Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Uma mensagem ET para a Humanidade ~ Corey Goode, David Wilcock.


Uma mensagem Extraterrestre para a Humanidade.

Uma Mensagem para a humanidade de seres extraterrestres, homens pássaro.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Fontes: 

http://divinecosmos.com 

https://pt.spherebeingalliance.com

 
 
sphere-being-alliance-blue-avians.
 
 
 

 
 

Vamos entrevistar alguém verdadeiramente excepcional. Corey Goode, de 45 anos, nascido no Texas. Presentemente ele ainda reside no Texas. E o que ele fez, foi assumir a posição de um informante e insider e de compartilhar conosco mais dados sobre o que realmente está acontecendo nos bastidores, nos designados  programas  do governo (Oculto) secreto (nos EUA) e nos programas militares secretos do espaço, em desenvolvimento e a industrialização do sistema solar…
 
…Esta é mais uma história notável,  pois  ao longo dos anos, entrevistei muitos informantes, por vezes classificados 35 níveis acima do Presidente dos EUA. Retive 90% dessa informação fora do alcance do público, porque os informantes poderiam ser assassinados e não quis divulgar coisas que depois me poderiam impedir de descobrir quem eles eram realmente, os verdadeiros informantes. Corey surgiu e não só sabia sobre os 90% omissos, como tinha outras peças do quebra-cabeças que eu procurava. Sabia que havia algo que as pessoas me ocultavam. E o enigma tornou-se claro. Corey, seja bem-vindo.Obrigado por estar presente.
Corey Goode (CG).: Obrigado
DW: Sei que o que voce nos vai contar vai tão além do que é considerado realidade que as pessoas terão dificuldade em aceitá-lo, especialmente se não tiverem algum conhecimento prévio deste assunto. Então, em vez de tentar conduzi-las pela mão e  introduzi-las lentamente nestes assuntos, vamos mergulhar de cabeça. E se pudesse, nos de rapidamente uma visão geral do seu envolvimento com o que foi todo este assunto do programa espacial secreto, durante sua vida.
corey-dude
Corey Goode
CG: Sim. Para mim, começou aos seis anos, quando fui levado ao que é conhecido como Programa MILAB. Alguns pronunciavam programas MILAB.[milab].Fui identificado como sendo um intuitivo empático.
DW: O que é que isso significa?
CG: Intuitivo…
DW: Você tem uma grande intuição das coisas que possivelmente estão para acontecer. Como capacidades de premonição?
CG: Sim, capacidades de premonição. E empático, que significa ter uma forte ligação emocional com os outros à sua volta. Sentir o que eles sentem e ligar-se a eles emocionalmente. Era uma série de capacidades que eram muito desejadas. Fui treinado e essa capacidade foi aprimorada. Foi aperfeiçoada até à altura em que tinha cerca de 12 ou 13 anos. Então eu e algumas pessoas com quem praticava, fomos levados para um programa onde éramos o que eles designavam como o apoio IE(apoio intuitivo empático) da delegação da Terra numa super federação. Era uma federação composta duma  grande quantidade de federações extraterrestres que se reuniam para discutir a grande experiência.
DW: O que era essa grande experiência? O que é que esses extraterrestres faziam?
 CG: Havia um grupo de 40 extraterrestres semelhantes a humanos e que, praticamente, estavam sempre presentes e este grupo ia até 60 membros que, por vezes, também estavam presentes. Havia 22 programas genéticos acontecendo.
DW: O que é um programa genético?
CG: Programas da mistura da genética deles e de manipulação da nossa genética.
DW: Isso estava acontecendo?
CG: Sim, está ocorrendo agora mesmo. E era disso que se tratava. Os representantes da Terra estavam tentando conseguir fazer parte dessa experiência há muito tempo. Finalmente conseguiram um lugar e como intuitivos empáticos, enquanto nos sentávamos lá, não sabíamos o que acontecia, porque muito do que estava ocorrendo , era falado numa língua extraterrestre antiga, que era muito monótona, que não compreendíamos. E muito do que acontecia, sucedia telepaticamente. Então estávamos sentados lá e davam-nos um aparelho, que era um tablet de vidro, que parecia um iPad e que tinha, basicamente, acesso à base de dados extraterrestre. Ordenavam que mantivéssemos as nossas mentes ocupadas, olhando para todo esse material e isso também nos ajudava, dada a nossa capacidade empática intuitiva, para detectar o perigo ou a mentira.
DW: Que tipo de coisas conseguiam ver nos tablets?
CG: Era um… Queriam que víssemos informações sobre essas 22 experiências genéticas, que estavam sendo efetuadas. Mas tínhamos acesso a todo tipo de informação. E dependendo de cada um de nós, cada um tinha o seu interesse. Víamos todo o tipo de informação. E eu vi tanta… É como reviver o tempo de faculdade.Todos os livros que leu e informação que encontrou… quanto disso é que você se lembra, sabe, dessa forma? Havia tanta informação.
Dw: Já fez alguma pergunta sem resposta, em que só dizia, “Não sei”?
CG: Não. Quer dizer, basicamente davam-lhe as informações que estavam disponíveis. Deparava-se com coisas para as quais a delegação humana, sabe, o nosso grupo, não tinha acesso. Mas quase toda informação estava ao nosso dispôr.
DW: Como era o monitor? Parecia um iPad (Smart Glass Pads) ou…
smart-glass-pads
Temos agora, através do Complexo Industrial Militar {através dos “Smart Glass Pads”– (Pastilhas de vidro inteligentes), que é uma tecnologia ET que exibe imagens no que parece ser um simples pedaço de plexiglass. Eles também são dispositivos pessoais usados para transmitir música e filmes.}
CG: Não, parecia quase  um pedaço de acrílico. Não ficaria surpreendido se o visse. Se eles o atirassem pela janela e se o encontrasse num campo, pegaria no objeto e não saberia que era algo especial. Pegaria na mão e teria que ativá-lo, através de um componente mental. E então o tablet abriria na sua língua nativa. Sobre a informação, acederia a base de dados, através da sua mente e o tablet mostraria o que você queria. Mostraria textos, fotos, vídeos e os vídeos e as fotos eram representações holográficas, de forma que saíam um pouco do monitor. Sabe, não saía totalmente do monitor, como as pessoas associariam a um holograma. Mas tinha uma profundidade de 3 dimensões que resultava num tipo de visão holográfica.
DW: E ainda conseguia ver a sua mão, por baixo do vidro?
CG: Não.
DW: Então escurecia primeiro?
CG: Precisamente. Sim, ficava totalmente opaco, ou preto ou algo assim, antes de produzir imagens ou texto.
DW: Eles tinham buffers ou firewall (inibidores de acesso)? Se fizer certas perguntas ele não autoriza?
CG: Bem, como disse, muito raramente aparecia um monitor todo azul, ou algo semelhante, que mostrava que não se conseguia acessar.Mas, fundamentalmente estava tudo disponível. E tínhamos os mesmos aparelhos na nave de pesquisa, que nos dava acesso à nossa própria base de dados.
DW: Então é uma tecnologia comum no programa espacial secreto?
CG: Sim, e eles têm monitores muito maiores, que usam para conferências e demonstrações.
DW: Obviamente você encontrou muita informação nos tablets. Houve alguma que lhe chamou a atenção por ser muito significativa e que o chocou de verdade, mesmo sabendo o que já tinha aprendido sobre esse ponto? 
CG: Foi muito interessante, pois havia — a informação que foi apresentada quase como se – você recuasse à analogia da faculdade. Havia 22 trabalhos finais a competir uns com os outros e cada um desses programas de experimentação genética, apresentava as suas informações dessa maneira. Até certo ponto, competiam uns com os outros. Não estavam trabalhando — não estavam  fazendo um trabalho  em cooperação.
DW: E envolvia extraterrestres semelhantes aos humanos?
CG: Sim.
DW: Hibridizando o ADN deles com o nosso? Esse tipo de coisas?
CG: Sim. E manipulando o nosso ADN. Havia também um componente espiritual. Estavam muito envolvidos numa parte dessa experiência. Não faziam experiências apenas conosco.Também fazem parte desta grande experiência.
DW: Tinham um objetivo? Por que é que o fazem? Por que é que se importam?
CG: Não sei. Não sei se estão fazendo só porque podem. Ou se estão tentando criar um… Algum tipo de ser superior, mas muito disso não… Sabe, por que razão eles tentariam criar… ou misturar o melhor da genética deles e então manipular-nos, a nós e à nossa civilização, para nos manter submissos?
DW: Há quanto tempo pensa que este programa de hibridização está acontecendo?
GG: Os 22 programas diferentes, estão acontecendo em períodos de tempo diferentes. Mas a manipulação genética do que somos atualmente, tem acontecido, pelo menos, há 250.000 anos.
DW : Uau.
CG : Mas esses programas, variam desde 5.000 anos … têm todos uma duração de tempo diferente.
DW : Não parece ser algo que o nosso governo (oculto) secreto da Terra ou o governo formal eleito quisessem que eles fizessem. Poderíamos impedí-los?
CG : Penso que não. Quero dizer, foi algo que pedimos recentemente para conseguirmos um lugar na mesa deles, para fazer parte da discussão.
DW : Então, esses extraterrestres de orientação negativa ou mais neutra, não seriam realmente do tipo benevolente?
CG : Depende do ponto de vista. É tudo uma questão de perspectiva. Ao pensar em todos os grupos, é difícil dizer: este grupo é positivo, aquele é negativo, porque eles encaram o que estão fazendo como uma coisa positiva.
DW : Você menciona no seu site algo chamdo LOC. Pode-nos dizer o que é?
CG : O Comando de Operação Lunar = Lunar Operation Command (L.O.C.) é uma instalação na face oculta da Lua, que é uma espécie de centro diplomático neutro ao qual todos os diversos programas espaciais têm acesso. Algumas pessoas residem e trabalham aí, mas, sobretudo, é um local de paragem e de reabastecimento. As pessoas estão sempre a chegar e a partir para viagens no nosso sistema solar e para além dele, em direção a outras estações e a outras bases, para se reunirem às espaçonaves que lhes estão destinadas.
DW : Conte-nos a sua história presente de como saiu de sua casa e finalmente chegou a essa espaçonave de pesquisa lá fora, no nosso sistema solar. Apenas uma breve referência de como aconteceu.
CG : Fui transportado da minha casa no meio da noite pelos meios convencionais da Base da Força Aérea de Carswell. Por baixo dessa Base, numa área secreta, há um elevador que o leva para um local subterrâneo muito mais abaixo. Muitas pessoas são conhecedoras do sistema de transporte subterrâneo dos Estados Unidos.
DW : Escutei informantes nomeando-o de transporte especial subterrâneo.
CG : Sim, é um Sistema de transporte especial. É como um comboio mono-trilho através de um tubo e é como um trem Maglev (comboio de levitação magnética) dentro de um tubo de vácuo. Fui transportado daí para outro local de onde fui transportado para o L.O.C. através de uma tecnologia que muitos chamam uma tecnologia tipo “Portal de Estrelas” ou tecnologia de transporte via portal. Cheguei ao L.O.C., ou Comando de Operação Lunar. Então fui colocado nessa espaçonave semelhante a uma manta (uma arraia).
tr6-delta-telos-espaconave-usa
Outra espaçonave desenvolvida secretamente pelos EUA, com tecnologia alienígena, o TR6 TELOS
DW : Como uma arraia em forma de diamante ?

artigo anterior