatamente na “via rápida” – pelo menos na medida em que os humanos o fazem.
Isso pode ser fundamentalmente importante porque, muito possivelmente, o curtíssimo tempo de vida humano, embora enormemente breve em comparação com os deuses e deusas Anunnaki, pode, no entanto, ser compensado pelos humanos possuírem a capacidade de realizar muitas coisas em um tempo relativamente curto. A criatividade de uma vida encurtada e, portanto, altamente motivada é provavelmente muito maior do que a de um deus ou semideus descansando sobre seus louros. Isso também pode estar relacionado à ideia de por que os deuses e deusas Anunnaki se preocupam com a humanidade. Os humanos podem, por um lado, atuar como trabalhadores para cumprir a agenda dos Anunnaki, mas uma criatividade acelerada pode valer a pena para os Anunnaki gerenciarem uma tripulação do planeta Terra tão heterogênea quanto a raça humana.
Mas a conexão entre humanos e os Anunnaki é muito mais profunda do que a de mestres e escravos. Todas as evidências defendem fortemente o conceito de que Adão e Eva e seus ancestrais, primos e sei lá mais o quê foram criados pela engenharia genética e pela mistura do DNA dos Anunnaki com algum Homo erectus, o progenitor reinante do homem macaco na época. Fundamentalmente, isso aconteceu porque os Anunnaki precisavam de alguém [escravos] para trabalhar nas minas [no sul da África, inicialmente] em busca de ouro e outros metais preciosos .
O site http://www.vibrani.com/Anunnaki.htm fornece o que pode ser apenas uma visão privilegiada dos Anunnaki – mas da perspectiva de Enki. A vantagem deste link é que ele fornece muitos detalhes sobre a história pré-Anunnaki. Embora essas informações canalizadas sejam sempre especulativas, elas merecem uma consideração séria.
Outra fonte especulativa de possíveis implicações é o site de William James, Zero Point – Power of the gods, no qual ele deu uma possível resposta à pergunta lógica de qual era a fonte de energia / poder dos Anunnaki. Com efeito, ele vinculou a física e a história antiga por meio de “uma série de aventuras que enfoca os potenciais ilimitados da Energia de Ponto Zero e os deuses antigos das civilizações que existiram há muito tempo. “Por meio de evidências de apoio, esta combinação de ciência e história efetivamente fornece maior credibilidade para ambos. Além disso (e em muitos aspectos importantes, os escritos do Sr. James também podem” estimular a imaginação do leitor a considerar as possibilidades desta fantástica fonte de energia “… para não mencionar dar uma intrigante visão sobre os praticantes dessa fonte de energia, os Anunnaki.
A questão mais fundamental com respeito aos Anunnaki é se eles ainda estão ou não na Terra! Zecharia Sitchin [1] apontou que ele nunca disse que eles saíram (e não há evidências de que tenham saído). Houve, no entanto, uma mudança política aparentemente fundamental dos Anunnaki por volta de 600 aC, em que a interferência aberta e cotidiana dos Anunnaki [a interferência DIRETA de extraterrestres] nos assuntos humanos desapareceu. Há também o cenário encapsulado na ópera clássica de Richard Wagner, The Ring of the Nibelung , que incluía Night Falls on the Gods e a entrada dos deuses em Vahalla – títulos que sugerem possíveis mudanças no status dos deuses Anunnaki. Finalmente, existe evidências que sugerem que este estado de coisas pode ser temporário e pode estar programado para terminar após o fim do calendário maia [o 13º Baktun] que aconteceu em 22 de dezembro de 2012.
Do ponto de vista da humanidade, a natureza disfuncional da família de deuses Anunnaki e a rivalidade contínua  de Enki e Enlil [Yahweh] pode ainda estar em curso e ter enormes efeitos na nossa vida física, emocional, mental e espiritual, na superfície do planeta. É uma pergunta muito importante e que precisa ser respondida por cada um de nós.
“E houve ainda outra guerra em Gate; onde havia um homem de grande estatura, e tinha vinte e quatro dedos, seis em cada mão, e seis em cada pé, e que também era filho de gigante”. 1 Crônicas 20:6.
 
 




Sítio (site) Principal: http://achama.biz.ly/
e-mail: site@achama.biz.ly
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
Vídeos banidos alternativos




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!


 

Abril 08, 2020

chamavioleta

A Síndrome do Salvador.

Igor Mocarzel.

7 de abril de 2020. 

Revisão de texto: Solange Yabushita e Marilene P. Costa


 
.
 
 
 

 
 

Sabe aquele parente ou amigo que vive pedindo a sua ajuda, mas sempre que você o aconselha de nada adianta? Aquele que te leva a um mix de frustração com cansaço energético toda vez que você ajuda? Mas, mesmo com tudo isso, com todo esse pacote negativo, você ainda insiste em socorrer...
 
Todo mundo, em alguma fase da vida, já foi ou ajudou esse tipo de pessoa que clama por ajuda, que diz aos outros que quer mudar, fala o tempo inteiro que está se esforçando para transformar a sua vida para melhor, “jura de pés juntos” que sua vibração está aumentando e que está implementando novos hábitos saudáveis. Entretanto, quando vamos analisar friamente a vida desta pessoa, vemos que ela torna a repetir os velhos padrões, ou seja, as velhas atitudes que antes continuavam a destruí-la. Percebemos que algumas dessas pessoas faltam com a verdade dizendo que estão modificando os seus hábitos, apenas para que sintamos orgulho dela. A pessoa, no fundo, está se enganando e - por tabela - está nos enganando também.
 
Sem julgamentos aqui. Apenas são observações para aprendermos com essas situações. Afinal, muito dos aprendizados que obtemos também são por meio da observação do próximo.
 
As pessoas que clamam por ajuda, mas não mudam os seus velhos hábitos, são ainda imaturas em sua verdadeira força, e estão com o seu poder adormecido. Todos nós somos deuses e deusas em ação. Somos Seres de Luz encarnados experienciando todos os tipos de sentimentos através de nossos fractais. Somos filhos da Fonte Criadora e nossa força provém Dela! Logo, todos nós somos grandiosos.
 
Seguindo esse raciocínio, se somos todos deuses e deusas, por que a necessidade de insistirmos com pessoas que pedem ajuda, mas não querem gastar “uma gota de suor” para vencer as suas próprias dificuldades? Todos esses obstáculos estão no programa de alma desse Ser de Luz, que escolheu passar por determinadas situações para a sua evolução, seja por carma, seja por necessidade de experienciação da alma, ou até por missão. Não importa o motivo. O que está em voga é a consciência de que todos nós escolhemos certos obstáculos para NÓS mesmos superarmos.
 
Imagine o seguinte exemplo: um atleta de 100 metros rasos quer treinar para correr mais rápido. Então ele se submete a um treinamento mais pesado. Ele usa um colete com pesos para que o seu corpo fique mais pesado, forçando ainda mais a sua musculatura, fôlego e seus limites para, no fim, ter um melhor desempenho quando for competir.
 
Com a gente e com o nosso plano de alma não é diferente. Cada um escolheu as dificuldades que julgou serem convenientes para a sua evolução individual. Ninguém foi obrigado a nada, ninguém está sujeito a nenhuma injustiça do Universo. Não existe vítima! Todos nós somos livres para escolher e responder por nossas responsabilidades. Da mesma maneira que o atleta, para aumentar o seu desempenho usou um colete com pesos para ficar mais forte nas competições, nós escolhemos conscientemente viver tais dificuldades como forma de nos superarmos.
 
Sendo assim, o seu amigo que vive clamando por ajuda deve ser ajudado SIM! Entretanto, quando decidimos nos tornar “pais” zelosos até demais, passamos a desonerar o ser poderoso que a pessoa é. Passamos a olhar o nosso semelhante, que é um grande Mestre, como um pobre coitado desprovido de força e determinação. Entenda! Esse Ser de Luz pediu para que essas dificuldades viessem e que ele fosse também auxiliado pelos seus amigos, mentores, anjos guias e protetores. Cabe a nós ajudarmos SEMPRE, porém, com muita sabedoria para discernirmos o momento em que estamos virando eternas muletas.
 
Muitas vezes, com o nosso excesso de boa vontade e Amor no coração, passamos a doar ajuda de maneira incondicional. Não é incomum fazermos pelo outro o que ele deveria estar fazendo. Algumas pessoas, inclusive, tomam para si a responsabilidade do outro. Percebe o “crime” que estamos cometendo quando passamos a fazer pelo outro o que ele deveria estar fazendo por si mesmo? Estamos fortalecendo o ego ferido dele dizendo: “Oh, caro irmão! Tu és um pobre coitado e merece toda forma de ajuda, pois és incapaz de suportar um simples fardo da vida”.
 
Ajudar e zelar em excesso, zelar é DESONRAR a pessoa que tanto amamos e queremos ajudar. Existem situações que somente ela pode fazer. As pessoas precisam passar por dificuldades sozinhas, pois faz parte da sua experiência terrana.
 
Olhe para si agora. Quantas situações você passou sozinho(a) que foram essenciais para chegar aonde chegou hoje? Quantas vezes precisou “apanhar” da vida e não receber ajuda, para compreender algumas lições?
 
Com o nosso semelhante não é diferente, percebe? Esse jogo terreno é divino e perfeito. Entregue e confie na força do seu irmão. Ele não está sozinho, assim como você também não está. Temos mentores anjos, guias e protetores. Até as pessoas mais trevosas são auxiliadas para a evolução ao Amor.
 
Saiba colocar-se no seu lugar. Ajude incondicionalmente, ame incondicionalmente, mas não tome para si as dores e responsabilidades do outro. É uma linha muito tênue, eu sei, mas requer o seu bom senso.
 
É aquela famosa frase: “Às vezes queremos ajudar e acabamos atrapalhando”.
 
A grande dica e a síntese que deixo desse texto: “Mantenha o seu coração aberto, ajude SEMPRE que possível, mas esteja atento para não ser usado como muleta. Muitos dos nossos irmãos ainda estão adormecidos dos seus próprios poderes, por isso buscam pessoas prestativas para que elas façam as suas obrigações. Inconscientemente, buscam pessoas de boa vontade para jogar nelas todos os seus fardos, lamentações e energias negativas. Além disso, caso você tenha ajudado das mais variadas formas possíveis e a pessoa ainda persistir no erro, com muita leveza e amorosidade, retire-se, pois essa pessoa já está te usando como muleta (seja financeira ou energética).”
 
Lembre-se: Amar é também saber dizer NÃO.
 
Com muito Amor, gratidão e verdade sincera,
 
 
Igor Mocarzel


 

Site Pincipal: http://achama.biz.ly/
 
 
 
 
Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 
BitChute Channel do Jordan Sather




Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
A religião organizada é desnecessária à espiritualidade.
Excelentes ensinamentos dos mestres têm sido contaminados pelo controle dogmático dessas religiões.
Discernimento sim; julgamento não.
Com discernimento é possível alcançar o espírito da letra de qualquer escritura e é também bem mais fácil escutar a voz da alma que vem do coração.
 

 
Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.

 
Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores

 

Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.

 

Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 

 
Atualização diária.
 
Free counters!



geoglobe1


 


 

Julho 25, 2015

chamavioleta

Observações dos rios do antigo Iraque citados no Gênesis da Bíblia, comprovam a presença Extraterrestre antes do Dilúvio na Terra

Posted by Thoth3126 on 13/01/2015

arriving-anunnakis-lg 


Trecho do livro “ANUNNAKI: LEGACY OF THE GODS” (Anunnaki, legado dos deuses), ETs do planeta Nibiru, que vieram para a Terra em busca de ouro, nos criaram geneticamente usando o seu próprio genoma para que nós trabalhássemos nas minas de extração e ouro na África do Sul, posaram como nossos deuses, decidiram nos deixar afogar no Dilúvio, para depois decidir deixar a nossa raça se reproduzir para trabalharmos para eles”.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Os Anunnaki de Nibiru mapearam os antigos rios do Jardim do (E.Din) Éden, os mesmos que hoje tenham mudado seu curso e/ou foram enterrados por lama e detritos após o Dilúvio. Os quatro rios do Paraíso citados no Gênesis ficavam no Iraque Antigo: o rio Tigre, rio Eufrates, rio Gehon e o rio Pishon


Fonte: http://enkispeaks.com/

Por Sasha (Alex) Lessin, Ph.D. – Los Angeles – (Antropologia, UCLA)

Os povos antigos que habitavam a hoje região do Iraque, chamados de sumérios, registraram em escrita cuneiforme em tabletes de barro que os gigantes (cerca de 8 a 12 pés de altura – 2,40 a 3,65 metros de altura) que procuravam por ouro na Terra, o Homo Sapiens Extraterrestre do planeta Nibiru, que aquele povo os sumérios chamavam como os “Anunnakis - O povo que veio do céu“.


Os quatro rios do Paraíso citados no Gênesis ficavam no Iraque Antigo: o rio Tigre, rio Eufrates, rio Gehon e o rio Pishon: “O nome do primeiro é Pisom; este é o que rodeia toda a terra de Havilah. E o ouro dessa terra é bom; ali há o obdélio, e a pedra sardônica. E o nome do segundo rio é Giom; este é o que rodeia toda a terra de Cuxe. E o nome do terceiro rio é Tigre; este é o que vai para o lado oriental da Assíria; e o quarto rio é o Eufrates“. Gênesis 2:11-14

Sobre Nibiru, Enki, E.Din e a criação do homem:
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-atestado/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-primeira-tabuleta-parte-1/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-primeira-tabuleta-parte-2-final/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-terceira-tabuleta/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-quarta-tabuleta/
http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-quinta-tabuleta/

Eles repovoaram o planeta Terra com os sobreviventes descendentes dos escravos terrestres que esta raça criou, a cerca de 300 mil anos no passado, para trabalhar em suas minas de ouro na região da hoje África do Sul, os Anunnaki projetaram geneticamente a linha original de escravos de seu próprio genoma, especialmente a partir dos genes do seu Cientista Chefe, Enki e seu filho, Ningishzida. Enki adicionaria DNA mitocondrial extraterrestre de sua irmã Ninmah e um pouco de barro, cobre e material genético do Homo Erectus.

Depois, cerca de 200 mil anos atrás, Enki adicionou mais de seus genes para criar um par de escravos (Adão e Eva) terráqueos que fossem compatíveis e que geraram um filho sobrevivente, Ka-in. Os descendentes de Ka-in acabaram sobrevivendo ao Dilúvio de 10.986 a.C. em balsas no lago Titicaca no topo da Cordilheira dos Andes (mas esta é outra história).

Na área do Oriente Médio, Enki tinha salvado do dilúvio o seu filho mestiço Nibiru/Terra recém nascido, Noé (o sumério Ziuzudra, o babilônico Utnapistim), assim como seus descendentes e seguidores, e acordou e definiu com eles sobre a limpeza e a dragagem do Iraque. Eles reescavaram os antigos leitos para dois dos rios mais antigos da região onde hoje fica o Iraque, os rios Tigre e o Eufrates.

Os Anunnaki disseram aos sumérios que 440.000 anos terrestres atrás, quando a Expedição de Nibiru tinha estabelecido suas operações no Iraque, grande parte das terras em que uma vez se localizava suas cidades em Basara, no antigo Iraque (no Golfo Pérsico), repousa agora no fundo do mar ou da lama. Mas (ao contrário do que apenas os dois rios que foram escavados pelos sumérios), 440 mil anos atrás, quatro rios percorriam a antiga região do hoje IRAQUE, e não apenas os rios Tigre e Eufrates que vemos lá atualmente.


Mesopotâmia (terra entre dois rios) o local onde os extraterrestres do planeta NIBIRU aterrissaram, a cerca de 450 mil anos atrás e iniciaram a ocupação do planeta e a exploração de ouro no sul do continente da África.

Quando os Anunnakis de Nibiru aterrissaram na antiga Suméria, o rio Tigre e o rio Eufrates se juntavam ao rio Gehon (Karun), que percorre o Irã e se junta ao Eufrates. Haviam quatro rios, disseram os Anunnakis. Os cientistas do século passado conheceram apenas os dois rios que atravessam a Mesopotâmia, e descartaram a ideia de que houvesse dois outros rios que atravessassem a região. Mas em 2010, o ultra-som mostrou que aos rios Tigre e Eufrates, mais ao sul, juntava-se o rio Pisom e o Gehon para fazer os quatro rios da Suméria descritos na Bíblia como os rios do Paraíso.

Saiba mais em: http://thoth3126.com.br/o-iraque-babilonia-ira-persia-e-a-luta-pela-heranca-extraterrestre/

Após os quatro rios da Suméria se encontrarem, em seguida eles fluem em única corrente para o Golfo Pérsico. A inundação do dilúvio de Noé de 13.000 anos atrás enterrou e acabou com o Pishon com muita lama e detritos. Os Anunnaki de Nibiru, descartados (pelos “Eruditos”) no século passado apenas como deuses míticos, eram claramente viajantes espaciais, geneticistas e pessoas reais, de carne e osso, com tecnologia avançada. Eles relataram o que viram.

Nossos ancestrais escreveram o que os Anunnakis disseram que viram e de ONDE vieram. A tecnologia moderna tem validado essas informações, as observações astronômicas, a química, a geografia, a matemática e informações sobre medicina. Os Anunnaki, registraram sua passagem pela Terra via escribas sumérios, nos registros em escrita cuneiforme em milhares de tabuletas de argila, e então nos deixaram definitivamente (em torno de 2.100 a.C).

Quando precisamos de hipóteses científicas, os registros e as observações dos Anunnaki nos dão sugestões iniciais que devemos explorar. Os antigos registros sobre os ANUNNAKI são os que melhor explicam a NOSSA HISTÓRIA aqui na Terra. Use o princípio da parcimônia – que explicações melhor contam e juntam todos os dados – e deixe o mínimo de partes (os dados e artefatos que as explicações fiquem fora de sua compreensão). Todas as nossas teorias são formulações hipotéticas, palavras e modelos matemáticos que empregamos para explicar as nossas observações. Nossas observações são, por sua vez dirigidas por nossas teorias.


Estela suméria com representação do planeta Nibiru (estrela de 4 pontas com quatro cursos d”água) e seu rei ANU, o gigante sentado no trono.

Em ciência, testamos a hipótese nula - quais os dados que refutariam as nossas teorias. O consenso determina a realidade social, mas isso não prediz a composição química de asteroides ou a forma da massa de terra sob a enorme capa de gelo da Antártida do mesmo modo que as tábuas sumérias antigas fazem? Nós fomos deixados com muitas explicações alternativas. Vamos apreciá-las, nos maravilhar, e continuar a perguntar o que vamos cortar com a Navalha de Occam.

Agarre o elefante da realidade a partir de diferentes perspectivas. Veja todas elas e obtenha uma imagem mais clara da besta e os cegos (os “eruditos”) que generalizam tudo a partir de suas aparentes vantagens particulares em detrimento à natureza do todo e o seu contexto.Uma explicação ou teoria que mais parcimoniosamente (mais simples, com menos palavras, números, elocubrações eruditas) contabiliza todos os dados e faz previsões mais precisas do comportamento futuro, bem como dados acumulados do passado é muito mais útil para a nossa compreensão do que aquele que utiliza mais palavras e símbolos e deve excluir as exceções para o trabalho de análise.

Assim, a explicação heliocêntrica de Copernicus do movimento aparente dos planetas leva menos matemática do que o sistema epiciclo de Ptolomeu, embora este último também possa prever o movimento planetário aparente. Freer escreve:

“Estou convencido da justeza da tese de Zecharia Sitchin: a violência mortífera da nossa espécie, um produto de fabricação made in Babilônia para controlar a multidão que tem nos conduzido para maiores e grandes guerras, o caos religioso das cruzadas, as jihads guerras santas, as inquisições e perseguições da igreja de Roma não são intrinsecamente da natureza humana. A Igreja Romana, uma continuação e perpetuação do medo ao deus Enlil [Yahweh], um tipo de religião subserviente entrou em ascensão por uma aliança com e pela assimilação gradual do Império Romano e adotando suas práticas.



A Supressão de nossa verdadeira história através da promulgação das falsificações hebraicas do Antigo Testamento (n.t. quase na sua totalidade cópias mal feitas de antigos escritos sumérios, como assim é o Gênesis) feito para tornar Enlil seu único (e dos hebreus) deus monoteísta afetou uma amnésia racial total e a (verdade contida na) antiga cultura suméria foi esquecida e só redescoberta já no final dos anos 1800. Controladores militares e políticos suprimiram o conhecimento e os dados sobre a presença alienígena no planeta através da negação e do ridículo”.
Para saber mais, veja em:
  1. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-misterios-e-controle-alienigena/
  2. http://thoth3126.com.br/maldek-e-nibiru-mais-dois-planetas-de-nosso-sistema-solar/
  3. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-genesis-e-adao-e-eva/
  4. http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/
  5. http://thoth3126.com.br/cidades-annunaki-encontradas-na-africa/
  6. http://thoth3126.com.br/nibiru-o-livro-perdido-de-enkiea/
  7. http://thoth3126.com.br/conselho-de-nibiru-parte-i/
  8. http://thoth3126.com.br/cientistas-encontram-genes-extraterrestre-em-dna-humano/
  9. http://thoth3126.com.br/emmanuel-origens-da-humanidade-racas-de-ets-arcanjos/
  10. http://thoth3126.com.br/o-livro-perdido-de-enki-primeira-tabuleta-parte-2-final/


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Novembro 05, 2014

chamavioleta

VIMANAS 

 Os UFOS  da antiga ÍNDIA

Posted by Thoth3126 on 05/11/2014

 



“A história da Índia antiga e anterior ao dilúvio registrada em vários escritos muito antigos, como o Baghavata Purana, o “Mahabharata“, o Samarangana Sutradhara, os Rig Vedas, o “Ramayana“, e outros velhíssimos textos hindus como o tratado sobre voos do “VIMANIKA SHASTRA” que nos legou dados incríveis e notáveis sobre aeronaves (Vimanas, Agnihotras) voadoras do tamanho de cidades, veículos (carros) voadores e a descrição de armas terríveis de imenso poder destrutivo que eram utilizados pelos antigos habitantes da Terra em suas lutas e pelos “deuses” quando estes também entravam em batalha entre si nos céus do planeta” e às vezes contra a própria raça humana.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Ataques e guerras entre os deuses. Veículos voadores – UFOS – OVNIS – Vimanas) e armas nucleares e de raios em BHARATA, a Antiga e Ancestral ÍNDIA há milênios antes do dilúvio.

Fontes: O Mahabharata (Grande Bharata/ÍNDIA) e O Ramayana (Caminho de Rama)

Fonte: http://psychedelicadventure.blogspot.com/

“A história da Índia antiga registrada no “Mahabharata”, Samarangana Sutradhara, Rig Vedas, “Ramayana”, Baghavata Purana, e outros velhíssimos textos hindus como o tratado sobre voos do “VIMANIKA SHASTRA” que nos legou dados incríveis sobre aeronaves (Vimanas, Agnihotras) voadoras do tamanho de cidades, veículos (carros) voadores e a descrição de armas terríveis de imenso poder destrutivo que eram utilizados pelos antigos habitantes da Terra em suas lutas e pelos “deuses” quando estes também entravam em batalha entre si nos céus do planeta”.


Esquema de um antigo Vimana da Índia. Livro de David H. Childress

Muitos pesquisadores do enigma dos OVNIs tendem a ignorar um fato muito importante. Embora se presuma que a maioria dos discos voadores são de espécies exóticas ou talvez Governamentais de origem militar, uma outra possível origem dos UFOs da Índia antiga é a Atlântida. O que sabemos sobre os antigos veículos voadores indianos vem de antigas fontes indianas; textos religiosos escritos que chegaram até nós através dos séculos. Não há dúvida de que a maioria dos textos é autêntico, muitos são os conhecidos antigos épicos indianos, e há literalmente milhares deles. A maioria deles nem sequer foram traduzidas para o Inglês ainda do velho sânscrito.

O imperador indiano Ashoka*(Século III a.C.) criou uma “Sociedade Secreta dos Nove Homens Desconhecidos”: grandes cientistas indianos da época que foram destacados para catalogar as muitas ciências. Ashoka manteve o seu trabalho em segredo porque tinha medo que a ciência avançada catalogada por esses homens, obtidas a partir de antigas fontes indianas, seria utilizada para o efeito perverso da guerra, que Ashoka foi fortemente contra, tendo sido convertido ao budismo depois de derrotar um exército rival em uma batalha sangrenta.

A “Sociedade Secreta dos Nove Homens Desconhecidos” escreveu um total de nove livros, presumivelmente, um cada. Um dos livros tratava do assunto: “Os segredos da Gravitação”! Este livro, conhecido pelos historiadores, mas não realmente visto por nenhum deles, tratava principalmente do “controle (manipulação) da gravidade.” São presumivelmente ainda mantidos em segredo em algum lugar, mantidos em uma biblioteca secreta na Índia, no Tibete ou em outra parte (talvez mesmo na América do Norte em algum lugar). Pode-se certamente entender o raciocínio de Ashoka para querer manter o antigo conhecimento como um segredo, supondo que ele exista.

Ashoka também estava ciente de guerras devastadoras que se utilizavam dos tais veículos avançados e outras armas “futuristas”, que tinham destruído o Império de Rama “o Império Hindu antigo” de vários milhares de anos antes. Apenas alguns anos atrás, os chineses descobriram alguns documentos sânscritos em Lhasa, no Tibete e os enviou para a Universidade de Chandigarh para serem traduzidos.

A Dra. Ruth Reyna daquela universidade, disse recentemente que os documentos contêm instruções para a construção de naves interestelares! O seu método de propulsão, disse ela, era “anti-gravitacional” e foi baseado em um sistema análogo ao de ‘laghima, «o poder desconhecido do ego existente na constituição fisiológica do homem,” uma força centrífuga forte o suficiente para neutralizar todas as leis que regem a gravidade e impulsionar qualquer coisa para cima.”De acordo com os grandes e velhos iogues hindus, é esse “laghima”, que quando desenvolvido, permite a uma pessoa levitar (ter controle sobre a gravidade).



Representação de uma nave Vimana tripulada esculpida em uma caverna em Ellora, Índia, canto superior direito da foto.

A Dra. Reyna disse que a bordo destes aparelhos, que eram chamados de “Shastras” pelo texto, os antigos hindus poderiam ter enviado um destacamento de homens para qualquer lugar em todo planeta, de acordo com o documento, que se admite ter milhares de anos. Ela disse também que os manuscritos também revelam o segredo do ‘Antima “; uma cobertura de invisibilidade e “Garima”, como se tornar tão pesado quanto uma montanha de chumbo”.

Naturalmente, os cientistas indianos não levaram muito a sério os textos, mas depois tornou-se mais positivos sobre o valor deles quando os chineses anunciaram que estavam incluindo certas partes dos dados para o estudo em seu programa espacial! Este foi um dos primeiros exemplos de um governo de admitir a pesquisa de anti-gravidade.

Os manuscritos não dizem definitivamente que as viagens interplanetárias nunca foram feitas, mas não mencionam, de todas as coisas, uma viagem à Lua, embora não esteja claro se esta viagem foi realmente realizada. No entanto, um dos grandes textos épicos indianos, o Ramayana, tem uma história muito detalhada de que seria uma viagem à lua em um Vimana (ou “Shastra”) e em detalhes o fato de uma batalha na lua com um ‘Vailix’ (um dirigível da Atlantida. Esta é apenas uma pequena amostra da evidência recente da utilização da anti-gravidade e tecnologia aeroespacial utilizadas pelos hindus a milhares de anos atrás.

Para realmente entender a tecnologia, é preciso ir muito mais longe no tempo. O chamado “Império de Rama” do norte da Índia e do Paquistão desenvolveu-se a pelo menos quinze mil anos atrás no subcontinente indiano e era uma nação de muitas grandes cidades sofisticadas, muitas das quais ainda estão a ser encontradas nos desertos do Paquistão, do norte e oeste da Índia.(algumas já foram descobertas por arqueólogos: Mohenjo Daro e Harappa são dois sítios em investigação) Rama existiu, aparentemente, em paralelo à civilização Atlante que se situava no meio do Oceano Atlântico (região hoje conhecida pelas anomalias do Triângulo das Bermudas, no Mar do Caribe), que foi governada por “esclarecidos reis sacerdotes” que comandavam as cidades do império.

As sete maiores capitais, cidades sagradas do Império de Rama eram conhecidas em textos clássicos hindus como “As Sete Cidades dos Rishis”. Segundo antigos textos indianos, as pessoas tinham máquinas voadoras que eram chamados de “Vimanas”. O épico indiano antigo descreve um Vimana como de dois andares, aeronaves circulares com vigias e uma abóbada, tanto quanto nós hoje poderíamos imaginar como sendo um disco voador. “Ele voou com a “velocidade do vento” e deu o som melodioso para trás”. Havia pelo menos quatro tipos diferentes de Vimanas e alguns em forma de disco, outros, como cilindros longos (‘aeronaves em forma de charuto’).

Os textos antigos indianos em Vimanas são tão numerosos, que levaria muitos volumes para relacionar o seu conteúdo. Os antigos hindus, que fabricaram estes aeronaves, escreveram manuais de vôo completos sobre o controle de vários tipos de Vimanas, muitos dos quais estão ainda em existência, e alguns foram até mesmo traduzidos para o Inglês.


Foto de um UFO em Cerro Gordo, EUA, do que poderia ser um Vimana (ANTIGA íNDIA), Vailixi (ATLÂNTIDA) de antigos e contemporâneos CONTATOS com civilizações alienígenas. No centro dessa aeronave podemos ver um reator de fusão de plasma (a Mercúrio??) gerador de campo eletromagnético em funcionamento.

O Sutradhara Samara é um tratado científico lidando com todos os ângulos possíveis da viagem aérea em um Vimana. Há 230 estâncias lidando com construção, decolagem, velocidade de cruzeiro por milhares de quilômetros, o desembarque normal e forçado, e até mesmo possível colisões com aves. Em 1875, o Shastra Vaimanika, do século IV a.C. texto escrito por Bharadvaja, o Sábio, mesmo usando textos antigos como a sua origem, foi redescoberto em um templo na Índia.

Trata-se do funcionamento das Vimanas e incluiu informações sobre a direção, as precauções para vôos de longo curso, a proteção dos dirigíveis no caso de tempestades e relâmpagos e como mudar a unidade para “energia solar” de uma fonte de energia livre que soa como “anti-gravidade ‘. O Shastra Vaimanika (ou Vymaanika-Shaastra) tem oito capítulos com diagramas, descrevendo três tipos de aeronaves, incluindo aparelhos que não podiam nem pegar fogo, nem quebrar. Também menciona 31 partes essenciais destes 16 veículos e materiais de que é construído, que absorvem a luz e calor, razão pela qual eles foram considerados adequados para a construção dos Vimanas.

Este documento foi traduzido em Inglês e está disponível em material publicado pela editora: VYMAANIDASHAASTRA AERONÁUTICA por Maharishi Bharadwaaja, traduzido em Inglês e editado, impresso e publicado pelo Sr. GR Josyer, Mysore, Índia, 1979. O Sr. Josyer é o diretor da Academia Internacional de Investigação do sânscrito, localizada em Mysore. Não parece haver dúvida de que os Vimanas eram movidos por uma espécie de propulsor gerador de ‘anti-gravidade’. Os Vimanas decolavam verticalmente e eram capazes de pairar no céu, como um moderno helicóptero ou dirigível. Bharadvaja o Sábio refere-se pelo menos a 70 autoridades e 10 peritos nas viagens aéreas dos Vimanas na antiguidade.

Essas fontes estão perdidas. Vimanas eram mantidos em um Griha Vimana, uma espécie de gancho, e eram muitas vezes propulsionados por um líquido branco-amarelado (Plasma) e, por vezes por algum tipo de compostos de mercúrio, embora escritores pareçam confusos neste assunto. É mais provável que os escritores que mais tarde descreveram os Vimanas, escreveram na qualidade de observadores e com base em textos anteriores, e se confundiram no princípio de sua propulsão.

O “líquido branco-amarelado” soa como suspeito de ser gasolina, e talvez os Vimanas tivessem uma diferente quantidade de diferentes fontes de propulsão, incluindo motores de combustão e até mesmo motores com turbina a jato. É interessante notar, que os nazistas desenvolveram o primeiro pulso prático, motores a jato para os primeiros mísseis construídos, as bombas nazistas V-1 e V-2 largamente utilizadas no bombardeamento de Londres durante a segunda guerra mundial.

Hitler e a cúpula dos nazistas tiveram excepcional interesse em documentos da antiga Índia, Nepal e do Tibete e ele enviou expedições de cientistas alemães anuais para estes lugares, com início na década de 30,a fim de reunir e pesquisar documentos esotéricos, e que eles fizeram isso muito bem, e talvez tenha sido a partir dessas pessoas que os nazistas ganharam alguma de suas informações científicas secretas! (para saber mais a respeito pesquise sobre o termo: NeuSchwabenland.

Para saber mais:
http://thoth3126.com.br/sociedades-secretas/
http://thoth3126.com.br/antartica-estranhas-aberturas-e-base-nazista-neuschwabenland/
http://thoth3126.com.br/nazismo-os-arquivos-secretos-da-waffen-ss/

De acordo com o Dronaparva, parte do Mahabarata e o Ramayana, um Vimana foi descrito com a forma de uma esfera e suportado em grande velocidade ao longo de um poderoso ‘vento’ (um pulso/campo eletromagnético) gerado por plasma de mercúrio (n.t. tecnologia usada ainda hoje por extraterrestre e transferida – em parte – ao governo dos EUA desde 1947-ver projeto da espaçonave TR-3B dos EUA).

Ele se movia como um OVNI, indo para cima, para baixo, para trás e para frente quando e como o piloto desejasse. Em outra fonte indiana, a Samar, Vimanas eram “máquinas de ferro, bem unidos e suaves, com uma carga de mercúrio, que explode para fora da parte traseira em forma de uma chama que ruge”. Outro trabalho chamado de Samarangana Sutradhara descreve como os veículos eram construídos.

É possível que o mercúrio não tenha algo a ver com a propulsão (n.T. mas tem e é de importância capital, pois é utilizado para gerar um pulso eletromagnético, através de plasma e desse modo cancelar a atração gravitacional de qualquer planeta e/ou sol), ou, mais possivelmente, com o sistema de orientação. Curiosamente, cientistas soviéticos descobriram o que eles chamam de “instrumentos de idade avançada usado na navegação de veículos cósmicos” em cavernas no Turcomenistão e no deserto de Gobi. “Eles são dispositivos de” objetos hemisféricos de vidro ou porcelana, que terminam em um cone com uma gota de mercúrio dentro. 



Um “Vimana” moderno, o TR-3b Astra desenvolvido em segredo pelos EUA com utilização de tecnologia reversa alienígena flagrado em voo de teste de alta altitude.

É evidente que os hindus antigos voaram com estes veículos, em toda a Ásia, no país de Atlântida, presumivelmente, e até, aparentemente, na America do Sul. Escritos encontrados em Mohenjodaro e Harappa, cidades encontradas às margens do rio Indus, que já existiam antes do dilúvio bíblico, na região da antiga Baratha, hoje o Paquistão (presumivelmente uma das “Sete Cidades Rishi do Império Rama ‘) e ainda por decifrar, também foram encontradas em um outro lugar no mundo: Ilha da Páscoa (último pedaço remanescente da Lemúria)! Existe uma escrita na Ilha da Páscoa, chamado escrita Rongo-Rongo, também a ser decifrada, e é estranhamente semelhante ao escritos de Mohenjodaro.

Seria a ilha da Páscoa uma base aérea para a rota de Vimanas do império de Rama? No Tibete, À grande distância, o som da “Carruagem impetuosa” ecoa :


“Bhima voou em seu carro, resplandecente como o sol e ruidoso como o trovão… e sua carruagem brilhou como a chama no céu noturno do verão… varrendo-o como um cometa… e são como dois sois… então a carruagem rosa subiu e todo o paraíso resplandeceu”. No Mahavira de Bhavabhuti, em um texto de Jaina do oitavo século extraído de uns textos e de umas tradições mais velhos ainda, nós lemos: “uma carruagem aérea, o Pushpaka, chama a atenção de muitos povos para a capital de Ayodhya”. ” O céu está cheio de máquinas de vôo estupendas, escuras como a noite, mas cobertas por luzes com um brilho amarelado”.

Os Vedas, poemas antigos hindus, são considerados os mais velhos de todos os textos indianos e talvez da humanidade, descrevem Vimanas de várias formas e tamanhos: o ‘ahnihotravimana’ com dois motores, o “elefante-vimana “ com mais motores, e outros tipos denominados com nome de animais como o “peixe rei, a “ave Íbis” e outros animais.

Infelizmente, os Vimanas, como a maioria das descobertas científicas nos dias de hoje, acabaram por serem usados para a guerra. “Os povos de Atlântida usaram suas máquinas voadoras “, Vailix, ‘um mesmo tipo de aeronave, literalmente para tentar conquistar e subjugar o mundo inteiro da época e, é o que parece, se os textos indianos merecem credito ( merecem e muito). Os atlantes, conhecido como “Daityas-Ashvins’ (raça de gigantes) nos antigos textos hindus, foram, aparentemente, ainda mais avançados tecnologicamente do que os da Índia (a antediluviana Bharata) antiga e, certamente, fizeram mais de uma guerra de conquista contra a Índia (que naquele tempo se autodenominava de Bharata), sem nunca conquistá-la, pois a Índia, desde tempos pré-diluvianos, de Atlântida, já era liderada por grandes mestres espirituais.



Embora nos textos antigos sobre a Atlântida não sejam citados os veículos Vailix, alguma informação chegou através do meio esotérico, as fontes ocultas que descrevem essas máquinas voadoras. Semelhantes, se não idênticos aos Vimanas, os Vailix eram, em geral ‘em forma de charuto e tinha a capacidade de manobra subaquática, bem como de voar na atmosfera ou mesmo no espaço sideral exterior.

Outros veículos, como Vimanas, eram em forma de disco, e podiam também ser submergidos aparentemente. De acordo com Eklal Kueshana, autor de “A Fronteira Final”, em um artigo que ele escreveu em 1966, os Vailix foram inicialmente desenvolvidos em Atlântida a cerca de 30.000 anos atrás, e os mais comuns tinham o formato de um ‘pires geralmente em forma de secção trapezoidal, com três motores hemisféricos na parte de baixo. ” “Eles usavam um dispositivo antigravidade que funcionavam com motores de desenvolvimento de cerca de 80.000 cavalos de potência.

Em sânscrito no livro Samarangana Sutradhara, está escrito:


“Forte e durável deve o corpo do Vimana ser feito, como um grande pássaro voador de material leve. Dentro deve-se colocar o motor de mercúrio com seus aparelhos de aquecimento de ferro por baixo. Por meio da potência latente no mercúrio que coloca o turbilhão de condução em movimento, um homem sentado em seu interior pode percorrer uma grande distância no céu. Os movimentos do Vimana são tais que podem verticalmente subir, descer verticalmente, mover-se obliquamente para frente e para trás. Com a ajuda das máquinas os seres humanos podem voar no ar e seres celestiais podem descer para a terra. “



Livro escrito por Dr. David H. Childress sobre sofisticados sistemas de transporte aéreo existentes na antiga Índia/Bharata.

O Ramayana, o Mahabarata e outros textos falam da guerra horrível que aconteceu, há uns vente e cinco mil anos atrás entre a Atlântida (os gigantes Daityas) e o reino de Bharata, comandado por Rama e o uso de armas de destruição em massa (Artefatos nucleares, raios laser) que não poderiam ser imaginados por leitores até a segunda metade do século XX.

O Mahabharata (Maha-grande; Bharata-Índia) é um poema épico muito antigo, uma das fontes de conhecimento sobre os Vimanas, passa a contar a capacidade destrutiva impressionante das armas de guerra: ‘…( a arma era) um único projétil carregado com todo o poder do Universo. Uma coluna incandescente de fumaça e chamas tão brilhantes como mil sóis aumentou em todo o seu esplendor… Um meteorito de ferro, um gigantesco mensageiro da morte, que reduziu a cinzas toda a raça dos Vrishnis e os Andhakas …. os corpos estavam tão queimados que ficaram irreconhecíveis.

Os cabelos e unhas caíram; a cerâmica quebrou sem causa aparente, e os pássaros ficaram brancos… Depois de algumas horas todos os alimentos estavam infectados… Para escapar desse fogo, os soldados lançaram-se em rios e riachos para se lavarem e a seus equipamentos… ‘ Parece que o Mahabharata está descrevendo uma guerra atômica!

Referências como esta não são isoladas, mas as batalhas, usando uma fantástica variedade de armas e veículos aéreos são comuns em todos os livros épicos indianos. Um até mesmo descreve um Vimana-Vailix envolvidos em uma batalha na Lua! A seção acima descreve com muita precisão o que seria uma explosão atômica e os efeitos da radioatividade na população. Submergir na água é o único alívio.

Quando a cidade de Mohenjodaro foi escavada por arqueólogos no século passado, encontraram esqueletos apenas deitados na rua, alguns deles de mãos dadas, como se alguma grande desgraça tivesse atacado eles de forma súbita. Estes esqueletos estão entre os mais radioativos já encontrados, em pé de igualdade com aqueles encontrados em Hiroshima e Nagasaki, após as explosões de bombas atômicas.


Ainda hoje no local em Mohenjo Daro, existe radiotividade

Para saber mais:
http://thoth3126.com.br/vimana-antigo-20-mil-anos-trem-de-pouso-descoberto/

Cidades antigas cujos muros de tijolo foram literalmente vitrificados, cujo material foi fundido em conjunto, podem ser encontrados na Índia, Irlanda, Escócia, França, Turquia e outros lugares. Não há explicação lógica para a vitrificação de fortificações de pedra e cidades inteiras, a não ser que tenham sido expostas a uma explosão atômica.

Além disso, em Mohenjo-Daro, uma cidade bem planejada com layout disposto em forma de uma grade, com um sistema de encanamento superior aos usados no Paquistão e na Índia de hoje, as ruas ficram cheias de “pedaços de vidro preto”. Essas bolhas de vidro foram descobertos como sendo provenientes de potes de barro que tinham derretido sob calor intenso! Com o cataclísmico afundamento da Atlântida e da extinção do Império de Rama com armas atômicas, o mundo entrou em uma nova “idade da pedra”, e para a história moderna analizando uns poucos milhares de anos mais tarde ainda, parece que nem todos os Vimanas e Vailix de Rama e Atlântida tenham desaparecido.

Construídos para durarem milhares de anos, muitos deles ainda estariam em uso, como evidenciado pela sociedade secreta criada pelo rei Ashoka, “Os Nove Homens Desconhecidos”’ e o manuscrito de Lhasa. Que as sociedades secretas ou “seres humanos pertencentes a irmandades de caráter excepcional,”de homens iluminados “teria preservado essas invenções e os conhecimentos da ciência, história, etc, não parece surpreendente.


“O clássico Vailxi atlante é um conjunto de aeronaves em estilo tradicional Atlante baseado em muitas diferentes fontes antigas, em particular a um Sastra Vaimanika hindu (ou Vymaanika-Shaastra) e o escrito hindu Mahabharata, que são poemas antigos indianos, que descrevem os atlantes, conhecidos como “Asvins” nos escritos indianos, que tinham aparentemente ainda mais avançada tecnologia do que os aeronaves Vimana, embora não se conhece a existência nos textos antigos sobre o Vailxi da Atlântida , alguma informação chegou por meio esotérico, ocultismo”” fontes que descrevem as máquinas voadoras.

Semelhantes aos Vimanas, os Vailxi eram geralmente com forma de “charuto” ou fusiformes com pontas afiadas e tinha a capacidade de manobra subaquática, bem como na atmosfera ou mesmo no espaço exterior.Os Vimanas eram em forma de pires, e aparentemente poderiam também ser submersos. De acordo com alguns textos os Vailxi foram inicialmente desenvolvidos em Atlântida 50.000 anos atrás, e os mais comuns são “pires geralmente em forma de seção trapezoidal com três motores hemisféricos na parte inferior. Eles usavam um dispositivo antigravidade por fusão de mercúrio que funcionam com motores que desenvolviam cerca de 80 mil cavalos de potência. O Ramayana, Mahabharata e outros textos sagrados hindus falam da terrível guerra que ocorreu, cerca de dez ou doze mil anos antes do Dilúvio entre a Atlântida e Bharata (atual Índia), com Rama usando armas de destruição em massa que não poderia ser imaginada pelos escritores indus até a segunda metade do século passado”.


Esquema do que seria uma nave de Atlântida, um VAILX.

Muitos conhecidos personagens históricos, incluindo Jesus, Budha, Lao Tzé, Confúcio, Krishna, Zoroastro, Mahavira, Quetzalcoatl, Akhenaton, Moisés, e os inventores mais recentes e, claro, muitas outras pessoas que provavelmente vão permanecer anônimas, provavelmente eram membros de uma organização muito secreta. É interessante notar que, quando Alexandre, o Grande, invadiu a Índia há mais de dois mil e trezentos anos atrás, seus historiadores narraram que em um determinado ponto eles foram atacados por ‘escudos voadores ardentes “que mergulharam atacando seus exércitos e assustaram a cavalaria. Estes “discos voadores” não usaram qualquer bomba atômica ou armas laser contra o exército de Alexandre e, no entanto, talvez por benevolência, Alexandre conquistou a Índia

Tem sido sugerido por muitos escritores que essas “Irmandades” mantém algumas daquelas aeronaves Vimanas e Vailix em cavernas secretas no Tibete ou em algum outro lugar nas montanhas da Ásia Central, alem do deserto de Lop Nor no oeste da China que é conhecido por ser o centro de um grande atividade misteriosa de OVNIs. Talvez seja aqui que muitas das aeronaves ainda estão sendo mantidas, em bases subterrâneas iguais as que os norte americanos, britânicos e soviéticos têm construído ao redor do mundo nas últimas décadas. Ainda assim, nem toda a atividade UFO pode ser explicada por Vimanas e Vailix antigos a fazer viagens à Lua, por algum motivo.

E na parte do poema que é intitulado de Uttara Kanda, está escrito:


“Vendo seu exército abatido em vôo, os filhos de Varuna, refeitos da chuva de mísseis, tentaram interromper os combates. Estavam fugindo sob a terra quando viram Ravana em seu Pushpaka Vimana. Rapidamente mudaram de caminho e se lançaram em direção ao céu com sua frota de máquinas voadoras. Uma terrível luta foi desencadeada nos ares”

Sem dúvida, são alguns dos principais militares e dos principais países com força militar do mundo, e possivelmente até mesmo de outros planetas. Claro, muitos avistamentos modernos do fenômeno UFO são descritos como ‘pântano, gás, nuvens, o planeta Vênus, fraudes e alucinações, enquanto há evidências consideráveis de que muitos avistamentos de OVNIs, especialmente de “abduções e seqüestros” e outros semelhantes, são o resultado do que é geralmente chamado de “hipnose coletiva telepática de quem testemunha os eventos.

Uma linha comum que funciona freqüentemente entre os «seqüestros Alienígenas”, “sexo com alienígenas, e outros” contatos imediatos de um terceiro tipo é um zumbido nos ouvidos, pouco antes do encontro. De acordo com muitas pessoas bem informadas, este é um sinal claro de hipnose telepática após o evento de abdução ter ocorrido.

Fonte: The Anti-Gravity Handbook por David Hatcher Childress

Site: http://psychedelicadventure.blogspot.com/2008/11/vimanas-ancient-ufos-india.html



Acima: “Um Ancient Vimana e a aeronave Top Secret desenvolvida pelos E.U.A., código TR-3B com formato triangular aeroespacial movida a propulsão nuclear com três reatores (descrição Edgar Fouché) combinado com a criação de um campo de vórtice de pulso eletromagnético gravitacional, movido a plasma de mercúrio para interromper / neutralizar os efeitos da gravidade sobre a massa do veículo e em suas proximidades“ (Mirahorian)




Nessa foto do UFO americano, TR-3b foi tirada quando sobrevoava a Bélgica.

Para saber mais:
http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/
http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua-ii/
http://thoth3126.com.br/area-51-entrevista-de-david-adair/
http://thoth3126.com.br/area-51-entrevista-de-david-adair-parte-2/

*Ashoka, 304 aC – 232 aC (pronuncia-se “Ashokh”e em sânscrito significa sem dor (a = não / sem, shoka = dor, tristeza ou preocupação) foi um Imperador da ÍNDIA da Dinastia Maurya que governou quase todo o Subcontinente indiano de 273 aC a 232 aC. Um dos maiores imperadores da Índia, Ashoka reinou sobre a maior parte da atual Índia depois de uma série de conquistas militares.

Seu império se estendia do atual Paquistão, Afeganistão no oeste, até os dias atuais Bangladesh e no estado indiano de Assam no leste. Ele abraçou o Budismo tradicional de prevalência Védica depois de testemunhar a morte em massa na Guerra de Kalinga, que ele próprio tinha empreendido a partir de um desejo de conquista. Mais tarde foi dedicada à propagação do budismo em toda a Ásia e monumentos estabelecem a marcação de diversos locais importantes na vida de Gautama Buda.

Ashoka na história humana é muitas vezes referido como o imperador de todas as idades. Ashoka era um devoto de ahimsa (Não Violência, mesmo princípio adotado por Mahatma Ghandi para libertar a ÍNDIA em 1947), amor, verdade, tolerância e vegetarianismo. Ashoka é lembrado na história como um filantropo administrador. Na história da Índia Ashoka é referido como Samraat Chakravartin Ashoka- O Imperador dos Imperadores. Em seu editais, ele é referido como Devanampriya ou “o amado dos deuses. O conhecido escritor H. G. Wells em sua obra best seller, em dois volumes, O esboço da história (1920), escreveu sobre o imperador Ashoka:

“Na história do mundo, houve milhares de reis e imperadores que se chamavam ”suas altezas”, “Suas Majestades” e “Suas Majestades exaltados” e assim por diante. Elas brilhavam por um breve momento, e logo desapareciam. “Mas Ashoka brilha e brilha como uma estrela brilhante, até hoje em dia.”

Após dois mil anos, a influência de Ashoka é vista na Ásia e, especialmente, o Subcontinente indiano. Um emblema escavado de seu império é hoje um Símbolo nacional e Emblema da Índia. Na História do Budismo, Ashoka está situado mesmo ao lado de Gautama Buda.

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária
 


EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media *   North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands  * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government  
** by Steve Beckow: 9/11 Truth, Abundance Program, Accountability, Disclosure, end times, Extraterrestrials, financial crash, Golden Age, Illuminati, Mayan Predictions, NESARA, New Paradigm, Spiritual Hierarchy, Spiritual Teachers, UFO Cover-up, Wisdom Economy   
ES: LLAMA VIOLETA

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub