Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Uma Viagem de Redescoberta - Parte IV

O Queé uma Jornada Espiritual?

Por Elizabeth AyresEscher

 27 de agosto de 2014 às 01:51

Tradução de Maria Dantas



Grande Ronde RiverQuando vocêestá embarcado em uma jornada espiritual como eu estive, o destino nem sempre éclaro e bem definido. Você pode até não estar ciente de que você embarcou em um...Como eu estive há muitos anos. Pode me chamar de cabeça dura, mas o conceito deuma Nova Era não era muito conhecido, exceto entre aqueles que estudarammetafísica. As livrarias de livros da Nova Era, e lojas de cristais não estavamainda bastante a frente do tempo. 

Alguns demeus leitores  me disseram em vários e-mailse comentários que algumas das respostas que eu estou procurando me levaramquase uma vida inteira para descobrir. Não vai demorar muito tempo para aSegunda Onda ou aqueles que seguem os meus passos, uma vez que as frequências agora nos apoiam conseguirem uma mudança mais rápida e de transformação, graças ao trabalhoduro feito por aqueles da Primeira Onda de voluntários que fizeram o trabalhoduro, quebrando a trilha a machadadas. Às vezes você nem mesmo sabe que vocêestá em uma jornada espiritual. A jornada apenas te pega como uma corrente fortee leva você junto. Finalmente, algumas coisas começam a nascer em suaconsciência desperta; outros demoram um pouco mais. 

Da minhadescrição da vida no Rancho Royal Teton, você pode pensar que eu não aproveiteiinteiramente a experiência e você estaria certo... e, errado.

Eu era partede uma comunidade espiritual. A consciência de ter vivido em outras vidas"passadas" era muito forte dentro de mim. Instintivamente eu sabiaque eu tinha sido uma parte dos essênios, uma dos cátaros e um CavaleiroTemplário... E assim por diante.

Na igreja,havia muitos livros para ler, alguns escritos por Elizabeth Clare Prophet... oumelhor por sua equipe editorial, que era extensa. E havia volumes de outroslivros metafísicos clássicos vendidos na loja local, do outro lado da estradado Rancho. Tendo um pouco de dinheiro, eu comprava livros e lia durante ashoras livres que eu tinha naquele lugar.

Asperguntas do por que eu não poderia estar satisfeita com uma vida"normal" se recusavam a ser respondidas. Na verdade, por um longo tempoeu nunca sequer me preocupei em respondê-las. Eu apenas estava a fazendoperguntas sobre tudo o que eu conseguia pensar no reino espiritual. Nãosignificava necessariamente que eu estava recebendo as respostas"corretas" no momento, mas eu estava envolvida com fervor em aumentara minha consciência sobre outros seres, outros mundos... Principalmente osMestres Ascensionados e Arcanjos. A Igreja não se harmonizava com extraterrestres.Não houve menção lá da presença de forças galácticas amigáveis??; não, que isso viria muito mais tarde.

Aindaassim, enquanto no Rancho, eu aprendi sobre Sanat Kumara e Sua grande promessapara ajudar a humanidade em uma época de grande escuridão sobre o planeta. Eutinha certeza de que eu era um de seus 144 mil voluntários que vieram de Vênus...E, eu estava certa. No entanto, eu apenas encontrei a verificação desse fatomuito, muito mais tarde, quando eu finalmente pudesse emocionalmente"lidar" com ele.

Aquilo que eu meopunha no Rancho, pelo menos secretamente, era a quantidade de controle exercidosobre o pessoal e os alunos a pensar da forma que a Mensageira pensava e aaceitar o que ela nos dissesse como "verdade" e não questionar nada. Emoutras palavras, você recebia instruções para desistir de sua soberania pessoale desse o seu poder para a Mensageira. Isso não funciona em qualquer ambiente, meusamigos, e certamente não naquele que dar a entender que está agindo a partir deum lugar de integridade espiritual.
 
Então,enquanto eu parecia me adaptar aos meus novos ambientes, eu me achei um poucodesanimada e decepcionada com o que eu pensei que seria uma experiênciaespiritual gloriosa. Como um membro da equipe de voluntários, eles não me pagavam um centavo. Na verdade, eu pagava uma quantia nominal pela hospedagem ealimentação. Como estudante, as taxas continuavam. A Igreja alegava dízimos deseus membros e aceitava vastas quantidades de doações de seus membrosinternacionais e vendas de livros, fitas e várias outras peças publicadas. Emoutras palavras, era uma proposta de tomada de dinheiro pela Mensageira. Oquadro de funcionários, pouco mais do que os seus servos, eram completamenteapaixonado pela mulher e suas mensagens. Eu não era muito, mas ainda queriaestar por lá, apesar do meu sofrimento real físico e emocional. Qualquer um queviveu para sobreviver a um mau casamento ou relacionamento, pode se identificarcom meus sentimentos ambivalentes. É difícil se libertar quando você tem desobra pouco auto-respeito ou amor devido ao condicionamento intenso. Mesmo assim finalmente eu consegui fazer exatamente isso. 

Como vocêpode bem imaginar, depois que eu deixei a Igreja, eu tinha sentimentosambivalentes um pouco sobre os Mestres Ascensionados, também. Quando medisseram para deixar as terras do Rancho pelo secretário da Mensageira, medisseram que o Mestre El Morya indicou que o meu caminho estava em outro lugar.Não houve mais nenhuma instrução, pedido de desculpas ou despedidas feitas. Eu fuidispensada como um cão sem valor sendo chutada na rua.

No entanto,enquanto eu estava nas terras do Rancho, eu experimentei algumas revelações queperdurariam na memória ao longo dos anos seguintes.

Com a minhagrande perda de peso, eu cabia em uma jaqueta minúscula de piloto... Uma noite,enquanto eu estava penteando o meu cabelo em frente ao espelho, enquanto vestiaa mesma jaqueta, eu tive uma visão ou compreensão de mim mesma como um pilotode bombardeiro da Força Aérea Real. No dia seguinte, eu entrei a passos largosno escritório e perguntei a um dos meus colegas de trabalho se ele tinha sidoda Força Aérea Real  durante a SegundaGuerra Mundial. Eu sabia que ele tinha; ele já tinha compartilhado uma históriaou duas. Quando ele recordou que ele tinha sido navegador a bordo de um bombardeiro,eu olhei para ele direto nos olhos e disse-lhe que eu tinha sido o seu piloto. Elese lembrava ter socorrido um piloto ferido depois de esse ter sido atingidosobre a Alemanha, perto da fronteira francesa. De alguma forma eu conseguimanobrar sobre a França antes que o avião caísse, pousando forçado no campo deum fazendeiro. O meu amigo e outros da tripulação fugiram. Stuart entrou para aResistência Francesa, até que ele foi preso pelos alemães e morto. Eu morrinaquele campo abandonado de lesões pelos estilhaços, sangrando sob o cano deferro fundido cinzento de rifles alemães. Não é de se admirar que eu não mesentisse confortável em torno de armas nesta vida? 

Eu pegueioutros vislumbres em vidas "passadas"... Uma vez como uma dançarinado templo no sudeste da Ásia, pequena e de cabelos escuros. Então como dançarinahindu na corte de Akbar, o Grande, e assim por diante. Um dia, comecei a dizersobre essas visões  para uma funcionáriaque eu estava recebendo e tendo uma reação estranha. Ela me disse para manteressa informação para mim mesma para que os outros ao ouvir sobre essas visõespudessem ficar com ciúmes. Eu achei estranho uma vez que nos contávamos constantementevárias histórias da Mensageira de que ela ou membros de sua família haviamfeito em vidas "passadas". Aparentemente, não eram coisas que elesmesmos tinham feito por si mesmos, embora fosse superficialmente, contudo, muitos membros da equipe de trabalho também estiveram nesses ambientes exóticoscom a Mensageira em outras vidas.

Outrarevelação que foi recebida por mim na leitura de um pequeno livro intituladoSt. Paul na Grã-Bretanha. É um clássico metafísico e ainda está disponível... Apesarde qual seja a verdade que ele detém, eu a desconheço. Ainda assim, na primeiraleitura que fiz desse livro tive uma percepção de que eu estive em Mona naépoca que os romanos invadiram e destruíram os grandes bosques druídicos e afaculdade que lá existiam.

Para quemnão sabe, Mona era um antigo nome para a ilha de Anglesey, que fica ao largo dacosta noroeste de Gales. Tinha sido um local de aprendizado por milhares deanos, aonde os alunos que vinham de toda a Grã-Bretanha e Alba (Escócia), Eriee mesmo da Europa. Os druidas, uma vez que eram considerados de uma máreputação em histórias que eu tinha lido na minha infância, eram pessoas degrande aprendizado. Para pertencer a um Druida completo, você se comprometia avinte anos de treinamento intenso. Havia três níveis de mestrado, cada um, comdiferentes focos. Alguns dos alunos não estavam presentes para se tornarem druidas,mas tinha que ser ensinado o básico de governar, ciências naturais, cura,línguas e afins.

Finalmenteentendi por que eu tinha experimentado tal dificuldade no País de Gales, ficandofisicamente doente enquanto nós ficamos em um pequeno hotel situado acima doEstreito de Menai. Eu tinha encontrado um registro astral do grande massacre,que de outro modo eu mesma tinha experimentado ou imaginado de outraperspectiva, por causa dos sentidos psíquicos altamente desenvolvidos que eupossuía durante essa encarnação em particular. Muito mais tarde, na verdade,cerca de 20 anos ou mais depois, eu mesma fui verificar isso tendo essa visão esmagadorana Grã-Bretanha.

Eu tinhasido uma estudante de algumas faculdades por alguns anos e já possuía o que osceltas chamam de "A Visão", mesmo quando criança. Sendo um jovemfilho de um cacique do norte e estava levemente preparado, eu não era materialde guerreiro, mas os druidas tinham os olhos por toda a terra, procurandoaqueles que eram adequados para o ensino como druidas. 
 
O druidachefe era um homem de grande visão e aterrorizante em aspecto para alguém tãojovem como era eu, um simples garoto de uma aldeia distante, ao norte. Noentanto, ele era bom professor e passamos algum tempo com o mais jovem dosestudantes, meninas e meninos. Sim, as meninas recebiam instruções lá, também.Os druidas respeitavam os dons intuitivos naturais para as mulheres da nossaespécie. Muitas das mulheres se tornavam sacerdotisas, instrutoras dos jovens ecurandeiras.

Foi maistarde que eu iria encontrar através da Internet, a reencarnação deste mesmolíder druida. Tivemos alguns karmas para equilibrar entre nós dois. Pois eusabia que ninguém mais tinha feito isso traindo os druidas aos Romanos. Ospoderes dos druidas eram mais fortes do que os dos romanos. Eu não conseguiaentender o que era visto como traição na época; Agora eu entendo a necessidade...Simplesmente, os ciclos são o que são... Aumento de potência e depois caem - ociclo do druida como um poder político no sul da Grã-Bretanha estava agora nocrepúsculo. As faculdades e suas práticas continuariam entre os nossos primosPictish para o extremo norte, mas isso era tudo um futuro obscuro...

Você consegueentender o que se parece ao andar entre dois mundos? Tenho feito isso tantasvezes nos últimos 20 anos, experimentando vidas paralelas ou "passadas",enquanto vivia esta minha vida presente. Às vezes, isso tem sido como se euestivesse no meio de um filme, dois filmes, ou mais. Ainda assim, eu poderiamanter uma presença aqui, até que fiquei preocupada, mas emocionalmenteestável... Provavelmente passei por "normal" neste mundo louco.

Tendo emconta estas novas "perspectivas" sobre a vida neste planeta, era maisfácil para mim, estar aberta à informação que começava a fluir no meu caminhocom mais freqüência.

Aindaassim, eu tinha períodos de estar quase completamente desligada para receber. Umdesses períodos ocorreu depois que eu saí Montana e tentei reabilitar meu corpodepois de uma longa doença que não foi definida.

Voltando aMontana depois de deixar o estado de forma tão abrupta no outono anterior, euconsegui um emprego na Universidade local, como secretária de um pequeno grupode cientistas de pesquisa no campus. Um dos professores foi também membro da IgrejaUniversal e Triunfante, embora eu não me lembrasse de alguma vez já tê-lo visto ouo encontrado em qualquer uma das maiores sessões pública no Rancho. 

Eu aindaestava participando de serviços e como um membro da Igreja, somente agora eufazia parte do pequeno grupo de estudo situado em uma cidade vizinha. Euparticipei somente de mais alguns serviços mantidos no Rancho, até aquela épocaa segurança no rancho aumentava permitindo somente certos indivíduos aprovadosna propriedade. Era período de crescente paranóia que se espalhava entre osmembros da Igreja em todo o mundo, obrigando algumas pessoas a desistirem deseus trabalhos e se mudarem para Montana a fim de escapar de qualquer coisa queviesse. Isso soa familiar? É um outro caminho de domínio do pensamento dogrupo... E não é uma coisa boa de se envolver em qualquer nível que isso ocorra,seja em uma igreja, um País inteiro, uma comunidade ou uma família.

Foi nesse tempo,eu me envolvi no episódio infame da queda do Edifício Abrigo pelos membros daIgreja, o maior sobre os fundamentos do próprio Rancho Royal Teton e outrossobre a propriedade Glastonbury, localizado ao norte acima do Rio Yellowstone.Eu comprei em um dos abrigos, embora eu sinceramente não tinha muita fé queisso fosse "seguro". Ainda assim, fomos encorajados pela Mensageirapara se preparar para uma guerra atômica que iria rasgar o País, juntamente comoutras terríveis advertências de terra e as mudanças climáticas. Naturalmente, adata prevista para quando estas calamidades ocorreriam passaram sem nenhumevento. E a Mensageira e seu terceiro marido foram pegos pelas autoridadesfederais em um "complô" para comprar armas em outro estado etrazê-las para o grande abrigo no Rancho. Não é muito bom a imprensa para umalíder "espiritual".


Com o fracassodas profecias dadas pela Mensageira e a batalha legal com os agentes federaisque se seguiam, a Igreja perdeu um monte de membros nos dias que se seguiram.Eu não era um deles, eu já estava vivendo e trabalhando lá. Muitas pessoasperderam praticamente tudo o que tinham e ou deixaram Montana ou voltaram paracasa para tentar começar de novo.

Em algummomento que isso aconteceu, tive um dos meus palpites que eu estaria me mudandoem breve. Duas semanas depois, eu deixei Montana, desta vez para sempre, evoltei para casa dos meus pais norte de Seattle.

Eu estavacom esperanças de me restabelecer financeiramente e fisicamente. Eu estava malde saúde física, mas ainda assim era capaz de trabalhar em um emprego de escritório.Inicialmente, eu só queria passar o verão lá; contudo, acabei vivendo com os meus pais pelos próximos nove anos. Era o início de uma nova fase da minha jornadaespiritual.

A históriacontinua com a Parte V.

 ©Todos os Direitos Reservados, Elizabeth Ayres Escher, http://www.bluedragonjournal.com

Eliza Ayres27 de agosto de 2014 às 01:51

Tradução voluntária de Maria Dantas mariadantas2@hotmail.com para achama.biz.ly de 


Por favor, respeitem todos os créditos.
Arquivos em português:

 Atualização diária