Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Abril 15, 2024

chamavioleta

Em Memória

Por Owen Waters

Tradução: a 14 de abril de 2024 

 
 
 
O corajoso Professor Peter Higgs morreu esta semana. A partir de 1964, ele discretamente, mas implacavelmente, defendeu o retorno de um campo universal onipresente ao mundo da física.
 
Seu mecanismo de Higgs explica a origem da propriedade da massa em partículas subatômicas. Requer a existência de um campo onipresente e também previu a existência de uma partícula anteriormente não detectada, agora chamada de bóson de Higgs.
 
Quando a existência desta nova partícula foi provada no Large Hadron Collider do CERN, na Suíça, a literatura popular reconheceu a sua importância fundamental e chamou-lhe a partícula de Deus!
 
Isso corrige o caminho errado tomado pela ciência há mais de um século, quando um experimento errôneo não conseguiu detectar o éter e, em vez de admitir o fracasso, declarou que o éter não existia. Isso atrasou o progresso da Pesquisa Energética por muitas décadas.
 
Em 1800, o mundo da ciência aceitou a existência do "éter luminífero", um campo omnipresente que é o meio através do qual a luz é transmitida. Na época, o pioneiro elétrico Michael Faraday acreditava firmemente no" éter luminífero " como um tecido onipresente do espaço. Ele passou a descobrir os princípios que tornaram possível o gerador elétrico, o motor e o transformador.
 
No início dos anos 1900, Nikola Tesla, ignorando o experimento defeituoso, acreditava firmemente no éter e, entre muitos outros avanços, deu ao mundo a tecnologia de corrente alternada, tornando possível a transmissão elétrica de longa distância.
 
Hoje, o campo onipresente está de volta, depois de ter sido perdido para a física por mais de um século. Em seguida, mentes científicas progressistas sentirão a mudança da maré na física e darão os próximos passos, desvendando os danos causados pelo conceito teórico de espaço-tempo, que foi inventado como um substituto para o éter.
 
O espaço-tempo foi incorporado na teoria da relatividade contra-intuitiva, que tenta nos dizer que nunca seremos capazes de viajar mais rápido do que a velocidade da luz. Duvido que essa seja a crença dos visitantes ET que viajam centenas de anos-luz para vir visitar e ver o quão perto estamos de estar prontos para um Contacto aberto.
 
A relatividade é uma daquelas ideias ligadas ao observador que pensa que o mundo exterior é governado pela mente do observador. Na verdade, o cosmos tem as suas próprias regras e não exige que os seres humanos tragam as coisas à existência. Por exemplo, quando olhamos para as Plêiades no céu nocturno, não estamos a criar o que vemos. Estão a ver uma imagem de como as estrelas pareciam há 500 anos, porque foi o tempo que a sua luz levou para vos alcançar. É a mesma coisa com a questão de saber se uma árvore caindo em uma floresta faz um som se você não está lá para ouvi-lo. Sim, ele faz um som, mesmo que ninguém esteja lá para ouvi-lo.
 
O exemplo a seguir mostra por que a relatividade é contra-intuitiva. Dois carros estão viajando Um em direção ao outro a uma velocidade constante de 60 milhas por hora cada. Eles passam e continuam suas viagens em direções opostas a essa velocidade. Então, uma hora após o ponto em que eles passaram, eles estarão a 120 milhas de distância, um carro tendo viajado do ponto de encontro 60 milhas em uma direção e o outro carro tendo viajado 60 milhas na direção oposta. Sua velocidade em relação uns aos outros somados para produzir um acumulado de 120 milhas de separação em uma hora. Até agora, tudo bem. Reina o bom senso.
 
Com a teoria da relatividade, no entanto, o bom senso voa pela janela. Diz que se duas naves espaciais estão viajando uma em direção à outra, ambas viajando a 0,8 vezes a velocidade da luz, sua velocidade relativa não pode somar 1,6 vezes a velocidade da luz porque nada pode exceder a velocidade da luz. Faz sentido? Não, é claro que não e, no entanto, este tipo de absurdo relativo do espaço-tempo ajudou a manter a teoria do éter suprimida durante mais de um século, dificultando gravemente o progresso na investigação energética.
 
Hoje, graças à corajosa persistência do Professor Peter Higgs, temos o éter de volta, embora com um novo nome. Mas, será chamado de campo de Higgs em uso popular? Gosto bastante do título do livro de Lynne McTaggart, que simplesmente o chamou de campo, com um "F"maiúsculo. Renomear o éter como" o campo " certamente ajuda a evitar confusão sobre certas definições de energia. Veja bem," o éter "e a" energia etérica " são duas energias que soam iguais, mas na verdade são tão diferentes quanto o yin e o yang.
 
Então, vamos rever essas definições como dado em um dos capítulos do meu livro, metafísica espiritual: respostas aos grandes mistérios da vida (em inglês).
 
O campo é uma energia sutil, fluida e magnética que preenche todo o espaço. É o tecido do espaço.
 
A energia etérica recebeu muitos nomes, por exemplo, energia de ponto zero, prana, chi ou qi, orgone, o Quinto Elemento, Energia taquiônica e energia do vácuo. Um primo mais sutil da eletricidade, a energia etérica é a força vital que flui em nossa direção do sol, energizando e motivando todas as formas de vida. Em resumo…
 
A energia etérica é a energia vital universal. Como todas as energias, ele viaja dentro do campo.
 
Owen Waters
 
 

As minhas notas:
Deus, a Fonte da vida é puro amor incondicional, não um deus zeloso de [algumas das] religiões dogmáticas.
O Google apagou meus antigos blogs rayviolet.blogspot.com e
rayviolet2.blogspot.com, sem aviso prévio e apenas 10 horas depois de eu postar o relatório de Benjamin Fulford de 6 de fevereiro de 2023, acusando-me de publicar pornografia infantil.
(Uma Grande Mentira)

Free counters!Visitor Map
 

Dezembro 13, 2023

chamavioleta

A PARTÍCULA DE DEUS

Por Owen Waters

Tradução: Regina Drumond  

a 12 de dezembro de 2023

 
 

 
A partícula de Deus foi oficialmente reconhecida. Bem… mais ou menos… muita confirmação será necessária ainda, antes que o Laboratório Europeu para Física de Partículas, CERN, na Suíça, concorde realmente que é oficial.
 
A Partícula de Deus, conhecida nos círculos científicos como o Bóson de Higgs, depende da existência de um “Campo de Higgs”. O Campo de Higgs permeia todo o espaço e dá às partículas a sua propriedade de massa. Mas, esperem, um campo que permeia todo o espaço? Quer dizer, como o éter? O éter foi amplamente aceito como um campo universal até o final de 1800, quando um mal entendido sobre a sua natureza, levou a idéia a ser temporariamente descartada. Agora, como o “Campo de Higgs”, a aceitação do éter está de volta! Assim, o que é este campo que permeia todo o espaço? Sabemos que a energia do som é transportada por meio do ar. Sabemos que no mar, a energia das ondas é transportada por meio da água. Obviamente, a energia da luz não pode chegar até nós, a partir do sol, através do espaço “vazio”, a menos que o espaço esteja cheio de um meio capaz de transportar a luz e outras ondas de energia.
 
A confusão existe hoje sobre a natureza do éter. Alguns dizem que, porque ele espuma e borbulha ao nível atômico, é potencialmente uma fonte de grande energia. Isto confunde o campo transportador com a energia que borbulha dele. As energias que circulam através do éter incluem a luz física, ou a energia elétrica, bem como a energia vital, que é também conhecida como energia etérica.
 
O próprio campo do éter é uma forma original de magnetismo. É um fluido magnético que pode ser distorcido ou comprimido, como um gás, e ele pode fluir através dos pólos de uma barra imantada. Como uma energia magnética, é atrativa por natureza.
 
O éter, ou campo de Higgs, é a estrutura magnética do espaço.
 
Mais pode ser compreendido sobre a estrutura do espaço quando vocês consideram o principio básico da Criação. Todo o Universo é criado por três aspectos da consciência original: Pensamento e Sentimento, colocado em Movimento.
 
Quando comprimido na densidade com a qual estamos familiarizados em nosso ambiente físico, o Pensamento original da Criação, ou da intenção dirigida se torna energia. Esta energia é tecida em conjunto para formar a matéria física. Porque a energia comprimida dentro dos átomos físicos requer um campo transportador igualmente comprimido, o éter é intensamente concentrado ao redor de todas as formas da matéria física.
 
O Sentimento Original é a energia do amor que flui do Criador. O que o amor faz? Une as coisas. O que o magnetismo faz? Une as coisas. Em sua manifestação física, o Sentimento Original é a estrutura do espaço – o campo difundido que une o Universo através de sua natureza atrativa, magnética. A estrutura do espaço é uma versão comprimida do Amor original de Deus. É o éter ou o Campo de Higgs que apóia a “Partícula de Deus”.
 
Isto significa que podemos dizer, literalmente, que o amor está no ar!
 
A abordagem para a ciência – colocando primeiro o Criador e mostrando como a Criação foi realizada – proporciona o caminho mais rápido para muitas respostas sobre os mistérios da vida. O Professor Higgs expôs a teoria do Campo Higgs há mais de 50 anos. Foi necessário todo este tempo para que a ciência deixasse de discussões e começasse a aceitar que ele estava certo durante todo o tempo. Se a ciência moderna tivesse incorporado os princípios básicos da Criação em sua visão do mundo, eles poderiam ter evitado todo este desperdício de tempo. Imaginem onde a ciência poderia estar agora se ela tivesse avançado com mais rapidez com as respostas aos grandes mistérios da vida!
 
O resfriado comum ainda não foi curado, mas um domínio da energia etérica, vital, teria proporcionado uma cura há muito tempo. Quando o seu corpo carecer de suficiente capacidade de autocura, acrescentem a energia vital!
 
E quanto à gravidade? Estamos ainda usando foguetes gigantescos para viajar no espaço exterior. Uma compreensão da estrutura do espaço com a sua natureza atrativa e a sua intensidade ao redor de objetos físicos, poderia levar diretamente a uma compreensão da força atrativa da gravidade que permeia cada massa planetária.
 
A verdadeira diversão começará quando a ciência aprender como isolar um veículo do campo que forma a estrutura do espaço. Considerem isto: Assim como tudo na Criação, cada local no planeta tem uma assinatura de frequência exclusiva. Portanto, se vocês desprenderem o seu veículo da estruturas do espaço, no local A, então o inundará com a assinatura da frequência do seu destino e vocês poderiam emergir do “hiperespaço”, no local B. Em vez de levar horas para viajar do local A ao B, vocês se desprenderiam do espaço e então, instantaneamente iriam surgir no local B. Que maneira de viajar!
 
Owen Waters
 
 

As minhas notas:
Deus, a Fonte da vida é puro amor incondicional, não um deus zeloso de [algumas das] religiões dogmáticas.
O Google apagou meus antigos blogs rayviolet.blogspot.com e
rayviolet2.blogspot.com, sem aviso prévio e apenas 10 horas depois de eu postar o relatório de Benjamin Fulford de 6 de fevereiro de 2023, acusando-me de publicar pornografia infantil.
(Uma Grande Mentira)

Free counters!Visitor Map
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub