Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Maio 12, 2020

chamavioleta


O QUE PERMITIMOS NASCER EM NOSSA VIDA.

Transcrição do Podcast de

Ramina El Shadai.

12 de maio de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Observar tudo que temos permitido nascer em nossa vida é observar todas as nossas escolhas. Tudo que permitimos acontecer conosco.

Tudo que acontece conosco é, não só uma permissão nossa, como é uma escolha nossa, uma criação nossa. E isso não depende de você acreditar ou não, depende de você ter consciência de como é o processo de criarmos a nossa vida.

Então, o fato de não aceitar, ou não acreditar que você escolhe absolutamente tudo que você vive, é apenas a revelação de que você não conhece as leis da nossa existência, as leis da criação. Não falo de leis, no sentido rígido da expressão, mas no sentido de termos algo que diz SIM para tudo que vibramos.

Tanto as experiencias boas, quanto as experiencias ruins são nossas escolhas. O que nós deixamos nascer hoje, nós criamos antes. Produzimos antes. Vibramos antes.

Sabe aquela expressão: “tudo que você dá atenção é o que cresce”?

Essa frase nos engana um pouco, pois como aprendemos a olhar tudo a partir do que já conhecemos sobre tudo, todo olhar acaba sendo cognitivo, interpretativo, classificatório… ou seja, acaba emitindo um valor. Então, fazemos uma escolha e colocamos toda nossa atenção ali.

Agora, minha pergunta é: De onde vem essa atenção? De uma intensão? De uma intuição? De um propósito? De algo que está te cutucando lá dentro? Ou de algo lá fora que precisa acontecer? De algo que está faltando? De algo que é preciso alcançar?

Eu sempre volto nessa questão do lugar de onde tudo sai de nós. E a nossa forma de dar atenção precisa de um novo olhar. Não basta dar atenção a algo, mas de onde sai essa atenção.

PARA ONDE VOCÊ ESTÁ TE DIRECIONANDO?

Isso é muito diferente da pergunta: PARA ONDE A VIDA ESTÁ TE DIRECIONANDO. Porque a concepção desse “você” que aprendemos é muito rasa, muito superficial, muito incompleta… incompleta de si próprio! E em nenhum momento, aprendemos que VOCÊ e a VIDA são uma coisa só…

O seu direcionamento, com o que você aprendeu sobre produzir vida, acaba sendo basicamente uma forma controladora de se defender daquilo que você considera ameaçador.

Então, comece a se fazer essas duas perguntas, porque você, provavelmente, está te direcionando para algo que esteja faltando, enquanto a vida, ou seja, você completo, está te direcionando a partir de algo que já seja presença, algo que já exita em você, que já exista disponível para você.

Nós energizamos tudo. Nós vibramos o tempo todo. E essa nossa atenção que faz tudo crescer é pura expansão do que estamos deixando sair de nós.

Quantas vezes você já se perguntou: De onde vem isso? Não sei de onde vem isso… por que estou vivendo isso? Depois, algumas programações mentais até nos ensinaram a trocar o “por que” pelo “para que”… o que não faz muita diferença se você continuar tentando entender com sua forma interpretativa de ser. É a mente isolada tentando nomear o que ela mesma criou… consegue entender?

Criamos também as concepções de merecimento. Como nos prejudicamos achando que não éramos merecedores de alguma coisa! Ou quanto nos sentimos injustiçados quando pensamos que nós seríamos merecedores…

Como aprendemos com excelência a julgar absolutamente tudo na nossa vida!
E assim deixamos nascer tudo em nós e para nós!

Vasculhar a nossa existência, enxergar o começo de tudo dentro nós vai nos libertando desses nomes todos que aprendemos a dar para todas as nossas experiências.

Pensamos demais! Nos moldamos demais! Literalmente, manifestamos agora uma vida cheia de máscaras que usamos por tanto tempo para controlar nossos resultados.

Você vibra. O que vibra em sintonia se alinha à sua frequência. Esse alinhamento ganha intensidade. Você amplia seu campo de vibração sempre que a sua energia se alinha a outros campos vibracionais semelhantes. Isso se chama ressonância do campo vibracional.

O seu campo vibracional é a sua comunicação com o mundo externo, com outros campos de vibração, com o campo de vibração da Terra, do Universo, ou seja… o que você usa, dentro de você para se comunicar é que diz sobre as escolhas que você está fazendo. É o que diz sobre o que está permitindo nascer, a cada instante, na sua vida.

Então, vasculhe você!

Se sua experiência foi boa, agradável, leve… honre tudo isso. Deixe isso crescer ainda mais em você.

Sua experiencia foi ruim, ameaçadora, desconfortável? Perceba o que isso provoca em você, identifique situações que despertam o mesmo sentimento, veja o que se repete a cada uma dessas experiencias e encontre isso dentro de você… quando essa ferida nasceu em você. Desde desse nascimento em você, outros nascimentos com a mesma frequência continuam se repetindo na sua vida.

Eu tenho certeza que hoje, no momento que nós estamos vivendo, você não precisa reviver esses ciclos de dor, de insuficiência, de abandono, de sensação de impotência, de sensação de não merecimento, sensação de ter o espaço vital invadido, sensação de conviver com pessoas que sugam a sua energia e outras sensações que cada um sabe bem o que te acompanha por longos tempos.

Comece a perceber, amorosamente, o que tem permitido nascer na sua vida… o que tem criado para experimentar… e o que tem guiado cada um de seus passos: um nível profundo e amoroso de você ou uma velha concepção de prioridades que sua mente sozinha ainda tenta alcançar?

Eu entrego esse Novo Despertar na vibração da nossa existência em Unidade

Eu envio a você a vibração do Amor que eu fortaleço em mim. Receba!

Um intenso abraço.
Ramina El Shadai




Agradecimentos a:  

 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Abril 18, 2020

chamavioleta


RECONHEÇO, VIBRO E HONRO A PROSPERIDADE QUE SE INICIA.

Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

18 de abril de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Essa foi a mensagem da Alma que escrevi no dia 14 de março. Estava me inspirando num post que tinha lido e que dizia assim: EU PERMITO QUE UM CICLO DE PROSPERIDADE SE INICIE HOJE EM MINHA VIDA.

Quando eu li, tive uma sensação estranha, que jogava a minha atenção para essa permissão. Quem permite? Eu permito? Quem é esse EU? Um EU que se considera sem prosperidade, não? Ou que esteja “de olho” na prosperidade. Um “EU” que sente a falta da prosperidade, por isso precisa acreditar que está permitindo tudo começar a acontecer.


Eu li, senti um tanto de coisa com relação à vibração da falta que nos leva a buscar a prosperidade, escrevi a mensagem do dia, mas deixei isso reservado em mim para um outro momento. Nós estamos num tempo em que muito da escassez que vibramos tem sido manifestada, tem nos sido mostrada. Agora, estamos vivendo a vida real que produzimos.

E quando eu falo vida real é porque nenhum tipo de excesso faz mais sentido. O consumo só faz sentido se for o necessário, ou seja, o suficiente… a vida sem nada do que colocamos como prioridade para ela, é uma vida simples… não precisa ser simplória, mas é uma vida nua, sem tantas máscaras.

Me lembrei de um outro momento, em uma outra postagem que fiz no Instagram, que uma pessoa comentou assim: “de fato! Porém como manifestar a prosperidade financeira? Porque tá difícil o negócio!” E isso foi antes dessa pandemia! Ainda existem muitas dúvidas sobre: como manifestar? Como vibrar? As respostas do “como” se tornam necessárias quando pensamos em metas a partir do que está nos faltando. Você olha lá na frente e determina o que precisa fazer para “chegar lá”.

Há muito tempo já deixei de fazer algo com alguma finalidade. Essa característica linear da conquista não está mais em fluxo com a forma do Universo lidar com nossa existência. Por isso tem se tornado cada vez mais difícil e gerando mais esforços.

Manifestar não é uma ação direcionada por uma conduta controladora de ser, como aprendemos, até então. Manifestar é, simplesmente, tornar realidade a vibração que propagamos, enquanto fazemos escolhas, pensamos, sentimos, relacionamos… Manifestação é a transformação de uma energia mais sutil em uma energia mais palpável. É um processo essencialmente natural.

É dispensável o esforço para aprender a manifestar! Tudo que precisamos ter é consciência da energia que vibramos. Se vibramos o amor, o desamor, a abundância ou a escassez. Isso nos é suficiente para ter clareza do que estamos manifestando. Saiba, profundamente, que o processo de manifestar acontece o tempo todo. O tempo todo, somos colocados para fora de nós.

O que sai de nós é o que alimentamos, o que vibramos. É isso! De onde sai o que sai de nós? Ter essa clareza é mais importante do que se preocupar com o “como” manifestar. É o “o que” manifestar. Você, então, sai da conexão com a vida no futuro e entra em conexão com a vida no agora.

Hoje, então, amanheci nesse propósito de despertar a consciência do comprometimento com a nossa existência, com o nosso agora, com a nossa natureza, com a nossa vida, trazendo essas questões. Qual a diferença entre permitir que se inicie um novo ciclo de prosperidade e reconhecer, vibrar e honrar a prosperidade que se inicia? A única diferença é o lugar de onde sai isso, dentro de você. O que você usa, em você, para relacionar, para considerar o que é prosperidade.

Veja: Tudo que existe no Universo, seja lá em qual dimensão for, seja lá se você pode ver ou não, tudo se propaga em vibração. Vibrações de maior ou menor amplitude, ou seja, de maior ou menor frequência energética, mantendo o movimento no Universo. E a frequência que se mede com o número de vibrações por segundo, vai diferenciando tudo por esse intervalo… por isso, nós consideramos que o que você vibra, a partir da sua forma de perceber as coisas, a partir do lugar de você que te move, se alinha em frequência energética com aquilo que você vive…. vibrou dentro, acontece fora…

Então, permitir que a prosperidade se inicie, querendo a prosperidade, fazendo coisas para ter prosperidade, para ter sucesso, para chegar num novo lugar da sua vida, que não é o lugar que você está, não é o lugar que você quer estar, é simplesmente repetir a forma de lidar com a vida. O mesmo recurso que você usou para estar onde está, é o que está usando para tentar te tirar de onde está. Isso se chama controle.

Tenha consciência de que a manifestação é natural. É vibração de dentro que vai adquirindo densidades, que vai transitando por dimensões, até se tornar essa vida palpável que vivemos…. Uma hora, você nunca mais tenta mexer na realidade, você passa a ser um profundo conhecedor do que você vibra. De onde vem tudo que você faz, tudo que você sente, tudo que você pensa?

Honrar, reconhecer e vibrar a prosperidade é um processo natural… se você vibra, naturalmente você reconhece e, por sua vez, naturalmente, também, você honra, ou seja, você vive tudo isso, desfrutando da sua co-criação. Natural!

Enquanto não fazemos assim, vamos fazendo a nossa mente pensar que ela pode, sozinha, produzir um processo que é natural. Que já existe. Que ninguém precisa produzir. Não tem como controlar o que já é, entende!

A nossa tentativa de controlar a manifestação é que nos deixou perdidos com relação a nossa própria existência. É que nos confundiu com nossos projetos e ideias… a nossa corrida pelo futuro que negligenciou o agora… nos perdemos… e precisamos ter clareza disso. Mesmo!

Tudo que você tem que ficar repetindo para acreditar, é porque aquilo te falta. Imediatamente, saiba que se você considera o que te falta, e sente que te falta, você vibra a falta. Todo processo de busca vibra falta.

Eu tenho dito muito, nesse tempo, que quando estamos em isolamento social e nossa vida vai ficando transparente, vemos muitas pessoas sentindo falta da vida normal. Muitas pessoas dizendo que não dá para ficar assim. E se você diz que “não dá”, você não está olhando para o que está acontecendo, com a sua presença. Você olha com o que te falta. Com a ausência de algo em você que você ainda não conhece e que tudo isso tem se movido, justamente para te mostrar. A sua percepção sai de algum lugar de você. Da falta de você ou da sua presença.

Sempre que perceber algo com a falta da sua essência, vai considerar que tudo está te faltando. Vai conseguir justificar tudo e provar, seriamente, que não pode ficar assim, faltando tanta coisa. É o lugar de nós que determina tudo…

Sempre que você perceber algo, com um nível amoroso e expansivo, um preenchimento de si…e isso é o que temos exercitado tanto… vai conseguir enxergar possibilidades… Vai se desmoronar em crenças que surgirem… mas vai sentir que tem uma coisa nova aí… isso é prosperidade….

Prosperidade, abundancia…. Tudo isso é nosso. E se vibramos o que é nosso, a nossa natureza, não precisamos nos preocupar com nada… de verdade. Não precisa ficar pensando na prosperidade, em como tudo vai ficar. Tudo acontece como precisa acontecer, se alinhando à vibração que criou tudo isso.

Agora…. O que fazemos com tudo isso? Com o que, de dentro de nós, percebemos tudo isso Permanecemos buscando a prosperidade ou, de repente, percebemos que tudo está pronto! Mas tenha clareza de que a nossa forma de acreditar numa vida ideal não nos permite reconhecer a co-criação amorosa. É preciso usar um novo nível de consciência para enxergar tudo isso.

Chega de tanto esforço. Se estamos com nossas mãos livres, para que tentar segurar na borda dessa roda? Solta! Observa! Sinta o que há! Sinta o que tem se revelado… e definitivamente, honre a prosperidade que se inicia. Mas que se inicia em você.

Eu entrego esse novo despertar na vibração da nossa existência em unidade
Eu envio a você a vibração do amor que eu fortaleço em mim. Receba!

Um intenso abraço
Ramina El Shadai




Agradecimentos a:  

 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Março 31, 2020

chamavioleta


O QUE EU FAÇO AGORA?

Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

31 de marçro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Por tudo que estamos vivendo e por todas as formas que temos encontrado para lidar com tudo que está acontecendo, e essas formas nascem do nosso nível de consciência, eu tenho ouvido e lido sempre alguma pergunta relacionada ao O QUE FAZER?

E essa pergunta nos permite alguns desdobramentos: O que fazer agora?


Para que você consiga enxergar o que fazer agora, você precisa ter clareza de dois elementos:

• O que você considera que é o AGORA. O que você consegue enxergar em termos de possibilidades no agora.

• Outro elemento é o que considera o “FAZER”. Qual a sua relação com o fazer. E essa relação vai nos apontar um novo elemento, que é: o Se você faz algo alinhado a um propósito, já num fluxo do que está presente, claro, disponível para você, ou se você quer fazer algo para um determinado fim, um resultado, uma resolução, uma conquista.

Então, se esse fazer é para resolver ou se esse fazer é para seguir. E isso já nos permite mais um aprofundamento que é: o De onde você está começando: de algo que te falta ou de um lugar de criação. O lugar de onde se inicia algo é tão importante quanto o propósito. Eu quero fazer para manter como sempre foi ou quero fazer a partir do que vejo e sinto que é possível.

E quando estamos num tempo altamente desafiador, é muito importante a clareza de que tempo é esse. Porque quando temos clareza e quando nos alinhamos a esse tempo, conseguimos perceber que o que temos que fazer nesse agora de nada se assemelha ao que vínhamos fazendo, da forma como estávamos fazendo.

Todas as nossas atividades que vibravam em propagações de energia semelhantes às do medo, de faltas, de buscas de complementos perdem a força quando a Terra propaga energia vibrando uma frequência que é muito elevada, por isso chamamos de Amor de Fonte.

Então, o simples fato de observar tudo isso faz com que seja desnecessário perguntar O QUE EU FAÇO AGORA?

Todas as suas relações com o AGORA e com o FAZER é que estão pedindo um novo sentido, e não mais O QUE FAZER.

Nós estamos vivendo momentos fortes de escolhas. E esse “o que fazer?” faz parte do que escolhemos para nós. Então, vamos voltar a uma questão amorosa que nos faz enxergar o mais importante das nossas escolhas.

De que lugar elas estão vindo de nós? De um medo de ficar sem alguma coisa, de um medo de perder, de um medo de faltar… esse é o lugar que produz uma vida na mesma vibração. E que nessa vibração já produzimos uma vida inteira. Foi esse lugar que nos preparou para um futuro melhor, foi esse lugar que fechou nossos olhos para o agora, foi a partir desse lugar que nós nos produzimos de uma forma tão destrutiva, tão fragilizada, tão carente, tão doente!

Então, não é desse lugar que vamos continuar fazendo mais escolhas porque a Terra não “permite” que façamos isso conosco mais! A Terra está se regenerando independente de nós. Só que a nossa Unidade faz com que, obrigatoriamente, façamos o mesmo movimento. É junto! Agora é junto!

Aos poucos, as separações estão ficando evidentes e vamos nos assustando com o quanto fomos tão separados, porque agora tudo se faz de uma forma muito amorosa e muito regeneradora. É nascimento! Só que de um novo lugar de nós! O que é para continuar nos destruindo, nos separando, nos polarizando, nos adoecendo, nos enfraquecendo não está mais com essa “permissão”.

Nós ainda estamos nesse sistema de dominação, mas esse sistema não precisa mais estar em nós. Aos poucos, tudo velho vai perdendo o sentido. Aos poucos vamos vivendo novos sentidos para tudo.

Comece a usar em você o que eu tenho chamado de “Termômetro da Consciência”. Que é observar se você está lidando com o que está acontecendo agora, usando os mesmos recursos de você que está acostumado a usar. As escolhas que está tentando fazer vem de um mesmo lugar de você de onde fez tantas outras escolhas? Olha isso!

Agora, se já começa a olhar tudo, mesmo que não tenha consciência de nada do que está acontecendo, olha o sentimento que você tem, cuida do histórico desse sentimento, cuida desse acumulo desse mesmo sentimento que já aconteceu em você em tantas outras vezes.

Deixe essas sensações velhas virem para você com o coração emitindo luz. Comece a acolher tudo isso em luz e perceba que agora não precisa manter esses ciclos de viver pela sobrevivência.

O momento de fazermos escolhas é o momento chave da clareza de onde vem essas escolhas e jamais faça escolhas vibrando essa sensação de medo, de falta, de busca, de desespero. Quando você acolhe e integra esse tipo de dor nessa frequência da luz que você emite, perde o sentido ficar pensando no que fazer agora, porque você já começa a se abrir para fazer o que desperta em você como possibilidade.

O QUE EU FAÇO AGORA?

Reconheça tudo que tem nesse agora. Mas tudo que tem dentro de você. Sentimentos antigos que são evidenciados para serem acolhidos. E uma vastidão de possibilidades a serem colocadas para fora, naturalmente.

Perdemos o controle! Mesmo! Produzir vida não depende mais do que pensamos sobre a vida, mas de como percebemos a vida, na conexão amorosa com a essência dessa vida.

Não é que seja difícil, só não aprendemos isso antes. Estamos aprendendo agora! Então, nesse agora, aprenda a reconhecer tudo que tem nesse agora… e use tudo isso!

Eu entrego esse Novo Despertar na vibração da nossa existência em Unidade
Eu envio a você a vibração do amor que eu fortaleço em mim. Receba!

Um intenso abraço.
Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Fevereiro 21, 2020

chamavioleta


O DESAFIO DE PERMANECER NO AGORA A

Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

21 de fevereiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
No dia 13 de janeiro, eu postei no instagram uma pergunta:

QUAL O SEU GRANDE DESAFIO, HOJE?

Algumas pessoas escreveram nos comentários, muitas enviaram direct ou mensagem pelo whatsapp.

E dessas tantas mensagens que eu recebi, poderia classificar (eu não uso muito esse termo) em quatro grandes questões que seriam: curar feridas que ainda doem muito, e isso inclui as dores por perdas… curar um vazio interno… parar de viver situações repetitivas e, finalmente, o desafio de permanecer no agora, que é um grande desafio para a nossa velha forma de relacionar com tudo.


Vamos começar, então, tentando clarear porque existe desafio. Por que consideramos difícil estar no agora? E o que podemos fazer para que isso deixe de ser um desafio?

Hoje, nós estamos vivendo duas realidades. Nós estamos vivendo a realidade que criamos e nessa realidade, estamos aprendendo a criar, a partir de novas condições internas.

Só que essa realidade que criamos é tanto um contexto pessoal, particular, podemos até ampliar um pouquinho e dizer também, um contexto familiar, mas essa realidade diz respeito a todos os sistemas que existem. Todo o coletivo.

Hoje nós temos um planeta em transição da sua sustentação energética e essa energia afetando tudo, toda essa realidade! E nós, não só parte desse processo, mas agentes dessa transformação, sendo que a maioria ainda nem sabe o que está acontecendo.

Nós aprendemos a ser humanos e desenvolvemos várias teorias sobre isso e passamos a vida inteira buscando uma outra parte de nós que pudesse responder algumas perguntas. Fomos atrás do que pudesse nos acalentar, nos confortar. E tudo com muita dedicação, com muito esforço, acabamos nos tornando a nossa mente.

Nos tornamos o nosso pensamento! E fomos treinados para isso! Por isso nós lutamos tanto pelas nossas ideias. Porque elas praticamente nos representam.

Se fomos treinados para pensar, para sermos seres de ideias, seres estratégicos, imediatos e imediatistas… Acabamos ficando presos nos resultados, portanto no nosso controle das coisas e presos nas nossas experiências, todas elas: as boas e as ruins….

Sim! É porque também criamos várias classificações para tudo e fomos nos encaixando nesses limites. O bom e o ruim sempre fizeram parte das escolhas que nos deixam mais seguros e sobreviventes a tudo.

O passado determinou tudo. Tudo mesmo! O passado, o que sofremos, dores caladas, faltas, carências, o que foi passado e ensinado para nós, medos, lágrimas que engolimos (engole esse choro!), faltas de confiança, todas as nossas crenças … tudo isso traçou uma ponte direta para o futuro. O futuro promissor e libertador de todas as dores, de todas as faltas.

E vivemos assim! Nessa ligação direta entre passado e futuro!

Tudo nosso foi em busca de alguma coisa, de alguma conquista, de algum preparo. Isso é tão forte que até hoje, todos os sistemas nos preparam para o que vem depois. Até hoje, tentamos planejar controladamente o futuro.

O que a escola ainda faz com o aluno desde o primeiro dia de aula? Prepara ele para o ano que vem, para o vestibular, para a profissão, para o futuro! Isso, independente da idade! A criança já cresce treinando para ser adulto. Ela estuda 5 disciplinas, mas já se preparando para as 9, 10, 11 que vai ter no próximo ano.

Ontem, eu conversava com uma pessoa sobre isso e ela me disse: “você que vai ter que mudar seu conceito, a vida é assim!”

Não é que a vida seja assim! Nós definimos que a vida fosse assim e hoje vivemos para combater tudo próprio de uma vida assim: todas as intolerâncias, todas as doenças de todos os corpos, de todas as relações.

Quais as palavras de consolo para quando você está se sentindo péssimo? Isso passa! Nada como um dia após o outro! Pensa positivo que vai dar certo!

O momento AGORA é simplesmente atropelado por um novo pensamento sustentado pela possibilidade de estar tudo bem, depois. No futuro. Seja lá esse futuro próximo ou distante. O importante foi acreditar que “vai dar certo”, não foi?

O que nos foi dito a cada dor?

Não fica assim não! Isso não merece suas lágrimas!

Você deve estar me perguntando: se não focamos no futuro, que é onde passaremos o resto das nossas vidas, como será? O futuro ainda está forte em nossos planos, mas já está enfraquecido em nossas realizações. Simplesmente por vir, de dentro de nós, de um lugar escasso.

É isso que estamos fazendo aqui, juntos! Desconstruindo a forma, adoecida, de viver que criamos e estamos aprendendo a viver em paz com o que somos, na nossa natureza. E o AGORA nos revela isso lindamente.

Não aprendemos que cada dor que manifesta aqui, agora, já existe há tempos em nós. Não aprendemos! Nosso agora sempre foi descartado! Nunca nos enxergamos no agora! E agora estamos aprendendo o tanto de coisa que acontece com profundidade no agora. E as coisas não precisam mudar para isso! O que está mudando é a nossa forma de perceber!

Por isso eu digo que hoje vivemos duas realidades. Isso faz com que estar presente no agora ainda seja um desafio. Aprender a perceber de uma forma multidimensional ainda é desafiadora porque desconstrói tudo que aprendemos. Tudo!

Estamos despertando uma consciência de que o presente, o agora, é tudo de mais nobre que temos, mesmo com essa relação com o futuro ainda fazendo parte das nossas escolhas. Ainda vivemos inseridos num sistema assim, sustentado pelo passado e pelo futuro, e não tem como fecharmos os olhos para isso.

Mas tem como tudo isso ir perdendo o sentido para nós e o peso disso ser cada vez menor em nossa vida. O processo é natural. Aos poucos, a velhas escolhas (e escolha tem a ver com tudo), aos poucos elas perdem o sentido. E rompimentos são feitos. O sentido de tudo que acontece em nós.

Estar, inteiro, no agora é algo prazeroso é, no mínimo, curioso. É algo que nunca fizemos antes. E tem informação demais. Informação! Então, quando você tem consciência disso, estar no agora passa a ser mais um hábito, uma entrega, do que, propriamente, um exercício.

O sentido que o agora vai despertando em você vai devolvendo esse sentido para cada agora, entende! Você vai criando um novo ciclo na sua existência.

Então, nós consideramos um desafio viver no agora, quando vamos nos incomodando com as situações ainda presas nos limites, nas superfícies, no passado e no futuro, e não sabemos como sair disso, justamente porque nosso foco ainda é a nossa defesa. Nosso foco é sair! É resolver, e não curar!

Resolver é quase que exterminar uma situação! E curar é resolver, mas não a situação, a ferramenta que cria a situação.

E como tudo isso acontece é no agora, é possível você acolher com todos os elementos que tudo isso tem pra te dizer. Isso sim é um exercício de enxergar e de curar.

A melhor forma de enxergar o agora é observar o seu sentimento com relação ao que está acontecendo. Observar como você está diante de tudo isso. O que isso quer dizer, mas de uma maneira mais profunda.

Vou te dar alguns exemplos de aproveitar o agora.

Adoeceu? O que a doença fez com você? Te impede ou dificulta o que? O que a doença faz com você, normalmente, é o que você tem feito com a sua vida.

Incomodou? Doeu? Se sentiu irritado? É uma ferida antiga que só foi cutucada agora. De nome a essa sensação. Reconheça. Vasculhe ela em você. E cuide de você. Não se preocupe se foi alguém que te feriu.

Precisou reagir, se defender… Observe! Está com medo de perder qual lugar? Esse lugar é seu mesmo?

Está esforçando? Para tudo! Tudo que está na sua natureza se manifesta com naturalidade!

Está achando tudo muito lento? Queria que fosse mais rápido cada processo? Observe o tempo de tudo sem tentar controlar a natureza das coisas….

Quer provar que está certo? Discutindo ideias? Ideias são produtos dos nossos pensamentos, e nossos pensamentos são sustentados pelas nossas crenças. Experimente soltar crenças. Essas discussões todas vão perdendo o sentido.

Está vendo? Isso tudo acontece no agora! É você na interação com tudo.

Então, a nossa conduta diante desse passado ainda presente é que vai determinar o tanto de agora que estamos reconhecendo nas nossas experiências. O tanto de essência!

Sempre, sempre, sempre! Tudo que precisamos em cada momento, nós temos. Desde que nascemos é assim. A nossa concepção de precisar é que também foi sustentada pelas nossas faltas, pelo passado e pelo futuro.

É no agora que o passado vem para ser curado, é no agora que o futuro perde a força, é no agora que, realmente, tudo acontece…

Então, estar no agora, não é mais uma imposição, uma meta… talvez seja, simplesmente permitir que tudo, aconteça, na sua natureza, na sua presença em amor. Sem se programar, em linha reta, para mais nada, nem para viver no agora. É simplesmente estar!

Eu Sou Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Fevereiro 01, 2020

chamavioleta


EU NÃO ACREDITO MAIS EM NADA

Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

1 de fevereiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Áudio 5! (Transcrição)



Durante muito tempo… anos… durante toda nossa vida, de certa forma, aprendemos a ser condicionais. Aprendemos a reagir aos estímulos, emocionalmente e, portanto, todos os nossos comportamentos e escolhas tiveram suas origens em nossos pensamentos sobre todas as coisas. É muito interessante como passamos a sentir, a partir do que pensamos. E nos tornamos tão intolerantes!

Tanto foi assim que até hoje, um dos mais comuns discursos para se tentar mudar uma situação é a tentativa de se mudar o pensamento sobre a situação. E, a respeito disso, a nossa mente tem sido massacrada, sendo que todo esse comportamento de eliminar a mente, ao invés de resignificá-la é também um pensamento sobre todos os outros pensamentos. É pensamento sobre pensamento. Sendo que a origem de todos os seus pensamentos foi uma só.

Tenho trazido, aos poucos, insistentemente, o exercício de perceber a origem dos pensamentos, a estrutura de energia que sustentou todos eles e a concepção de que não se muda realidade nenhuma sem transformar, internamente, a energia que sustenta tudo.

Sendo, então, toda vivência, uma manifestação do que produzimos, sutilmente em nós, estamos sendo chamados para a consciência do que, finalmente, temos produzido até agora. Manifestar é algo natural. Manifestamos o que vibramos.

Mas esse “somos chamados” não é um convite brando! É um movimento de um cenário maior que, tendo consciência dele ou não, tudo que mantinha nossa velha forma de ser, de agir, de pensar sobre tudo não se sustenta mais em velhos padrões.

A partir disso, se a estrutura se rompe, tudo sustentado por ela, tende a se romper. É disso que estou falando: de todas as velhas e sólidas estruturas que estão se rompendo e levando com elas tudo que se relacionava a elas.

Estamos sendo desmoronados internamente e presenciando nossas histórias se desmoronarem, nossos sistemas, cidades, culturas, enfim… poderíamos nos dedicar a infinitos encontros para reconhecermos todas as formas de desmoronamentos de tudo sustentado por velhos padrões.

Só que isso tudo só está acontecendo porque está sustentado por uma nobre frequência amorosa que rompe toda frequência do medo e desamor. “Rompe” é uma forma clara de dizer que o que está acontecendo é uma frequência de energia integrando a outra. Isso tudo é integração. O que está passando a ser.

Quando se tem consciência disso, um fluxo acontece e novos alinhamentos se fortalecem. Quando não se tem consciência, há uma intensa tentativa de se manter tudo que era conhecido e seguro, porém num gigantesco esforço, por não haver mais o que possa garantir, sustentar, assegurar a permanência do que não se alinha ao que chega.

Na tentativa de controlar todas as situações, deixamos de reconhecer o propósito em tudo que tem acontecido. Tudo tem um propósito. Em tudo tem uma nova construção.

Para quem ainda não se conectou com o Despertar da Terra, essa seria a hora de reagir, claro que numa concepção limitada de ser. E uma das expressões que mais tenho ouvido é: “Eu não acredito mais em nada!”

Ontem mesmo, uma seguidora do Instagram @ramina.despertar me enviou uma mensagem que dizia: “Ramina, me ajuda. Eu me sinto sem desejos, me sinto vazia e não acredito mais em nada.”

Sozinha, essa frase não traria muito sentido, mas quando se insere o seu próprio sentido, a sua percepção da vida, a sua consciência do todo, muda tudo. Quando o sentido é a velha concepção de vazio, é a desconexão de todo movimento de transformação, quando o sentido é o “não reconhecimento do Amor presente”, o que sustenta essa frase é um profundo sentimento originado das frequências do medo.

É quase que uma briga com tudo que você está dizendo que não acredita mais. Porque é uma decepção com tudo que você esperava que fosse a solução para você. Que fizesse tudo ficar bem, sabe! Mas um “bem” definido pela sua mente polarizada. Complementar.

Veja: aprendemos que todo vazio em nós poderia ser preenchido com tudo que buscamos. Fomos fazendo escolhas e nos sentimos completados e, por tanto, preenchidos, temporariamente.

Quando a conexão é com o agora, com o comprometimento com uma nova forma de preenchimento, vamos nos descamando dessas “crostas” de sentimentos acumulados, vindos dessas conquistas temporárias, por isso, sentimos esse vazio… mas um vazio de tudo que não era nosso e que está saindo de nós. Um novo vazio! Importante! Uma oportunidade para um novo tipo de conexão.

Quando você deixa de acreditar, isso precisa ser um sinal de uma nova conexão. Porque realmente, esse novo tempo de expandir a consciência, exige uma plena integração ao Agora, uma profunda integração a todos os aspectos de você, uma intensa integração a uma nova concepção de Unidade que permite você se enxergar em tudo e enxergar tudo em você também, sabe?!

Esse processo, realmente, te faz não acreditar em mais nada, mas por reconhecer que tudo externo a você era o que fortalecia todas as suas crenças e era também sustentado pelas crenças. Um ciclo frágil! E o processo de confiar na sua existência, de confiar num propósito Divino, de confiar no que você produz, internamente… isso te liberta, totalmente, da necessidade de ter que acreditar em qualquer coisa para fazer escolhas.

Acreditar te conecta com um futuro possível e esperado. Acreditar é uma conexão com suas referências, com seu conhecimento, com o que já foi garantido no passado. Agora, confiar te conecta ao presente, te conecta com possibilidades. Sai do controle! É uma entrega! Confiar é uma entrega!

Estamos vivendo um grandioso processo de aprendermos a viver a partir da nossa essência para a manifestação em fluxo amoroso. Isso é diferente de toda a nossa história vivida a partir da nossa mente isolada para a manifestação controlada por crenças.

Um forte exercício de soltar, ao mesmo tempo, se reconhecer.

Hoje, num abraço amoroso, se você começou a perceber que não consegue acreditar em mais nada, observa se isso te deixa paralisado por perder essas velhas referências ou se você não acredita, porque já se sente livre das velhas crenças e dos padrões de ilusão e já consegue confiar na Unidade da nossa existência! Tenha consciência disso em você.

Nós realmente não precisamos acreditar em mais nada. A nossa natureza precisa estar conectada com toda natureza, com toda natureza de tudo, com o que é natural, essencial. Então, percebermos tudo em essência. Aí sim, podemos confiar! No nosso potencial, nos propósitos e na providência Divina!

Sempre, o que sustenta os nossos pensamentos é o que sustenta a nossa realidade!

Eu Sou Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Janeiro 28, 2020

chamavioleta


Transcrição de Podcast de

Ramina El Shadai.

28 de janeiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Áudio 4! (Transcrição)



Coração curado…

É tão curioso esse tempo nosso de limpeza, de purificação, de nascimento de tudo a partir de uma nova fonte sagrada. E o mais curioso é o quanto tantos de nós ainda não estão entendendo nada do que está acontecendo e, mais que isso, enxergando tudo a partir de velhas fontes.

O que eu chamo de velhas fontes? Fonte de aprendizagem! Usando os processos mentais em pura interação, sendo que a nossa mente pode ser e deve ser apenas um instrumento alinhado à alma, e não nosso guia.


O que aprendemos foi a usar a mente isolada como criadora independente… e agora, de repente, temos que mudar a forma de aprender. E isso está exigindo passar por tudo que estamos passando.

Não tem como a alma seguir a mente, porque a alma já é. É uma essência. Está completa. Então estamos sofrendo vários rompimentos que nos levam a enxergar que somos uma Unidade e que essa unidade se inicia lá no centro, numa essência única e a partir daí, para se manifestar, se alinha a um novo processo mental…

E nesse novo processo, tudo que era relacionado a tudo que experimentamos, a todas as nossas velhas formas de experimentar está saindo de nós.

Eu tenho descrito sempre duas formas de sentir. Uma forma de sentir é a mais comum que está condicionada ao que pensamos. E a outra forma de sentir, posso dizer que seria uma percepção, mas relacionada à própria existência. Uma espécie de comunicação. O próprio reconhecimento. Quando se desperta para tudo que constitui aquilo que está na sua frente e você simplesmente reconhece.

É desse sentir que falo quando me refiro aos alinhamentos conscientes. Você enxerga tudo em você e enxerga tudo que vive. Então, está tudo certo. Está tudo no seu devido lugar. Esse sentir é muito diferente do velho sentir condicional que jamais te permite enxergar tudo no seu devido lugar, já que ele te mostra sempre que o que você pensou era algo completamente diferente daquilo que está acontecendo.

Você pensou em algo seguro, que não te assustasse, que não saísse do seu controle, que fizesse valer o seu esforço, que te trouxesse alegria, que te preenchesse. Se isso tudo acontecesse, você estaria bem. Nosso pensamento determina e controla tudo para que aconteça daquele jeito único e limitado.

Está vendo a diferença? E todos esses sentimentos que acumulamos a vida inteira ficaram guardadinhos em nós.

Quando trazemos cura do coração é importante enxergar todo esse movimento! De chegar naquele lugar mais profundo, central, fonte amorosa, inteiro…e que te permite sentir tudo na existência, no propósito de tudo. E como nenhuma cura está na própria cura, nenhuma cura está em solucionar um problema, fica bem mais leve, tudo.

Voltamos para o agora, para tudo que acontece agora e, ao invés do sentimento reativo e condicional ao que pensamos, inicia um novo processo de enxergar tudo que forma, tudo que envolve, tudo que constitui nossa experiência.

E a cada entrega amorosa, a cada nova percepção, a cada despertar para algo novo, você vai se aproximando desse lugar sagrado que te mostra um novo caminho. A cura desse coração vai acontecendo assim… aos poucos, aprofundando, alcançando novos níveis.

A cada vez que você se solta de uma referência passada que te leva a fazer escolhas, uma cura vai acontecendo. E tendo a consciência do lugar desse medo. Porque a consciência do lugar do medo mostra tudo que ele criou. Então, tudo se rompe…

Eu gosto de contar sobre um telefonema que eu atendi e uma pessoa me dizia: me ajuda porque eu perdi tudo… tudo… não tenho nada… e, claro que eu esperei o momento mais acolhedor, mas eu sempre digo: é um presente pra recomeçar… do zero… uma oportunidade de liberar esse coração de todo sentimento de busca que te trouxe até aqui.

Nosso coração é amoroso. Nossa alma é completa. Quando chegamos em nós, deixamos a alma manifestar em amor. É isso que estamos vivendo. Todas as oportunidades possíveis para nos descamarmos dos condicionamentos e vivermos só a partir da nossa essência!

Tudo que é para acontecer tem muita força. Tem muito potencial de expansão. E toda vez que aquilo não acontece significa que estamos fazendo mais força ainda para barrar esse fluxo. Nós aprendemos a nos esforçarmos. Aprendemos a fazer força, por isso viver o fluxo tem sido tão desafiador. E temos essa força em nós. Só fazemos mais força do que o necessário e nos esforçamos porque não reconhecemos qual força podemos usar.

Então, estamos em cura!

Estamos em reconhecimento de todos os nossos potenciais.

Hoje, o que eu tenho a te dizer, simplesmente é: Experimenta! Soltar um esforço e deixar seu coração curado, nem que seja um pouquinho curado, te guiar. É, no mínimo, mais leve. Além de libertador.

Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Janeiro 23, 2020

chamavioleta


2020! UMA TELA EM ZOOM!

Ramina El Shadai.

9 de janeiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Áudio 3! (Transcrição)



Como mensagens escritas são postadas diariamente, é natural que em algum momento, seja necessário um aprofundamento. E a mensagem de ontem mexeu com algumas pessoas, de forma que eu recebi alguns pedidos de aprofundamento. Então, vamos lá.

O que dizia a mensagem:

HOJE, SE OBSERVE. VOCÊ TEM CONSCIÊNCIA DO QUE FAZ PARA ELEVAR A SUA FREQUÊNCIA VIBRACIONAL? EXPERIMENTE NÃO FAZER NADA COM ESSE OBJETIVO. FAÇA TUDO, ENCONTRANDO EM VOCÊ PROPÓSITOS. SUA VIBRAÇÃO ESTARÁ MAIS ELEVADA.


Olha só! Todas essas mensagens postadas no instagram @ramina.despertar vêm com propostas de exercícios, de experimentos, propostas de alguma entrega. E todas essas propostas já se fundamentam numa vida a partir de uma percepção mais amorosa, mais ampla, uma percepção mais expansiva em termos de dimensões. Uma forma de ver além de como estamos acostumados a ver. E quanto mais exercitamos, mais vamos usando recursos mais nobres, mais profundos, mais elevados de nós.

E eu gosto muito de trazer a observação e a desconstrução do que foi formatado por algum tipo de padrão, de limite, em nós. E foi o caso desse exercício.

Veja: “Observe. Você tem consciência do que faz para elevar a sua frequência?”

Esse é o nosso ouro aqui. Elevar a frequência, despertar a consciência jamais deve ser seu objetivo de vida. Jamais deve ser sua meta, jamais deve ser aquele lugar que você quer chegar. Por inúmeros motivos.

Primeiro, que sempre, em qualquer situação, metas e objetivos serão pontos fora de você a serem alcançados. Você tem uma meta que está em algum lugar e você vai fazer de tudo para atingir. E você só tem alguma meta porque acredita na importância daquilo, na necessidade…. Acredita que aquilo pertence a você, então, se dedica a atingir.

Consegue perceber uma linha reta? Você aqui, focado lá na frente? Isso é um limite! Isso é uma estratégia de controle totalmente compatível com a vida que levamos até aqui, que aprendemos, enquanto a energia que sustentava a Terra era simplesmente uma energia masculina que buscava complementos. Foi assim e deu certo um dia.

Quando vivemos num tempo expansivo, além dos limites e totalmente desprendido do futuro, do lado de fora, nenhuma meta sustentada por crenças tem como se alinhar a um fluxo de entrega sustentado pelo agora. Então, é importantíssimo você ter clareza se está colocando a sua consciência, a sua frequência energética como objetivo.

Energia vibra. Tudo vibra. Então, o próprio fato de vibrar o “querer chegar”, já é uma vibração de escassez. É você agora, mas olhando lá na frente.

Tudo que fazemos, aqui, juntos, o tempo todo, é exercitar a Presença no Agora. Sempre!

A partir do momento em que começamos a nos desprender do futuro e nos inteiramos plenamente ao agora, tudo começa a mudar. Inclusive as conquistas são surpreendentes porque fogem do nosso controle. Esse controle de tentar atingir uma coisa só.

É isso que temos chamado de magia, de milagres, mas que, na verdade, é apenas a co-criação. É você agora, vibrando com consciência do que está vibrando, enquanto o Universo sai dizendo SIM para tudo. E encontra a sua elevada frequência, se alinha e essa energia e vai tomando novas formas. Novas experiências começam a acontecer também vibrando nessa mesma frequência.

A Presença tem uma frequência. A falta tem outra completamente diferente. Então, todo seu planejamento vem de algum lugar dentro de você. Sempre que vier para suprir alguma coisa, para preencher algo que te falta, vai produzir mais faltas. E assim é com a necessidade de elevar a sua frequência.

A sua forma de perceber o que está acontecendo agora tem uma vibração. Essa vibração é co-criadora de um tanto de coisa que vai acontecer, que você vai observar, que você vai ter uma percepção e essa nova forma de perceber vai vibrar…

Então, nós nunca precisamos fazer nada para resolver algo. Eu falo isso muito, com relação a cura. Não existe cura planejada… existe acolhimento do que causou o desequilíbrio. Sempre, na fonte. Sempre na fonte, dentro de você, que está criando o que você está vivendo.

É muito importante ter clareza da riqueza do Agora! Tudo que é revelado através do que está acontecendo! Nós chamamos de sinais, mas tudo é co-criação. Tudo vibra na mesma sintonia nossa. E não existe forma planejada de mudar a sua energia porque essa mudança não está na sua forma de pensar. Está na sua forma de se perceber com relação ao que está acontecendo. Aí estão propósitos.

Na semana passada eu recebi uma mensagem assim: “Ramina, você acredita na lei do retorno? Ou isso é coisa que falam apenas para acalmar o coração da gente. Para a gente pensar que existe uma justiça.”

Eu não costumo nomear nada, muito menos usar expressões que já são usadas com conceitos pre estabelecidos. Eu vejo a co-criação. Eu vejo você vibrar e viver tudo que vibra como você. Não precisamos de nada para acalmar nosso coração. Precisamos ter a consciência de que nosso coração ficou ferido por não termos conhecido nossos potenciais mais profundos de Amor em essência.

Estamos na libertação do nosso coração. Estamos em cura! Sim! Todos nós! A Terra está em cura, por isso estamos tão afetados! Sentimos tudo, assim como a Terra sentiu tudo que fizemos conosco também. É tudo uma coisa só, né?!

Não precisamos pensar mais nada a partir de nossas velhas referências. O HOJE nos diz tudo! O exercício é observar cada detalhe, cada sentimento, cada lugar de nós onde mora cada ferida que ainda dói, observar o que ainda é difícil, o que flui, o que agarrou. Tudo isso se revela em tudo que está acontecendo.

Não tente fazer nada para elevar a sua frequência. Simplesmente se eleve, em natureza. Para que seja verdadeiro e permanente, use o que é seu, em você! E se permita sair de você! Em libertação e em expansão! Estamos falando de co-criação consciente. Estamos falando do sentido da nossa existência.

Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Janeiro 09, 2020

chamavioleta


2020! UMA TELA EM ZOOM!

Ramina El Shadai.

9 de janeiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Áudio 2! (Transcrição)



O Ano já começou com uma intensidade de energia que está deixando tudo muito mais claro. Muitas novas sensações surgindo, uma aceleração interna, ao mesmo tempo, que uma paz reina.

É que existe uma força dentro de nós dizendo que está tudo certo, que um fluxo amoroso já está começando a manifestar nossos desejos internos, ao mesmo tempo que existe um desejo ainda não reconhecido, sendo movimentado pelo contexto geral, fazendo de tudo para que você o perceba!


A sensação de que algo grandioso está para acontecer tem sido uma sensação comum. Pelo menos é o que muitos de vocês têm me relatado.

Bom! 2020 é um ano divisor de águas. Estivemos rompendo, liberando, reconhecendo dualidades, identificamos o que criamos para dizer que estávamos falando de nós. Conhecemos tudo até que nos foi pedido o retorno para nós mesmos, para nosso lar permanente que é nossa essência.

Então, esse ano já começa assim: um ano de vivermos já pela cura, na expansão desse amor que, de repente, surge em nós, através de nós. As mudanças serão grandiosas mesmo e eu disse no primeiro áudio desse ano e reafirmo que todas as mudanças, todas as novas experiências não passam pelo que fomos capazes de conhecer até então.

As novas construções não passam pela nossa mente isolada. Tudo novo só é realmente criado quando usamos a nossa essência, a nossa intuição, a nossa verdade da alma para dar os comandos para a nossa mente. Assim começa a se formar o que temos chamado de novo mundo. E estamos justamente aqui, nessa construção. Vamos nos acostumando com essas euforias internas, com essa agitação fazendo pressão para sair, em expansão.

Ainda temos a opção de nos guiarmos pelos véus de tantas ilusões. Mas como a ilusão do que nos completa é algo tão em dissonância com o que flui, atualmente, todas as realidades criadas e vividas em condições limitadas, com certeza, se tornarão experiências desafiadoras e terão o propósito de te tirar delas. Não serão expansivas. Não serão novos começos. Serão oportunidades para você romper o desamor interno.

Então, o hoje vibra em expansão amorosa e isso tudo está fervendo dentro de nós, quando já iniciamos nossas conexões, já empoderamos nossos corações e já temos consciência das leis que estão regendo a nossa existência, atualmente.

É isso! Um ano em efervescência.

Ao mesmo tempo, recebi de vocês muitas informações dizendo sobre o medo que estão sentindo disso tudo. Afinal, que mudanças são essas? Como elas vão acontecer? Para que lado? De que forma? Para onde tudo isso vai nos levar? Um desejo que tudo aconteça rápido e, ao mesmo tempo, um medo de que “tudo” é esse?

Vamos olhar por dois ângulos. Vamos começar pelo que nos acostumamos. Nossa vida aconteceu da seguinte forma: batalhamos para conquistar tudo que fez parte da nossa lista de sucesso, de segurança, de status, de conforto, de sobrevivência. Nossa lista não era tão ampla assim, pelo contrário, era bem limitada, em linha reta. Um meta… e estávamos, nós, a fazer de tudo para alcançar o que foi chamado de sonho.

Uma vida complementar! Eu chamo assim, porque buscamos tudo que pudesse nos completar, nos realizar, nos preencher, não é isso. Íamos nos sentimos preenchidos até que uma nova sensação de esvaziamento nos levasse a novas conquistas.

Então, tudo isso acontecia porque éramos sustentados por uma energia que vibrava nessas faltas e no controle. Isso não é novidade para nós. Fomos controlados e controladores em todas as nossas escolhas. Escolher futuro, traçar metas e alcançar é o nosso maior exemplo do quanto conseguimos controlar tudo.

Só que agora não conseguimos mais e aí, o que acontece? O medo! O medo do que pode acontecer comigo, porque a minha vida não está no meu controle mais.

Então, podemos começar a enxergar agora por uma nova percepção!

Não temos energia controladora, complementar, mas temos energia inteira, plena, abundante… e isso tudo já está em nós porque é a nossa natureza. Então, quando permitimos a nossa vida fluir nesse aspecto da verdadeira abundância, essa expansão amorosa vai integrando esse medo. Ele vai perdendo o sentido.

Mas todo sentimento é importante de ser reconhecido, honrado para, então, ser acolhido. Apareceu medo? Observe de onde ele vem, de qual tentativa de controle ele vem e deixe seu coração expandir luz até a sensação de medo, naturalmente ser substituída pelo estado de consciência da confiança.

Como tudo vai acontecer não está mais em nossas mãos. Para onde tudo está nos levando também não. É aí que estamos descobrindo oportunidades que nunca havíamos pensado antes, justamente porque as nossas imagens mentais usam nosso passado e nosso conhecimento prévio como referência, isso é muito pouco, diante de tudo que pode acontecer conosco.

Se vibramos em amor, produzimos vida em amor. Isso é certo. É nisso que precisamos confiar: no que estamos vibrando.

A sua vida é hoje! Eu te digo, com muito amor! O que está acontecendo agora já aconteceu! Foi uma vibração que você movimentou antes de hoje. Então, hoje é o que você vibra. Tanto para enxergar o que usou para criar o que está experimentando, quanto para enxergar o que é oportunidade para ser rompido ou para ser expandido. Então, o agora é muito rico. Cheio de informação. A forma de você perceber esse agora vai direcionar tudo que você vai vive.

Isso significa que você não precisa ter medo de mudança. As coisas vão sendo guiadas pela sua forma de perceber o que está acontecendo agora. Faça tudo com entrega, com confiança, com a sabedoria de que você está onde precisa estar nesse momento. E vai acolhendo em você o que te alinha ao lugar que está, ou seja, a vibração que te trouxe aqui.

Hoje eu li uma frase na internet que dizia assim: “como criar o futuro imediato? Aprenda a forçar o universo a seu favor!”

Eitaaaa! Já pensou? Mais individualidade numa era de Unidade!? Nosso velho controle não está valendo mais absolutamente nada! A não ser para nos levar para um lugar específico que vai nos acordar para o que realmente está acontecendo nesse cenário imenso.

Nós aprendemos a controlar tanto que ainda tentamos mudar a realidade.

Hoje eu senti uma frase em mim que diz assim: O princípio da aceitação é a consciência de que o que está aqui já aconteceu. Então, atue na manifestação, e não no que já está manifestado.

Tem muita coisa acontecendo, novidades estão saindo de nós… tudo está saindo de nós! Nosso campo de investimento, de percepção é exatamente no que está acontecendo dentro de nós, a cada agora!

Reconheça tudo em você, reconheça conexões, propósitos, reconheça novos sentidos… reconheça novos níveis de você. Reconheça esse novo mundo que ferve e apenas enxergue o espaço para que ele aconteça.
Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Janeiro 04, 2020

chamavioleta


Ramina El Shadai.

3 de janeiro de 2020

 
.
 
 
 
 
 
Nosso primeiro encontro de 2020. Áudio 1! (Transcrição)

O nascimento é sempre um sussurro de que uma novidade está para se revelar! E quando um novo ano se inicia, ainda é comum a renovação do que sempre se espera com relação a esse novo. Como se tudo até aqui fosse zerado, para começar algo fantástico que cumprisse com todas as nossas necessidades! Uma renovação das expectativas.


Eu tenho pra mim que é muito interessante recebermos o novo ano, com a consciência do que estamos recebendo, justamente para sabermos usar tudo que estamos recebendo. É como um presente!

Só que nos preparamos, festejamos e depois não entendemos nada daquilo que chegou e ficamos doidos para tudo acabar, novamente! E aí vamos vivendo esse ciclo de repetições, através dos novos ciclos! Aquele velho hábito de negligenciar o presente, valorizar o passado e enaltecer o futuro já está tão enfraquecido!

Um tempo em divisões lineares, que não mais existem, mas que foram fundamentais para nos reposicionarmos em nossos sonhos. Estamos aprendendo a não esperarmos mais pelo que vem depois! E isso tem nos revirado tanto!

Sinto que ao chegar 2020, abrimos nossos braços! Arregalamos nossos olhos e escancaramos o nosso coração!? Nos abrirmos por inteiro é, realmente, um grandioso começo!

Um novo ano se inicia! E com ele, as infinitas movimentações de energia presentes nessa transição. Um novo salto, um novo nível de consciência que a Terra atinge. Portanto, um novo nível de consciência que vai ficar nos cutucando para vibrarmos em sintonia.

Tudo tem sido um processo de ascensão. E cada nível de energia, de percepção, de consciência é só a estrutura para um próximo nível. Se tivemos a sensação de que trabalhamos muito em 2019 e não vimos a realização de nossos movimentos internos, agora esse movimento começa a “dar as caras”.

Já Nossas velhas estruturas de energia não existem mais, o que está fazendo tudo ser desmoronado. Todos os velhos sistemas, tudo criado por crenças… tudo está deixando de fazer sentido porque não existe num campo vibracional complementar mais.

Formamos tudo em frequências de vibração, primeiro. Mudamos a frequência, então, tudo muda. Se a Terra mudou a frequência, a energia do Todo muda, então, se pensamos e planejamos por velhas frequências, nada mais se alinha ao que pensamos e planejamos, para que aquilo continue existindo…. essas estruturas estão, agora, começando a serem formadas numa energia completamente diferente.

Só de não ser mais complementar, já muda tudo. A frequência é outra. A transformação da Terra, é justamente, novos níveis de consciência, a partir de novas frequências que vão sendo acessadas. Um ano de estruturar uma vida com uma nova forma de co-criar. Então, tudo que vier, nesse ano, já será no propósito de te ensinar a criar tudo em inteira consciência do seu lugar nesse mundo e do lugar de tudo na sua vida, na sua forma de criar.

Eu vou afirmar que tudo que vamos viver, daqui pra frente, todas as mudanças, todas as formas de criarmos vida, nada passa pelo que a humanidade já conheceu, em cada tempo da sua existência.

Todas as estruturas de terceira dimensão estão cedendo a direção para uma nova dimensão. A mente humana, isolada da nossa totalidade divina, não consegue imaginar a perfeição que é todo o processo de renascimento, pela nossa essência. E é isso que está acontecendo. Portanto, deixarmos a alma guiar a mente é só o nosso primeiro aprendizado.

Não é tempo de se cobrar nada, de se esforçar para nada e, muito menos de forçar nada. É tempo de investir no que sustenta as suas percepções e cuidar, amorosamente, da estrutura vibracional de todas as escolhas da sua vida. Desconstruir as crenças que criaram tudo na nossa vida e que agora, esse “tudo” está deixando de ser. Desconstruir crenças, padrões, estruturas. Ano de novas sustentações.

É interessante termos a consciência dessa elevação de frequência que está integrando tudo que foi produzido pelas nossas buscas. E deixar a sabedoria recolocar as coisas… sem medo. Medo de frequências elevadas? Medo de perder o que não está em sintonia? Agora, não precisamos mais do medo. Precisamos da consciência de que tudo está em seu devido lugar para que as coisas fiquem mais claras.

É um ano de trazer clareza, esclarecimentos… mas para isso precisamos estar atentos. Sabe aquela tela em zoom?! Então! Se você ainda não enxerga, é preciso aumentar ainda mais! É mais ou menos por aí, uma tela em zoom!

Eu consigo sentir um ano mais leve, mas consigo sentir um ano mais sério, mais firme… exigindo de nós esse olhar mais em fluxo, sabe! Percebo em mim e realizo…. um olhar bem focado em potenciais…

Sabe quando afirmamos que abundancia é uma questão de percepção? Esse ano acontece, já entendendo que cada um de nós já passou por essa fase, já consegue ver tudo numa percepção abundante, então, oferece as ferramentas para realizar.

2020 considera você uma pessoa que vibra em abundância, então, as coisas começam a acontecer nessa forma. E se ainda não é assim, ele vai fazer de tudo pra que você não só se perceba nessa frequência, como já manifeste, como já se estruture…

Todos os níveis num ano só!
Somos um!
Feliz você em cada Agora!
Ramina El Shadai





 
 


Para outros artigos espirituais e denúncias por favor visite:
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Outubro 08, 2019

chamavioleta


Ramina El Shadai.

8 de outubro de 2019.

 
.
 
 
 
 
 
Bom! Ainda temos uma cultura que tenta usar estratégias lineares para tudo. Fomos nos vitimando e aprendemos desde bem pequenos a eliminar tudo que nos incomodou.
Incomodou? Vamos acabar logo. Vamos sarar, não é assim? Vamos cuidar dos sintomas. Vamos nos sentir livres de qualquer desconforto, desafio, ameaça, insegurança. Eliminar.
 
Eu me lembro de uma vez em que eu assistia o filme da branca de neve. Eu era criança, mas não tão pequena, porque me lembro do sentimento que eu tive ao perceber que a bruxa tinha planejado a morte de uma menina, por ter sido superada em beleza. E a sensação que me veio naquela época foi justamente da facilidade de se exterminar aquilo que está incomodando.
Eu não sabia mais nada sobre esse tema, mas fui atenta a todas as formas de extermínio que nossa cultura nos permitiu. Desde acabar com algo que seria super aceitável, como as dores, por exemplo, até acabar com uma imperfeição, corrigindo nossos traços através de uma cirurgia. Sempre brigamos com o que fomos. Nunca aceitamos o que fomos, nunca aceitamos o que criamos, mas sempre exigimos aceitação de todos.
Quando eu afirmo que nunca aceitamos o que fomos, eu não me refiro aos nossos traços físicos, eu me refiro ao que criamos em nossas experiências e que não aprendemos que aquilo seria uma expansão de nós.
A nossa história começa aí. Em nós mesmos. No que produzimos em nós, no que produzimos para nós e por não conhecermos profundamente nossas ferramentas de produzir tudo isso, nós eliminamos o que nos fere. Aos poucos, vamos nos apagando, porque o tempo todo que brigamos com tudo que produzimos, estamos brigando com nós mesmos, sem ao menos termos conhecimento sobre isso. Ou deixarmos nossa sabedoria nos mostrar isso!
Mas estávamos falando das energias negativas. O terror desconhecido de muitos. Afinal, é algo que não se vê, mas é capaz de destruir um lar. Não é mesmo? Claro que não! Não é bem assim! Energia é energia! Vibração. Frequência. Densidades e dimensões. Tudo é energia. E a sua energia é a mesma energia do que você vive!
O que eu mais falo nesses anos todos de áudio é: o mergulho em nós passa pelo mergulho em nossa realidade. Olhar, amorosamente o que construímos, o que criamos, as relações que vivemos, para termos clareza da energia que vibramos.
Você pode usar todos os recursos visíveis e invisíveis para eliminar energias negativas, energias que ilusoriamente são as responsáveis por seus sentimentos de que algo não flui, que enquanto não estiver inteiro em consciência do que manifesta, a mesma energia continuará sendo criadora do que você vive.
E em tempos de manifestação rápida, cada vez os desafios se tornam maiores, mais claros, porque mesmo que você não tenha clareza de nada disso, tudo está imerso em luz e luz traz para a superfície e para a claridade. Luz revela todos os detalhes. E esses detalhes estão em nós. Nós não conseguimos nos livrar de nada, nem de ninguém de não soltarmos as crenças que nos prendem a essas prisões.
Vou relatar uma história para vocês. Uma experiência com minha filha de 10 anos que me autorizou a compartilhar o que vivemos.
Na semana passada, ela chegou em casa com uma super crise de sinusite. Ela nunca teve sinusite. Foi a primeira vez e já chegou para não deixar dúvidas. Ela estava num momento de sofrimento com umas posturas da professora dela. Então, ela chegou em casa me contando os últimos capítulos dessa “Novela Escola” e eu disse assim:
É a segunda vez que você vive isso. Que passa um ano inteiro com uma professora que tem determinados comportamentos que te fazem sofrer. Ano passado já foi assim e foi muito doído. Isso que a pessoa faz, é ela com ela. É o que ela tem dentro dela. É o que ela dá conta de ser. Ela com ela! Agora, eu te pergunto: porque você sofre tanto?! É aí que temos que chegar! Temos que mexer em você! Descobrir de onde vem esse sofrimento todo.
Ela ficou muito nervosa. Muito mesmo! E disse que não achava justo ter que tratar ela por um comportamento que não era dela. Eu disse: Tudo bem! A maioria das pessoas pensa assim. Aprendemos a ser assim. Você vive uma realidade que não é assim, mas todos nós aprendemos a tratar os fatos nos próprios fatos!
Só que hoje estamos vivendo a oportunidade de acolher todos esses fatos que ficaram guardados, determinando todas as escolhas, inconscientemente. Eu não vou desgastar a nossa relação por causa disso. Você vai ter o seu tempo. O seu momento vai chegar! Hoje, posso te levar ao hospital e resolver com remédio. O dia que você se sentir preparada para cuidar desse aspecto em você, eu também estou aqui para te ajudar.
Ela foi para o seu quarto e depois de um tempo voltou. Mas com o rosto muito vermelho e nem conseguindo falar direito.
Mãe, você pode conversar?
Eu parei tudo e fomos conversar. Ela disse: “Eu queria te pedir desculpas e você pode dizer o que achar que deve… eu já estou preparada para viver o meu momento”. Não senti que seria o momento para dizer nada. Demos um abraço e deixamos o dia correr.
À noite, ela estava muito pior, estava começando a ter uma febre, então, fomos ao hospital. Ela estava muito “derrubada”. Chegamos ao hospital. Ela olhou para o lado e disse: onde está minha bolsa? Não sei…. ah acho que você esqueceu no carro! (Fomos de carro de aplicativo). Fiquei tranquila, bastante conectada para sentir os passos que fluiriam naquele momento… enquanto isso, aguardávamos para ser atendida.
Ela não chorou. Olhou pra mim e disse: “mãe, meu mundo está desabando. Estou ficando doente, perdendo coisas… e estou tentando resolver as coisas nas próprias coisas. Quero ouvir tudo que você tem a dizer. Mãe, o meu momento chegou.”
Confesso que naquele momento, ainda não senti que era para dizer nada. Apenas um abraço bem inteiro. Ela não chorou, mas voz que já não saía direito, estava completamente travada. Então, olhei nos olhos delas e perguntei: O que eu faço para tudo na minha vida e que temos o hábito de fazer em família? Ela respondeu: expansão de luz. Pois é! Então vamos fazer?
E fizemos. Enquanto estávamos lá, no hospital, de olhos fechados, de mãos dadas e expandindo luz, o motorista me ligou dizendo que estava na recepção do hospital com minha bolsa que eu havia deixado no carro. Pronto! Agora sim! O tempo dela havia chegado! Descemos, pegamos a bolsa. Então, ela chorou. “Mãe, qual o propósito disso que eu estou vivendo?”
“Ter consciência de que a luz que você emite acolhe tudo. E que tudo isso que você está vivendo, só está vivendo porque está reagindo às ações da professora. Está sofrendo com tudo isso. Tudo começa em você. E você escolhe se acolhe em luz ou se você reage com essa ira. A sinusite conta pra nós que existe uma relação doente acontecendo. Que não está dando conta de uma convivência próxima”.
E então, tive oportunidade de aprofundar na criação dessa dor, nela. Enquanto isso, fomos expandindo luz do coração. Até que cheguei no ponto: “Agora, de onde vem esse sofrimento? De onde vem, de dentro de você, o que você coloca pra fora?”
E tem uma outra perguntinha que eu costumo sempre fazer: “Qual o primeiro sentimento que você tem quando ela faz esse tipo de coisa?”
Ela me disse com muita clareza: “Sensação de injustiça. De ter que me sujeitar à falta de educação porque ela é autoridade.”
Poxa! Já falamos disso aqui nos áudios! Lembram? Das nossas questões com o poder! A relação com autoridade! Porque nós vivemos nossa primeira relação de autoridade com a mesma pessoa que nos garantia segurança: os nossos pais!
Ela sempre teve uma relação leve com escola, desde pequena! E no ano passado viveu o primeiro conflito, precisando administrar uma relação assustadora com uma professora. Ela não sabia lidar, mas passou o ano de uma outra forma. Ano passado ela apenas aguardava o fim do ano. Não foi nada saudável. Mas ficou a ferida. Só agora, essa ferida foi mexida. Essa relação amor e autoridade sempre foi uma coisa bem tranquila em casa. É tudo muito leve e foi com isso que ela se acostumou com isso.
Bom! Encontramos, então, uma feridinha guardada nela. Incrível! A luz daquela hora foi diluindo todo esse desamor. Ela foi ficando leve, dando algum sorriso. Mesmo diante de todo quadro. Mesmo estando no corredor de um hospital.
Agora, o mais interessante. No dia seguinte não tinha sintoma, não tinha aquela dor insuportável que nos levou ao hospital. Tinha uma tosse e nariz escorrendo. Foi tudo muito rápido. Manifestamos o amor e a dor se foi muito rápido. Toda manifestação tem sido rápida.
O legal dessa história é que o médico deu um atestado para se ausentar da escola. Foi ótimo! Ficamos 2 dias cuidando só do coraçãozinho. Depois disso, eu não perguntei mais a respeito da “Novela Escola”. Eu tenho perguntado “Como você se sentiu no dia de hoje? O que você percebeu de novidade nos próprios sentimentos, nos  próprios comportamentos?” Porque agora ela dá conta de me responder esse tipo de pergunta. Porque ela passou somente a se observar diante dos fatos. Ela parou de observar os fatos.
Antes desse episódio, ela queria mudar de escola, mudar de sala, mudar de turno… ela queria se livrar da professora. É isso… a tentativa de se livrar das energias que incomodam… Mas se incomodou é porque já existe uma feridinha para cuidar. E o momento de cada um chega. Enquanto isso, vamos nos remediando. Como fizemos uma vida inteira!
Aconteceu do lado de fora? Foi o lado de dentro que criou. Você aceitando ou não. Tendo consciência de como as coisas se formam ou não.
Somos luz. Somos amor! E essa nossa essência tem condição de acolher tudo que seja desamor. Sem a necessidade de tentar eliminar. Mesmo porque desafios só aparecem para serem integrados ao amor. Quando eliminamos o que cria a situação, a própria situação perde a necessidade de se manter ali.
Ramina El Shadai





 
 
 

 
No religious or political creed is advocated here.

Organised religion is unnecessary to spirituality.

Excellent teachings of the masters have been contaminated by the dogmatic control of these religions.

Discernment yes; judgement does not.
If you use discernment you are free to research with an open mind. 

With discernment it is possible to reach the spirit of the letter of any writing and it is also much easier to listen to the voice of the soul that comes from the heart.
Individually you can be helped to find your Truth that is different of everyone. 


Please respect all credits.

 
Discernment is recommended.
 

All articles are of the respective authors and/or publishers responsibility. 
 
 



 

Like this! please bookmark. It is updated daily

 


 
 
 
Free counters!

  geoglobe1
 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub