Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Abril 25, 2018

chamavioleta


Lista de países destruídos por Hillary!

20 de abril de 2018

Tradução

 
 
 

Lista de países destruídos por Hillary!

 
 
Em um e-mail enviado a Jeffrey Leeds, ex-secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, o ex-secretário de Estado americano Colin Powell, escreveu sobre Hillary Clinton: "Tudo o que a HRC diz é que ela estraga a arrogância".
 
O mandato de Clinton como secretário de Estado durante o primeiro mandato de Barack Obama foi um desastre absoluto para muitas nações ao redor do mundo.
 
Nem a campanha de Donald Trump nem a mídia corporativa descreveram adequadamente como vários países do mundo sofreram horrivelmente com as decisões de política externa de Hillary Clinton.
 
Milhões de pessoas foram prejudicadas pelas políticas equivocadas de Clinton e por suas operações “play-to-pay” envolvendo favores em troca de doações à Fundação Clinton e à Clinton Global Initiative.
 
O seguinte é um gráfico de antes e depois, ilustrando, país por país, os efeitos desestabilizadores das políticas de Clinton como Secretário de Estado:
 
Abecásia
 
Antes de Hillary: Em 2009, mais e mais nações começaram a reconhecer a independência desta nação que se separou da Geórgia e repeliu com sucesso uma invasão georgiana apoiada pelos EUA em 2008.
 
Depois de Hillary: Clinton pressionou Vanuatu e Tuvalu a romper relações diplomáticas com a Abkhazia em 2011. O Departamento de Estado pressionou os governos da Índia, Alemanha e Espanha a se recusarem a reconhecer a validade dos passaportes abecazianos e, em violação do Tratado EUA-ONU. recusou-se a permitir que diplomatas abkhazianos visitassem a sede da ONU em Nova York.
 
O Departamento de Estado de Clinton também ameaçou San Marino, Bielorrússia, Equador, Bolívia, Cuba, Somália, Uzbequistão e Peru com recriminações se reconhecessem a Abkházia.
 
 
A Geórgia estava ligada a Clinton através da representação da Geórgia em Washington - o Grupo Podesta - dirigido por Tony Podesta, o irmão do amigo íntimo de Clinton e atual presidente da campanha, John Podesta.
 
Argentina
 
Antes de Hillary: Sob o Presidente Nestor Kirchner e sua esposa Cristina Fernández de Kirchner, a economia da Argentina melhorou e a classe trabalhadora e os estudantes prosperaram.
 
Depois de Hillary: Depois da morte repentina do ex-presidente Nestor Kirchner em 2010, a embaixada dos EUA em Buenos Aires tornou-se um elo para atividades anti-Kirchner, incluindo o fomento de protestos políticos e trabalhistas contra o governo. Enquanto isso, Clinton pressionou fortemente a Argentina em suas obrigações de dívida com o FMI, o que também enfraqueceu a economia.
 
Bolívia
 
Antes de Hillary: o presidente progressista Evo Morales, da Bolívia, primeiro líder indígena aimará do país, forneceu apoio do governo aos produtores de coca do país e aos mineiros. Morales também comprometeu seu governo com a proteção ambiental. Ele manteve seu país fora da Área de Livre Comércio das Américas e ajudou a iniciar o Acordo Comercial dos Povos com a Venezuela e Cuba.
 
Depois de Hillary: Clinton permitiu que a embaixada dos EUA em La Paz provocasse revoltas separatistas em quatro províncias bolivianas de maioria descendente de europeus, bem como fomentasse greves de trabalhadores entre mineradores e outros trabalhadores no mesmo modelo usado na Venezuela.
 
Brasil
 
Antes de Hillary: os presidentes progressistas do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, inauguraram uma nova era para o país com direitos de trabalhadores e estudantes na vanguarda e proteção ambiental e desenvolvimento econômico para as grandes prioridades pobres.
 
 
Depois de Hillary: A autorização de Clinton de espionagem eletrônica maciça da embaixada dos EUA em Brasília e do consulado geral no Rio de Janeiro resultou em um "golpe constitucional" contra Dilma e o governo do Partido dos Trabalhadores, dando início a um governo corrupto apoiado pela CIA.
 
República Centro-Africana
 
Antes de Hillary: Sob o presidente François Bozize, o CAR permaneceu relativamente calmo sob um acordo de paz elaborado sob os auspícios da Líbia de Muammar Qaddafi.
 
Depois de Hillary: Em 2012, terroristas islamistas do movimento Seleka e apoiados pela Arábia Saudita conduziram uma revolta, massacrando cristãos e expulsando o governo de Bozize do poder. O CAR tornou-se um estado falido no Departamento de Estado de Clinton.
 
Equador
 
Antes de Hillary: o Equador começou a compartilhar sua riqueza em petróleo com o povo e a economia, e a situação difícil dos pobres da nação melhorou.
 
 
Depois de Hillary: Clinton autorizou um golpe da Polícia Nacional em 2010 contra o presidente Rafael Correa. A economia logo despencou quando as disputas trabalhistas afetaram os setores de mineração e petróleo.
 
 
Egito
 
Antes de Hillary: Sob Hosni Mubarak, o Egito era uma nação secular estável que suprimia a política jihadista nas mesquitas. A Irmandade Muçulmana orientada pela jihadista foi mantida à distância.
Depois de Hillary: Após a “Primavera Árabe” de Clinton em 2011 e a queda de Mubarak, o Egito viu Mohamed Morsi, presidente eleito da Irmandade Muçulmana. Imediatamente, o país secular deu início a um processo de islamização com os cristãos coptas enfrentando a repressão e a violência, incluindo massacres. A regra de Morsi resultou em um golpe militar, acabando com os movimentos anteriores do Egito em direção à democracia.
 
Alemanha
 
Antes de Hillary: A nação era um país pacífico onde a cultura alemã, assim como a liberdade religiosa e os direitos das mulheres eram garantidos.
Depois de Hillary: A “Primavera Árabe” de Clinton resultou em uma enxurrada de refugiados principalmente muçulmanos sendo acolhidos na Alemanha pelo Oriente Médio, África e Sul da Ásia. Hoje, a Alemanha é arruinada pelo crime de refugiados muçulmanos, hábitos de saúde pública insalubres e prejudiciais de migrantes, agressões sexuais de mulheres e crianças migrantes, aumento de atos de terrorismo e diminuição da cultura alemã e práticas religiosas.
 
Grécia
 
Antes de Hillary: A Grécia era uma nação que via os serviços sociais da rede de segurança do governo estendidos a todos os necessitados. Ele também permaneceu um destino turístico de topo para os europeus do norte.
 
Depois de Hillary: A crise da dívida de 2010 emagreceu a economia grega e Clinton permaneceu inflexível de que a Grécia cumprisse as medidas econômicas draconianas ditadas pela Alemanha, a União Européia e o FMI / Banco Mundial.
 
 
Para piorar as coisas, a “Primavera Árabe” de Clinton acabou resultando em uma enxurrada de refugiados principalmente muçulmanos sendo recebidos em primeiro lugar, as ilhas gregas e depois a Grécia continental, do Oriente Médio, África e Sul da Ásia.
 
Hoje, a Grécia, especialmente as ilhas de Lesbos, Chios, Samos, Symi, Rodes, Leros e Cós são destruídas pelo crime de refugiados muçulmanos, hábitos insalubres de saúde pública de migrantes, agressões sexuais de homens e mulheres migrantes, atos de incêndio criminoso e vandalismo, e uma diminuição da cultura grega e práticas religiosas.
 
Guatemala
 
Antes de Hillary: Sob o governo do presidente Álvaro Colom, o primeiro presidente progressista populista do país, os pobres receberam acesso à saúde, educação e seguridade social.
 
Depois de Hillary: Clinton autorizou a embaixada dos EUA na Guatemala a trabalhar contra as eleições de 2011 como presidente da esposa de Colom, Sandra Torres. Colom foi sucedido por um presidente corrupto de direita que renunciou por corrupção e depois foi preso.
 
Haiti
 
Antes de Hillary: O Haiti foi preparado em 2011 para re-eleger Jean-Bertrand Aristide, forçado a deixar o cargo e exilar-se em um golpe da CIA em 2004. A perspectiva do retorno de Artistide ao poder foi uma bênção para os moradores das favelas do Haiti.
 
Depois de Hillary: Clinton se recusou a permitir que Aristide retornasse ao Haiti do exílio na África do Sul até que fosse tarde demais para concorrer na eleição de 2011. Sob uma série de presidentes instalados nos EUA, todos aprovados por Bill e Hillary Clinton, o Haiti é uma vaca virtual para os Clintons.
 
 
A Fundação Clinton desviou para seu próprio uso, ajuda internacional ao Haiti, e os Clintons garantiram que seus amigos ricos nas empresas de hotéis, têxteis e construção desembarcassem contratos lucrativos para projetos haitianos, nenhum dos quais beneficiara os pobres haitianos e muitos dos quais resultou em lojas de suor e práticas trabalhistas extremamente baixas.
 
Honduras
 
Antes de Hillary: Democracia multipartidária emergente com um presidente populista progressista, Manuel Zelaya. As crianças recebiam educação gratuita, as crianças pobres recebiam refeições escolares gratuitas, as taxas de juros eram reduzidas e as famílias mais pobres recebiam eletricidade gratuita.
 
Depois de Hillary: Clinton autorizou um golpe militar contra Zelaya em 2009. O homem da família Clinton "consertar" Lanny Davis tornou-se um defensor das relações públicas para a ditadura militar. A resultante ditadura fascista envolvida em assassinatos de jornalistas, políticos e líderes indígenas por esquadrões da morte extrajudiciais seguiu o “golpe constitucional” contra Zelaya. Durante 2012, Clinton ordenou que a embaixada dos EUA em Tegucigalpa trabalhasse contra a eleição de 2013 de Xiomara Castro de Zelaya como presidente.
 
Iraque
 
Antes de Hillary: Sob o governo do primeiro-ministro Nouri al-Maliki, o Iraque passou por pequenos movimentos em direção a um alojamento com os curdos do norte e os sunitas. O Irã agiu como uma força política moderadora no país que impediu quaisquer tentativas de jihadistas apoiados pelos sauditas de perturbar o governo central em Bagdá.
 
Depois de Hillary: A Primavera Árabe de Clinton resultou na ascensão do Estado Islâmico Sunita / Wahhabista no norte e no oeste do Iraque e o mergulho do Iraque em estado de estado falido. Shi'as, curdos, yazidis, cristãos assírios e sunitas moderados foram massacrados pelos jihadistas no norte, oeste e centro do Iraque. As cidades iraquianas de Mosul, Kirkuk e Nínive caíram para as forças do EIIL, com os não-muçulmanos sendo estuprados, torturados, executados e antiguidades inestimáveis ​​sendo destruídas pelos saqueadores jihadistas.
 
Independência do Kosovo
 
Estas incluem o Paquistão, Palau, Maldivas, São Cristóvão e Névis, Dominica, Fiji, Papua Nova Guiné, Burundi, Timor Leste, Haiti, Chade, Gâmbia, Brunei, Gana, Kuwait, Costa do Marfim, Gabão, Santa Lúcia, Benim, Níger, Guiné, República Centro-Africana, Andorra, Omã, Guiné-Bissau, Catar, Tuvalu, Kiribati, Honduras, Somália, Djibuti, Vanuatu, Suazilândia, Mauritânia, Malauí, Nova Zelândia, República Dominicana, Jordânia, Bahrein e Comores.
Na capital do Kosovo, Pristina, há uma estátua de 10 pés de altura de Bill Clinton em pé sobre Bill Clinton Boulevard. Não muito longe está uma loja de roupas femininas chamada “Hillary”.
 
Líbia
 
Antes de Hillary: Sob o comando de Muammar Kadafi, a Líbia pós-sanção viu um boom na construção urbana e um novo grande aeroporto internacional para servir como um centro para a África. Planos anunciados para um dinar africano, apoiado por propriedades de ouro da Líbia, para atender às necessidades da África. Todos os líbios receberam educação gratuita e assistência médica. Houve um programa de partilha de receitas da riqueza petrolífera da Líbia com o povo líbio.
 
Depois de Hillary: As operações de mudança de Clinton em 2011 contra Kadafi, que viu o líder soviético ser agredido, espancado e baleado na cabeça por rebeldes jihadistas supervisionados pelos Estados Unidos, fizeram com que Clinton ria do incidente no infame: “Viemos, vimos, ele morreu ”comentário. A Líbia se tornou um estado fracassado onde terroristas jihadistas islâmicos disputavam o controle do país e os esconderijos de Qaddafi eram dados ou vendidos a terroristas jihadistas na Síria, Iraque, Egito, região de Pan-Sahel e África subsaariana. Após a deposição de Kadafi, os trabalhadores convidados negros africanos e suas famílias foram massacrados pelas forças jihadistas.
 
Malásia
 
Antes de Hillary: A Malásia, antes de 2009, era uma nação religiosamente tolerante, onde budistas, cristãos e hindus desfrutavam da liberdade de religião.
 
Depois de Hillary: Em 2009, Najib Razak tornou-se primeiro-ministro e começou a aceitar subornos da Arábia Saudita que totalizaram cerca de US $ 2,6 bilhões com mais dinheiro público malaio nas contas bancárias pessoais de Razak mais o caixa saudita totalizando cerca de US $ 3,5 bilhões. Razak começou a permitir que os clérigos influenciados pelos sauditas pressionassem pela sharia em toda a Malásia e os cristãos em Sarawak, Sabah e Penang começaram a sofrer a repressão wahhabista. Clinton ficou em silêncio sobre a perseguição da Malásia aos não-muçulmanos. O motivo pode ter sido um relato de várias centenas de milhões de doações do fundo secreto do Razak para os cofres da Fundação Clinton.
 
Palestina
 
Antes de Hillary: Em 2012, a Palestina recebeu status de observador não-membro nas Nações Unidas. O Relatório Goldstone de 2009 da ONU descobriu que Israel violou a lei humanitária internacional em sua guerra contra Gaza em 2009. A Palestina estava ganhando mais apoio e simpatia internacionalmente e estava conseguindo acabar com a desinformação da propaganda israelense.
 
Depois de Hillary: Hillary Clinton rejeitou o Relatório Goldstone como "unilateral". O apoio desenfreado de Clinton à expansão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia e Jerusalém Oriental e seu silêncio sobre o desumano bloqueio israelense de Gaza encorajaram o governo de direita teocrático de Israel a invadir territórios palestinos e consolidar uma série de "bantustões" palestinos como um apartheid na Cisjordânia e um gueto a céu aberto em Gaza.
 
Paraguai
 
Antes de Hillary: O país sob Fernando Lugo começou a tirar da pobreza os camponeses rurais e trabalhadores urbanos do país. O Paraguai também iniciou um movimento firme em direção à democratização após anos de ditaduras militares.
 
Depois de Hillary: o “golpe constitucional” de Clinton contra Fernando Lugo, em 2012, trouxe de volta ao poder a oligarquia militar-industrial, com os camponeses da nação sendo forçados a voltar à pobreza e ao domínio repressivo.
 
Sudão do Sul
 
Antes de Hillary: Antes da independência em 2011, o Sudão do Sul, embora repleto de disputas intra-tribais, estava relativamente calmo.
 
Depois de Hillary: Depois de ser levado para a independência do Sudão em 2011, o Sudão do Sul, um projeto especial de Clinton, George Soros e o ator George Clooney, mergulharam na guerra civil e no caos. Ele bateu todos os registros em ser transformado de um estado recém-independente em um estado falhado.
 
Síria
 
Antes de Hillary: a Síria era um estado secular multicultural e multirreligioso que defendia o conceito de socialismo pan-árabe e políticas progressistas promovidas pelo egípcio Gamal Abdel Nasser. A Síria não era um lugar seguro para o jihadismo.
 
Depois de Hillary: Após o sinal verde de Clinton para a “Primavera Árabe” de 2011, a Síria se tornou um estado fracassado, onde o Estado Islâmico ganhou uma posição firme. Aluitas minoritários, cristãos, drusos e curdos foram massacrados por grupos jihadistas auxiliados e incentivados por ONGs e outros interesses apoiados por Clinton.
 
 
Tailândia
 
Antes de Hillary: o movimento da camisa vermelha da Tailândia era uma força poderosa que exigia um retorno à democracia na Tailândia e a restauração do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, derrubado em um golpe militar de 2006, ao poder.
Depois de Hillary: Um protesto de camisa vermelha em 2010 resultou em uma sangrenta repressão pelos militares tailandeses. Clinton permaneceu em silêncio sobre a matança de manifestantes do exército tailandês e as prisões em massa de líderes da Red Shirt. A assistência militar dos EUA ao governo tailandês foi continuada por Clinton. Quando a irmã de Thaskin, Yingluck Shinawatra, se tornou primeira-ministra em 2011, Clinton começou a trabalhar para minar ela e seu governo de uma forma não muito diferente dos subterfúgios de Clinton contra Dilma no Brasil e Cristina Kirchner na Argentina. Quando chega a mulheres líderes, Clinton só tolera conservadores que se reúnem para os Estados Unidos. A pressão contra Yingluck acabou resultando em sua saída em 2014 e ela ser acusada criminalmente da mesma maneira que viu Dilma ser cobrada no Brasil.
 
Tunísia
 
Antes de Hillary: A Tunísia era uma das nações mais seculares do mundo árabe e islâmico. Principal destino dos turistas europeus, o país era mais europeu em suas perspectivas do que o norte-africano.
 
 
Depois de Hillary: Após a “Revolução de Jasmim”, de Clinton, em 2011, uma revolução temática de livro didático elaborada pelo amigo de Clinton, George Soros, a Tunísia desceu ao domínio e violência islâmicos. Hoje, a Tunísia é o principal país para recrutas do Estado Islâmico.
 
Peru
 
Antes de Hillary: A Turquia estava se aproximando cada vez mais dos padrões europeus em direitos humanos e democracia.
Detalhes
Mesmo sob o primeiro-ministro islamista Recep Tayyip Erdogan, o país permaneceu comprometido com o pluralismo.
 
Depois de Hillary: Clinton autorizou o envio de armas líbias capturadas dos esconderijos de armas de Qaddafi aos intermediários turcos no emprego do governo de Erdogan para serem transferidos para os rebeldes jihadistas na Síria. Uma complicação nesse arranjo resultou no ataque jihadista de 11 de setembro de 2012 no depósito da CIA em Benghazi, que matou o enviado americano Chris Stevens e outros funcionários do Departamento de Estado.
Detalhes
O namoro da Turquia com os rebeldes jihadistas na Síria foi refletido pela crescente islamização da Turquia. Os eventos de 2011 e 2012 resultaram na Turquia hoje sendo governada por um líder islamista, Erdogan, com a oposição política aberta sendo reprimida.
 
Ucrânia
 
Antes de Hillary: A Ucrânia era um país estável e neutro que nem se alinhava com o Ocidente e a OTAN nem com a Rússia sob a presidência de Viktor Yanukovych, eleito em 2009 e inaugurado em 2010.
 
Depois de Hillary: Clinton tentou de tudo para garantir a derrota de 2009 de Viktor Yanukovych. O Departamento de Estado e seus amigos no campo de George Soros deram assistência à candidata favorita de Clinton, Yulia Tymoshenko, para derrotar Yanokovych. Foi essa interferência inicial nas eleições de 2009 que levou à revolução “Euromaidan” em 2014 contra o governo, resultando em guerra civil, retrocesso da Criméia de volta à Rússia e estados secessionistas no leste da Ucrânia. As políticas de Clinton levaram diretamente a um estado falido na Europa.
 
Venezuela
 
Antes de Hillary: Sob Hugo Chávez, o país prestou serviços sociais básicos aos seus cidadãos mais pobres. A Venezuela também forneceu gasolina com desconto para vários países do Caribe e da América Central através do consórcio PetroCaribe.
 
Depois de Hillary: Depois que Clinton permitiu que a embaixada dos EUA em Caracas fomentasse protestos trabalhistas e políticos anti-Chávez, o país começou a vacilar economicamente. Após o diagnóstico de câncer terminal de Chávez em 2012, o Departamento de Estado aumentou a pressão sobre a Venezuela, enfraquecendo a economia e o sistema político do país.
 
Saara Ocidental
 
Antes de Hillary: Reconhecido pela União Africana e várias nações ao redor do mundo como a República Árabe Saaraui Democrática (RASD), o Saara Ocidental via alguma esperança para uma evacuação de tropas de ocupação marroquinas ilegais de seu território.
 
Depois de Hillary: Em 2010, as tropas marroquinas começaram a entrar nos campos de refugiados sarauís e a atacar os residentes, mesmo em zonas de exclusão protegidas pela ONU, onde as tropas marroquinas eram proibidas de entrar. Clinto assegurou que as negociações da ONU e um proposto referendo popular sobre o futuro do Saara Ocidental estivessem paralisados. Clinton pressionou vários Estados a retirar seu reconhecimento da RASD, incluindo São Vicente e Granadinas, Paraguai, Haiti, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Malauí, Quênia, Maurício, Zâmbia, Panamá e Burundi. A Clinton Foundation recebeu uma doação de US $ 1 milhão em 2011 de uma empresa de fosfato marroquina pertencente ao governo marroquino e que tem operações de mineração no Saara Ocidental.
 
 
Iémen
 
 
Antes de Hillary: o Iêmen era um estado amplamente secular que estava se transformando em uma federação onde os direitos do Iêmen do Sul e dos Zaidi Houthis do norte do Iêmen estavam sendo reconhecidos.
 
 
Depois de Hillary: a “Primavera Árabe” de Clinton de 2011 e a queda de Abdullah Saleh do poder viram o Iêmen se tornar um estado falido. A Al Qaeda, na Península Arábica, e o Estado Islâmico ganharam controle sobre várias áreas do norte e do sul do Iêmen. A queda de Saleh permitiu à Arábia Saudita conduzir uma guerra genocida no país, com o total apoio de Clinton.


SE VOCÊ QUISER SALVAR A AMÉRICA (ou o seu país) - PASSE ESTE INFORMAÇÃO AOS SEUS FAMILIARES E AMIGOS E POSTAR A OUTROS SITES. ESPALHE A PALAVRA.


Fonte: http://nesaranews.blogspot.ca/


 

Recomenda-se o discernimento.





Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.






Atualização diária.


Julho 17, 2015

chamavioleta

Insegurança e loucura Global

Posted by Thoth3126 on 14/01/2015



Em meio a sanções paralisantes de sua economia por causa do seu programa de armas nucleares, o Irã continua a se preparar para a guerra contra o Ocidente, e agora está alertando para um próximo “GRANDE EVENTO“.

“À luz da realização da promessa divina de Deus Todo-Poderoso, os sionistas e o Grande Satã (EUA) em breve serão derrotados”, o aiatolá Ali Khamenei, o líder supremo iraniano, declarou em um aviso público.

“Então não é que os loucos tomaram conta do hospício (a civilização), o fato é que o lugar maldito foi projetado e construído por eles”. Anônimo.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

INSEGURANÇA e LOUCURA GLOBAL

http://www.wnd.com

DECLARAÇÃO DO AIATOLÁ Ali Khamenei, “líder supremo” iraniano, AFIRMA QUE EM BREVE A “HEGEMONIA DO MAL” SERÁ DERROTADA PELO PODER DE DEUS, ALLAH.

Por Reza Kahlili

Khamenei, estava falando a centenas de jovens de mais de 70 países que participaram de uma conferência mundial sobre a Primavera Árabe poucos dias atrás, e disse a uma multidão em Teerã que “as promessas de Allah serão entregues e o Islã sairá vitorioso.” Os países representados incluíam jovens do Bahrein, Egito, Líbia e Tunísia, os quais estiveram envolvidos na primavera árabe.

Em seu pronunciamento, Khamenei aconselhou os jovens a permanecerem vigilantes, afirmando que o despertar islâmico na região do norte da África e Oriente Médio emitiu vários golpes para os inimigos do Islã e que todos os muçulmanos, apesar de suas próprias diferenças históricas e sociais, permanecessem unidos na oposição à hegemonia “do mal dos sionistas e dos norte americanos.”



O aiatolá Ali Khamenei. (O seu TURBANTE NEGRO dá uma pista sobre às suas intenções e a quem ele serve)

Khamenei, em seguida, afirmou que o atual século XXI será o século do Islã e prometeu que a história humana está à beira do acontecimento de um grande evento e que em breve o mundo vai perceber o poder de Deus. Muitos clérigos no Irã afirmaram que Khamenei é o representante do último messias islâmico na Terra e que a obediência a ele é necessária para a glorificação final do Islã.

Foi ouvido dizer por Khamenei que a vinda do último messias islâmico, o décimo segundo Imam Mahdi da seita dos Xiitas, esta muito próxima e que ações específicas devem ser tomadas para proteger o regime islâmico durante os próximos eventos. O Imam Mahdi, segundo a crença xiita, reaparecerá no momento do Armagedom.

As Forças militares selecionadas de dentro dos Guardas Revolucionários do IRÃ, a Basij supostamente foram treinados sob uma força tarefa denominada “Soldados do Imam Mahdi” e eles vão arcar com a responsabilidade da segurança e proteger o regime contra rebeliões. Muitos na Guarda dos soldados Basij foram informados de que o 12 º Imam já está na (encarnado) Terra, corporificado e facilitou a vitória do Hezbollah sobre Israel na guerra de 2006 e em breve irá anunciar publicamente a sua presença quando e após o ambiente necessário ser criado.

Fontes de dentro da Vali’eh Amr, as forças revolucionárias responsáveis pela proteção do líder supremo Ali Khamenei, também revelou recentemente uma tentativa de assassinato de Khamenei, que foi frustrado na hora certa. SepahOnline relata que no ano passado durante a visita de Khamenei no porto de Asalouyeh no sul do IRÃ, os Guardas Revolucionários encontraram pistolas e granadas escondidas por um indivíduo vestido como zelador em um quartel que Khamenei estava marcado para visitar. O líder supremo foi, então, retirado da região e retornou a Teerã imediatamente.



Outras fontes dentro das guardas revolucionárias relatam que na sequência da carta de Barack Obama ao líder iraniano enviada pelo presidente dos EUA, no mês passado pedindo negociações, Khamenei ordenou às autoridades iranianas para falar positivamente sobre as conversações nucleares e dando esperança a Obama e a outros líderes ocidentais de que uma solução negociada é possível. Isso ficou evidente após uma viagem de inspetores nucleares da ONU ao Irã esta semana, que chamou as negociações de positivas.

Ao mesmo tempo, a sua directiva para a Guarda Revolucionária ordenou uma rápida conclusão do programa de desenvolvimento de uma bomba nuclear iraniana em que mísseis pudessem ser armados com ogivas nucleares. Khamenei acredita que uma vez que esse objetivo seja alcançado, o IRÃ poderia testar uma bomba nuclear, e deixar o mundo saber que o IRÃ se juntou ao clube detentor de armas nucleares e que qualquer confronto irá resultar na destruição de grande parte do mundo ocidental. A Guarda Revolucionária não só pode acertar todas as bases dos EUA em todo o Oriente Médio com seus mísseis balísticos, mas também alcançar a maioria das capitais da Europa Ocidental.

Os cientistas, com a ajuda da China e da Coréia do Norte, estão trabalhando no desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais. Mas o mais perigoso para a América, como relatado em julho do ano passado, é a ação da Guarda Revolucionária em armar seus navios da Marinha do IRÃ, com mísseis balísticos de longo alcance e expansão de sua missão no Oceano Atlântico, assim como no Golfo do México, já no quintal dos EUA.



A vinda de “UM GRANDE PROFETA E LÍDER” muçulmano esta sendo preparada…e isso não será bom para o ocidente e muito menos para os povos muçulmanos.

Qualquer navio militar ou comercial iraniano poderia facilmente se fazer ao largo da costa dos EUA e em menos de 60 segundos disparar um míssil balístico munido de uma carga nuclear e detoná-lo sobre os céus dos EUA em um ataque gerando um pulso eletromagnético que mergulharia a América de volta para o século 18, desmantelando todo o seu aparato tecnológico de defesa e derrubando todo seu sistema de distribuição de energia elétrica.

Estudos em volta dessa teoria demonstram que em apenas um ano depois de tal ataque, dois terços da população norte americana deixariam de existir e o resto teria que viver em condições humanas terríveis. Os radicais que regem o Irã não só tem se preparado para a supressão em massa de seu próprio povo, quando eles chegarem ao seu confronto com o Ocidente, mas também estão se preparando para alimentar conflitos através de seus procuradores em outros países do Oriente Médio e em outros lugares.

SepahOnline, com fontes dentro da Guarda Revolucionária, informa que o Afeganistão em breve vai testemunhar um aumento de atividades terroristas contra as forças dos EUA naquele país. A Guarda não só está treinando combatentes do Taliban no IRÃ perto da sua fronteira com o Afeganistão, mas também estão enviando armamentos para as forças no Afeganistão com um fim de criar instabilidade para prejudicar as forças americanas e desestabilizar o governo afegão.

Agentes protetores infiltrados também têm sido ordenados a fazer o mesmo no Bahrein, na Arábia Saudita e em outros países do Golfo Pérsico. A Guarda também anunciou a formação iminente de uma unidade defensiva para lidar com possível contaminação radioativa. Embora eles não disseram o porquê disso, eles poderiam estar se preparando para um ataque com troca nuclear com o Ocidente, assim que o Irã obtiver suas armas nucleares.



Capa do Livro

O WND anteriormente relatou que os chefes no IRÃ também estão se preparando para executar e eliminar os seus próprios críticos e adversários internos na hora certa. Isso é semelhante à ação tomada pelo fundador do regime islâmico em 1988, o aiatolá Ruhollah Khomeini. No livro, “A Time to Betray”, o espião da CIA infiltrado na Guarda Revolucionária do IRÃ revela a mentalidade dos clérigos xiitas fanáticos e como eles aspiram para a destruição do mundo. Eles realmente acreditam que o fim dos tempos já está aqui, que já chegou. Como revelado no ano passado, o documentário (não mais) secreto iraniano “The Coming is Upon Us” – A vinda (do profeta Imam Mahdi) Está Sobre Nós – indica claramente que os radicais e fanáticos religiosos que governam o IRÃ acreditam que a destruição de Israel irá desencadear a vinda do Messias islâmico previsto no passado.

Reza Kahlili é um pseudônimo para um agente da CIA e ex-integrante da Guarda Revolucionária do IRÃ e o autor do premiado livro, “A Time to Betray.” Ele é um pesquisador sênior com EMPact America e ensina no U.S. Department of Defense’s Joint Counterintelligence Training Academy (JCITA), Departamento dos EUA para a Academia de Treinamento em Conjunto de Defesa Contra Terrorismo.

Adendo: CITANDO UMA CANALIZAÇÃO DE GABRIEL:

“No seu cenário mundial agora vocês estão testemunhando facções opostas da sua elite planetária, já conhecidos como os controladores do seu mundo, entrando em batalha para ver quem “será o rei da montanha”. Como dissemos a muitos anos passados isso seria necessário que acontecesse. Você vê os desejos de uma facção (que preferem e têm planos diferentes para o seu desengano, da sua civilização) se manifestando através de tais ações anti-guerra como estão sendo tomadas eventualmente pela França, Alemanha, RÚSSIA e China.



E você vê a outra facção trabalhando através dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, ISRAEL, e quem quer que eles conseguirem subornar ou chantagear para favorecer a sua votação de assuntos que lhes interessam em seu fórum mundial de debates que é as Nações Unidas-ONU.

A determinação tola de uma facção é correspondida, contrabalançada passo a passo, tecnicamente pelo poder avassalador da outra facção. Mas todos eles trabalham apenas para um só e mesmo senhor, e no conjunto TODOS TRABALHAM PARA AS TREVAS e estão preparando o terreno para o surgimento de UM GRANDE LÍDER.

Mas não se deixe enganar pelas aparências externas, queridos. As facções opostas da sua “elite global” estão conduzindo seus negócios através de muitos “bonecos” (políticos medíocres e corruptos) e são todos controlados, em um nível ainda maior por uma manipulação “INTERDIMENSIONAL”, PELAS MESMAS ENERGIAS DAS TREVAS. Eles exigem que o seu planeta seja mantido em baixa freqüência vibratória para o seu próprio conforto e sobrevivência e para continuar no controle total de seu mundo, sob seu domínio.” Saiba mais em:
http://thoth3126.com.br/os-anjos-caidos-the-watchers-os-vigilantes/
http://thoth3126.com.br/o-al-masih-ad-dajjal-o-falso-profeta-anti-cristo/
http://thoth3126.com.br/o-al-masih-ad-dajjal-o-falso-profeta-anti-cristo-ii/
http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-misterios-e-controle-alienigena/


Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br


Por favor, respeitem todos os créditos
Arquivos em português:

 Atualização diária


 

Junho 04, 2015

chamavioleta

Será que a revolução finalmente chega neste Outono?

Por Benjamin Fulford - 01.06.2015 

 Tradução: Candido Pedro Jorge 



Há sinais crescentes de que os acontecimentos mundiais serão levados em fogo lento até este outono, quando finalmente poderá ocorrer uma revolução no Ocidente e um fim do regime da cabala. Na verdade, é dever moral de todas as pessoas conscientes assegurar-se de que isso aconteça e o Ocidente seja libertado do estilo babilônico de escravidão por dívida.

Espera-se que o gatilho mais provável para o desencadeamento dessa revolução seja a Grécia. As últimas notícias nessa frente é o "pacote" de pagamentos da Grécia ao FMI em Junho. Isto significa, de acordo com a inteligência britânica MI5, que "se a Grécia empacotar os pagamentos em Junho, cai como devedor do FMI no início de Julho, quando então o Diretor Gerente do o Diretor Gerente do FMI, após mais de 30 dias, seguidos por umas 3-4 de conversações de procedimentos internos do FMI informará. "Em outras palavras, a crise chegará em Setembro.

O fato é que o sistema bancário ocidental, especialmente os mega bancos, já estão falidos. Estão falidos, baseado no simples fato de que, como um todo, os países ocidentais estão importando do resto do mundo, principalmente da Ásia, durante os últimos 30 anos, usando seu cartão de crédito, cartão que já expirou. Os bancos ocidentais fingem que este não é o caso, com a criação de centenas de trilhões de dólares em derivativos. Estes derivados têm laços muito tênues com as coisas do mundo real, tais como a renda das pessoas gregas, por isso, algo como um calote grego seria o suficiente para enviar o sistema em queda livre terminal.

As recentes declarações de funcionários do governo grego, deixam muito claro que não mais apertarão os cidadãos gregos para ajudar os bancos da cabala. Aqui está o que o porta-voz do Parlamento Grego Zoe Konstantopoulou teria a dizer sobre a dívida:

"Há fortes evidências sobre a ilegitimidade odiosa e insustentabilidade de uma grande parte do que é suposto ser a dívida pública grega."

http://blogs.channel4.com/paul-mason-blog/greeces-syriza-party-sticking-script-imf-deal/3717 


1150-hacer-negocio-en-palestina
Imagem: empresas que colaboran com aa ocupação israelita:  

Conseguir que o governo grego abandone a EU, juntando-se ao banco BRICS e aceite dinheiro russo, pode ser a estratégia que termina com o controle da cabala na Europa. Os gregos têm uma oportunidade histórica para restaurar a Democracia, sua invenção, no Ocidente. Saberemos neste Outono.

Enquanto isso, fontes de alto nível do governo indonésio, contataram a Sociedade Dragão Branco para informá-los que o principal depositário de ouro na Indonésia foi localizado dentro de uma base militar, a menos de um quilometro da embaixada dos EUA em Jacarta. A quantidade exata de ouro não foi divulgada, mas as fontes disseram que eram "mais de 100.000 toneladas." Dizem que os bunkers de ouro serão abertos em Setembro, proporcionando, assim, uma verificação independente que algum tipo de “evento” financeiro, esteja agendado para este Outono. No entanto, as fontes da Indonésia, embora afirmando que pessoalmente tenham visto o ouro, ainda não foram capazes de fornecer uma fotografia recente verificável. Prometeram fornece-las em breve. Disseram que os depósitos de ouro podem ser identificados pelos governos por meio de satélites.

Os indonésios também disseram que o recentemente eleito presidente Joko Widodo não estava fazendo o que prometeu e que por isso seria removido até o final deste ano. Americanos, russos e chineses estão lutando uma guerra de poder pelo controle da Indonésia e o seu ouro, dizem as fontes. Dizem que agentes do Departamento de Estado dos EUA e alguns generais indonésios recentemente se reuniram na província de Sulawesi do Norte, onde existe uma significativa minoria cristã. Os agentes do Departamento de Estado perguntaram aos generais se o início de distúrbios entre cristãos e muçulmanos não seria suficiente para permitir o estabelecimento de um governo militar favorável à cabala khazariana. Assim, a menos que sejam detidos, cabalistas com aviões jumbos carregados com falsos dólares norte-americanos estariam aterrissando na Indonésia, para contratar desordeiros e atores de crise. Assim, a Indonésia se juntaria à Ucrânia, Síria, Iêmen, Iraque, Líbia, Síria etc. como mais um ponto problemático criado pela cabala.

Os russos, por sua vez, entregaram a SDB uma carga de dados financeiros detalhados sobre o que eles dizem ser o principal instrumento de controle da cabala: a Vanguard Corporation. Os documentos russos mostram que a Vanguard é de propriedade dos Rothschilds, Rockefellers, Bush, Clintons, Donald Rumsfeld, Dick Cheney e outros altos mafiosos khazarianos. A Vanguard, por sua vez controla a maioria das principais empresas norte-americanas, especialmente as mais desagradáveis como a Monsanto e a Greystone (ex-Blackwater, Academi, Xe etc.)

Uma investigação da inteligência russa, alemã e francesa conjunta da Vanguard foi desencadeada pela prisão no início deste ano na Alemanha, de um assistente da subsecretaria de Estado americano, Victoria Nuland. O indivíduo detido foi surpreendido transportando bilhões de dólares em moeda falsa de alta qualidade para a Ucrânia e que está cooperando plenamente com a força-tarefa europeia. Disse aos investigadores, que Nuland, o senador John McCain, o secretário de Estado dos EUA John Kerry, o diretor da CIA John Brennan e outros, eram empregados da Vanguard. De acordo com os russos, ele testemunhou que a Vanguard havia impresso "milhares de milhões de dólares falsos de alta qualidade para pagar mercenários na Síria, Iraque, Ucrânia, Líbia etc" e que, além do mais, o ISIS seria uma subsidiária da Vanguard, segundo esta fonte.

Comentários iniciais da informação russa pela inteligência britânica MI5 dizem que "as finanças são credíveis".

Os britânicos dizem que os esforços da subsidiária da Vanguard, a Monsanto para controlar a produção mundial de alimentos e sua disponibilidade eram parte da "estratégia da Vanguard para a geoengenharia da população mundial".

Os russos também confirmaram que uma empresa chamada Gilead Sciences, juntamente com a gigante farmacêutica Pfizer (um desdobramento da nazista IG Farben Corporation) e da Fundação Bill & Melinda Gates, foram os envolvidos na propagação, assim como na comercialização das curas do Ebola.

Em todo caso, a publicação dos segredos da Vanguard levou seus maiores investidores tentarem se desconectar de subsidiárias desagradáveis como o ISIS. O resultado é que agora o ISIS tem problemas financeiros e teve de recorrer aos moradores do Norte da África, cobrando 3.000 dólares por cabeça para serem enviados para a Itália, segundo o MI5.

Isto foi incluído numa parte do relatório russo, colado no final do boletim desta semana. Esperemos que isto provoque alguma atividade de aplicação da lei contra essa monstruosidade corporativa.

Em qualquer caso, há outros sinais de que a cabala está com problemas. Um grande evento foi a renúncia do ex-primeiro-ministro do Reino Unido Tony Blair como “Enviado Especial da Paz no Oriente Médio".

http://www.telegraph.co.uk/news/politics/tony-blair/11633511/Tony-Blair-resigns-as-Middle-East-peace-envoy.html

O que isto significa é que ele despojado de imunidade diplomática agora pode enfrentar acusações de crimes de guerra por seu envolvimento na destruição do Iraque. Blair é um conhecido delator, do qual podem ter certeza de que estará cantando como um canário sobre os Bush e outros nazistas khazarianos. Esperamos que os britânicos finalmente tenham o bom senso e façam a coisa certa de derrubar este assassino em massa e seus companheiros traidores.

O outro incidente interessante, foi o fato do secretário de Estado dos EUA John Kerry ter "quebrado a perna num acidente de bicicleta" e teve que cancelar suas negociações com o Irã. Ainda não fomos capazes de confirmar, todavia, a experiência passada nos faz acreditar que Kerry foi deliberadamente agredido por seus companheiros mafiosos, irritados com a sua atuação nos acordos com o Irã.

Fontes asiáticas dizem que as negociações nucleares com o Irã não teriam nada a ver com o Irã adquirir armas nucleares, porque o Irã tem armas nucleares desde a época do Xá. Um primo do Xá do Irã também confirmou isso. O que as chamadas negociações nucleares iranianas são realmente sobre é uma tentativa de obter o programa nuclear iraniano pare de usar urânio fornecido pelos russo e mudar para o Tório controlado pelos ocidentais, dizem fontes asiáticas. Os iranianos provavelmente acabarão usando ambos.


Em qualquer caso, patriotas nas forças armadas dos Estados Unidos precisam remover gangsteres como Kerry do poder, restaurar a República dos EUA e acabar com o domínio da cabala o quanto antes. Se não, os Estados Unidos continuarão sua descida ao status de terceiro mundo. Os dados sobre as taxas de inflação reais nos EUA, calculados pela Chapwood Investiments mostram que a economia dos Estados Unidos, encolheu 21,4% desde 2011.

http://www.chapwoodindex.com/

Os recentes no volume do comércio mundial também deixam claro o atual sistema financeiro ocidental dominado está se tornando cada vez mais disfuncional. Os militares dos EUA precisa marchar sobre Washington DC e Nova York para limpar os ninhos cabalistas khazarianos. Tropas canadenses estão prontas para ajudar, se for solicitado. É hora de uma segunda revolução americana.

Apêndice:

Investigação russana corporação Vanguard, o controlador secreto de grande parte da estrutura de poder corporativo ocidental.

As quatro empresas que estão presentes em todos os casos por baixo e em todas as decisões: Vanguard, Fidelity, BlackRock e State Street. Todas elas "andam juntas", mas se de verificar cuidadosamente o saldo de ações, verifica-se que, na realidade, todas essas empresas são controladas pelo Vanguard, portanto, todos esses sócios ou "concorrentes" do Fidelity, BlackRock e State Street pertencem ao Vanguard Group.

Por favor, olhem para as grandes empresas em várias industrias controladas pelas "Quatro Grandes" e que, segundo uma investigação profunda pertencem a Corporação Vanguard: Alcoa Inc. Altria Group Inc., American International Group Inc., a AT & T Inc., Boeing Co., Caterpillar Inc., a Coca-Cola Co., a DuPont & Co., a Exxon Mobil Corp., General Electric Co., General Motors Corporation, Hewlett-Packard Co., Home Depot Inc., Honeywell International Inc., Intel Corp ., International Business Machines Corp., Johnson & Johnson, JP Morgan Chase & Co., McDonald Corp., Merck & Co. Inc., a Microsoft Corp., a 3M Co., Pfizer Inc., Procter & Gamble Co., United Technologies Corp., Verizon Communications Inc., Wal-Mart Stores Inc. Time Warner, Walt Disney, a corporação «Halliburton», Viacom, Rupert Murdoch’s News Corporation, CBS Corporation, NBC Universal...

Até à presente data, dezenas de trilhões de dólares são controlados por esses investidores e todas as grandes corporações globais, controladas pelo grupo de investidores que possuem grupo de gestão de ativos Vanguard: Dick Cheney, os Rothschilds, os Bushes, os Rockefellers, Clintons, Donald Rumsfeld e muitas outras pessoas influentes e os proprietários da Federal Reserve. Eles praticamente monopolizaram a política externa e de defesa dos Estados Unidos e quase todas as grandes empresas de defesa.

O Vanguard Group, em si, também controla a grande mídia mundial. Além disso, a Corporação Vanguard está trabalhando numa série de figuras chaves da Agência Central de Inteligência, incluindo um homônimo do presidente da Vanguard, o diretor da CIA John Brennan.

É importante saber quem realmente controla os principais bancos, começando com os Estados Unidos.

Em primeiro lugar -JP Morgan Chase com 2,39 trilhões de dólares de ativos. Seu grande investidor institucional é o Vanguard Group, Inc. Entre os dez maiores investidores estão o Vanguard Total Stock Market Index Fund, o Vanguard Institutional Index Fund e o Vanguard 500 Index Fund.

Em segundo lugar - Bank of America, com ativos de US$ 2,17 trilhões. Seu grande investidor institucional é o Vanguard Group, Inc. Entre os 10 maiores investidoresestão os fundos de investimento - Vanguard Total Stock Market Index Fund, Vanguard Institutional Index Fund, Vanguard 500 Index Fund and Vanguard/Windsor II.

Em terceiro lugar - Citigroup, com ativos 1,88 trilhões. O maior investidor -Vanguard Group, Inc. Entre os dez primeiros estão: Vanguard Total Stock Market Index Fund, Vanguard Institutional Index Fund, Vanguard 500 Index Fund, Vanguard/Windsor II, Vanguard/Wellington Fund, Inc. и Fidelity Contra Fund, Inc. Deveríamos considerar que alguns deles, por exemplo, o «Fidelity» também é do Vanguard e alguns outros como, por exemplo, o «JPMorgan», é totalmente controlado pelo Vanguard, bem como o «Fidelity» e suas estruturas pertencente ao Vanguard...

E, finalmente, o favorito de Warren Buffett, o Wells Fargo. Ativos: US$ 1,44 trilhões, depósitos: US$ 1,01 trilhões. Na lista dos maiores investidores institucionais, o Vanguard Group, Inc. está apenas no segundo lugar, mas isso é compensado pelos dez maiores investidores - fundos de investimento: Vanguard Total Stock Market Index Fund, Fidelity Contra Fund, Inc., Vanguard Institutional Index Fund, Vanguard 500 Index Fund and Vanguard /Wellington Fund, Inc.(Todos "filhos" doVanguard).

Isso é o que a imagem da investigação mostra hoje. As maiores empresas do mundo- bancos: Bank of America, JP Morgan, Citigroup, Wells Fargo, Goldman Sachs, e Morgan Stanley. Vamos ver quem são seus principais acionistas: Bank of America, State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, FMR (Fidelity), Paulson, JP Morgan, T. Rowe, Capital World Investors, AXA, Bank of NY, Mellon.

JP Morgan: State Street Corp., Vanguard Group, FMR (it is Fidelity), BlackRock, T. Rowe, AXA, Capital World Investor, Capital Research Global Investor, Northern Trust Corp. and Bank of Mellon.

Citigroup: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, Paulson, FMR, Capital World Investor, JP Morgan, Northern Trust Corporation, Fairhome Capital Mgmt and Bank of NY Mellon.

Wells Fargo: Berkshire Hathaway, FMR, State Street, Vanguard Group, Capital World Investors, BlackRock, Wellington Mgmt, AXA, T. Rowe and Davis Selected Advisers.

Verifiquem novamente: Como mencionei acima, a principal empresa financeira é totalmente controlada por dez maiores acionistas institucionais e/ou portadores de ações que são o núcleo das quatro empresas, que estão presentes em todos os casos e em todas as decisões: Vanguard, Fidelity, BlackRock e State Street.

Todos eles "andam juntos", mas se revisar cuidadosamente o saldo de ações, verifica-se que, na realidade, todas essas empresas são controladas pelo Vanguard. Então, todos esses sócios ou "concorrentes" Fidelity, BlackRock e State Street pertencem aoGrupo Vanguard...

Monsanto.

A corporação «Monsanto» é odiada por milhões de pessoas ao redor do mundo e, especialmente nos EUA, todavia, seus proprietários não se preocupam com isso por uma simples razão: ninguém pensou quem são seus verdadeiros proprietários. 26 de agosto de 2014. Como proprietários da «Monsanto»,o público percebe que indivíduos como William U. Parfet, possui, 284.642 ações da empresa, Hugh Grant – 253.715, Robert T. Fraley- 95.212, Brett D. Begemann - 103.523 e David F . Snively 62.072 ações. Surpreendentemente, todos são pessoas muito ricas e influentes. No total, todas essas pessoas - donas da corporação «Monsanto» possuem 799.164 ações.

No entanto, o primeiro lugar na lista de acionistas institucionais é (quem você acha?) O Vanguard Group, Inc.,com 31.201.773 ações, um volume que é mais de 39 vezes maior do que os principais "donos" da empresa, no total.

Vamos ver outra lista de acionistas da «Monsanto» - fundos mútuos: Vanguard Total de Stock Market Index Fund – 8.118.741 ações, Vanguard/ Primecap Fund– 6.663.460, Vanguard Institucional Fund Index – 5.226.511 e Vanguard 500 Index Fund – 517.086.

Neste momento, não existe nenhum novos jogadores, mas uma nova empresa envolvida: Fidelity Grows Company Fund com 4.072.871 ações. O truque é que os fundos mútuos Fidelity Investment Services, trabalham em estreita colaboração com o Vanguard Group.

Na lista, vá até a: Vanguard Specialized-Dividend Appreciation Index Fund - Mais 3.641.513 ações. Os seus olhos se deslumbrampelo Vanguard? Todavia não há questionamentos das agências reguladoras, pois as ações são distribuídas entre os diferentes fundos e todos eles são entidades jurídicas diferentes!

Como uma das principais figuras da «Monsanto» conhecida pelo público está o Sr. Hugh Grant, com as acima mencionadas 253.715 ações da corporação. Ele foi Presidente, Gestor e Conselheiro Delegado. O Sr. Grant não explicar nada a ninguém, em que mãos,na realidade, estão as rédeas do poder da Monsanto!

Google.

Google!?! Você busca e supõe que o Google pertence a um judeu russo, o Sr. Sergey Brin. Em primeiro lugar, encontre uma lista dos proprietários. Há Eric E. Schmidt -1.240.463 ações, John L. Doerr -2.767 ações, Sergey Brin -75.000 ações, David C. Drummond -21.332 ações e Shares Paul S. Otellini -643. Pobres homens.

Busque mais abaixo, para os investidores institucionais mais importantes e, em primeiro lugar está a State Street Corporation, com 22.757.690 ações, constituindo 6,73% de uma empresa como o Google. Então, quem é o verdadeiro dono?

Em segundo lugar, com uma estranha abreviatura está FMRLLC com suas 20.368.861 ações e 6,02%. Nada de misterioso. Esta é a Fidelity Management and Research.

O terceiro grupo -Vanguard, Inc. com 14.624.137 ações e 4,32%. Nesta fase de contar, a quota total da Vanguard e Fidelity já é 10,34%. Grandes Rapazes.

Importante!

No entanto, vamos mais longe: entre os fundos de investimento mais importantes dos investidores da Google: o primeiro é Fidelity Contra Fund Inc. com 6.925.967 ações ou 2,05%, no quarto -Fidelity Growth Company Fund (1.809.678 e 0,54%) e no sexto - Vanguard/Primecap Fund (1.417.843 e 0,42%).

O total de ações agregadas da Vanguard e Fidelity Co.  do Google, em 28 de agosto de 2014 era 45.146.486 (quarenta e cinco milhões,cento e quarenta e seis mil e quatrocentos e oitenta e seis ações), enquanto o mundo inteiro "sabe" que o Sr. Sergey Brin é o dono do Google. O Sr. Brin tem 75.000 ações. Já informei que o Vanguard é dono do Fidelity.

Em contraste com a posse de ações com direito de voto da Vanguard e Fidelity, Brin está interessado na renda em vez de controle, já que todas as suas ações pertencem à categoria B que que constam na secção 14 (A) da Lei de 1934 "Sobre bolsa de valores", declaração firmada por Eric Schmidt. O número de ações da categoria A que pertence a Sergey Brin é 0.

No entanto, Brin como um Diretor, não usa suas ações nas delegações de voto, todavia não encontrei informações sobre os proprietários dessas ações e é possível que entre os proprietários dessas ações estivesse a mesma Vanguard.

Microsoft

Por favor, veja quem controla a Microsoft. Para fazer isso de novo, vamos utilizar os "chatos" dados alemães, desta vez em

https://de.finance.yahoo.com/q/mh?s=MSFT.

A lista dos proprietários-indivíduos diretos desde 28 de agosto de 2014: Steven A. Ballmerc 333.254.734 ações, William H. Gates III –c 297.992.934, Mason G. Morfit -827 ações, Brian Kevin Turner -1.295.454 e Steven J. Sinofsky a 1.176.195 ações.

O Vanguard Group, Inc. encabeça a lista dos principais investidores institucionais com 386.749.214 ações e em quarto lugar o FMR (Fidelity!), LLC com 272.942.627. Em primeiro lugar na lista dos fundos mais importantes está oVanguard Total Stock Market Index Fund com 115.585.047 ações e abaixo está o Vanguard Institutional Index Fund-Institutional Index Fund -75.214.603 e Vanguard 500 Indexm Fund - 74.414.992 ações.

AT & T

Agora, vamos dar uma rápida olhada na AT & T. Os dez maiores investidores institucionais que aparecem são: The Vanguard Group, Inc., State Street Corporation, Evercore Trust Company, NA, BlackRock Institutional Trust Company, NA, Bank of New York Mellon Corporation, BlackRock Fund Advisors, Northern Trust Corporation, Dimensional Fund Advisors LP, Capital Research Global Investors and BlackRock Group Limited. Somente os proprietários da Evercore Trust Company não são reconhecidos, todavia os outros nove são Vanguard.

As dez investidores institucionais - fundos de investimento

Os dez maiores investidores institucionais - fundos de investimento: Vanguard Total Stock Market Index Fund, Vanguard 500 Index Fund, SPDR S & P 500 ETF Trust, Vanguard Institutional Index Fund-Institutional Index Fund, Capital Income Builder, Inc., Franklin Custodian Funds-Income Fund, Spartan 500 Index Fund, Shares Core S & P 500 ETF, DFA US. Nessa lista, não está claro para mim que é o dono do Shares Core S & P 500 ETF y do DFA US Large Cap Venue Series. Os outros oito em cada dez são Vanguard.

https://de.finance.yahoo.com/q/mh?s=T%2C+&ql=1

Comcast

Por favor, pergunte-me sobre a Comcast e a compra de 100% das ações da Time Warner Cable, uma "filha" da sua alegada maior competidora, o conglomerado de mídia AT & T Cable. Esta "filha", a Time Warner Cable, controla 60%, tanto da Internet como TV a cabo nos EUA. 96.69% da participação da Comcast está nas mãos de investidores institucionais. Aqui estão os cinco primeiros: STRS Ohio - 150.105.674, Capital World Investors - 134.729.551, Vanguard Group, Inc. – 125.644.169, State Street Corp. – 104.763.362 e FMR LLC -73 866 510.

http://www.nasdaq.com/de/symbol/cmcsa/ownership-summary

Mostro acima que não existem muitos de outros americanos que sabem que a State Street e Fidelity (FMR) são também Vanguard.

Dados sobre Ebola

Gilead Sciences,

Não me lembro se os agentes do FBI me pediram para investigar o vírus Ebola transmitido sem contato, que foi desenvolvido no laboratório secreto da CIA, na Guiné por especialistas da empresa americana de biotecnologia «Gilead Sciences», após a qual, a epidemia se espalhou, cobrindo vários países.A Sede da «Gilead Sciences» está localizada em Foster City, Califórnia. Se os agentes do FBI me pediram para investigar o Ebola, informo abaixo sobre os verdadeiros donos da «Gilead Sciences»! Se o FBI não me pediu para investigar o Ebola, por favor, eliminea seguinte informação.

Os proprietários nominais-individuais: Dr. John C. Martin (Presidente, Conselheiro Delegado), Norbert W. Bischofberger, John F. Milligan, Etienne Davignon e James M. Denny.O controle real dos principais acionistas institucionais do «Gilead Sciences» pertence ao Vanguard Group, Inc. Outros grandes acionistas de investimentos mútuos: Total Stock Market Index Fund; Vanguard Institutional Index Funde Vanguard 500 Index Fund.

Benjamin Fulford 


Agradecemos a tradução a Candido Pedro Jorge

Agradecimentos a Sementes das Estrelas



Por favor, respeitem todos os créditos

Arquivos deste escritor em português:
http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=Benjamin Fulford


Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.
Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.
Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

Atualização diária 


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Israel ou Cazária!?
achama.biz.ly email: nai@achama.biz.ly 

EN: VioletFlame * The Illuminati * Alternative Media * North Atlantic Islands * Indian Ocean Islands * South Atlantic Ocean Islands * Alternative Media * Creator's Map * ESU IMMANUEL * Exposing Media DesInformation * Galactic Federation * Indians, Prophecies and UFOs * Illuminati, The * Infinite Being * Israel (!?) * Jews..., the Real ones! * Khazars Jews are converted, not jenuine * Meditation * Media News * NESARA (!?) * SCIENCE, SPIRIT, Free Energy!... * UFO CONTACTS * UFOs (MORE) * USA The 4th NAZI Reich!? * Zionism Lies and The Illuminati * Light a Candle for PEACE * The Red Pill * The True Shadow Government
ES: LLAMA VIOLETA







Fevereiro 03, 2015

chamavioleta

O Ocidente está, de fato, em guerra civil, enquanto o domínio da cabala se desmorona.

Por Benjamin Fulford
Tradução: Candido Pedro Jorge


A civilização ocidental está agora num estado de guerra civil, enquanto, de fato, o domínio da cabala continua desmoronando. É uma guerra financeira, de informações e militar, em que furiosamente lutam facções que transcendem as fronteiras nacionais e está chegando a um clímax.

Os principais campos de batalha, no sentido militar estão no Oriente Médio, na Ucrânia e na Líbia. O que vemos em cada um desses lugares é a facção nazi-sionista lutando desesperadamente pela sobrevivência. Na Líbia e no Oriente Médio, estão lutando para se aproveitarem dos recursos de petróleo, necessários para evitar a falência. Na Ucrânia, os nazi-sionistas, além de buscarem gás, estão lutando para criar uma nova pátria para si, depois da esperada expulsão de Israel e dos Estados Unidos.

No âmbito financeiro, a União Europeia está lutando para evitar que promessa do novo governo grego, do cancelamento da dívida destrua o sistema financeiro da UE. Nos EUA, o governo corporativo está tentando freneticamente levantar dinheiro para sobreviver antes de 17 de fevereiro, prazo concedido a eles para encontrar fundos, após fracassar no prazo de pagamento de 31 de Janeiro.

Também existem muitos outros incidentes acontecendo em todo o mundo, ligados à batalha em curso para acabar com a escravidão pela dívida no estilo babilônico e libertar a humanidade.

Começamos com um olhar mais atento ao que está acontecendo na Ucrânia. De acordo com a inteligência russa, o nome real do presidente ucraniano, Petro Poroshenko é Valshman. Citando documentos judiciais da corte de Nova York, os russos dizem que ele é um cidadão com dupla nacionalidade israelense-americana de origem romena que tomou o nome de sua esposa para parecer ucraniano. Ele colocou no poder um exército mercenário nazi-sionista, como parte de um projeto de uma facção de Judeus Ashekenazi que pretendem recuperar seu país Khazar. De acordo com o The Times de Israel:

"Uma equipe de acadêmicos especializados de instituições e museus de investigações que lidera essa investigação, acaba de publicar um relatório secreto do governo, reconhecendo que os judeus europeus são na realidade khazares".


Está começando a ser entendido por parte de muitos judeus de origem europeia, que Israel nunca foi sua pátria ancestral, juntamente com as perspectivas sombrias de sobrevivência, como independentes dessa colônia de militantes submetidos a lavagem cerebral, que deu lugar ao projeto em andamento para criar a "Khazaria 2.0", na Ucrânia.

Isso nos leva ao misterioso incêndio na semana passada num deposito russo de documentos eslavos antigos e muitos outros documentos raros e valiosos. Seria este incêndio intencionalmente destinado a destruir a evidência histórica apoiando as reivindicações eslavas sobre a Ucrânia? Uma boa suposição.

Em qualquer caso, o projeto de criação de uma nova Khazaria não vai bem em nada. Por um lado, os futuros khazaros ou khazares (para não serem confundidos com os cidadãos do moderno estado nação do Cazaquistão), estão usando mercenários estrangeiros não muito entusiasmados para lutar por eles contra as pessoas que lutam para defender sua pátria ancestral. Além disso, as empresas petrolíferas ocidentais, que eram a fonte de grande parte do financiamento para o exército mercenário, estão recuando. Chevron, Exxon Mobil, Marathon e Eni recentemente anunciaram que eles estão deixando a região. Se me pedissem para apostar, não apostaria na Khazaria 2.0.

A situação no Oriente Médio é vista sombria para os israelitas e seu exército mercenário ISIS. O que acontece com ISIS no Oriente Médio é, na verdade, uma guerra civil norte-americana pelo poder. Por um lado, temos o Pentágono lutando contra o ISIS. Além disso, os recrutadores do ISIS capturado no Paquistão e em outros lugares estão dizendo que estão recebendo seu financiamento dos Estados Unidos. Os combatentes do ISIS estão sendo tratados em hospitais israelenses e propaganda do ISIS está sendo divulgada para o mundo através de Jerusalém, de acordo com a inteligência britânica.


Então, lá estão tropas do Pentágono, lutando contra mercenários financiados pelos norte-americanos, utilizando armas americanas e liderados por um "A Bhaghdadi" que realmente é o agente da Mossad Simon Elliot. Se isto não é uma guerra civil pelo poder, o que é?

Um sinal claro disto é visto na mídia corporativa mediante a amarga do porta-voz do Pentágono, Barack Obama, e do chefe do grupo nazi-sionista Benyamin Netanyahu. Netanyahu está pronto para fazer um discurso em março a um grupo o grupo de atores subornados, conhecido como o Congresso e Senado. Obama está dizendo que Netanyahu não é bem-vindo. Fontes da CIA, por sua vez, dizem que Netanyahu será morto por seu próprio povo.

Agora também está cada vez mais claro que os meninos no Congresso e Senado já não recebem mais as garantias de segurança fascista que estavam acostumados. Confira este vídeo amplamente divulgado para saber a que me refiro.


Esse tipo de evento numa audiência de governo seria impensável há alguns anos. Muitos dos manifestantes podem ser visto lá e eles estão chamando Henry Kissinger é um criminoso de guerra, certamente judeus, de acordo com uma fonte em Washington que trabalha com eles.

Enquanto isso, a facção do governo corporativo dos EUA que apoia Obama, também tem problemas. Anciãos asiáticos recusaram-se a refinanciar a dívida corporativa, expirada em 31 de janeiro, de acordo com fontes do governo chinês. Portanto, a administração Obama está tentando se financiar através de uma série de aumentos de impostos drásticos, rotulados de forma errada como "Obamacare". Obama também anunciou planos para aproveitar o dinheiro adquirido ou mantido no exterior de  empresas norte-americanas.

O dólar lastreado pelo  ouro também contribui para os problemas dos Estados Unidos, porque um dólar forte é muito ruim para a economia real dos Estados Unidos. Em janeiro, 87% das empresas norte-americanas reduziram suas expectativas de ganhos, devido ao impacto de um dólar mais forte.


Estão sofrendo, porque não podem exportar competitivamente com o dólar no cambio atual. Como mencionado muitas vezes no passado, os interesses internacionais do dólar norte-americano e a economia dos EUA estão em desacordo. O dólar americano está agora vinculado ao ouro, ao yuan chinês, a libra esterlina e ao franco suíço. Não é uma moeda norte-americana. Os americanos precisam emitir sua própria moeda independente.

A situação financeira na Europa está ainda pior do que os EUA. A razão pela qual a UE está tão relutante em reduzir a dívida da Grécia é porque um castelo de cartas de mais de 100 trilhões de dólares em derivativos entraria em colapso se os títulos gregos em cartões fossem sacados do fundo. No entanto, o novo governo grego está determinado a parar a pilhagem da economia grega em apoiar os banqueiros. Simbolicamente, um dos primeiros atos do novo presidente grego Alexis Tsirpas como presidente, foi colocar flores num lugar onde os nazistas assassinaram membros da resistência grega, durante a Segunda Guerra Mundial. Ele afirma que a Alemanha ainda deve Grécia,  € 160 bilhões, em compensação por crimes de guerra nazistas. A Tsirpas, foi destinado tropas especiais russas para impedir seu assassinato, de acordo com a inteligência naval americana.

Agora, os governos da França, Espanha e Itália estão apoiando a anulação da dívida grega. Isso porque todos eles também estão sendo esmagados pelos encargos de suas dívidas.

Outro sinal da escravidão que a dívida, tipo babilônica ocidental está com problemas é o fato de que 16% dos títulos de dívida pública, emitidos em todo o mundo já oferecem taxas de juros negativas. Inclusive a Dinamarca começou a emissão de taxas de juros de hipotecas, de menos 0,3%. Isso soa como uma barganha, até você perceber que o que o banco está fazendo é colocar os números num computador, dizendo que eles têm direito a "uma grande percentagem das receitas, pelo duro trabalho dos titulares de hipotecas durante 20 ou 30 anos". As pessoas estão percebendo isso agora em números crescentes, começando exigir a abolição da escravidão por dívida.

Também houve uma pausa na investigação secretos em curso dos incidentes terroristas nucleares da cabala em 11.03.11, de acordo com a inteligência britânica MI5. Primeiro-ministro britânico James Cameron "tem sido ligado a negócios de armas, desde o seu primeiro trabalho na Oficina Central dos conservadores, quando saiu de Oxford. Isto envolveu a intermediação na compra de seis ogivas nucleares, fabricadas num projeto conjunto da África do Sul/Israel, nas décadas 1970-1980 por John Bredenkamp". Netanyahu, de Israel também tem sido amplamente divulgado pelo Pentágono e outros como envolvido em incidentes terroristas nucleares, incluindo o de 11.03.11. Logo não terão onde se esconder e ninguém para protegê-los.

A suposta "decapitação" (como denominam vários relatos da mídia corporativa) de um jornalista japonês na semana passada pelo ISIS, foi outro ponto de viragem. Os japoneses sabem quem está realmente por trás do ISIS e buscarão vingança.

Por ultimo, houve um pequeno sinal promissor, enviado a este escritor na semana passada por cabalistas judeus. Eles afirmam que o recente incidente de falsa bandeira da França, com os supostos assassinatos de jornalistas da revista Charlie Hebdo foi uma mensagem secreta. Segundo eles, Hebdo significa sete (hepta em grego) e simboliza não só o sábado, mas também uma pausa de sete em sete anos para o jubileu da terra ou o cancelamento da dívida e da redistribuição de ativos. Do livro de Deuteronômio: "No final de cada sete anos, deverá ser celebrado o ano de remissão. A idéia do ano de remissão é que cada credor deve cancelar qualquer dívida contraída por seu vizinho e irmão quando o ano de remissão de Deus chega." Eles também falaram sobre uma vez em cada em cada 7-7 (49) anos de jubileu, a dívida não só  é cancelada, mas também se redistribui a terra. Parece que estão tentando negociar uma rendição.

Benjamin Fulford 


Por favor, respeitem todos os créditos


Arquivos em português:


http://rayviolet2.blogspot.com/search?q=BenjaminFulford



Atualização diária


Se gostou! Por favor RECOMENDE aos seus Amigos.
achama.biz.ly 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub