Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

A Chama Violeta

Sítio dedicado à filosofia humana, ao estudo e conhecimento da verdade, assim como à investigação. ~A Luz está a revelar a Verdade, e a verdade libertar-nos-á! ~A Chama Violeta da Transmutação

Vitória de Zelensky faz da Ucrânia primeiro país fora Israel com presidente e primeiro-ministro judeus (Cazares) ~ Cnaan Liphshiz


Vitória de Zelensky faz da Ucrânia {origem dos judeus khazares} o primeiro país fora de Israel com presidente e primeiro-ministro judeus.

.

Fonte:  https://www.timesofisrael.com/

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch
 

.
 
 
 

Após a vitória do judeu Volodymyr Zelensky nas eleições presidenciais ucranianas, o país se tornará o único no mundo além de Israel, cujo presidente e o seu primeiro-ministro são ambos judeus.  Quando Zelensky for empossado como presidente da Ucrânia, seu primeiro-ministro – pelo menos por algum tempo e possivelmente até as eleições parlamentares marcadas para acontecer ainda este ano –  será Volodymyr Groysman, um político também judeu que era prefeito da cidade de Vinnytsia.
 
 

“Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás”.  Apocalipse 2:9

 
Maravilhe-se com o colunista: ‘Imagine, um judeu de sangue puro com a aparência de um protagonista como Sholom Aleichem vencer as eleições como um terremoto em um país que glorifica criminosos nazistas’
Para alguns dos críticos de Petro Poroshenko, o sucesso esmagador da vaga campanha à presidência da Ucrânia do judeu comediante Zelensky, que é politicamente inexperiente, não surpreendeu à luz do ressentimento generalizado da população pela persistência da corrupção endêmica do governo de Poroshenko, eleito em 2014 em uma plataforma que prometeu ação corretiva exatamente nessa frente contra a corrupção.
Mais incomum para alguns, no entanto, foi como Zelensky parece ter vencido as eleições tão decididamente, apesar de como sua ascendência judaica – sua mãe, Rima, é judia e ele se referiu brincando durante a campanha – sua ascendência é bem conhecida na Ucrânia. Afinal, a Rússia e outros críticos afirmam que a sociedade ucraniana tem um sério problema e um antigo legado de forte anti-semitismo.

“Imagine, um judeu de sangue puro com a aparência de um protagonista como Sholom Aleichem vencer como um terremoto as eleições em um país onde a glorificação dos criminosos nazistas é promulgada como lei”, escreveu Avigdor Eskin, colunista israelense-russo, em uma análise publicada anteriormente. este mês pela agência de notícias Regnum.
Eskin na coluna sobre Zelensky subestimou as alegações de anti-semitismo generalizado na Ucrânia, atribuindo grande parte da atenção ao problema na mídia e além à propaganda da Rússia, que está envolvida em um conflito armado sobre disputa de território com a Ucrânia. Mas a afirmação de Eskin sobre as leis ucranianas que glorificam os criminosos nazistas não é imprecisa, e a Rússia não está sozinha em criticar a Ucrânia por essa e outras questões ligadas ao anti-semitismo.
No ano passado, o governo de Israel destacou a Ucrânia como um problema regional no relatório anual do governo israelense sobre o anti-semitismo.
“Uma exceção marcante na tendência de diminuição de incidentes anti-semitas na Europa Oriental foi a Ucrânia, onde o número de ataques antissemitas registrados dobrou em relação ao ano passado e superou a contagem de todos os incidentes relatados em toda a região combinada,” o relatório disse. Os autores do relatório contaram mais de 130 incidentes anti-semitas na Ucrânia em 2017, disseram eles.
Também no ano passado, mais de 50 membros do Congresso americano condenaram a legislação ucraniana que disseram “glorifica os colaboradores nazistas” e, portanto, vai além das controversas leis da Polônia, limitando o que pode ser dito sobre a cumplicidade local durante o Holocausto.
Uma carta assinada pelos legisladores dos EUA declarou: “É particularmente preocupante que grande parte da glorificação nazista na Ucrânia seja apoiada pelo governo”. Ele observou cerimônias, gestos e legislação que veneravam líderes das milícias UPA e OUN, que lutaram ao lado da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial e cujas tropas participaram de atrocidades contra judeus e outras vítimas de minorias étnicas.
O governo de Poroshenko encorajou muito a glorificação dessas tropas e líderes como combatentes da liberdade ucraniana, que insistiu em aliar-se à Alemanha apenas para lutar contra a União Soviética controlada pelos russos.  Várias cidades da Ucrânia nomearam ruas para o colaborador nazista Stepan Bandera, que antes do tempo da presidência de Poroshenko no cargo era abertamente glorificado apenas no oeste do país.

Enquanto isso, na cidade de Lviv, no oeste, os nacionalistas se encorajaram o suficiente para celebrar com a permissão das autoridades da cidade o aniversário da 14ª divisão galega da Waffen S.S. Os eventos do aniversário mostravam homens desfilando em uniformes nazistas da S.S. na rua.
Tais visões teriam sido impensáveis ​​sob Viktor Yanukovych, o presidente corrupto que foi deposto em uma revolução de 2013 que terminou com a eleição de Poroshenko. Com o cuidado de não alienar nem os russos étnicos na Ucrânia nem seu poderoso vizinho russo ao leste, Yanukovych era menos tolerante com esse fenômeno nacionalista.
Sobre este assunto, Zelensky disse apenas que ele pessoalmente não favorece a veneração de pessoas como Bandera, a quem descreveu como “um herói para alguns ucranianos”. Era uma formulação marcadamente reservada em comparação com o endosso incondicional de figuras como Bandera por oficiais. sob Poroshenko. A campanha presidencial em si apresentou algum anti-semitismo.
Em alguns círculos de extrema direita, o trabalho de Zelensky em uma televisão pertencente ao bilionário judeu Igor Kolomoisky era prova de que ele pertencia a uma “conspiração judaica”. Mas tornou Zelensky popular com outros nacionalistas que apreciavam a reputação de Kolomoisky como um patriota ardente.
 
Alexander Paliy, um influente analista político que apoiou Poroshenko, no mês passado provocou polêmica quando escreveu no Facebook que, apesar de seu “respeito” por judeus e russos, “o presidente da Ucrânia deveria ser ucraniano e cristão, como a maioria absoluta dos ucranianos”. Tal retórica é chocante para muitos dos 300 mil judeus da Ucrânia, cujos ancestrais sofreram um anti-semitismo assassino na Ucrânia por séculos antes, durante e décadas depois do Holocausto.

O filósofo franco-judeu Bernard-Henri Lévy também fez referência à sangrenta história do judeu ucraniano em uma entrevistasemanal com Zelensky, o filho de 41 anos de cientistas que morava perto das principais bases do exército soviético na Ucrânia, que ele publicou no início deste mês.
“Seu judaísmo. É extraordinário que o possível futuro presidente do país da Shoah de Bullets e Babi Yar seja um judeu auto-afirmado de uma família de sobreviventes de Kryvy Rih perto do Dnipro – a terra do pogrom, se é que houve algum ”, escreveu Levy. “Esse garoto pós-moderno é a nova prova de que o vírus do antissemitismo foi contido” depois da revolução, acrescentou Levy.
Não negando sua ascendência judaica, Zelensky se recusou a explorá-la demoradamente na entrevista, escreveu Levy. Sobre esse assunto, ele respondeu com um típico humor autodepreciativo, dizendo a Levy: “O fato de eu ser judeue mal faz 20 anos em minha longa lista de falhas”.

Para uma MELHOR compreensão do assunto em pauta e os Illuminatis/Khazares SEGUIDORES de Lúcifer, por favor acesse os seguintes links: 

Zelensky, cuja mãe, Rima, é judia, tem se insinuado com o público ucraniano com piadas como a de “Servo do Povo” – um programa de televisão no horário nobre, onde ele retrata um professor impulsionado por uma improvável cadeia de eventos para se transformar presidente na Ucrânia. Ele anunciou sua candidatura em janeiro, tornando-se um favorito instantâneo. Essa popularidade permitiu que Zelensky vencesse em uma plataforma incomumente vaga e se distinguisse de seus rivais políticos profissionais, com sua propensão a slogans hipérboles e nacionalistas.
Por exemplo, quando um repórter perguntou como ele lidaria com o presidente russo Vladimir Putin, Zelensky voltou às raízes cômicas, dizendo: “Eu falaria com ele na altura dos olhos”. Era uma referência a ele e a Putin serem pelo menos três polegadas. mais baixos que Poroshenko, que tem crca de 6 pés (1,83 metros de) de altura.
A opacidade de Zelensky significa um alto nível de incerteza, disse Dolinsky, o líder da comunidade judaica.  “Teremos que esperar e ver que tipo de presidente Zelensky será”, disse Dolinsky, que criticou abertamente algumas políticas do governo Poroshenko. “O que está claro é que a tentativa de Poroshenko de apelar ao nacionalismo fracassou. Ucranianos disseram que queriam mudar. E estou me sentindo otimista”.
 
NR:
Exisrem rumores de que o atual presidente é cazar-judeu e usa o nome de família da esposa para encobrir as suas origens cazares. Também há rumores de que os cazares estão a ver que não podem segurar por muito mais tempo a presença na Palestinha e pretendem restaurar a Cazária na Ucrânia cuja parte oriental fez parte do império cazar dos séculos IX e X. 
A verdade nunca muda, é sempre verdade. Porque será que os sionistas têm tanto medo que alguém investigue o holocausto, só a mentita precisa de proteção. Bom o horrores foram cometidos mas parece que os nazis não foram os mestres mas sim os sionistas que estavam por trás.
Há forte evidência que os nazis foram criados e financiados pelos sionistas, que Hitler é neto de Salomon von Rothschild de Viena e que a maioria dos oficiais do topo da gestapo eram judeus cazares que prendiam todo o judeu que não quizesse emigrar para a palestina.
Também já li reportagens de que os sionistas vestidos de árabes atacavam as comunidades judaicas no norte de África de e médio oriente a fim de os convencer a imigrar para a Palestina e formar mais tarde o estado cazar de Israel.
 
 




 

Por favor, respeitem todos os créditos


Recomenda-se o discernimento.






Todos os artigos são da responsabilidade do respetivos autores ou editores.


Nenhum credo religioso ou político é defendido aqui.


Individualmete pode-se ser ajudado a encontrar a própria Verdade que é diferente a cada um de nós.

 
 


Atualização diária.


Free counters!


 
 
 
 
geoglobe1